Economia amazônica - facts and figures - Aula 20

639 views
500 views

Published on

brevíssima introdução à economia da Amazônia, alguns dados do IBGE e análises que servem para compreender melhor a realidade desta região do Brasil.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
639
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
21
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Economia amazônica - facts and figures - Aula 20

  1. 1. Noções sobre Economia Santarém – Tapajós – Brasil Fernando Monteiro D’Andrea
  2. 2. Noções sobre Economia Santarém – Tapajós – Brasil Fernando Monteiro D’Andrea Aula 20 de 20 Economia da Amazônia Histórico, Considerações e Números
  3. 3. Economia – Contábeis 2013-01 O que estudaremos • O Que é Economia? • Teorias da Economia; • Micro e macroeconomia; • Escassez • Mercado; • Preços; • Oferta e demanda; • Curvas de demanda; • Oferta e equilíbrio; • Noções de mercados e funcionamento dos sistemas econômicos internacionais e nacional; • Processo de Industrialização brasileiro; • Modelo desenvolvimentista Nacional; • Planos Econômicos; • Análise e interpretação da política econômica nacional atual; • Economia e a Região Amazônica;
  4. 4. Economia – Contábeis 2013-01 “Amazônia”, Porquê? • "Amazônia" deriva de uma lenda da mitologia grega; ▫ As “amazonas” eram mulheres guerreiras que pertenciam a uma tribo, comandada por Hipólita, que não aceitava homens  Crianças de sexo masculino eram mortas ao nascer e homens de outras tribos eram capturados como reprodutores e depois assassinados; • Francisco de Orellana, em 1541, ao descer o rio buscando ouro enfrentou as índias icamiabas e foi derrotado; ▫ O fato foi narrado ao rei Carlos V de Habsburgo que, inspirado na lenda, batizou o rio de “das Amazonas“; • No sentido de região o termo foi usado pela primeira vez em "O País das Amazonas", do barão Santa Anna Néri (1899);
  5. 5. Economia – Contábeis 2013-01 Amazônia • Conhecida também como: Floresta Amazônica, Selva Amazônica, Floresta Equatorial da Amazônia, Floresta Pluvial e Hileia Amazônica; • Tem cerca de 5,5 milhões de km²; • Em sua maioria no Brasil: com 60% ▫ Peru: 13% e quantidades menores na Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa; ▫ É também o bioma que ocupa 49,29% do território nacional e abrange Norte, Nordeste e Centro-Oeste; • Representa mais da metade das florestas tropicais remanescentes no planeta; ▫ Maior biodiversidade em uma floresta tropical no mundo; ▫ É patrimônio cultural da humanidade; ▫ Foi eleita uma das novas maravilhas do mundo;
  6. 6. Economia – Contábeis 2013-01 Amazônia (2)
  7. 7. Economia – Contábeis 2013-01 Amazônia (3)
  8. 8. Economia – Contábeis 2013-01 Amazônia Legal (1) • No Brasil, para efeitos de governo e economia, a Amazônia é delimitada por uma área chamada "Amazônia Legal“; ▫ Foi definida após a criação da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM), em 1966; • A “Amazônia Legal Brasileira” é uma região administrativa que se espalha por: ▫ Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima (NO); ▫ Maranhão (NE); ▫ Mato Grosso, Goiás e Tocantins(CO); • 53% do território do Brasil (5 mi km²); • População de cerca de 25 milhões de pessoas (12,5% do Brasil); • Gera menos de 8% do PIB nacional; • 43% (2,1 mi km2) são áreas protegidas ou terras indígenas; • Aproximadamente 400 terras indígenas delimitadas na região, com cerca de 200 mil indígenas; • 21% da Amazônia é composto de terras públicas federais e estaduais fora de áreas protegidas e terras indígenas;
  9. 9. Economia – Contábeis 2013-01 Amazônia Legal (2)
  10. 10. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Comparada(1) Região PIB em R$ mi (2010) % Sudeste 2.088.221.000 55,4% Sul 622.255.000 16,5% Nordeste 507.502.000 13,5% Centro Oeste 350.596.000 9,2% Norte 201.511.000 5,4%
