• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Aspectos Emocionais Na Gestao De Stakeholders   7CBGP
 

Aspectos Emocionais Na Gestao De Stakeholders 7CBGP

on

  • 710 views

Palestra Aspectos Emocionais Na Gestao De Stakeholders

Palestra Aspectos Emocionais Na Gestao De Stakeholders
7 Congresso Brasileiro de Gerenciamento de Projetos

Statistics

Views

Total Views
710
Views on SlideShare
708
Embed Views
2

Actions

Likes
0
Downloads
19
Comments
0

1 Embed 2

http://www.linkedin.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Aspectos Emocionais Na Gestao De Stakeholders   7CBGP Aspectos Emocionais Na Gestao De Stakeholders 7CBGP Presentation Transcript

    • Aspectos Emocionais na Gestão de StakeholdersMaio 29 a 31, 2012
    • Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL • Bacharel em Ciência da Computação;• MBA em E-Business pela FGV/RJ;• Certificado como PMP, Project Manager Professional pelo PMI;• Certificado ITIL Foundations pelo EXIM;• Mestre em Engenharia e Gestão do Conhecimento – UFSC;• Doutorando em Engenharia de Produção – UFSC;• Fundador e sócio diretor do IGCI, empresa de consultoria em Gestão do Conhecimento, Tecnologia da Informação e Gerenciamento de Projetos;• Possui mais de 17 anos de experiência em empresas multinacionais e consultorias de renome;• Especialista em banco de dados DB2, Postgres e MySql;• Linux Administrator;• Professor do curso Tecnólogo em Gerenciamento das Tecnologias da Informação (TGTI) da faculdade SENAC/SC;• Professor da Pós Graduação em Projetos do SENAC/SC;• Professor da Pós Graduação em Projetos & TI da Universidade Estácio de Sá / SC;• Professor da Pós Graduação em Administração de Empresas da SOCIESC –FGV ;• Professor da Pós Graduação em Segurança da Informação do SENAC/SC;• Membro do PMI, associado aos Chapters: PMI RJ e PMI SC;• Participou de vários projetos nas mais diversas áreas em empresas de todos os portes (Vale do Rio Doce, Embratel, Grupo Catho, Essilor, MSA, dentre outras). © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  2
    • Dinâmica da PalestraBate papo informal entre os colegas Gestores de Projetos, com intuito desocializar, externalizar, combinar e internalizar conhecimento.A medida que vamos apresentando, iremos interagir com vocês a cerca do tema;Vocês podem e devem interagir  © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  3
    • Introdução Gerenciar projetos de acordo com o PMBOK® (2008), inclui fazer face às várias necessidades, preocupações e expectativas dos stakeholders, conforme o projeto é planejado e realizado. Fato que aponta um desafio. Envolver conscientemente todos os stakeholders no projeto. É um processo de desenvolvimento individual e coletivo, que identifica as competências e necessidades de aperfeiçoamento. DEVE-SE levar em consideração suas diferenças e nuances, além de cargo, função e influencia positiva ou negativa ao projeto. Levando em consideração SEMPRE a comunicação entre as partes, mediadas pelo GESTOR. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  4
    • Valor do Compartilhamento deConhecimento O conhecimento, segundo Davenport e Prusak (1998) e Terra (2000), é o ativo de maior valor que uma organização pode ter. A disseminação deste conhecimento junto à equipe de projetos e todos os grupos de trabalho envolvendo stakeholders é uma forma de melhorá-los, desenvolvê-los como equipe e, como indivíduos. São estes stakeholders que vivenciam as experiências e compartilham os conhecimentos, ampliando as possibilidades de transformá-lo em conhecimento organizacional. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  5
    • Valor do Compartilhamento deConhecimento ... O conhecimento organizacional é a capacidade que uma organização tem de criar novo conhecimento, difundi-lo internamente e incorporá-lo aos produtos, serviços e sistemas, transformando conhecimento individual em organizacional (NONAKA et al., 2000). A aprendizagem de grupo, traz a disseminação, o compartilhamento de conhecimento, como um de seus processos fundamentais (WILSON et al, 2007). Sendo definida como: “as atividades por meio das quais indivíduos adquirem, compartilham e combinam conhecimento pelas experiências um com o outro” (WILSON et al, 2007). © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  6
    • Valor do Compartilhamento deConhecimento ... A Importância da aprendizagem de grupo e do compartilhamento para uma organização que buscam evoluir nas suas capacidades de gerenciamento de projetos e de criação de conhecimento. O compartilhamento deve permear os cinco grupos de processos do PMBOK® (Iniciação, Planejamento, Execução, Planejamento e Controle e Finalização). Este compartilhar nem sempre é um processo habitual e estruturado nas organizações. Davenport e Prusak (1998) relatam que não se atinge o benefício do constante crescimento se o conhecimento importante existe e não é compartilhado. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  7
    • Por que do Sim e Nãocompartilhamento... Fonte: Adaptado de Tiwana (2002). © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  8
    • Valor do Compartilhamento deConhecimento ... O conceito de valor difere de stakeholder para stakeholder. O que o faz ser pessoal, muito subjetivo e temporal, uma vez que esta percepção não é estática, a pessoa ao longo do tempo pode mudar de ideia, interesse, prioridade e conceito. A prática madura e estruturada do compartilhamento de conhecimento é responsável pela: Criação de VALOR organizacional: – por intermédio do desenvolvimento dos projetos, que desenvolverão processos; tecnologias; produtos; – e primordialmente GRUPOS com superior grau de competência técnica e relacional. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  9
    • Valor do Compartilhamento deConhecimento ... Esses grupos desenvolvem o que Edmondson (1999) chama de comportamentos de aprendizagem. Pela busca de: – Feedback; – Compartilhar informação; – Solicitar ajuda; – Conversar a respeito dos erros cometidos e; – Experimentar novas possibilidades. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  10
