Museus Universitários

4,036 views
3,857 views

Published on

Trabalhinho sobre museus universitários, apresentado na disciplina de Gestão Estratégica em Unidades de Informação, da prof. Marília Damiani.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
4,036
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
45
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Museus Universitários

  1. 1. Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação – Curso de Biblioteconomia CIN 5016 – Gestão Estratégica em Unidades de Informação – Marília Damiani Florianópolis, 12 de abril de 2010. Seminário Acadêmicas Daniela Capri Isadora Garrido Renata Duarte Scheila Conrado Museus Universitários
  2. 2. Isadora – O que é um museu? - Definição Origin: 1605–15; < L mūsēum place sacred to the Muses, building devoted to learning or the arts (referring esp. to the scholarly institute founded in Alexandria about 280 b.c.) < Gk Mouseîon, equiv. to Moûs(a) Muse + -eion suffix of place Dictionary.com museum 1615, &quot;the university building in Alexandria,&quot; from L. museum &quot;library, study,&quot; from Gk. mouseion &quot;place of study, library or museum,&quot; originally &quot;a seat or shrine of the Muses,&quot; from Mousa &quot;Muse.&quot; Earliest use in ref. to Eng. institutions was of libraries (e.g. the British Museum); sense of &quot;building to display objects&quot; first recorded 1683. Online Etymology Dictionary, © 2010 Douglas Harper Na mitologia grega, Museu (em grego antigo Μυσαῖος / Musaĩos) é um personagem lendário associado a Orfeu. Poeta e músico, era filho de Eumolpo e da Lua, discípulo de Orfeu, segundo algumas versões, e filho do próprio Orfeu, segundo outras. Wikipédia
  3. 3. Isadora – O que é um museu? - Definição Instituição pública dedicada a preservação e interpretação das primeiras evidências humanas tangentes e de seu ambiente . Na preservação destas evidências primárias, o museu difere notadamente da biblioteca , com a qual é geralmente comparado, uma vez que os itens do museu são geralmente únicos e constituem material cru de estudo e pesquisa . No museu o objeto, em vários casos removido do tempo, lugar e circunstância de seu contexto original, comunica-se diretamente ao visitante de modo diferente de outras mídias. Museus foram fundados por uma série de propósitos: para servir como local recreacional, escolar ou recursos educacionais; para contribuir com a qualidade de vida das áreas onde estão situados; para atrair turismo para uma região; para promover orgulho cívico ou nacionalista; ou até mesmo para transmitir conceitos ideológicos. Dadas tais variedades de propósitos, museus revelam uma diversidade significante em sua forma, conteúdo e até mesmo função. Ainda, apesar de tal diversidade, eles são unidos por um objetivo em comum: a preservação e interpretação de alguns aspectos materiais da consciência cultural de uma sociedade. Britannica.com, 2008. Encyclopedia Britannica Online.
  4. 4. <ul><li>museu s. m. </li></ul><ul><li>1. Lugar destinado ao estudo das ciências e das artes. </li></ul><ul><li>2. Lugar onde se reúnem curiosidades de qualquer espécie ou exemplares científicos, artísticos, etc. </li></ul><ul><li>3. Fig.  Coleção de coisas várias. </li></ul><ul><li>Dicionário Online Priberam </li></ul><ul><li>1. Um museu é uma instituição permanente, sem fins lucrativos, ao serviço da sociedade e do seu desenvolvimento, aberto ao público, e que adquire, conserva, estuda, comunica e expõe testemunhos materiais do homem e do seu meio ambiente , tendo em vista o estudo, a educação e a fruição.  </li></ul><ul><li>(a) A definição de museu supracitada deve ser aplicada sem quaisquer limitações resultantes da natureza da entidade responsável , do estatuto territorial, do sistema de funcionamento ou da orientação das coleções da instituição em cauda. </li></ul><ul><li>ICOM* Portugal Online </li></ul><ul><li>Definição extraída dos Estatutos do ICOM, adotados na 16ª Assembleia Geral do ICOM (Haia, Holanda, 5 de Setembro de 1989) e alterados pela 18ª Assembleia Geral do ICOM (Stavanger, Noruega, 7 de Julho de 1995) e pela 20ª Assembleia Geral do ICOM (Barcelona, Espanha, 6 de Julho de 2001) </li></ul><ul><li>* International Council of Museums </li></ul>Isadora – O que é um museu? - Definição
  5. 5. Isadora – O que é um museu? - Definição Museu de Arte Contemporânea em Niterói http://cave.cave.com.br/fio/museus/Museus.htm Thesaurus.com (em inglês) http://thesaurus.com/browse/museum Wikipedia http://pt.wikipedia.org/wiki/Museu VEJA TAMBÉM Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, Paraná
