SPED: CURSO DE SPED FISCAL ICMS IPI
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

SPED: CURSO DE SPED FISCAL ICMS IPI

on

  • 3,159 views

Curso de SPED Fiscal ICMS IPI

Curso de SPED Fiscal ICMS IPI

Statistics

Views

Total Views
3,159
Views on SlideShare
3,105
Embed Views
54

Actions

Likes
0
Downloads
121
Comments
0

4 Embeds 54

http://blogdosped.blogspot.com 25
http://blogdosped.blogspot.com.br 18
http://paper.li 9
http://www.blogdosped.blogspot.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

SPED: CURSO DE SPED FISCAL ICMS IPI SPED: CURSO DE SPED FISCAL ICMS IPI Presentation Transcript

  • SPED FISCAL ICMS/IPI Edgar Madruga AGOSTO DE 2011
  • Contato e ReferênciasContato para troca de idéias e experiências: edgarmadruga01@gmail.com www.blogdosped.blogspot.com
  • “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” Cora CoralinaMuito Obrigado!
  • SPED FISCAL ICMS/IPI Edgar Madruga AGOSTO DE 2011 “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” Cora Coralina Muito Obrigado!CHAVES: CURSO SPED, TREINAMENTO SPED, PALESTRA SPED, SPED, SPED FISCAL, SPED CONTABIL, NOTA FISCAL ELETRONICA, SPED PIS COFINS, SPED FOLHA, FOPAG,SINTEGRA, ROBERTO DIAS DUARTE, GOIANIA, EFD, ECD, NFE, ECF, PAF ECF, FISCO, RECEITA FEDERAL, ARQUIVOS DIGITAIS, ENCAT, CONFAZ, CONTABIL, CONTABILIDADE, ICMS, Escrituração Fiscal Digital (EFD)NF-E, FAZENDA, ADMINISTRACAO, TRIBUTO, TRIBUTARIA, GESTAO, ADMINISTRADOR, PUBLICO, PERICIA, CERTIFICACAO DIGITAL, GOVERNO, CRC, SESCON, CONTADOR, CFC ,BRASIL ID, CONSULTORIA, RIFD, TI, GO, DF, MG, MT, MS, TO, BA, CE, RN, AL, PB, FISCALIZACAO, INFORMATICA, PROJETO Licença Creative Commons: permitido copia e distribuição não onerosa desta compilação desde que citado em destaque a fonte e e-mail de contato, tanto do instrutor quanto dos sites de José Adriano (www.joseadriano.com.br ) , Roberto Dias Duarte (www,robertodiasduarte.com.br) e Acesso Digital - Bruno Barreto (www.acessodigital.com.br) 1
  • Contato e ReferênciasContato para troca de idéias e experiências: edgarmadruga01@gmail.com www.blogdosped.blogspot.com 1 2 3 4 5 6 Objetivos deste Treinamento “A harmoniosa Vida de Deus ilumina o Universo, e no mundo reina a paz” Masaharu Taniguchi 2
  • Este NÃO é meu objetivo Objetivos deste Treinamento: PONTO DE VISTA CONHECIMENTO RISCOS TRIBUTÁRIOS Atender as expectativas1 2 3 4 5 6 Origem e Evoluçãodos Arquivos Digitais“A harmoniosa Vida de Deus ilumina o Universo, e no mundo reina a paz” Masaharu Taniguchi 3
  • Origens dos Arquivos Digitais 4
  • Esta empresa ainda existiria se nãobuscasse novas oportunidades e formas de trabalho? Fiscalização de Trânsito A Fiscalização na Era do A Fiscalização na Época dos Arquivos Digitais Conhecimento 5
  • Escrituração Fiscal Digital Jornal Diário do Nordeste Publicado em 28 de maio de 2011 SCANNER NA SEFAZ CEARÁ: Posto alfandegário de Aracati receberá a tecnologia nos próximos meses, assim como o do Crato.... o primeiro de cinco scanners de verificação de carga nos postos fiscais defronteira do Ceará, enfim, está chegando ao Estado. O equipamento aportarána próxima segunda-feira, 30 e seguirá para Tianguá, onde será instalado noposto de Queimadas, em junho. A informação é do secretário da Fazenda,Mauro Filho.Já o segundo scanner, que será móvel, deve demorar um pouco mais parachegar. Devido a sua mobilidade, poderá circular pelos outras alfândegas eainda por 35 rotas alternativas identificadas no Estado. A FiscalizaçãoDigitalEra do Escrituração Fiscal na (EFD) Conhecimento Referências de Qualidade Sobre o Assunto: www.joseadriano.com.br www.robertodiasduarte.com.br www.spedbrasil.net www.slideshare.net/edgarmtj01Licença Creative Commons: permitido copia e distribuição não onerosa desta compilação desde que citado em destaque a fonte e e-mail de contato, tanto do instrutor quanto dos sites de José Adriano (www.joseadriano.com.br ) e Roberto Dias Duarte (www,robertodiasduarte.com.br) DUVIDAS 6
