Apresentação Metodologias I-Dig Compilado E-Consulting Corp.   2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Apresentação Metodologias I-Dig Compilado E-Consulting Corp. 2010

  • 1,423 views
Uploaded on

Compilação de Indicadores, Estudos & I-Digs

Compilação de Indicadores, Estudos & I-Digs

More in: Business , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,423
On Slideshare
1,405
From Embeds
18
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
21
Comments
0
Likes
0

Embeds 18

http://www.slideshare.net 10
http://ec-corp.com.br 7
http://www.e-consultingcorp.com.br 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Compilação de Indicadores, Estudos & I-Digs
  • 2. Sobre o Grupo ECC O grupo é formado por empresas de consultoria, tecnologia, pesquisa e capacitação comprometidas com a criação, disseminação e comercialização de projetos e serviços baseados em conhecimento de valor para negócios e metodologias autênticas, testadas e comprovadas. As operações de suas 5 empresas, potencializadas por sua sólida estratégia, modelo de gestão e vasta rede de colaboração e agregação de valor, presta serviços atualmente a um impressionante portfólio de companhias líderes entre as 1000 maiores do país. A E-Consulting Corp. é a empresa líder em desenvolvimento e implementação de Projetos e Serviços Profissionais em TI, Internet, Telecom, Mídia e Contact Center para as empresas TOP 2000. A DOM Strategy Partners (DOM/SP) é a primeira consultoria integralmente nacional focada em Estratégia Corporativa, com ofertas metodológicas golden-standard e proprietárias para as empresas TOP 1000. A Knowledge 4 Business (K4B) tem como foco comercializar os Produtos de Conhecimento (estudos, análises, pesquisas, treinamentos) gerados pelas empresas do Grupo e seus parceiros. O Instituto Titãs do Conhecimento é uma organização do 3º Setor formada por brilhantes cérebros universitários, cuja missão é capacitar ONGs e Governos a serem mais eficientes , a partir da adoção de melhores práticas e recursos derivados da iniciativa privada. A InVentures é uma VCC cujo objetivo de apoiar e financiar empresas start-up e idéias inovadoras ligadas ao core-business do Grupo ECC. www.grupoecc.com.br
  • 3. Sobre a E-Consulting Corp. Comunicação e Marketing Consultoria Estratégica Setores / Negócios / Gestão TI e Processos
    • Atuando no tripé Estratégia, Tecnologia e Comunicação, a E-Consulting desenvolve seus projetos e soluções a partir de metodologias proprietárias associadas às metodologias golden-standard de mercado.
    • Nosso modelo de negócios e atuação reúne somente clientes preferenciais, parcerias duradouras, metodologias comprovadas, experiências únicas, serviços exclusivos, atendimento personalizado e foco em resultados.
    Modelo Conceitual Linhas de Atuação e Expertise EC Consulting EC TI EC Web EC MKT EC Research EC Info
    • Projetos Estratégicos de Internet, TI, Telecom, Mídia e Contact Center com foco em Análise de Valor, PMO e Governança
    • Análise, Modelagem, Desenvolvimento e Integração de Sistemas
    • Projetos de Estratégia, Transação e Relacionamento Digital Multiambiente (Web 2.0)
    • E-Branding, E-Marketing, Propaganda Online, SEO/SEM e Projetos Especiais
    • Estudos Setoriais, Análise de Mercado, Pesquisas Ad-Hoc e Análise de Cenários
    • Projetos de KM, CRM, ERM, EIS, BI e demais conceitos de TIC
  • 4. Indicadores E-Consulting
  • 5. Ficha Técnica Descrição : O VOL é um indicador trimestral composto pela soma dos volumes de transações de automóveis, turismo e bens de consumo através de lojas virtuais e leilões para pessoa física. Desenvolvimento : TechLab Produção : E-Consulting Corp. Distribuição e Comercialização: K4B Ano Base: 2010 Mês de Release : Janeiro Periodicidade de Publicação: Trimestral Varejo Online (VOL)
  • 6.
    • A Soma dos volumes de transações online de automóveis, turismo e bens de consumo (lojas virtuais e leilões para pessoa física) – deverá totalizar, neste ano, R$ 24,9 bi – aumento de 14,22% em relação a 2009 e o equivalente a aproximadamente 4,1% do varejo no Brasil (dados estimados a partir do índice-base do IBGE).
