Tempos Medievais

3,590 views
3,391 views

Published on

Dinis vai erguer pinhal em Leiria, está-se borrifando para a OTA. Melhor, ele já sabia que o novo aeroporto iria para Alcochete, e nem precisou de consultar a CIP. A crise leva os portugueses a descobrirem um novo petisco: andam a comer terra. Isto e muito mais na primeira e hilariante edição do “Tempos Medievais”.
Jornal da autoria de Manuel Marques, apresentado na disciplina de “Laboratório de Imprensa II”, da Licenciatura em Comunicação Social do Instituto Superior Miguel Torga. Regida por Dinis Manuel Alves

Visite outros sítios de Dinis Manuel Alves em www.mediatico.com.pt ,
www.youtube.com/mediapolisxxi, www.youtube.com/fotographarte, www.youtube.com/tiremmedestefilme, www.youtube.com/discover747 ,
http://www.youtube.com/camarafixa, , http://videos.sapo.pt/lapisazul/playview/2 e em www.mogulus.com/otalcanal
Ainda: http://www.mediatico.com.pt/diasdecoimbra/ , http://www.mediatico.com.pt/redor/ ,
http://www.mediatico.com.pt/fe/ , http://www.mediatico.com.pt/fitas/ , http://www.mediatico.com.pt/redor2/, http://www.mediatico.com.pt/foto/yr2.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/foto/index.htm , http://www.mediatico.com.pt/luanda/ ,
http://www.biblioteca2.fcpages.com/nimas/intro.html

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,590
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
30
Actions
Shares
0
Downloads
135
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tempos Medievais

  1. 1. Ano 1 Número 1 Director: Egas Capitão Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 Rainha Isabel já está em Portugal (pág. 3) Especial Desporto A população está contra mas... Dinis vai erguer Pinhal Batalha de Alvalade em Leiria (págs. 8 e 9) - Dinis Vs Afonso Quem sairá E ainda... vencedor? (págs. 6 e 7) Carolina de Odivelas revela os segredos do Rei, no seu livro “Eu Um jornal que vale por Concubina” (pág. 11) si. Não serão oferecidos quaisquer Habilite-se a uma fabulosa peregrinação. Veja como brindes para aumentar a tiragem (vá, se calhar, somos capazes de dar uma carroça ou algo do género, quando as na última página. (pág.14) vendas começarem a correr mal).
  2. 2. 2 x Tempos Medievais Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 Pessoal O Cavaleiro Andante pagarão bom dinheiro para Tem algum problema, reaver as suas esposas (ou e não sabe o que há- não). Quanto ao chapéu, não de fazer? Escreva ao se preocupe, pois estando Cavaleiro Andante, colado à cabeça, mantém a integridade dos seus piolhos, que ele dá-lhe a que assim não se misturam solução. com os de outras cabeças. S empre fui muito acarinhado entre as C aro Cavaleiro mulheres. O meu Andante, reparei costume de lhes levantar o que nas pinturas que chapéu como cumprimento é temos hoje em dia, as pessoas reconhecido em toda a aldeia. parecem maiores que as casas, No entanto, recentemente e não se consegue perceber tenho-me deparado com quando um objecto está mais um problema, que a este próximo, ou quando está hábito diz respeito: tenho afastado. Pode explicar-me o chapéu colado à cabeça porque é que isto acontece? e não o consigo levantar para cumprimentar as ditas Gabriel Pensador senhoras, o que tem feito Rua Nova, nº13 baixar (e muito!) os meus que, de cada vez que alguma níveis de popularidade. O R: Vejo que o meu amigo é senhora passe por si, lhe um galã, preocupado com dê uma valente cacetada R: Hum… esta carta tem pior de tudo é que estamos um ligeiro aroma a heresia. em Janeiro e ainda faltam 6 a imagem que passa aos na cabeça e, em seguida, demais. O meu conselho: carregue-a para sua casa. Aconselho-o a ficar em casa, meses para o banho anual de e não falar a ninguém sobre Julho. Que posso eu fazer? deixe-se disso! Afinal, Verá que assim consegue estamos na Idade Média, obter muito mais que um esse assunto. Alguém irá ter deixe as delicadezas para simples “Bom Dia”. Além consigo para lhe resolver o Anastácio Berbigão problema. Rua do Água Vai, nº3 os Renascentistas. Sugiro disso, os respectivos maridos Publicidade Escola de Noivas Classificados - Castelo, pronto a habitar. Grande área para feudo, com muitos aldeões dispostos a oferecer obediência cega ao seu senhor. Pequenas fracturas na muralha principal, e alguns problemas na barbacã, devidos a recente invasão. Os interessados terão apenas de conseguir tirar os invasores de lá. - Palhota no centro de Lisboa. Fabuloso negócio. Sem grandes acabamentos mas com uma população de ratos que poderá servir de alimento nas horas mais difíceis. O tapete de palha e um buraco no chão proporcionam excelentes Para quem está farta de esperar que o príncipe encantado apareça à janela condições sanitárias. Motivo: os antigos proprietários morreram Garantimos: (estranhamente) de peste. - Preparação desde os 5 anos de idade - Gruta. A melhor habitação - Colocação Imediata possível. Esculpida por Deus à altura da Criação. Acabamentos Inscreve-te Já! divinos. Fresca no Verão, e um pouco mais no Inverno. Bom refúgio para depois de uma pilhagem.
