Apresentação Metodologias I-Dig Compilado E-Consulting Corp.   2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Apresentação Metodologias I-Dig Compilado E-Consulting Corp. 2010

on

  • 1,406 views

Compilação de Indicadores, Estudos & I-Digs

Compilação de Indicadores, Estudos & I-Digs

Statistics

Views

Total Views
1,406
Views on SlideShare
1,388
Embed Views
18

Actions

Likes
0
Downloads
21
Comments
0

3 Embeds 18

http://www.slideshare.net 10
http://ec-corp.com.br 7
http://www.e-consultingcorp.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apresentação Metodologias I-Dig Compilado E-Consulting Corp. 2010 Presentation Transcript

  • 1. Compilação de Indicadores, Estudos & I-Digs
  • 2. Sobre o Grupo ECC O grupo é formado por empresas de consultoria, tecnologia, pesquisa e capacitação comprometidas com a criação, disseminação e comercialização de projetos e serviços baseados em conhecimento de valor para negócios e metodologias autênticas, testadas e comprovadas. As operações de suas 5 empresas, potencializadas por sua sólida estratégia, modelo de gestão e vasta rede de colaboração e agregação de valor, presta serviços atualmente a um impressionante portfólio de companhias líderes entre as 1000 maiores do país. A E-Consulting Corp. é a empresa líder em desenvolvimento e implementação de Projetos e Serviços Profissionais em TI, Internet, Telecom, Mídia e Contact Center para as empresas TOP 2000. A DOM Strategy Partners (DOM/SP) é a primeira consultoria integralmente nacional focada em Estratégia Corporativa, com ofertas metodológicas golden-standard e proprietárias para as empresas TOP 1000. A Knowledge 4 Business (K4B) tem como foco comercializar os Produtos de Conhecimento (estudos, análises, pesquisas, treinamentos) gerados pelas empresas do Grupo e seus parceiros. O Instituto Titãs do Conhecimento é uma organização do 3º Setor formada por brilhantes cérebros universitários, cuja missão é capacitar ONGs e Governos a serem mais eficientes , a partir da adoção de melhores práticas e recursos derivados da iniciativa privada. A InVentures é uma VCC cujo objetivo de apoiar e financiar empresas start-up e idéias inovadoras ligadas ao core-business do Grupo ECC. www.grupoecc.com.br
  • 3. Sobre a E-Consulting Corp. Comunicação e Marketing Consultoria Estratégica Setores / Negócios / Gestão TI e Processos
    • Atuando no tripé Estratégia, Tecnologia e Comunicação, a E-Consulting desenvolve seus projetos e soluções a partir de metodologias proprietárias associadas às metodologias golden-standard de mercado.
    • Nosso modelo de negócios e atuação reúne somente clientes preferenciais, parcerias duradouras, metodologias comprovadas, experiências únicas, serviços exclusivos, atendimento personalizado e foco em resultados.
    Modelo Conceitual Linhas de Atuação e Expertise EC Consulting EC TI EC Web EC MKT EC Research EC Info
    • Projetos Estratégicos de Internet, TI, Telecom, Mídia e Contact Center com foco em Análise de Valor, PMO e Governança
    • Análise, Modelagem, Desenvolvimento e Integração de Sistemas
    • Projetos de Estratégia, Transação e Relacionamento Digital Multiambiente (Web 2.0)
    • E-Branding, E-Marketing, Propaganda Online, SEO/SEM e Projetos Especiais
    • Estudos Setoriais, Análise de Mercado, Pesquisas Ad-Hoc e Análise de Cenários
    • Projetos de KM, CRM, ERM, EIS, BI e demais conceitos de TIC
  • 4. Indicadores E-Consulting
  • 5. Ficha Técnica Descrição : O VOL é um indicador trimestral composto pela soma dos volumes de transações de automóveis, turismo e bens de consumo através de lojas virtuais e leilões para pessoa física. Desenvolvimento : TechLab Produção : E-Consulting Corp. Distribuição e Comercialização: K4B Ano Base: 2010 Mês de Release : Janeiro Periodicidade de Publicação: Trimestral Varejo Online (VOL)
  • 6.
