O Despertar – 8454 – 12.10.2007

  • 1,786 views
Uploaded on

Versão integral da edição n.º 8454 do semanário “O Despertar”, que se publica em Coimbra. Primeira edição após a morte de Fausto Correia. No cabeçalho, e como homenagem, o seu nome ainda figurava como …

Versão integral da edição n.º 8454 do semanário “O Despertar”, que se publica em Coimbra. Primeira edição após a morte de Fausto Correia. No cabeçalho, e como homenagem, o seu nome ainda figurava como director. O semanário passou a ser dirigido interinamente por António Carlos de Sousa. Jornal fundado em 1917. 12.10.2007.

Visite outros sítios de Dinis Manuel Alves em www.mediatico.com.pt ,
www.youtube.com/mediapolisxxi, www.youtube.com/fotographarte, www.youtube.com/tiremmedestefilme, www.youtube.com/discover747 ,
http://www.youtube.com/camarafixa, , http://videos.sapo.pt/lapisazul/playview/2 e em www.mogulus.com/otalcanal
Ainda: http://www.mediatico.com.pt/diasdecoimbra/ , http://www.mediatico.com.pt/redor/ ,
http://www.mediatico.com.pt/fe/ , http://www.mediatico.com.pt/fitas/ , http://www.mediatico.com.pt/redor2/, http://www.mediatico.com.pt/foto/yr2.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/foto/index.htm , http://www.mediatico.com.pt/luanda/ ,
http://www.biblioteca2.fcpages.com/nimas/intro.html

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,786
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
2
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. REPUBLICANO INDEPENDENTE FUNDADO EM 1917 COBRIAGEM – NIQUELAGEM CROMAGEM – ZINCAGEM O Despertar SERRALHARIA CIVIL SOLDADURAS A ELECTROGÉNEO AUTOGÉNEO E ALUMÍNIO REPARAÇÃO DE JANTES EM FERRO E ALUMÍNIO INSTALAÇÕES PRÓPRIAS: Director: Fausto Correia Director-Adjunto: António Carlos de Sousa RELVINHA Telef. e Fax: 239 825 294 3020-365 COIMBRA 6.ª FEIRA O SEMANÁRIO DE COIMBRA PORTE PAGO 12 - Outubro - 2 0 0 7 Ano 90 N.º 8454 – 0,75 € Funeral realiza-se amanhã, pelas 15 horas O NOSSO QUERIDO FAUSTO DEIXOU-NOS! Fulminantemente, Fausto de Sousa Correia, o nosso querido Director, deixou-nos na madrugada do passado dia 9 de Outubro, vítima de ataque cardíaco. É uma perda irreparável para o nosso “Despertar”, que ele tanto amou, aquém tanto deu, por quem tanto se sacrificou e de quem tanto esperávamos ainda. Homem Bom, de grande inteligência, perspicaz, elevada capacidade de trabalho, granjeou ao longo da sua vida inúmeras amizades, sendo um Homem respeitado em todos os quadrantes políticos e nos diferentes extractos sociais. Fausto de Sousa Correia pautou sempre a sua vida por princípios e valores dos quais nunca abdicou: A Dedicação à sua família (mesmo longe de Coimbra estabelecia sempre e diariamente vários contactos com sua esposa, Sra. Dra. Maria de Lurdes Correia, e/ou seus filhos – Miguel, António e José, que tanto amava); Continua na última página As Viagens Mondego- Coimbra e as Viagens Cunha - Cantanhede, manifestam o seu profundo pesar pelo falecimento do Director de “O Despertar” – Dr. Fausto Correia. À família e amigos, apresentam as sentidas condolências R. João de Ruão, 16 - 239 855 555 Coimbra R. Afonso Henriques,17 - 231 423 343 Cantanhede
  • 2. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 2 O COIMBRINHA R epublicamos como preito de reconhecimento um texto de Fausto Correia, intitulado “90 ANOS - UMA ETERNIDADE” e inserido na nossa edição de 2 de Março de 2007, precisamente no dia em que “O Despertar” completou 0s 90 anos de existência. ALVORADA SEMANÁRIO 90.º Ano de Publicação (Sai às sextas feiras) O Despertar na web www.odespertar.com.pt portal@odespertar.com.pt Director 90 ANOS - UMA Fausto Correia Fausto Correia António Carlos de Sousa Director Adjunto ETERNIDADE! Director Director-Adjunto António Carlos de Sousa Noventa anos não são noventa Por outro lado, as regras de e a compreensão, ainda que em Redacção dias, nem noventa semanas, nem ouro de “O DESPERTAR”, na terras do Rio de Janeiro, de nossa António Carlos de Sousa tão - pouco noventa meses. vertente jornalística, nunca se tia Ângela Maria de Sousa Antunes. (C.P N.º TE-951) . Noventa anos são noventa anos. desviaram dos sagrados critérios da Abjurando o sensacionalismo Zilda Monteiro Uma eternidade!, quando se trata verdade, da isenção e da objecti- e observando inalteravelmente uma sigente dos legítimos e superiores (C.P N.º 7937) . de um jornal. vidade. É a trilogia da casa, norma fundamental, a da correcção, interesses de Coimbra - cidade, Colaboradores “O DESPERTAR” faz hoje impregnada por uma outra: Liber- eis-nos dispostos a prosseguir “na concelho, distrito e região. André Pereira exactamente 90 anos. Viu a luz do dade, Igualdade e Justiça Social. áspera estrada do dever”, na feliz Dinis Manuel Alves Ao longo dos próximos me- Gonçalo Ermida dia a 2 de Março de 1917. Ininter- Após 90 anos, importa hoje e definição que os fundadores adopta- ses, vamos comemorar nestas Joana Martins ruptamente, foram publicadas 8426 aqui destacar, como é justo e devido, ram na edição inaugural. Mas não páginas o nonagésimo aniversário. Luís Monteiro edições, incluída a que tem nas os fundadores e os continuadores, nos iludamos: há ainda um longo Com a dignidade que a efeméride Luís Pato suas mãos. os directores e os colaboradores, os caminho a percorrer para fazermos exige. Com as modificações Colunistas Ao longo de todos estes anos anunciantes e os assinantes, os o SEMANÁRIO DE COIMBRA urgentes que se impõem. E com a ADIFER funcionários, os gerentes e os Alda Constança e destas milhares e milhares de cada vez maior e melhor. adesão de mais assinantes e de Amadeu Carvalho Homem páginas impressas, aí está reunido familiares, os fornecedores e os Mas as