Your SlideShare is downloading. ×
Análise - Bovinocultura - IMEA
Análise - Bovinocultura - IMEA
Análise - Bovinocultura - IMEA
Análise - Bovinocultura - IMEA
Análise - Bovinocultura - IMEA
Análise - Bovinocultura - IMEA
Análise - Bovinocultura - IMEA
Análise - Bovinocultura - IMEA
Análise - Bovinocultura - IMEA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Análise - Bovinocultura - IMEA

338

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
338
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. BOLETIM SEMANALAnálise – Bovinocultura 15 de junho de 2012 Número: 207 FÊMEAS EM BAIXA: O preço pago pelas fêmeas em Mato Grosso tem enfrentado queda seja na cotação do animal gordo nos frigoríficos ou no mercado de reposição. No primeiro caso, a grande oferta de fêmeas destinadas ao abate neste ano tem pressionado para baixo os preços pagos pela arroba da vaca gorda nos frigoríficos do Estado, enquanto que os preços do boi gordo, apesar de também estarem pressionados por essa oferta de fêmeas, conseguiram se comportar de maneira mais firme no último mês. Já no mercado de reposição, a procura por machos conseguiu manter os preços dos bezerros estáveis, enquanto que a menor demanda por fêmeas permitiu que o preço médio das bezerras encontrasse suporte apenas em um patamar ainda mais inferior. Deste modo, apesar de as das cotações registradas por ambos se manterem abaixo das registradas no mesmo período do ano passado, a maior queda por parte das fêmeas fez com o diferencial entre os preços dos machos e das fêmeas registrasse um aumento de 11,4%. EXPORTAÇÃO: Nesta sexta-feira, dia 15, completou um ano Exportações de carne bovina in natura de Mato Grosso (mil toneladas) do início do embargo parcial russo aos frigoríficos120 Demais países brasileiros. A partir dessa data as unidades do Estado de 103,3 105,7 Rússia Mato Grosso foram impedidas de efetuar embarques100 novos para o mercado russo. Com isso, a solução 84,6 82,2 83,5 75,6 74,1 74,7 encontrada pelos grandes grupos frigoríficos foi a 80 71,5 67,7 realocação dos contratos de exportação com unidades 55,7 localizadas em outros Estados não afetados pelo embargo. 60 Deste modo, o impacto da barreira foi, de certo modo, 40 aliviado, com o aumento dos envios a outros destinos. No entanto, deve-se levar em conta o tamanho e a 20 46% importância do mercado russo, maior importador mundial 31% 38% 32% 27% 25% 28% de carne bovina, segundo o USDA. Analisando o período 16% 21% 0 anterior ao último embargo, verifica-se que o país, no período correspondente aos cinco semestres anteriores ao início da barreira, importou em média 22,6 mil toneladas por semestre, um volume correspondente a 30% de toda aFonte: Secex *até maio/2012 carne bovina exportada pelo Estado no período.OFERTA E DEMANDA: O preço pago pelo boi gordo Preço do boi gordo x vaca gorda em Mato Grossoapresentou pouca variação quando comparado ao último (R$/@)mês, encerrando esta semana com média de R$ 95 13%83,40/@. Enquanto isso, a arroba da vaca gorda registrou 12%uma queda de -0,34%, sendo cotada a R$ 74,82. Apesar 90da ligeira queda nos preços, e de os preços se manterem, 11% Boi e vaca gorda (R$/@)de certa forma firmes, o spread (diferença) entre eles 85 Spread (%)apresentou um aumento, saindo da média de 7,4% em 10%fevereiro deste ano para 11,4% neste mês de junho. Com 9%isso, o diferencial dos preços já se encontra em um 80patamar superior ao da média do mesmo período do ano 8%passado, quando registrava 11,0%. Esse aumento no 75diferencial na primeira metade deste ano é atribuído ao 7%expressivo aumento da oferta de fêmeas para o abate, Boi gordo Vaca gorda Spreadsuperior ao observado no mesmo período do ano 70 6%passado. Fonte: Imea O Boletim de Bovinocultura de Corte é uma publicação semanal do Imea - Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária 1 Críticas e sugestões poderão ser enviadas para o e-mail: imea-mt@imea.com.br
