Your SlideShare is downloading. ×
Spot 2.0  - Natália Horta
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Spot 2.0 - Natália Horta

1,468
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,468
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
64
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. SPOT Natália B. Horta
  • 2. Antes de mais nada...
    • Spot: anúncio radiofônico.
    • “ A característica principal do spot é a fala de locutores e atores apoiada por trilha musical, vinhetas, efeitos sonoros e ruídos que devidamente superpostos, criam o cenário necessário para o entendimento da mensagem transmitida.”
    • Duração: 15, 30, 45 ou 60 segundos.
  • 3. Antes de mais nada...
    • O rádio não morreu.
    • 91,5 % dos domicílios brasileiros possuem rádio.
    • No Brasil existem 3.998 emissoras.
    • 82% da população ouve rádio (AM e FM).
    • (Fonte: Mídia Dados - 2009)
  • 4. Rádio, o meio.
    • Sensorialidade: o rádio forma imagens.
    • Rádio e TV têm linguagens diferentes.
    • “ [...] o privilégio da visão acabou ‘gerando um desequilíbrio tão grande entre o mundo da visão e da audição, que se torna difícil acostumar-se a considerar o mundo sonoro mais que um complemento visual” (Júlia Lúcia Albano citando Arnheim)
  • 5. Rádio, o meio.
    • Penetração: o rádio fala para milhões
    • Regionalismo
    • Intimidade: o rádio fala para cada indivíduo
    • Imediatismo e Instantaneidade: a velocidade do rádio
  • 6. Rádio, o meio.
    • Simplicidade
    • Mobilidade
    • Acessibilidade
    • Baixo custo
    • Função social: agente de informação e formação do coletivo.
  • 7. Caro, ouvinte.
    • “ Se você tem um filho de 5 anos ou menos, você já entendeu o problema chave que o redator de um spot enfrenta [...]. Ambos, pais e redator, estão falando com alguém que não está escutando” Luke Sullivan
    • Estado de ouvir e estado de escuta.
  • 8. Caro, ouvinte.
    • Características da audição de acordo com a fonoaudiologia:
    • Atenção
    • Figura/fundo
    • Discriminação
    • Memória
    • Análise
    • Seqüência
  • 9. Voz e texto
    • Rádio reelabora signos da oralidade (oralidade mediatizada)
    • Esquizofonia: voz sem corpo.
    • Plasticidade e cor no texto:
    • Performance: gestos, expressão facial,
    • modulação de voz, sibilos, gaguejos,
    • sopros, soluços, etc.
    • Rádio: sonoplastia, voz, silêncio, ruído.
  • 10. Voz e texto
    • Ritmo e sonoridade.
    • ritmo, gingado, sotaques.
    • “ A composição sonora se dá em seu
    • tempo de emissão. É por esse motivo
    • que a busca da produção artística para
    • a rádio deverá sempre levar em conta
    • as qualidades musicais dos sons
    • das línguas” (Villar)
    • Não linearidade
  • 11. Voz e texto
    • A voz também da sentido ao texto.
    • “ [...] a voz surpreende a escrita engendrando
    • e revelando outros valores que, na
    • interpretação, integram-se ao sentido
    • do texto transmitido, enriquecendo-o e
    • transformando-o, por vezes, a ponto
    • de fazê-lo significar mais do que diz”
    • “ O meio é a mensagem”
  • 12. Voz e texto
    • Tatilidade do som
    • altura, timbre, volume.
    • “ Nossa pele está longe de ser a armadura
    • que protege e isola o corpo, ao contrário,
    • somos continuamente banhados pelas
    • vibrações audíveis e inaudíveis” (Duarte)
    • -Quali-signo ( feeling ) (Peirce)
    • Voz da marca e do público-alvo
  • 13. Efeitos Sonoros, Trilhas e o Silêncio
    • Combinação de sons
    • “ palco”, imagem sonora e poder de sugestão
    • Paralelismo: os sons não podem competir .
    • Familiaridade
    • “ a palavra – assim como o ruído – só pode evocar a representação da realidade se esta for bem conhecida pelo ouvinte por tê-la visto antes.” (Kolb)
    • Silêncio: falha ou pausa.