    • A Soma dos volumes de transações online de automóveis, turismo e bens de consumo (lojas virtuais e leilões para pessoa física) – deverá totalizar, neste ano, R$ 24,9 bi – aumento de 14,22% em relação a 2009 e o equivalente a aproximadamente 4,1% do varejo no Brasil (dados estimados a partir do índice-base do IBGE).
    • Ao comparar os números atuais com anos anteriores, nota-se um crescimento de mais de 500% nos últimos oito anos , o que leva os investimentos digitais ao foco principal dos executivos e empresários.
    • O crescimento também se deu no número de usuários (com crescimento até maior), porém com leve redução do ticket médio o que sugere um pequeno acréscimo de compradores das classes B- e C nas bases de e-buyers nacionais, ainda muito concentradas em classes A, B+ e B.
    Varejo Online (VOL)
  • 7. Ficha Técnica Descrição : O B2BOL é um indicador trimestral que mede os volumes transacionados digitalmente entre empresas, seja por meio de portais proprietários (B2BOL Companies) ou via intermediários, os E-Marketplaces independentes (B2BOL E-Markets).. Desenvolvimento : TechLab Produção : E-Consulting Corp. Distribuição e Comercialização: K4B Ano Base: 2010 Mês de Release : Janeiro Periodicidade de Publicação: Trimestral B2B Online (B2BOL)
  • 8.
    • Em 2010 , deverá haver um crescimento de 21%, totalizando os volumes transacionados digitalmente entre empresas em R$ 947,9 bi . Separadamente, para B2BOL E-Marketplaces e B2BOL Companies, a estimativa é que os valores cheguem a R$ 168,2 bi e R$ 780,1 bi, um crescimento de 18,9% e 21,4% e respectivamente.
    • Os efeitos da crise internacional foram pouco sentidos , uma vez que, em geral, os contratos pela Web, entre as empresas e suas cadeias produtivas, são de longo prazo.
    • Em geral, as empresas utilizam o B2B para ganhos de desempenho, redução de custos, otimização de processos e gerenciamento da informação em práticas transacionais (compra, vendas, estoques, logística, etc).
    B2B Online (B2BOL)
  • 9. Ficha Técnica Descrição : Uma iniciativa pioneira da E-Consulting Corp., Revista Consumidor Moderno e IPSOS, com parceria da Avaya, o indicador bimestral exclusivo INSC (Índice Nacional de Serviços ao Cliente) é o primeiro indicador nacional que mensura o grau de satisfação dos clientes em relação aos serviços e canais de atendimento de empresas em diversos segmentos de mercado. Desenvolvimento : E-Consulting Corp., Revista Consumidor Moderno e IPSOS, com parceria da Avaya Produção : E-Consulting Corp. Ano Base: 2008 Índice Nacional de Serviços ao Cliente (INSC)
  • 10.
    • 42% das pessoas que responderam sim são das classes A/B e 21% da C . A soma da classe C com as D/E não chega ao número de penetração que há entre os mais abonados. Pode-se concluir que o acesso ainda é incipiente nas classes mais baixas.
    • 68% dos respondentes , independentemente da classe social, acreditam que o atendimento foi satisfatório .
    • 13% dos entrevistados mencionaram não querer receber uma oferta ou propagandada. Independentemente da classe social o telefone fixo é o canal preferido. Esse fato não valida a tese de que o consumidor não gosta de telemarketing. Para quem tem renda inferior a R$1.000 o celular tem grande penetração: 21% prefere esse canal.
    • Na faixa dos 16 aos 24 anos, a internet tem mais alcance . O telefone, tanto fixo como móvel, é disparado o canal preferido de contato das classes mais altas. Ir à loja não é a principal opção para os jovens, mas ainda é para quem está na faixa dos 45 aos 59 anos e acima dos 60.
    Índice Nacional de Serviços ao Cliente (INSC)
  • 11. Ficha Técnica Desenvolvimento : TechLab Produção : E-Consulting Corp. Distribuição e Comercialização: K4B Ano Base: 2010 Mês de Release : Abril Periodicidade de Publicação: Anual Investimentos em TI
  • 12.
    • Em 2010 , no total, deverão ser investidos em torno de R$ 55,89 Bi , contra os R$ 49,2 Bi de 2009, valor 13,4% superior.