    • Ao comparar os números atuais com anos anteriores, nota-se um crescimento de mais de 500% nos últimos oito anos , o que leva os investimentos digitais ao foco principal dos executivos e empresários.
    • O crescimento também se deu no número de usuários (com crescimento até maior), porém com leve redução do ticket médio o que sugere um pequeno acréscimo de compradores das classes B- e C nas bases de e-buyers nacionais, ainda muito concentradas em classes A, B+ e B.
    Varejo Online (VOL)
  • 7. Ficha Técnica Descrição : O B2BOL é um indicador trimestral que mede os volumes transacionados digitalmente entre empresas, seja por meio de portais proprietários (B2BOL Companies) ou via intermediários, os E-Marketplaces independentes (B2BOL E-Markets).. Desenvolvimento : TechLab Produção : E-Consulting Corp. Distribuição e Comercialização: K4B Ano Base: 2010 Mês de Release : Janeiro Periodicidade de Publicação: Trimestral B2B Online (B2BOL)
  • 8.
    • Em 2010 , deverá haver um crescimento de 21%, totalizando os volumes transacionados digitalmente entre empresas em R$ 947,9 bi . Separadamente, para B2BOL E-Marketplaces e B2BOL Companies, a estimativa é que os valores cheguem a R$ 168,2 bi e R$ 780,1 bi, um crescimento de 18,9% e 21,4% e respectivamente.
    • Os efeitos da crise internacional foram pouco sentidos , uma vez que, em geral, os contratos pela Web, entre as empresas e suas cadeias produtivas, são de longo prazo.
    • Em geral, as empresas utilizam o B2B para ganhos de desempenho, redução de custos, otimização de processos e gerenciamento da informação em práticas transacionais (compra, vendas, estoques, logística, etc).
    B2B Online (B2BOL)
  • 9. Ficha Técnica Descrição : Uma iniciativa pioneira da E-Consulting Corp., Revista Consumidor Moderno e IPSOS, com parceria da Avaya, o indicador bimestral exclusivo INSC (Índice Nacional de Serviços ao Cliente) é o primeiro indicador nacional que mensura o grau de satisfação dos clientes em relação aos serviços e canais de atendimento de empresas em diversos segmentos de mercado. Desenvolvimento : E-Consulting Corp., Revista Consumidor Moderno e IPSOS, com parceria da Avaya Produção : E-Consulting Corp. Ano Base: 2008 Índice Nacional de Serviços ao Cliente (INSC)
  • 10.
    • 42% das pessoas que responderam sim são das classes A/B e 21% da C . A soma da classe C com as D/E não chega ao número de penetração que há entre os mais abonados. Pode-se concluir que o acesso ainda é incipiente nas classes mais baixas.
    • 68% dos respondentes , independentemente da classe social, acreditam que o atendimento foi satisfatório .
    • 13% dos entrevistados mencionaram não querer receber uma oferta ou propagandada. Independentemente da classe social o telefone fixo é o canal preferido. Esse fato não valida a tese de que o consumidor não gosta de telemarketing. Para quem tem renda inferior a R$1.000 o celular tem grande penetração: 21% prefere esse canal.
    • Na faixa dos 16 aos 24 anos, a internet tem mais alcance . O telefone, tanto fixo como móvel, é disparado o canal preferido de contato das classes mais altas. Ir à loja não é a principal opção para os jovens, mas ainda é para quem está na faixa dos 45 aos 59 anos e acima dos 60.
    Índice Nacional de Serviços ao Cliente (INSC)
  • 11. Ficha Técnica Desenvolvimento : TechLab Produção : E-Consulting Corp. Distribuição e Comercialização: K4B Ano Base: 2010 Mês de Release : Abril Periodicidade de Publicação: Anual Investimentos em TI
  • 12.
    • Em 2010 , no total, deverão ser investidos em torno de R$ 55,89 Bi , contra os R$ 49,2 Bi de 2009, valor 13,4% superior.