  3. 3. Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 3 Tempos Medievais x Notícias do Reino Habemus nobiam! Trancoso é o palco da cerimónia oficial Chegaram ao fim os a esforços e ofereceu 3 vilas e dias de liberdade do Rei. 12 castelos (ver caixa). Valores Depois de dois anos nunca antes vistos, que fazem de difícil negociação, de Isabel a transferência mais Isabel atravessou cara de sempre entre as duas nações. O Rei está confiante finalmente a fronteira no desempenho da Rainha, para ser desposada por de quem julga “ter potencial Dinis. Trancoso foi o para convencer os Portugue- local escolhido para ses de que é a melhor solução a cerimónia oficial, para o Reino”. uma vez que os dois No entanto, a dimensão dos já tinham casado pelo valores e a idade da jovem, civil, no ano passado, alimentam alguma polémica em Barcelona. entre o povo luso: “Não sei se ela se vai adaptar. Já não vai para nova, e isto de ser Rainha D inis seguiu a tradição tem muito que se lhe diga. Se e encetou um namoro tivesse 5 ou 6 anos, era mais à moda antiga. Pri- fácil aprender os nossos cos- meiro, em 1280, a visita de tumes, mas estes pirralhos de uma embaixada portuguesa 11 anos já costumam ter von- a Aragão, que avaliou o po- tade própria, são mais díficeis tencial de Isabel como futura de vergar” afirmou Beatriz rainha dos portugueses. Aí, Cotovia, mexeriqueira da al- ocorreram as primeiras trocas deia, ao Tempos Medievais. de olhares cúmplices, quer Já para Afonso Maltrapilho entre Dinis e Isabel, como a preocupação recai no valor “Continua a olhar para ela assim e ainda levas um estalo” diz entre Pedro III de Aragão do dote “Há muita menina Isabel. (Pai de Isabel) e a bolsa do formada cá em Portugal, com nosso monarca. Em seguida, capacidade para representar muito que festejar em Tran- me tivesse levado ao Algarve, os Aragoneses, desconfia- as melhores casas da nobreza coso. Ou não, pois a Rainha mas parece que aquilo está dos como sempre, enviaram europeia. Bastavam as 3 vilas confidenciou-nos estar um complicado com os mouros.” por sua vez uma embaixada para o Rei desposar qualquer pouco desapontada com o E aproveita para deixar um a Portugal, para ver se Dinis uma delas. Mesmo assim re- local escolhido para a boda: aviso ao Rei ”É bom que ele era mesmo o rei cá do sítio. solveu apostar no estrangeiro, “Esperava algo mais paradi- se esforce muito mais quan- Com tudo certo para a jo- e eu acho que por esse preço, síaco. Trancoso é quase tão do tiver de me contar sobre vem encarnar o papel de Rai- é bom que ela faça milagres.” frio como os Pirinéus, mas algum bastardo.” nha de Portugal, faltava ape- Para ver os milagres ainda dez vezes mais feio. Para nas definir o dote. O monar- teremos de esperar um pou- cado lado que olhe só vejo ca português não se poupou co, pois para já Isabel tem granito. Gostava que o Dinis À atenção dos habitantes de: - Vilas: Abrantes, Óbidos, Porto de Mós - Castelos: Vila Viçosa, Monforte, Sintra, Ourém, Feira, Gaia, Lamoso, Nóbrega, Santo Estêvão de Chaves, Monforte do Rio Livre, Portel e Montalegre A partir de agora, quem manda, é a Rainha!