    • O setor financeiro deve ser responsável por perto de R$ 17 bilhões , enquanto o Governo deverá responder por algo entre R$ 12 e R$ 15 bilhões deste montante, porém com concentração no 1º. Semestre, em função do calendário eleitoral. Com um crescimento de 14% em relação ao ano passado, o setor de Serviços representará em 2010 a maior fatia dos investimentos em TI, onde serão investidos R$ 23,83 Bi, que representam 43% do total dos gastos.
    • As empresas deverão se preparar para as novas tendências em estruturas e modelos de gestão e operação de TI, assim como padrões de Governança e Compliance com Negócio e à Efetiva Mensuração do Valor Gerado por TI
    Investimentos em TI
  • 13. Ficha Técnica Desenvolvimento : TechLab Produção : E-Consulting Corp. Distribuição e Comercialização: K4B Ano Base: 2010 Mês de Release : Abril Periodicidade de Publicação: Anual Outsourcing de TI
  • 14.
    • Em 2010 as operações de Outsourcing de TI deverão alcançar R$ 18,2 Bi , contra R$ 16,7 Bi em 2009, R$ 15,2 Bi em 2008 e R$ 12,3 Bi em 2007, conquistando um crescimento acumulado de mais de 47% quando comparado a 2007.
    • Frente a um mercado que chegará a R$ 55,8 Bi em investimentos em 2010 (entre software, hardware e serviços), o valor total a ser gasto em Outsourcing será superior a 32% este ano .
    • A terceirização de infra-estrutura já atingiu níveis importantes de penetração, visto que é o setor mais maduro do mercado de Outsourcing, outras duas frentes têm sido responsáveis pelo crescimento deste mercado: a terceirização de Desenvolvimento, que está no meio do caminho em termos de penetração e maturidade, e a implantação de modelos de BPO (Business Process Outsourcing), que ainda é relativamente incipiente em sua versão tradicional e deve crescer.
    Outsourcing de TI
  • 15. Outros Indicadores E-Consulting
  • 16. E-Mail Marketing das reclamações dos usuários de Internet estão ligadas ao recebimento de e-mails indesejados, os chamados SPAM. 53% dos usuários ativos de Internet utilizam seu e-mail pelo menos uma vez por semana 99,50% dos internautas afirmaram que a atividade mais valorizada para o uso da Internet é a consulta a e-mails 61% repassam mensagens de empresas/marcas que confiam e valorizam para amigos 12% é a taxa média de conversão de e-mails marketing enviados a base de clientes que cadastrados que aceitam receber estas comunicações 21% é a taxa média de conversão de e-mails marketing enviados a base de usuários a esmo 2,70% continuou aceitando receber comunicações por e-mail (promocionais ou não) oriundas das empresas com as quais já efetivaram compras na rede. 57% compraram, a primeira vez determinado produto ou serviço, através de comunicação/propaganda recebida por e-mail. 18% Estudos de 2009/2010 do XPLab (Experience Laboratory) da E-Consulting Corp. revelaram que dos quase 21 milhões de e-consumidores brasileiros:
  • 17.
    • Tendências do CRM – Visão E-Consulting (Estudo “CRM Brasil 2010”)
    • Convergência entre as aplicações corporativas e de Contact Centers.
    • Estruturação do CRM ancorado nos conceitos de Integração Multicanal, Visão Única do Cliente e Visão 360º. do Cliente.
    • Priorização para modelos preditivos e analíticos, integração com BI, KM, Portais e preponderância dos modelos de clusterização e dos modelos de valor frente aos de segmentação
    • Incorporação de inteligência de mercado e criação do conceito de Inteligência do Cliente
    • Crescimento de canais eletrônicos de contato, como e-mail, portais, blogs, chats, webcallcenter e SMS
    Investimentos em CRM R$ 1,094 bilhão Fechamento 2010 R$ 907 milhões Fechamento 2009 R$ 831 milhões Fechamento 2008 R$ 710 milhões Fechamento 2007 Tendências para o mercado brasileiro de CRM
  • 18.
    • Segundo o estudo, realizado entre Novembro/09 e Fevereiro/10 , o mercado brasileiro de E-Learning cresceu 25,9% nos últimos quatro anos, fechando 2009 com o total de R$ 612 milhões , comparados aos R$ 478 milhões faturados em 2006.