  • 1 2 3 4 5 6 CERTIFICAÇÃO DIGITAL“A harmoniosa Vida de Deus ilumina o Universo, e no mundo reina a paz” Masaharu Taniguchi Premissas do SPED Certificação Digital MP 2.200-2/01Art. 1º- Fica instituída a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira -ICP-Brasil, para garantir a autenticidade, a integridade e a validadejurídica de documentos em forma eletrônica, das aplicações desuporte e das aplicações habilitadas que utilizem certificadosdigitais, bem como a realização de transações eletrônicas seguras. Os documentos certificados pela ICP-Brasil presumem-se verdadeiros em relação aos signatários, na forma do Código Civil. O disposto na MP não obsta a utilização de outro meio de certificação, desde que admitido pelas partes ou aceito pela pessoa a quem for oposto o documento. 7
  • Usuários de Certificação Digital 1 Receita Federal 2 Supremo Tribunal Federal 3 Superior Tribunal de Justiça 4 Justiça Federal 5 Tribunais de Justiça Estaduais 6 Varas da Fazenda Pública de Goiás Certificação Digital SPED NF-e PIS/COFINS EFD ECD Representante Representante PJ emitente da PF cadastrada na Legal ou seus Legal ou seus Quem? NF de procuradores em procuradores em Junta Comercial e mercadorias o Contabilista relação à PJ relação à PJCertificado e-PJ ou e-CNPJ e-PF ou e-CPF e-PF ou e-CPF e-PF ou e-CPF Digital e-PJ ou e-CNPJ e-PJ ou e-CNPJArmazena A1 (software) A1 (software) A1 (software) A3 (token, A3 (token, A3 (token, A3 (token, smartcard) mento smartcard) smartcard) smartcard) Certificação Digital SPED NF-e PIS/COFINS EFD ECD Representante Representante PJ emitente da PF cadastrada na Legal ou seus Legal ou seus Quem? NF de procuradores em procuradores em Junta Comercial e mercadorias o Contabilista relação à PJ relação à PJCertificado e-PJ ou e-CNPJ e-PF ou e-CPF e-PF ou e-CPF e-PF ou e-CPF Digital e-PJ ou e-CNPJ e-PJ ou e-CNPJArmazena A1 (software) A1 (software) A1 (software) A3 (token, A3 (token, A3 (token, A3 (token, smartcard) mento smartcard) smartcard) smartcard) 8
  • Certificação Digital SPED NF-e PIS/COFINS EFD ECD Representante Representante PJ emitente da PF cadastrada na Legal ou seus Legal ou seus Quem? NF de procuradores em procuradores em Junta Comercial e mercadorias o Contabilista relação à PJ relação à PJ Certificado e-PJ ou e-CNPJ e-PF ou e-CPF e-PF ou e-CPF e-PF ou e-CPF Digital e-PJ ou e-CNPJ e-PJ ou e-CNPJ Armazena A1 (software) A1 (software) A1 (software) A3 (token, A3 (token, A3 (token, A3 (token, smartcard) mento smartcard) smartcard) smartcard) DUVIDAS 1 2 3 4 5 6 Projeto SPED“Manifeste o amor em todos os atos, faça da vida humana uma vida divina, avance crendo sempre na vitória infalível e agradeça a todas as coisas do Universo” Masaharu Taniguchi 9
  • SPED: Ficção Científica? O que é Ficção Científica?Sistema Público de Escrituração DigitalO SPED é ficção científica? Estatísticas da NF-e NF-e Autorizadas 3,14 bilhões Número de Emissores 645.472 10
  • Sistema Público de Escrituração DigitalUNIFICAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIASSistema Público de Escrituração DigitalSistema Público de Escrituração Digital 11