dificuldades avoluma- mais anunciantes. O SEMANÁ- Bernardes Teixeira um importantíssimo acervo que amigos. Sem eles, uns mais novos ram-se nos últimos tempos. A RIO DE COIMBRA tudo merece Carlos Cidade conta pari-passu a história de outros mais antigos, esta OBRA já sobrevivência de “O DESPER- e justifica. Carlos Coelho Veiga teria sucumbido numa qualquer Carlos Esperança Coimbra - cidade, concelho, TAR” depende de novas parcerias Hoje mais do que ontem, é Eduardo Proença Mamede distrito e região, mas também a de esquina mais ou menos perigosa - com reflexo no respectivo capital decisivo o apoio dos nossos Fernando Martins Portugal e a do Mundo. e quantas foram ultrapassadas! social. Sem esquecer o aumento do amigos, fornecedores, familiares, Jaime Ramos O MAIS ANTIGO JOR- Permita-se-nos que recorde- número de assinantes e o incre- gerentes, funcionários, assinantes, João Baptista mos a herança que - em termos de Joaquim Vieira NAL DE COIMBRA tem-se mento da receita publicitária, ou seja, anunciantes e colaboradores - a Jorge Rua pautado coerentemente pelo determinação e vontade, combate precisamos de mais anunciantes e quem agradecemos, penhorada- José Andrade legado dos seus fundadores: foi, é e luta - nos foi transmitida pelos de mais assinantes. mente, o crédito de confiança que José Henrique Dias e será sempre uma tribuna livre, nossos antepassados. Dessa galeria, Reconvertido graficamente e nunca nos regatearam, em espe- José Miguel Queiroz destacamos António de Sousa, José Soares aberta, plural e independente. E com conteúdo de leitura obrigatória cial nas horas menos boas. Júlio Gomes Correia continuará a ser um jornal de nosso avô, e seus filhos, Armando, e de referência, aqui estamos para Assim, e só assim, poderemos Lino Mendes província, sem “a louca veleidade António, Artur e Lúcia, todos já dar a cara por um projecto renovado confiar no futuro, como em 1917. Luís Marques de se abalançar a grandiosas falecidos, que nos legaram este e atractivo, no respeito quer pelo Assim, e só assim, poderemos Luís Martinho do Rosário património tão despretensioso Manuel Bontempo empresas ou arrogar eminentes carácter republicano e independente acreditar, em 2007, que levaremos Manuel Chaves e Castro virtudes”, como assinalava a nota quanto humilde, tão rico quanto que garbosamente ostenta no seu esta nau a bom porto. Rumo ao Marcelo Henriques de Brito de abertura do primeiro número. marcante. Resta-nos a companhia cabeçalho quer pela defesa intran- centenário! Marcos Franco Maria Emília Seabra Paulo Eduardo Correia Paulo Leocádio Bernardo Cavaco Silva lembra Mário Soares recorda Pedro Ferrão Pedro Redol Rui Fausto Lourenço “personalidade de relevo “político anti-sectário” Sansão Coelho Sofia Figueiredo Vítor Botelho na vida democrática” Victor Gonçalves Victor Maia Costa O ex-Presidente da República Administração, Redacção, Mário Soares lamentou a morte Publicidade, Assinaturas e Serviços O Presidente da República consi- do eurodeputado socialista Faus- Rua Pedro Roxa, 7-1.º derou que a morte de Fausto Cor- to Correia e destacou o carácter Telefones: 239 85 27 10/11/12 reia, uma “personalidade de relevo “anti-sectário” do ex-secretário Fax: 239 852 719 na vida democrática nacional”, de Estado dos governos de e-mail: jornaldespertar@mail.telepac.pt deixou “mais pobre a represen- António Guterres. Denominação Social tação portuguesa no Parlamento Soares recordou que conhe- ANTÓNIO DE SOUSA (HERD.), LDA. ceu Fausto Correia “quando ainda Contrib. N.º 502 137 258 Europeu e a vida política”. estava na Juventude Socialista e apesar das suas fortes con- Cap. Social: 7.481,97 Euros Cavaco Silva, que se en- contrava em visita oficial aos era estudante universitário”. vicções socialistas”. Gerência Açores, enviou um telegrama de quais os de Deputado, Secretário “Nos principais combates “A morte de Fausto Correia Maria Primorosa Santos Costa de Sousa políticos, Fausto Correia sempre é uma grande perda para Coim- António Manuel Marques de Sousa condolências à família do euro- de Estado da Administração Maria de Lurdes Duarte Pedro Correia deputado, afirmando ter recebido Pública e dos Assuntos Parla- esteve ao meu lado. Nas últimas bra, para o PS e para o país. Era a notícia da morte do ex-go- mentares e administrador da eleições presidenciais, foi man- actualmente deputado no Parla- Composição e Montagem vernante e dirigente socialista com RDP-Radiodifusão Portuguesa”, datário da minha candidatura no mento Europeu, função política Depart. Gráfico de “O Despertar” a “maior tristeza”. lê-se numa mensagem distribuída distrito de Coimbra, tarefa em muito desgastante em termos de Tiragem média no mês de Setembro “Personalidade de relevo na pela Presidência. que se revelou incansável”, actividade e que obriga a penosas 14.000 Exemplares vida democrática nacional, o dr. Para o Presidente, a “morte declarou Mário Soares. viagens”, vincou Mário Soares. Impressão Fausto Correia repartiu a sua acti- prematura” de Fausto Correia Mário Soares definiu Fausto Perante e morte de Fausto Beirastexto - sociedade editora, S.A. vidade profissional entre o exer- “veio deixar mais pobre a repre- Correia como “um homem soli- Correia, Mário Soares apresen- Rua 25 de Abril, n.º 7 cício do jornalismo e da vida sentação portuguesa no Parla- dário, fraterno e anti-sectário, o tou as suas “sentidas condo- Apartado 44 – 3046-652 Taveiro política, tendo desempenhado mento Europeu e a vida política e que explica que tivesse amigos lências à família, em particular à Número de Registo 100117 diversos cargos públicos, entre os cívica no nosso País”. em todos os partidos políticos, viúva e aos filhos”.