  4. 4. 4 x Tempos Medievais Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 Notícias do Reino “Comam terra!” Alimento “alternativo” conquista cada vez mais adeptos. A Igreja está habituada a mostrar o caminho para a salvação. Agora, mostra também o caminho para uma barriga cheia. O Padre António Esperto lidava diariamente com os malefícios da fome na sua paróquia. Até ter uma ideia, no seu entender, brilhante: começarmos a comer terra. “A lógica é simples: praticamente tudo o que comemos vem da terra, ou seja, alimenta-se da terra. Se comermos terra, estamos só a atalhar caminho.” A população da paróquia de António aderiu à moda, tendo a terra passado a fazer parte dos menus de cada A terra marca presença nas mesas dos lares portugueses. casa. Os relatos dos cidadãos são elucidativos quanto à uma bela sopa, que fica ainda umas migazinhas de xisto com especiarias, e o especial qualidade do alimento: “É mais saborosa se apanharmos com terra de uma antiga da casa, terra “flambé”. uma boa solução. Juntando um bocado com minhocas”; plantação de couves, que só Aos relatos de que algumas um bocado de água faz-se “A minha Maria já inventou visto!” pessoas já se sentiram Publicidade Mas a ideia não se esgota na mal por utilizar a solução qrsqrstqrst qrsqrstqrsqrsqrst t t t t mesa do povo. Está prevista a proposta, o que poderá por construção de um restaurante em causa a qualidade da terra orientado para as classes como alimento, António qrst Academia do Saber qrst mais altas. O “Chez Terre”, Esperto responde com a vai satisfazer as necessidades defesa inabalável: “É porque mais exigentes dos fidalgos eram gente de má rês, e Deus qrst qrst portugueses, através das suas assim o quis.” Curso de Português iguarias: terra “glacé”, terra Essencial, agora que é a língua oficial do qrst qrst Portugueses vivem à larga reino. Peste negra, crises de estão tão fracos com a fome qrst qrst Já sabe Português? fome, falta de condições de que nem sequer falam.” Então, aprenda Espanhol! higiene e uma esperança de Depois da última crise de vida miserável são alguns fome, o senhorio de Afonso qrst Útil para transmitir às gerações vindouras, qrst porque um dia, algum familiar seu irá ser dos problemas em viver na perdeu quase toda a sua governado pelos Filipes. Idade Média. “Só para quem população, passando de 300 qrst tem pensamento negativo” habitantes, para apenas 50. qrst diz-nos Afonso Mata, Algo que o senhor até vê com Não sabe quem são os Filipes? nobre português, que vê as bons olhos: “tenho campos Então, tente o nosso novo curso de qrst qrst calamidades do nosso tempo a perder de vista, posso Futurologia! como benesses para a vida dos dinamizar a agricultura. As E fique a saber tudo o que aí vem. As maio- que ficam.“Temos espaço para ruas da aldeia também estão qrst qrst dar e vender. Antigamente muito mais limpas, pois res catástrofes, as revoluções políticas e até tinha de ordenar o território sempre são menos 250 baldes a hora em que irá falecer! para cultivo, arbitrar guerras despejados pelas janelas, qrst qrst Inscreva-se Já! entre agricultores e às vezes, diariamente. Que venham até me via obrigado a matar mais doenças e pragas, que um ou dois para solucionar o quanto mais calamitosas, qrstqrst qrst qrst qrsqrsqrsqrst t t t problema. Agora não tenho melhor!” chatices, os que sobrevivem
  5. 5. Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 5 Tempos Medievais x Notícias do Reino Português é a nova língua oficial do Reino E é para manter ad infinitum! P or ordem do Rei, os os portugueses: “É a melhor documentos oficiais opção. Nem eu, que até es- do Reino vão começar crevo umas cantigas, perce- a ser redigidos em Português, bo o latim, o que dificulta a em detrimento do latim. Es- gestão do reino. Que sentido queçam os Ad libitum, os tem falarmos uma língua, se Cogito ergo sum e os Gloria escrevemos noutra? Agora in excelsis Deo, porque com vai tudo em Português.” o Dinis, não há mais latins! “É uma má opção” contra- E realmente, se somos por- põe Sancho Bojudo, padre de tugueses, porque deveríamos Lisboa. “Os populares estão escrever em latim? Porque habituados a ouvir a mis- desde o Império Romano as- sa em Latim e, embora não sim acontece? Tretas!! Já nos percebam nada, vão para casa basta termos ficado com a felizes. Se a disser em Portu- Santa Madre Igr… (Nota do guês, eles até são capazes de jornal: o escriba que redigia começar a discutir a homilia este texto teve de ir conversar na praça pública. E isso pode com uns senhores encapu- ser perigoso...” Monges vão passar a escrever em Portugês zados. O texto seguirá, sem Os juízes também ficaram anomalias, nem atentados apreensivos com a decisão do tentia Generandi, e provocar pequeno grupo de pessoas, fúteis ao pilar que sustenta a Rei. Argumentam que o por- a risota na sala, sem que ele uma elite, que acaba por in- nossa existência). tuguês vai “tirar toda a pia- perceba o que se está a pas- fluenciar os destinos do Rei- Apesar da contestação da à advocacia”. Vasco Mão sar. Estas pequenas pérolas no. Com esta mudança, os (completamente legítima) Firme, juiz do Porto, explica do direito vão perder-se por documentos poderão ser de- da Igreja, o Português vai ser porquê: “Com o latim pos- completo com a adopção do cifrado por: o mesmo grupo mesmo a língua oficial. O so, por exemplo, dizer a um vernáculo.” de pessoas que já os decifrava nosso Rei aposta na língua acusado de homícidio que ele O latim é uma língua difí- em latim! como factor de união entre vai ser condenado a Impo- cil, dominada apenas por um Tempos Medievais ijkl Director: Egas Capitão Sub-Director: Alberto Resende Chefe de Redacção: Júlio Matos Editor: Alfredo Navegante Jornalistas: Pêro Curto, Vasco Sameiro, Aurélio Canhoto, Edgar Cavaleiro Paginador: Epistémio Salvador Retratista: Carlos da Silva