  • SPED – Abrangência SPED – AbrangênciaO que está por vir? EFD contábil (Incorporação de e-Lalur + FCONT+ Plano Contas Fiscal); Ativo imobilizado (Incorporação do item da IN86); Contas a pagar (Incorporação do item da IN86); Contas a receber (Incorporação do item da IN86); Livro de controle da produção e do estoque; SPED – AbrangênciaO que está por vir? Unificação das GIAs, DIEFs, GMB, DAPI, GI, GST; Fichas de lançamentos para os BANCOS; MDF-e – Manifesto de documentos fiscaiseletrônicos; Portal de eventos; Brasil ID; Entrada das empresas sob o regime de lucropresumido e do simples. 12
  • Sistema Público de Escrituração Digital CONTABILI DADE Sistema Público de Escrituração Digital ANUAIS MENSAIS DIARIOS EVENTOS Sistema Público de Escrituração Digital Monitoramento Constante Anual SPED CONTÁBIL Mensal SPED FISCALDiariamente 13
  • Um dia a Contabilidade será sem papel MITO OU REALIDADE? DUVIDAS 1 2 3 4 5 6 Escrituração Fiscal Digital – EFD“A vida de todo ser humano esta ligada aos Antepassados. Se nãoagradecermos às raízes da Vida, seremos como a flor amputada do caule: pormais que seja bela e vistosa, logo murchará e secará” Seicho Taniguchi 14
  • Isto NÃO é um Livro eletrônico Isto é um Livro eletrônico 15
  • Escrituração Fiscal Digital Livros Abrangidos Registro de Entradas Registro de Saídas Registro de Apuração ICMS Registro de Apuração do IPI CIAP Registro de InventárioA EFD consiste em um conjunto de informações e contemplará oque atualmente consta dos livros fiscais, ou seja, estes livrosserão suprimidos pela EFD. Escrituração Fiscal Digital Contribuintes Obrigados: A EFD é de uso obrigatório para todos os contribuintes ICMS ou do IPI. A legislação define que alguns contribuintes poderão ser dispensado desta obrigação, desde que a dispensa seja autorizada pela SEFAZ do contribuinte e pela Secretaria da Receita Federal. A única dispensa permanente prevista atualmente é para empresas do supersimples A obrigatoriedade será progressiva e está prevista para iniciar seus efeitos desde 1º de janeiro de 2009 (ver lista de obrigados NO SITE DA SEFAZ: WWW.SEFAZ.GO.GOV.BR 1 2 3 4 5 6 Legislação da EFD“A vida de todo ser humano esta ligada aos Antepassados. Se nãoagradecermos às raízes da Vida, seremos como a flor amputada do caule: pormais que seja bela e vistosa, logo murchará e secará” Seicho Taniguchi 16
  • Escrituração Fiscal Digital Legislação: Convênio ICMS nº 143/2006, que institui a Escrituração Fiscal Digital (EFD) Ato Cotepe/ICMS nº 9/2008, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de arquivos da Escrituração Fiscal Digital - EFD Protocolo ICMS 77/08 – Lista dos obrigados. Instrução Normativa 1006/2010 – Define os obrigados a EFD para 2011 Legislação EFD – Convênio 143Cláusula primeira § 1º: Considera-se a EFD válida paraos efeitos fiscais após a confirmação de recebimento doarquivo que a contémCláusula terceira: A Escrituração Fiscal Digital é de usoobrigatório para os contribuintes do Imposto sobreOperações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobrePrestações de Serviços de Transporte Interestadual eIntermunicipal e de Comunicação - ICMS ou do Impostosobre Produtos Industrializados - IPI.§ 1º O contribuinte poderá ser dispensado da obrigaçãoestabelecida nesta cláusula, desde que a dispensa sejaautorizada pelo fisco da unidade federada do contribuintee pela Secretaria da Receita Federal. Legislação EFD – Convênio 143Cláusula quinta: O contribuinte deverá manter EFDdistinta para cada estabelecimento.Cláusula sexta O arquivo digital conterá as informaçõesdos períodos de apuração do imposto e será gerado emantido dentro do prazo estabelecido pela legislação decada unidade federada e SRF.Parágrafo único: O contribuinte deverá manter oarquivo digital da EFD, bem como os documentos fiscaisque deram origem à escrituração, na forma e prazosestabelecidos para a guarda de documentos fiscais nalegislação tributária, observados os requisitos deautenticidade e segurança nela previstos 17