  • 3. O COIMBRINHA 3 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 José Sócrates diz que perdeu O adeus “um grande amigo” inesperado O Primeiro-Ministro, José Sócra- tes, disse estar “profundamente de Fausto chocado” com a morte do eurode- putado socialista Fausto Correia. “Perdi um grande amigo. Lamento muito. Era um dos di- Correia rigentes mais destacados do PS. Fiz com ele um trajecto político nas últimas dezenas de anos”, su- Fausto Correia, director do blinhou. nosso jornal e eurodeputado “Foi um grande político. Muito e destacado deputado e membro dedicado a Coimbra e à sua região do Governo”, concluiu. socialista, faleceu terça-feira em Bruxelas, vítima de ataque cardíaco. A notícia da sua morte deixou em choque todos quan- Fausto era um Homem Bom tos tiveram o privilégio de Conheci o Fausto Correia no liceu D. João III. contactar consigo. Amigo do A vida separou-nos e só o voltei a encontrar, já como adversário político, nas eleições locais de 1979 em Miranda do Corvo. seu amigo, homem de convic- Eu candidato a Presidente de Câmara pelo PPD-PSD e ele ções e de grande generosidade, como líder da candidatura socialista à Assembleia Municipal. Fausto Correia partiu repentina- Foi um democrata que nunca deixou que diferentes leituras mente, aos 55 anos, durante a ideológicas se colocassem à frente das relações humanas. noite, no seu apartamento em Amigos comuns foram base para encontros e conversas que Bruxelas. É com grande cons- nos permitiram consolidar uma fraterna amizade. ternação e pesar que os amigos Era um homem Bom. recordam o homem a quem “a Possuidor de uma fina ironia, de uma enorme capacidade de vida ficou a dever muitos anos”. criar e manter bons relacionamentos, de um evidente prazer em saborear a vida, fui admirando o Fausto Correia, jornalista, “coim- brinha”, apaixonado pela Académica, militante socialista, homem de poder… Em direcção à luz... se cumpre na função de repre- sentar o melhor de nós, a sua Coimbra e a região perderam um excelente político. Nos últimos tempos a “sorte” tem sido madrasta para Coimbra. Conheci Fausto Correia nos disponibilidade e uma maneira de Enfrentamos decisões lisboetas que não respeitam Há notícias que nos recusamos labirintos de uma saudade retocada estar que as universidades não o passado da cidade e prejudicam o futuro da região. receber. Depois de entregues, da lucidez de pensar Coimbra para ensinam, que se aprendem melhor Fausto Correia faz-nos falta neste combate quaisquer que sejam as múltiplas o futuro, Coimbra à sua espera no nas infantes correrias pelas ruelas necessário à defesa da nossa cidade. vias, batem contra as nossas caminho da mudança que tarda. da baixinha coimbrã, onde mal entra Jaime Ramos resistências, amolgam todas as E agora, Fausto, que fazer dos o sol mas se doiram as almas, em lógicas, rasgam todas as fibras dos projectos e como encontrar quem? que definitivamente nos ganhamos afectos. Há notícias que não Abro nesta ferida, nesta fenda para polir o gume cortante de todas que a notícia rasgou, a recordação as arestas, para trabalhar a brutidão deviam chegar-nos se pudéssemos esconjurá-las, tão solidamente teimosa daquela noite em Bru- das pedras rumo aos poliédricos Fausto Correia – cidadão excelso brutais nos batem à porta. xelas, em que eu com os alunos do roteiros de uma humanidade me- Há homens, assim, cuja dimensão moral e intelectual os torna Morreu o Fausto. Dito assim, meu Instituto, que tem colado o lhor. A nossa Coimbra, a do povo, referência da sua geração e orgulho da cidade a que pertencem. na voz molhada de um amigo nome do nosso Miguel Torga, que sem capas velhinhas e fitas ao Fausto Correia era um desses homens que sublimou com comum, tragicamente sincronizada o Fausto foi tão claramente expli- vento. Com mais encanto na hora Fernando Vale, de quem era amigo e foi adjunto no Governo Civil, com os noticiários das televisões. cando nos salões da Europa, a de estar. o espírito de tolerância, o sentido da fraternidade e uma enorme Dizermos não pode ser é, ainda fazer o que devia, como ensinara Aqui, nestas páginas que me bondade. Era o intelectual que Miguel Torga acarinhava e, mais que o último sopro da incre- o Mestre, aquela noite em que as facultou para umas croniquetas sobretudo, o cidadão solidário que a todos cativava com a sua dulidade, a tentativa íntima de deter raparigas e os rapazes do Curso quinzenais em que me esforço por generosa amizade. o indetível, de execrar a dor que de Comunicação Social (Fausto, a falar de pessoas, de alguns dos seus Foi um político de rara intuição e um governante competente começa a minar e a crescer, a subir maioria já está aviada com o problemas na medida das minhas mas foi, sobretudo, um exemplo de homem singular que degrau a degrau ao limiar da insu- diploma a fazer-se à vida, e quantos posses, vai agora crescer um transformava os conhecidos em amigos e estes em admiradores. portabilidade. Até ao regresso à deles têm aprendido por aqui nas enorme vazio. Vai faltar-nos a Fausto Correia era o mais destacado político de Coimbra em crueza do real, até sabermos que colunas de O Despertar) o ou- ALVORADA. Apaga-se a luz da actividade e o presidente da Câmara com que a cidade sonhou. há notícias que temos de receber. viram falar de coisas tão sérias discussão dos grandes problemas Sendo um cidadão do Mundo foi um homem de Coimbra onde Conheci Fausto Correia não com o ar tão leve do magistério nacionais, no plano inclinado da voltava de Bruxelas para o convívio fraterno com os amigos de sei bem situar quando, mas que sei esclarecido, as ideias arrumadas, dimensão nacional de Coimbra. todos os quadrantes. situar bem. Nos passos perdidos o olhar terno, o sorriso envolvente, Coimbra fica mais pobre. Ainda Em Celas, no seu Café habitual, a tertúlia nunca mais será a de todos os fora em que se faz da a Europa farol do crescimento mais pobre. mesma. Falta-lhe a seiva que a alimentava, a paixão da vida, o vida o exercício da cidadania, do intelectual a dar as mãos à dos Quem souber olhar na direc- afecto que transbordava de quem foi a referência mais sólida de compromisso com valores supe- outros desenvolvimentos, o pensar ção onde nasce o Sol, encontrará o um numeroso grupo. riores da ideia de servir a res para além dos quintalinhos e lugar onde se resguar- Fausto Correia foi dos amigos mais próximos publica, de implicar a existência quintalecos dos patifes bem fa- dam os eleitos da nos- de Torga mas, no fundo, era o amigo de todos que num viver solidário onde a tole- lantes que sempre aparecem na sa memória. transbordava simpatia. rância impera e os bons costumes hora da despedida. Obrigado, Faus- Morreu esta manhã. Traiu-o o coração, aquele importam na busca da luz mais Fico a dever a Fausto Correia to, por quanto ensi- coração que o fez abnegado e solidário. Coimbra fica iluminada da razão para ser livre e esse momento alto da convivência naste. de luto e Portugal mais pobre. despreconceituosa que cumpre e José Henrique Dias Carlos Esperança pensar livremente.
