Mkt ateliê - 21.05(1)

424 views
320 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
424
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mkt ateliê - 21.05(1)

  1. 1. Faculdade Estácio de SáComunicação Social – Publicidade & Propaganda Ateliê Marina Sepúlveda DIEGO QUINTÃO PÂMELA GUIMARÃES Belo Horizonte 2012
  2. 2. DIEGO QUINTÃO PÂMELA GUIMARÃESAteliê Marina Sepúlveda Trabalho apresentado à disciplina de Comunicação e Marketing do curso de Comunicação Social – Publicidade & Propaganda da Faculdade Estácio de Sá, orientado pela professora Marina Sepúlveda. Belo Horizonte 2012
  3. 3. 3 SumárioSUMÁRIO ................................................................................................................... 3INTRODUÇÃO ........................................................................................................... 51. RESUMO EXECUTIVO .......................................................................................... 51.2 Consumidor ................................................................................................................................................... 61.3 Divulgação ..................................................................................................................................................... 62. SITUAÇÃO DE MARKETING ................................................................................ 62.1 Concorrentes ................................................................................................................................................. 62.1.1 Shoppings ................................................................................................................................................... 72.1.2 Estabelecimentos diversos da Região ............................................................................................... 72.2 Resumo dos Concorrentes: ...................................................................................................................... 72.3 Mix de Marketing dos Concorrentes ....................................................................................................... 8MINAS SHOPPING .............................................................................................................................................. 8SHOPPING BOULEVARD ................................................................................................................................ 10BALAIO DE GATO ............................................................................................................................................. 12PARADA DO CARDOSO .................................................................................................................................. 12STUDIOFUTON .................................................................................................................................................. 13Lá Na Ladeira – São Paulo ............................................................................................................................. 143. ANÁLISES DA SITUAÇÃO .................................................................................. 153.1 S.W.O.T – Uma visão geral ...................................................................................................................... 153.2 Análise Ambiental ..................................................................................................................................... 163.3. O setor ......................................................................................................................................................... 173.3.1 Pesquisa I - O setor ................................................................................................................................ 174. OBJETIVOS GERAL E ESPECIFICO .................................................................. 194.1 Objetivo Geral ............................................................................................................................................. 194.2 Objetivos Específicos ............................................................................................................................... 195. ESTRATÉGIA DE MARKETING - SEGMENTAÇÃO E POSICIONAMENTO ..... 195.1 Seleção do Público - Alvo ........................................................................................................................ 195.2 Os Produtos ................................................................................................................................................. 20
  4. 4. 45.3 Abordagem de Marketing ........................................................................................................................ 215.4 Pesquisas para fundamentar a segmentação utilizada .................................................................. 225.4.1 - O Consumidor do Mercado Vintage e Retrô .................................................................................. 225.4.2 O Perfil do consumidor On line Brasileiro ....................................................................................... 236. PLANEJAMENTO DE AÇÕES ............................................................................ 276.1 A Inserção do Ateliê no espaço virtual, de forma mais comercial e abrangente. ..................... 276.1.1 LikeStore ................................................................................................................................................... 276.1.2 Perfil no microblog Twitter ................................................................................................................... 306.2 Gerenciamento da demanda do espaço físico externo sem contudo tirar o foco do Ateliê ede seus produtos. ............................................................................................................................................. 357. ORÇAMENTOS .................................................................................................... 368. PLANO DE CONTROLE ...................................................................................... 379. ANEXOS....................................................... ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO.
  5. 5. 5IntroduçãoEste diagnóstico foi realizado através de visita, onde foi possível acompanhar oatendimento aos clientes, a distribuição de mercadorias no espaço do ateliê, o tipode mercadoria comercializada e foram feitas perguntas a proprietária do Ateliê.O “Marina Sepúlveda Ateliê” é um estabelecimento de pequeno porte. Há apenasuma proprietária, a senhora Marina Sepúlveda, visando manter as característicasfundamentais do estabelecimento, prefere administrá-lo pessoalmente, como divideseu tempo com sua outra ocupação como professora, o Ateliê funciona somente aossábados. É ela também quem realiza as demais funções do local, comoatendimento, escolha das novas aquisições, restauração e recuperação das peças.1. Resumo Executivo1.1 Tempo de funcionamento e espaço físicoO espaço é uma casa, com padrões mais antigos, semelhante as demais casas dotradicional bairro de Santa Tereza, em Belo Horizonte. A casa foi alugada e passoupor reforma logo após a sua locação, porém, a proprietária fez questão de manter ascaracterísticas físicas de uma casa. Autenticando duas características principais doateliê, que são o acolhimento o qual é reforçado com oferecimento de um lancheaos visitantes, tradição mineira e a tendência vintage, presente não só napreservação do espaço físico, como também na escolha das peças a seremcomercializadas e na decoração.O ateliê possui três cômodos, mais o banheiro e duas áreas externas.Os cômodosabrigam várias “pequenas coleções temáticas” (embora a mercadoria esteja dispostaem todos os cômodos elas estão agrupadas por temas), então cada área possuipequenos grupos expostos. A cozinha, embora também possua seus grupos depeças, preserva sua função de cozinha sendo utilizada para o preparo do lancheservido aos visitantes, logo, as peças ali presentes são bem próprias ao ambienteculinário.A primeira área externa, aquela que o cliente tem contato assim que chega ao ateliê,possui um jardim muito bem preservado e algumas mesas e cadeiras, onde aproprietária conversa com seus visitantes e lhes oferece um lanche. A segunda área
  6. 6. 6é completamente coberta e fechada, abrigando peças para venda e pararestauração.1.2 ConsumidorA proprietária é moradora do Bairro Santa Tereza, mesmo local do Ateliê, portantobem conhecida na região. Seu público possui características muito peculiares, nadagenéricas, que se encaixam com os padrões dos moradores da região. O público doAteliê é predominantemente feminino. Essas pessoas possuem idade superior aos25 anos, uma vez que para apreciação e uso das peças, faz-se necessário que oindividuo tenha desenvolvido um estilo e tenha segurança quanto isso, que aspessoas com menor faixa etária, devido a instabilidade emocional, não possuem.Classe B, com alto grau de escolaridade, independência financeira e estabilidade navida profissional. Professores(as) e alunos(as) dos Cursos de Publicidade, Moda,Gastronomia, Design, Marketing e outros, por se tratar de produtos com umatendência alternativa, vintage, altamente consumidos por esse público.1.3 DivulgaçãoPara a comunicação do estabelecimento a proprietário contratou uma freelancer quepresta seus serviços desde a inauguração do Ateliê. Porém, tudo é acompanhadopela proprietária, que tem formação na área mercadológica e que, portanto, fazquestão de analisar e opinar na criação de todas as peças.Por escolha da proprietária a divulgação é feita por indicação, portanto a maioria dosclientes pertence a uma rede de amigos, ora da proprietária, ora amigos dosclientes. Para divulgação, atualmente há uma fanpage no Facebook, com mais de200 seguidores. Há um blog que embora não esteja sendo atualizado, por falta detempo, existe e está pronto para ser utilizado como ferramenta. Há envio periódicode e-mails marketing, além de peças gráficas, como: cartão de visitas, pop cards,flyer e embalagens personalizadas que trazem a identidade visual do ateliê.2. Situação de Marketing2.1 Concorrentes
  7. 7. 7O Ateliê não possui concorrentes diretos, seus concorrentes tem característicaspeculiares, que entram na lista, mais por características como horário defuncionamento e tempo que as pessoas gastam no local do que por vendas deprodutos semelhantes.2.1.1 ShoppingsA região possui fácil acesso a diversos shopping que competem com o Ateliê, porapresentarem variedades de produtos em um só espaço e porque as pessoas tem ohabito (tradição) de ir à shoppings nos finais de semana. Ele também proporciona apossibilidade de “esticar” o dia após as compras, indo a uma sessão de cinema, oudeixar os filhos nos “espaços play” (sala de jogos, recreação com instrutores, etc)enquanto fazem as compras. São concorrentes indiretos: Tem em comum com oAteliê o acesso facilitado pelo metrô.2.1.2 Estabelecimentos diversos da RegiãoEm se tratando do público que reside na região, há certa familiarização devido atradição nesse bairro e a conversa com conhecidos acompanha por um lanche, podeser facilmente encontrada em estabelecimentos da região.2.2 Resumo dos Concorrentes: Concorrentes Tipo Pontos fortes no Mix de MKTMinas Shopping Indireto Praça, Preço e PromoçãoShopping Boulervard Indireto Preço, Produto e PromoçãoBalaio de Gato Indireto PraçaParada do Cardoso Indireto Praça e ProdutoEstúdio Futon Indireto Praça e PreçoLa na Ladeira Indireto Produto e Preço
  8. 8. 82.3 Mix de Marketing dos ConcorrentesMINAS SHOPPINGA reportagem acima trata de um concurso realizado peloMinas Shopping com otema: sustentabilidade. O concurso Novos Criadores, foi realizado hotel Ouro Minase vencido pelo estilista Raphael Gonçalves, da Uni-BH.Praça: A escolha de um Hotel, que valoriza a região, próximo do Shopping.Promoção: Promove o Shopping e divulga sua preocupação com asustentabilidade.