  • EFD – Regulamento do Código Tributário EstadualArt. 356-C. § 2º: Fica vedada ao contribuinte a escrituração dos:livros em discordância com o disposto neste capítuloArt. 356-D. :A EFD é obrigatória para o contribuinte do ICMS oudo IPI.§ 2º: A obrigatoriedade da EFD abrange todos osestabelecimentos do contribuinte, que possuem o mesmo CNPJbase, localizados em Goiás. EFD – Regulamento do Código Tributário EstadualArt. 356-E. A administração tributária mediante celebração deProtocolos ICMS entre as unidades federadas e a RFB pode:I - dispensar a obrigatoriedade de que trata o caput para algunscontribuintes, conjunto de contribuintes ou setores econômicos;II - indicar os contribuintes obrigados à EFD, tornando a utilizaçãofacultativa aos demais.Art. 356-F. O arquivo digital da EFD deve ser gerado pelocontribuinte de acordo com as especificações do leiaute definidoem Ato COTEPE e deve conter a totalidade das informaçõeseconômico-fiscais e contábeis correspondentes ao períodocompreendido entre o primeiro e o último dia do mês. EFD – Regulamento do Código Tributário EstadualArt. 356-H. Fica atribuído ao estabelecimento obrigado à EFD operfil "A", devendo o arquivo digital ser elaborado de acordo como leiaute definido em Ato COTEPE.§ 2º Ato do Secretário da Fazenda (IN 1006/10) pode definircritérios para atribuição dos perfis, conforme definido em AtoCOTEPE, aos estabelecimentos obrigados à EFD.Art. 356-J. Parágrafo único: A geração, o armazenamento e oenvio do arquivo digital não dispensam o contribuinte da guardados documentos que deram origem às informações neleconstantes pelo prazo decadencial para guarda de documentofiscal. 18
  • EFD – Regulamento do Código Tributário EstadualArt. 356-L. § 4º: Fica vedada a geração e entrega do arquivodigital da EFD em meio ou forma diversa da prevista neste artigo.Art. 356-M. § 2º Consideram-se escriturados os livros, de quetrata o § 1º do art. 356-C, no momento em que for emitido orecibo de entrega.Art. 356-M. § 3º A recepção do arquivo digital da EFD não implicano reconhecimento da veracidade e legitimidade das informaçõesprestadas, nem na homologação da apuração do impostoefetuada pelo contribuinte. EFD – Regulamento do Código Tributário EstadualRetificação do arquivo da EFDArt. 356-O. O contribuinte pode retificar a EFD até 180 (cento eoitenta) dias após o prazo de que trata o art. 356-N,independentemente de autorização da administração tributária.§ 3º Mediante notificação da autoridade fiscal competente, ocontribuinte deve retificar a EFD. EFD – Regulamento do Código Tributário EstadualRetificação espontânea do arquivo da Escrituração ContábilDigital.Art. 5º da Instrução Normativa DNRC 107/08:“A retificação de lançamento feito com erro, em livro jáautenticado pela Junta Comercial, deverá ser efetuada nos livrosde escrituração do exercício em que foi constada a suaocorrência, observada as Normas Brasileiras de Contabilidade,não podendo o livro já autenticado ser substituído por outro, demesmo número ou não, contendo a escrituração retificada”. 19
  • EFD – Regulamento do Código Tributário EstadualRetificação espontânea de livros fiscais em papelParecer Normativo nº 05/07-SAT, de 16 de julho de 2007....III - CONCLUSÃO:1 - a legislação tributária estadual não autoriza o contribuinte aalterar livros fiscais para retroagir lançamentos autorizados peloFisco;2 - a autorização para registro a destempo do crédito de ICMS,dada pelo Delegado Fiscal de circunscrição do contribuinte, apósa comprovação do direito ao crédito, deve ser implementada nomês em que foi concedida, mediante o registro no livro Registrode Apuração do ICMS, no quadro Crédito do Imposto - OutrosCréditos; EFD – Regulamento do Código Tributário EstadualRetificação espontânea de livros fiscais em papelParecer Normativo nº 05/07-SAT, de 16 de julho de 2007....III – CONCLUSÃO:5 – a legislação tributária não autoriza a reconstituição doslançamentos no livro Registro de Apuração do ICMS, por ocasiãoda escrituração do crédito extemporâneo, autorizado pelaautoridade competente para liquidar débitos tributários, nostermos da Lei nº Lei nº 15.573/06 e da Instrução Normativa nº774/06-GSF. EFD – Regulamento do Código Tributário Estadual Retificação de livros digitais EFD → Espontâneo: até 180 dias após o envio EFD → Mediante notificação fiscal: sem restrições (passível de auto de infração) Observação Receita Federal: Sem previsão após a autenticação 20
  • Legislação EFDINSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.006/10-GSF, DE 16 DESETEMBRO DE 2010.Dispõe sobre os contribuintes obrigados à escrituração e entregada Escrituração Fiscal Digital - EFD - a partir de 1º de julho de2011. O contribuinte obrigado à EFD fica, a partir da entrega domesmo, dispensado da entrega do SINTEGRA Declaração Periódica de Informação - DPI – somente a partirde janeiro de 2012 Homem na lua? SPED: Mito ou Realidade? 21
  • 1 2 3 4 5 6 Leiaute da EFD"A verdadeira viagem de descobrimento não consiste em procurar novas paisagens, e sim em ter novos olhos“ Marcel Proust SPED PIS COFINSLeiaute: Leiaute Leiaute PIS EFD COFINS LEIAUTE DA EFD Contribuintes Fiscos (bases de dados) (sistemas) LEIAUTE Ponte entre os dados dos sistemas empresariais e fiscais 22
  • EFD – Leiaute Tabela do Registro 0000 da EFDNº Campo Descrição Tipo Tam Dec Obrig01 REG Texto fixo contendo “0000”. C 004 - O02 COD_VER Código da versão do leiaute conforme a tabela indicada no N 003* - O Ato Cotepe .03 COD_FIN Código da finalidade do arquivo: N 001 - O 0 - Remessa do arquivo original; 1 - Remessa do arquivo substituto.04 DT_INI Data inicial das informações contidas no arquivo. N 008* - O05 DT_FIN Data final das informações contidas no arquivo. N 008* - O06 NOME Nome empresarial da entidade. C 100 - O07 CNPJ Número de inscrição da entidade no CNPJ. N 014* - OC08 CPF Número de inscrição da entidade no CPF. N 011* OC09 UF Sigla da unidade da federação da entidade. C 002* - O10 IE Inscrição Estadual da entidade. C 014 - O11 COD_MUN Código do município do domicílio fiscal da entidade, N 007* - O conforme a tabela IBGE12 IM Inscrição Municipal da entidade. C - - OC13 SUFRAMA Inscrição da entidade na Suframa C 009* - OC14 IND_PERFIL Perfil de apresentação do arquivo fiscal; C 001 - O A - Perfil A; B - Perfil B.; C - Perfil C.15 IND_ATIV Indicador de tipo de atividade: N 001 - O 0 - Industrial ou equiparado a industrial; 1 - Outros. Registro 0000 da EFDVendo assim um exemplo do registro 0000 montado a partir da tabela do leiaute, vocêainda pode ter dificuldade. Mas igual os filmes de locadora em inglês, se colocarmoslegenda fica mais fácil não é verdade? Vamos lá: |0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADOPARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|521 8789|5030807|1423514|A|1| 23
  • Registro 0000 da EFDNúmerodoRegistro|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| Registro 0000 da EFDNúmero Código dado versão doRegistro leiaute|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código dado versão do finalidadeRegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| 24
  • Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código dado versão do finalidadeRegistro leiaute do arquivo |0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1|Data inicial Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código dado versão do finalidadeRegistro leiaute do arquivo |0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1|Data inicial Data final Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código dado versão do finalidadeRegistro leiaute do arquivo |0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| NomeData inicial Data final empresarial 25
  • Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código dado versão do finalidade CNPJRegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| NomeData inicial Data final empresarial Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código dado versão do finalidade CNPJRegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| NomeData inicial Data final CPF empresarial Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código dado versão do finalidade CNPJRegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| IMPORTANTE: NomeData inicial Data final CPF empresarialObserve que existe apenas dois caracteres | | juntos sem nenhumdado entre eles. Isto significa que esta empresa não possuiCPF. É dessa forma que informamos que não existe informaçãoa ser preenchida para este campo 26
  • Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código dado versão do finalidade CNPJ UFRegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| NomeData inicial Data final CPF empresarial Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código dado versão do finalidade CNPJ UFRegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| Nome INSCRIÇÃOData inicial Data final CPF empresarial ESTADUAL Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código da Código dodo versão do finalidade CNPJ UF municípioRegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| Nome INSCRIÇÃOData inicial Data final CPF ESTADUAL empresarial 27
  • Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código da Código dodo versão do finalidade CNPJ UF municípioRegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| Nome INSCRIÇÃO INSCRIÇÃOData inicial Data final CPF empresarial ESTADUAL MUNICIPAL Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código da Código do INSCRIÇÃOdo versão do finalidade CNPJ UF município SUFRAMARegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| Nome INSCRIÇÃO INSCRIÇÃOData inicial Data final CPF empresarial ESTADUAL MUNICIPAL Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código da Código do INSCRIÇÃOdo versão do finalidade CNPJ UF município SUFRAMARegistro leiaute do arquivo|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| Nome INSCRIÇÃO INSCRIÇÃOData inicial Data final CPF ESTADUAL MUNICIPAL PERFIL empresarial 28
  • Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código da INDICA Código do INSCRIÇÃO DOR DEdo versão do finalidade CNPJ UF município SUFRAMA ATIVIDARegistro leiaute do arquivo DE|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| Nome INSCRIÇÃO INSCRIÇÃOData inicial Data final CPF PERFIL empresarial ESTADUAL MUNICIPAL Registro 0000 da EFDNúmero Código da Código da INDICA Código do INSCRIÇÃO DOR DEdo versão do finalidade CNPJ UF município SUFRAMA ATIVIDARegistro leiaute do arquivo DE|0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADO PARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|5218789|5030807|1423514|A|1| Nome INSCRIÇÃO INSCRIÇÃOData inicial Data final CPF PERFIL empresarial ESTADUAL MUNICIPALNº Campo Descrição Tipo Tam Dec Obrig01 REG Texto fixo contendo “0000”. C 004 - O02 COD_VER Código da versão do leiaute conforme a tabela indicada no N 003* - O Ato Cotepe .03 COD_FIN Código da finalidade do arquivo: N 001 - O 0 - Remessa do arquivo original; 1 - Remessa do arquivo substituto.04 DT_INI Data