Paula de oliveira-pp

  • 655 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
655
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
3
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Apresentação ao Conselho Pedagógico da Escola EB 2,3 Moinhos da Arroja Formanda : Paula Fernanda Diogo de Oliveira Novembro de 2010 1
  • 2. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /AgrupamentoA estrutura do Modelo e as metodologias deoperacionalizaçãoO papel e mais valias da auto-avaliação da BE; O processo de implementação e o necessárioenvolvimento da escola/ agrupamento;A elaboração do RelatórioA relação com o processo de planeamento;A integração dos resultados na auto-avaliaçãoda escola. 2
  • 3. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Biblioteca escolar definida por Organizações e Associações Internacionais Sucesso como núcleo de trabalho e Educativo aprendizagem ao serviço da ESCOLA escola A biblioteca escolar é um sistema integrado e aberto à influência de outros sistemas, com os quais interage 3
  • 4. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /Agrupamento“Vários estudos internacionais (…) mostram ainda,de forma inequívoca, que as bibliotecas escolarespodem contribuir positivamente para o ensino e aaprendizagem, podendo estabelecer-se uma relaçãoentre a qualidade do trabalho da e com a BE e osresultados escolares dos alunos.”(Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar, 2010, p.4) 4
  • 5. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /AgrupamentoComo avaliar? http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/745/m Na apropriação da BE pela Modelo de Escola auto-Avaliação da BE na sua concepção e metodologia de No reconhecimento aplicação do VALOR da BE assenta enquanto estrutura de apoio pedagógico ao serviço das aprendizagens 5
  • 6. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento“ O processo de auto-avaliação mobiliza toda a escola, melhorando através da acção colectiva as possibilidades oferecidas pela BE”“ A auto-avaliação da biblioteca deve ser incorporada no processo de auto-avaliação da própria escola, dada a sua relação estreita com a missão da escola e os objectivos do seu projecto educativo”(Modelo de Auto-avaliação, 2010, p. 4) 6
  • 7. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Estrutura do ModeloQuatro domínios e respectivos subdomínios: A. Apoio ao desenvolvimento curricular A.1 Articulação curricular da biblioteca escolar com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes A. 2 Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital B. Leitura e literacia C. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade C.1 Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular C.2 Projectos e parcerias D. Gestão da biblioteca escolar D.1 Articulação da biblioteca com a escola. Acesso e serviços prestados pela biblioteca D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços D.3 Gestão da colecção/ da informação 7
  • 8. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Metodologia de Operacionalização Aplicação anual-selecção do domínio em cada anoPonto de partida derivado de primeira avaliação diagnóstica, da indicação de uma área de interesse já identificada em processos de avaliação anteriores, da selecção de uma área de interesse considerada prioritária face às metas da própria escola do conhecimento geral e empírico que se tem da biblioteca.AVALIAÇÃO actividade regular e inerente ao dia-a-dia do funcionamento da biblioteca e da escola, integrando as suas práticas e rotinas. Ao fim de quatro anos: todos os domínios auto-avaliados 8
  • 9. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /AgrupamentoIdentificação de um conjunto de Indicadores dentrode cada domínio desdobram-se em diferentes Factores Críticos (actividades ou acções que demonstram sucesso e sãovalorizadas na avaliação de cada Indicador) contêm vários exemplos de instrumentos derecolha de evidênciaspara cada Indicador, na última coluna das tabelas em quese estrutura o Modelo, apresentam-se exemplos deAcções de melhoria 9
  • 10. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento O Modelo inclui um conjunto de Perfis de Desempenhoestabelecido para os diferentes Subdomínios. indicam quatro níveis de performance (Fraco, Médio, Bom e Excelente), para ajudar a escola a identificar qual o nível que melhor corresponde à situação da biblioteca em cada Subdomínio e perceber, de acordo com o nível atingido, o que está em jogo para poder melhorar para o nível seguinte 10
  • 11. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Trabalhos realizados Estatísticas pelos alunos (no âmbito produzidas pelo de actividades da BE, em trabalho sistema da BE colaborativo, etc.); (requisições, etc.); Materiais produzidos pela Instrumentos BE ou em colaboraçãoespecificamente construídos (planos de trabalho,para recolher informação no planificações para sessões âmbito da avaliação da BE: na BE, documentos de registos de observação, EVIDÊNCIAS apoio ao trabalho na BE, questionários, e checklists material de promoção, obtidas através de um etc.); conjunto de métodos quantitativos e qualitativos, e de técnicas de recolha deDocumentos já existentes e informação variadaque regulam a actividade da escola (PEE, PCT, Registos diversos (actas de reuniões, relatos de actividades, etc.) ou da BE (Plano de etc.); Actividades, regulamento, etc.) Auto-avaliação 11
  • 12. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Papel e mais valias da Auto-avaliação da BEO modelo de auto-avaliação: Resultou de uma análise efectuada sobre outros modelos e sobre a realidade da escola portuguesa Confronta as práticas que já se vêm realizando noutros sistemas de ensino Desenvolve uma abordagem essencialmente qualitativa, orientada para uma análise dos processos e dos resultados 12
