Your SlideShare is downloading. ×
Metodos de-estudo
Metodos de-estudo
Metodos de-estudo
Metodos de-estudo
Metodos de-estudo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Metodos de-estudo

562

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
562
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
40
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Métodos de Estudo Condições de Estudo Planificação de Estudo Utilização de Materiais Assimilação de Conteúdos CONDIÇÕES DE ESTUDO O local onde trabalhamos e o nosso estado físico relacionam-se com o nosso rendimento É importante ter em atenção os seguintes aspectos: • Procurar "manter-se em forma" para estudar: o cansaço, a falta de sono, a fome, a dor de cabeça, ver ou ouvir mal, etc., são sérios obstáculos para um estudo proveito- so. Estar em "forma física" é uma das primeiras condições para o estudo; daí que se deva estudar nas horas em que o corpo está mais descansado. • Estudar num local que nos permita concentrarmo-nos: deve evitar-se todo o local que nos distraia. No local de estudo não deve haver ruído nem devem ocorrer inter- rupções. • Estudar num local cómodo. No local de estudo deve existir uma mesa adequada, luz pela esquerda, temperatura próxima dos 20 graus, boa ventilação, etc. • Estudar num local "íntimo e pessoal". Deve tentar-se que o local de estudo seja um local pessoal.
  • 2. PLANIFICAÇÃO DE ESTUDO Horários Os pontos fundamentais que se relacionam com o aproveitamento do tempo de estudo são: • Estabelecer um horário de estudo de acordo com as horas em que mais agrada estudar, o número de horas de que se necessita, as disciplinas que tem de preparar para os dias seguintes, as disciplinas que exigem mais dedicação, etc. • Incluir nesse horário todas as disciplinas com um número de horas proporcional à dificuldade sentida. • Incluir no horário períodos de descanso. Após uma hora de estudo, deve haver um período de descanso de aproximadamente 15 minutos. Depois desse período de des- canso o rendimento é maior do que se se estudar durante duas horas seguidas. • Incluir dias de descanso na semana. É bastante saudável trabalharmos bem duran- te a semana e descansarmos ao fim-de-semana. • Afixar este horário no local de estudo. • Cumprir este horário até ele se tornar um hábito. • Dedicar um número de horas diárias ao estudo. • Antes de se sentar a estudar, decidir exactamente o que se vai estudar, que disci- plina, quantas páginas ou que exercícios. Organização • Deve-se preparar todo o material necessário antes de se sentar a estudar. • Ter todo o material arrumado (livros, canetas, dicionário, etc.) • Estar satisfeito com a própria organização e sentir que ela ajuda a render mais.
  • 3. UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS Livros e outros materiais • Deve-se ter cuidado com os livros bem como com todo o material auxiliar. • Deve-se ter como hábito a leitura dos índices. É importante saber procurar um assunto sem necessidade de ver o livro todo. Fica-se assim com uma ideia global dos temas tratados. • Ler as notas de rodapé, inteirar-se do significado das siglas e ter em conta as chamadas de atenção. • Utilizar o dicionário. Consultar o dicionário sempre que se não saiba o significado de uma palavra. Aumentar o vocabulário significa mais formação. • Criar o hábito de frequentar a biblioteca. Lá estará alguém a quem é possível pedir ajuda para procurar os livros relacionados com a matéria a ser estudada. É importante ir aprendendo a procurar, consultar, perguntar e recolher informação sem necessidade de ajuda. Leitura A leitura é um dos principais instrumentos de trabalho. Muitos dos problemas ao nível do ren- dimento escolar têm na base uma leitura deficiente, quando não se lê a uma velocidade adequada ou não se compreende bem aquilo que se lê. Eis alguns exercícios que se pode- rão realizar para melhorar a leitura: • Ler por frases e não palavra por palavra. A nossa visão abrange uma área muito extensa quando lemos. Ler palavra a palavra cansa e faz perder tempo precioso. Pode-se começar por ler duas ou três palavras de cada vez e, pouco a pouco, ir abarcando mais palavras até conseguir ler por frases. • Ler com a intenção de melhorar a velocidade. Este princípio está muito relaciona- do com o anterior. Uma média de 300 palavras por minuto é o ideal em adoles- centes. • Identificar os parágrafos importantes. A leitura deve deter-se mais sobre estes aspectos. • Voltar a ler quando não se compreende algo. Se se continuar a ler, a leitura não será proveitosa. • Procurar resumir a ideia principal de cada parágrafo. • Fazer pausas na leitura para pensar e reflectir sobre aspectos problemáticos. • Variar a forma de leitura para evitar o cansaço: ler em voz alta, ler em pé, etc.
  • 4. Sublinhados/Resumos • Sublinhar os aspectos mais importantes dos textos ou apontamentos. Para ajudar pode-se recorrer a uma série de estratégias como diferentes cores, diferentes sub- linhados, marcas, etc. • Pôr num papel as ideias principais de um texto . • Construir um esquema utilizando os sublinhados ou as ideias principais referencia- das num papel. • Construir o resumo definitivo da questão previamente esquematizada. Trata-se então de rechear essa estrutura ou esqueleto. Será uma ajuda magnífica na hora das revisões. ASSIMILAÇÃO DE CONTEÚDOS Memorização Um estudante com boa capacidade de memorização está mais bem preparado para o êxi- to. Eis algumas ideias sobre o acto de memorizar: • Compreender antes de memorizar. Isto é elementar e fundamental. Tal significa que se deve perguntar, compreender, etc. antes de tentar memorizar. • Descansar alguns minutos antes de começar a memorizar. Ajuda a recuperar for- ças que actuarão positivamente quando se inicia um novo ciclo de estudo. • Empregar o maior número de entradas sensoriais para memorizar. A retenção de informação será tanto mais forte e duradoura quanto mais numerosas e vivas forem as vias de entrada de informação (principalmente os ouvidos, a visão e o tacto). Portanto, a leitura oral e mental, sublinhar e desenhar ajudam a que as impressões se tornem mais duradouras. • Um método de memorização, empregue com excelentes resultados, abarca os seguintes passos: - Leitura rápida da lição ou questão que se quer aprender, com o objecti- vo de obter uma ideia global da matéria.
  • 5. - Leitura mais lenta. Voltar a ler e deter-se sobre aqueles aspectos que parecem ser mais importantes, o que não seria possível se não se tivesse realizado o primeiro passo. - Sublinhar os pontos importantes. - Fazer um esquema escrito da lição ou questão, seguindo aquilo que já foi sublinhado. Visa a compreensão do esquema e a reflexão sobre ele. - Elaborar um resumo, completando o esquema anterior. - Repetir oral e escrita do esquema-resumo até aprendê-lo.

×