  • 4. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 4 O COIMBRINHA Autarcas de Miranda do Corvo “Esta mensagem já não é para ti. É para a tua memória. Foste um grande homem e uma grande referência para muitos. Desde que o Torga, teu grande amigo, nos apresentou em recordam político “de grande carácter” 1990, não mais deixei de te admirar. Lamento muito o teu desaparecimento. Um abraço fraterno para tua esposa e teus 3 filhos. S. Martinho de Anta, que tanto visitaste também O eurodeputado socialista Fausto Correia “era um homem de grande não te esquecerá.” Correia é recordado em Miranda dimensão, que vai fazer falta. Era Luís Gonçalves do Corvo, onde era deputado à cordato, consensual e de uma Assembleia Municipal, como um intensa disponibilidade para colabo- “Não há palavras que cheguem para dizer quanto sinto tal homem “bom, de grande carácter, rar”. perda. Recebe um forte abraço solidário de um velho amigo gerador de consensos e de uma Destacando “o seu grande da família Sousa e de toda a equipa do ‘Despertar’.” intensa disponibilidade”. carácter e a postura irrepreensível José António Franco Em declarações à Lusa, a em todos os momentos”, recordou social-democrata Fátima Ramos, que o relacionamento entre ambos, “A Comissão Política Concelhia de Coimbra do Partido presidente da Câmara Municipal quer pessoal quer político, era Popular CDS.PP, vem manifestar o seu profundo pesar pelo de Miranda do Corvo, lembrou pautado pelo respeito. falecimento do Dr. Fausto Correia. Fausto Correia como “um homem “A região Centro perde uma Figura incontornável do Partido Socialista, o Dr. Fausto bom, que acreditava em ideias voz que se fazia ouvir”, sublinhou. Correia foi, e será sempre, ilustre cidadão de Coimbra. e que enquanto presidente da O vereador socialista António Coimbra perde um Homem bom, uma das suas maiores Assembleia Municipal colocou Simões, amigo pessoal de Fausto figuras, um político sempre dedicado à sua cidade. sempre os interesses de Miranda Correia, recordou que o eurode- À sua família e ao Partido Socialista, o CDS apresenta as à frente das lutas político-parti- putado “respondeu sempre que suas sentidas condolências.” dárias”. chamado a ajudar o concelho, onde CDS-PP/Coimbra “Apesar de ter sido meu tinha raízes familiares, que nunca adversário político em duas elei- esqueceu”. Fausto Correia foi presidente “A Comissão Política Distrital do Partido Social Democrata, ções, isso nunca prejudicou o nosso Salientando que Fausto Cor- da Assembleia Municipal de de Coimbra, manifesta, publicamente, o seu pesar pelo excelente relacionamento”, adian- reia “era um homem de grande Miranda do Corvo entre 1997 e falecimento do Dr. Fausto Correia, ilustre Deputado ao tou a autarca, acrescentando que carácter”, António Simões afirmou 2001 e actualmente era deputado Parlamento Europeu e cidadão de Coimbra. Verga-se perante o seu desaparecimento deixa “mais que a “política nacional perdeu um municipal. a memória de um ilustre democrata, homem de valores, pobre a região e o país”. grande vulto, um homem que se O pai e o avô eram naturais princípios e convicções que sempre soube honrar os Para o social-democrata José regia por princípios e valores, de Cadaixo, uma aldeia da fre- compromissos com a sua cidade, o seu distrito, a sua região Manuel Simões, presidente da assente no respeito pelos outros, guesia e concelho de Miranda do e o País. O Dr. Fausto Correia foi, e será sempre, lembrado Assembleia Municipal, Fausto que não se consegue substituir”. Corvo. por nós como um Político de eleição, capaz e competente, que desempenhou as mais variadas funções na cena política local e nacional mas, sem nunca deixar de afirmar o seu SEMPITERNO FAUSTO regionalismo e apego a Coimbra. Aos seus familiares e amigos, ao Partido Socialista, o PSD manifesta o seu sentido pesar.” 1.O primeiro encontro foi em cano, da família Sousa. Republi- Torga que conseguiu pôr a ler os PSD/Coimbra Miranda do Corvo. Se a me- canos. Humanistas. Família de seus poemas. O Fausto, sempre mória não me atraiçoa, na fazer amizades sólidas. Cidadania fraterno, tinha de ternura o seu “A Rádio Dueça Informiranda, Cooperativa de Responsa- Godinhela. Putos de 5 a 7 anos activa. A palavra e a honra. Um peso, de bondade e perspicácia bilidade Limitada, funcionários, colaboradores e corpos num casamento. Dos de chan- tostão era dinheiro. A palavra era o tamanho do Mundo. De amor sociais, vem por este meio expressar o mais profundo pesar fana farta. Sopa de casamento, tudo. Assinar O Despertar era à família o incomensurável. pela morte do Dr. Fausto Correia, Director da vossa prestigiada negalhos, muitos pratos e brin- um acto de bairrismo límpido. 7. Grand Place. Bruxelas. Uma publicação. Perante o inesperado acontecimento endereçamos cadeira farta como os pratos. E Continua a ser. esplanada. “Não estamos a a todos quantos com ele privaram as mais sentidas aquela foto de dois miúdos enco- 5. As idades afastam-se; as segredar Professor Henrique condolências.” lhidos, de sorriso esgar, agarrados vocações não. Encontramo-nos Dias, são desabafos...”