inicial das informações contidas no arquivo. N 008* - O05 DT_FIN Data final das informações contidas no arquivo. N 008* - O06 NOME Nome empresarial da entidade. C 100 - O07 CNPJ Número de inscrição da entidade no CNPJ. N 014* - OC08 CPF Número de inscrição da entidade no CPF. N 011* OC09 UF Sigla da unidade da federação da entidade. C 002* - O10 IE Inscrição Estadual da entidade. C 014 - O11 COD_MUN Código do município do domicílio fiscal da entidade, N 007* - O conforme a tabela IBGE12 IM Inscrição Municipal da entidade. C - - OC13 SUFRAMA Inscrição da entidade na Suframa C 009* - OC14 IND_PERFIL Perfil de apresentação do arquivo fiscal; C 001 - O A - Perfil A; B - Perfil B.; C - Perfil C.15 IND_ATIV Indicador de tipo de atividade: N 001 - O 0 - Industrial ou equiparado a industrial; 1 - Outros. 29
  • Registro 0000 da EFD |0000|003|0|01122010|31122010|MUITO OBRIGADOPARTICIPACOES|51876280000137||GO|101854994|521 8789|5030807|1423514|A|1| EFD – Leiaute Detalhamento Dos Principais Registros Apostila página 73 1 2 3 4 5 6 Casos Práticos“A vida de todo ser humano esta ligada aos Antepassados. Se nãoagradecermos às raízes da Vida, seremos como a flor amputada do caule: pormais que seja bela e vistosa, logo murchará e secará” Seicho Taniguchi 30
  • EFD – Casos Práticos Exemplos de registros de documentos fiscais Apostila página 103 Conclusões O Projeto SPED é somente mais um processo no dia a dia de uma empresaCHAVES: CURSO SPED, TREINAMENTO SPED, PALESTRA SPED, SPED, SPED FISCAL, SPED CONTABIL, NOTA FISCAL ELETRONICA, SPED PIS COFINS, SPED FOLHA, FOPAG,SINTEGRA, ROBERTO DIAS DUARTE, GOIANIA, EFD, ECD, NFE, ECF, PAF ECF, FISCO, RECEITA FEDERAL, ARQUIVOS DIGITAIS, ENCAT, CONFAZ, CONTABIL, CONTABILIDADE, ICMS, Escrituração Fiscal Digital (EFD) ConclusãoNF-E, FAZENDA, ADMINISTRACAO, TRIBUTO, TRIBUTARIA, GESTAO, ADMINISTRADOR, PUBLICO, PERICIA, CERTIFICACAO DIGITAL, GOVERNO, CRC, SESCON, CONTADOR, CFC ,BRASIL ID, CONSULTORIA, RIFD, TI, GO, DF, MG, MT, MS, TO, BA, CE, RN, AL, PB, FISCALIZACAO, INFORMATICA, PROJETO Mas um processo que não permite elos fracos 31
  • “A mente que se abre a uma nova idéiajamais voltará ao seu tamanho original” Albert EinstenMuito Obrigado! Contato para dúvidas, cursos e palestras: edgarmadruga01@gmail.comMuito Obrigado! Escrituração Fiscal Digital (EFD)Licença Creative Commons: permitido copia e distribuição não onerosa desta compilação desde que citado em destaque a fonte e e-mail de contato, tanto do instrutor quanto dos sites de José Adriano (www.joseadriano.com.br ) e Roberto Dias Duarte (www,robertodiasduarte.com.br) 32
  • Apresentação do InstrutorEdgar Madruga – Administrador de Empresas e Auditor. Especialista no Sistema Público deEscrituração Digital - SPED e em gestão de Arquivos Digitais e suas interações com aAdministração Pública. Com mais de 80 cursos e palestras realizadas sobre o assunto nosúltimos três anos.Tem a honra e a gratidão de ser instrutor e palestrante da Secretaria da Fazenda de Goiás,Conselho Regional de Contabilidade do Estado de Goiás – CRCGO, SESCON - Goiás,SESCON – Sudoeste, PUC Goiás, UEG e UNIEVANGELICA, dentre outros.Mas principalmente sou um Filho de Deus, que ama muito tudo o que faz. Que acredita que oconhecimento é a chave para a prosperidade. Que tem na essência do seu ser um forte desejode auxiliar as pessoas a desenvolver seus potenciais. Permita-me colaborar nodesenvolvimento dos seus potenciais e de sua equipe.Contato para dúvidas e convites para cursos, palestras e treinamentos: edgarmadruga01@gmail.com “Sou um com Aquele que é a Essência de tudo e que está presente em toda parte” Masaharu Taniguchi DEUS: Muito Obrigado! DEUSMuito Obrigado! 33