  6. 6. 6 x Tempos Medievais Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 Desporto Há luta pelo trono D. Afonso parte ao ataque e D.Dinis não vai dar o trono de graça Animem-se os aprecia- idade. Pelos padrões da épo- dores de uma boa cha- ca, ele já nos está a dever uma cina! Está a chegar o dia morte há 10 anos. Eu só vou do grande embate entre fazer com o que o ciclo na- as tropas do Príncipe tural se complete. Em relação herdeiro D. Afonso e as à batalha propriamente dita, do Rei D.Dinis. O lo- só espero não vir a perder por cal escolhido é Alvala- culpa de um árbitro caseiro, de, por isso, marquem que ao mínimo arrancar de já o lugar e preparem o olhos interrompa a partida. farnel, que o espectá- Tirando isso, estou plena- mente confiante nas capaci- culo promete… dades dos meus pupilos para chegarmos à vitória.” A s tropas de Afonso es- A idade de Dinis já é avan- tão com a motivação çada, e o monarca deveria em alta. A campanha estar a gozar uma merecida já vai longa, mas os soldados reforma. Nos últimos tempos não mostram sinais de cansa- surgiu o rumor de que tem ço. Especialmente depois da estado acamado, o que pode- vitória sobre o infante caste- rá facilitar a tarefa do Prín- lhano D.Filipe que, conven- cipe Afonso. Fragilizado pela cido que ninguém dava por doença, o Rei pode não ter ele, tinha resolvido cercar grandes hipóteses. Mas no Badajoz. Dinis delegou no campo de batalha, não é só a seu filho Afonso o papel de força que conta, e no domínio resolver a situação. O prín- táctico, Dinis poderá levar a cipe português ainda tentou vantagem. Mesmo assim, o com bons modos, mas os cas- seu discurso é cauteloso: “O telhanos são duros de ouvido, adversário está com a moral e Afonsinho marchou sobre alta, e nós aparentamos estar a vila. O espanhol fugiu. “Foi uns furos abaixo em termos a vitória mais fácil da minha de forma. Do nosso lado te- vida. Nem sequer tivemos de Uma pequena amostra do que poderemos encontrar no campo mos a vantagem de jogar em combater. Só que os soldados de Alvalade. casa e da experiência adqui- estavam à espera de mais e rida ao longo de 50 anos de começaram a exigir sangue. sobre Lisboa. Não foi uma peitar, pois no seu testamento batalhas. Pode faltar-nos a Não tive outra opção senão decisão fácil, mas a verdade é colocou um dos filhos bastar- frescura da juventude mas, no ordenar que marchássemos que não havia mais ninguém dos, Afonso Sanches, como campo, são 500 contra 500, e com quem guerrear nas ime- primeiro na linha de suces- tudo pode acontecer.” diações.” contou Afonso ao são. “Não posso dizer que E o que será que vai aconte- l “Tempos Medievais”. me tenha deixado satisfeito cer, continuaremos a ser go- Apesar de se desculpar com ser preterido em favor de um vernados por Dinis até à hora a vontade das tropas, a ver- bastardo. Sempre me esforcei da sua morte, ou será que va- dade é que Afonso, primeiro por ser um bom filho, mas mos ter Afonsinho no trono filho de Dinis, há muito que parece que o meu pai não antes do tempo? Teremos de sonha com o trono. Um so- está de acordo. É, com certe- aguardar até ao fim do com- nho que o Rei não quer res- za, demência provocada pela bate para descobrir.
  7. 7. Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 7 Tempos Medievais x Desporto “...temos a vantagem de jogar em casa e da experiência adquirida ao longo de 50 anos de batalhas.” D.Dinis “Só espero não vir a perder por culpa de um árbitro ca- seiro, que ao mínimo arrancar de olhos interrompa a par- tida.” D.Afonso As Figuras Carlos Medroso, O Talhante Elias Esmaga-Tudo, O General de Boticas (D.Afonso) Sem Olho (D.Dinis) A sua figura frágil e algo enfeminada pode Temeroso guerreiro, Elias perdeu o olho numa dar a ideia de que é um cobarde sem grande disputa doméstica, quando tentava demonstrar à mulher que a faca é o melhor utensílio para aptidão para o combate. E quem pensar levar a comida à boca. assim não anda longe da verdade. Carlos é Rápido a entrar pelos flancos, estraçalha as mesmo cobarde, mas a sua cobardia tem- defesas inimigas numa questão de segundos. lhe garantido a sobrevivência durante A graciosidade no manuseamento da espada a campanha do Príncipe Afonso, rumo e o seu papel nas transições ofensivas são m ao trono. Esquivo, costuma esperar pelo gabados em campos de batalha pela Europa primeiro embate entre as tropas, para fora. A sua voz de comando é muito respeitada depois atacar com o seu cutelo e reduzir os no seio das hostes de Dinis, e tem sido uma adversários a bifes da vazia, iscas e bifes da força determinante no sucesso das campanhas pá. Ninguém desmancha um soldado como do Rei. No entanto, o facto de só ver metade ele. do campo de jogo pode colocar em causa o seu desempenho como distribuidor de pancada.