  6. 6. Scheila – Diferenças entre museu x memorial <ul><ul><li>Para o senso comum, Museu e Memorial são a mesma coisa. </li></ul></ul><ul><ul><li>Porém é incorreto afirmar que Memorial e Museu são a mesma, pois atende aos interesses específicos de divulgação, conservação e valorização de uma memória específica de uma determinada instituição. </li></ul></ul><ul><ul><li>Suas semelhanças dão-se apenas em sua forma, como aponta os Estatutos do ICOM para os museus em geral, quando diz que “assimilam-se aos museus as bibliotecas públicas e os centros de arquivos que mantém em permanência salas de exposição. </li></ul></ul><ul><ul><li>Museu da Língua Portuguesa, na Estação Luz em São Paulo </li></ul></ul>
  7. 7. Scheila – Diferenças entre museu x memorial Os memoriais tem como principal função prestar uma homenagem . Os memoriais funcionam a maneira de grandes centros culturais. Levam o nome de memorial, mas em realidade, são o cenário para as mais diferentes atividades culturais, da música as artes plásticas. Fundação Memorial da América Latina (São Paulo/SP) http://www.memorial.sp.gov.br O Memorial é um convite permanente às manifestações artísticas e científicas latino-americanas. Foi inaugurado em 18 de março de 1989 o Memorial da América Latina, com o conceito e o projeto cultural desenvolvido pelo antropólogo Darcy Ribeiro. Assim, o Memorial nasceu com a missão de estreitar as relações culturais, políticas, econômicas e sociais do Brasil com os demais países da América Latina.
  8. 8. <ul><li>Scheila – Diferenças entre museu x memorial </li></ul>Memorial de Juscelino Kubitschek http://www.memorialjk.com.br/ O Memorial JK foi inaugurado no dia 12 de setembro de 1981, para manter viva a memória de Juscelino. O projeto de Oscar Niemeyer contempla as três finalidades do Memorial JK: MAUSOLÉU para os restos mortais do Presidente Juscelino. MUSEU constituído de peças e documentos que mostram as principais passagens da vida e da obra de JK. CASA DE CULTURA, onde uma programação bem orientada pode manter acesa a chama de idealismo, a preocupação cultural e o dinamismo, que foram características marcantes da personalidade do Presidente Juscelino.
  9. 9. Scheila – Diferenças entre museu x memorial Memorial do Rio Grande do Sul http://www.memorial.rs.gov.br/ A idéia da criação de uma instituição que privilegiasse a cultura gaúcha surgiu entre 1995 e 1996. O antigo prédio dos Correios e Telégrafos foi totalmente revitalizado para abrigar a Instituição. Surgiu, dessa forma, um centro de informação e divulgação da história do estado, reunindo objetos, mapas, gravuras, fotos, livros, imagens iconográficas e depoimentos importantes sobre os principais fatos ocorridos no Rio Grande do Sul. O riquíssimo acervo está exposto através de uma concepção museográfica moderna aliada a novas tecnologias, permitindo, assim, a integração com o público e o fácil entendimento dos conteúdos.
  10. 10. Daniela – Museus Universitários   A mudança mais fundamental que afetou museus durante o século passado [...] é agora a convicção quase universal de que eles existem para servir o público. Os museus de antigamente não tinham essa obrigação. Existiam, tinham um prédio, tinham coleções e uma equipe para cuidar de tudo. Era razoavelmente financiado, e os seus visitantes, geralmente não muito numerosos, vinham para olhar, imaginar e admirar o que existia antes deles. Eles não eram em nenhum sentido parte desta empresa. A responsabilidade primordial do museus era para com suas coleções, não para com seus visitantes. (tradução livre)    “ The most fundamental change that has affected museums during the [past] half-century […] is the now almost universal conviction that they exist in order to serve the public. The old-style museum felt itself under no such obligation. It existed, it had a building, it had collections and a staff to look after them. It was reasonably adequately financed, and its visitors, usually not numerous, came to look, to wonder and to admire what was set before them. They were in no sense partners in the enterprise. The museum’s prime responsibility was to its collections, not its visitors.” (HUDSON, 1998 p. 43 apud MURPHY).   
  11. 11. Daniela – Museus Universitários   - Transformações na educação superior;   - Transformações nos processos de conhecimento e na sua contextualização social;   - Museus universitários brasileiros (parte integrante dessa mesma universidade) não sofreram as transformações necessárias nem do ponto de vista interno de gestão e infra-estrutura para o seu funcionamento nem em relação ao processo de interação com a sociedade .   &quot;O trabalho dos educadores de museus se expandiu e hoje inclui o desenvolvimento de exposições e a realização de estudos de público tanto quanto a organização e realização de sessões educativas.&quot; (HOOPER-GREENHILLl,1994 apud MARANDINO)  