    • Valor do Compartilhamento deConhecimento ... Que é reforçado pelo PMBOK® V5. Draft (2012), que preconiza: • Exercício do diálogo contínuo para atender necessidades e expectativas dos stakeholders; • O encaminhamento das questões assim que elas acontecem; • A busca do envolvimento apropriado nas atividades e decisões do projeto.• A dificuldade disto acontecer está na parcela subjetiva da percepção do valor do compartilhamento.• Esta parcela, influencia o comportamento dos stakeholders em um grupos de trabalho (medo, suspeita, conflitos de interesse...).• Por detrás disto, têm se toda uma carga emocional. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  11
    • Aspectos Emocionais A falta do conteúdo emocional daquilo que será compartilhado pode trazer prejuízos ao completo entendimento da: – Mensagem à ser compartilhada; – Experiência vivida por cada stakeholder; E como consequência, pode esfriar a relação entre os membros do grupo, causando um afastamento. – Limitando:  O compartilhamento de conhecimento;  As ações oriundas deste compartilhamento. – Consequentemente  Reduzindo a eficiência no gerenciamento de projetos! © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  12
    • Aspectos Emocionais... O PMBOK® V5. Draft (2012), aborda: – Que há nuances subjetivas, emocionais nos stakeholders (como em qualquer ser humano) e essas precisam ser consideradas, pois afetam suas relações e o resultado do projeto. – A gestão de stakeholders diz respeito a criação e a manutenção de relações com o objetivo de satisfazer necessidades. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  13
    • Conhecendo os StakeholdersFerramenta: Pensar, Sentir & Querer O esforço para compreender os stakeholders é bem explorado por Moggi & Burkhard (2005) ao descreverem o ser humano como permeado por três energias básicas: O Pensar, o Sentir e o Querer (PSQ). Cada indivíduo possui uma delas mais desenvolvida que retratam seu jeito de ser e sua forma de ver o mundo. Para haver a mudança pretendida ou o resultado desejado em grupo de projeto é preciso buscar o equilíbrio entre o PSQ do grupo. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  14
    • Aspectos Emocionais...Pensar, Sentir & Querer A complexidade amplia-se porque cada indivíduo atua nos processos da organização e toma decisões embasadas em sua forma de ser. Surgem decisões fortemente emocionais, racionais ou situacionais, nem sempre as mais adequadas para determinada circunstância. Os conflitos aparecem quando o impacto de uma decisão ou uma ação atinge um stakeholder ou um grupo com uma dimensão psíquica (sua energia) diferente daquela de quem tomou a decisão ou realiza a ação (POPADIUK, 2006). Segundo PMBOK (2012), o conflito é inevitável em um ambiente de projeto e entre as diversas fontes de conflitos incluem-se os estilos pessoais de trabalho de cada stakeholder © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  15
    • Aspectos Emocionais...Conflitos Tratar esses conflitos, ou prevenir-se deles, requer um esforço em entender as peculiaridades humanas aplicadas ao gerenciamento de projetos e aos processos de aprendizagem. As abordagens tratadas no artigo (PSQ e HD) são de grande valia para a auto percepção e para o entendimento do comportamento e atitudes de stakeholders. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  16
    • Aspectos Emocionais...Ambiente Pensa-se emocionalmente, de forma flexível, construtiva e contextual. O ser humano não é uma máquina e sim indivíduo com diferentes experiências de vida, expectativas, emoções, formações e subjetividades e, por isso, pode compartilhar e construir conhecimento em grupo, mas precisa de um AMBIENTE ADEQUADO e uma intimidade conquistada. North (2011). Este ambiente é denominado „BA‟ por Nonaka e Takeuchi (1998). © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  17
    • Aspectos Emocionais...Ambiente ... Construção... Para isso é preciso certa grau de PROXIMIDADE, integração/COMUNICAÇÃO e capacidade de interação entre os membros de um grupo. Isso pode gerar um grau de intimidade que permita: – que os indivíduos sintam-se confortáveis e SEGUROS para demonstrar (e conviver com) suas emoções relacionadas à determinada informação (evento, processo, tarefa, acontecimento, instrução, comunicação, etc.), Completando o conteúdo racional para o compartilhamento completo da informação ou conhecimento com seus aspectos lógicos e emocionais. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  18
    • Considerações Finais O entendimento do valor do compartilhamento do conhecimento no gerenciamento de projetos está relacionado: – à percepção que o processo de compartilhar é um diferencial competitivo para a organização. – Torna-se a base para a aprendizagem dos grupos e da organização e responsável pelo dinamismo na criação do conhecimento e inovação. A criação de um ambiente com segurança psicológica permite: – que os stakeholders alcancem um estado de maior liberdade entre eles para o compartilhar livre e efetivo, – que novos conhecimentos sejam construídos sem os medos e bloqueios normalmente existentes. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  19
    • Considerações Finais... O que reforça a criação de uma área específica do PMBOK® destinada a GESTÃO DE STAKEHOLDERS. Devido a importância de aprofundar o entendimento do ser humano e seus aspectos emocionais que afetam diretamente as inter-relações humanas, permitindo descortinar falsas suposições e aparências. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  20
    • Obrigado!Esta pesquisa contou com o apoio das seguintes instituições: Contato: Helio Ferenhof M.Eng, MBA, PMP, ITI L Diretor helio@igci.com.br +55-48-9901-1615 www.igci.com.br O segredo de progredir é começar. O segredo de começar é dividir as tarefas árduas e complicadas em tarefas pequenas e fáceis de executar, e depois começar pela primeira. (Mark Twain) © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  21