0

Glandulas

9,074

Published on

fala sobre os principais tipos de glandulas

2 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
9,074
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
60
Comments
2
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Glandulas"

  1. 1. Glândulas Biologia
  2. 2. Glandulas• Uma glândula é um órgão, constituído de tecido epitelial, cuja função é secretar algumas substâncias com uma função pré determinada. Esta substância pode ser secretada dentro do sistema circulatório ou fora dele. No primeiro caso a glândula tem função endócrina e no segundo função exócrina. Uma glândula pode conter os dois tipos de função ao mesmo tempo. O pâncreas, por exemplo, contém as duas funções. O pâncreas endócrino é responsável pela produção de insulina e o pâncreas exócrino é responsável pela produção de enzimas digestivas (lipase e amilase) responsáveis por ajudar na digestão das proteínas.• O tecido adiposo é a maior glândula endócrina do organismo humano, como ficou provado há pouco tempo. A liberação de diversas substâncias pelos adipócitos (células de gordura) foram reconhecidas, tomando o lugar do fígado, anteriormente detentor deste título.
  3. 3. Glândula acinotarsal• A Glândula acinotarsal (também chamada de glândula de Ciaccio, ou de Meibom, ou ainda meibomiana) se refere a cada um dos folículos sebáceos entre o tarso palpebral e a conjuntiva das celhas.
  4. 4. Glândula suprarrenal• Nos mamíferos, as glândulas suprarrenais ou glândulas adrenais são glândulas endócrinas envolvidas por uma cápsula fibrosa e situadas acima dos rins. Nos humanos, a suprarrenal direita tem formato triangular, enquanto a esquerda tem a forma de meia-lua. São principalmente responsáveis pela liberação de hormônios em resposta ao stress através da síntese e liberação de hormonas corticosteróides, como o cortisol, e de catecolaminas, como a adrenalina (ou epinefrina). Estimulam a conversão de proteínas e gorduras em glicose, ao mesmo tempo que diminuem a captação de glicose pelas células, aumentando, assim, a utilização de gorduras.• As suprarrenais afetam o funcionamento dos rins através da secreção da aldosterona, um hormônio envolvido na regulação da osmolaridade do plasma sanguíneo.
  5. 5. Glândula bulbouretralGlândula bulbouretral, também conhecida como Glândula deCowper, é umaglândula situada debaixo da próstata.Responsável pela secreção do fluido pré-ejaculatório que integraem cerca de 5% o fluido seminal (a próstata e as vesículasseminais secretam a maior parte do sêmen e apenas cerca de10% vem dos testículos, em formade espermatozóides envolvidos em líqüido viscoso). Esse fluidoviscoso facilita a relação sexual, devido ao caráter lubrificanteque apresenta.Em algumas técnicas cirúrgicas de redesignaçãosexual em transexuais MtF (de homem para mulher), essaglândula, bem como a próstata, são mantidas para possibilitarque a neovagina tenha lubrificação natural.Essa glândula também é responsável por esterelizar a uretradurante o ato sexual, para que o esperma não seja contaminado.Logo, podemos dizer que ela também é responsável por umprocesso de limpeza.
  6. 6. Glândula de Bartholin• As glândulas de Bartholin ou glândulas vestibulares maiores são glândulasalojadas na parede vaginal, duas, com função de efetuar a lubrificação do canal vaginal, preparando-o para o ato sexual. Possuem um tamanho aproximado entre 0,5 e 1,0 cm e estão localizadas profundamente na entrada da vagina (vulva).• As alterações inflamatórias secundárias à infecção local e obstrução do ducto da glândula, formando cistos, são as causas dos problemas mais comuns de queixas relacionadas a doenças destas glândulas.• Os tumores originados nessas glândulas são extremamente raros (carcinoma da glândula de Bartholin).• As obstruções não inflamatórias dos ductos geralmente são de origem traumática, secundárias a traumatismos do períneo, lacerações obstétricas (passagem da criança durante o parto) ou a episiotomia (corte cirúrgico realizado para facilitar a saída do bebê durante o parto).
  7. 7. Glândula exócrina• As glândulas exócrinas são órgãos que produzem secreções ou substâncias que elaboram para um sistema de condutos ou canais excretores que se abrem em superfície externa ou interna. As secreções não são despejadas na corrente sanguínea, mas em outros órgãos, ou para o exterior do corpo, através de canais. Além disso, glândulas exócrinas não se associam a vasos sanguíneos e apresenta ducto comunicante.
  8. 8. Glândula mamária• As glandulas mamárias são glândulas exócrinas cuja função primordial é a produção de leite para nutrir o recém- nascido. Estas estruturas são exclusivas dos mamíferos, e possuem uma estrutura de ramificação mais complexa do que a das demais glândulas dapele. Ambos os sexos as possuem, embora nos machos, seu desenvolvimento cesse antes mesmo da puberdade, de seudesevolvimento .
