Mariana

2,445 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,445
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
966
Actions
Shares
0
Downloads
39
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mariana

  1. 1. Proclamação da República Mariana Dores - 5º D - 2009 / 2010
  2. 2. Instabilidade política Instabilidade económica e financeira Agravamento do descontentamento social PROCURA DE ALTERNATIVAS
  3. 3. O Directório do Partido Republica Português - da esquerda para a direita: António Luís Gomes, Bernardino Machado, Celestino de Almeida, António José de Almeida e Afonso Costa. Concorre às eleições e tem cada vez mais apoiantes... A MONARQUIA começa a ficar, cada vez mais, em perigo.
  4. 4. 11 de Janeiro de 1890 – ULTIMATO INGLÊS; 31 de Janeiro de 1891 – REVOLTA REPUBLICANA; 1 de Fevereiro de 1908 – REGICÍDIO
  5. 5. 11 de Janeiro de 1890 ULTIMATO INGLÊS Inglaterra impõe a Portugal a retiradas das tropas portuguesas situadas entre Angola e Moçambique, ao que o rei D. Carlos cede.
  6. 6. 31 de Janeiro de 1891 REVOLTA Primeira tentativa de revolta republicana, ocorre no Porto.
  7. 7. O rei D. Carlos e o príncipe herdeiro, D. Luís Filipe, são assassinados no Terreiro do Paço, em Lisboa, quando a família real regressava de Vila Viçosa.
  8. 8. D. Manuel II Último Rei de Portugal Maio de 1908 sobe ao TRONO (Com apenas 18 anos)
  9. 9. D. Manuel II ainda muito jovem, não consegue impedir o aumento da agitação social do país. Na madrugada de 04 de Outubro de 1910, dá-se o início da revolução republicana, que veio por fim ao regime monárquico em Portugal.
  10. 10. OS REVOLTOSOS REPUBLICANOS ( militares do exército, militares da marinha (oficiais e sargentos) e muitos populares armados) Concentram-se na ROTUNDA (Actual Praça do Marquês de Pombal ) (Apoiados pelo rio Tejo e pelo navio de guerra ADAMASTOR) Bombardeiam o PALÁCIO DAS NECESSIDADES
  11. 11. 5 de Outubro de 1910 PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA EM PORTUGAL
  12. 12. José Relvas a partir da varanda da Câmara Municipal de Lisboa proclamou a implantação da República , por volta das nove horas.
  13. 13. Com a proclamação da República , surgem novos símbolos para PORTUGAL A BANDEIRA A MOEDA O HINO (A Portuguesa)
  14. 14. SÍMBOLOS NACIONAIS ATÉ À IMPLEMENTAÇÃO DA REPÚBLICA Bandeira de D. Afonso Henriques (1143-1185) 1º REI DE PORTUGAL Bandeira de D. Sebastião (1578) – D. Henrique (1578-1580). Governo dos Filipes (1580-1640), Reis de Espanha Bandeira de D. Maria II (1834-1853) Regência (1853-1855), D. Pedro V (1855 -1861) D. Luís (1861 – 1889) D. Carlos (1889-1908) D. Manuel II (1908-1910)
  15. 15. BANDEIRA NACIONAL – Após a instauração do regime republicano, um decreto da Assembleia Nacional Constituinte de 19 de Junho de 1911, aprovou a Bandeira Nacional que veio substituir a Bandeira da Monarquia Constitucional COR VERDE – significa a esperança numa vida melhor e a liberdade; COR VERMELHA – significa a coragem e o sangue derramado pelos Portugueses em defesa da Pátria; SETE CASTELOS – simbolizam as sete terras importantes conquistadas por D. Afonso III, último rei da reconquista; ESFERA ARMILAR – simboliza o mundo e as terras que os navegadores portugueses descobriram; ESCUDO COM AS CINCO QUINAS – significa os cinco reis mouros que, segundo a lenda, D. Afonso Henriques derrotou na Batalha de Ourique.