  • 14. Efeitos Sonoros, Trilhas e o Silêncio
    • Trilha:
    • pontuação e passagem de tempo.
    • caracterização de personagens
    • ambientação
  • 15. Estrutura
    • TÉC.: BARULHO DE AGÊNCIA (pessoas conversando, barulho de computador, telefone tocando)
    • DONO DA AGÊNCIA (homem mais velho com uma voz mais grave): BOM DIA, PESSOAL! COMO VOCÊS SABEM, SEREMOS A PRIMEIRA AGÊNCIA A CONHECER A PUBLICIDADE DO FUTURO.ESTAGIÁRIO, POR FAVOR, PODE ENTRAR NA MÁQUINA DO TEMPO.
    • TÉC.: SOM DE PASSO (entrando na máquina) E PORTA FECHANDO.
    • TÉC.: SOM DE “BIP” (ligando a máquina)
    • TÉC.: BARULHO DA MÁQUINA VIAJANDO. (bips, vush e etc)
    • TÉC.: BARULHO DA PORTA DA MÁQUINA ABRINDO
    • TÉC.: BARULHO DE CIDADE MENOR
    • TEC: SOM DE NAVE VOANDO
    • CARRO DE SOM: ALÔ, ALÔ, FREGUESIA. O MAIS PURO SABOR DO MILHO TÁ SOBREVOANDO SUA CASA. OLHA A NAVE DA PAMOOOONHA.
    • LOC.: O FUTURO DA PUBLICIDADE PODE TE SURPREENDER. ALMANAQUE DE CRIAÇÃO, O MAIOR EVENTO DE PUBLICIDADE DA BRASÍLIA. DE 23 A 26 DE MARÇO. SAIBA MAIS EM ALMANAQUEDECRIAÇÃO.COM.BR . PATROCÍNIO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, APOIO AGÊNCIA CLICK E UNIP. REALIZAÇÃO 296 PUBLICIDADE.
  • 16. Criando e escrevendo...
    • Antes de ser engraçado, seja interessante.
    • Tenha idéias que possam ser resumidas
    • em poucas frases.
    • Ache o tom certo para o spot.
    • Ok, você pode ser engraçado, mas evite alguns clichês.
    • Paródias (de música, de filme, de novela), vozes exageradamente caricaturadas, spots que começam com “estou aqui em...”, falsos noticiários, mensagem de secretária eletrônica, programas que conversam com o telespectador por telefone.
  • 17.
    • Seja interessante principalmente nos primeiros 5 segundos.
    • Cronometre.
    • Se você está fazendo um diálogo,
    • faça muito bem.
    • Leia o roteiro em voz alta.
    • Evite a fórmula “ser engraçado - parte séria de venda – engraçado de novo”.
    Criando e escrevendo...
  • 18. Criando e escrevendo...
    • Faça seu spot divertido do começo ao fim.
    • Escreva tudo, depois corte os excessos.
    • Evite usar o nome de outras marcas e
    • cuidado com direitos autorais.
    • Não faça jingles.
    • Cuidado com a cacofonia.
  • 19. Quem disse tudo isso?
    • Eu e:
    • Luke Sullivan – Hey Whipple, Squeeze This.
    • André Barbosa Filho – Gêneros Radiofônicos
    • Júlia Lúcia de O. A. da Silva – Rádio: Oralidade Mediatizada. O spot e os Elementos da Linguagem Radiofônica
    • José Eugenio de Oliveira Menezes - Cultura do ouvir: vínculos sonoros na contemporaneidade
  • 20. Job em 89 megahertz e 9 décimos
    • 1) Escolha um som, barulho, ruído ou whatever e
    • liste 10 coisas que ele pode representar.
    • www.soundsnap.com
    • (exemplo spot da escola panamericana de design)
    • 2) Escolha uma imagem e crie um roteiro
    • a partir dela. O cliente é: e o
    • spot deve conter a assinatura: “não perca
    • tempo, use Swatch”.
    • [email_address]
  • 21. Fim. Obrigada. =D