  11. 11. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Comparada(2) # Estado Região PIB 2010 (R$ mi) % 8 DF Centro-Oeste 149.906.000 3,976% 9 GO Centro-Oeste 97.576.000 2,588% 15 MG Centro-Oeste 59.600.000 1,581% 17 MS Centro-Oeste 43.514.000 1,154% 6 BA Nordeste 154.340.000 4,094% 10 PE Nordeste 95.187.000 2,525% 12 CE Nordeste 77.865.000 2,065% 16 MA Nordeste 45.256.000 1,200% 18 RN Nordeste 32.339.000 0,858% 19 PB Nordeste 31.947.000 0,847% 20 AL Nordeste 24.575.000 0,652% 21 SE Nordeste 23.932.000 0,635% 23 PI Nordeste 22.060.000 0,585% 13 PA Norte 77.848.000 2,065% 14 AM Norte 59.779.000 1,586% 22 RO Norte 23.561.000 0,625% 24 TO Norte 17.240.000 0,457% 25 AC Norte 8.477.000 0,225% 26 AP Norte 8.266.000 0,219% 27 RR Norte 6.341.000 0,168% 1 SP Sudeste 1.247.596.000 33,092% 2 ERJ Sudeste 407.123.000 10,799% 3 MG Sudeste 351.381.000 9,320% 11 ES Sudeste 82.122.000 2,178% 4 RS Sul 252.483.000 6,697% 5 PR Sul 217.290.000 5,764% 7 SC Sul 152.482.000 4,045%
  12. 12. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Comparada(3) # Estado Região PIB 2010 (R$ mi) 8 DF Centro-Oeste 149.906.000 9 GO Centro-Oeste 97.576.000 15 MG Centro-Oeste 59.600.000 17 MS Centro-Oeste 43.514.000 6 BA Nordeste 154.340.000 10 PE Nordeste 95.187.000 12 CE Nordeste 77.865.000 16 MA Nordeste 45.256.000 18 RN Nordeste 32.339.000 19 PB Nordeste 31.947.000 20 AL Nordeste 24.575.000 21 SE Nordeste 23.932.000 23 PI Nordeste 22.060.000 13 PA Norte 77.848.000 14 AM Norte 59.779.000 22 RO Norte 23.561.000 24 TO Norte 17.240.000 25 AC Norte 8.477.000 26 AP Norte 8.266.000 27 RR Norte 6.341.000 1 SP Sudeste 1.247.596.000 2 ERJ Sudeste 407.123.000 3 MG Sudeste 351.381.000 11 ES Sudeste 82.122.000 4 RS Sul 252.483.000 5 PR Sul 217.290.000 7 SC Sul 152.482.000
  13. 13. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Comparada(4) # Estado PIB 2010 (R$ mi) % País 13 PA 77.848.000 2,065% 14 AM 59.779.000 1,586% 22 RO 23.561.000 0,625% 24 TO 17.240.000 0,457% 25 AC 8.477.000 0,225% 26 AP 8.266.000 0,219% 27 RR 6.341.000 0,168%
  14. 14. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Comparada(5) # PIB Estado PIB 2010 (R$ mi) # PIB per capta PIB per capta (R$) 13 PA 77.848.000 21 10.259 14 AM 59.779.000 11 17.153 22 RO 23.561.000 13 15.098 24 TO 17.240.000 15 12.461 25 AC 8.477.000 18 11.567 26 AP 8.266.000 16 12.361 27 RR 6.341.000 14 14.051 PIB PIB Per capta
  15. 15. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: História (1) • Durante cerca de 300 anos, até o final do Sec. XVIII, a Amazônia foi vista como área de pouca expressão pelo império Português; ▫ As atividades eram quase que totalmente extrativistas;  O trabalho indígena;  As ordens religiosas; ▫ As drogas do sertão;  - 1730: o cacau representava mais de 90% das exportações regionais. O chocolate era produto nobre na Europa; ▫ Companhia Geral de Comércio do Grão-Pará e Maranhão;  Comandada pelo Marquês de Pombal funcionou de 1755-78;  Usava a rota marítima Belém –Lisboa;  Visava a venda monopolista de escravos negros para a região para fomentar agricultura e comércio;  Durante seu funcionamento o Cacau representou 61% das exportações da Amazônia para Portugal, o café cerca de 10%, e o cravo 11%;
  16. 16. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: História (2) • No final do Séc. XVIII a região produz cerca de 30 mil toneladas de borracha e em 1917, 15.000 de castanha, majoritariamente para a exportação; ▫ Em 1920 foram produzidos 9.000 toneladas de arroz e 10.000 de milho; • A Economia da Borracha: ▫ Em 1823 Macintosh descobre a técnica de dissolução em nafta de carvão; ▫ Em 1939 Goodyear descobre a vulcanização;  Os processos tornavam o produto mais propenso a ser usado na indústria; ▫ O ciclo do Cacau estava em declínio e o da borracha não havia ainda começado, ainda assim o látex ajudou a diminuir os impactos da diminuição do cacau;