  16. 16. CONSTITUIÇÃO REPUBLICANA DE 1911 Para além da adopção dos novos símbolos nacionais (bandeira, escudo e hino), os republicanos tomaram outras medidas imediatas como: Governo provisório (presidido por Teófilo Braga); Elaboração da nova constituição, a qual foi redigida pela Assembleia Nacional Constituinte, que ficou concluída em 1911.
  17. 17. Portugal tem como primeiro governante, em regime provisório, logo após a implementação da Republica. TEÓFILO BRAGA 1º PRESIDENTE DA REPÚBLICA MANUEL DE ARRIAGA
  18. 18. ASSEMBLEIA NACIONAL CONSTITUINTE O governo provisório cria as eleições nas quais podem votar: Maiores de 21 anos que soubessem ler e escrever, ou que fossem chefes de família há mais de um ano; Elabora a constituição de 1911, na qual estão delineados dos diferentes poderes do Estado: Poder Legislativo; Poder Executivo; Poder Judicial.
  19. 19. A figura do Rei desaparece e o chefe de Estado passa a ser o Presidente da República, que ao contrário do que acontecia com o rei, exerce o poder por tempo determinado ( mandato de 4 anos) .
  20. 20. MEDIDAS REPUBLICANAS ÁREA DA EDUCAÇÃO Na altura, cerca de 75% da população era analfabeta, o que levou os republicanos a dar especial atenção à EDUCAÇÃO. Assim durante a 1ª República foram tomadas várias medidas, com o objectivo de aumentar o nível de ALFABETIZAÇÃO da população portuguesa.
  21. 21. EDUCAÇÃO Criação de jardins-escola (para crianças dos 4 aos 7 anos); Aumento do número de escolas primárias; Ensino obrigatório e gratuito dos 7 aos 10 anos; Desenvolvimento do ensino técnico ( criação de escolas agrícolas, comerciais e industriais); Criação das Universidades de Lisboa e Porto; Atribuição de bolsas de estudo a alunos carenciados; Aumento de Escolas Normais para formação de professores
  22. 22. TRABALHO Criação do MOVIMENTO SINDICAL; Reconhecimento do direito dos trabalhadores à GREVE (até 1911, ocorreram mais de 70 greves); O horário semanal foi fixado em 48h semanais (8 h diárias) para a maioria dos trabalhadores e 42h para trabalhadores de escritório e bancários; Fixou-se a semana de trabalho em 6 dias, ficando os trabalhadores com um dia de descanso; Criou-se um seguro social para os trabalhadores em caso de doença ou acidente de trabalho; Os trabalhadores aperceberam-se que a união entre todos era importante para a reivindicação dos seus direitos, o que fez com que o número de SINDICATOS aumentasse muito durante a 1ª República. Para divulgar as suas acções e as suas ideias, os sindicalistas criaram muitos jornais e revistas.
  23. 23. JORNAIS E REVISTAS SINDICAIS 1914 – União Operária Nacional 1919 – Confederação Geral do Trabalho
  24. 24. INSTABILIDADE GOVERNATIVA Os resultados alcançados com a 1ª República ficaram muito aquém do esperado; A situação dos país voltava a agravar-se por problemas internos e externos; - INSTABILIDADE GOVERNATIVAS - De 1910 a 1926, Portugal teve 8 Presidentes da República e 45 governos. Os deputados não se entendiam, sendo difícil existirem maiorias absolutas no Parlamento. Os governos caíam sucessivamente. PARTICIPAÇÃO NA 1ª GUERRA MUNDIAL (1914-1918) Portugal participa no primeiro conflito mundial
  25. 25. PARTICIPAÇÃO NA 1ª GUERRA (1914-1918) Levou à morte de muitos soldados portugueses; Agravamento da situação económica; Agravamento da situação financeira; Os preços subiram; O desemprego aumentou; As greves sucederam-se O descontentamento social aumentava por todo o país, conduzindo à QUEDA DA 1ª REPÚBLICA
  26. 26. QUEDA DA 1ª REPÚBLICA (1926) GOLPE MILITAR
  27. 27. FIM Mariana Dores - 5º D - 2009 / 2010

×