Oceanos




           Oceano Global




          Oceano Antártico
Oceano Ártico




Oceano Atlântico
Oceano Índico




Oceano Pacífico
Um oceano (de Ωκεανός, quot;Okeanosquot;em grego) é um corpo principal da
água    salina,  e   um    componente    princip...
Exploração
O estudos dos oceanos da Terra é chamado oceanografia. As viagens
na superfície do oceano com o uso de botes da...
Relevo
Algumas feições notáveis da geomorfologia oceânica:
   • Plataforma continental: são porções submersas dos continen...
que do pequeno número de lagos no mundo que não têm saídas para o
oceano (como o Mar Morto e o Mar Cáspio), a maioria tem ...
Cloreto (Cl-): 55,04 %m (%m significa porcentagem em massa)
  •
      Sódio (Na+): 30,61 %m
  •
      Sulfato (SO42-): 7,6...
de carbono. Quando a biomassa vegetal na água aumenta (por
exemplo, por aumento da temperatura ou dos nutrientes), aumenta...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Oceanos

5,361

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,361
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
107
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Oceanos"

  1. 1. Oceanos Oceano Global Oceano Antártico
  2. 2. Oceano Ártico Oceano Atlântico
  3. 3. Oceano Índico Oceano Pacífico
  4. 4. Um oceano (de Ωκεανός, quot;Okeanosquot;em grego) é um corpo principal da água salina, e um componente principal da hidrosfera. Aproximadamente 71% da superfície de Terra (uma área de uns 361 milhões de quilômetros quadrados) é coberta pelo oceano, um corpo de água contínuo que geralmente é dividido em diversos oceanos principais e mares menores. Mais do que a metade desta área está sobre 3.000 metros (9.800 pés) de profundidade. Quase três quartos (71%) da superfície da Terra é coberta pelo oceano (Cerca de 61% do Hemisfério Norte e de 81% do Hemisfério Sul). Este oceano global interconectado de água salgada é dividido pelos continentes e grandes arquipélagos em cinco oceanos, como segue: Oceano Pacífico • Oceano Atlântico • Oceano Índico • Oceano Glacial Ártico • Oceano Glacial Antártico - definido em 2000 pela Organização • Hidrográfica Internacional, da qual Brasil e Portugal são membros. As fronteiras entre os oceanos são estabelecidas pela Organização Hidrográfica Internacional. Regiões menores dos oceanos são conhecidas como mares, golfos, estreitos, etc. Maior Profundidade Oceano Profundidade Localização 7.235 metros (23.730 Oceano Antártico Fossa Sandwich do Sul pés) 5.450 metros (17.881 Litke Deep, Bacia da Oceano Ártico pés) Eurásia 8.648 metros (28.374 Oceano Atlântico Fossa de Porto Rico pés) 7.725 metros (25.344 Oceano Índico Fossa de Java pés) 10.911 metros (35.840 Oceano Pacífico Fossa das Marianas pés) Mar 5.121 metros (17.220 Mar Jônico Mediterrâneo pés) As entradas em negrito são os extremos da Terra.
  5. 5. Exploração O estudos dos oceanos da Terra é chamado oceanografia. As viagens na superfície do oceano com o uso de botes datam de tempos pré- históricos, mas só nos últimos tempos as explorações submarinas se tornaram possíveis e comuns. O ponto mais profundo do oceano são as Fossas Marianas, localizadas no Oceano Pacífico, próximos às Ilhas Marianas. Elas têm uma máxima profundidade de 10.911 metros. Elas foram totalmente inspecionadas em 1960, pelo batiscafo da Marinha britânica quot;Chalenger IIquot;, que deu seu nome à parte mais profunda da fossa, o quot;Profundo de Challengerquot;. Fenômenos Característicos Os oceanos são ambientes totalmente diferentes do terrestre. Assim, esse ambiente é dominado por fenômenos muito peculiares que não ocorrem em terra, como as marés, as ondas, as correntes marinhas, vórtices, etc. Origem das Águas No meio ambiente terreno a água na forma como a conhecemos encontra-se num estado intermediário entre o estado gasoso vapor e o sólido gelo, quando exposta as intempéries , o calor da crosta terrestre, os raios solares , aos ventos, a pressão