• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
 

Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação

on

  • 8,524 views

Apresentação da palestra "Gestão do Conhecimento, Inteligência Competitiva e Inovação", ministrada por Ângela Guimarães - presidente da Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento - Pólo ...

Apresentação da palestra "Gestão do Conhecimento, Inteligência Competitiva e Inovação", ministrada por Ângela Guimarães - presidente da Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento - Pólo Minas Gerais (SBGC - MG), no CIGEPRO 2010.

Statistics

Views

Total Views
8,524
Views on SlideShare
8,431
Embed Views
93

Actions

Likes
7
Downloads
477
Comments
1

2 Embeds 93

http://www.slideshare.net 92
http://www.lmodules.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • http://futurostecnologicos.blogspot.com.es/
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação Presentation Transcript

    • Angela Rodrigues de Araújo Guimarães
    • Uma reflexão Produtos e serviços que morreram ou estão perto da extinção Jogar videogame em um Fliperama Capacidade do disco rígido Ter 18 anos para acessar conteúdo impróprio Recepção de sinal de TV com ruídos Fotografar com Polaroid Datilografar em máquina de escrever Verificar a secretária eletrônica Mixar uma fita cassete para presentear alguém Usar relógio com calculadora U ló i l l d Armazenar dados em disquete Carros novos com acendedor de cigarro Usar papel carbono para fazer cópias Ter privacidade O que teria acontecido com as empresas fornecedoras destes produtos e serviços, se continuassem apostando nos mesmos?
    • O Desafio… Uma empresa que não INOVA será sucumbida por aquela que, através d processos d i é de de inovação, se dif ã diferencia no i mercado, por meio de produtos ou preços mais atrativos para os consumidores consumidores.
    • A criatividade de indivíduos e times é o primeiro passo para a inovação
    • A Criatividade é importante, mas nao é suficiente. A Invençao é necessária para que a ç p q inovação aconteça
    • Inventar significa g transformar uma idéia em um produto tangível.
    • Inovar significa transformar uma idéia em resultado.
    • Uma INOVAÇÃO é a implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente melhorado, ou um processo, ou um novo método de marketing, ou um novo método organizacional nas práticas de negócios, na organização do local de trabalho ou nas relações externas. OCDE (Organização p ( g ç para a Cooperação e o Desenvolvimento p ç Econômico – OECD), 2005 Inovação = Idéia + realização + resultado
    • Muitos são os tipos de inovação, e podem ser classificados de várias formas mas todas estas formas, classificações apenas indicam “onde” e com “qual intensidade” alguma coisa nova melhor ou nova, melhor, diferente ocorre. SUSTENTAÇÃO/RUPTURA Inovação de produto Inovação de processo BAIXA/MODERADA/ALTA Inovação OrganizacionalNOVIDADE I Inovação d marketing ã de k ti g EVOLUCIONÁRIA/REVOLUCIONÁRIA RADICAL/INCREMENTAL
    • Portanto, INOVAR é o PROCESSO de criação e desenvolvimento de uma idéia para construção de um bem ou serviço que vai gerar resultado para uma organização A questão central é: Como saber o que vai dar certo??? ???
    • Segundo Drucker (1987) os empreendedores possuem naturalmente um “espírito inovador”. Entretanto, Entretanto a inovação que leva ao diferencial permanente é “A inovação sistemática, ..., consiste na busca deliberada e organizada de mudanças, e na análise sistemática das oportunidades que tais mudanças podem oferecer para a inovação econômica ou social”
    • A QUESTÃO, COMO DIZIA MINHA AVÓ, É QUE PARA QUEM É PREGO, TODO O PROBLEMA É MARTELO. MARTELO OU SEJA: É DIFÍCIL TIRAR O OLHO DO PRÓPRIO UMBIGO
    • No entanto, para alcançar os resultados desejados… Do ponto de vista do Ambiente Externo Do ponto de vista do É necessário o monitoramente ambiente Interno : constante das necessidades dos clientes, das mudanças no ambiente , ç É fundamental que o processo de (tecnológico, financeiro, inovação esteja relacionado com competidores...) análises, elaboração a estratégia empresarial e de cenários e identificação das patrocinado pela alta direção da melhores estratégias empresa que deve garantir os recursos e as condições necessárias para que se crie um ambiente e cultura propícios à inovação. i ã
