BS-CED - Trabalho de Teoria Geral da Administração
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

BS-CED - Trabalho de Teoria Geral da Administração

on

  • 4,032 views

Trabalho apresentado em 16 de junho de 2009 para a disciplina de Teoria Geral de Administração, sobre a Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Educação (BS-CED) na UFSC.

Trabalho apresentado em 16 de junho de 2009 para a disciplina de Teoria Geral de Administração, sobre a Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Educação (BS-CED) na UFSC.

Statistics

Views

Total Views
4,032
Views on SlideShare
3,972
Embed Views
60

Actions

Likes
0
Downloads
28
Comments
0

1 Embed 60

http://www.slideshare.net 60

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

CC Attribution License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

BS-CED - Trabalho de Teoria Geral da Administração Presentation Transcript

  • 1. Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação – Curso de Biblioteconomia CAD 5106 – Teoria Geral da Administração – Aniele Fischer Florianópolis, 16 de junho de 2009. As organizações e as Escolas do Pensamento Administrativo
  • 2. Algumas Definições Uma ORGANIZAÇÃO é uma combinação de esforços individuais (MAXIMIANO, 1992) que tem por finalidade realizar objetivos que seriam inatingíveis para uma pessoa. Dependemos dos registros das realizações passadas, pois eles servem de base de conhecimentos para a aquisição de mais conhecimentos e para atingirmos melhores resultados. Sem estes registros, a ciência e outros campos de conhecimento ficariam imobilizados. As organizações são essenciais por que guardam e protegem quase todos os conhecimentos importantes que nossa civilização acumulou e registrou . (STONER, 1985, p.7) A BIBLIOTECA , enquanto organização, ajuda na transformação da informação em conhecimento, proporcionando assim um elo contínuo entre as gerações passadas, presentes e futuras.
  • 3. Metodologia
    • Conciliar o conteúdo aprendido em sala de aula, na disciplina de TGA.
    • Pesquisa: estudo de caso exploratório e descritivo . (GIL, 2002)
    • Consulta ao site da organização, pesquisa bibliográfica acerca do tema “ administração na biblioteconomia ” e bibliografia recomendada pela professora de TGA.
    • Entrevista com a coordenadora da biblioteca, Maria Raquel Souza, que responde pela biblioteca.
  • 4.
    • Integrante do sistema de Bibliotecas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
    • Inaugurada oficialmente em 14 de setembro de 1989 , no piso térreo do CED.
    • Objetivo: “Atender, potencialmente, a comunidade acadêmica e de pesquisa do Centro de Ciências da Educação (CED) e a comunidade universitária em geral”
    • Missão: “Prestar serviços de informação às atividades de ensino, pesquisa, extensão e administrativa da UFSC, contribuindo com a melhoria da qualidade de vida”.
    • 1992 - a BS/CED passa a ser intitulada Biblioteca Professora Maira Terezinha Neves Freitas (SOUZA, 2002, p. 219).
    • 1993 - a biblioteca recebe o seu primeiro computador.
    • 1994 - inicia-se o processo de automatização, inventário de livros e periódicos e é disponibilizado o site online .
    • 1997 - a informatização implementada e a biblioteca começou a acessar bases de dados online .
    • [informações do livro “Biblioteca Universitária da UFSC: memória oral e documental”]
    Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Educação BS/CED - Histórico
  • 5.
    • Em 5 de maio de 2004, a biblioteca mudou de espaço físico, inaugurando suas novas instalações no prédio do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) onde permanece até hoje.
    • Horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h45.
    • A maior parte do acervo oferece aos usuários acesso à informação nas áreas de Educação, Biblioteconomia e Ciência da Informação (CI), contribuindo assim no processo de ensino, pesquisa e extensão.
    • Livros, periódicos nacionais e internacionais, folhetos, relatórios, teses, obras de referência, (dicionários, enciclopédias, catálogos, etc.), anais, fitas de vídeo, bases de dados (CD-Rom, disquete e online ).
    • A BS/CED também serve como laboratório para a formação dos alunos do curso de biblioteconomia (SOUZA, 2002), promovendo estágios e contribuindo assim no processo de ensino, pesquisa e extensão.
    Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Educação BS/CED - Histórico
  • 6.  
  • 7. Incidentes Críticos
    • Pequenos incidentes críticos acontecem todos os dias, como por exemplo, reclamações de usuários.
    • Umadificuldade encontrada para realização do trabalho bibliotecário dentro de instituição pública é a aquisição de materiais, revelando implicações diretas na infra-estrutura da biblioteca. Também existem dificuldades para conseguir bolsistas, computadores, materiais voltados para biblioteca, etc.
    • Em se tratando de um incidente crítico marcante, de acordo com Raquel, uma das maiores dificuldades que a BS/CED enfrentou foi referente à mudança de sua estrutura física, em 2004:
    • Foi contratada uma empresa terceirizada que não soube lidar com os livros com cuidado. A mudança foi exaustiva para todos os funcionários envolvidos. O período de adaptação ao novo local também foi muito desgastante, mas ocorreu naturalmente.
  • 8.  
  • 9. Divisão do Trabalho
    • Pequeno porte, 10 funcionários ao todo.
    • Autoridade e responsabilidades >> hierarquia dentro da organização.
    • É cobrado horário, assiduidade, atividades e presença, mas ao mesmo tempo, compreende-se que cada pessoa aprende de forma diferente, ao seu tempo, no seu ritmo e isso também é respeitado. A organização como um todo também se adapta quando um de seus funcionários falta por motivos de saúde.