  17. 17. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: História (3) • A Economia da Borracha: ▫ Expansão da demanda mundial;  A indústria passou a conhecer os benefícios do material e a usá-lo em larga escala;  Em 1803 surge a primeira fábrica na Áustria;  Em 1920 na Inglaterra, Hancock começa o processamento em larga escala; ▫ Roupas e calçados impermeáveis, mangueiras, amortecedores, preservadores de infiltração em embarcações, lonas, carpetes; ▫ “Os portugueses aprenderam com os indígenas os empregos da borracha. No entanto, a borracha não entrava no comércio com Portugal durante o século XVIII. Portugal não dava conta do potencial econômico e mercantil contido na goma elástica”. ▫ Desde 1820, sapatos americanos eram enviados para o Pará a fim de serem revestidos de borracha; ▫ Em 1922 surgiu a primeira indústria americana;
  18. 18. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: História (4) • A Economia da Borracha: ▫ A importação para a Inglaterra passou de 23 toneladas em 1830 a 68 em 1845, 209 em 1850 e 1818 em 1855; ▫ Nos EUA, em 1850 a borracha importada já atingia 1000 toneladas, e em 1865 subiu a 3000; ▫ Mauá conseguiu o monopólio do transporte no rio Amazonas e fazia a viagem Belém-Manaus-Belém em 22 dias em navios a vapor, 7x menos que antes;  Em 1875 existiam 20 vapores da Amazon Steam Navigation capazes de transportar 9 mil toneladas;
  19. 19. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: História (5) • A Economia da Borracha ▫ Escassez de Mão de Obra e colonização nordestina;  Todos os fatores de produção foram desviados para a atividade;  Problemas inclusive de subsistência;  Sistema de Aviamento;  Escassez de mão de obra causou a primeira onda migratória nordestina e pouca melhora na produtividade; ▫ Plantações no oriente e colapso da economia amazônica;
  20. 20. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: História (6) • A ocupação da região deu- se, primordialmente, às margens dos rios; • A partir dos anos 60 as frentes de expansão passaram para as grandes rodovias federais (em especial a transamazônica e a Santarém- Cuiabá); ▫ A ocupação foi, em grande parte, subsidiado pela política de incentivos fiscais e créditos bancários que possibilitou grandes investimentos (hidrelétricas, mineração, projetos agropecuários); ▫ A segunda onda de imigração nordestina é desta época;
  21. 21. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Atual (1) • A derrocada da economia da borracha causou a diversificação forçada da economia regional; • Além do tradicional extrativismo (borracha, castanha-do-pará e madeira), tem-se hoje: agricultura, pecuária, mineração e atividade industrial, em especial nas áreas de Belém e Manaus (refinaria de petróleo, montadora de motores, veículos e aparelhos eletroeletrônicos, fiações, tecelagens de juta, madeireiras, fábricas de bebidas e de produtos alimentícios); • A agricultura sofre com os solos pobres abaixo da camada de húmus; ▫ A várzea vê menos esses problemas em virtude da renovação das terras pelas enchentes: se cultiva
  22. 22. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Atual (2) • A pecuária é praticada em Roraima, no Marajó, nas várzeas do Amazonas e ao longo da rodovias, como a Belém - Brasília, a Transamazônica e a Manaus - Porto Velho; • Muita mineração: manganês no Amapá, ouro e cassiterita em Rondônia e no Pará, • No Pará as jazidas de ferro, cobre, ouro e bauxita foram financiadas pela Sudam e Suframa; • Problema logístico muito grande (transportes e comunicações);
  23. 23. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Atual (3) • PA, AM, MT e MA são responsáveis por cerca de 80% do PIB da AL; • A AL não é homogênea; • Cada estado possui características distintas, de padrões de crescimento econômico, potencialidades e de recursos naturais, além das características sociais e culturais; • A atividade mineral é muito relevante no Amapá e Pará, são "economias mineiras", em virtude do elevado indicador do valor da produção mineral (VPM) em relação ao PIB (ambos acima de 20%); ▫ O Pará representa o maior VOM em valor líquido do país, também é o que apresenta o setor mineral mais diversificado e com potencialidades de crescimento; • MT, RO e AM também tem presença forte da mineração, nos outros estados a produção mineral é pouco expressiva; # Estado PIB 2010 (R$ mi) % Região 1 PA 77.848.000 25,41% 2 AM 59.779.000 19,51% 3 MT 59.600.000 19,45% 4 MA 45.256.000 14,77% 5 RO 23.561.000 7,69% 6 TO 17.240.000 5,63% 7 AC 8.477.000 2,77% 8 AP 8.266.000 2,70% 9 RR 6.341.000 2,07%