    • O setor financeiro deve ser responsável por perto de R$ 17 bilhões , enquanto o Governo deverá responder por algo entre R$ 12 e R$ 15 bilhões deste montante, porém com concentração no 1º. Semestre, em função do calendário eleitoral. Com um crescimento de 14% em relação ao ano passado, o setor de Serviços representará em 2010 a maior fatia dos investimentos em TI, onde serão investidos R$ 23,83 Bi, que representam 43% do total dos gastos.
    • As empresas deverão se preparar para as novas tendências em estruturas e modelos de gestão e operação de TI, assim como padrões de Governança e Compliance com Negócio e à Efetiva Mensuração do Valor Gerado por TI
    Investimentos em TI
  • 13. Ficha Técnica Desenvolvimento : TechLab Produção : E-Consulting Corp. Distribuição e Comercialização: K4B Ano Base: 2010 Mês de Release : Abril Periodicidade de Publicação: Anual Outsourcing de TI
  • 14.
    • Em 2010 as operações de Outsourcing de TI deverão alcançar R$ 18,2 Bi , contra R$ 16,7 Bi em 2009, R$ 15,2 Bi em 2008 e R$ 12,3 Bi em 2007, conquistando um crescimento acumulado de mais de 47% quando comparado a 2007.
    • Frente a um mercado que chegará a R$ 55,8 Bi em investimentos em 2010 (entre software, hardware e serviços), o valor total a ser gasto em Outsourcing será superior a 32% este ano .
    • A terceirização de infra-estrutura já atingiu níveis importantes de penetração, visto que é o setor mais maduro do mercado de Outsourcing, outras duas frentes têm sido responsáveis pelo crescimento deste mercado: a terceirização de Desenvolvimento, que está no meio do caminho em termos de penetração e maturidade, e a implantação de modelos de BPO (Business Process Outsourcing), que ainda é relativamente incipiente em sua versão tradicional e deve crescer.
    Outsourcing de TI
  • 15. Outros Indicadores E-Consulting
  • 16. E-Mail Marketing das reclamações dos usuários de Internet estão ligadas ao recebimento de e-mails indesejados, os chamados SPAM. 53% dos usuários ativos de Internet utilizam seu e-mail pelo menos uma vez por semana 99,50% dos internautas afirmaram que a atividade mais valorizada para o uso da Internet é a consulta a e-mails 61% repassam mensagens de empresas/marcas que confiam e valorizam para amigos 12% é a taxa média de conversão de e-mails marketing enviados a base de clientes que cadastrados que aceitam receber estas comunicações 21% é a taxa média de conversão de e-mails marketing enviados a base de usuários a esmo 2,70% continuou aceitando receber comunicações por e-mail (promocionais ou não) oriundas das empresas com as quais já efetivaram compras na rede. 57% compraram, a primeira vez determinado produto ou serviço, através de comunicação/propaganda recebida por e-mail. 18% Estudos de 2009/2010 do XPLab (Experience Laboratory) da E-Consulting Corp. revelaram que dos quase 21 milhões de e-consumidores brasileiros:
  • 17.
    • Tendências do CRM – Visão E-Consulting (Estudo “CRM Brasil 2010”)
    • Convergência entre as aplicações corporativas e de Contact Centers.
    • Estruturação do CRM ancorado nos conceitos de Integração Multicanal, Visão Única do Cliente e Visão 360º. do Cliente.
    • Priorização para modelos preditivos e analíticos, integração com BI, KM, Portais e preponderância dos modelos de clusterização e dos modelos de valor frente aos de segmentação
    • Incorporação de inteligência de mercado e criação do conceito de Inteligência do Cliente
    • Crescimento de canais eletrônicos de contato, como e-mail, portais, blogs, chats, webcallcenter e SMS
    Investimentos em CRM R$ 1,094 bilhão Fechamento 2010 R$ 907 milhões Fechamento 2009 R$ 831 milhões Fechamento 2008 R$ 710 milhões Fechamento 2007 Tendências para o mercado brasileiro de CRM
  • 18.
    • Segundo o estudo, realizado entre Novembro/09 e Fevereiro/10 , o mercado brasileiro de E-Learning cresceu 25,9% nos últimos quatro anos, fechando 2009 com o total de R$ 612 milhões , comparados aos R$ 478 milhões faturados em 2006.
