Relatório Semestral (Ovinos e Caprinos)

  • 4,687 views
Uploaded on

Relatório semestral sobre os trabalhos feitos na cadeira de Ovinos e Caprinos (ESAS)

Relatório semestral sobre os trabalhos feitos na cadeira de Ovinos e Caprinos (ESAS)

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
4,687
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
92
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Relatório elaborado por: Nuno Coelho, CTA # 722 David Quintino, EPA#2439 Marlise Feliciano, EPA#2445 Filipe Estrela Rego, EPA#2466 Bruno Fonseca, EPA#25xx Ovinos e Caprinos - Santarém, 2007
  • 2. Introdução A principal vantagem dos ovinos para a agricultura consiste na sua capacidade de utilização das pastagens para produção de carne, de leite e lã. É o que sucede nas regiões montanhosas, nas terras de fraca fertilidade, o que de outra maneira pouca utilidade teria para fins agrícolas, e ainda nas terras de planície onde aproveitam as ervas que nascem nos pousios das terras aráveis. O principal papel no gado ovino consiste na utilização de pastagens, sendo o principal objectivo de uma Ovinicultura eficiente a obtenção de um maior rendimento possível e desejável das pastagens, o que não impede que, sempre que for caso disso, não se recorra a fenos, silagens, cereais, etc.. A raça Merina É formada por animais de razoável estatura e desenvolvimento ponderal, pesando as fêmeas adultas quarenta 30/40Kg. São animais despigmentados, dotados de mediana e boa precocidade, razoáveis aptidões para produções de carne e de lã, sendo fraca aptidão leiteira: 18 a 20 litros industrializável obtidos em 100 a 120 dias de lactação. De qualquer forma, pode dizer-se que todo o leite recolhido é destinado à fabricação de vários tipos de queijo de entre os quais sobressai o “Queijo do tipo Serpa”. Os velos são brancos, pesando nas fêmeas adultas 1,5 a 3,0 quilogramas, sendo classificados industrialmente como “lãs merinas finas” e “correntes”.
  • 3. Figura 1-Estábulo da ESAS Maneio geral As operações diárias de maneio são:  A limpeza das manjedouras, retirando o retraço;  A distribuição da palha e do feno pelas manjedouras;  A limpeza do feno e da palha que eventualmente cai nos comedouros; Figura 2-Manjedoura e comedouro  A limpeza dos bebedouros e colocação de água limpa e fresca;  A distribuição do alimento composto pelos animais;  A condução dos animais à pastagem é efectuada de manhã, e ao estábulo é efectuada ao fim da tarde;  Observação do estado geral dos animais (diarreias, claudicações, ferimentos, falta de apetite, entre outros);  Tratar os animais quando necessário;  Ter atenção aos partos;  Ter atenção ao aleitamento dos borregos;
  • 4. Figura 3-Aleitamento dos borregos  Limpeza parcial do estábulo; As operações das épocas especiais são:  Brincagem dos animais à nascença;  Colocação dos elásticos nas caudas das fêmeas, para a sua amputação, facilitando quer por um lado as cobrições destas, quer por outro a higiene e sanidade das mesmas;  Renova-se a cama dos animais uma vez por ano;  Efectua-se a avaliação da condição corporal do efectivo antes da cada época de cobrição, sabendo que esta se deve situar entre os 3 e os 3,5; Alimentação A alimentação neste efectivo baseia-se essencialmente em pastagem natural e prados permanentes, procedendo-se à sua suplementação em períodos de maior escassez de erva e em fases críticas do ciclo produtivo. Os alimentos utilizados são o feno ad libitum, e/ou concentrado, sendo este o último utilizado na dose de 250-500g/dia/cabeça, nas ovelhas na época de cobrição e no último terço de gestação; no início da lactação e na época de cobrição dos carneiros, é utilizado na dose de 500-700g/dia/cabeça; nos borregos em crescimento, na dose de 150g/dia/cabeça. Uma melhoria da alimentação das ovelhas no mês que precede o início do emparelhamento e durante a cobrição aumenta as taxas de concepção e as