    • E ainda… Ter consciência da importância de inovar Entender o que é inovação e qual a sua dinâmica dinâmica. Definir uma estratégia em relação a inovação alinhada com a estratégia geral da empresa e com a sua visão de futuro. Propectar cenários futuros e avaliar as reais necessidades dos clientes Desenvolver metodologias e ferramentas para a gestão do processo de inovação Implementar a gestão da informação e do conhecimento Atrair recursos humanos, financeiros e redes de relacionamento apropriados Possuir um ambiente aberto para a inovação – pessoas e processos flexíveis Possuir capacidade de articular informações externas e internas
    • As respostas sobre o que, como, para quem p q , ,p q devem ser dirigidos os esforços de inovação, vêm em grande parte do processo de g p p INTELIGÊNCIA COMPETITIVA
    • Segundo a ABRAIC – Associação Brasileira de Inteligência Competitiva. A IC é um processo informacional proativo que p p p q conduz à melhor tomada de decisão, seja ela estratégica ou operacional. É um processo sistemático que visa descobrir as forças que regem os negócios, reduzir o risco e conduzir o negócios tomador de decisão a agir antecipadamente, bem como proteger o conhecimento gerado. Esse processo informacional é composto pelas etapas de coleta e busca ética de dados, informes e informações formais e informais (t t d macroambiente como d ambiente i f i (tanto do bi t do bi t competitivo e interno da empresa), análise de forma filtrada e integrada e respectiva disseminação. As empresas que trabalham com cenários prospectivos e analíticos e que conseguem colocar na prática o conhecimento adquirido, são as que obtêm melhores h i t d i id ã btê lh resultados.
    • Inteligência competitiva Dados e informações Conhecimento do mercado estratégico Apoia as decisões estratégicas, como as relacionadas a necessidade de inovações - define linhas de pesquisa a Pesquisa Análise serem seguidas Monitorar informações que identificar oportunidades para as afetam o mercado: empresas com foco maior no futuro econômicas, ambientais, do que em ações de curto prazo. demográficas, políticas, demográficas políticas tecnológicas, concorrentes, novos produtos…
    • Inovação Fechada Fronteiras da empresa Projetos de Pesquisa Mercado Pesquisa Desenvolvimento (intensivo em conhecimento) Controle b todo C t l sobre t d o processo d i de inovação + i ã investimento pesado ti t d em P&D interno + retenção dos principais talentos do mercado = maior lucro obtido pela inovação pioneira + proteção da propriedade intelectual Fonte: Chesbrough,2002
    • Inovação Aberta Fronteiras da empresa Novo Mercado Projetos de Pesquisa Mercado Pesquisa Desenvolvimento A organização comercializa não só suas idéi i ã i li ã ó idéias, mas t bé as d outras também de t organizações + menor necessidade de capital + maior mobilidade dos trabalhadores intelectuais + globalização + maior colaboração entre as organizações = mais produtos + novos mercados + base contínua Fonte: Carvalho,2009
    • Inovação - Redes envolvidas em ambiente de experimentação Companhia Nodal Comunidade d C id d de Fornededores consumidores Consumidor individual Ambiente de experimentação Prahalad Ramaswamy (2003) – a i P h l deR inovação não d ã ã deve estar centrada na t t d empresa ou no produto, mas aberta à experimentação externa => papel ativo dos consumidores que devem participar de uma rede sendo coparticipes do processo criativo e de geração de valor. Fonte: Carvalho,2009
    • Pode vir que é de graça Chegam ao Brasil as lojas de amostras grátis, de onde é p possível levar, sem pagar, , p g , produtos de até R$ 100 NO JAPÃO A moda da amostra grátis começou d d t áti no Exterior há quatro anos João Loes Revista Isto É – 28/Abril/2010