    • Atualmente, 59% de empresas selecionadas em 17 setores diferentes investem sistematicamente em programas de E-Learning, contra 23%, que contam com investimentos pontuais.
    • As empresas, também começarão a ver uma maior preocupação com a integração das rotinas do E-Learning com os modelos de gestão do conhecimento e a inclusão de sua dinâmica nos modelos colaborativos nativos da Web 2.0 (E-Learning 2.0) e na rotina dos portais corporativos (incluindo intra e extranets).
    Investimentos em E-Learning R$ 704 Milhões Fechamento 2010 R$ 612 Milhões Fechamento 2009 R$ 544 Milhões Fechamento 2008 R$ 510 Milhões Fechamento 2007 R$ 478 Milhões Fechamento 2006 Tendências para o mercado brasileiro de E-Learning
  • 19.
    • Pesquisa E-Consulting Corp. realizada em 2010, realizada em um universo de 332 empresas sobre a adoção de software de gestão em médias empresas (faturamento de R$80 a R$ 300 milhões).
    • O percentual de empresas que não implementou softwares de gestão mas que prentendem fazê-lo no futuro (ano seguinte ou melhor momento) evoluiu de 34% para 41%, reflexo ainda da contenção de investimentos em TI em função da crise mundial.
    Nível de Digitalização das Empresas Empresa já implementou e ainda tem problemas 6 Empresa já implementou e foi um sucesso 5 Empresa está em processo de implementação 4 Empresa não implementou, pretende fazê-lo, mas espera o melhor momento 3 Empresa não implementou, mas pretende fazê-lo no ano seguinte 2 Empresa não implementou porque não houve necessidade 1 Questão No.
  • 20. Utilização de Internet por PMEs no Brasil Consolidado (estão implementando todas estas funções de maneira planejada integrada). Já possuem o chamado PEII - Planejamento Estratégico Integrado para Internet. 22% Transacional (alguma forma de e-commerce ou pagamento online) 21% Treinamento (ex. e-learning, EAD, etc) 34% Voltada ao Cliente (ex. CRM, SAC, ações de fidelização, promoção, etc) 53% Externa (ex. b2b, webSCM, e-markeplaces, e-procurement – ponta de compra, extranets, etc). Prioritariamente Adesão ao B2B Não transacional 56% Interna (ex. intranet, integração de legados como erp, infra-estrutura, etc). Prioritariamente Intranets. 72% Institucional (ex. webSite, advertising, e-mail mkt, etc). Prioritariamente Website 79% Forma de Utilização Internet % de Adoção Utilização da internet pelas MPMEs acontece da seguinte forma: 
  • 21.
    • Segundo estimativas do TechLab da E-Consulting Corp., em 2009, a tecnologia atingiu em torno 2,4% dos mais de 104 milhões de televisores instalados no país , com amplo domínio da Classe A.
    • Em 2013 , quando o sinal digital da TV Aberta estiver presente em todas as cidades brasileiras, o TechLab estima que cerca de 17,4 milhões de aparelhos devem estar aptos a usufruir da nova tecnologia, o que vai corresponder a perto de 15% da base instalada de televisores.
    Digital TV
  • 22.
    • Desde 2004 a venda de smartphones no país crescem a taxas robustas .
    • Apesar disso, em relação as vendas mundiais, a participação do Brasil não condiz com sua importância.
    • As principais razões da baixa penetração de smartphones no país indicadas na pesquisa, foram o Custo do aparelho, da Assinatura e a Baixa qualidade da Rede 3G e WiMax.
    SmartPhones
  • 23. Estudos E-Consulting
  • 24. Análise Setorial de Mercado 2009/2010: Market Intelligence
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Agregar uma camada expressiva de informações estruturadas a partir de nossos processos de Inteligência de Mercado, disponibilizando bases de dados primárias e secundárias aos patrocinadores.
    • Benefícios:
      • Compreensão das vertentes e tendências competitivas do setor e de comportamento da demanda (contratantes e clientes).
      • Análise dos impactos na estrutura corporativa, na cultura, nas operações e atividades de Contact Center.
      • Possibilidade de antecipação e planejamento prévio e de contingência para os movimentos futuros do mercado.
  • 25.