  8. 8. 8 x Tempos Medievais Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 Destaque O pinhal da discórdia Espírito vanguardista do Rei não agrada à população O Rei planeia navegar para o precipício. plantar um pinhal Se Deus quisesse que em Leiria, mas não fôssemos marinheiros parece que vá ter e andássemos às voltas vida fácil. Ainda pelo mar, tinha-a feito nem começaram redonda, ou algo que a ser colocadas valha.” E não são só os mo- as sementes, e já radores a sentirem-se a população se afectados pela ideia de revolta contra El-Rei. Ao que pare- uma obra que, ce, o pinhal terá gran- no entender dos de impacto nos sectores habitantes “vai turístico e imobiliário, o roubar toda a que motivou vários ope- qualidade de vida radores turísticos e em- nas redondezas. preiteiros a juntarem-se à população no protesto. A proposta do Estes profissionais cla- monarca tem mam que o pinhal “vai em vista a acabar com o turismo plantação de um pinhal na região”, e ao mesmo na zona oeste do Reino, tempo, “aumentar a di- que segundo Dinis “…é ficuldade em convencer uma obra de grande quem cá vive a comprar envergadura, que vai casa”. Adalberto Fajão, enaltecer o espírito da empreiteiro leiriense, nação portuguesa.Todos dá voz ao descontenta- os grandes países já têm mento: “As pessoas vão um, e nós não podemos deixar de vir aqui passar ficar atrás. Daqui a férias. Neste momen- uns tempos começam to, para chegar à praia os Descobrimentos, basta atravessar meia e eu estou confiante dúzia de quilómetros que, desta vez, vamos a pé. Com as árvores bater os espanhóis. pelo meio demoramos Sem o pinhal, como é o dobro do tempo. As que querem fazer uma pessoas vão começar a caravela que seja?” ir para o Algarve, onde “Agora ainda estão quase do nosso tamanho, mas esperem até eles crescer Só que os moradores podem morrer às mãos não se enternecem dos mouros, mas não é alcatifa e poucas (ou vendê-lo!” com a história dos preciso andar tanto para nenhumas!) aberturas Com tantos opositores Descobrimentos. ver o mar. Vai devastar o que permitam a circula- a tarefa do Rei torna-se Consideram até que é nosso turismo. (...) Do ção do ar. Se juntar o pó cada vez mais ingrata. No rídiculo estar a pensar sector imobiliário então, dos pinheiros e não tiver meio de toda a contestação, em fazer navios para nem se fala! As nossas uma vista marítima para Dinis conseguiu reunir o navegar o mundo “Toda cabanas costumam ter contrapôr, é uma sorte se apoio de apenas uma pessoa a gente sabe que a Terra algumas infestações de conseguir dar um buraco (ver caixa), enquanto o nú- é plana, vamos estar a ratos, palha suja como a alguém, quanto mais mero de apoiantes do Não
  9. 9. Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 9 Tempos Medievais x Destaque de monumento ao progresso: o Aeroporto da OTA! Com os pinheiros plantados na zona, os aviões vão embater neles ao descolar. Só à con- ta de remover os pinheiros, os governantes da época vão gastar metade do orçamen- to.” conta-nos Arlindo Adi- vinha-Tudo. E explica: “Um aeroporto é um sítio para aterrar aviões. Os aviões são umas máquinas que permi- tem que o homem voe. Na altura, governar os mares vai ser coisa do passado, e tere- mos de estar preparados para governar os céus.” Instado a comentar a pre- visão do vidente, o monarca recorre ao eufemismo: “É um imbecil! E por isso é que temos medidas para pessoas como ele! Eu sou um ho- mem sensato, e até acredito que exista algum fundamen- to nas queixas sobre o efeito no turismo e na habitação. Agora, acreditar que existirão máquinas para voar? A única coisa que vejo a voar nos pró- ximos tempos é esse vidente, e vai ser em forma de cinza!” Caravela. É numa barcaça destas, com aspecto de casca de noz, E termina “o pinhal vai para que Dinis espera que dominemos o mundo. a frente, e acabou!”. O único apoio do Rei rem” cresce a olhos vistos. As ra- De todas as pessoas com muita sombra, animaizinhos sei de que se queixam os zões levantadas pelos habi- quem falámos, apenas uma a brincar…” conta-nos habitantes. Dêem-me um tantes e profissionais da zona parece querer apoiar Dinis entusiasmado, Jacinto Domingo de Agosto, duas são fortalecidas pelo sonho na sua demanda pelo cultivo Chama Acesa, carpinteiro de pedras e um pau, e só têm de um vidente: “Entre os sé- dos pinheiros: “Há muito que profissão e incendiário por de trazer o porco no espeto culos XX e XXI (embora as esperava que um Rei tomasse vocação. “Apoio porque acho para fazermos um belo obras possam arrastar a coisa uma decisão destas. Um que vai ficar muito bonito churrasco!” até ao séc.XXII) vai ser cons- grande pinhal, verdinho, com quando estiver a arder. Nem truído em Portugal um gran-