    • Gestão do Conhecimento Gestão explicita e sistemática do conhecimento essencial e vital para a organização. p g ç Envolve os processos de criação, registro, coleta, organização, difusão, recuperação e uso de conhecimentos vitais. Relaciona-se com a transformação de conhecimento tácito (pessoal) em conhecimento explícito (que pode ser codificado e mantido pela organização) e no seu compartilhamento. Está relacionado com o Capital Intelectual da organização contribuindo para a geração e potencialização de vantagens g comerciais e estratégicas.
    • Gestão do Conhecimento Capital Intelectual é o conjunto de ativos intangíveis que aumentam o valor de mercado de uma empresa para além d valor mensurado lé do l d tradicionalmente pela contabilidade. Capital Intelectual Capital Capital Capital de Estrutural Humano Relacionamento Cli t Clientes Inovação Processos Network Fornecedores Sistemas de Informação Pantentes Padrões Marcas Normas
    • A GESTÃO DO CONHECIMENTO também da suporte ao processo de inovação, uma vez que possibilita:
    • Gestão do Conhecimento e Inovação Utilizar lições aprendidas Reutilizar conhecimentos e informações Estabelecer um ambiente (cultura organizacional) favorável a mudanças, compartilhamento e inovações Facilitar o acesso a conhecimentos especializados Evitar o retrabalho Diminuir o tempo de aprendizagem Facilitar, mesmo a distância, através de recursos web 2.0 O acesso a especialistas Afformação d grupos d interesse ã de de A implementação de redes de conhecimento O compartilhamento de informações e conhecimentos Gerenciar conteúdo, facilitando o acesso, ganhando tempo e alcançando melhores resultados …
    • Como, em geral, as empresas de menor porte Inovam A maioria das inovações decorre das necessidades, desafios ou oportunidades vivenciadas no cotidiano destas empresas. Esta ação é muitas vezes informal e flexível. Freqüentemente estas empresas inovam sem se dar conta que estão fazendo isso, sendo que p q , q são essas inovações, imperceptíveis, que as possibilitam sobreviver por mais tempo. Para enfrentarem a concorrência das grandes empresas, resta à essas empresas utilizarem suas capacidades criativas para inovarem seus processos produtivos já existentes. A oportunidade de atender a novos clientes, a ampliação do negócio existente ou mesmo a falta de capital para aquisição de um equipamento sofisticado “ilumina” o espírito inovador dos pequenos empresários no sentido de realizarem inovações incrementais no processo produtivo ou em um produto já existente como forma de existente, aumentar a lucratividade e assim, prolongar a sobrevivências no mercado.
    • Atividades de inovação sem um processo sistematizado e eficaz
    • O Processo de Inovação para resultado Equipes multidiciplinares e criativas Equipe de vendas treinada Análise e Comerciali Foco Idéias Produção zação Definição •Equipe Técnica Equipe •Pesquisa de mercado •Recursos •Cenários Futuros tecnológicos •Pesquisa com RESULTADO clientes l •Monitormamento de concorrentes IC investimento
    • Peter Drucker e Theodore Levitt: Somente o consumidor sabe a forma de minha empresa e meus p produtos, o modelo que a torna mais lucrativa, mais ágil e mais , q , g eficaz. Entender que o consumidor tem de ser o consultor permanente sobre todas as coisas da empresa, porque só ele sabe o modelo perfeito de todas as empresas e de todos os produtos. Porque a “inovação” é feita para que ele a compre e o consumidor só compra o que quer. Só compra o produto que mais perfeitamente p q p atende às suas necessidade, aos seus desejos. O problema de muitas empresas que desejam inovar é que elas não sabem qual “inovação” o consumidor deseja
    • nova campanha do jornal O Estado de São Paulo  nova campanha do jornal O Estado de São Paulo Do que vale toda a informação gratuita que  q ç g q você coleta, se não te agrega conhecimento?
    • Amplie... A li Questione... Q ti Atualize ... At li COMPARTILHE SEU CONHECIMENTO! SEU CONHECIMENTO! 
    • Por que compartilhar seu conhecimento? Por que compartilhar seu conhecimento? "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."  (Cora Coralina)