. “Estás José Maria dos Santos Ferreira da Silva a um cenário de fotógrafo “à la na reportagem. Reportamos a a fazer falta em Coimbra, não minute”. vida em dimensões diferentes pode ser...continuas a fumar ... “Venho por este meio manifestar à família do Dr. Fausto 2. Em Coimbra, na Rua Adelino conforme os meios de comu- aviões...stress”. E tu não tomas Correia o meu sentimento de pesar, extensivo a toda a equipa Veiga, adolescentes: o Fausto nicação que servimos. nada? “Não obrigado”. “Acom- d’ O Despertar. Acredito que o Dr. Fausto Correia será sempre controlado pelo olhar de um pai 6.1974. Abril 25. Liberdade em panhamos-te?” Não, apanho um recordado por todos nós.” imponente; eu já mais solto na festa. Democracia em ensaio. táxi. O Despertar, Setembro 28. Gonçalo Ermida idade porque dois ou três anos Aquele “comunicado” do Gover- Releiam, por favor, a crónica do eram diferença grande a desafiar no Civil, no noticiário regional das Director-Saudade. “Marés de “Soube à pouco da notícia da morte do nosso querido Fausto indiferença. Em vez do três ou 12h30, “picou” o Fausto. Eu tinha Dificuldades, Janelas de Oportu- Correia. Não poderia deixar de, nesta hora tão triste, mostrar do sete deixava o eléctrico ir de quatro horas diárias de emissão nidades”. Na semana anterior eu a minha gratidão por uma pessoa que, numa altura em que mansinho até lá cima, e para própria e era, então, o único escrevi sobre Coimbra e o Partido muito precisei, me ofereceu emprego. Gostaria também de poupar os furos no passe, galgava locutor/jornalista da Emissora Socialista. Li, na Alvorada do dar os meus sentimentos à esposa, filhos e família, assim como a Baixa, a Sá da Bandeira, as com o Ventura como assistente Fausto, a 28, uma resposta ao a toda a equipa d’ O Despertar, que sei que está a sofrer escadas do Liceu e lá estava a literário nas notícias e o Carva- meu lamento numa paixão parti- muito com esta perda. Gostaria também de, nesta hora, dar arfar na coincidência do toque lheda em férias. Rimo-nos, mais dária comum que nos tem desas- uma especial atenção ao Toni e dizer-lhe que sinto muito a estridente da campainha para tarde, compreendendo em sosse- sossegado. Talvez ousadia minha morte do primo. Mais uma vez, as minhas condolências um evitar os desaforos do “Pulga”. go uma manhã e princípio de julgar-me credor de palavras do abraço para todos.” 3. A velha FNAT, vizinha da porta tarde de muitas incompreensões Fausto. Mas por que não? O Paula Almeida do Fausto. Os Serões para e alguns sonhos. O Fausto passa Fausto era nosso, era de todos, Trabalhadores. Os espectáculos por jornais e agências. Aparece escrevia a todos, um coimbrinha “Hoje perdi um Amigo!” informais quando a televisão era em força na política. É adjunto europeu, amigo fixo e fixe, a José Soares rara. O Fausto a dizer poesia. do emérito Fernando Vale. Teve incentivar tudo e todos, traba- Não me recordo se já recitava grande Mestre e subiu a pulso, lhador inveterado. Humilde e “Foi com enorme choque que recebi a notícia da morte do Torga. Era a alegria num sistema com mérito, até ao Governo, até Grande. E já não tinha medo de Dr. Fausto Correia. Era para mim, um grande Homem, um que se furava sem sabermos bem ao Parlamento europeu. Fez um andar de avião. 9 de grande Político e um grande Socialista. Coimbra e o seu como era mau o sistema. oceano de amigos, foi um para- Outubro de 2007. Distrito ficam muito mais pobres. Quero, em meu nome e da 4. O jornalismo: um desejo, uma digma de cidadania, consensual, Meio-dia. O quê???!!! minha família, apresentar a toda a família e ao Jornal paixão, sem haver escolas que já lutou por Coimbra até à exaustão Não acredito. Despertar, os meus sentidos pêsames e dar-lhes um abraço então reivindicávamos nas pá- e pela Briosa também. Foi uma “Até breve, Amigo. de solidariedade nesta hora tão amarga que estão a pas- ginas de O Despertar – bisse- personalidade de causas e pelas Maldito Coração” sar.” manário conimbricense republi- causas seduziu o impenetrável Sansão Coelho Lucas dos Santos
  • 5. O COIMBRINHA 5 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 “Nesta hora de profunda consternação pelo falecimento do nosso querido Amigo e Director, Exmo. Sr. Dr. Fausto Correia, Coimbra, sempre apresento a toda a equipa de ‘O Despertar’ as minhas mais “Nesta hora de pesar, rendo sinceras condolências.” homenagem a um amigo ge- Vítor Botelho neroso e a um democrata exem- plar; ao lutador incansável e ao “Foi com imenso pesar e a consciência de uma enorme perda cidadão de fundas convicções para o PS e para a cidade de Coimbra, a Região Centro e o que o Fausto Correia sempre foi. jornal “Despertar”, que fomos confrontados com a trágica e Coimbra não mais será como inesperada morte do nosso Amigo, Camarada e Conterrâneo, dantes. O Fausto que lhe deu os Dr. Fausto Correia. Não há muitas palavras que possamos seis melhores anos e lhe dedicou buscar para exprimir, com sinceridade, os nossos estados de o melhor de si, parte cedo espírito e a imensidão do absurdo que representa esta perda demais. Sabendo a pouca deixa, para a comunidade. no entanto, um legado imenso: Associamo-nos com tristeza e sinceridade ao luto vivido, de onde e quando forma particular, no seio do Partido Socialista e da Sociedade fosse, com o Coimbrã. À família enlutada, ao PS e ao Jornal “Despertar”, coração em bem como à autarquia de Miranda do Corvo e à sua Coimbra. A população, vão os mais profundos votos de condolências, sua cidade. curvando-nos, com respeito e saudade, à memória do nosso Sempre.” Amigo e Camarada Fausto Correia.” Sindicato dos Bancários do Centro Henrique Fernandes “A Federação de Bombeiros do Distrito de Coimbra neste momento de enorme consternação, não pode deixar de manifestar o seu profundo sentimento de pesar pelo desapa- Carlos Encarnação recimento prematuro do Excelentíssimo Senhor Deputado elogia “homem Europeu Dr. Fausto Correia. com orgulho Reconhecida por todos como um homem dos Bombeiros, com ligações profundas aos Soldados da Paz, tendo pertencido Jorge Coelho recorda de pertencer” “homem solidário” inclusive aos Orgãos Sociais de Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários, com forte sentimento de a Coimbra Solidariedade e Humanismo, defensor e acérrimo das causas O presidente da Câmara de dos Bombeiros Portugueses e que sempre os distinguiu com a O ex-ministro Jorge Coelho consi- derou que a morte do eurodeputado Coimbra, Carlos Encarnação, sua amizade. elogiou o eurodeputado, como socialista Fausto Correia repre- Neste momento triste e ainda de alguma estupefacção pelo “homem que tinha orgulho de