  • 5. possibilidades de se obterem partos duplos e, se essa melhoria se verificar na segunda metade da gestação, produzir-se-ão crias mais pesadas à nascença. Reprodução O ritmo reprodutivo exercido na ESAS é de três partos em dois anos, sendo a primeira cobrição efectuada aos oito meses. O método de indução e sincronização de cios praticado na exploração da escola é o método de Chrono-Gest, que consiste na aplicação de esponjas, impregnadas em Prostaglandina e Terramicina, em todas as fêmeas com idade para a entrada em reprodução, após doze dias procede-se à retirada das esponjas e aplica-se PMSG na dose de 2ml por animal. Ao 14º dia, se estas se encontram em cio, são cobertas pelo carneiro, sendo a relação de um macho para dez fêmeas, fora da época normal de cobrição. O diagnóstico de gestação é efectuado através de uma ecografia por volta da 7º à 14º semana de gestação. O desmame dos borregos é efectuado nas épocas altas que são a Páscoa e o Natal, sendo o preço do borrego nesta altura mais elevado devida ao aumento da procura. Higiene e Sanidade Um adequado controlo sanitário do rebanho reduz, em muito, as mortes de ovelhas e de borregos, melhorando as taxas de crescimento, sobretudo dos jovens, através da redução dos efeitos crónicos da doença, isto principalmente no que se refere ao controlo dos parasitas gastro-intestinais, o que irá permitir que os alimentos sejam aproveitados mais eficientemente, tanto pelas ovelhas como pelos borregos, aproveitando-se, assim, ao máximo o seu potencial produtivo. - Vacinação - Desparasitação - Colheita de sangue - Colheita de fezes
  • 6. Tosquia É um trabalho de grande importância, pois, se é bem feito, contribui muito para a valorização da lã, mas se é mal feito, pode estragar um produto que demorou um ano a criar. É pela observação do velo tosquiado que o produtor pode ver os resultados do que vai fazendo para que o seu rebanho produza, ano após ano, melhor e mais lã. A tosquia é higiénica porque defende a saúde do animal. Com efeito, alivia-o da lã que, se não fosse cortada, chegaria a abafa-lo no tempo quente e a dificultar-lhe a deslocação para procurar alimento. Figura 4- Tosquia Figura 5-Ovelha tosquiada
  • 7. Caracterização da raça Serrana Os caprinos fornecem ao Homem carne, leite, peles e, sem dúvida entretenimento e companhia. As cabras Serranas são caracterizadas por efectivos de pequena dimensão (aproximadamente 40 a 70 animais por exploração), normalmente são exploradas em sistema extensivo. Em relação à reprodução, as fêmeas são poliéstricas permanentes, cobrição natural, os partos concentram-se normalmente em Outubro e Novembro, ou em Janeiro e Fevereiro. São exploradas principalmente pela função leiteira. È uma cabra de estatura média, com altura de 64cm na cernelha. São cabritos normalmente desmamados à volta dos 30 a 40 dias de idade, altura em que são vendidos. A ordenha é normalmente feita à mão e na maioria dos casos, esta só tem início após o desmame dos cabritos. A pelagem pode ser preta, castanha e ruça, podendo apresentar coloração amarela em algumas regiões, sendo a única raça caprina autóctone de pêlos compridos. O peso vivo do macho adulto é aproximadamente 35 a 50 Kg, e o das fêmeas 25 a 40 Kg. Dentro desta raça existem quatro ecótipos: Transmontano, Ribatejana, Jarmelista e Da Serra. A produção de leite total do ecótipo Ribatejano é de 250,8 litros, sendo a sua produção média diária de 1,41 litros e a sua duração de lactação de 178 dias. Figura 1-Cabra Serrana