    • Um ano após as novas regras na Lei do SAC, em vigor desde Dezembro de 2008, o mercado de Contact Center apresentou um crescimento significativo, chegando à marca de R$ 23,66 bi de faturamento em 2009 , um incremento de 12,66% se comparado aos R$ 21 bi atingidos em 2008.
    • O número de Posições de Atendimento (PA) registrou aumento, saindo de 471,17 mil em 2008, para 517,38 mil em 2009 . A expectativa para 2010 é que este número ultrapasse as 535 mil PAs.
    • Em 2008, o faturamento médio por PA terceirizada era de R$ 45,89 mil, mas recuou em 2009 para R$42,58 mil.
    • Por sua vez, a taxa de terceirização nacional (Outsourcing de Contact Center), que já estava entre as maiores do mundo, fechou 2009 com 37% e apresenta estimativa para chegar aos 37,7% em 2010.
    Análise Setorial de Mercado 2009/2010: Market Intelligence
  • 26. Potencial de mercado 2009/2010: Linhas de Serviço SAC, TLDVs, RC, Apoio a Campo e Serviços B2B (Trade)
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Disponibilizar os insumos necessários para que os profissionais responsáveis pelo sucesso de cada linha de oferta encontrem os melhores caminhos e soluções..
    • Benefícios:
      • Compreensão das vertentes e tendências competitivas do setor e de comportamento da demanda (contratantes e clientes).
      • Análise dos impactos na estrutura corporativa, na cultura, nas operações e atividades de Contact Center.
      • Possibilidade de antecipação e planejamento prévio e de contingência para os movimentos futuros do mercado.
  • 27.
    • É possível perceber que o setor mais desenvolvido em Contact Center é notoriamente o Serviços/Comércio , pois compõem-se estruturalmente das três principais linhas de serviço: SAC, TLVD e RC.
    • Por outro lado, o setor Agronegócios é composto, quase que sua totalidade, por serviços como o SAC.
    Contact Center - Verticais Econômicas
  • 28. Customer Management Centers: a Evolução do Call Center
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Analisar as tendências de relacionamento que irão redesenhar os modelos de negócio e atuação das empresas do setor de Contact Center e setores relacionados e seus impactos em relação à estratégia, processos, tecnologias, abordagens comerciais e demais variáveis de relevância nas empresas e rede de valor do setor.
    • Benefícios:
      • Compreensão das vertentes e tendências competitivas do setor e de comportamento da demanda (contratantes e clientes).
      • Análise dos impactos na estrutura corporativa, na cultura, nas operações e atividades de Contact Center.
      • Possibilidade de antecipação e planejamento prévio e de contingência para os movimentos futuros do mercado.
  • 29. Customer Management Centers: a Evolução do Call Center
    • 2009...
    • Empresas menores, mais focadas e com maior lucratividade
    • Especialização e diferenciação de oferta como vantagens aos clientes
    • Modelo de serviços mais interativo com negócios do cliente, baseado no conceito Customer Centricity
    • Abordagem multicanal e forte papel da Internet
    • Business Intelligence e métricas de valor como suporte à gestão
    3ª. Value Added Contact Centers
    • 2001 a 2008
    • Associação mais forte à prestação de serviços e atendimento - SAC como principal oferta
    • Aumento de penetração de terceirização e outsourcing
    • Ligação com empresas de Telecom
    • Vitória do modelo baseado em escala no tripé Pessoas, TI, Processos
    • Alta exposição a liabilities de pessoal e fortes SLAs
    • Dificuldade de diversificar e acompanhar as rupturas tecnológicas
    2ª. Geração – The Winner Tak es It All
    • 1992 a 2000
    • Empresas Start-up formatando o contorno da oferta de Call Centers –> Evangelização do mercado
    • Associação mais forte ao marketing direto
    • Telemarketing passivo e receptivo como como pontos fortes
    1ª. Geração - Industry Starters Longevidade Características Geração
  • 30.
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Analisar em profundidade o mercado de BPO: seus Drivers, Inibidores, Modelos de Negócio, Players, o papel dos Softwares e as diferenças entre BPO e Shared Services. .