atmosferica, promove a evaporação e precipitação desse liquido sobre o proprio mar e os continentes, dando início ao ciclo das águas, responsável pela sedimentação do fundo do mar e a salinização dos oceanos. Biologia Segundo a hipótese de Oparin, a vida surgiu no oceano e evoluiu durante bastante tempo neste ambiente, vindo a ocupar o ambiente terrestre apenas em épocas mais recentes (veja escala de tempo geológico e Experiência de Miller-Urey). Dessa forma, os organismos menos quot;evoluídosquot; encontram-se no oceano, como as esponjas e cnidários. Veja Biologia Marinha para uma descrição sucinta dos organismos marinhos.
  6. 6. Relevo Algumas feições notáveis da geomorfologia oceânica: • Plataforma continental: são porções submersas dos continentes, com baixo declive, indo do litoral até cerca de 200 metros de profundidade. É uma região mais favorável à produção biológica. • Planície abissal: São grandes planos nas profundezas do oceano, com profundidade média em torno de 4.000 metros. • Talude continental: é a zona de declive acentuado entre as planícies abissais e a plataforma continental. • Fossa abissal: São fraturas tectônicas, as áreas mais profundas dos oceanos. • Dorsal submarina: são grandes cadeias de montanhas submersas no oceano, originando-se do afastamento das placas tectônicas. Ao se afastarem, as placas tectônicas fazem com que o magma suba do manto e se solidifique, formando a crosta oceânica. • Falésias: são formas de relevo litorâneo abruptas, com declividades acentuadas e alturas variadas, origina-se da ação das ondas do mar sobre as rochas. Água do Mar Água do mar é a água de um mar ou oceano. Em média, a água do mar de todo o mundo tem uma salinidade de 35 (3,5% em massa, se considermos apenas os sais dissolvido, mas a salinidade não tem unidades o que significa que, para cada litro de água do mar há 35 gramas de sais dissolvidos (a maior parte é cloreto de sódio, NaCl). A água do mar não tem salinidade uniforme ao redor do globo. A água menos salina do planeta é a do Golfo da Finlândia, no Mar Báltico. O mar mais salino é o Mar Morto, no Médio Oriente, onde o calor aumenta a taxa de evaporação na superfície, e há pouca descarga fluvial. A Origem da Salinidade do Oceano As teorias científicas para explicar as origens do sal marinho começaram com Edmond Halley, em 1715, que propôs que os sais e outros minerais foram transportados para o mar pelos rios, tendo sido sugado da terra por queda da chuva, lavando as rochas. Ao alcançar os oceanos estes sais seriam retidos e concentrados pelo processo de evaporação (veja Ciclo hidrológico) que removem a água. Halley notou
  7. 7. que do pequeno número de lagos no mundo que não têm saídas para o oceano (como o Mar Morto e o Mar Cáspio), a maioria tem alto teor de sais. Halley denominou este processo de quot;intemperismo continentalquot;. A teoria de Halley estava correta em parte. Ou seja, o sódio foi sugado do fundo do oceano quando os oceanos se formaram. A presença dos outros elementos dominantes como cloreto, resultaram do escape de gases do interior da terra (na forma de ácido clorídrico), por vulcões e fontes hidrotermais. O sódio e o cloreto então se combinaram para formar o constituinte mais abundante da água do mar, o cloreto de sódio. A salinidade do oceano tem-se mantido estável por milhões de anos, provavelmente como uma conseqüência de um sistema tectônico/químico que recicla o sal. Desde o surgimento do oceano, o sódio não é mais libertado pelo fundo do oceano, mas é capturado de camadas sedimentares que cobrem o leito do oceano. Uma teoria diz que a tectônica de placas faz com que o sal seja forçado para baixo das massas continentais, onde é lentamente trazido de volta à superfície. Outra fonte importante é o que chamamos de Água Juvenil, este material é proveniente do interior da Terra e sai por meio de fenômenos como o vulcanismo. Esta água nunca esteve na superfície da Terra, por