    EQUIPE (intelectual) BOLSISTAS (técnico) Amabile Augusta Brandini Elias Esmeralda Claudomira Vieira José Teixeira Filho Joseane Chagas - (Bibliotecária) Maria Raquel Souza - (Coordenadora) Mariane Arent Michels Fabiana de Andrade (Biblioteconomia) Márcio Alano de Medeiros (Pedagogia) Maria Pilar Aponte (Biblioteconomia) Sarita Rodrigues Inácio (Pedagogia)
  • 10.  
  • 11. Subsistema Psicossocial
    • As interações entre os funcionários são feitas semanalmente com reuniões , para verificar os objetivos alcançados, solucionar problemas e encontrar soluções para o que estiver ao alcance de ser resolvido.
    • Conversando rapidamente com as estagiárias, referente à expectativas quando ao crescimento e desenvolvimento profissional, com o estágio elas aspiram colocar em prática tudo o que é aprendido em sala de aula , buscando também entender como se dá o funcionamento de uma biblioteca no seu dia a dia, não apenas referente ao processo técnico (catalogação, indexação, etc) mas também no atendimento ao usuário e suas implicações.
  • 12.  
  • 13.
    • O estilo de administração adotado pela BS/CED é burocrático , pois segue o mesmo modelo da organização à qual é subordinada (BC e UFSC). No entanto, segundo Raquel, a gestão da BS/CED é participativa.
    • De acordo com Berbe (2005), mesmo com a necessidade de um novo modelo de administração, as organizações temdificuldades para transpor os limites impostos pelo modelo burocrático tradicional.
    • O velho modelo burocrático está se tornando cada vez mais inadequado para enfrentar os desafios atuais impostos às empresas. As empresas de características mecanicistas se encontram, geralmente, em ambientes relativamente estáveis. Enquanto isso, as empresas que romperam essa estrutura rígida do modelo da administração clássica (empresas orgânicas ou pós-empreendedoras) estão, invariavelmente, em setores mais dinâmicos e intensivos do conhecimento (TERRA, 2001 apud BERBE, 2005, p. 13).
    • Apesar de bibliotecas como um todo serem organizações que, a princípio, não geram lucro, ao contrário do que se imagina, a gestão de toda a sua infra-estrutura, componentes e membros, não é uma administração auto-sustentável. Uma biblioteca é sempre subsidiada por algum responsável, uma empresa ou até mesmo pelo Estado.
    Estilo de Administração
  • 14.  
  • 15. Cultura Organizacional Ambiente - mesas e cadeiras confortáveis, estantes com livros e estantes separadas para periódicos, trabalhos de conclusão de curso, dissertações e teses. Também é possível, caso o usuário disponha de um laptop, o acesso à internet através da rede sem fio da UFSC. O balcão do atendimento é informatizado. O acervo é bom e a única reclamação mais freqüente é a falta de computadores novos, para o acesso às bases e ao próprio Pergamum. O ambiente é de estudo e silencioso, sendo usado também para estudo por estudantes do CFH. Existe uma sala de estudos à parte dentro da própria biblioteca, com mesas e cadeiras. De acordo com Raquel, independente das novas teorias de biblioteconomia e de como uma biblioteca “moderna” deve ser, o silêncio ainda faz parte da biblioteca . Outra observação é quanto ao silêncio no interior da Biblioteca. Isso é importantíssimo para quem não dispõe de ambiente próprio e/ou adequado ao estudo, com silêncio, limpeza, equipamentos, infraestrutura, enfim... Um ambiente adequado e qualificado.
  • 16.
    • Os funcionários trabalham na biblioteca, com o atendimento de usuários, cadastro de livros, etc. Os estudantes de biblioteconomia ficam na parte da tarde e os de pedagogia na parte da manhã. A hierarquia tem a sua função e devida importância no processo ensino-aprendizagem, mas não é ela que se sobressai durante as reuniões. Tudo é decidido pela equipe juntamente com os estagiários, em grupo, através de reuniões semanais. Todas as idéias são ouvidas e respeitadas de acordo com o que é colocado. Nada é imposto ou forçado e sempre são feitas discussões para que se encontre uma alternativa comum.
    • Já a função da biblioteconomia é muito semelhante a uma máxima da administração “Um lugar para cada pessoa e cada pessoa em seu lugar”. De acordo com as Leis de Ranganathan ¹ , um dos pais da biblioteconomia, esta ordem também se encontra na frase “todo leitor tem seu livro, todo livro tem seu leitor”. É interessante constatar que a cultura organizacional de uma biblioteca e a organização de bibliotecários, funcionários, estagiários e quem mais estiver envolvido confunde-se com a própria profissão de gestor da informação. Os artefatos, as tecnologias, costumes, linguagem e valores são compartilhados de forma bastante similar, por todos.
    • ¹ http://pt.wikipedia.org/wiki/Leis_de_Ranganathan
  • 17.  
  • 18. Conclusão
    • Com o estudo sobre o histórico e as referências sobre a BS-CED, foi possível perceber que teoria e prática são coisas distintas que por vezes se complementam e por vezes divergem.
    • Há uma certa dificuldade em se falar sobre o que se desconhece, então é difícil falar sobre a BS/CED com propriedade sem ter de fato vivenciado o seu desenvolvimento de perto.
    • Foi possível compreender como se dá a administração na biblioteconomia, embora pessoalmente tenha existido uma certa dificuldade em reconhecer o ‘padrão’ de cultura organizacional da organização em questão.
    • Foi possível perceber que a relação mais imprescindível e importante na organização estudada, é não apenas gostar do que se faz, mas principalmente fazer o que gosta, para fazer bem feito (idealismo).
  • 19.
    • Obrigada!
    • Isadora Garrido
    • Biblioteconomia, 3º fase