• Like

Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Uploaded on

Grandes Desafios para a Engenharia …

Grandes Desafios para a Engenharia
Realidade Mundial
Brasil dentro do Contexto Mundial
Por que Engenharia?
Engenharia no Brasil
Habilidades dos Engenheiros
Competências dos Engenheiros
Postura do Novo Engenheiro
“Engenharia: A Energia que se transforma em Trabalho” por Douglas Bressan Riffel

More in: Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,779
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
168
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Engenharia Nua e Crua g Dr.Eng. Douglas Bressan Riffel Duelo d H j D l de Hoje: Prof. Pardal vs. Coiote Epa! Epa! Pera aí! Engenheiro, claro! Eu projeto, planejo, p j p j Engendrar, Engenhar, E d E h avalio riscos e atuo! Inventar. São todos, E, acima de tudo, meu segundo nome. g não desisto nunca! Eu é que sou Engenheiro!
  • 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Coiote O Coiote: • sabe o que quer; • é paciente; p • enfrenta o seu desafio; • planeja projeta e atua! planeja, 09/10/2009 2 09:28
  • 3. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Coiote O Coiote: • não sabe pedir ajuda; q p • não trabalha em equipe; • se precipita; • não aprende nunca nunca. 3
  • 4. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Coiote NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Soluções Engenhosas ç g 4
  • 5. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Coiote Falhas de Planejamento: • um único fornecedor; • sem ajustes, realimentação, j , ç , durante a execução do plano; • gastos? de um Blog na internet: ...O coiote faz milhões de coisas "bola" truques se esforça, O coisas, bola truques, esforça etc. É um símbolo de persistência e criatividade. Mas se dá mal, talvez por usar os tais produtos(rssss)... produtos(rssss)... Na verdade, os produtos não falham, mas sim o coiote é que é muito azarado e sempre tem planos falhos. [isso] devido a um monopólio de mercado. [ou] a ACME oferece as melhores linhas de crédito. 5
  • 6. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Planilha de Gastos NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA do Coiote 6
  • 7. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Prof. Pardal O Prof. Pardal, por sua vez: • é muito engenhoso; • utiliza toda a tecnologia disponível; g p • por vezes, futurista • mantém se atualizado; mantém-se
  • 8. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Prof. Pardal • meticuloso e preciso; • bem intencionado ético; intencionado, • desenvolve soluções para aplicações específicas; • porém, trabalha sozinho: sem interação com a sociedade;
  • 9. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA A vida real Coiote Papa-Léguas
  • 10. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA A vida real • Situações inusitadas; • S l õ si Soluções inovadoras; d s; • Riscos inerentes à inovação; • Pressão das Empresas e da Sociedade
  • 11. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA 11
  • 12. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Tendência Mundial • Segundo John Naisbitt, a sociedade está Naisbitt, mudando: d d DE PARA SOCIEDADE INDUSTRIAL SOCIEDADE DE INFORMAÇÃO TECNOLOGIA IMPOSTA ALTA TECNOLOGIA ECONOMIA NACIONAL ECONOMIA MUNDIAL CENTRALIZAÇÃO DESCENTRALIZAÇÃO HIERARQUIAS NETWORKING – REDES DE TRABALHO PROBLEMAS, PROBLEMAS, OPORTUNIDADE + OBSTACULOS CHANCE 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 12
  • 13. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Engenharia: Grandes Desafios, D f , Para que? Para quem? 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 13
  • 14. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Grandes Desafios NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA p para a Engenharia g Energia e Sustentabilidade • Tornar (popular) a energia solar • Prover energia da fusão nuclear • Desenvolver métodos de seqüestro de carbono • Gerenciar o ciclo do Nitrogênio g • Prover acesso à água potável Saúde • C i remédios personalizados Criar édi li d • Melhorar o serviço de informações da Saúde Fonte: USA National Academy of Engineering Project 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 14
  • 15. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Grandes Desafios NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA p para a Engenharia g Segurança • Tornar o espaço cibernético seguro • Prevenir o Terror Nuclear • Restaurar e melhorar a infra-estruturar urbana Cognição • Aprimorar a inteligência artificial • Melhorar a realidade Virtual • Tornar o progresso do aprendizado mais personalizado • Tornar a ciência e a tecnologia mais próximas Fonte: USA National Academy of Engineering Project 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 15
  • 16. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Reflexão sobre esses NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Desafios • Alguns são imperativos para + 1,5 W/m² , / sobrevivência h b i ê i humana. CO2 • Outros nos previnem de ameaças naturais e humanas. • Mas todos pretendem p + 0,5 W/m² melhorar a qualidade de vida. CH4 + 0,15 W/m² N2O [IPCC, 2007] 16
  • 17. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Realidade Mundial Há perto de 7,2 bilhões de pessoas no mundo, onde 1.2 bilhões com falta de 2.4 bilhões com risco de malária água potável. 2.4 bilhões com falta de 3.2 bilhões são incapazes de ler saneamento básico 1.8 bilhões vivem em zonas de conflitos 1.6 bilhões não tem acesso à eletricidade 0,5 bilhões de bem alimentados vs. 1.2 bilhões com falta de 1,6 bilhões de famintos. ha tação a qua a habitação adequada Nas próximas duas décadas, quase 2 BILHÕES de pessoas adicionais irão povoar a Terra Terra. 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 17