isso leva o nome de água juvenil. Composição Química A ciência que estuda a composição química dos oceanos e as concentrações dos compostos na água do mar se chama oceanografia química. A água do mar tem composição química quase constante. Há um pouco mais de 70 elementos dissolvidos na água do mar, mas apenas seis desses constituem mais de 90% dos sais dissolvidos; todos ocorrem como íons. Os cientistas estudam principalmente os macronutrientes na água do mar (nitrogênio, fósforo e enxofre), já que são os mais importantes para a vida marinha, principalmente para as plantas, que são a base da produção primária. Mas os micronutrientes também são largamente estudados, uma vez que, devido às suas baixas concentrações, podem tornar-se limitantes para vários tipos de organismos marinhos. Principais Íons Salinos da Água do Mar
  8. 8. Cloreto (Cl-): 55,04 %m (%m significa porcentagem em massa) • Sódio (Na+): 30,61 %m • Sulfato (SO42-): 7,68 %m • Magnésio (Mg2+): 3,69 %m • Cálcio (Ca2+): 1,16 %m • Potássio (K+): 1,10 %m • Gases Dissolvidos na Água do Mar A água do mar também contém pequenas quantidades de gases dissolvidos, principalmente nitrogênio, oxigênio e dióxido de carbono. A água a uma dada temperatura e salinidade está saturada com gás quando a quantidade de gás que se dissolve na água é igual à quantidade que sai ao mesmo tempo. A água do mar superficial está geralmente saturada com gases atmosféricos, como oxigênio e nitrogênio. A quantidade de gás que pode se dissolver na água do mar é determinada pela temperatura e salinidade da água. Aumentando-se a temperatura ou a salinidade reduz-se a quantidade de gás que pode ser dissolvido. uma vez que a agua sobe da superficie oceanica (por exemplo, por se tornar mais densa pela evaporação), os gases dissolvidos não podem mais ser trocados com a atmosfera. A quantidade de gás num dado volume de água permanecerá traz a alegria de toda criança e das moléculas de gás através da água -- difusão (processo lento), ou pela mistura da água com outras massas de água que contêm diferentes teores de gases dissolvidos. Em geral, o oxigenio e raros gases inertes (argônio, hélio, etc.) comportam-se dessa maneira - suas concentrações são conservativas e somente afetadas por processos físicos. Em contraste, alguns gases dissolvidos são não-conservativos e participam ativamente em processos químicos e biológicos que modificam suas concentrações. Exemplos são o oxigênio e o dióxido de carbono - literarios e usados a outras taxas nos oceanos, especialmente pelos organismos. Ciclo do Carbono Os oceanos (pela sua dimensão, mas também as massas de água continentais) têm um papel muito importante no equilíbrio do dióxido de carbono na atmosfera terrestre. Este gás têm a propriedade de reagir com os íons presentes na água para formar íons bicarbonato. Dessa maneira, quando há excesso de dióxido de carbono na atmosfera, ele é quot;absorvidoquot; pela água que se torna um reservatório
  9. 9. de carbono. Quando a biomassa vegetal na água aumenta (por exemplo, por aumento da temperatura ou dos nutrientes), aumenta também a necessidade de dióxido de carbono para essas plantas realizarem a fotossíntese - nessa altura, o bicarbonato pode quot;transformar-sequot; de novo em dióxido de carbono para repôr o equilíbrio. Aspectos Culturais Mesmo num navio ou ilha no meio do oceano pode haver falta de água, isto é, água doce. É um paradoxo, já que uma pessoa cercada de água pode morrer de sede. Muitas nações na África e no Oriente Médio com problemas hídricos aplicam hoje um processo caro, chamado dessalinização, para obterem água potável à partir da água do mar. No futuro este processo pode se tornar muito utilizado, dada a presente poluição intensa dos corpos d'água continentais. Bibliografia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Oceano http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81gua_do_mar http://indoafundo.com

×