  • 2. BOLETIM SEMANAL 15 de junho de 2012Análise – Bovinocultura Número: 207PREÇOS DA SEMANA Preço do boi gordo à vista (R$/@) Preço da vaca gorda à vista (R$/@)86 78 Noroeste85 77 Norte 7684 Nordeste 7583 Médio Norte 7482 Oeste 7381 72 Centro-Sul80 71 Sudeste Fonte: Imea A média do preço do boi gordo a vista para esta semana segue estável com uma variação negativa de 0,01%, cotado a R$ 83,35/@. Já o valor médio da vaca gorda à vista está R$ 0,28 maior que na semana passada, quando a arroba era cotada a R$ 74,97, uma variação positiva de 0,37%. Valores máximo e mínimo semanal da arroba do boi à Noroeste: Com uma queda de 0,14% em relação à vista livre de Funrural nas macrorregiões do Imea última semana, o preço do boi gordo é cotado a R$ (R$/@) 82,67/@, indicando uma queda de R$ 0,12 em seu preço médio. Norte: O preço do boi gordo à vista na região é Norte Noroeste Máx: 84,06 cotado a R$ 83,42/@, uma valorização de 0,10%, Máx: 82,84 Mín: 83,06 Mín: 82,38 representando também um incremento de R$ 0,08 Nordeste em seu preço médio. Máx: 82,50 Médio-Norte Mín: 81,81 Máx: 83,73 Nordeste: Com o menor preço dentre as regiões, o Mín: 82,57 valor cotado na semana foi de R$ 82,28/@, com uma queda de R$ 0,18 em seu preço e uma Oeste Centro-Sul Máx: 84,22 Máx: 84,76 Sudeste desvalorização de 0,22%. Mín: 83,10 Mín: 84,11 Máx: 84,57 Mín: 83,25 Médio-Norte: Com uma desvalorização de 0,11% na media semanal desta parte do Estado, a arroba foi cotada a R$ 83,16, demonstrando uma queda de R$ 0,09 em seu preço. Fonte: Imea Oeste: Com a maior variação dentre as regiões analisadas pelo Imea, a porção oeste do Estado obteve a maior valorização em seu preço médio na semana, cotado a R$ 83,72/@, sinalizando uma alta de 0,38% em relação à média da última semana cotada, quando o preço era de R$ 83,41/@. Centro-Sul: Comercializado a R$ 84,00/@ em Cáceres, na quarta-feira, a região centro-sul obteve uma média semanal de R$ 84,44/@, representando uma valorização de 0,22% frente à cotação da última semana quando esteve cotado a R$ 84,25/@. Sudeste: Com média semanal na arroba do boi gordo à vista de R$ 83,77, a região obteve a maior desvalorização dentre as regiões cotadas pelo Instituto, de 0,36%, representando uma queda de R$ 0,31 no seu preço médio semanal. Houve negociações da arroba em Rondonópolis a R$ 84,00 na sexta-feira. O Boletim de Bovinocultura de Corte é uma publicação semanal do Imea - Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária 2 Críticas e sugestões poderão ser enviadas para o e-mail: imea-mt@imea.com.br