  • 18. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Brasil dentro do NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Contexto Mundial Países com superfície Países com população > 5 milhões de km2 > 150 milhões Bangladesh Rússia Nigéria EUA Paquistão Brasil Indonésia Austrália Índia China Canadá Japão Espanha México França Países Baixos P í B i Italia Alemanha Reino Unido Países com PIB Coréia > USD 600 bilhões bilhõ Ref.: MIC (Brasil & Socios 2005)
  • 19. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Por que Engenharia? q g • "...habilitando as pessoas pobres e sem privilégios – aquelas que estão nas franjas (margens) sociais - e dando a elas um real interesse na sociedade, é a chave para construir as li t i d d h t i instituições mais fortes, desejadas para um desenvolvimento sustentável por longo período.“ (James D. Wolfensohn – Ex Pres World Bank) D • “O desenvolvimento sustentável será impossível sem a total p utilização da profissão d engenharia.” l d f de h ” (Maurice Strong – Conselheiro Senior da ONU) • "Engenheiros têm a obrigação em prover as soluções para ê ir ao encontro das necessidades básicas de todos os seres humanos para - a água, o saneamento, a alimentação, a saúde e a energia – e ao mesmo t úd i tempo proteger a cultura e t lt diversidade natural. Não é mais uma opção : é uma obrigação”. (Bernard Amadei – Engineers without borders) 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 19
  • 20. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Por que Engenharia? q g Três Fronteiras Inovação Criatividade Sinergia Valor Agregado +Velocidade + Flexibilidade + Qualidade + Produtividade Humanware Hardware Software Speedware 1945 1965 1975 1985 1995 2005 Tempo 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 20
  • 21. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Por que Engenharia? q g 40 80 30 60 20 40 10 20 0 0 1600 1700 1800 1900 2000 2100 2200 1600 1700 1800 1900 2000 2100 2200 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 21
  • 22. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Engenharia no Brasil g Análise do Sistema de Oferta: Mecânica Total • Número de Cursos:............................... 187 1963 • Número de Alunos matriculados:...... 49.574 417.448 • Número de Concluintes/ano:.............. 5.303 33.148 • E d Evasão nos dois primeiros anos:.....................................60,0% Eng. Formados/Ano E F d /A 60 0% Análise pela Demanda: China 300.000 Profissionais:...................................................................... 650 000* • Profissionais: Índia 160 000 160.000 650.000 • Engenheiros na Indústria:.............................................. 51.809** Japão 120.000 • Engenheiros Setor Serviços:......................................... 51.966** g USA 85.000 • Engenheiros na Construção Civil:.................................. 18.435** • Engenheiros no Setor Comércio:.................................. 5.517** Técnicos na Indústria (2004):...................................... 227 645** • Té i I dú i (2004) 227.645** • Relação de Técnicos/Engenheiro na Indústria:........ 4,3** • Percentual na mesma área de formação...................... 33 1%*** formação 33,1% Fonte: INEP Censo da Educação Superior 2007 *CONFEA/CREA, **RAIS-2004, ***Observatório Universitário - UCM
  • 23. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Habilidades dos NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Engenheiros g São Habilidades dos Engenheiros: • comunicação escrita e oral; i ã i l • raciocínio lógico e analítico; • visão espacial e representação gráfica do espaço; • manipulação e aplicação de conceitos e formulações p ç p ç ç matemáticas, estatísticas e/ou das ciências; • montagem e operação de ferramentas, g p ç , equipamentos e sistemas; • liderança; ç ; • disciplina, auto-aprendizado e auto-gerenciamento; 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 23
  • 24. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Competências dos NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Engenheiros g São competências dos Engenheiros: • aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais; • identificar, formular e resolver problemas; • planejar projetar, coordenar e analisar planejar, projetar sistemas, produtos e processos; • compreender e aplicar a ética e as responsabilidades profissionais; • avaliar o i li impacto no contexto s i l e ambiental; t t t social bi t l; • avaliar a viabilidade econômica; 24
  • 25. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Postura do Novo Engenheiro g • desenvolver a sua inteligência social e a sua análise crítica ( comigo x eu contigo); áli íti (eu i ti ) • aumentar a sua formação social humanística; • aumentar a sua visão mercadológica, surpreendendo, encantando e entusiasmando o p , cliente; • ampliar a visão internacional (ainda hoje mais de 60 % são monoglotas); • ter consciência da reciclagem e atualização permanente dos conhecimentos. 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 25
  • 26. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Engenharia vs. Trabalho g • “Engenharia: AEEnergia que se t i transforma f em Trabalho” Douglas Bressan Riffel 03/10/2009 I Encontro de Engenharia Mecânica UFS - Prof. Douglas Bressan Riffel 26
  • 27. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA Obrigado e NÚCLEO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1º ENCONTRO DE ENGENHARIA MECÂNICA Boa Sorte! “Fracassei em tudo que tentei na vida. Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui. Tentei salvar os índios, não consegui. Tentei fazer o Brasil B il se ddesenvolver autonomamente e f l t t fracassei. M os meus f i Mas fracassos são as ã minhas vitórias. Eu detestaria estar no lugar daqueles que me venceram.” DARCY RIBEIRO