  9. 9. 9Essa campanha publicitária do Dia dos Pais do Minas Shopping, foi veiculada naTV e em mídias impressas. O slogan “Você foi um presente surpreendente. Agorachegou sua vez de surpreender” anunciava que nas compras acima de R$ 200,00 +R$ 5,00 ganhava-se um aquecedor USB e uma Caneca.Promoção: Promove o Shopping como um todo (o conjunto das lojas) uma vez quea promoção incentivava a compra em todas as lojas.Preço: Estipulando um valor de compras, estimula-se o consumo de produtos paraque alcance o valor determinado na promoção.
  10. 10. 10A campanha do Dia das Mães do Minas Shopping une a diversão ao público, ummotivo especial que é a comemoração dessa data entre as famílias e a tecnologiado Kinect, o sensor do console Xbox, onde uma vitrine virtual é controlada pela mãodos consumidores (e não é touchsceeen) mostrando a diversidade de aparelhosdisponíveis pra presentear as mães.Produto: A tecnologia está presente em todo os novos produtos e, o celular jádeixou de ser um acessório pra se tornar item indispensável para qualquer pessoa eporque não usá-lo para presentear quem a gente mais ama?Promoção: O mote da campanha usa de uma data marcante de comemoraçãodentro das famílias, sendo um fator importante na procura e decisão de compra dosusuários.SHOPPING BOULEVARD
  11. 11. 11A concorrência se deve ao fator proximidade e perfil do público-alvo. O ShoppingBoulevard está localizado no bairro Santa Efigênia, bem próximo ao Santa Tereza(bairro do Ateliê) e seu público é B, moradores dos bairros vizinhos.“Natal de Casa Nova Boulevard Shopping”Preço: A promoção se vale do valor utilizado para compras, estimulando oconsumidor a gastar para que assim, concorra à promoção.Produto: Apesar de grande parte dos consumidores do shopping enquanto target jápossua um imóvel, a parte restante e esses mesmos anseiam por um imóvel quetem valor agregado do ambiente onde se reúnem e residem.Promoção: O período promocional utiliza de uma época de grande procura porpresentes, o Natal. Isso inclui também uma maior pretensão às compras.
  12. 12. 12BALAIO DE GATOBalaio de Gato, espaço que é venda, cantina, loja e bar, tendo no comando suasfundadoras Cibele Teixeira, Lu Alvim e Leca Alvim. Para dar vida e forma ao projeto,convidaram o artista Marcelo Xavier que criou a marca - e o arquiteto Cristiano SáMota, que comandou a reforma. No dia 9 de julho de 2005, abriram-se as portas deum espaço original e charmoso. Com um clima de casa de avó, ele é situado numcasarão da década de 20, onde abriram um ateliê de pintura de vitrais que setransformou num bar cheio de bossa. Peças de artesanato produzidas por artistaslocais, muitas delas disponíveis para venda, espalhadas por todos os cantos. Oambiente ganha nas noites de quarta-feira, a presença da dupla Chico Amaral eCelso Moreira que apresentam jazz e MPB instrumental. São servidos vários tiposde cachaças e cervejas, além de petiscos, porções e outros pratos.Praça: Moradores da região e consumidores que se identificam com os produtosoferecidos, a música, bebida, comida e produtos do ateliê.PARADA DO CARDOSOO bar e pizzaria Estação Parada do Cardoso é um dos pontos mais tradicionais dobairro Santa Tereza. O bar atrai seus muitos clientes pelos suas pizzas que temmassa crocante e sabores diversos desenvolvidos pela própria família proprietária.Com mesas na calçada e um segundo andar, a Parada do Cardoso tem um espaçoconfortável, clima agradável e um atendimento de primeira para encontros comamigos ou com a família. Para que ninguém beba e saia dirigindo por aí, a Paradado Cardoso tem uma promoção para incentivar seus clientes a se adequar à LeiSeca, o Motorista da Rodada: Quem pedir uma cerveja sem álcool Liber ganhaoutra. Assim, todo mundo fica no clima da turma e volta tranquilo pra casa.Praça: O estabelecimento também se vale do público do Balaio de Gato, sendomais voltado para as bebidas e comidas oferecidas.Produto: Não oferece produto similar ao Ateliê, porém abrange frequentadores quese reunem pra conversar e se diverter.
  13. 13. 13A classe econômica dos moradores desse bairro possibilita a existência de outrosestabelecimentos que vendam produtos exclusivos ou personalizados, que podematrair a atenção de clientes que estão se dirigindo para Ateliê, ou que morem naregião.STUDIOFUTONSituado no tradicional e cool bairro de Santa Tereza, em Belo Horizonte, oStudioFuton é um espaço multiuso que absorve as atividades de três projetos, o“Estúdio Fotográfico Rodrigo Câmara“, o “Quintas da Boa Mesa” e o “ProjetoVitrine”. O primeiro destes nasceu há dois anos, a partir de uma ideia do atualproprietário Rodrigo Câmara, que com seu sendo estético e gosto apuradíssimopassou a recolher objetos únicos e disponibilizá-los neste local, montando tambémum estúdio fotográfico decorado com um mobiliário repleto de antiguidades Oestúdio destina-se a produções fotográficas de moda e publicidade que fogem doestilo convencional. Conta com um espaço agradável e devidamente equipado quegarante a qualidade dos trabalhos, que já renderam até publicações internacionais,como a Vogue Italiana. Uma vez por mês, sempre em uma quinta-feira, um seletogrupo de convidados se reúne para saborear um delicioso jantar oferecido peloRodrigo e o chefe Fúlvio Motta. A noite recebeu o nome de “Quintas da boa mesa”, eos convidados são recebidos com um set produzido por Rodrigo Câmara e levampara casa um cd exclusivo com as melhores músicas tocadas na noite. A decoraçãodo espaço é um dos pontos mais envolventes. Móveis centenários, fofurinhasdecorativas e relíquias fantásticas, como uma colorida Jukebox de 1976, sendo quegrande parte dos itens estão à venda, enquanto outros são alvos de olhares eofertas. Tudo teve início com as famosas almofadas e futons, todas com mote naexclusividade e beleza – os tecidos são garimpados e transformados em peçasúnicas. Logo, elegantes lojas de Belo Horizonte, como a Hogar, e de São Paulo,L’oeil, além do Rio de Janeiro, as possuem em sua relação de produtos. Partindodaí, surgiu a ideia do “Projeto Vitrine”, tratando-se de uma verdadeira vitrine ondesão expostos alguns dos objetos (os mais interessantes e legais de dentro da loja)sempre dispostos de acordo com um tema. O espaço funciona de segunda a sexta-feira das 9h às 13h / 14h às 18h e aos sábados das 9h às 14h, também comatendimentos agendados.Praça: Utiliza dos moradores da região e seu círculo social de grande bom gosto epoder aquisitivo para com os produtos ofertados.