  • 13. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /AgrupamentoContribui para o reconhecimento e afirmação do papel da BEPermite -identificar as necessidades e fragilidades com vista àmelhoria -identificar até que ponto os objectivos e a missão da BEestão ou não a ser alcançados -identificar práticas que têm sucesso e deverão continuar -identificar pontos fracos que importa melhorar -diagnosticar a eficiência e eficácia dos serviços prestadose planear acções com vista à melhoria -diagnosticar a satisfação dos utilizadores da BEAvalia a qualidade e eficácia das BE´s 13
  • 14. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Auto- A AUTO-AVALIAÇÃO • What are we doing?avaliação Auto- • How do we know?avaliação • What are we going to Auto- do now?avaliação Scott ,Elspeth S (2002). “How good is your school library resource?”. 14
  • 15. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento A implementação da auto-avaliação -passos prévios Motivação e compromisso institucional dos órgãos de gestão pedagógica eexecutiva da escola com o processo de auto-avaliação da BE; Apresentação aos colegas e órgãos de gestão do propósito e metodologia da auto-avaliação e formalização de alguns procedimentos no sentido de uma mobilização e co-responsabilização de todos os intervenientes: participação da BE em reuniões alargadas ou restritas de docentes para recolha da informação; Facilitação de documentação e disponibilização de dados pelos colegas; Definição de formas de colaboração com os docentes na recolha de evidências sobre os alunos; Aceitação e reconhecimento dos resultados por todos; Envolvimento na subsequente promoção de um plano de melhoria edesenvolvimento 15
  • 16. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Processo de implementação-fases do processoA escolha do domínio a avaliar seleccionado pelo professor bibliotecário/ equipa , discutida com o órgão directivo determinada pelas prioridades e restantes processos existentes na escolaA fase de recolha de evidências-intervenientes e composição da amostra-calendarização aplicação de questionários grelhas de observação Adequação do modelo à realidade da entrevistas Escola /Agrupamento 16
  • 17. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Processo de implementação-fases do processoA fase de gestão e interpretação da informação recolhida- Identificação de pontos fortes e fracos e posicionamento nos respectivos níveis de desempenhoA fase de elaboração do relatório- discutido e aprovado em Conselho Pedagógico, bem como o plano de melhoria que vier a ser delineado.A fase de gestão dos resultados ao nível da escola A avaliação da BE deve estabelecer ligações com a avaliação da escola. Uma síntese do relatório de avaliação da BE virá a integrar o relatório da escola. A avaliação externa da escola pela IGE poderá avaliar o impacto da BE na escola 17
  • 18. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /AgrupamentoApenas auto-avaliado um Domínio atravésdo recurso ao Modelo de Auto-avaliação daRBE, mas o trabalho e acção educativa daBE também incidentes noutros Domínios deintervenção, embora estes não sejam alvo domesmo tipo de avaliação visão holística do funcionamentoda BE. Referência de todos os domínios noRelatório Anual da BE. 18
  • 19. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Envolvimento e mobilização da escolaDirector/órgão • garantir que a auto-avaliação é conduzidaa Líder coadjuvante no processo de forma de Gestão de forma eficaz e os resultados integrados no plano de acção de toda a escola Conselho • Envolvimento no processo e análise do relatório dos resultados da Pedagógico avaliação Alunos, pais e • Participação e colaboração em acções respondendo a questionários docentes Professor • Catalizador junto da equipa e de todos os outros agentes bibliotecário 19
  • 20. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /Agrupamento Relação com o processo de planeamento As relações entre a BE e a escola são determinantesou inibidoras do seu sucesso A AABE deverá envolver toda a escola/agrupamento-só assim terá execução satisfatória A cooperação baseada no trabalho colaborativo comprofessores de diferentes disciplinas é importante 20
  • 21. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto- Escolares no contexto da Escola /AgrupamentoA integração dos resultados na auto-avaliação da escola A AABE deve estar ligada à auto-avaliação da escola do relatório de auto-avaliação, apresentado no CP, haverá uma síntese que integre o relatório anual da escola a avaliação externa da escola poderá avaliar o impacto da BE nas práticas educativas Pela relação com a missão e objectivos da escola, a auto-avaliação da BE deve ser objecto de integração na auto-avaliação da escola. 21
  • 22. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /Agrupamento“ A auto-avaliação deverá contribuir para a elaboraçãodo novo plano de desenvolvimento, ao possibilitar aidentificação mais clara dos pontos fracos e fortes, oque orientará o estabelecimento de objectivos eprioridades, de acordo com uma perspectiva realistaface à BE e ao contexto em que esta se insere. Esseplano deve instituir-se como um compromisso daescola, na sua globalidade, já que um melhordesempenho da biblioteca irá beneficiar o trabalho detodos.” (Modelo de Auto-Avaliação da BibliotecaEscolar, 2010, pp. 7-8) 22
  • 23. O Modelo de auto-avaliação das Bibliotecas auto-Escolares no contexto da Escola /Agrupamento BibliografiaRBE (2010).Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar.Scott ,Elspeth S (2002). “How good is your school library resource?”. 68th IFLA Council and General Conference August 18-24 23