  • 8. Maneio geral dos animais As operações diárias de maneio são:  A limpeza das manjedouras, retirando o retraço;  A distribuição da palha e do feno pelas manjedouras;  A limpeza do feno e da palha que eventualmente cai nos comedouros;  A limpeza dos bebedouros e colocação de água limpa e fresca;  A distribuição do alimento composto pelos animais;  A condução dos animais à pastagem é efectuada de manhã, e ao estábulo é efectuada ao fim da tarde; Figura 2- Cabras a pastar  Observação do estado geral dos animais (diarreias, claudicações, ferimentos, falta de apetite, entre outros);  Tratar os animais quando necessário;  Ter atenção aos partos;  Ter atenção ao aleitamento dos cabritos; Figura 3-Cabrito Serrano
  • 9.  Limpeza parcial do estábulo; As operações das épocas especiais são:  Brincagem dos animais à nascença, com um número da exploração;  As fêmeas algum tempo depois do nascimento, são inscritas no livro genealógico da raça Serrana levando o respectivo brinco;  Renova-se a cama dos animais uma vez por ano;  Efectua-se a avaliação da condição corporal do efectivo antes da cada época de cobrição, sabendo que esta se deve situar entre os 3 e os 3,5;  Efectua-se o corte dos cascos;  Pesagem dos cabritos durante o aleitamento; Alimentação A alimentação neste efectivo baseia-se essencialmente em pastagem natural e prados permanentes, procedendo-se à sua suplementação em períodos de maior escassez de erva e em fases críticas do ciclo produtivo. Os alimentos utilizados são o feno ad libitum, e/ou concentrado, sendo este o último utilizado na dose de 250-500g/dia/cabeça, nas cabras na época de cobrição e no último terço de gestação; no inicio da lactação e na época de cobrição dos bodes, é utilizado na dose de 500-700g/dia/cabeça; nos cabritos em crescimento, na dose de 150g/dia/cabeça. Uma melhoria da alimentação das cabras no mês que precede o início do emparelhamento e durante a cobrição aumenta as taxas de concepção e as possibilidades de se obterem partos duplos e, se essa melhoria se verificar na segunda metade da gestação, produzir-se-ão crias mais pesadas à nascença, desenvolvimentos esses que podem ser, posteriormente, ampliados através de uma melhor alimentação tanto das cabras em lactação, como das crias, o que tudo junto irá permitir abates mais precoces dos cabritos, maiores pesos ao abate e aproveitar os preços mais altos no mercado.
  • 10. Reprodução O ritmo reprodutivo exercido na ESAS é de três partos em dois anos, sendo a primeira cobrição efectuada aos oito meses. O método de indução e sincronização de cios praticado na exploração da escola é o método de Chrono-Gest, que consiste na aplicação de esponjas, impregnadas em Prostaglandina e Terramicina, em todas as fêmeas com idade para a entrada em reprodução, após onze dias procede-se à retirada das esponjas e aplica-se PMSG 48 horas antes da retirada das esponjas. Ao 13º dia, se estas se encontram em cio, são inseminadas, utilizando sémen fresco, ou cobertas pelo bode, sendo a relação de um macho para dez fêmeas, fora da época normal de cobrição. Figura 4-Inseminação artificial Após a inseminação artificial, o bode é colocado juntamente com as cabras, para cobrição das fêmeas inseminadas que não ficaram prenhas, assim como das que não foram inseminadas. O desmame dos cabritos é efectuado nas épocas altas que são a Páscoa e o Natal, sendo o preço do cabrito nesta altura mais elevado devida ao aumento da procura.
  • 11. Higiene e sanidade Um adequado controlo sanitário do rebanho reduz, em muito, as mortes de cabras e de cabritos, melhorando as taxas de crescimento, sobretudo dos jovens, através da redução dos efeitos crónicos da doença, isto principalmente no que se refere ao controlo dos parasitas gastro-intestinais, o que irá permitir que os alimentos sejam aproveitados mais eficientemente, tanto pelas cabras como pelos cabritos, aproveitando-se, assim, ao máximo o seu potencial produtivo. Algumas medidas: - Vacinação - Desparasitação - Colheita de sangue - Colheita de fezes