  14. 14. 14Preço: Elevado devido o investimento e o nível de sofisticação, atraindoconsumidores requintados e dispostos a pagar por tais.Lá Na Ladeira – São PauloFormado por duas amigas e localizado no bairro Humaitá no Rio de Janeiro, o ateliêsurgiu com o garimpo de peças e reforma de móveis, sendo hoje um grandenegócio. As meninas usam de variadas cores, ousam na criação e reforma, semdescaracterizar o produto. Oferecem o serviço de reforma e modernização demóveis antigos em meio a um ambiente original, divertido e colorido formado pelasestampas das almofadas e de todos os produtos oferecidos, em formato de casa emais lúdico, possui diversos ambientes.Produto: Oferece a diversa gama de produtos também identificados no AteliêMarina Sepúlveda, porém disponibiliza também o serviço de reforma emodernização de móveis antigos.Preço: Preço acessível aos diversos consumidores do setor vintage, desde os maisesporádicos que se identificam com as peças quanto aos que fazem grandesinvestimentos.
  15. 15. 153. Análises da Situação3.1 S.W.O.T – Uma visão geralForças Oportunidades - Rede de contatos que, como professora, a-Localização favorável, em relação a seu proprietária desenvolveu com alunos de diversaspúblico-alvo, que dada situação sócio- áreas, podendo desenvolver parcerias.econômica reside nesse bairro ou em bairrospróximos. Alem de ser um bairro tradicional e - Ambiente físico externo amplo, possibilitandode fácil acesso. o desenvolvimento de eventos que tenha haver com identidade do Ateliê.-Profissão e área de atuação daproprietária, que possibilita um amplo número - Há uma grande possibilidade de vendas porde relacionamentos junto a pessoas com o impulso. Uma vez que a maioria das decisões deperfil do público alvo. compras são tomadas no estabelecimento comercial e os clientes do Ateliê permanecem um-Produtos únicos e de qualidade. tempo bem maior que em lojas convencionais.Peças produzidas ou restauradas pelaproprietária, fazendo com que o valor seja - Número alto de ofertas de parcerias, que se formenor e em alguns casos nada influenciado bem administrado pode gerar lucro sempor taxas como impostos de importação, muito descaracterizar o ambiente.frequentes à produtos dessa categoria.-Os clientes sempre passam um tempomaior, do que em uma loja convencional, ondenão se conhece ninguém, para comer algo econversar com a proprietária.Fraquezas Ameaças -Horário de funcionamento, somente aos -Número alto de ofertas de parcerias, com altasábados na parte da tarde. probabilidade de descaracterização do Ateliê e desvio do foco em vendas.-O horário de inicio do funcionamentoirregular. -Número significativo de clientes que vão ao local e o encontram fechado.-Baixo retorno financeiro, atualmente.-Dificuldade para atrair o público no dia ehora que o Ateliê esta aberto, pois se tratade um horário onde as pessoas têm o habitode visitar amigos, ir a salão ou mesmo estarcom os filhos.
  16. 16. 163.2 Análise AmbientalAnálise Força Oportunidade Fraqueza AmeaçaAmbientesDemográfico Localização Os moradores da Localização do Moradores dessa privilegiada região possuem o estabelecimento região tem hábito perfil do público do favorece a de frequentar os estabelecimento. dispersão de comércios possíveis “culturais” da região consumidores nos finais de devido ao grande semana. número de estabelecimentos para entretenimento e concorrentes indiretos.Econômico O Público-Alvo O Público-Alvo Momentaneamente O número de realiza compras de possui capacidade o retorno financeiro clientes é pequeno, artigos pessoais e disponibilidade é baixo, devido ao se houver periodicamente, para compras. funcionamento desinteresse de independente do reduzido. público, o retorno preço. financeiro pode ser atingido de forma brutal.Natural O público-alvo O público-alvo Peças são frágeis Não são produtos possui hábito de possui (devido a natureza, de uso compra de artigos disponibilidade ex.: correntes, fundamental, dessa da mesma linha dos financeira e estrass ..etc) e essa forma é um artigos do Ateliê. interessa em artigos fragilidade é consumo que pode Não possui desse setor. tradicionalmente ser suspenso em sazonalidade. vista como falta de caso de qualidade. necessidade.Tecnológico A página do Ateliê O acesso das Há pouca utilização O foco pode passar no FB, tem vários pessoas a de algumas a ser a venda on- acessos e as tecnologia tem ferramentas como o line, mudando a visibilidade das crescido e cada vez blog. tradição do peças é alta. mais as pessoas se Não possuir a estabelecimento, da Máquinas de utilizam das redes venda on-line, setor presença( c/lanche, cartões de crédito: para fazer compras. que vem crescendo conversa) além de uteis e é a forma de amplamente. perder compras por pagamento impulso, que são preferencial do feitas de ultima hora público-alvo. e decididas no PDV.Político/legal O governo facilita a O Brasil possui uma Só há ameaças questão de alta taxação de nesse aspecto se regularização dos impostos, mas não for mantida os estabelecimentos como a produção papéis de de pequeno porte. (ou restauração) é funcionamento. artesanal, não há incidência, de forma agressiva, de impostos.Cultural As mulheres Tradicionalidade O horário de brasileiras tem o quanto à aparência funcionamento é hábito de preservar e decoração, normalmente a boa aparência e ajudam na utilizado para idas a valorizam o uso de assimilação com salão de beleza ou acessórios. produtos vintage. a Shoppings, pelo Público- Alvo.
  17. 17. 173.3. O setorA palavra Vintage, no século XVIII, passou a significar “ano em que foi feito umvinho”. Entretanto, ao longo dos anos, a palavra se incorporou ao vocabulário damoda para melhor definir uma peça de roupa ou acessório de um estilo pertencentea uma outra época. Os requisitos para ser “Vintage” são: pelo menos 20 anos deantiguidade, ser testemunha de um estilo próprio ou de um estilista, não haversofrido nenhuma transformação (releitura), e ainda representar um instante da modae estar em perfeito estado. No oposto, Coleções que revisitaram certas décadasbuscaram inspiração em algumas peças e que estejam sendo produzidas paraconsumo, portanto são releituras, e podem ser classificadas como Retro.O termo Retro ou Retrô, significa para trás e confunde-se com o Vintage, afinal tudotem a ver com o passado. Ainda como exemplo, o Vintage é aquele produto originalencontrado em um Brechó, Loja, Bazar ou Antiquário, seja ele uma roupa, acessórioou objeto de decoração, antiga, mas emblemática e em bom estado. Ao contrário noquesito tempo, Retro é o lançamento atual de algum produto ou peça, com ainspiração Vintage e completamente repaginado. Ou seja, o Retro é algoincrivelmente novo com a aparência muito antiga e que faz sucesso pela releituraperfeita de uma época, ou de um estilo marcante. O setor possui amantes desse tipode objeto, desde grandes consumidores com alto poder aquisitivo como pessoas debom gosto e requinte que, porém, não possuem grandes valores para investir e porisso adquirem produtos avulsos.3.3.1 Pesquisa I - O setor(Grifos nossos)Muitos consumidores passaram a aderir à moda vintage para estabelecer seupróprio estilo e criar um diferencial. Este é um novo consumidor, que pesquisa,reconhece o valor do produto que busca, exige qualidade e durabilidade (geralmenteencontradas em produtos mais antigos), e é consciente de que adquirindo umproduto usado, estará contribuindo com a preservação da natureza e do ambienteem que vive, pois estará reduzindo o descarte e o acúmulo de lixo.O novo conceito que se tem visto nos brechós atualmente é de um local em que háa preocupação com o layout da loja, limpeza e organização das peças a seremvendidas é sempre uma surpresa agradável para o cliente que vai em busca dealgum produto; diferente do conceito que se tinha antes de um lugar sujo,