  10. 10. 10 x Tempos Medievais Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 Notícias do Reino Igreja controla as nossas mentes Lenhador inicia cruzada contra o poder da instituição A gostinho Burrinho as afirmações “infundadas” por pensar que se tratava de acabar com a organização está estupefacto com de Agostinho “Isso só existe um assalto inimigo. Depois antes que morresse mais a sua descoberta: a na cabeça dele, não passam disso o vice-presidente ficou alguém. Ao menos enquanto Igreja anda a controlar as de teorias da conspiração. acamado após ter jantado acreditamos na Igreja, há nossas mentes! Há uma explicação lógica em casa de um Bispo, e sempre explicação para tudo, Os primeiros indícios de para tudo: o nosso amigo acabou por falecer também. e se morrermos, ainda dá para suspeição que levaram o da ordem de Cister tinha Ao que parece, o cozinheiro ir para o Céu.” lenhador a questionar os de estar agrilhoado para não enganou-se, e salgou a métodos da Igreja, surgiram se meter com a pequenada, galinha com cianeto. É muita enquanto assistia ao relato pois é muito dado a essas má sorte junta, e resolvemos de um milagre. Nesse relato, brincadeiras; e quanto ao descrevia-se um dos milagres tamanho das catedrais, elas de São Vicente, que libertou têm de ser mesmo assim. Se um monge cisterciense não tiverem um pé direito maiorquino do cativeiro alto, como espera que seja sarraceno. O monge tinha possível respirar numa sala vindo a Lisboa agradecer ao com mais de 50 pessoas? Santo, e a Igreja prontamente Nós só pensamos no bem da lhe organizou uma recepção. Humanidade.” Mas com um toque de A demanda de Agostinho classe… pela transparência nos “Eu estava a ver o relato métodos da Igreja não é e reparei em algo que me tema novo. Em tempos, foi pareceu estranho. O monge até criada uma organização, assistia ao evento algemado como suporte a estes ideiais, e agrilhoado.” E foi aí que a auto-intitulada “Quem teve a ideia de questionar Gira Somos Nós”. Um grupo a autoridade da Igreja? de pessoas inteligentes, que “Não foi bem aí. Ainda fui conseguiu libertar-se da para casa e andei um ou escravatura mental imposta dois anos a pensar nisto. Só pela religião, mas que teve depois é que percebi: eles vida curta, vítima de muitos andam a manipular as nossas infortúnios. “Os altos cargos cabeças. Tudo o que fazem da associação tiveram muito tem um efeito subliminar, azar.” Conta-nos Ludovico que nos força a seguir os Sabe Tudo, antigo membro seus ensinamentos, sem os da Q.G.S.N. “o nosso questionar. Já reparou que presidente morreu quando, ao as catedrais são dos maiores subir uma escada para reparar edíficios que temos?”. o sino da igreja da aldeia, um Contactado por nós, o monge lhe despejou 50 litros monge Rodrigo Beato refutou de azeite a ferver em cima, O dia que mudou a vida de Agostinho Burrinho uvwx uvwx uvwxuvwx uvwxuvwxuvwxuvwxuvwxuvwxuvwxuvwxuvwuvwxuvwx uvwx uvwuvwxuvwx uvwuvwxuvwxuvwxuvwx uvwxuvwx uvwx x x x uvwx Massacre Box uvwx uvwx - Compre já o seu bilhete de época para as batalhas mais sangrentas, antes que uvwx uvwx esgote. uvwx - Os 10 primeiros a comprar ganham uma viagem para assistir em directo a uma uvwx Cruzada, com lugar na primeira fila! uvwx uvwx uvwx uvwxuvwxuvwxuvwx uvwxuvwx uvwxuvwxuvwxuvwuvwx uvwxuvwx uvwxuvwx uvwxuvwxuvwxuvwxuvwx uvwxuvwxuvwx uvwuvwxuvwx uvwx x x
  11. 11. Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 11 Tempos Medievais x Notícias do Reino Livro bombástico ameaça Dinis Antiga amante solta tudo cá para fora A bomba estoirou. zer quaisquer comentários Depois de muitas sobre o conteúdo do livro. ameaças, Carolina Quem não tem andado de Odivelas resolveu lan- calada é a irmã gémea de çar o livro onde descreve Carolina (e também ela pormenorizadamente o amante de Dinis), Ana de tempo que passou com o Odivelas, que veio a públi- Rei, enquanto durou a sua co desmentir as acusações, relação extra-conjugal. em defesa do monarca: “É O manuscrito demorou tudo uma invenção para dez anos a ser escrito por conseguir protagonismo. um monge fugido do mos- Ela sempre foi assim, já teiro, e está agora disponí- com cinco anos fazia qual- vel nas bancas para clarifi- quer coisa para ser a prefe- car a face oculta de Dinis. rida dos nossos pais. Lem- O que esconde o nosso so- bro-me de uma vez, em berano? Que jogos sexuais que tínhamos convidados, depravados se desenrola- e a Carolina decidiu fazer rão no leito real, enquanto uma dança esquisita para a Rainha Isabel distribui os alegrar. Parecia uma pão aos pobres? cobra enroscada a um dos “É claro que não vos vou pilares do castelo. Foi um contar, senão ninguém me espectáculo tão repudian- compra o livro! Mas posso te, que os homens presen- dizer-vos que é tão pican- tes começaram a atirar-lhe te, que um dia o Marquês com tudo o que tinham à de Sade vai andar com ele mão: jóias, moedas e prati- debaixo do braço.” avança camente todos os perten- Carolina. O Rei, apanhado em flagrante com Carolina de Odivelas ces que carregavam.” No A obra da meretriz não que toca às acusações fei- vive apenas de trama con- que retira privilégios ao tulência, descrita neste tas pela irmã ao Rei, Ana é jugal, havendo espaço para Clero. Hoje pediu-me que, excerto:”É Sábado à noite, pragmática: “Eu acompa- as jogadas de bastidores se tivesse tempo, mandasse e o Didi foi para um ban- nhei o Dinis muitos anos, do Rei na política penin- um presente ao Bispo, para quete.