  24. 24. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Atual (2) • A pecuária é praticada em Roraima, no Marajó, nas várzeas do Amazonas e ao longo da rodovias, como a Belém - Brasília, a Transamazônica e a Manaus - Porto Velho; • Muita mineração: manganês no Amapá, ouro e cassiterita em Rondônia e no Pará, • No Pará as jazidas de ferro, cobre, ouro e bauxita foram financiadas pela Sudam e Suframa; • Problema logístico muito grande (transportes e comunicações);
  25. 25. Economia – Contábeis 2013-01 Economia da Amazônia: Atual (3) Agropecuária Indústria Serviços Pará 8,6% 31% 60,4% Maranhão 18,6% 17,9% 63,5% Rondônia 20,4% 14,6% 65% Roraima 3,8% 8,7% 87,5% Amazonas 3,6% 69,9% 26,5% Amapá 4,3% 9,9% 85,8% Mato Grosso 28,1% 16,4% 55,5% Acre 17,2% 14,7% 68,1% Tocantins 17,8% 24,1% 58,1% • Em geral o setor de Serviços é o mais participativo na economia; • A agropecuária é forte em especial no Mato Grosso e no Tocantins, em Rondônia e no Acre, apesar dos percentuais elevados, os valores absolutos são muito pequenos; • A indústria se destaca em especial no Amazonas (Zona Franca) e no Pará (projetos minerais);
  26. 26. Economia – Contábeis 2013-01 Amapá • Tem cerca de 140 mil km² e menos de 700 mil habitantes (2010); • O estado é considerado o mais bem preservado em termos naturais do país; ▫ As atividades economias devem ser associadas à preservação ambiental; • Participou com 0,2% do PIB do Brasil em 2008; • Mais de 85% do PIB do estado é proveniente de serviços; • A atividade agropecuária não supre as necessidades da população e o estado importa grande parte do alimento que consome; ▫ Apesar disso a pesca é muito importante, em especial para a subsistência; • Há também extrativismo: ▫ Vegetal, em especial de madeira; ▫ Mineral: ouro, caulim e manganês, do qual o estado é o maior produtor nacional; • A infra-estrutura precária prejudica o desenvolvimento, não há vias de acesso, as telecomunicações não são suficientemente boas e a energia também é apresenta problemas;
  27. 27. Economia – Contábeis 2013-01 Acre • Possui cerca de 165 mil km² e cerca de 730 mil habitantes (2010); • Contribuiu, em 2008, para 0,2% do PIB nacional, sua contribuição só é maior que a de Roraima; • Historicamente a economia do estado se baseia no extrativismo vegetal, inicialmente de borracha e hoje de madeira, castanha-do-pará, açaí e óleo de copaiba; • Mandioca, milho, arroz e feijão são a base da agricultura que é majoritariamente de subsistência; • A indústria é muito fraca e baseada na madeira;
  28. 28. Economia – Contábeis 2013-01 Maranhão • Tem cerca de 330 mil km² e mais de 6,5 mi he habitantes; • Foi o único dos estados beneficiado com verbas tanto da SUDAM quanto da SUDENE; ▫ Os projetos de infraestrutura possibilitam o maior desenvolvimento do estado que até a década de 70 era muito isolado do resto do país; • Apesar disso o estado contribui com apenas 1,3% do PIB do país; • A indústria tem metalurgia, madeira, extrativismo, alimentos e químicos; • Na agricultura cultiva-se cana, mandioca, soja, arroz e milho, a pesca também é muito importante; • Os serviços são muito importantes e o turismo tem se desenvolvido nos últimos anos; ▫ O complexo portuário integrado (terminais de Itaqui , Ponta da Madeira e Alumar) é responsável por mais de 50% da movimentação de cargas portuárias do Norte e do Nordeste;  Exporta principalmente minerais (alumínio, ferro, manganês) e soja, normalmente provenientes do Pará;.