    • Benefícios:
      • Compreensão a dinâmica de funcionamento de BPO no Brasil
      • Conhecer Modelos Organizacionais de BPO sob o ponto de vista do Contratante
      • Identificar o papel da Tecnologia em Projetos de BPO
      • Análise sobre principais Players de BPO no Brasil
      • Alternativas Estratégicas e O Futuro de BPO no Brasil
    Dossiê BPO no Brasil
  • 31.
    • O país possui o maior mercado de trabalho na área de TI na América Latina e excelência em applications management, serviços de infra-estrutura e tecnologias seguras e, em 2010 o mercado de TI-BPO deve superar US$70 bilhões em faturamento
    • O cenário atual é fruto de uma história de 40 anos que permitem hoje ao país despontar como o oitavo maior mercado mundial de Tecnologia da Informação, atividade que representa 7%do PIB brasileiro (fonte: Apex).
    • O país tem um grande potencial em função da qualidade de sua mão-de-obra e do dinamismo do mercado interno, no entanto, incentivos são necessários para reduzir os custos extras associados à burocracia e aos encargos trabalhistas.
    Dossiê BPO no Brasil
  • 32.
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Realizar uma análise aprofundada das principais tendências e vetores de transformação dos setores tradicionais de Telecom (Fixa e Móvel), Mídia, TV Digital, TV a Cabo, TI e Internet, que juntamente com Eletro-Eletrônicos, Conteúdo, Entretenimento, Publicidade, Educação e Serviços, comporão o que convencionamos como Setor da Convergência.
    • Benefícios:
      • Compreensão das novas plataformas e tecnologias potencializadorasAnálise dos impactos na estrutura corporativa, na cultura, nas operações e atividades de Contact Center.
      • Conhecer o imperativo da abordagem multicanal
      • Identificar o desafio da universalização de acesso e consumo.
    Tendências de Telecom – Setor de Telefonia
  • 33. Tendências de Telecom – Setor de Telefonia Setor de Telefonia Imposição mercadológica (convergência) Desenvolvimento de novos produtos convergentes e multiplataforma Alinhamento e interação com áreas cliente. Adequação de sistemas e plataformas para autonomia e customização pelas áreas de negócio SOA, SaaS, Serviços Convergentes, Billing/Co-Billing, EDW, Virtualização, MasterDataManagement, CRM, BI, BPM, Governança de TI, PMO, CyberSegurança, Interfaces de Front Office, Integração Multicanal, Fábrica de Software e de Testes e IT Consulting Maior flexibilidade e capacidade de atendimento as demandas de mercado. Alinhamento com estratégia corporativa Revisão da arquitetura tecnológica em busca de integração e menor time-to-market Tecnologias e Serviços Associados (Habilitadores) Justificativa Tendência
  • 34. Tendências de Telecom – Setor de TV por Assinatura Setor de TV por Assinatura Com a diversificação de produtos, serviços, aliados a um crescimento elevado em sua base de clientes, faz-se necessária uma estrutura de atendimento eficiente e confiável Melhora da eficiência operacional em centrais de relacionamento e serviços de suporte SOA, SaaS, Billing/Co-Billing, CRM, BPM, Governança de TI, PMO, Fábrica de Software e de Testes, Portais, Interfaces de Front Office, Integração Multicanal e Manutenção de Aplicações Condição básica para aumento de clientes Expansão e atualização da rede tecnológica de distribuição de serviços a cabo Tecnologias e Serviços Associados (Habilitadores) Justificativa Tendência
  • 35. Tendências de Telecom – Setor de Internet Setor de Internet Criar interatividade e facilidade de uso Implementação de interfaces e funcionalidades multiplataforma (Convergência IP) SOA, Serviços Convergentes, Billing/Co-Billing, Governança de TI, PMO, CyberSegurança, IT Consulting, Soluções de Mobilidade, Integração Multicanal, Web 2.0, Manutenção de Aplicações, Portais, BI e CRM Constante necessidade de estar atualizado e como protagonista do ambiente da convergência digital Investimentos na reestruturação de portais e ambientes online com viés de flexibilização e integração com ambientes terceiros Tecnologias e Serviços Associados (Habilitadores) Justificativa Tendência
  • 36. Tendências de Telecom – Setor de Mídia Setor de Mídia O conteúdo agora é nômade, móvel, seu modelo de negócios deve se adequar as novas formas e meios de acesso Obter presença e relevância online semelhante/superior à relevância offline através do desenvolvimento de canais digitais proprietários e ampliação da capilaridade em canais terceiros SOA, SaaS, Serviços Convergentes, Billing/Co-Billing, EDW, MasterDataManagement, CRM, BPM, Governança de TI, PMO, Integração Multicanal, CyberSegurança, Fábrica de Software e de Testes, BI e IT Consulting Tendência irreversível de mercado, adequação as exigências da convergência Evolução das plataformas de conteúdo de mídias tradicionais offline para plataformas digitais multicanais Tecnologias e Serviços Associados (Habilitadores) Justificativa Tendência
  • 37. I-DIGs
  • 38.