    • Atualmente, 59% de empresas selecionadas em 17 setores diferentes investem sistematicamente em programas de E-Learning, contra 23%, que contam com investimentos pontuais.
    • As empresas, também começarão a ver uma maior preocupação com a integração das rotinas do E-Learning com os modelos de gestão do conhecimento e a inclusão de sua dinâmica nos modelos colaborativos nativos da Web 2.0 (E-Learning 2.0) e na rotina dos portais corporativos (incluindo intra e extranets).
    Investimentos em E-Learning R$ 704 Milhões Fechamento 2010 R$ 612 Milhões Fechamento 2009 R$ 544 Milhões Fechamento 2008 R$ 510 Milhões Fechamento 2007 R$ 478 Milhões Fechamento 2006 Tendências para o mercado brasileiro de E-Learning
  • 19.
    • Pesquisa E-Consulting Corp. realizada em 2010, realizada em um universo de 332 empresas sobre a adoção de software de gestão em médias empresas (faturamento de R$80 a R$ 300 milhões).
    • O percentual de empresas que não implementou softwares de gestão mas que prentendem fazê-lo no futuro (ano seguinte ou melhor momento) evoluiu de 34% para 41%, reflexo ainda da contenção de investimentos em TI em função da crise mundial.
    Nível de Digitalização das Empresas Empresa já implementou e ainda tem problemas 6 Empresa já implementou e foi um sucesso 5 Empresa está em processo de implementação 4 Empresa não implementou, pretende fazê-lo, mas espera o melhor momento 3 Empresa não implementou, mas pretende fazê-lo no ano seguinte 2 Empresa não implementou porque não houve necessidade 1 Questão No.
  • 20. Utilização de Internet por PMEs no Brasil Consolidado (estão implementando todas estas funções de maneira planejada integrada). Já possuem o chamado PEII - Planejamento Estratégico Integrado para Internet. 22% Transacional (alguma forma de e-commerce ou pagamento online) 21% Treinamento (ex. e-learning, EAD, etc) 34% Voltada ao Cliente (ex. CRM, SAC, ações de fidelização, promoção, etc) 53% Externa (ex. b2b, webSCM, e-markeplaces, e-procurement – ponta de compra, extranets, etc). Prioritariamente Adesão ao B2B Não transacional 56% Interna (ex. intranet, integração de legados como erp, infra-estrutura, etc). Prioritariamente Intranets. 72% Institucional (ex. webSite, advertising, e-mail mkt, etc). Prioritariamente Website 79% Forma de Utilização Internet % de Adoção Utilização da internet pelas MPMEs acontece da seguinte forma: 
  • 21.
    • Segundo estimativas do TechLab da E-Consulting Corp., em 2009, a tecnologia atingiu em torno 2,4% dos mais de 104 milhões de televisores instalados no país , com amplo domínio da Classe A.
    • Em 2013 , quando o sinal digital da TV Aberta estiver presente em todas as cidades brasileiras, o TechLab estima que cerca de 17,4 milhões de aparelhos devem estar aptos a usufruir da nova tecnologia, o que vai corresponder a perto de 15% da base instalada de televisores.
    Digital TV
  • 22.
    • Desde 2004 a venda de smartphones no país crescem a taxas robustas .
    • Apesar disso, em relação as vendas mundiais, a participação do Brasil não condiz com sua importância.
    • As principais razões da baixa penetração de smartphones no país indicadas na pesquisa, foram o Custo do aparelho, da Assinatura e a Baixa qualidade da Rede 3G e WiMax.
    SmartPhones
  • 23. Estudos E-Consulting
  • 24. Análise Setorial de Mercado 2009/2010: Market Intelligence
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Agregar uma camada expressiva de informações estruturadas a partir de nossos processos de Inteligência de Mercado, disponibilizando bases de dados primárias e secundárias aos patrocinadores.
    • Benefícios:
      • Compreensão das vertentes e tendências competitivas do setor e de comportamento da demanda (contratantes e clientes).
      • Análise dos impactos na estrutura corporativa, na cultura, nas operações e atividades de Contact Center.
      • Possibilidade de antecipação e planejamento prévio e de contingência para os movimentos futuros do mercado.
  • 25.