(…) A certa altura e sei que ele nem gosta sular. A meio do livro, Ca- o confortar. Já sabia o que as paredes do castelo co- muito de estar na cama. rolina relata com precisão isso significava. Estava na meçam a tremer, e os ar- Prefere a sua secretária, o episódio em que teve hora de chamar o Madu- queiros tomaram posições onde escreve sem parar os de contratar mercenários reira Arranca-Pinheiros nas amuradas, receando poemas e as cantigas de para fazerem o trabalho e os seus comparsas, para um ataque inimigo. Afinal, amigo. E muitas cantigas sujo do reino, e que nós aquecerem o pêlo ao clé- era só o Didi que estava à faz ele…Aliás, com o Di- transcrevemos: “O Didi rigo.” porta. Tinha havido sopa nis, é praticamente só can- anda chateado. A culpa é Avançando na obra, de cevada com couve ao tigas.” do Bispo de Gondomar, descobrimos detalhes da jantar…” que está farto de dizer mal vida do monarca, como a O Rei tem optado pelo dele por causa do decreto sua propensão para a fla- silêncio, escusando-se a fa-
  12. 12. 12 x Tempos Medievais Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 Você é um nobre? Até pode ter o aspecto, o dinheiro e o cheiro. Mas será que tem tudo o que é preciso para ser um nobre? Responda a este questionário e descubra. 1 - As suas maneiras à mesa são: impostos e decapita os que lhe fizerem frente. Depois, espeta Resultados a)Delicadas. as cabeças em estacas, e utiliza- Se escolheu maioritariamente b)Não muito delicadas, mas as para delimitar os campos de a resposta a): Esqueça a vida sem ir ao extremo de comer com cultivo. de nobre. Falta-lhe tudo o que as orelhas. é preciso para ser bem sucedido c)Iguais às de um javali 5 - Com que frequência neste meio. Aliás, pelas enraivecido. toma banho: respostas que deu, você até a)Normalmente, duas a três parece um pouco enfeminado, 2 - Quantos bastardos tem: vezes por ano. com todas essas maneiras a)Nenhum. b)Uma vez por ano, quando se educadas e bons costumes. b)2 ou 3, porque a mulher fica começa a formar uma carapaça Se entretanto enveredar pela chateada se forem mais. em cima da pele. pedofilia ainda pode chegar a c)No mínimo 10, de certeza. c)O que é um banho? Bispo. A partir daí fiquei sem dedos para contar. 6 - Os monges do mosteiro Se escolheu maioritariamente local pedem-lhe dinheiro a resposta b): Ainda não é um 3 - O Rei de um país vizinho para efectuar obras na nobre, na verdadeira acepção oferece-lhe a filha de 6 anos Igreja. Você: da palavra, mas está no bom em casamento, o que é que a)Dá-lhes o que querem, pois caminho. Se fizer mais alguns faz: está a garantir a sua salvação. bastardos, os verdadeiros a)Agradece, mas prefere esperar b)Dá-lhes o que querem, nobres vão começar a olhar que ela seja mais velha. mas exige que a obra seja para si com deferência. Domine supervisionada por si. a difícil arte de eructar (ou b)Aceita, porque não é todos c)Exige que em troca lhe dêem arrotar, para os nossos leitores os dias que se recebem ofertas a chave da porta de trás do menos letrados) uma cantiga destas. convento de freiras. de amigo, e vai ver que se c)Aceita a filha do nobre, e torna o centro das atenções em ainda traz a prima de 2 anos, banquetes. que vai dar muito jeito para 7 - A meio de uma batalha a casar com o seu sobrinho recém- sua espada parte-se. Você: Se escolheu maioritariamente nascido. a)Bate em retirada. a resposta c): Parabéns! Você b)Regressa a um ponto seguro é um nobre, com todos os 4 - O povo do seu feudo e tenta arranjar outra arma atributos e especificidades que queixa-se de que os para voltar ao combate. a condição exige. Não precisa impostos sobre as culturas c)Começa a rir de uma forma de mudar nada, pois já tem estão altos demais. Você: alarve, utiliza o que restou tudo para ser bem sucedido. a)Dialoga com a população da arma para decepar um dos Se lhe estiver a apetecer um na tentativa de chegar a um braços e salpica os inimigos desafio, organize um exército entendimento. com o seu sangue enquanto (grande, de preferência) e b)Finge que não ouve e segue a grita: “Contemplem o poder da tente derrubar o Rei (mas sua vida. sífilis!” não diga que fomos nós que c)Aumenta ainda mais os sugerimos).