  18. 18. 18bagunçado e muitas vezes com cheiro de mofo. O mercado de artigos usados erapreconceituosamente tido como coisa de velho, de morto ou de pobre.É um cliente que gosta de produtos diferenciados, qualidade, durabilidade, marcasconhecidas e com preços atrativos. Costuma pagar suas compras na maioria dasvezes em dinheiro e utiliza muito o cartão de crédito, gostaria de comprar com maisfrequência os produtos, mas tem dificuldade no acesso a eles devido à localizaçãodas lojas.Há também uma pequena, mas crescente, participação de consumidores do sexomasculino que compram em brechós. E dentre aqueles que nunca compraram embrechós existe uma grande chance de virem a ser clientes, pois vêem com simpatiaeste tipo de aquisição. Mas há muito que se fazer em relação ao uso do marketingneste tipo de negócio, desde a elaboração de um layout adequado do ambientefísico até o pós-venda que geralmente não é realizado. Falta aos donos de brechósorientação no sentido de trabalhar duma maneira mais profissional para que consigaatrair mais clientes para suas lojas, tornando sua ida uma experiência cheia desensações agradáveis, pois o ambiente em si já os remete certamente a temposvividos que marcaram suas vidas, portanto isto deve ser aproveitado, usando osrecursos adequados para provocar estes sentimentos. Num brechó não se vendeapenas produtos, mas emoções. Outro ponto que pode ser trabalhado é o diferencialdo brechó, seja com um mix variado de produtos, ou mesmo com de produtos maisespecíficos como é o caso dos vintage.Confirma-se a busca por produtos diferenciados, de melhor qualidade edurabilidade. As pessoas querem encontrar produtos exclusivos ou pelo menosaquele que não se vê produzido em grande escala. É confirmada também a procurapor roupas de griffe, contanto que tenha um preço baixo, nesta hora não importa seé um produto de outra estação ou de coleções passadas, o que importa é trazersatisfação para quem está usando. O brechó torna-se uma ótima opção realmentepara quem quer economizar levando para casa um produto de excelente qualidadepor um preço considerado justo.http://www.administradores.com.br/informe-se/producao-academica/tracando-o-perfil-do-consumidor-que-busca-artigos-usados-e-ou-antigos-nos-brechos-de-belo-horizonte/1913/
  19. 19. 194. Objetivos4.1 Objetivo GeralMaximizar as vendas e explorar de formas diversas e rentáveis o espaço do Ateliê,gerando um faturamento crescente, sem alterar o horário de funcionamento.4.2 Objetivos Específicos  Aumentar o faturamento.  Aumentar o número de vendas, sem alterar o horário de funcionamento.  Maximizar o uso de ferramentas virtuais gratuitas como meio de divulgação.  Implantar loja virtual através do facebook.  Formalizar a abertura do espaço do Ateliê para “eventos esporádicos” que tenham o mesmo conceito do ateliê e que não o descaracterize.5. Estratégia de Marketing - Segmentação e Posicionamento5.1 Seleção do Público - AlvoToda marca deve ter um posicionamento claro que identifique seu público-alvominuciosamente, seu diferencial detalhado ao extremo e o mínimo benefícioproporcionado ao usuário final claramente definido. Conhecer bem o público e oproduto ajuda a identificar estratégias de comunicação que vendam mais. Comodescrito anteriormente, o público do Ateliê, consiste em:  Homens e Mulheres  Classe B  Acima dos 25 anos  Estáveis financeiramente  Alto nível de escolaridade  Envolvidos em áreas que lhes permite vestir-se e portar-se de forma mais descontraída, pouco tradicional.  Moradores de bairros Classe MédiaPortanto visando um posicionamento eficaz e eficiente, que gere resultados positivosselecionamos o público do Ateliê a ser trabalhado:Mulheres, pertencentes à Classe B, aproximadamente 28 anos, envolvidas emum mercado, pouco tradicional e bem flexível, como cursos de Publicidade,
  20. 20. 20Moda, Gastronomia, Design, Marketing e outros (profissionais, professoras,alunas ou admiradoras).Cada item se justifica no perfil do Ateliê e visa uma maximização das vendas.Sendo assim, embora o estabelecimento possua homens como clientes, o públicoverdadeiramente representativo é composto por mulheres. Os produtos sãodiversos, mas se dividem em acessórios (semi-jóias, bijuterias), artigos para casa(sempre na linha vintage) e artigos de colecionador esses produtos, são maisatrativos para o público feminino. Outra característica fundamental é que o espaçofoi pensado para que o cliente passe um tempo maior, conversando e vendo asnovidades, estratégia que atrai muito mais ao público feminino. Sendo um que essaliberdade para permanecer no estabelecimento não dever ser ignorada, poisconsiste em uma importante ferramenta, uma vez que a maioria das decisões decompra é tomada no PDV. A idade escolhida tem como base a estabilidadeemocional e o aparecimento natural de um estilo próprio, muitas vezes poucotradicional, mas que sofre pouca influência em relação a criticas. Mulheres nessafaixa etária também começam a se enquadrar nas demais características do públicoescolhido, alto nível de escolaridade, estabilidade financeira e independência.5.2 Os ProdutosOs dois carros-chefes do Ateliê são: Bijuterias e Artigos Vintage para casa.As Bijuterias, no entanto, são os produtos de maior força. É o tipo de produto, quepossui características fundamentais, que geram um alto nível de vendas. São elas:  Atemporal  Tradicional  Fácil aquisição  Alta aceitabilidade - Objeto de desejo da maioria das mulheres (público-alvo).  Retorno financeiro - matéria prima versus produto finalAs bijuterias são artigos amplamente desejados e consumidos pelo público feminino.Público esse, escolhido como foco das ações. As ações, portanto visarão o aumentoda exposição (em diversas formas) das bijuterias, como atrativo (“isca”) para opúblico-alvo.
  21. 21. 21A proprietária manifestou o desejo de que seu Ateliê também ocupasse um espaçovirtual, pesquisas indicam o aumento do consumo pela internet e do consumo deprodutos de beleza e artigos pessoais, representando portanto uma ação compossíveis resultados positivos para o Ateliê, a criação de um catalogo virtual, com aexposição de seus produtos.Faz-se necessário aqui uma observação, o espaço físico do Ateliê tem despertadouma demanda significativa. São pessoas interessadas em utilizar o ambienteexterno para os mais diversos fins, sem, contudo fechar o ateliê. Seria uma espéciede conjugação do ambiente, Ateliê/Bistrô, Ateliê/Café, Ateliê/Espaço de festas, etc.Constatado que o Espaço Ateliê representa um “produto” com demanda crescente,ou seja, uma oportunidade, optamos por gerenciar e trabalhar essa demanda.Com base no que foi acima descrito, propomos inicialmente duas ações, que serãodetalhadas posteriormente:  A Inserção do Ateliê no espaço virtual, de forma mais comercial e abrangente.  Gerenciamento da demanda do espaço físico externo sem contudo tirar o foco do Ateliê e de seus produtos.5.3 Abordagem de MarketingUtilizaremos nesse projeto o marketing de nicho que é o processo de direcionar-separa um segmento de mercado relativamente pequeno com um composto demarketing especializado (PENNY M. SIMPSOM, 2001). Nicho é um grupo maisrestrito de compradores. As empresas identificam nichos dividindo um segmento emvários subsegmentos. Os nichos de mercado são bem menores. As empresas denichos conhecem bem melhor as necessidades de seus consumidores. O segmentode mercado atrai vários concorrentes, já o nicho atrai um ou alguns concorrentes.Logo, muitos consumidores passaram a aderir à moda vintage para estabelecer seupróprio estilo e criar um diferencial. Este é um novo consumidor, que pesquisa,reconhece o valor do produto que busca, exige qualidade e durabilidade (geralmenteencontradas em produtos mais antigos), e é consciente de que adquirindo umproduto usado, estará contribuindo com a preservação da natureza e do ambienteem que vive, pois estará reduzindo o descarte e o acúmulo de lixo.
