Extração e Personalização da Informação Usando Multi Agentes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Extração e Personalização da Informação Usando Multi Agentes

on

  • 1,635 views

Trabalho apresentado na disciplina isolada de pós graduação em CI, na UFSC.

Trabalho apresentado na disciplina isolada de pós graduação em CI, na UFSC.

Statistics

Views

Total Views
1,635
Views on SlideShare
1,622
Embed Views
13

Actions

Likes
0
Downloads
14
Comments
0

1 Embed 13

http://www.slideshare.net 13

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

CC Attribution License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Extração e Personalização da Informação Usando Multi Agentes Extração e Personalização da Informação Usando Multi Agentes Presentation Transcript

  • EXTRAÇÃO E PERSONALIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO USANDO MULTI-AGENTES  MODELAGEM DO USUÁRIO E AS TAREFAS ABORDAGENS DE MULTI-AGENTES Isadora Garrido/ Thais Garcia Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação PCI 3214 Recuperação Inteligente da Informação Prof. Dr. Angel F. G. Viera
  • Introdução
      • Explosão informacional na web + recuperação da informação = problema profissionais da informação;
      • Os metabuscadores podem auxiliar neste processo;
      • Agentes de informação oferecem um conjunto de utilidades para busca e recuperação de conteúdo na web 
      • Solução viável para os problemas de gestão.
      • Problemas teminológicos: Na Espanha o termo motor de busca possui sinônimos como: buscadores, rastreadores, webcrawlers, agentes, índices, diretórios. Além disso, há confusão entre as três tecnologias: os índices temáticos diretórios, os motores de busca e os agentes inteligentes.
    • (MARTÍNEZ USERO, 1999)
  •   (MARTÍNEZ USERO, 1999)
  • Metabuscadores
    • Explosão informacional + motor de busca = necessidade de mecanismo que faça busca nos motores de busca com a mesma query;
    • Desvantagem = tempo de resposta é maior, além de arquivos duplicados;
    • Metacrawler Search.Com
    • Web All
    • Youtorrent Metatube
    (MARTÍNEZ USERO, 1999)
  • Últimas tendências
    • Com todos os recursos de buscas existentes os resultados de busca podem ou não ser satisfatórios mediante a mesma query;
    • Pouca exaustividade na indexação dos recursos disponíveis na web e problema de escassez de controle lingüístico.
    • Incorporou-se aos motores de busca ferramentas de análise lingüística e controle terminológico de forma que seja possível uma recuperação menos ligada a recuperação de caracteres e sim aos conceitos.
    (MARTÍNEZ USERO, 1999 )
  • Mecanismo de análise e indexação de recursos
    • Os metadados no HTML pareciam ser a solução para problemas de recuperação de informação, utilizando metadados como Dublin Core, ou futuramente o DOI;
    • Atualmente se opta pelo DTD de SGML e XML que permite tratar os conceitos que representam o documento.
    (MARTÍNEZ USERO, 1999)
    • O estudo sobre agentes inteligentes iniciou-se nos anos 70, justamente com o estudo de inteligência artificial, engenharia e arquitetura de software (p.2) O impressionante incremento de informação nas redes tem levado a implementação de aplicações tecnológicas que organizem a sobrecarga de dados, e que de uma maneira autônoma comparem, filtrem ou atualizem a informação no lugar do usuário. (p. 2)
    Agentes inteligentes (RODRÍGUEZ I GAIRÍN, SOMOZA FERNÁNDEZ, 2005)
  • Agentes inteligentes
    • Programas capazes de efetuar uma tarefa ou atividade sem a manipulação direta de um usuário humano, modificando substancialmente a forma de interação homem-máquina. O usuário delega diferentes tarefas aos agentes que são capazes de atuar em seu nome.
    • Os agentes tem a característica essencial de aprender de diferentes formas:
    • Observando e imitando o comportamento do usuário;
    • Recebendo um feedback positivo ou negativo do usuário;
    • Recebendo instruções explícitas do usuário.
    (MARTÍNEZ USERO, 1999)
  • Agentes inteligentes: características
    • dinamismo: são capazes de funcionar independente de espaço e tempo;
    • adaptabilidade: os agentes aprendem e trocam sua conduta baseando em experiências prévias e conforme ambiente;
    • continuidade temporal: os agentes não devem parar ou redesenhar suas atividades para certas tarefas, funcionamento contínuo;
    • mobilidade: os agentes podem ser transportados de uma máquina a outra e em diferentes arquiteturas e plataformas;
    • autonomia: o agente pode atuar de maneira independente sem esperar a intervenção do usuário e de outros agentes;
    • capacidade de comunicação e interação: com o usuário e outros agentes;
    • consecução de metas: os agentes possuem um propósito determinado e atuam em conseqüência do que foi adquirido;.
    (MARTÍNEZ USERO, 1999; RODRÍGUEZ I GAIRÍN, SOMOZA FERNÁNDEZ, 2005)
  • Agentes inteligentes: funções
    • Entre as funções do agente inteligente destacam-se a busca e a comparação da informação - assumindo as tarefas que executaria um usuário - a formação de usuários e os sistemas de ajuda e suporte. Principais campos de aplicação:
    • Comércio eletrônico: facilita compra, compara preços e prestações (shopbots), verifica preferências do usuário sobre o mercado e personaliza serviços em função dos seus hábitos;
    • Economia: compara e compila informação relativa as cotações da bolsa;
    • Entretenimento: elabora recomendações de música/livros em função dos hábitos/preferências de outros clientes com características afins;
    • Notícias: personaliza as notícias em função de opções previamente selecionadas;
    • Correio eletrônico: aplicações para filtrar a locação de informação em contas de e-mail;
    • Agentes que simplificam a agenda do usuário;
    • Telecomunicações: gestão de roteadores e assegurando a conectividade das redes.
    (RODRÍGUEZ I GAIRÍN, SOMOZA FERNÁNDEZ, 2005)
  • Agentes inteligentes: classificação - atuação
  • Agentes inteligentes: classificação - tarefa
  • HAMDI, 2005
  • HAMDI, 2005
  • Agentes inteligentes e gestão da informação
    • Problema qualidade versus quantidade;
    • Qualidade de informação do ponto de vista subjetivo (aprendido pelo comportamento do usuário);
    • Os agentes inteligentes podem assistir o usuário na busca de informação útil e relevante, ao recuperar, analisar, manipular e integrar informações e dados de caráter heterogêneo.
  • Agentes de informação colaborativos
    • Agentes de informação adaptativos: adaptam-se as mudanças da rede, colaboram com outros agentes; utilizam métodos de aprendizagem simples (busca informação relevante a partir das necessidades/preferências do usuário) ou multi-agentes (utilizam filtro colaborativo com base em perfis semelhantes recomenda informação ao usuário).
    • Agentes de informação móveis: agentes de informação capazes de transmitir informação de um sítio ao outro, amplamente utilizado na área de telecomunicação;
    • Agentes de informação racionais: utilizado no comércio eletrônico. Alguns agentes realizam compras mediante informações pré estabelecidas pelo usuário.
  • Agentes inteligentes: serviços científico/tecnológicos
    • O enfoque do uso dos agentes e uma tentativa para solucionar o problema de RI e melhorar a gestão da informação;
    • CiteSEER é um exemplo de agente inteligente utilizado para estabelecer rede de citações em uma determinada área do conhecimento.
    • Bullseye aplicação que permite aos usuários recuperar, gerenciar e permanecer alerta sobre determinada informação na Internet. O agente utiliza uma coleção de motores de busca que recuperam os resultados relevantes do site visível e invisível (capaz de lançar consultas em bases de dados);
    • Webwatch oferta de serviços de vigilância tecnológica em um entorno cooperativo.
  • Agentes inteligentes e comércio eletrônico
    • O ingente crescimento quantitativo e qualitativo da Internet e seu sucessivo aumento de popularidade constituem as bases para o desenvolvimento do comercio eletrônico, visto que seu surgimento está relacionado as tecnologias da informação e comunicação.
    • Stand alone: sitio web independente utilizado por comerciante ( Amazon.com para livros)
    • E-mall: conjunto de catálogos de diferentes comerciantes (Internet Shopping Network);
    • Embedded: forma parte de um sitio web corporativo inicialmente utilizado para propósitos não comerciais (marketing, apoio a clientes, etc.) ( Microsoft).
    • Buscador de produto (procura com base no perfil de interesse do usuário): NetSage; Extempo Imp; Personal Logic;
    • Filtro de informação colaborativa (antecipam necessidade usuário com base em informações de usuarios similares): Firefly, Likeminds; Wise Wire;
    • Mercados baseados em agentes (reunião de provedores e usuários para negociar): Kasbah; OnSale Exchange; FairMarket.
    • Formação de grupos (alianças) (colaboração entre agentes racionais que podem negociar e formar alianças, pára melhorar desempenho individual ou coletivo): Biblioteca digital de Stanford; Universidade de Michigan. 
    Comércio eletrônico Bibliotecas virtuais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • Para Refletir .... MARTÍNEZ USERO explica que os motores de busca, metabuscadores e consequentemente os agentes inteligentes auxiliam o processo de gestão de recursos na web para o profissional da informação. Nesse contexto, para os usuários com tantas facilidades na web, o profissional da informação ”é necessário”?
  • HAMDI, M. S. Extracting and Customizing Information Using Multi-Agents. In: SCIME, Anthony (Ed.). Web mining: applications and techniques . Hershey: Idea Group Publishing, 2005. p. 228-252. MARTÍNEZ USERO, J. A. Agentes inteligentes aplicados a la gestión de información para la investigación. In: CONFERENCIA DE LA FACULTAD DE DOCUMENTACIÓN, Murcia,  1999. Anais eletrônicos ... Murcia, 1999. p. 1-24. RODRÍGUEZ GAIRÍN, J. M.; SOMOZA FERNÁNDEZ, M. Los agentes de software desde la perspectiva de la Biblioteconomía y Documentación: delegación de tareas en el préstamo interbibliotecario. In:. CONGRESO ISKO-ESPAÑA: LA DIMENSIÓN HUMANA DE LA ORGANIZACIÓN DEL CONOCIMIENTO , 7., 2005, Barcelona. Anais eletrônicos… Disponível em: <http://eprints.rclis.org/archive/00004094/>. Acesso em : 13 abr. 2010. REFERÊNCIAS