sentou “uma perda para o país e trágico acontecimento, a Federação de Bombeiros do Distrito pertencer à sua comunidade”. para o PS”, vincando que foi um de Coimbra endereça a toda a família, ao Partido Socialista homem que se bateu sempre pelas “Perdi um amigo”, declarou o e aos seus amigos as mais sentidas condolências pelo seu causas cívicas republicanas. autarca social-democrata, recor- falecimento.” “Fausto Correia era um ho- dando que o antigo presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Coimbra mem de corpo inteiro, sempre Federação de Coimbra do PS solidário e que dedicou toda a sua “nunca se cansava de enaltecer “Gostaria de apresentar os meus sentimentos pelo falecimento vida a causas cívicas e aos valores as suas origens” coimbrãs. do Dr. Fausto Correia, uma pessoa com grandes qualidades republicanos. Faz muita falta ao Para Carlos Encarnação, humanas, um político empenhado na defesa dos valores e causas país, ao PS e a mim pessoalmente, governos liderados por António Fausto Correia “era um espírito em que acreditava e uma referência da cidade de Coimbra e da porque perdi um dos meus me- Guterres. de Coimbra, um homem que democracia portuguesa. A sua morte prematura é uma enorme lhores amigos”, declarou Jorge “Fausto Correia foi um go- sempre foi pela intransigente perda para o País.” Coelho. vernante ilustre, tendo sido en- defesa” da cidade e do distrito. Filipe Almeida Em declarações à Lusa, Jorge quanto secretário de Estado da Carlos Encarnação disse Coelho lembrou que Fausto Correia Administração Pública o grande que Fausto Correia teve várias foi seu secretário de Estado entre artífice da criação das lojas do Confrontada com a trágica perda do Ilustre Director do “desavenças com o seu partido”, 1995 e 2001, durante os dois cidadão”, apontou Jorge Coelho. Jornal “O Despertar”, a Direcção da Casa dos Pobres de colocando os interesses de Coimbra vem apresentar a esse conceituado e venerando Coimbra à frente da estratégia António Arnaut Semanário a expressão do seu profundo pesar, que torna do PS e dos governos socialistas extensiva à Exma. Família em luto, pela perda do seu ente para a região. querido. “Ele era também um exem- Sendo certo que esta Instituição viveu, e conviveu, durante mais de seis décadas, em relação de vizinhança próxima, de “profundamente chocado” plo de prática democrática”, adiantou o presidente da Câmara, amizade e de cooperação com esse criterioso órgão da António Arnaut, fundador do PS e frisando que o eurodeputado Informação, ao ponto de alguns dos seus dirigentes do Serviço Nacional de Saúde, assumiu há alguns anos, “com desempenharem, também, funções nos órgãos sociais da Casa manifestou-se “profundamente toda a galhardia”, o cargo de dos Pobres, a figura do Dr. Fausto Correia, porque figura de chocado” com a morte repentina director do “Despertar”, o mais Coimbra com uma interminável magnanimidade de coração, do seu amigo Fausto Correia. antigo jornal da cidade, pro- em cujo interior se aconchegarem diademas de bondade “Interrogo-me se não há uma priedade da sua família. cristalina, constituía uma referência nobre e notável de qualquer injustiça imanente e amizade de que a Casa dos Pobres muito se orgulha, bem transcendente na morte de um expressas nas palavras simpáticas e reconfortantes que o homem aos 55 anos, quando todos saudoso Amigo dirigiu, em data muito recente, ao Director esperavam muito dele”, declarou desta Instituição, com a humildade que caracteriza as pessoas António Arnaut. António Arnaut afirmou que Emocionado com o faleci- mantinha com o antigo líder do PS de Bem. mento de Fausto Correia, o fun- de Coimbra “uma relação de Amargurados com o inesperado e bem chocante aconte- dador do Partido Socialista disse grande fraternidade”. cimento que priva Coimbra de Alguém que tanto a amou e que o deputado do Parlamento Eu- “Foi pela minha mão e de por ela se bateu, reiteramos a tristeza que nos invade, com ropeu “era um homem muito Fernando Valle (outro fundador do respeitosos cumprimentos. generoso”. “A vida ficou a dever- partido, já falecido), que ele entrou A Direcção da Casa dos Pobres -lhe muitos anos”, acrescentou. muito jovem para o PS”, salientou.
  • 6. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 6 O COIMBRINHA Almeida Santos recorda “Família de O DESPERTAR: Venho por este meio apresentar as minhas sinceras condolências à Família do saudoso amigo e Director desse Jornal Sr. Dr. Fausto Correia. Uma grande mágoa “político que só sabia fazer amigos” e tristeza me invadiu ao tomar conhecimento de tão inesperada notícia. Todos nós perdemos um amigo que nos deixa uma exemplar lição daquilo que é ser um grande homem de Coimbra O presidente do PS, Almeida um político generoso, que vivia de e sua Cidade. Paz à sua alma. Com a devida vénia.” Santos, afirmou-se “chocadíssimo” Antonino Neves acordo com os seus ideais de com a morte de Fausto Correia, sempre”. “Não há palavras que consigam minimizar o choque e a dor dizendo que foi um político “ge- “Fausto Correia desenvolveu dos familiares mais próximos do grande amigo Fausto Correia. neroso”, que “amou” Coimbra e com brilhantismo as tarefas que o Um rude golpe para Coimbra e uma perda irreparável para que “só sabia fazer amigos”. PS lhe incumbiu. Tinha ainda muito quem teve a felicidade de o ter como amigo. Ao ‘DESPERTAR’, “Estou chocadíssimo, porque para dar ao partido, ao país, mas familiares e colaboradores, quero deixar a minha palavra de perdi um dos meus melhores também a Coimbra - cidade que ele conforto pela perda do seu Director e do verdadeiro amigo.” Lícinio Ferreira amigos. Fausto Correia só sabia amou como poucos e que Coimbra fazer amigos”, declarou Almeida retribuía amando-o também”, frisou “Hoje partiu um Amigo. Um Amigo de todas as horas e de todos Santos à Lusa. o presidente do PS. os trabalhos. Um irmão. Um