  • 3. BOLETIM SEMANALAnálise – Bovinocultura 15 de junho de 2012 Número: 207 Comparação entre os preços do bezerro e da bezerra - 12 meses (R$/cabeça) REPOSIÇÃO: Neste mês de junho, o preço médio do Bezerro (R$/cab.) Bezerra (R$/cab.) Spread (%) bezerro de 12 meses, no Estado de Mato Grosso, 750 50,0% seguiu firme negociado a R$ 688,8/cabeça, assim como a fêmea, que foi negociada a R$ 469,0/cabeça.Bezerro e bezerra (R$/cabeça) 700 47,5% No entanto, a diferença entre o preço dos dois animais 650 45,0% registrou um aumento de 4,52 p.p. em relação ao Spread (%) 600 spread verificado no mesmo mês do ano passado. O 42,5% movimento fez com que neste mês, o diferencial 550 registrasse o maior nível no período correspondente a 40,0% 500 partir de janeiro de 2011, com 46,9%. Com uma queda 450 37,5% no valor absoluto em seu preço médio de R$ 21,9/cabeça em relação a junho do ano passado, a 400 35,0% menor demanda pela fêmea proporcionou a queda da cotação da bezerra, que foi a responsável por esse aumento na diferença entre as categorias, uma vez Fonte: Imea que o bezerro também desvalorizou R$ 10,1/cabeça. RELAÇÃO DE TROCA: A queda no preço pago pela arroba Sal mineral e sua relação de troca com o do boi gordo este ano em relação ao ano passado, em preço do boi gordo - Mato Grosso contraposição à alta registrada no preço do sal mineral 42 3,0 de 45g P, piorou a relação de troca entre os dois 40 2,9 produtos para o pecuarista nos últimos meses. Na 38 2,8 Relação de troca (sc/@) variação anual referente ao mês de maio, o preço da 2,7 Sal mineral (R$/sc) 36 arroba do boi gordo à vista desvalorizou 5,21%, com a 2,6 34 média mensal passando de R$ 88,05 para o valor de R$ 2,5 32 83,46 no último mês. Já a variação anual no preço do sal 2,4 mineral mostrou uma alta de 4,2%, passando de R$ 31,69 30 2,3 em maio de 2011 para R$ 34,06 no mesmo mês de 2012. 28 2,2 Sal mineral 45g P(R$/sc 30 kg) Deste modo, o poder de compra do pecuarista , que em 26 2,1 Relação de Troca (sc/@) maio de 2011 comprava 2,69 sacos de sal com uma 24 2,0 abr/10 jun/10 out/10 nov/10 mar/10 jul/10 dez/10 mar/11 jan/10 mai/10 ago/10 jan/11 fev/10 set/10 fev/11 arroba de boi gordo, recuou para 2,45 sc/@ no último mês, uma queda de 9,0% na relação de troca no período de 12 meses. Fonte: Imea Boi gordo futuro - julho/12 MERCADO FUTURO: O contrato futuro do boi gordo (R$/@) negociado para o próximo mês de julho vem 99 registrando quedas, se aproximando do patamar em 98 que opera o Indicador ESALQ/BM&FBovespa. O 97 contrato que até o início da semana retrasada era 96 negociado a R$ 87,75/@, passou a acumular ligeira quedas e finalizou essa semana negociado a R$ 95 94,65/@. Enquanto isso, o indicador seguiu 94 praticamente estável, com o preço oscilando dentro 93 da casa de R$ 92,00/@. Esse movimento de redução 92 da base, fez com que o diferencial passasse de R$ 4,22 do final da semana retrasada para R$ 2,02 no final 91 dessa semana, apontando para uma menor alta nos preços no final do mês que vem. Fonte: Imea Indicador ESALQ/BM&FBovespa O Boletim de Bovinocultura de Corte é uma publicação semanal do Imea - Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária 3 Críticas e sugestões poderão ser enviadas para o e-mail: imea-mt@imea.com.br
  • 4. BOLETIM SEMANAL 15 de junho de 2012Estatísticas – Bovinocultura Número: 207 PREÇOS DA ARROBA DO BOI À VISTA (R$/@) – de 11 a 15 de junho – Livre de Funrural Regiões Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Variação semanal Variação 30 dias Noroeste 82,83 82,84 82,38 82,75 82,56 -0,33% -0,47% Norte 83,21 84,06 83,39 83,06 83,38 0,20% -0,21% Nordeste 81,81 82,31 82,49 82,28 82,50 0,85% 0,95% Médio-Norte 83,18 83,73 82,57 82,82 83,49 0,37% 0,15% Oeste 83,10 83,70 83,93 84,22 83,66 0,68% -0,72% Centro-Sul 84,27 84,54 84,11 84,76 84,50 0,27% -0,71% Sudeste 83,25 84,57 83,39 83,49 84,14 1,07% 1,15% Fonte: Imea PREÇOS DA @ DA VACA À VISTA (R$/@) – de 11 a 15 de junho – Livre de Funrural Regiões Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Variação semanal Variação 30 dias Noroeste 74,43 74,32 74,67 74,80 74,62 0,26% 0,51% Norte 75,00 74,48 74,32 74,51 74,95 -0,07% -0,67% Nordeste 72,63 72,31 72,25 73,00 72,85 0,31% 0,65% Médio-Norte 74,74 74,72 74,38 75,11 75,03 0,40% -0,44% Oeste 75,16 75,79 75,58 76,30 76,00 1,12% -0,31% Centro-Sul 76,38 77,09 76,77 76,93 77,23 1,10% 1,13% Sudeste 75,42 76,14 75,83 75,92 76,11 0,92% 1,41% Fonte: Imea MÉDIA DA ESCALA DE ABATE (Dias) – de 11 a 15 de junho Variação Absoluta Variação Absoluta Regiões Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira semanal (dias) 30 dias (dias) Noroeste 6,87 7,61 8,15 5,01 8,74 1,87 0,16 Norte 6,66 6,99 7,44 5,45 6,26 -0,40 -1,72 Nordeste 7,01 8,09 8,71 7,33 10,31 3,30 1,58 Médio-Norte 6,65 7,21 7,51 6,03 7,03 0,39 -0,98 Oeste 12,90 7,77 10,07 9,85 9,07 -3,84 -1,03 Centro-Sul 10,33 8,10 9,19 10,53 9,92 -0,42 0,51 Sudeste 6,73 7,40 7,88 6,90 7,74 1,02 -0,54 Fonte: Imea DIFERENÇA DOS PREÇOS À VISTA E A PRAZO DIFERENÇA DE BASE PARA PREÇOS DA ARROBA DO BOI (BOI GORDO) GORDO À VISTA ENTRE MATO GROSSO E SÃO PAULO Diferença média de 2011 Diferença média de jun/12 Regiões Média em 2011 Média jun/12 Regiões R$ % R$ % Noroeste 2,00% 2,48% Noroeste 12,42 -12,3% 9,90 -10,7% Norte 2,18% 2,38% Norte 11,70 -11,6% 9,25 -10,0% Nordeste 2,11% 2,33% Nordeste 13,54 -13,4% 10,29 -11,1% Médio-Norte 2,03% 2,49% Médio-Norte 11,51 -11,4% 9,44 -10,2% Oeste 2,10% 2,30% Oeste 11,41 -11,3% 8,94 -9,6% Centro-Sul 2,04% 2,05% Centro-Sul 10,44 -10,4% 8,21 -8,9% Sudeste 2,07% 2,18% Sudeste 11,46 -11,4% 8,67 -9,4% Fonte: Imea Fonte: Imea, Cepea O Boletim de Bovinocultura de Corte é uma publicação semanal do Imea - Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária 4 Críticas e sugestões poderão ser enviadas para o e-mail: imea-mt@imea.com.br
  • 5. BOLETIM SEMANAL 15 de junho de 2012Estatísticas – Bovinocultura Número: 207PREÇOS DOS MACHOS PARA REPOSIÇÃO (R$/cabeça) – de 11 a 15 de junho Boi Magro Nelore com 360 kg Garrote Nelore de 18 meses Bezerro Nelore de 12 meses Bezerro Nelore de 8 meses comRegião (12@) com 285 kg (9,5@) com 210 kg (7@) 165 kg (5,5@) Médio Máximo Mínimo Médio Máximo Mínimo Médio Máximo Mínimo Médio Máximo MínimoMato Grosso 1.066,19 1.200,00 920,00 848,19 1.022,00 730,00 685,43 780,00 620,00 630,00 700,00 550,00Noroeste 1.046,67 1.100,00 1.000,00 883,33 950,00 850,00 682,50 700,00 650,00 607,50 630,00 570,00Norte 1.007,78 1.150,00 900,00 821,11 950,00 730,00 655,00 700,00 620,00 604,44 650,00 580,00Nordeste 1.112,50 1.150,00 1.100,00 822,50 850,00 800,00 657,50 700,00 630,00 607,50 630,00 600,00Médio-Norte 1.025,00 1.100,00 950,00 850,00 900,00 800,00 725,00 750,00 700,00 640,00 680,00 600,00Oeste 1.060,00 1.150,00 1.000,00 868,00 900,00 800,00 720,00 750,00 680,00 672,00 700,00 650,00Centro-Sul 1.087,50 1.200,00 920,00 861,83 1.022,00 750,00 711,50 780,00 620,00 655,00 700,00 580,00Sudeste 1.102,86 1.200,00 1.000,00 847,43 932,00 800,00 685,71 720,00 650,00 631,43 650,00 600,00Fonte: ImeaPREÇOS DAS FÊMEAS PARA REPOSIÇÃO (R$/cabeça) – de 11 a 15 de junho Novilha Nelore de 18 meses Bezerra Nelore de 12 meses Bezerra Nelore de 8 meses com Vaca Nelore de 315 kg (10,5@)Região com 255 kg (8,5@) com 180 kg (6@) 150 kg (5@) Médio Máximo Mínimo Médio Máximo Mínimo Médio Máximo Mínimo Médio Máximo MínimoMato Grosso 831,43 