  13. 13. Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 13 Tempos Medievais x Mundo Animal A Besta Infernal / Monstrus Apocalipticus O que é: As estranhas criaturas que povoam - Não sabemos ao certo, mas tem ar de quem está ligado ao o nosso mundo. Desenhos fiéis e Apocalipse. Tem dentes de- masiado grandes para comer baseados em avistamentos credíveis. apenas pernas de carneiro, Assim como as descrições que os e a cauda com espinhos im- põe algum respeito. No papel acompanham. quase parece bonito, embora duvidemos que ao vivo esta impressão se mantenha. Perigosidade: A Cobra Gorda / Enfartatus Viperus -Bem, o Apocalipse é o fim dos tempos, não é? O que é: Devemos fugir?: - Uma tenebrosa serpente -Ainda estamos a rezar para nunca encontrarmos um. que, quando come uma presa, guarda-a no es- tômago. Depois, a presa O Peixe Olho de Javali / Javardus Pisces fica condenada a ajudar na Opticae locomoção do animal para toda a eternidade (ou até a O que é: - Uma besta feroz (e feia!), serpente encontrar outra presa), usando para tal os seus mem- misto de peixe e javali, com bros superiores. Daí a serpente aparentar ter patas. vários olhos sobre o dorso. Perigosidade: Utiliza-os para hipnotizar as - Depende, há quem aprecie o calor do estômago no Inverno. vítimas, mesmo que estas se No entanto, sair pode revelar-se um problema. escondam atrás dele (o olho Devemos fugir?: em causa não é vísivel no de- senho). Depois obriga-as a afogarem-se na água. Há quem diga - A não ser que queira que ela ganhe mãos humanas... que como tem barbatanas e se parece com um peixe, é capaz de saber nadar. Nós achamos que quem o diz é idiota, porque somos demasiado inteligentes para acreditar em intuições com O Porcomem / Hominideos Porcus base científica. O que é: Perigosidade: - Um espantoso cruzamento entre um - Muito alta. porco e um homem. Pensa-se que terá Devemos fugir?: sido criado quando a mulher do Hen- - Se for um daqueles sortudos, num milhão, que sabem nadar, rique Lavrador esteve fora vários me- tente a sua sorte. ses. É articulado como qualquer outro homem do nosso tempo (ou seja, pouco), cheira pior que a pilha de lixo que tem em casa (e que a sua mulher Peixalhaço / Pisces Circenses já lhe pediu mil vezes que queimasse); e ainda tem a mania que é romântico, O que é: - Provavelmente, a insinuando-se a qualquer mulher (ou coisa mais ridícula porca) que lhe atravesse o caminho. a ser desenhada. Perigosidade: Parece-se com - Não nos parece que seja capaz de fazer algum mal. E, en- uma lontra, com quanto não descobrir que disfarçamos o nosso cheiro esfre- duas patas dian- gando cinza na pele, parece-nos pouco plausível que consiga teiras e um comprido bico de pássaro. criar grande reputação no meio das mulheres. Perigosidade: Devemos fugir?: - Perigoso? Olhe bem para ele... - Fugir? O bicho é feio, mas não é caso para ser mal educado! Devemos fugir?: As patas são más para apertos de mão, pelo que aconselhamos que faça uma vénia e levante o chápeu quando vir um. - Se quando parar de rir ainda tiver fôlego, pode dar uma cor- rida só para o bicho pensar que é capaz de assustar alguém.
  14. 14. 14 x Tempos Medievais Segunda-Feira, 10 de Julho de 1330 Última Página Para os meninos dos chapéus ao contrário, que não conseguem estar um momento sem ouvir os “beats”, aqui fica a letra de mais uma cantiga de amigo, do mestre Boss DiDi. Ai flores, ai flores da verde plantinha, - Vós me preguntades pelo Gervásio, se sabedes novas da minha vidinha! E eu ben vos digo que é melhor ele fugir do Hospital, antes que Ai God, Oh! Yeah! a bófia lhe espete outro balázio Ai God, Oh! Yeah! Ai flores, ai flores da marijuana Se sabedes novas da transacção, que me vai render vinte quilos Vós me preguntades pelo Romeu fumão, ali dos lados do Guadiana. E eu ben vos digo que se o cremarem, podem fertilizar uma Ai God, Oh! Yeah! nova plantação. Ai God, Oh! Yeah! Se sabedes novas do Gervásio, A quem a bófia espetou um balázio. E eu ben vos digo para terdes cuidado, Ai God, Oh! Yeah! Porque a bófia também anda atrás do vosso costado. Ai God, Oh! Yeah! Ou até do Romeu Que de tanto fumar, morreu E eu ben vos digo para esconder a horta, Ai God, Oh! Yeah! Porque a bófia já está atrás da porta. Ai God, Oh! Yeah Grande Passatempo emónios que infernizam D pobres almas, devastando as suas crenças à força da moca. Simples crentes em Deus, enterrados até ao pescoço, imóveis e completamente vulneráveis à sátira dos esbirros de Belzebu. Crianças correm descalças, tentando fugir de uma morte certa, enquanto o Diabo em pessoa atiça as chamas que as perseguem. É caso para pensar: “Onde está Deus?” E é precisamente esse o desafio que lhe propomos, encontre Deus neste desenho e habilite-se a uma fabulosa peregrinação a Compostela, com direito a um cajado de peregrino e uma bolsa com água e comida para dez dias*. Por isso, toca a olhar com atenção, que Ele pode não ser muito perceptível, mas está lá. Ele está sempre lá... Enviem as vosas respostas para: Tempos Medievais, Avenida da Alegria, nº3, Coimbra. *AVISO: Todos os habitantes que vivam abaixo de Trancoso são capazes de demorar mais que 10 dias para chegar a Compostela.

×