    • Um ano após as novas regras na Lei do SAC, em vigor desde Dezembro de 2008, o mercado de Contact Center apresentou um crescimento significativo, chegando à marca de R$ 23,66 bi de faturamento em 2009 , um incremento de 12,66% se comparado aos R$ 21 bi atingidos em 2008.
    • O número de Posições de Atendimento (PA) registrou aumento, saindo de 471,17 mil em 2008, para 517,38 mil em 2009 . A expectativa para 2010 é que este número ultrapasse as 535 mil PAs.
    • Em 2008, o faturamento médio por PA terceirizada era de R$ 45,89 mil, mas recuou em 2009 para R$42,58 mil.
    • Por sua vez, a taxa de terceirização nacional (Outsourcing de Contact Center), que já estava entre as maiores do mundo, fechou 2009 com 37% e apresenta estimativa para chegar aos 37,7% em 2010.
    Análise Setorial de Mercado 2009/2010: Market Intelligence
  • 26. Potencial de mercado 2009/2010: Linhas de Serviço SAC, TLDVs, RC, Apoio a Campo e Serviços B2B (Trade)
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Disponibilizar os insumos necessários para que os profissionais responsáveis pelo sucesso de cada linha de oferta encontrem os melhores caminhos e soluções..
    • Benefícios:
      • Compreensão das vertentes e tendências competitivas do setor e de comportamento da demanda (contratantes e clientes).
      • Análise dos impactos na estrutura corporativa, na cultura, nas operações e atividades de Contact Center.
      • Possibilidade de antecipação e planejamento prévio e de contingência para os movimentos futuros do mercado.
  • 27.
    • É possível perceber que o setor mais desenvolvido em Contact Center é notoriamente o Serviços/Comércio , pois compõem-se estruturalmente das três principais linhas de serviço: SAC, TLVD e RC.
    • Por outro lado, o setor Agronegócios é composto, quase que sua totalidade, por serviços como o SAC.
    Contact Center - Verticais Econômicas
  • 28. Customer Management Centers: a Evolução do Call Center
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Analisar as tendências de relacionamento que irão redesenhar os modelos de negócio e atuação das empresas do setor de Contact Center e setores relacionados e seus impactos em relação à estratégia, processos, tecnologias, abordagens comerciais e demais variáveis de relevância nas empresas e rede de valor do setor.
    • Benefícios:
      • Compreensão das vertentes e tendências competitivas do setor e de comportamento da demanda (contratantes e clientes).
      • Análise dos impactos na estrutura corporativa, na cultura, nas operações e atividades de Contact Center.
      • Possibilidade de antecipação e planejamento prévio e de contingência para os movimentos futuros do mercado.
  • 29. Customer Management Centers: a Evolução do Call Center
    • 2009...
    • Empresas menores, mais focadas e com maior lucratividade
    • Especialização e diferenciação de oferta como vantagens aos clientes
    • Modelo de serviços mais interativo com negócios do cliente, baseado no conceito Customer Centricity
    • Abordagem multicanal e forte papel da Internet
    • Business Intelligence e métricas de valor como suporte à gestão
    3ª. Value Added Contact Centers
    • 2001 a 2008
    • Associação mais forte à prestação de serviços e atendimento - SAC como principal oferta
    • Aumento de penetração de terceirização e outsourcing
    • Ligação com empresas de Telecom
    • Vitória do modelo baseado em escala no tripé Pessoas, TI, Processos
    • Alta exposição a liabilities de pessoal e fortes SLAs
    • Dificuldade de diversificar e acompanhar as rupturas tecnológicas
    2ª. Geração – The Winner Tak es It All
    • 1992 a 2000
    • Empresas Start-up formatando o contorno da oferta de Call Centers –> Evangelização do mercado
    • Associação mais forte ao marketing direto
    • Telemarketing passivo e receptivo como como pontos fortes
    1ª. Geração - Industry Starters Longevidade Características Geração
  • 30.
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Analisar em profundidade o mercado de BPO: seus Drivers, Inibidores, Modelos de Negócio, Players, o papel dos Softwares e as diferenças entre BPO e Shared Services. .
    • Benefícios:
      • Compreensão a dinâmica de funcionamento de BPO no Brasil
      • Conhecer Modelos Organizacionais de BPO sob o ponto de vista do Contratante
      • Identificar o papel da Tecnologia em Projetos de BPO
      • Análise sobre principais Players de BPO no Brasil
      • Alternativas Estratégicas e O Futuro de BPO no Brasil
    Dossiê BPO no Brasil
  • 31.