  29. 29. Economia – Contábeis 2013-01 Roraima • É o estado que produz menos riqueza no país; ▫ Cerca de 0,1% do PIB; ▫ Cerca de 70% das áreas do estado são reservas naturais ou indígenas; • Muitos problemas com relação ao acesso à energia elétrica; • São bases da economia local ▫ Agroindústria: arroz, feijão, milho, mandioca e banana e a pecuária (bovino, suínos e aves); ▫ Extrativismo mineral: diamantes, casseterita, molibdênio, bauxita, cobre, areia, argila, granito e ouro • Em virtude da economia muito frágil o governo estadual tem oferecido muitos incentivos fiscais para as empresas que ali se instalarem;
  30. 30. Economia – Contábeis 2013-01 Rondônia • Tem cerca de 240 mil km² e pouco mais de 1,5 mi de habitantes; • Em 2008 produziu 0,6% da riqueza nacional, R$15bi; ▫ Tem a terceira maior economia da região norte, atrás de PA e AM; • É grande exportador de carne bovina (correspondente a 60% do total de exportações); • Seu setor industrial é pouco diversificado, concentra-se em alimentos, frigoríficos e mineração (cassiterita em especial); ▫ A extração de madeira é também importante é corresponde a 13% das exportações; ▫ É o terceiro estado que mais desmata, atrás de MT e PA; • O Setor de serviços baseia-se no comércio;
  31. 31. Economia – Contábeis 2013-01 Tocantins • Tem cerca de 277 mil km² de área e é o estado mais novo do país, criado pela constituição em 1988; • São cerca de 1,4 mi de habitantes; • Contribui com apenas 0,5% do PIB nacional com R$11 bi; • No estado o setor de serviços predomina, em especial em Palmas e nas cidades próximas à Belém-Brasília; • A agropecuária é responsável por quase 100% das exportações do estado; ▫ Pecuária de corte além de soja, arroz, mandioca, cana e milho; • O setor industrial é pequeno apesar de ser significativo (24,1% do PIB) e focalizado em produtos minerais, de borracha e plástico além da agroindústria alimentícia; ▫ Existe também uma forte indústria de construção, em especial na Capital;
  32. 32. Economia – Contábeis 2013-01 Mato Grosso • É o segundo estado mais extenso do país com mais de 900 mil km²; • Tem uma população de 3,03 mi de pessoas; • A economia tem crescido bastante nos últimos anos, em 2008 chegou a R$42,7 bi ou 1,6% do PIB do país; • A agropecuária é o setor mais importante da economia (28,1%) pois o setor de serviços (55,5%) está diretamente ligado à ela; ▫ Alguns dos principais cultivos são: soja (20% do total do país), algodão, cereais, leguminosas e oleaginosas, há também muito gado de corte;  Cerca de 70% das exportações do estado são de soja e derivados;  80% das importações são de adubos e fertilizantes; ▫ O turismo cresce em importância por causa do Pantanal; • A indústria está concentrada na capital e tem se expandido: ▫ alimentício, frigorífico, construção civil, cerâmica, couro- calçadista, celulose e papel, eletroeletrônica, farmacêutica, madeireira, mecânica e metalúrgica;
  33. 33. Economia – Contábeis 2013-01 Amazonas • É responsável pela geração de cerca de 2% do PIB nacional; • A indústria é predominante com 69,9% da renda sendo proveniente desta; ▫ A Zona Franca de Manaus importa praticamente 100% de sua produção para fora do estado; ▫ Eletroeletrônicos e motocicletas são dois segmentos muito importantes na indústria amazonense; • O setor de serviços está concentrado na capital; ▫ O ecoturismo tem crescido bastante, mas ainda é inscipiente; • A agricultura não visa exportação e os principais produtos são arroz, banana, laranja e mandioca;
