• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Regicídio
 

Regicídio

on

  • 577 views

 

Statistics

Views

Total Views
577
Views on SlideShare
577
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
13
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Regicídio Regicídio Presentation Transcript

    • Trabalho elaborado por: Diogo Ramos nº 5 e Leandro Rosales nº 13 Turma C, 6º Ano Área – Projecto: Dez. 2010 - Professores: Pedro Oliveira e Vera Vaz
    • No início do século XX, Portugal vivia numa monarquia. E o povo vivia em más condições, queria ter a oportunidade de governar e tratar dos problemas do país.
      • Revoltados dois homens do povo, Manuel Boiça e Alfredo Costa organizaram uma revolta que iria ser conhecida como “regicídio”.
      O Rei D. Carlos ,a Rainha D. Amélia e o Príncipe Real D. Luis Filipe encontravam-se em Vila Viçosa no Alentejo onde passavam uma temporada de caça no inverno.
      • O infante D.Manuel o filho mais velho do rei D. Carlos tinha regressado alguns dias antes por causa dos estudos.
      • Os acontecimentos levaram D.Carlos a antecipar o regresso a Lisboa apanhando o comboio na estação de Vila Viçosa no dia 1 de Fevereiro.
      • O príncipe Real estava armado com a seu revolver do exercito. Durante o caminho, o comboio sofreu um descarrilamento, isto provocou um atraso de quase uma hora.
      • A comitiva regia chegou ao Barreiro no final da tarde, onde tomou o vapor de D.Luis para chegar ao terreiro do paço em Lisboa, onde desembarcaram.
      • Apesar do clima de grande tensão, optou por seguir em carruagem aberta para demonstrar normalidade.
      • No momento havia pouca gente no Terreiro do Paço. Quando a carruagem circulava junto ao lado ocidental da praça, ouviu-se um tiro que desencadeou o tiroteio.
      • Um homem de barbas (Manuel Boiça), passada a carruagem dirigiu-se para o meio da rua tirou a carabina que tinha escondida na capa, pôs o joelho no chão e apontou a arma.
      • .
      • Então o príncipe D. Luís Filipe atirou quatro tiros sobre o atacante, que caiu da carruagem.
      • Mas quando se levantou D. Luís Filipe foi de novo mas mortalmente atingido.
      • Manuel Boíça mesmo ferido resistiu e para terminar Manuel Boíça é apanhado, mas Alfredo Costa escapa.
      • Mas mesmo com todo este sacrifício não se conseguiu chegar ao objectivo, acabar com a monarquia, pois D.Manuel II ocupa o trono.