1.000,00 700,00 607,50 750,00 500,00 467,24 600,00 400,00 416,00 500,00 350,00Noroeste 932,50 1.000,00 900,00 587,50 650,00 550,00 440,00 500,00 400,00 390,00 400,00 380,00Norte 850,00 950,00 750,00 582,22 630,00 500,00 445,00 500,00 400,00 403,33 450,00 380,00Nordeste 787,50 800,00 750,00 620,00 700,00 550,00 437,50 470,00 420,00 400,00 420,00 380,00Médio-Norte 850,00 900,00 800,00 600,00 600,00 600,00 465,00 480,00 450,00 400,00 450,00 350,00Oeste 801,00 850,00 750,00 604,00 670,00 550,00 492,00 520,00 450,00 446,00 470,00 430,00Centro-Sul 825,00 1.000,00 700,00 626,67 750,00 500,00 500,83 600,00 450,00 433,33 500,00 400,00Sudeste 805,83 900,00 760,00 625,83 700,00 520,00 459,50 487,00 440,00 408,67 420,00 400,00Fonte: ImeaPREÇOS DOS PRINCIPAIS CORTES DE CARNE BOVINA NO ATACADO (R$/kg) 2012 Variação dos preçosCorte 2011 mai12/ jun11 / 2011 / jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez jun12 jun12 2012*Traseiro com osso 7,75 8,43 7,83 7,68 7,26 6,99 6,89 -5,0% -6,9% -3,1%Dianteiro com osso 4,88 4,53 4,58 4,55 5,25 4,80 4,84 -7,8% -7,3% -2,6%Ponta de agulha 4,97 4,73 4,54 4,47 4,80 4,74 4,73 -1,6% -7,5% -6,1%Carcaça casada 6,24 6,23 6,08 5,95 6,25 5,96 5,81 -7,1% -5,4% -3,1%*acumulado até jun/12Fonte: Imea O Boletim de Bovinocultura de Corte é uma publicação semanal do Imea - Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária 5 Críticas e sugestões poderão ser enviadas para o e-mail: imea-mt@imea.com.br
  • 6. BOLETIM SEMANAL 15 de junho de 2012Estatísticas – Bovinocultura Número: 207 CUSTO DA BOVINOCULTURA DE CORTE EM MATO GROSSO POR SISTEMAS DE PRODUÇÃO NOS ÚLTIMOS 12 MESES (R$/@) Sistema Produção Itens Ciclo Completo Cria Engorda 1º trim./ 1ºtrim./ Variação 1º trim./ 1ºtrim./ Variação 1º trim./ 1ºtrim./ Variação 2011 2012 (11-12) 2011 2012 (11-12) 2011 2012 (11-12) 1. MANEJO SANITÁRIO E REPRODUTIVO 2,45 2,45 0,0% 2,69 2,56 -4,8% 1,12 1,07 -4,0% Vacinas 1,02 1,04 2,5% 1,19 1,14 -4,5% 0,46 0,43 -7,0% Controle Parasitário 1,43 1,40 -1,8% 1,50 1,42 -5,1% 0,65 0,64 -1,9% Insumos para reprodução animal 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% 2. SUPLEMENTAÇÃO 9,81 10,54 7,4% 13,87 13,86 0,0% 2,24 2,47 10,0% Suplementação mineral 9,81 10,54 7,4% 13,87 13,86 0,0% 2,24 2,47 10,0% Concentrados 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% Operações mecanizadas 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% 3. RENOVAÇÃO DE PASTAGEM 15,49 14,86 -4,1% 22,34 20,48 -8,3% 6,45 6,21 -3,8% Fertilizantes/Corretivos 1,88 2,34 25,0% 6,48 6,83 5,3% 1,69 1,91 12,8% Defensivos 1,27 1,28 1,2% 1,04 1,05 0,6% 0,34 0,29 -13,9% Plantio 9,40 8,30 -11,7% 11,10 9,10 -18,0% 3,30 2,89 -12,5% Operação mecanizada 2,95 2,93 -0,4% 3,71 3,50 -5,7% 1,12 1,12 0,0% 4. RECUPERAÇÃO DE PASTAGEM 5,71 5,66 -0,9% 5,26 4,96 -5,8% 3,13 2,88 -7,9% Fertilizantes/Corretivos 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% Defensivos 5,29 5,24 -0,9% 4,84 4,56 -5,8% 2,93 2,68 -8,4% Operação mecanizada 0,42 0,41 -1,0% 0,42 0,40 -6,1% 0,20 0,20 0,0% 5. CONTROLE DE PRAGAS 0,00 0,00 0,0% 0,03 0,03 -9,9% 0,09 0,09 -5,0% Defensivos 0,00 0,00 0,0% 0,02 0,02 -9,8% 0,07 0,06 -6,8% Operação mecanizada 0,00 0,00 0,0% 0,01 0,01 -10,1% 0,02 0,02 0,0% 6. OUTRAS OPERAÇÕES 0,07 0,07 -0,2% 0,06 0,05 -5,5% 0,02 0,02 7,9% Defensivos 0,04 0,04 0,1% 0,03 0,03 -4,8% 0,01 0,01 13,7% Operação mecanizada 0,03 0,03 -0,7% 0,02 0,02 -6,6% 0,01 0,01 0,0% 7. AQUISIÇÃO DE ANIMAIS 2,82 2,81 -0,2% 4,43 4,15 -6,4% 