    • O país possui o maior mercado de trabalho na área de TI na América Latina e excelência em applications management, serviços de infra-estrutura e tecnologias seguras e, em 2010 o mercado de TI-BPO deve superar US$70 bilhões em faturamento
    • O cenário atual é fruto de uma história de 40 anos que permitem hoje ao país despontar como o oitavo maior mercado mundial de Tecnologia da Informação, atividade que representa 7%do PIB brasileiro (fonte: Apex).
    • O país tem um grande potencial em função da qualidade de sua mão-de-obra e do dinamismo do mercado interno, no entanto, incentivos são necessários para reduzir os custos extras associados à burocracia e aos encargos trabalhistas.
    Dossiê BPO no Brasil
  • 32.
    • Ficha Técnica
    • Desenvolvimento : TechLab
    • Produção : E-Consulting Corp.
    • Distribuição e Comercialização: K4B
    • Ano Base: 2010
    • Objetivos:
      • Realizar uma análise aprofundada das principais tendências e vetores de transformação dos setores tradicionais de Telecom (Fixa e Móvel), Mídia, TV Digital, TV a Cabo, TI e Internet, que juntamente com Eletro-Eletrônicos, Conteúdo, Entretenimento, Publicidade, Educação e Serviços, comporão o que convencionamos como Setor da Convergência.
    • Benefícios:
      • Compreensão das novas plataformas e tecnologias potencializadorasAnálise dos impactos na estrutura corporativa, na cultura, nas operações e atividades de Contact Center.
      • Conhecer o imperativo da abordagem multicanal
      • Identificar o desafio da universalização de acesso e consumo.
    Tendências de Telecom – Setor de Telefonia
  • 33. Tendências de Telecom – Setor de Telefonia Setor de Telefonia Imposição mercadológica (convergência) Desenvolvimento de novos produtos convergentes e multiplataforma Alinhamento e interação com áreas cliente. Adequação de sistemas e plataformas para autonomia e customização pelas áreas de negócio SOA, SaaS, Serviços Convergentes, Billing/Co-Billing, EDW, Virtualização, MasterDataManagement, CRM, BI, BPM, Governança de TI, PMO, CyberSegurança, Interfaces de Front Office, Integração Multicanal, Fábrica de Software e de Testes e IT Consulting Maior flexibilidade e capacidade de atendimento as demandas de mercado. Alinhamento com estratégia corporativa Revisão da arquitetura tecnológica em busca de integração e menor time-to-market Tecnologias e Serviços Associados (Habilitadores) Justificativa Tendência
  • 34. Tendências de Telecom – Setor de TV por Assinatura Setor de TV por Assinatura Com a diversificação de produtos, serviços, aliados a um crescimento elevado em sua base de clientes, faz-se necessária uma estrutura de atendimento eficiente e confiável Melhora da eficiência operacional em centrais de relacionamento e serviços de suporte SOA, SaaS, Billing/Co-Billing, CRM, BPM, Governança de TI, PMO, Fábrica de Software e de Testes, Portais, Interfaces de Front Office, Integração Multicanal e Manutenção de Aplicações Condição básica para aumento de clientes Expansão e atualização da rede tecnológica de distribuição de serviços a cabo Tecnologias e Serviços Associados (Habilitadores) Justificativa Tendência
  • 35. Tendências de Telecom – Setor de Internet Setor de Internet Criar interatividade e facilidade de uso Implementação de interfaces e funcionalidades multiplataforma (Convergência IP) SOA, Serviços Convergentes, Billing/Co-Billing, Governança de TI, PMO, CyberSegurança, IT Consulting, Soluções de Mobilidade, Integração Multicanal, Web 2.0, Manutenção de Aplicações, Portais, BI e CRM Constante necessidade de estar atualizado e como protagonista do ambiente da convergência digital Investimentos na reestruturação de portais e ambientes online com viés de flexibilização e integração com ambientes terceiros Tecnologias e Serviços Associados (Habilitadores) Justificativa Tendência
  • 36. Tendências de Telecom – Setor de Mídia Setor de Mídia O conteúdo agora é nômade, móvel, seu modelo de negócios deve se adequar as novas formas e meios de acesso Obter presença e relevância online semelhante/superior à relevância offline através do desenvolvimento de canais digitais proprietários e ampliação da capilaridade em canais terceiros SOA, SaaS, Serviços Convergentes, Billing/Co-Billing, EDW, MasterDataManagement, CRM, BPM, Governança de TI, PMO, Integração Multicanal, CyberSegurança, Fábrica de Software e de Testes, BI e IT Consulting Tendência irreversível de mercado, adequação as exigências da convergência Evolução das plataformas de conteúdo de mídias tradicionais offline para plataformas digitais multicanais Tecnologias e Serviços Associados (Habilitadores) Justificativa Tendência
  • 37. I-DIGs
  • 38.
