DRGE Dr.Falcão, 2012

1,845 views

Published on

Published in: Health & Medicine
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,845
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
41
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

DRGE Dr.Falcão, 2012

  1. 1. DOENÇA DO REFLUXOGASTRO ESOFÁGICO (D.R.G.E.) Dr. Marcelo Falcão
  2. 2. Definição† OCORRE QUANDO O REFLUXO DE CONTEÚDO GÁSTRICO PARA O ESÔFAGO CAUSA SINTOMAS E/OU COMPLICAÇÕES. Dr. Marcelo Falcão
  3. 3. Epidemiologia† Está entre as mais freqüentes doenças do trato gastro intestinal superior.† Prevalência de 04-09% ( até mais de 10% nos estados unidos).† Sem predominância de sexo ou raça. Dr. Marcelo Falcão
  4. 4. Epidemiologia† 07% da população tem pirose diariamente† 14% tem pirose 01 vez por semana† 44% tem pirose 01 vez por mês† 90% tem pirose 01 vez por ano† 50% da população tem ou vai apresentar sintomas de DRGE durante sua vida Dr. Marcelo Falcão
  5. 5. Epidemiologia† Prevalência de 02% para esofagite† 120 anos casos por 100.000 pessoas/ano† Aumento da incidência após os 50a.† Esofagite severa predomina em homens. Dr. Marcelo Falcão
  6. 6. Fisiopatologia• Mecanismos antirefluxo• Hérnia hiatal• Conteúdo e motilidade gástricos• “Clareamento”esofágico• Resistência do epitélio esofágico Dr. Marcelo Falcão
  7. 7. Quadro Clínico• Pirose• Hipersalivação• Regurgitação• Disfagia• Dor torácica• Anemia não esclarecida Dr. Marcelo Falcão
  8. 8. Quadro Clínico• “Non cardiac chest pain”(dor torácica)• Manifestações pulmonares: – Pigarro – Tosse espasmodica – Bronco pneumonia – Asma• Manifestações OTR: – Rouquidão – Lesões em cordas vocais – Laringite crônica Dr. Marcelo Falcão
  9. 9. Quadro Clínico• Exames Complementares - Endoscopia - Biópsia/citologia - Radiologia - pHmetria de 24h - Manometria - Cintilografia - Testes “provocativos” – Bernestein test Dr. Marcelo Falcão
  10. 10. EndoscopiaEsofagite GI Esofagite GII Barret -”Short” Barret Displasia no Barret Câncer
  11. 11. Phmetria Dr. Marcelo Falcão
  12. 12. Manometria Dr. Marcelo Falcão
  13. 13. SENSIBILIDADE x ESPECIFICIDADEEXAME SENS. ESPEC.E.D.A 62% 96%T.P. REFLUXO 59% 98%MANOMETRIA 84% 89%PHMETRIA 24H 96% 96% De. Meester, Tr surgery: 1987 Dr. Marcelo Falcão
  14. 14. EXAME x ÍNDICE DIAGNÓSTICO ÍNDICE DIAGNÓSTICO “ACCURACY”EDA 86%T.P. REFLUXO 81%MANOMETRIA 87%PHMETRIA 24H 96% Dr. Marcelo Falcão
  15. 15. CLASSIFICAÇÃO ENDOSCÓPICA ESOFAGITE† Classificação de Savary-Miller: ӿ Grau I: o Erosões isoladas ӿ Grau II: o Erosões confluentes ӿ Grau III: o Erosões “circuferenciais” ӿ Grau IV: o Complicações; úlcera, estenose, Barret Dr. Marcelo Falcão
  16. 16. CLASSIFICAÇÃO ENDOSCOPICA/RADIOLÓGICA DE HERNIA HIATAL† Hérnia hiatal por deslizamento ( classificação ): Pinçamento Diafragmático ӿ Grau I: o Até 04cm ӿ Grau II: TEG o 04-06cm Saco ӿ Grau III: Diafragma o >06cm. T.E.G. Dr. Marcelo Falcão
  17. 17. DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL† Dispepsia não ulcerosa ( quadro clínico; endoscopia; manometria; cintilografia)† Úlcera péptica ( endoscopia )† Alterações motoras ( manometria )† Colecistopatia ( us; cintilografia )† Coronariopatias ( E.C.G.;teste ergométrico )† Pneumopatia ( r-x de tórax; teste de função pulmonar) Dr. Marcelo Falcão