41,23 41,25 0,1% Compra dos animais 2,52 2,52 -0,1% 4,15 3,88 -6,4% 38,87 38,89 0,1% Comissão 0,11 0,11 -0,1% 0,17 0,16 -6,3% 1,17 1,17 0,1% Transporte 0,18 0,18 -0,9% 0,11 0,10 -7,0% 1,20 1,20 0,0% 8. MÃO DE OBRA 10,47 10,42 -0,5% 10,66 9,94 -6,8% 4,62 4,62 0,0% Manejo do gado 6,99 6,96 -0,4% 6,73 6,26 -6,9% 2,61 2,61 0,0% Outros 3,49 3,46 -0,8% 3,93 3,67 -6,6% 2,01 2,01 0,0% 9. OUTROS CUSTOS 23,21 22,93 -1,2% 17,11 15,90 -7,0% 10,65 10,49 -1,6% Assistência Técnica 0,09 0,08 -6,7% 0,18 0,17 -7,1% 0,09 0,09 -7,5% Impostos 2,49 2,35 -5,5% 2,15 2,01 -6,8% 2,53 2,38 -6,2% Seguros 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% Financiamentos 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% 0,00 0,00 0,0% Custos Administrativos 20,63 20,49 -0,7% 14,77 13,73 -7,1% 8,02 8,02 0,0% COE (1 + 2 +...+ 9) 70,02 69,72 -0,4% 76,44 71,92 -5,9% 69,55 69,09 -0,7% 10. CUSTOS FIXOS 17,88 18,33 2,5% 14,64 14,08 -3,8% 8,75 9,24 5,6% Depreciação de máq. e equipam. 2,10 2,09 -0,6% 2,24 2,10 -6,1% 0,81 0,81 0,0% Custo da terra 15,78 16,24 2,9% 12,40 11,98 -3,4% 7,94 8,43 6,2% COT (COE + 10) 87,90 88,05 0,2% 91,08 86,00 -5,6% 78,30 78,34 0,0% Fonte: Imea COE - Custo Operacional Efetivo COT - Custo Operacional Total O Boletim de Bovinocultura de Corte é uma publicação semanal do Imea - Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária 6 Críticas e sugestões poderão ser enviadas para o e-mail: imea-mt@imea.com.br
  • 7. BOLETIM SEMANAL Estatísticas – Bovinocultura 15 de junho de 2012 Número: 207PREÇOS DOS PRINCIPAIS CORTES DE CARNE BOVINA NO VAREJO (R$/kg) 2012 Variação dos preçosCorte jan/2012- fev/2012- Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. mar/2012 mar/2012PREÇO MÉDIO 13,79 13,12 13,07 -5,2% -0,4%FILÉ MIGNON 36,09 32,10 27,32 -24,3% -14,9%CONTRAFILÉ 21,65 21,56 19,45 -10,2% -9,8%PICANHA 38,32 40,97 35,06 -8,5% -14,4%ALCATRA 23,09 19,73 19,12 -17,2% -3,1%COXÃO MOLE 16,33 15,98 16,12 -1,3% 0,9%COXÃO DURO 14,21 14,40 13,95 -1,8% -3,1%PATINHO 15,61 14,79 14,56 -6,7% -1,5%ACÉM 8,56 8,73 10,69 24,9% 22,5%MÚSCULO 9,74 9,41 10,21 4,8% 8,5%COSTELA 8,93 7,69 7,35 -17,7% -4,5%FRALDINHA 18,08 16,06 15,46 -14,5% -3,8%LAGARTO 14,11 15,43 13,86 -1,8% -10,2%MAMINHA 25,89 23,07 19,46 -24,9% -15,7%Fonte: ImeaREBANHO BOVINO DE MATO GROSSO POR REGIÃO (mil cabeças) % por Evolução EvoluçãoRebanho 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 região 2004/2011(%) 2010/2011(%)Mato Grosso 26.004 26.844 26.172 25.740 26.021 27.295 28.769 29.177 100,00% 16,46% 5,40%Noroeste 3.624 3.697 3.753 3.689 3.886 4.085 4.287 4.349 14,91% 12,20% 1,42%Norte 4.150 4.932 4.808 4.708 4.939 5.255 5.607 5.653 19,37% 20,02% 1,46%Nordeste 4.587 4.709 4.875 4.872 4.812 5.152 5.475 5.598 19,19% 36,21% 0,82%Médio-Norte 719 713 751 808 819 843 902 870 2,98% 22,05% 2,26%Oeste 4.386 4.213 4.002 3.837 3.752 3.872 4.179 4.340 14,87% 20,94% -3,60%Centro-Sul 4.120 4.152 3.888 3.720 3.660 3.732 3.928 3.960 13,57% -1,05% 3,85%Sudeste 4.422 4.427 4.095 4.105 4.153 4.356 4.391 4.407 15,10% -3,89% 0,81%Fonte: Indea. Elaboração: ImeaUTILIZAÇÃO DA CAPACIDADE INDUSTRIAL INSTALADA (%) – Plantas SIF construídas em Mato Grosso Média anualRegião jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 2011 2010*Mato Grosso 36,13% 37,39% 32,31% 34,45% 37,65% 35,54% 36,59% 41,37% 40,99% 37,88% 41,73% 37,58% 37,6% 33,2%Noroeste 39,97% 58,09% 58,08% 66,49% 67,85% 71,59% 70,97% 80,11% 78,51% 73,68% 84,59% 70,04% 68,3% 39,6%Norte 33,29% 36,35% 