  22. 22. 22Atualmente as mulheres representam uma parcela significativa no mercado detrabalho e também contribuindo no orçamento familiar, percebe-se que mulherestornaram-se independentes no aspecto financeiro. Sobre essa mudança, em relaçãoà contribuição no orçamento familiar. A partir deste novo cenário social e econômicoé que está surgindo novos comportamentos. Os novos papéis causaram interessedas organizações em focar ações estratégias voltadas ao consumo feminino. ParaJohnson e Learned (2005) concentrar-se nas preferências femininas é um grandenegócio, podendo afetar de modo drástico as vendas de uma empresa, assim comoa sua participação de mercado e os seus lucros, provocando uma grande mudançamercadológica. É sabido que as mulheres já dominam grande parte do potencial deconsumo no Brasil, com 66% deste mercado, segundo o instituto de pesquisaSophia Mind – empresa do grupo Bolsa de Mulher, voltada para a inteligência demarketing. Atualmente, as classes A e B são responsáveis por um consumo anualequivalente a 930 milhões de reais em produtos e serviços, 40% do total projetadode 2.5 trilhões de reais para o país como um todo pela IOC Editora. 80% a 90% dasmulheres lideram nas decisões de compra, nas áreas de beleza, alimentação,orçamento doméstico e criação dos filhos. Para os consumidores mineiros, aqualidade dos produtos e/ou serviços é um fator determinante na hora das comprase, por isso, atingiu 70% da preferência. Logo em seguida destacam-se atendimento(67%) e o preço competitivo (57%). O quarto item mais citado foi responsabilidadesocial que registrou 46%. Já o quesito propaganda atingiu 41% e, por último, com37%, está a monitoria da satisfação dos consumidores por meio de pesquisas.Quando falamos em atendimento, a capital mineira aparece com 67% nesse quesito.5.4 Pesquisas para fundamentar a segmentação utilizada5.4.1 - O Consumidor do Mercado Vintage e RetrôO mercado consumidor é formado por diversos segmentos sociais. Desde pessoasde baixa renda que buscam preços baixos, até pessoas com melhor poder aquisitivoque procuram artigos de moda, peças originais, roupas para festas à fantasia, bailesbregas e temáticos. Para o primeiro público, o apelo ainda é o baixo preço. Estaspessoas vão ao brechó porque não possuem condições de adquirir roupas novas emlojas de shopping centers.A necessidade de economia impulsiona a compra de artigos usados. Porém, estesclientes exigem qualidade e garantia nos produtos oferecidos. Promoções e prazos
  23. 23. 23de pagamento são muito bem-vindos. Recentemente, surgiu um novo público aosbrechós. São jovens e nostálgicos de plantão que embarcaram na onda “retrô” eresgatam roupas e acessórios pessoais de décadas passadas, revirando o baú embusca de peças originais dos anos 60, 70 e 80. Esta rotina virou mania até para osadolescentes. Não se trata de colecionar antiguidades, mas sim de combinar opassado com o presente, por meio da mistura de peças antigas com outras atuais.Trata-se de um movimento ainda elitizado, restrito às capitais e conduzido porpessoas com mais informação de moda que buscam fugir do lugar comum. Aexplosão de festas dos anos 60, 70 e 80, juntamente com o lançamento dealmanaques temáticos, contribuiu para o surgimento deste movimento. Porém, paraa grande maioria da população, ainda é preferível exibir um tênis brilhando de novodo que uma “conga” rodada. A fugacidade da moda também proporcionou umacorrida aos brechós. A saia que foi maciçamente utilizada na estação passada,divulgada provavelmente por uma personagem da novela das oito, seis mesesdepois já pode ser considerada fora de moda e é descartada do guarda-roupa dasconsumidoras. No próximo ano, esta mesma saia pode cair novamente nas graçasdo público devido a um fato ou foto qualquer. Esta demanda específica seráatendida pelos brechós. Vale lembrar que grandes centros comerciais como Rio deJaneiro e São Paulo são fontes emissoras de moda. Em pequenas e mediascidades, além de capitais mais afastadas, as últimas coleções chegam depois decerto tempo. Os brechós destas cidades podem se beneficiar deste atraso,adquirindo peças usadas no eixo Rio - São Paulo e vendendo suas aquisiçõessimultaneamente às lojas de marca em suas cidades. O mercado ainda é composto,basicamente, por mulheres, de várias faixas etárias. Aos poucos, os homens estãoparticipando do mercado, porém, num processo lento e cauteloso.Disponível em:http://www.passoponto.com.br/ultimas/brecho-ideias-de-negocios.html5.4.2 O Perfil do consumidor On line Brasileiro(Grifos nossos)O uso de redes sociais não determina, por si, tendência maior ou menor ao consumoonline, mas quem já teve problemas com vírus e malware tem, sim, maiorprobabilidade de comprar via web. Essas são algumas das revelações do estudo"Vendas on-line no Brasil: Uma análise do perfil dos usuários e da oferta pelo setorde comércio", realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).No estudo, o Ipea procurou descrever um perfil do brasileiro que consome online –
  24. 24. 24grupo que, segundo os dados apresentados, representa 19% do total de internautasdo país - e, também, fornecer mais detalhes sobre um setor que, entre 2003 e 2008,viu seu faturamento crescer 145%.É importante ressaltar que, na produção do relatório, o Ipea baseou-se, entre outrasinformações, em dados da pesquisa TIC Domicílios 2009, realizada pelo ComitêGestor da Internet no Brasil (CGI.br). De lá para cá, ocorreram a febre das comprascoletivas (em 2010) e a explosão no uso de redes sociais, como oTwitter eo Facebook.“A evolução das tecnologias de informação e comunicação (TIC), associadas àemergência de novas técnicas de logística e gerência da cadeia de suprimentos,levou a uma revolução do processo de compra e venda do setor varejista”, constatao Ipea, no relatório.O estudo ressalta, contudo, que essa evolução se faz mais presente nas grandescidades que nas cidades menores. “Nestes locais, a situação do comércio ébasicamente a mesma dos anos 1950”, sustenta. O instituto também relaciona asmudanças no comércio à ampliação do acesso à Internet.O Ipea avaliou o comércio eletrônico a partir de dois pontos de vista: dos usuários edas empresas. O estudo identificou tanto o perfil dos usuários de e-commerce – combase nos dados da pesquisa TIC Domicílios 2009 - como os principais aspectos daevolução do setor no Brasil (com base em dados históricos do IBGE e do BancoCentral).Em relação ao perfil dos usuários, a pesquisa apurou que, dos 63 milhões deinternautas que o país tinha em 2009, cerca de 19%, ou 11,97 milhões, sãocompradores pela Internet. O Sudeste é a região que tem a maior fatia deinternautas que consomem online: 23%. Em seguida vêm as regiões Sul (20%),Norte e Centro-Oeste (com 19% cada) e Nordeste (12%).Nas áreas urbanas, a fatia de compradores online é maior que nas áreas rurais. Dosinternautas urbanos, 20% compram na web. Entre os que moram nas zonas rurais,esse índice é de 9%.Em termos de classe econômica, a que mais consome online é a A (59%). A classeB responde por 33% das compras online e a C – na qual, segundo o IBGE, já seencontra a maior parte da população - tem 13%. Dos internautas das classes D e E,
  25. 25. 25juntas, 5% dos indivíduos já compraram online.Na categorização por idade, a maioria dos internautas que compram online (29%)está na faixa entre 35 e 44 anos. Os grupos de internautas entre 25 e 34 anos eentre 45 e 49 anos têm o mesmo peso – 26% - enquanto internautas entre 16 e 24anos formam 18%. Além disso, o porcentual de internautas homens que compraramonline (22%) é maior que o de mulheres (17%). E a maioria (41%) afirmou ter ensinosuperior.O relatório do Ipea também buscou determinar, com base em várias categorias dedados, quais variáveis influenciam a escolha de comprar ou não produtos e serviçospela Internet. Foram cruzados dados sobre acesso a e-mail, uso de sites de busca,inscrição em redes sociais, idade, sexo, classe social, nível de educação ehabilidades digitais, entre outros. Com base nisso, o instituto calculou um coeficienteque indica o grau de influência da variável na decisão de compra pela Internet.Os resultados apontam, por exemplo, que moradores da região Norte têm maiorprobabilidade de serem consumidores online que os da região Nordeste. Da mesmaforma, membros das classes A e B são mais propensos a comprar online. Homenstêm maior tendência a consumir via Internet, mesma condição dos indivíduos maisvelhos em relação aos jovens.Mais curiosas são as relações entre o uso de certas tecnologias e a propensão aconsumir online. Segundo o estudo, indivíduos que já tiveram algum problema comsegurança da informação são mais propensos a consumir na web. Quem utilizaserviços de voz pela Internet (VoIP) e manda arquivos com anexo também possuimaior probabilidade de aderir ao consumo virtual.O Ipea também destaca a “ausência de significância estatística da variável queindica a participação em redes sociais”. Ou seja, um indivíduo que participa de redessociais não teria, com base apenas nessa variável, propensão especial ao consumoonline."Esperávamos que houvesse um efeito positivo e significante desta variável sobre oconsumo de bens e serviços pela Internet", afirmou o Ipea, no relatório. Umahipótese levantada pelo instituto para justificar a descoberta é que essas redes sãoutilizadas predominantemente por jovens, categoria que tem menor probabilidade deconsumo na comparação com os mais velhos.