dos últimos coimbrinhas, num tempo Segundo o presidente do PS, Almeida Santos acrescentou em que os interesses pessoais tudo devoram e nivelam. Uma o ex-secretário de Estado dos ainda que a morte de Fausto o PS e, sobretudo, para a sua família, porta sempre aberta. Um sorriso sempre pronto. Uma voz sempre governos de António Guterres “foi Correia representou para si, “para uma perda irreparável”. presente. Um Amigo do seu Amigo. Um coração grande e generoso. Um Homem que viveu depressa. Depressa de mais. Coimbra perde uma das suas vozes, um dos seus lutadores. Eu perdi um Amigo. Um dos poucos Grandes Amigos, desde a Alegre lamenta morte precoce de quem primeira hora. Adeus Fausto, até sempre.” Rodrigues Costa tinha ainda muito a dar a Coimbra “Fiquei estarrecido com a notícia. Com o falecimento de Fausto Correia, a cidade perdeu, depois de Bissaya Barreto, uma das suas maiores personalidades. Perdeu Coimbra...” O deputado do PS Manuel Alegre ter sido”. Manuel Alves lamentou a morte de Fausto “É uma perda importante para “Conheço Fausto Correia há perto de 30 anos. Desde os seus Correia, que disse ser “uma Coimbra, para o PS e para mim tempos de jornalista na delegação de Coimbra da ANOP. Ao referência de Coimbra” e que como amigo. Ultimamente não longo deste tempo, tive com ele uma relação próxima, uma relação “tinha ainda muito a dar à sua estivemos do mesmo lado no PS, de amizade, uma relação de respeito mútuo. cidade”. mas isso não pôs em causa a E agora, fui apanhado pela notícia da sua partida deste mundo, Manuel Alegre declarou à afectividade e a amizade”, salien- um mundo onde ele era lutador, onde ele era um insubmisso Lusa sentir “uma grande mágoa” tou. militante. Perdi um amigo. Espero que descanse em paz.” pela morte de Fausto Correia, “um “Foi um homem sempre fiel António Veríssimo amigo e companheiro de muitos às suas amizades, aos ideais “A emoção não me deixa transmitir por palavras a dor que sinto. combates e jornadas na implan- republicanos, democráticos e Fui professora do Fausto no Liceu D. Duarte. Neste momento, tação do PS no distrito de Coim- socialistas”, enalteceu. não posso deixar de expressar a minha profunda dor e choque.” bra”. Quando Manuel Alegre foi Isabel Jardim “É um desperdício, porque ele candidato independente à Presi- “É impossível transmitir a emoção e dor que sinto pela morte de era muito novo. Era um homem de dência da República, Fausto Cor- que ficará para a história da Fausto Correia. Neste momento de grande dor não posso deixar Coimbra, era uma referência de reia apoiou o também socialista fundação da democracia”. de apresentar os mais sinceros sentimentos a toda a família Coimbra e do PS que tinha ainda Mário Soares, que concorreu “Fez parte da tertúlia dos enlutada e a toda a equipa de ‘O Despertar’”. muito a dar à sua cidade”, la- apoiado pela direcção do PS. amigos mais próximos do dr. Chaves e Castro mentou. Lembrando os tempos da Fernando Valle e do Miguel Torga”, “A minha ligação tão forte à família Sousa faz-me dizer-vos: O deputado do PS acres- “implantação do PS no distrito de recordou, contando que foi a Fausto estou surpreendido e chocado com tão inesperada e triste centou que Fausto Correia “não Coimbra”, Alegre sublinhou que Correia, enquanto jornalista da notícia. Acompanho-vos na dor. Vivendo longe (relativamente), chegou a realizar um dos seus Fausto Correia “era mais novo, Capital, que deu a sua primeira estive sempre perto de vós porque a amizade não tem distâncias. sonhos, ser presidente da Câmara mas esteve sempre ligado a essa entrevista quando voltou a Portugal Os meus sentidos pêsames à família e também ao Despertar.” Municipal de Coimbra, que podia fase inicial”, integrando “um núcleo depois do 25 de Abril. Fausto Linhares “O PSD também está de luto” diz Luís Filipe Menezes mantendo actualmente o seu lu- gar de deputado no órgão autár- O líder eleito do PSD, Luís Filipe Ao expressar a sua tristeza quico. Menezes, lamentou a morte de com a morte do antigo deputado A ANMP expressa ainda Fausto Correia, considerando que socialista e ex-líder da Federação condolências ao Partido Socia- “o PSD também está de luto” Distrital do PS de Coimbra, o lista e à família do eurodeputado. devido ao desaparecimento de presidente do PSD afirmou que, O líder da distrital do PSD “uma grande referência” da “para além de ser um amigo, o de Coimbra, Jaime Soares, con- democracia portuguesa. Dr. Fausto Correia era uma siderou que a sua morte “é uma “Hoje, o PSD também está referência da actividade política perda muito grande para a cidade, de luto, porque Fausto Correia em todo o país e nesta região em para o distrito e para o país”. era uma grande referência da particular”. “Fausto Correia era um democracia portuguesa”, disse À entrada para o almoço, homem de Portugal e do mundo, Luís Filipe Menezes em decla- poucos minutos depois de ser é uma perda irreparável”, afir- rações aos jornalistas, em Coim- noticiada a morte de Fausto mou Jaime Soares. bra, à entrada para um almoço Correia, vários autarcas mani- gueses, Fernando Ruas, desta- quanto “personalidade desde Para o presidente da Câ- com os nove presidentes de festaram o seu pesar com a mor- cou o seu “espírito pragmático e sempre profundamente ligada às mara de Gouveia, Álvaro Amaro, Câmara social-democratas, mem- te de Fausto Correia, que era dialogante” e a sua afabilidade. instituições municipais de Coim- a morte de Fausto Correia repre- bros da direcção da Associação natural de Coimbra. Numa nota enviada, o pre- bra e Miranda do Corvo”, a cuja senta “uma perda irreparável pa- Nacional de Municípios Portu- O presidente da Associação sidente da ANMP, Fernando Assembleia Municipal presidiu no ra o mundo político, para Coimbra gueses. Nacional de Municípios Portu- Ruas, evoca Fausto Correia, en- anterior mandato autárquico, e para a região”.