36,39% 35,14% 36,23% 30,93% 35,23% 37,58% 34,30% 28,80% 36,95% 39,61% 35,1% 31,2%Nordeste 11,20% 11,58% 11,80% 11,19% 23,08% 25,53% 26,55% 26,75% 21,79% 19,30% 29,37% 26,32% 20,4% 17,1%Médio-Norte 63,51% 73,72% 73,10% 78,75% 74,90% 79,82% 81,65% 80,62% 88,06% 76,91% 85,98% 73,53% 77,5% 48,4%Oeste 39,80% 39,47% 35,55% 36,36% 37,45% 34,39% 41,15% 37,95% 38,80% 38,56% 39,09% 33,79% 37,7% 30,9%Centro-Sul 38,17% 37,39% 31,37% 32,72% 34,85% 33,46% 31,53% 38,69% 40,25% 37,33% 37,90% 34,58% 35,5% 36,3%Sudeste 43,31% 58,09% 36,80% 33,53% 38,21% 33,55% 31,45% 44,10% 44,84% 43,05% 43,19% 35,31% 39,4% 38,4%Fonte: Imea e Indea*Atualização de metodologia incluindo a capacidade de frigoríficos Sise O Boletim de Bovinocultura de Corte é uma publicação semanal do Imea - Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária 7 Críticas e sugestões poderão ser enviadas para o e-mail: imea-mt@imea.com.br
  • 8. BOLETIM SEMANAL Estatísticas – Bovinocultura 15 de junho de 2012 Número: 207 ABATE TOTAL MENSAL POR REGIÃO DE ORIGEM (mil cabeças) Média mensal Total Região jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 2012 2012 2011 Dif. % Mato Grosso 464,1 416,5 435,9 1.316,4 438,8 361,1 21,5% Noroeste 56,0 45,9 54,0 155,9 52,0 47,1 10,4% Norte 106,1 97,0 88,4 291,5 97,2 71,5 35,9% Nordeste 63,8 58,2 74,1 196,2 65,4 53,3 22,7% Médio-Norte 16,4 15,0 16,7 48,1 16,0 19,3 -17,0% Oeste 98,5 82,1 89,4 270,1 90,0 66,9 34,6% Centro-Sul 49,1 48,3 45,8 143,3 47,8 41,4 15,2% Sudeste 74,1 69,9 67,4 211,3 70,4 61,5 14,5% Fonte: Indea. Elaboração: Imea PERCENTUAL DE ABATE DE FÊMEAS POR REGIÃO DE ORIGEM (%) Média mensal Região jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 Total2012 2011 Dif.pp Mato Grosso 50,8% 55,6% 52,2% 52,9% 34,1% 18,8 pp Noroeste 61,6% 62,6% 57,3% 60,5% 41,6% 18,9 pp Norte 53,6% 57,2% 58,1% 56,3% 37,7% 18,6 pp Nordeste 58,2% 62,7% 53,9% 58,2% 36,9% 21,4 pp Médio-Norte 42,2% 53,3% 36,8% 44,1% 25,8% 18,2 pp Oeste 35,9% 42,9% 37,8% 38,9% 28,2% 10,7 pp Centro-Sul 56,8% 58,5% 60,3% 58,6% 35,9% 22,7 pp Sudeste 50,3% 56,4% 56,0% 54,2% 31,2% 23,1 pp Fonte: Indea. Elaboração: ImeaEXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES DE CARNE EM VOLUME (toneladas de equivalente carcaça) jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Total Média mensalRegião 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2011 Dif. %Total 12.413 11.321 15.628 39.362 13.121 16.266 -19,3%União Europeia 1.369 927 1.869 4.165 1.388 1.138 22,0%Oriente Médio 1.465 1.779 2.379 5.623 1.874 5.077 -63,1%China 1.763 1.908 1.911 5.582 1.861 1.439 29,3%Rússia 0 0 0 0 0 2.279 -100,0%Venezuela 3.138 2.335 3.634 9.107 3.036 2.986 1,7%Outros países 4.678 4.373 2.201 11.253 3.751 3.348 12,0%Fonte: Secex. Elaboração: ImeaEXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES DE CARNE EM VALOR (mil US$ FOB) jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Total Média mensalRegião 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2012 2011 Dif. %Total 47.344 44.414 64.012 155.771 51.924 65.876 -21,2%União Europeia 8.580 5.613 11.464 25.657 8.552 8.275 3,3%Oriente Médio 5.214 7.021 9.775 22.010 7.337 20.857 -64,8%China 5.968 6.499 6.616 19.084 6.361 4.841 31,4%Rússia 0 0 0 0 0 8.107 -100,0%Venezuela 11.517 9.054 13.776 34.347 11.449 11.711 -2,2%Outros países 16.065 16.227 8.606 40.898 13.633 12.084 12,8%Fonte: Secex. Elaboração: Imea O Boletim de Bovinocultura de Corte é uma publicação semanal do Imea - Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária 8 Críticas e sugestões poderão ser enviadas para o e-mail: imea-mt@imea.com.br