  34. 34. Economia – Contábeis 2013-01 Pará • Tem ,125 mi km², o segundo maior estado do país, e tem cerca de 7,6 mi de pessoas (2010); • O estado é o maior, economicamente falando, da região norte; ▫ Contribui para 1,9% do PIB do país; • Na agricultura produz-se laranja, banana, cana, coco, arroz, mandioca, cacau, feijão e pimenta-do-reino (maior produtor nacional); ▫ Nas últimas décadas tem aumentado o investimento em soja (ao longo da BR-163) e em gado de corte no sudoeste do estado, tendo cerca de 14 mi de cabeças de gado; • O extrativismo mineral é a principal atividade econômica: ▫ Bauxita, ferro, manganês, calcário, ouro, estanho e alumínio e minério de ferro como principais produtos de exportação;  Quase 90% das exportações do estado são produtos minerais brutos ou de pouco valor agregado (ferro fundido, por exemplo); • Extrativismo vegetal ainda presente com castanha-do-pará e madeiras;
  35. 35. Economia – Contábeis 2013-01 Bibliografia (1) • HUNT, E. K. História do Pensamento Econômico: uma perspectiva crítica.2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. • COHEN, Zilda. Notas de Aula, UFOPA, Santarém, Brasil, 2013. • BRUM, Argemiro. Desenvolvimento econômico brasileiro. 16 ed. Petrópolis: Vozes, 1996. 316 p. • CARDOSO, Eliane A. A economia brasileira ao alcance de todos. São Paulo: Brasiliense, 1996. • FAUSTO, Boris. História do Brasil. 4 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Fundação para o Desenvolvimento Econômico, 1996. • FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1991. • GREMAUD, Amauri Patrick. Economia Brasileira contemporânea. São Paulo: Atlas, 1996. • PELÁEZ, Carlos Manuel. Economia Brasileira Contemporânea. São Paulo: Atlas, 1987. • REZENDE, Cyro. Economia Brasileira Contemporânea. São Paulo: Contexto,1999. • ROSSETTI, José Paschoal. Política e programação econômica. 7 ed. São Paulo: Atlas, 1987. • VASCONCELLOS, Marco Antônio Sandoval. Economia brasileira contemporânea. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 1999.
  36. 36. Economia – Contábeis 2013-01 Bibliografia (2) • http://www.ppgeconomia.ufpa.br/documentos/EconomiaAmazonic a.pdf • http://www.amazonialegal.com.br/textos/economia/ • http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_estados_do_Brasil_p or_PIB • http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_estados_do_Brasil_p or_PIB_per_capita • http://www.terra.com.br/economia/infograficos/pib-estados/ • http://www.ibge.gov.br/ • http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2011/12/5/fatos-sobre- a-amazonia • http://amazonia.org.br/ • http://www.pinonfriaes.com/images/mapa_panamazonia.jpg?761 • www.pime.org.br/imagens/mapa.jpg • http://formacaoeconomicadaamazonia.blogspot.com.br/2012/03/s antos-roberto.html • http://eduardoeginacarli.blogspot.com.br/2011/07/exclusivo- resumo-da-obra-santos-roberto.html
  37. 37. Macroeconomia – Aula 20 Santarém – Tapajós – Brasil Fernando Monteiro D’Andrea

×