    • A utilização de ferramentas 2.0 cresceu entre empresa e isso teve impacto na maneira como elas se comunicam com consumidores e fornecedores . Além disso, alterou a maneira como as empresas contratam e retem seus talentos.
    • Além disso, outro benefício apontado pela pesquisa foi que tais ferramentas contribuíram para o “achatamento” das hierarquias.
    I-DIG Agosto de 2008 – Web .20
  • 39.
    • A penetração de soluções de mobilidade corporativa vem aumentando nas empresas , tais como: Blackberry. Calendários compartilhados, Aplicações p Forças de Vendas, e Devices de Atendimento a Clientes.
    • Melhorias na comunicação, colaboração e produtividade foram apontadas como os maiores benefícios experimentados por organizações após a adoção de soluções de mobilidade corporativa.
    • Questões associadas à velocidade , como responsividade à solicitações de clientes e lead time , também estão entre os principais benefícios apontados pelos executivos entrevistados.
    I-DIG Setembro de 2008 – Mobilidade Corporativa
  • 40.
    • As decisões mais comuns sobre projetos de inovação tomadas por executivos seniores são a determinação da Direção dos Esforços, Comercialização e Definição de Equipes.
    • As principais fontes de idéias para esses executivos são discussões externas com parceiros, fornecedores e colegas. Outra importante fonte de idéias advém da interação com os consumidores .
    I-DIG Outubro e Novembro de 2008 – Inovação
  • 41.
    • O SPED representa uma mudança corporativa profunda na forma como as áreas de Tecnologia e Contabilidade atuam, uma vez que exige a alteração de processos, comprometimento e conhecimento.
    • Alguns números:
      • 12.000 Empresas tributadas pelo Lucro Real estão obrigadas a entregar o SPED Contábil em Junho de 2009 com dados da Contabilidade de 2008.
      • R$ 300 milhões é o quanto o Governo Federal já liberou para que os Estados se modernizem a se preparem para a nova realidade do SPED.
      • US$ 100 milhões foi o valor pago no Supercomputador apelidado de T-Rex que cuidará do processamento e análise das informações do SPED.
      • Entre R$500 mil e R$3 milhões está o valor médio de investimentos no SPED reportado por médias e grandes empresas.
      • Até R$60.000: valor de redução de custo mensal reportado por grande empresa
      • R$ 5.000 é o valor da multa que as empresas deverão pagar se perderem o prazo de entrega mensal da Escrituração Contábil.
      • 6 anos é o tempo que as informações do SPED ficaram registradas.
    I-DIG Janeiro e Fevereiro de 2009 – SPED
  • 42.
    • A TI Verde pode ser considerada o reflexo das práticas de Sustentabilidade Corporativa na TI. As práticas de TI Verde buscam utilizar os recursos de TI de forma eficiente, diminuindo direta (a própria empresa) e indiretamente (sua cadeia devalor) seu impacto econômico, social e ambiental (triple bottom line) no entorno de negócios.
    • Segundo levantamento realizado pela consultoria IDC (2008), 80% dos executivos brasileiros dizem que iniciativas de TI verde estão crescendo em importância nas suas organizações , e 43% ressaltam que, na hora de escolher um fornecedor, já prestam atenção nas suas ações de preservação ambiental.
    • Mais de 50% dos usuários tem em conta a estratégia de Green IT na escolha do seu fornecedor de soluções tecnológicas.
    I-DIG Março e Abril de 2009 – TI Verde
  • 43.