  9. 9. Glândula mista• A glândula mista (ou glândula anfícrina) consiste num tipo de glândula que produz secreções tanto serosas (aquosas e límpidas)como mucosas (viscosas e escorregadias). A glândula mista também chamada de glândula anfícrina, apresenta as mesmas características das glândulas endócrina e exócrina , ou seja, secreta produtos para a corrente sanguínea e para o exterior, normalmente através de um ducto secretor. São glândulas que possuem uma porção exócrina e outra endócrina. Permanece o canal para a secreção (ducto) mantendo a função exócrina, e elimina também seus produtos no sangue como função endócrina.• Exemplos:• Fígado: Lança a bile no intestino e as hormônios como IGF- 1 (um fator de regulação do crescimento) no sangue.• Pâncreas: Suco pancreático no intestino, insulina e glucagon no sangue.• Ovário: Ovócito Secundário (lançado para as trompas), estrógeno e progesterona no sangue.• Testículo: Espermatozóide nos canais seminíferos e testosterona no sangue.
  10. 10. Glândula pineal• A epífise neural, glândula pineal ou simplesmente pineal é uma pequena glândula endócrina localizada perto do centro do cérebro, entre os dois hemisférios, acima doaqueduto de Sylvius e abaixo do bordelete do corpo caloso, na parte anterior e superior dos tubérculos quadrigêmeos e na parte posterior do ventrículo médio. Está presa por diversos pedúnculos. Apesar das funções desta glândula serem muito discutidas, parece não haver dúvidas quanto ao importante papel que ela exerce na regulação dos chamados ciclos circadianos,que são os ciclos vitais (principalmente o sono) e no controle das atividades sexuais e de reprodução.
  11. 11. Hipófise• A hipófise ou glândula pituitária é uma glândula situada na sela túrcica (uma cavidade óssea localizada na base do cérebro), que se liga ao hipotálamo através dopedículo hipofisário ou infundíbulo. A hipófise é uma glândula que produz numerosos e importantes hormônios, por isso antigamente era reconhecida como glândula-mestre do sistema nervoso. Hoje sabe-se que grande parte das funções desta glândula são reguladas pelo hipotálamo.• Possui dimensões aproximadas a um grão de ervilha, pesando de 0,5 a 1 grama.• É fisiologicamente divisível em duas partes: o lobo anterior (adenoipófise) e o lobo posterior (neuroipófise). A adenoipófise possui origem de células epiteliais, enquanto neuroipófise possui origem nervosa. Entre essas duas porções existe uma zona pouco vascularizada chamada de parte intermédia, praticamente ausente em humanos, mas bem desenvolvida e funcional em animais inferiores[1].• A hipófise é responsável pela regulação da atividade de outras glândulas e de várias funções do organismo como o crescimento e secreção do leite através das mamas.
  12. 12. Glândula salivar• As glândulas salivares localizam-se no interior e também em torno da cavidade bucal tendo como objetivo principal a produção e secreção da saliva.• Além de iniciar o processo digestivo através da amilase salivar que é responsável pela digestão do amido na boca, a saliva também auxilia na higiene oral de várias formas. Nela são secretados íons tiocianato e várias enzimas proteolíticas, a mais importante destas enzimas é a lisozima que digere a parede de certas bactérias deixando-as mais vulneráveis. Estas substâncias químicas possuem uma ação bactericida. A saliva também contém anticorpos protéicos que destroem as bactérias presentes na boca inclusive as que provocam as cáries dentárias. O próprio fluxo salivar remove as bactérias e as partículas alimentares que poderiam servir de substratos para estes organismos patogênicos.
  13. 13. Glândula sebácea• As glândulas sebáceas são glândulas encontradas na pele de mamíferos.• O sebo tem ação de proteção e de tornar a pele e os pêlos à prova dágua, prevenindo-os de se tornarem secos, ou quebradiços. Ele também pode inibir o crescimento de microrganismos na pele.• Um tipo ramificado de glândula acinar, essas glândulas existem nos humanos em toda pele exceto na palma das mãos e sola dos pés.• As glândulas sebáceas podem geralmente ser encontradas em áreas cobertas por pêlos onde elas estão conectadas aos folículos pilosos para depositar sebo nos pêlos, e levá-lo até a superfície da pele através do ducto do pêlo.• Elas variam em tamanho e número segundo sua localização: no rosto e no couro cabeludo são grandes e numerosas (400- 900/cm²), no tronco são pequenas e menos abundantes, incrementando-se na parte anterior do tórax e linha média das costas.• A estrutura que consiste do pêlo, folículo piloso e glândula sebácea é conhecida como unidade pilosebácea.• As glândulas sebáceas também são encontradas em regiões sem pêlos como lábios, pálpebras, pênis, lábios menores e mamilos; onde o sebo atinge a superfície da pele através de ductos. Na borda das pálpebras, glândulas membomian são uma forma especializada de glândula sebácea que secreta o sebo nas lágrimas para prevenir que ocorra a evaporação no olho.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×