Mulher República
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,838
On Slideshare
1,728
From Embeds
110
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
4
Comments
0
Likes
1

Embeds 110

http://centrepja.blogspot.com 56
http://centrepja.blogspot.pt 52
http://centrepja.blogspot.de 2

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A mulher na República
  • 2.
    • A revolução republicana foi feita por homens e por mulheres que, lutando por ideais patrióticos, prosseguiram o seu sonho e tornaram-no realidade a 5 de Outubro de 1910.
    Cabe destacar alguns nomes deste movimento republicano , mas com cuidado histórico e político, Adelaide Cabete, Ana de Castro Osório, Carolina Beatriz Ângelo e Maria Veleda .Todas elas militantes da Liga Republicana de Mulheres Portuguesas.
    • Estas mulheres destacaram-se intelectualmente, escreveram para os jornais da época, defenderam a educação das mulheres, defenderam o sufrágio feminino, lutaram pelos direitos de cidadania que acalentaram na luta pela República o que a República não lhes conferiu de forma plena.
    • Um dos horizontes propostos antes do 5 de Outubro dizia respeito à vida das mulheres. Alguns republicanos (muito poucos) reconheciam que à face da lei e nos costumes a situação das mulheres era degradante e como tal deveria ser alterada. Mas a sua motivação principal não seria, na realidade, a condição específica das mulheres, mas antes o interesse em arregimentar o maior apoio possível para o ideal republicano.
  • Uma proposta nasceu em Agosto de 1908 quando António José de Almeida, Bernardino Machado e Magalhães Lima convidaram todas as ‘senhoras’ que o desejassem para fazer parte de uma Liga Republicana das mulheres portuguesas.
    Mas muito antes da fundação da Liga um pequeno grupo de mulheres feministas empenhava-se de forma enérgica no derrube da monarquia, visando a implantação do regime republicano. Tal como:
    Adelaide Cabete ;
    Carolina Michaëlis de Vasconcellos;
    Alice Pestana;
    Angelina Vidal;
    Entre outras .
  • 3.
    • A Liga Republicana das Mulheres Portuguesas, em Dezembro de 1910, apresentou ao governo uma série de propostas que considerava justas, e que foram elencadas por João Gomes Esteves.Olhando para a situação concreta das mulheres vejamos alguns aspectos extremamente positivos realizados pelo regime, a saber:
    A Lei do Divórcio;
    A Lei da Separação da Igreja e do Estado;
    As mulheres passaram a ter o direito a trabalhar na função pública;
    O direito de voto, ainda que restringido à mulher comerciante, industrial, empregada pública, administradora de fortuna própria ou alheia, diplomada com qualquer curso científico ou literário e escritora;
    O direito de eleger e ser elegível para os cargos municipais;
    O combate à prostituição.
  • 4. Irei agora falar sobre algumas mulheres que lutaram pelos direitos da mulher na República.
    Adelaide Cabete ( 1867- 1935) Foi pioneira na reivindicação dos direitos das mulheres, e durante mais de vinte anos, presidiu ao Conselho Nacional das Mulheres Portuguesas, nessa qualidade reivindicou para as mulheres o direito a um mês de descanso antes do parto e em 1912 reivindicou também o direito ao voto feminino, sendo em 1933, a primeira e única mulher a votar, em Luanda, onde viveu, a Constituição Portuguesa.
    Angelina Vidal (1853-1917), professora, jornalista e propagandista dos direitos dos operários, nomeadamente das mulheres, republicana assumida com intervenções públicas de cariz social.
  • 5.
    • A Liga Republicana das Mulheres Portuguesas, em Dezembro de 1910, apresentou ao governo uma série de propostas que considerava justas, e que foram elencadas por João Gomes Esteves.
  • Trabalho realizado por:
    MelissaFalcon Coelho nº 15 9ºB