  • 9. BOLETIM SEMANAL 15 de junho de 2012Estatísticas – Bovinocultura Número: 207EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS POR ESTADO DE ORIGEM (toneladas de equivalente carcaça) Market Share Estado 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012* 2012* 2011 2006-2010Brasil 1.903.203 1.990.500 1.633.467 1.470.283 1.445.203 1.222.158 280.300 100,00% 100,00% 100,00% São Paulo 946.907 992.257 734.858 598.980 572.802 484.586 93.857 33,48% 39,65% 45,55% Mato Grosso 252.826 279.539 213.447 185.663 219.693 194.701 39.362 14,04% 15,93% 13,64% Goiás 277.474 301.420 204.920 198.948 176.800 149.049 42.841 15,28% 12,20% 13,73% Mato Grosso do Sul 27.114 40.132 121.634 166.494 150.608 96.141 30.852 11,01% 7,87% 5,99% Rondônia 64.722 127.824 118.864 58.510 64.354 53.733 16.824 6,00% 4,40% 5,14% Minas Gerais 112.900 115.566 85.094 98.290 90.715 69.556 15.875 5,66% 5,69% 5,95% Rio Grande do Sul 155.277 84.271 84.191 66.223 75.255 73.181 15.304 5,46% 5,99% 5,51% Outros Estados 65.983 49.492 70.459 97.175 94.976 101.211 25.385 9,06% 8,28% 4,48%*acumulado até mar/12Fonte: Secex. Elaboração: ImeaROTA DE ESCOAMENTO DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES DE CARNE IN NATURA (mil US$ FOB) Participação de cada portoPORTO DE SAÍDA 2010 2011 2012* 2010 2011 2012*Total 669.429 785.630 155.385 100,00% 100,00% 100,00%Santos (SP) 425.073 431.555 79.618 63,50% 54,93% 51,24%Paranaguá (PR) 158.556 219.924 12.507 23,69% 27,99% 8,05%Itajaí (SC) 62.437 81.312 41.599 9,33% 10,35% 26,77%Outros Portos 23.362 52.839 21.661 3,49% 6,73% 13,94%*acumulado até mar/12Fonte: Secex. Elaboração: Imea INDICADOR ATUAL ANTERIOR FOI NOTÍCIA SELIC (ao ano) 8,50% 9,00% TJLP (ao ano)  Exponop tem etapa obrigatória do Ranking Nelore MT (NeloreMT – 6,00% 6,00% 04/06/2012) IPCA 12/11 0,64% 0,21%  Varejo disputa vendas de carnes (Valor Econômico – 04/06/2012) IPCA 12 meses 5,10% 5,24%  Entidade vê estímulo à informalidade (Valor Econômico – 04/06/2012) IGP-DI 12/11 1,02% 0,56%  Nova fábrica de rações começa produzir em MT (Gazeta – 05/06/2012) IGP-DI 12 meses 3,86% 3,32%  Criação de uma agência reguladora é debatida (Folha do Estado – 06/06/2012)  Frente Parlamentar da Agropecuária discute criação de uma agência reguladora do setor de carnes (Agência do Estado – 06/06/2012) Presidente: Rui Carlos Ottoni Prado  Custo ameaça avanço da exportação brasileira de carne bovina (Valor 6,25% Superintendente: Otávio L. M. Celidonio Econômico – 06/06/2012) Elaboração: Arthur Pinheiro, 0,78% Ivam Carlos  Abertura de mercados é assunto de governo, diz Mendes Ribeiro (G1 – Garcia, Marina. 4,73% 08/06/2012) 1,09% Analistas: Carlos Ivam Garcia, Cleber Noronha, Daniel  Em Paris, presidente da CNA afirma que legislação ambiental brasileira é 0,78% Ferreira, Elisa Gomes, Felipe Argeu, Gemelli Lyra, João uma das mais rigorosas do mundo (Rural BR – 08/06/2012) Buschin, Meuryn Lima, Otávio Behling Junior, Talita Takahashi, Tiago Assis. 6,23% Estagiários: Arthur Pinheiro, Bruno Piva, 1,09% Gabriela de Oliveira, Inessa Alves, Marina. 11,67% 0,36% 11,33% 13,00% 6,25% 0,26% O Boletim de Bovinocultura de Corte é uma publicação semanal do Imea - Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária 6,08% 9 Críticas e sugestões poderão ser enviadas para o e-mail: imea-mt@imea.com.br 0,36% 11,33%

×