    • A utilização de ferramentas 2.0 cresceu entre empresa e isso teve impacto na maneira como elas se comunicam com consumidores e fornecedores . Além disso, alterou a maneira como as empresas contratam e retem seus talentos.
    • Além disso, outro benefício apontado pela pesquisa foi que tais ferramentas contribuíram para o “achatamento” das hierarquias.
    I-DIG Agosto de 2008 – Web .20
  • 39.
    • A penetração de soluções de mobilidade corporativa vem aumentando nas empresas , tais como: Blackberry. Calendários compartilhados, Aplicações p Forças de Vendas, e Devices de Atendimento a Clientes.
    • Melhorias na comunicação, colaboração e produtividade foram apontadas como os maiores benefícios experimentados por organizações após a adoção de soluções de mobilidade corporativa.
    • Questões associadas à velocidade , como responsividade à solicitações de clientes e lead time , também estão entre os principais benefícios apontados pelos executivos entrevistados.
    I-DIG Setembro de 2008 – Mobilidade Corporativa
  • 40.
    • As decisões mais comuns sobre projetos de inovação tomadas por executivos seniores são a determinação da Direção dos Esforços, Comercialização e Definição de Equipes.
    • As principais fontes de idéias para esses executivos são discussões externas com parceiros, fornecedores e colegas. Outra importante fonte de idéias advém da interação com os consumidores .
    I-DIG Outubro e Novembro de 2008 – Inovação
  • 41.
    • O SPED representa uma mudança corporativa profunda na forma como as áreas de Tecnologia e Contabilidade atuam, uma vez que exige a alteração de processos, comprometimento e conhecimento.
    • Alguns números:
      • 12.000 Empresas tributadas pelo Lucro Real estão obrigadas a entregar o SPED Contábil em Junho de 2009 com dados da Contabilidade de 2008.
      • R$ 300 milhões é o quanto o Governo Federal já liberou para que os Estados se modernizem a se preparem para a nova realidade do SPED.
      • US$ 100 milhões foi o valor pago no Supercomputador apelidado de T-Rex que cuidará do processamento e análise das informações do SPED.
      • Entre R$500 mil e R$3 milhões está o valor médio de investimentos no SPED reportado por médias e grandes empresas.
      • Até R$60.000: valor de redução de custo mensal reportado por grande empresa
      • R$ 5.000 é o valor da multa que as empresas deverão pagar se perderem o prazo de entrega mensal da Escrituração Contábil.
      • 6 anos é o tempo que as informações do SPED ficaram registradas.
    I-DIG Janeiro e Fevereiro de 2009 – SPED
  • 42.
    • A TI Verde pode ser considerada o reflexo das práticas de Sustentabilidade Corporativa na TI. As práticas de TI Verde buscam utilizar os recursos de TI de forma eficiente, diminuindo direta (a própria empresa) e indiretamente (sua cadeia devalor) seu impacto econômico, social e ambiental (triple bottom line) no entorno de negócios.
    • Segundo levantamento realizado pela consultoria IDC (2008), 80% dos executivos brasileiros dizem que iniciativas de TI verde estão crescendo em importância nas suas organizações , e 43% ressaltam que, na hora de escolher um fornecedor, já prestam atenção nas suas ações de preservação ambiental.
    • Mais de 50% dos usuários tem em conta a estratégia de Green IT na escolha do seu fornecedor de soluções tecnológicas.
    I-DIG Março e Abril de 2009 – TI Verde
  • 43.