  12. 12. <ul><li>&quot;O modelo atual avança para uma interação proativa e o público – além de participar criativamente porque reelabora – compartilha com os profissionais do museu a responsabilidade pela significação do patrimônio cultural musealizado.“ (CURY, 2006) </li></ul><ul><li>&quot;Um museu universitário não só pode como deve ser, sim, lugar de brincar. E mais: pode ser uma fonte difusora da concepção de interação com o patrimônio cultural da humanidade radicada na brincadeira, oferecendo, ao mesmo tempo, a dita base para a atividade criativa e o desenvolvimento do imaginário.“ (FORTUNA, 2006) </li></ul><ul><li>Museu da UFRGS </li></ul><ul><li>Projeto quem quer brincar? </li></ul>Daniela – Museus Universitários
  13. 13. <ul><ul><li>Museu de Arqueologia e Etnologia </li></ul></ul><ul><ul><li>Museu de Arte Sacra </li></ul></ul><ul><ul><li>Museu de zoologia </li></ul></ul><ul><ul><li>Museu de Arte </li></ul></ul><ul><ul><li>Museu de ciências e tecnologia </li></ul></ul><ul><ul><li>Harvard University  </li></ul></ul><ul><ul><li>Visita virtual ao Museus Nacional da Espanha </li></ul></ul><ul><ul><li>Museu virtual da Espanha </li></ul></ul>Daniela – Museus Universitários Existem museus universitários com diversas especialidades, exemplo: Museu de Arte da Filadélfia, Estados Unidos
  14. 14. Renata – Usuários, Instituições Mantenedoras, Funções e Serviços. <ul><li>Museu Britânico, Londres </li></ul><ul><li>Preservação: compreende-se a seleção e a aquisição de bens culturais </li></ul><ul><li>Investigação : compreende-se a documentação − base necessária para que a investigação aconteça </li></ul><ul><li>Comunicação: compreende-se as diversas ações que vão ser realizadas para dialogar com o público: ações educativas programadas para qualquer faixa etária, exposições, publicações, home page, programa multimídia, etc. </li></ul><ul><li>Todo e qualquer museu possui três funções básicas: </li></ul>
  15. 15. Renata – Usuários, Instituições Mantenedoras, Funções e Serviços. <ul><li>Os museus são instituições especializadas, e, por isso, necessitam de mão-de-obra qualificada, como museólogos, restauradores e outros profissionais, capazes de manter a conservação do acervo . Ele é dirigido geralmente por um curador , quem tem uma equipe de funcionários que cuidam dos objetos e arranjam sua exposição. Muitos museus associaram-se aos institutos de pesquisa, que são envolvidos freqüentemente com os estudos relacionados aos artigos do museu. Eles são geralmente abertos ao público por uma taxa. Alguns têm a entrada livre, permanentemente ou em dias especiais, por exemplo uma vez por semana ou ano. </li></ul><ul><li>Museu Britânico, Londres </li></ul>
  16. 16. Renata – Usuários, Instituições Mantenedoras, Funções e Serviços. O museu próprio ou um instituto associado podem organizar expedições para adquirir mais artigos ou documentação para o museu. Eles podem também adquirir artigos como donativos, vendas ou comércios. Por exemplo, um museu caracterizado de arte impressionista pode receber uma doação da cubista trabalho que simplesmente não pode caber nas exibições do museu, mas pode ser usado para ajudar adquirir uma pintura mais relevante. Os museus maiores tem um &quot;departamento de aquisições&quot; cuja equipe de funcionários está em tempo integral ligado neste tipo de atividade. Museu Nacional de Singapura
  17. 17. Renata – Usuários, Instituições Mantenedoras, Funções e Serviços. Os principais usuários dos museus brasileiros são os estudantes, em especial do ensino médio e superior, principalmente historiadores e pesquisadores. Em relação a entidades mantenedoras , entendemos que existem vínculos entre instituições e os museus. Como exemplo, podemos citar o museu da UFSC como sendo vinculado a Secretária de Cultura e Arte (SECARTE) da UFSC. Alguns outros museus analisados, também são vinculados ao Ministério da Cultura e Ministério da Educação, como também ao Instituto Brasileiro de Museus. Em síntese o museu é potencialmente uma instituição capaz de contribuir para uma maior compreensão entre os povos. Mas para isto precisamos levar o grande público a incluir os Museus como um elemento de valor na sua cultura. Museu do Louvre, Paris, França
  18. 18. Obrigada!

×