  26. 26. 26O número de horas que a pessoa navega na web também interfere de forma positivana probabilidade de consumo online, afirma o Ipea. Há, no entanto, um efeitocolateral: quanto mais tempo o internauta fica na rede, menor essa influência.No que diz respeito ao comércio varejista na Internet, o Ipea destaca o fortecrescimento do setor entre 2003 e 2008, no qual o número de empresas aumentoude 1.305 para 4.818 e a receita total, de 2,4 bilhões de reais para cerca de 5,9bilhões. No entanto, o instituto ressalta a inexpressividade do setor em relação aovarejo brasileiro. “As 4.818 empresas que vendiam pela Internet [em 2008]correspondiam a apenas 0,4% do total de empresas varejistas. Sua receita pelaInternet era inferior a 1% do total da receita do varejo”, afirma o comunicado.Outro dado levantado pelo Ipea aponta que o comércio não especializado,representado por hipermercados, supermercados, lojas de departamento e outros,corresponde a 25% do total de vendas online do varejo no Brasil. As lojasespecializadas respondem por 93% do número de empresas e 73% do total devendas pela Internet.Segundo a pesquisa, a categoria econômica com mais lojas na Internet é a dematerial de construção: são 1.701 firmas, ou 37,8% do total. Artigos farmacêuticos ede perfumaria – a segunda maior categoria - são representados por 707 empresas.Apenas 23 firmas (0,5%) foram classificadas na categoria de eletrodomésticos eequipamentos de áudio e vídeo; no entanto, em valor, a categoria – que teve receitabruta de 465,7 milhões de reais em 2008, ou 11% do total - só é superada pela deartigos culturais, recreativos e esportivos (que incluem CDs, DVDs e livros), quefaturou 482,6 milhões.No relatório, o Ipea conclui que a adoção do e-commerce “contribui positivamentepara a produtividade das firmas que optaram pelo comércio eletrônico”. Além disso,o instituto afirma que a produtividade das empresas que não adotam o e-commerceseria maior se utilizassem a tecnologia. Ao apontar a importância do setor deserviços na criação de novos empregos e a baixa remuneração média por pessoa nocomércio, o relatório conclui que “a baixa produtividade do setor de serviços emgeral, e do comércio em particular, deveria ser objeto de maior atenção por partedas políticas públicas”.Disponível em: http://idgnow.uol.com.br/internet/2011/06/02/estudo-do-ipea-mapeia-perfil-do-consumidor-online-brasileiro/
  27. 27. 276. Planejamento de Ações6.1 A Inserção do Ateliê no espaço virtual, de forma mais comercial eabrangente.Como retratado no início do projeto, por escolha da proprietária a divulgação é feitapor indicação, portanto a maioria dos clientes pertence a uma rede de amigos, orada proprietária, ora amigos dos clientes, que foram indicados por esse. Paradivulgação, atualmente há uma fanpage no Facebook, com mais de 200 seguidores.Há um blog que embora não esteja sendo atualizado, por falta de tempo, existe eestá pronto para ser utilizado como ferramenta. Há o envio periódico de e-mailsmarketing, além de peças gráficas, como: cartão de visitas, pop cards, flyer eembalagens personalizadas que trazem a identidade visual do ateliê. Comoidentificado anteriormente, há uma deficiência de horário e dias para atendimento euma impossibilidade de sanar essa questão, dessa forma a inserção no espaçovirtual torna-se necessária para o aumento da disponibilidade para o público-alvo.Com ação, pretende-se aumentar a presença online através de uma LikeStore naprópria fanpage do Ateliê no Facebook.6.1.1 LikeStoreCom ação, pretende-se aumentar a presença online através de uma LikeStore naprópria fanpage do Ateliê no Facebook. A LikeStore é um projeto de loja virtual aparte no Facebook, onde o usuário poderá vender e comprar qualquer produtodiretamente pela rede social . Não há custo para ativação, nem mensalidade. Osmotivos principais para se abrir uma loja virtual dentro do Facebook é o movimentode 14,8 bilhões em e-commerce nacional que a empresa obteve no ano passadodentro do país, de acordo com dados do eBit. Outro fator é o número de usuáriosbrasileiro na rede social, que chega à casa dos 20 milhões de brasileiros queutilizam o Facebook de alguma maneira, números que crescem cada dia mais,segundo dados fornecidos pela empresa. Dentro da loja virtual LikeStore, o usuárioencontrará o MoiP Pagamentos, que servirá como um caixa para realizar ospagamentos feitos pela rede social, também dará a oportunidade do vendedorrealizar uma análise na hora da compra, realizando assim, a gestão de risco donegócio e verificando rapidamente se há algum risco na comercialização. Já para ocomprador, a ferramenta servirá como opção de parcelamento nas principaisbandeiras de cartões de crédito, além de poder escolher pagar com boleto bancário,
  28. 28. 28ou em débito direto na conta do comprador que estiver realizando a transação.Como funciona: FUNCIONA ATRAVÉS DE UM APLICATIVO : Para configurar a sua LikeStore, você usará um aplicativo para Facebook que só você terá acesso. Para entrar nesse ambiente de admin da sua loja, será necessário que você tenha um usuário cadastrado noFacebook . GERENCIADOR DE LOJA COM CONTROLE DE ESTOQUE E PEDIDOS: A todo momento, você poderá acessar o ambiente de admin da sua LikeStore para incluir e retirar produtos, consultar e atualizar quantidades em estoque, além de visualizar todos os dados das vendas que já realizou. CALCULO DE FRETE PARA VOCÊ E SEUS CLIENTES: Você poderá optar por utilizar os serviços dos Correios para entregar os produtos que vender. E a LikeStorecalculará o frete automaticamente para você seus clientes.
  29. 29. 29 MAIS DE 15 FORMAS DE PAGAMENTOS, COM TOTAL SEGURANÇA ATRAVÉS DO WIDGET MOIP Seus compradores poderão efetuar os pagamentos através de um widget de pagamento do MoIP, com total segurança e sem precisar sair do Facebook. O MoIP é um fornecedor da LikeStore, responsável pelo recebimento de pagamentos de todas as lojas do serviço. Por meio do MoIP, as lojas LikeStore passam a receber, de uma maneira simplificada, pagamentos online através de mais de 15 formas como cartões de crédito, débito e boleto. Além disso, o MoIP ainda faz a análise de risco da transação, garantido que o vendedor nem o comprador saiam prejudicados. SEM CUSTO DE ATIVAÇÃO, NEM MENSALIDADE A remuneração da LikeStore se dará apenas por um comissionamento pelo sucesso de vendas realizadas. A cada venda será retido, automaticamente, um valor de 2% para remuneração da LikeStore, mais taxas do meio de pagamento. Saiba mais sobre as taxas do MoIP, meio de pagamento utilizado na LikeStore.Passo a Passo para a criação da Like Store:a- Permitir que o aplicativo da LikeStore acesse sua conta do Facebook:http://apps.facebook.com/likestore-adminb- Cadastro dos dados da sua loja: você deve cadastrar o nome da sua loja, umbreve descritivo e alguns dados para contato.c- Configuração do seu meio de pagamento: os pagamentos realizados na loja serãorecebidos através do MoIP. Para isso, você deverá criar uma conta MoIP paraintegrá-la à sua LikeStore.d - Associação da sua loja a uma página do Facebook: a LikeStore funciona comoum aplicativo associado à sua página do Facebook.e - Escolha dos métodos de entrega: selecione quais métodos de entrega você vaideixar disponíveis para seus compradores.f - Cadastro de produtos: por último, é só adicionar seus produtos para começar avender. Clique no botão “Permitir” para liberar o acesso da LikeStore à sua conta doFacebook.