    • Missão: “Contribuir para o compartilhamento de  conceitos, métodos e técnicas que promovam  a socialização do conhecimento, visando o  aumento da efetividade das organizações, a  competitividade do País e a qualidade de vida  das pessoas”.
    • A SBGC: PROPÓSITO E ORIGENS Criada C i d em maio d 2001 como a materialização d um movimento d empresas, i de t i li ã de i t de acadêmicos e profissionais envolvidos com Capital Intelectual, Inteligência Competitiva, Aprendizagem Organizacional, Educação Corporativa, Gestão por Competências, Competências Gestão da Tecnologia da Informação aplicada ao Conhecimento das Organizações no Brasil. Atua na sociedade civil para a discussão dos grandes temas nacionais pertinentes ao conhecimento. Por este papel de natureza social, desde 04/07/2008, a SBGC está qualificada pelo Ministério da Justiça como OSCIP – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público.
    • Atuação em nível Nacional O alcance da SBGC é Nacional, fato que se concretiza com sua presença em 10 estados – BA, CE, ES, MG, PR, PE, RJ, RS, SC e SP, e 01 (um) no Distrito Federal, totalizando 11 SBGC´s, e 08 Núcleos nas cidades de Campinas (vinculado a SBGC‐SP), Santa Maria, Serra Gaúcha, Vale dos Sinos , Lajeado (vinculados a SBGC‐RS), Blumenau, Criciúma e Joinville (vinculados a SBGC‐SC), além das comunidades temáticas criadas em seu website, a SBGC tem centenas de associados pessoas físicas, de praticamente todos os Estados brasileiros e aproximadamente 15mil usuários cadastrados cuja maioria tem formação superior, especialização, mestrado e doutorados.
    • Associados Mantenedores
    • Associados Institucionais
    • Informações info@sbgc.org.br Tel.  (11)  3063‐4360 / 3082‐9098 Tel (11) 3063 4360 / 3082 9098 www.sbgc.org.br SBGC  Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento SBGC – Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento Rua Teodoro Sampaio, 417 Conj. 111 – Pinheiros – São Paulo‐SP
    • OBRIGADA Ângela Rodrigues de Araújo Guimarães Diretora  Regional da SBGC‐MG Sócia  Diretora da Unidade de Gestão de Sócia ‐ Diretora da Unidade de Gestão de Conteúdo e Conhecimento da Documentar angela.guimaraes@documentar.com.br ( ) (31) 3343‐4800 (31) 9883‐2530 ( ) www.documentar.com.br
    • Bibliografia UNIVERSIDADE: Universidade Estadual de Campinas SOBREVIVÊNCIA OU FALÊNCIA? MICROS E PEQUENAS EMPRESAS: INOVAR É PRECISO! AUTORES: Fernando de Lima, Vivian Helena Capacle, Oscar Sarcinelli Barizon, Cláudio.  Barizon Cláudio Cultura da Inovação. IN: O Globo. Beta: O Globo: disponível em: <  http://oglobo.globo.com/blogs/tecnologia/post.asp?t=cultura_da_inovacao&cod_Post=136919& a 92>. Acesso em 6 out 2009 a=92>. Acesso em 6 out 2009 Lindberg Revoredo O grande equívoco da “inovação” HSM online Gustavo Mamão ‐ Instituto Inovação RELATÓRIO ESPECIAL EM INOVAÇÃO, “ALGO NOVO SOB O SOL”, THE ECONOMIST (13‐OUT/2007)
    • Portais corporativos no apoio à criação de conhecimento organizacional: uma abordagem  teórica ói Corporate portals in the support to the knowledge creation: a teorical approach por Cláudio Henrique Schons e Marilia Damiani Costa DataGramaZero ‐ R i t d Ciê i d I f D t G Z Revista de Ciência da Informação ‐ v.9 n.3  j 08 ã 9 3 jun08  Facilitando a Criação de Conhecimento: reinventando a empresa com o poder da inovação contínua. Georg von Krogh, Kazuo Ichijo e Ikujiro Nonaka RESUMO Por Gilson Yukio Sato Understand Innovation in Five minutes Gordon Graham http://www.slideshare.net/Brokenbulbs/understand‐innovation‐in‐5‐ h // lid h / k b lb / d di i i minutes?src=related_normal&rel=1267360 Carvalho, M. M. Inovação – Estratégias e Comunidades de Conhecimento Editora Atlas, 2009
    • MCMASTER, M. D. The Intelligence Advantage : organizing for complexity. NEWTON, MA :  Butterworth‐Heinemann, 1996. TEIXEIRA, D. R. As Faces da Inteligência : como direcionar a sua organização e definir o perfil  profissional. 2007. Disponível em:http://www.kmbusiness.net/images/dteixeira_04_2007.pdf.  Acesso em: 09/2008. TEIXEIRA, D. R. Rede de Valor para Inteligência Empresarial. Revista da ESPM, vol. 16, Edição nº  1, pg. 80 90, janeiro/fevereiro 2009. 1 pg 80‐90 janeiro/fevereiro 2009