  18. 18. TRATAMENTO CLÍNICO† Alterações comportamentais† Terapia anti-secretora† Procinéticos† Terapêutica combinada† Terapêutica de manutenção “80-90% dos pacientes com DRGE respondem bem ao tratamento clínico” Dr. Marcelo Falcão
  19. 19. TRATAMENTO CLÍNICO x CIRÚRGICOӿ A cirurgia não deve ser indicada na intenção de que os pacientes não mais necessitem de medicamentos a longo prazoӿ A cirurgia não deve ser indicada na intenção de prevenir câncer Dr. Marcelo Falcão
  20. 20. TRATAMENTO CIRÚRGICO INDICAÇÕES† Intratabilidade clínica/Opção do paciente† Úlcera esofágica Intratabilidade clínica† Estenose† Sangramento† Esôfago de Barret† Manifestações pulmonares/OTR refratárias. Dr. Marcelo Falcão
  21. 21. TRATAMENTO CIRÚRGICO INDICAÇÕES† INTRATABILIDADE CLÍNICA - LITERATURA CONTROVERSA. Úlcera esofágica - AUSÊNCIA DE CICATRIZAÇÃO DA ESOFAGITE EROSIVA APÓS 2 TRATAMENTOS COM IBP + CISAPRIDA. - INCAPACIDADE DO TRATAMENTO CLÍNICO EM PROMOVER “DOWN STAGE” NO GRAU DA ESOFAGITE. - RECIDIVA DA ESOFAGITE DURANTE TERAPÊUTICA DE MANUTENÇÃO. Dr. Marcelo Falcão
  22. 22. TRATAMENTO CIRÚRGICO INDICAÇÕES† INTRATABILIDADE CLÍNICA -OPÇÃO DO PACIENTE -PACIENTE JOVEM -ÚLCERA ESOFÁGICA -ESTENOSE PASSÍVEL DE DILATAÇÃO -SANGRAMENTO -ESOFAGO DE BARRET -SINTOMAS EXTRA-DIGESTIVOS (SUPRA ESOFÁGICOS) -SINTOMAS EXTRA-DIGESTIVOS -SINTOMAS EXTRA-DIGESTIVOS (OTR) Dr. Marcelo Falcão
  23. 23. TRATAMENTO CIRÚRGICO CONTRA INDICAÇÕES† ESCLERODERMIA† ESPASMO ESOFAGEANO DIFUSO† ACALASIA† BARRET DE ALTO GRAU† NEOPLASIA Dr. Marcelo Falcão
  24. 24. TRATAMENTO CIRÚRGICO COMPLIAÇÕES ESPECÍFICAS† PERFURAÇÃO DO ESOFAGO† PERFURAÇÃO DO ESTOMAGO† PNEUMOTORAX† Complicações Gerais: ӿ Barret ӿ Estenose ӿ Úlcera esofágica ӿ Manifestações extra esofágicas persistentes ӿ Desejo do paciente ? Dr. Marcelo Falcão
  25. 25. TRATAMENTO CIRÚRGICO OBJETIVOS† Reconduzir o esôfago abdominal ao seu sítio.† Corrigir os defeitos do hiato diagragmático ӿ Hiatoplastia† Confeccionar mecanismo anti-refluxo ӿ Fundoplicatura† Restaurar a pressão do E.I.E. Dr. Marcelo Falcão
  26. 26. TRATAMENTO CIRÚRGICO OBJETIVOS CORRIGIR OS DEFEITOS DO HIATO DIAGRAGMÁTICO - HIATOPLASTIA Dr. Marcelo Falcão
  27. 27. TRATAMENTO CIRÚRGICO FUNDOPLICATURAS† 180 º / LOTART JACOB ӿ Fundoplicatura Lateral† 270 º / LIND - TOUPET ӿ Fundoplicatura postero-lateral† 360 º / NISSEN - ROSSET ӿ Fundoplicatura Total† 360 º no centro - 270 º nas extremidades / ARANHA - BRANDALISE ӿ Fundoplicatura mista Dr. Marcelo Falcão
  28. 28. TRATAMENTO CIRÚRGICO RESULTADOS† Cirurgia oferece bons resultados em 85-95% dos casos† Nissen x Lind obtém resultados superponíveis “A cirurgia laparoscópica atende aos passos técnicos da cirurgia convencional com as vantagens da via laparoscópica e com menor morbi-mortalidade (resultados de curto prazo)”. Dr. Marcelo Falcão
  29. 29. TRATAMENTO CIRÚRGICOCONVENCIONAL X LAPAROSCÓPICO• I Consenso Brasileiro da D.R.G.E., 2000 • Savassi-Rocha • Estudos randomizados e não randomizados • Melhora dos sintomas e contenção do refluxo • Resultados semelhantes (curto e médio prazos) • Mortalidade e morbidade (geral)  na convencional • Complicações específicas  na laparoscópica • Custos (geral)  na convencional • Qualidade de vida • Convencional = Laparoscópica Dr. Marcelo Falcão
  30. 30. TRATAMENTO CIRÚRGICOFUNDOPLICATURAS LAPAROSCÓPICAS † 1991 36% † 1992 71% † 1993 92% † 1994 97% Acad. Francesa de Cirurgia Dr. Marcelo Falcão

×