  30. 30. 30Implementação da açãoa - Catalogação de todas peças que serão comercializadas virtualmente: Preço Quantidade disponível em estoque Imagem da peça em questãob- Inserção dos dados e imagens na like storec- O tempo para implantação vai depender da quantidade de peças catalogadas.6.1.2 Perfil no microblog TwitterHaverá também a criação de um perfil no microblog Twitter, utilizando-se delinguagem adaptada ao target e que não indique somente os produtos ou promoçõesdisponibilizadas, como também conteúdo diverso sobre moda e decoração queutilizem-se de artigos vintage, consequentemente encontrados no Ateliê. O twitter,conta com mais de 100 milhões de usuários, sendo mais da metade deles visitantesdiários da página e como ferramenta gratuita, disponibiliza ao inscrito só visualizarconteúdo gerado pelos usuários que ele segue, o que significa que quem recebe amensagem optou por fazer (ao escolher seguir um determinado usuário ou empresa)e, justamente por isso, está mais disposto a encaminhá-la para sua própria rede.Pesquisas apontam que cerca de 70% dos usuários da ferramenta seguem perfiscorporativos com interesse de acompanhar promoções e descontos. Assim sendo,otwitter é um grande aliado para promover o site da sua empresa, seja por meio dadivulgação de links de produtos com preços especiais, ou mesmo ofertas exclusivas.Informações úteis e conteúdo de relevância também ajudam. Enquanto grande partedas redes sociais é tomada por adolescentes, o grupo que concentra o maiornúmero de usuários no Twitter é formado por pessoas entre 35 e 49 anos, quecompreendem 42% do público. O segundo maior contingente (20% do total) éformado por usuários entre 25 e 34 anos. Trata-se de uma audiência qualificada ecom poder de decisão nas famílias.Como dito anteriormente esse perfil não terá foco em vendas, mas em dicas. Umdos focos do estabelecimento é justamente o contato entre a proprietária e seusclientes. Isso se justifica, porque são freqüentes perguntas sobre qual acessóriocombina mais com determinada roupa, qual presente se encaixa melhor com aocasião entre. Entre outros.Estratégia sugerida: Criação da série #EraUmaVezOutraVez
  31. 31. 31Sugerimos como postagens, uma série com o tema: #EraUmaVezOutraVez.Postasse uma pequena dica, principalmente sobre moda/objetos/curiosidades retro,com essa marcação. O tema já utilizado pelo Ateliê em peça publicitárias anteriorese representa muito bem o lado retrô do Ateliê.Obs: Essa série pode ser utilizada também no facebook. Cabe ressaltar que criaruma série, exige conhecimento do conteúdo em sua totalidade, de forma aacrescentar informações aos que vão ler. Evitando a repetição do conteúdo,anteriormente twittado (postado).6.1.3 Perfil no PinterestNo Pinterest você pode navegar em pinboards criados por outras pessoas. Navegarnos pinboards é uma maneira divertida de descobrir coisas novas e obter inspiraçãode pessoas que compartilham seus interesses. Ele tem um enorme potencial para osproprietários de pequenas empresas, trabalhadores independentes, grandesempresas, marcas, blogueiros, treinadores, todos. Consideremos o seguinte: 1. Vender seus produtos e serviços 2. Construir o interesse e a consciência sobre os próximos eventos, serviços, produtos, etc. marca. 3. Oferecer descontos para os seguidores do Pinterest. 4. Realizar concursos e promoções para o seu negócio. 5. Criar uma representação visual de seu negócio. 6. Estabelecer os seus conhecimentos, através com compartilhamento de informações úteis e valiosas. 7. Faça diferentes boards para os diferentes temas, (bom para os seguidores alvo). 8. Criar e construir sua comunidade. 9. Obter inspiração, motivação e criatividade. 10. Fazer pesquisa de mercado para novas ideias de produtos. 11. Tire suas dúvidas e aprender coisas novas daqueles em seu campo. 12. Construa a sua marca, apresentando seu blog e site. 13. Compartilhe dicas e imagens relevantes ao seu nicho (mesmo se você não tiver os criado) 14. Crie suas próprias imagens e embed nelas. 15. Arrecadar recursos valiosos para os clientes e leitores. 16. Colaborar em projetos. 17. Procurar imagens e infográficos para usar em seus posts. 18. Conecte-se com sua tribo em uma maneira mais pessoal. 19. Crie vídeos e fixá-los em um board especial. 20. Adicione seu perfil do Pinterest a sua assinatura digital. 21. Aumentar o tráfego site, obter novas fontes de tráfego.
  32. 32. 32 22. Use palavras-chave para descrever os boards (SEO). 23. Compartilhe seus pinos em suas mídias sociais. 24. Encontrar coisas para fazer em um orçamento. 25. Criar tutoriais e ”como” por meio de imagens ou vídeos. 26. Fazer comentários e recomendações de produtos que as pessoas querem, mesmo que não seja o seu. 27. Inspirar as pessoas - não importa qual seja seu negócio, você está sempre no negócio de inspiração. 28. Encontre informações em tempo útil a produtividade, gestão e estilo de vida (apesar de ser justo, gestão do tempo vai para um lance – é ainda mais viciante do que Facebook, mas muito mais útil). 29. Use-o como um mecanismo de busca – termos de busca para encontrar informações relevantes, obter insights e ideias para seu negócio. 30. É uma representação visual de tendências em tempo real como o Twitter. 31. Coletar ideias para o design do site. 32. Compartilhe generosamente, não apenas o seu próprio conteúdo próprio, mas a dos outros. 33. Use-o para brilhar e ser autêntico, é uma plataforma poderosa para você e seu trabalho. 34. Facebook é uma rede de conexão social, Pinterest é sobre ideias, inspiração, design, apelo visual, e tem um aspecto de alto operacional. 35. Obter intencional - você está olhando para direcionar o tráfego para o seu blog, criar a consciência de seus serviços, construir uma marca, conectar com pessoas, ter ideias, compartilhar.Marketing Digital: http://www.marketingdigitalblog.com/36-dicas-e-melhores-maneiras-de-usar-pinterest-para-empresas#ixzz1vXUMWbBq- Alguns números sobre o PinterestUma pesquisa feita pelo PriceGrabber, site de comparação de preços do grupoExperian, mostrou que o Pinterest não apenas tem gerado tráfego de referênciapara varejistas online como também tem influenciado na decisão de compra: 21%dos usuários da rede social já compraram um produto que conheceram por meio dasimagens compartilhadas.Entre os produtos mais adquiridos, 33% estão relacionados a alimentos e cozinha,32% a moda e vestuário, 30% a casa e decoração, e 26% a artes. Buscar receitasde culinária foi considerada a atividade preferida entre os usuários da rede. Cerca de70% dos donos de perfis citam receitas e culinária como a categoria que maiscomporta "pins". A pesquisa levou em conta entrevistas com 4.851 consumidoresonline norte-americanos, entre 13 e 26 de março deste ano.
  33. 33. 33Veja mais alguns números:65% dos usuários do Pinterest publicaram "pins" ligados a casa e decoração noperíodo estudado53% publicaram conteúdos sobre artes41% divulgaram ideias sobre compras e moda34% compartilharam conteúdo sobre entretenimento33% falaram sobre jardinagemCom que frequência se conectam37% dos usuários pesquisados se conectam na rede social mais de uma vez porsemana, sendo que destes, apenas 10% acessam o site mais de uma vez por dia55% criaram entre 2 e 10 "pinboards".Ainda há espaço para crescer58% dos consumidores online americanos ainda não possuem conta no PinterestDesses, 89% não têm intenção de criar um perfil no site32% disseram que não conhecem a rede socialDicas no Pinterest1 – Faça um perfil pra sua empresa no PinterestO SIM pode parecer óbvio pra essa pergunta, mas vi algumas pessoas seperguntando se valia a pena ou se era demais fazer um perfil para sua empresa.Sim, o Pinterest tem o potencial de comunicar muito sobre você de maneira nãoconvencional.2 – Evite 100% de auto-promoçãoVocê pode estar feliz com um trabalho realizado ou achar seu portfólio o máximo,mas o intuito do Pinterest é dividir coisas que você ama com os outros. O seutrabalho ou produto pode estar entre essas coisas que você ama, mas nada deforçar a barra criando um mural todo promocional. As pessoas não vão cair nessa.Se você tem uma marca de camisetas, mostre você ou seus amigos e esta camisetaem situações que podem ser apaixonantes para os outros.3 – Promova o estilo de vida que a sua empresa deve comunicar.
