• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content

Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this presentation? Why not share!

Trabalho de história daniel pinho 8ºano nº9

on

  • 2,865 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,865
Views on SlideShare
2,862
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
24
Comments
0

1 Embed 3

http://turmasbbd.blogspot.pt 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Trabalho de história   daniel pinho 8ºano nº9 Trabalho de história daniel pinho 8ºano nº9 Presentation Transcript

    • Daniel Gomes Pinho Nº9 8ºD
    • -Este trabalho foi proposto no âmbito da disciplina de História com a professora Isabel Lima, e que trabalho nos vai ser útil para nós aprendemos mais sobre a vida do operário no século XIX ( as suas condições de vida ) e sobre o contrataste e antagonismos sociais.    
    • 1-.................................Identificar contrastes e antagonismos sociais; 2-.................................Identificar as grandes transformações operadas no sistema de produção com a Revolução Industrial; 3-.................................Conhecer as novas relações de produção; 4-.................................Caracterizar a vida do operário no século XIX/ Trabalho Infantil;  
    • 1 CONTRASTES E ANTAGONISMOS SOCIAIS NO LIMIAR DO SÉC. XX -No século XIX, em resultado das revoluções industriais e das revoluções liberais, acaba a sociedade do Antigo Regime (sociedade de ordens) e surge uma nova sociedade - a sociedade de classes. Agora, a posição social das pessoas já não é determinada pelo nascimento (como no Antigo Regime), mas, sim, por aquilo que produz e os bens que possui. SOCIEDADE DE CLASSES                                                A burguesia (em ascensão desde os finais do Antigo Regime) passou a ocupar o principal lugar nessa sociedade, substituindo a nobreza e o clero. Na nova sociedade distinguia-se a posição da alta burguesia, possuidora de capital, fábricas, firmas comerciais, bancos, etc., da dos operários e rurais que constituíam o proletariado.
    • A revolução industrial -O conceito de Revolução Industrial apenas recentemente foi, pela obra de historiadores contemporâneos, desligado da ideia de que teria sido uma mudança imprevista, fortuita, quase "milagrosa" para contornos mais reais. O primeiro ponto a ser desfeito foi a ideia simplista duma mudança radical e de ruptura brusca com as fases anteriores. Podemos sim, e apenas, falar de um acelerar na evolução da industria particularmente no caso da Inglaterra, por toda uma serie de pequenas “revoluções” tais como a “ Revolução Demográfica”, “Revolução Agrícola”, “Revolução dos Transportes”. 2 As grandes transformações operadas no sistema de produção com a Revolução Industrial
    • Revolução Demográfica: Durante o fim do século XVII e todo o século XVIII assistiu-se a um aumento da população sobretudo na Inglaterra, o chamado surto demográfico Inglês; devido às melhores condições de higiene, à utilização de roupa interior, a uma melhor nutrição; e implementação de uma medicina preventiva e curativa; neste século podemos assistir ao aumento da taxa de Natalidade e à diminuição em flecha da taxa de Mortalidade o que originou o aumento da população, logo a multiplicação dos produtores e dos consumidores, a proliferação do sector secundário.
    • O aumento da taxa de Natalidade deve-se sobretudo ao aumento da taxa de nupcialidade, pois, a idade média do casamento em Inglaterra passa dos 27 anos para os 23 anos e um século mais tarde passa para os 20 anos. A isto podemos também acrescentar a evolução da medicina e farmácia não sendo como as conhecemos hoje. O crescimento demográfico tem muito a ver com o crescimento económico pois para além dos casamentos serem mais cedo, também as pessoas passam a ter maior poder de compra e a procurar bens industriais, pois os salários passaram a ser mais elevados, e mais estáveis assim como o próprio trabalho, e passaram a estar mais bem alimentadas o que contribuiu sem duvida para a redução da taxa de Mortalidade.
    • 3 -Todos estes progressos técnicos provocaram muitas alterações no regime de produção. A manufactura (trabalho manual) foi substituída pela maquinofactura (produção com recurso á máquina). As oficinas foram gradualmente substituídas pelas fábricas e o artesão especializado deu lugar ao operário que não precisava de quaisquer qualificações. Houve, por isso, uma desvalorização do trabalho, que se tornou repetitivo e mecanizado. As mulheres e as crianças eram utilizadas como mão-de-obra mais barata. As condições de trabalho e de vida degradaram-se pois muitas famílias iam viver para junto das fábricas, em pequenas casas, sem condições de habitabilidade nem de higiene. As cidades, que não estavam preparadas para receber tantas pessoas, tornaram-se sujas, desordenadas e poluídas, sendo frequente a propagação de doenças. As novas relações de produção
    • 4 A vida do operário no século XIX/ Trabalho Infantil -A situação dos camponeses e dos operários era diferente da dos demais estratos sociais. Os camponeses, sujeitos às crises agrícolas e à decadência das indústrias rurais, levavam uma existência difícil. -Nos centros industriais, a vida dos operários era igualmente difícil: - o horário de trabalho era longo (em regra de 12 a 14 horas); - o trabalho era mal pago (salários baixos), recorrendo-se, por ser mais barato, à mão-de-obra feminina e infantil; - a segurança nos locais de trabalho (fábricas, minas) era muito fraca, o que originava frequentes acidentes (máquinas, explosões, inundações das minas); - as habitações dos operários eram deficientes e acanhadas.