  34. 34. 34Você tem infinitas possibilidades de murais semânticos (de significados) pra criar.Crie um com citações, ou cores, ou lugares, que representem a alma da sua marca.4 – Promova os seus muraisA tendência é os usuários terem mais seguidores por mural específico do que noperfil completo. Afinal, entre 30 murais que você tem, muitas pessoas vão seinteressar só por um tema ou por outro. Coloque os pins mais relevantes e raros emum mesmo mural, para aumentar o número de seguidores e do alcance.5 – Regra básica de qualquer ponto de contato: EngajamentoSiga os usuários que você acredita que gostaria de te seguir de volta. Dê like eprincipalmente comente em outros pins. Isto instigará as pessoas a checarem o seuperfil e a te seguirem de volta.6 – Traga tráfego ao seu websiteMuitos blogueiros e empresas já conseguiram trazer maior tráfego para o seu sitecom o Pinterest do que com a fan page do Facebook. Se você pretende vender umserviço para um cliente, coloque imagens interessantes, limpas e bonitas no seublog e dê pin nelas para atrair a atenção do seu mural à sua publicação.7 – Crie murais colaborativosAo abrir espaço para outros usuários colaborarem em seu mural, você abre umaótima oportunidade de interagir com eles e os envolver em seu marketing digital.Peça ao usuário para atualizar o mural com o estilo de vida que ele curte e querelaciona a sua marca. É uma ótima maneira de perceber qual o seuposicionamento.8 – Adicione o botão Pin It ao seu website.Assim como nas outras mídias, isso vai ajudar a espalhar o seu conteúdo e a exporsua marca a novas audiências.
  35. 35. 359 – Meça os resultadosÉ o mais importante. Conforme você adiciona imagens vindas do seu site, qual é aalteração no tráfego. Tem algum tópico, mural ou imagem que trás um tráfegomaior? Use seu Analytics pra ver quais imagens traz resultados e quais não.10 – Use #HashtagsAssim como o twitter, o Pinterest autoriza o uso de Hashtags (#) nos seus pins parao conteúdo ser encontrado mais facilmente. 6.2 Gerenciamento da demanda do espaço físico externo sem contudo tirar ofoco do Ateliê e de seus produtos. A proprietária analisou algumas propostas para uso do Espaço do Ateliê e manifestou interesse no uso para dois fins, aulas de dança e recepção de “chá de panela”. Recepção para Chá de Panela – Essa “sociedade” é extremamente vantajosa e representa uma grande oportunidade para o Ateliê. A palavra “sociedade” aqui, não indica mudança na estrutura de gerenciamento, mas a junção temporária de duas estruturas comerciais distintas para um evento com data e duração previamente estabelecidos. O chá de panela seria organizado pela empresa responsável pelo evento, o Ateliê serviria como sede do evento. É tradição que a noiva escolha o que quer ganhar de cada um no chá de panela, também de conhecimento geral o quanto todas as pessoas têm a vida corrida, para ter que parar tudo a fim de procurar o presente escolhido, dessa forma identificamos também uma oportunidade. O Ateliê tem como parte dos produtos oferecidos artigos para casa, portanto a noiva poderia escolher previamente os presentes no próprio estabelecimento. Aqui também aproveitaríamos outra ferramenta: a loja virtual. O convite para o chá de panela, conteria o endereço onde os convidados fariam suas escolhas, oferecendo extrema comodidade. Aulas de dança - Ao fazermos uma análise 360º do estabelecimento, percebemos que uma das grandes vantagens existentes, senão a maior, é o grande número de , contatos da proprietária, seja com parceiros em potencial, seja com público em potencial. A idéia de utilizar o espaço para aulas de dança surgiu de uma ex-aluna
  36. 36. 36 e atual cliente do Ateliê. Segundo pesquisas realizadas pelo site portal da dança, as mulheres ( nosso público-alvo escolhido) são extremamente atraídas por essa atividade, isso porque ela trabalha formas de explorar a sensualidade e também por ser uma forma divertida de realizar atividade física, sendo possível a perda de até 500 cal por aula ( dependo do ritmo e estilo). Porém para que essas aulas sejam ministradas de forma correta, sem apresentar riscos para os participantes faz-se necessário contratar um profissional. Como dito anteriormente a rede contatos da proprietária é uma grande oportunidade, ela trabalha em uma instituição de ensino que possui o curso de Educação Física, dessa forma sugerimos que seja desenvolvida uma parceria. Os alunos desse curso, podem fazer das aulas, horas de estágio, sendo devidamente acompanhados por um professor da área.7. OrçamentosLike Store:  A remuneração da LikeStore se dará apenas por um comissionamento pelo sucesso de vendas realizadas. A cada venda será retido, automaticamente, um valor de 2% para remuneração da LikeStore, mais taxas do meio de pagamento. Saiba mais sobre as taxas do MoIP, meio de pagamento utilizado na LikeStore.  O custo com profissional para produzir as imagens a serem disponibilizadas na Like Store será constante uma vez que o estoque do Ateliê possui uma grande diversidade de produtos. Esse custo pode ser minimizado se os profissionais a serem contratados forem estudantes de Publicidade, fotografia ou moda.Perfil no microblog Twitter:  Não necessita de investimentos monetáriosPerfil no Pinterest  Não necessita de investimentos monetários
  37. 37. 37Recepção para Chá de Panela  Essa ação se desenvolverá em conjunto com uma empresa já existente, especializada nesse tipo de recepção. O ateliê entrará com o espaço físico ( e com a possibilidade dos convidados adquirirem os presentes no próprio Ateliê).Aulas de dança  Essa ação poderá ocorrer de duas formas. Uma seria com um professor remunerado contratado de acordo com as horas de aula que serão disponibilizadas, que gira em torno de 75,00 (de 3 a 4 alunos) e 100,00 (acima de 5 alunos.) hora/aula. Uma segunda maneira, seria desenvolver parcerias com alunos do curso de Educação Física, embora um pouco mais trabalhoso sairia financeiramente mais barato.8. Plano de ControleComo forma de monitoramento do Twitter e Facebook, usaremos a ferramentaCrowdbooster (http://crowdbooster.com/) que além do monitoramento da marca,usaremos para entender como o cliente recebe a comunicação. Quais tipos deconteúdo ele mais interage, quais são os melhores horários para postar, as pessoasque mais se engajam com sua marca e, desta forma, “lapidar” a forma de conversarcom o cliente.TwitterAo conectar o Twitter ao Crowdbooster você traça um perfil dos seus posts maispopulares, quantas pessoas podem ter sido impactadas por ele, quantos RT cadaum recebeu, quem deu RT, seus seguidores mais influentes e gráfico dedesempenho de cada postagem.FacebookNo Facebook as informações são semelhantes. Assim, você acompanhar arepercussão de cada post, quem curtiu, quem e o que comentou, o crescimento nonúmero de fãs da sua página e os fãs mais engajados.
  38. 38. 38O próprio Facebook, na fanpage já disponibiliza algumas informações básicas sobrecomo anda a sua empresa na rede.Além disso, será utilizado os dados fornecidos pela própria LikeStore e suaconversão em leads.PinterestPodemos começar com uma ferramenta do próprio Pinterest, que lhe dáinformações sobre o que foi pinado por pessoas que entraram no seu site ou noseu blog. É bem simples e para usá-la, basta digitar a URL a seguir, substituindo aexpressão “seudominio”pelo domínio que você desejaanalisar: www.pinterest.com/source/seudominio.Em conjunto, o Analytics do Pinterest que ainda está em versão beta é o Pintics(http://signup.pintics.com/). Com ele é possível gerenciar contas no Pinterest e obterestatísticas sobre o tráfego.http://www.virtualbs.com.br/blog-da-virtual/monitorando-sua-conta-no-pinterest/
  39. 39. 39Referências Bibliográficas:http://pcworld.uol.com.br/dicas/2009/05/28/sua-empresa-deve-estar-no-twitter/http://www.webpubli.com.br/index.php/marketing-digital/divulgando-sua-empresa-no-twitterhttp://www.biblioteca.sebrae.com.br/bds/BDS.nsf/D96040554BFAFB9B03256D520059AE80/$File/310_1_Arquivos_segmercado.pdfhttp://www.sandroviapiana.com.br/2010/noticia.Dados.php?ver=ok&id=1http://abilitytradenews.com.br/30-habitos-do-consumidor-de-classes-a-b-e-c/http://hermanomota.com.br/2011/10/01/classes-a-e-b-o-mercado-que-mais-cresce/http://hermanomota.com.br/2011/10/14/pesquisa-aponta-como-agradar-as-mulheres-2/

×