  • 7. O COIMBRINHA 7 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 Alberto Martins chocado com morte Marinho Pinto lamenta de “uma pessoa luminosa e solidária” “grande perda” O líder parlamentar do PS, Al- lamentar do PS. O advogado António Marinho berto Martins, declarou-se cho- Alberto Martins contou que Pinto, que enquanto jornalista cado com a morte do eurode- conheceu Fausto Correia em trabalhou 10 anos com Fausto putado socialista Fausto Correia, Coimbra, quando este era estu- Correia na delegação da antiga seu amigo, que recordou como dante finalista do liceu D. João III. ANOP, em Coimbra, considerou “uma pessoa luminosa e soli- Referiu que Fausto Correia que a morte do eurodeputado dária”. “É muito chocante a morte era “socialista desde sempre” e representa “uma grande perda” do Fausto Correia, um homem de lembrou que, antes de ser euro- para a cidade. “Fausto era um enorme coração, amigo, gene- deputado, foi membro do Governo verdadeiro ‘coimbrinha’, naquilo roso. Era uma pessoa luminosa e e deputado à Assembleia da Re- imensa e fraterna”, acrescentou que esta palavra tem de mais belo solidária”, afirmou o líder par- pública.“Deixa-nos uma saudade o líder parlamentar do PS. e de mais dignificante para os partir de 1978, quando o colega habitantes de Coimbra”, declarou chefiava a delegação regional da Marinho Pinto. agência, na Baixa de Coimbra, no PS consternado com perda de “homem O candidato a bastonário da Ordem dos Advogados enalteceu, edifício onde funcionou depois a LUSA. “Estivemos ali muitos anos só os dois a trabalhar”, recordou muito amigo e fraterno” assim, a dedicação que o antigo companheiro sempre demonstrou Marinho Pinto, que já tinha con- à cidade, no jornalismo, na inter- fraternizado com Fausto Correia O porta-voz do PS, Vitalino Canas, declarou o porta-voz do PS. venção cívica e na política. na Associação Académica de afirmou que o partido está cons- Vitalino Canas lembrou a Marinho Pinto salientou ter Coimbra e quando frequentavam ternado a morte do eurodeputado longa militância de Fausto Correia trabalhado cerca de uma década a Faculdade de Direito da Uni- socialista Fausto Correia, que no PS, os cargos que exerceu e com Fausto Correia na ANOP, a versidade de Coimbra. definiu como “um homem com- considerou-o “um homem com- bativo, mas sobretudo muito amigo bativo, mas sobretudo muito amigo GOL está de luto e fraterno”. “Recebemos esta e fraterno”. “É um grande cho- notícia com grande tristeza, deixou- que”, acrescentou. -nos consternados. Morreu um “Pessoalmente, convivi com ponto de vista técnico e do ponto socialista de grande prestígio, um ele muitos anos no Governo, onde de vista político”, referiu ainda o O grão-mestre do Grande Oriente socialista de grande gabarito”, mostrou ser muito competente do porta-voz do PS. Lusitano (GOL), António Reis, afirmou que a sua obediência maçónica está de luto com a morte Edite Estrela lamenta “perda irreparável” de um dos seus mais “dilectos obreiros”, o eurodeputado socia- A líder da delegação do PS ao humanas, muito solidária, amigo do lista Fausto Correia. Parlamento Europeu, Edite Estrela, seu amigo, sempre disponível e “O GOL está de luto pela afirmou à Lusa que a morte de empenhado”, comentou Edite morte de Fausto Correia, um dos Fausto Correia constitui “uma Estrela, ainda em “estado de seus mais dilectos obreiros, que sempre: liberdade, igualdade, perda irreparável”, destacando as choque” com a notícia da morte chegou a exercer altos cargos seio fraternidade, cidadania e laici- “excepcionais qualidades políticas de Fausto Correia, de 55 anos. da ordem”, declarou António Reis. dade”. “Recordo também o empe- e humanas” do eurodeputado “Estamos todos em estado de António Reis disse guardar nhamento que ultimamente Fausto de Fausto Correia “a memória de Correia vinha a revelar na rea- socialista. “Além das grandes choque. Nada levava a crer que um homem profundamente ge- ctivação da Liga Portuguesa dos qualidades políticas, era uma isto acontecesse. Custa a acreditar neroso, que se batia com deter- Direitos do Homem”, acrescentou pessoa com grandes qualidades que seja verdade”, declarou. minação pelos nossos valores de o grão-mestre do GOL. Fraternidade. desempenhou funções no Go- túlias faziam parte o cónego dr. Requiem por Fausto Correia Fausto Correia deixou-nos no pendor da velhice da Mocidade. verno Civil de Coimbra, ao deixar essas funções, mandou-me um Urbano Duarte, o padre Nunes Pereira, o Albano Rocha Pato, Pouco passava do meio dia. Na que as outras”. E Fausto Correia Lembro que, ainda em Julho cartãozinho que começava assim: o Manuel Rodrigues dos Santos, Casa dos Pobres, mais concre- também cresceu no nosso conceito passado, perante a impossibilidade “Na hora da despedida, os Amigos o Álvaro Perdigão, o António tamente nos seus serviços admi- de calcorrear as veredas, tantas de marcar presença na mega- têm mais encanto”… Lourenço, o Varela Pecurto, o nistrativos que se situam no Largo vezes sinuosas e ínvias do itinerário sardinhada que a Casa dos Pobres Quando, em princípios da Eduardo Pinho Simões, o Sansão do Romal, decorria uma reunião. mundano que também apresenta realizou nas suas novas instalações década de 70, organizei convívios Coelho, o José Maria dos Santos, Entretanto o telemóvel retiniu. Do emboscadas de traição, de opró- em S. Martinho do Bispo, por em S. Martinho, com jornalistas, o Penalva Rocha, o Valdemar outro lado vinha a notícia, triste, brio, que o querido Amigo combatia compromissos das suas funções de representantes dos jornais diários Peixoto e mais uns tantos cujos abrupta, como que envolta em com as armas da sinceridade, da euro-deputado, mandou-me o de Lisboa, Porto e Coimbra e dos nomes não me ocorrem. negrumes doloridos de agoirentos inteireza de carácter. Neste mo- seguinte cartão: “Caro Aníbal semanários da nossa cidade, bem Fausto Correia deixa-nos presságios: “Morreu o dr. Fausto mento trágico em que os crepes Duarte de Almeida, Prezado como elementos da Emissora ainda na flor da vida – vida que Correia!… - “Afinal, o querido da saudade drapejam ao vento das Amigo: Com os melhores cum- Nacional, lá vinha o então “Faus- procurou levar pautada pelos Amigo que baqueou, de súbito, recordações que, no dizer de primentos, o Fausto Correia junto tito”, como lhe chamava o também sentimentos nobres do terno impotente de travar o salto trai- António Feliciano de Castilho “são remete o cheque n.º 6533756681, saudoso Amigo, seu tio Armando empenho pela amizade. Tal çoeiro da Parca temível, essa os únicos belos astros que ador- s/ o Millenium BCP, no valor de de Sousa, a tão simpáticas e como Safo, a poetisa grega misteriosa divindade romana, que nam noite de velhice”, curvamo- Euros 250 (duzentos e cinquenta originais jornadas, que além do citada por Torga, considerando sustenta ter o direito à vida do ser -nos, respeitosamente, sobre a euros), que se destina a colaborar, jantar-convívio, com arroz de que a Morte não era boa ela humano. memória” de quem, há mais de ainda que modestamente, na malandro e frango de churrasco, preferia viver, tal como o querido Todos os dias morrem pes- trinta anos era como que peça conclusão das novas instalações da consagravam o jornalista do ano, Amigo que tão depressa nos soas de maior ou menor estatura valiosíssima do sagrado relicário da “nossa” Casa dos Pobres, na eleito democraticamente por todos deixou, sem tempo sequer de pública, social, terrena. Mas as nossa amizade, da nossa estima, Quinta do Cedro, em S. Martinho os colegas presentes, com uma lançar o seu protesto, como pessoas que compõem o estádio como era – não temos dúvida – de do Bispo. A minha vida é, hoje, peça artística de cerâmica, ofe- Torga no último do nosso mundo, da nossa cidade, tantas e tantas pessoas com quem passada entre aviões, de cá para recida por esse grande artista e Diário, em das nossas aldeias, parafraseando sustentava um relacionamento lá e vice-versa. Nem oportunidade amigo Victor Eliseu, já falecido Requiem por o dr. António Almeida Santos, na franco, que é apanágio das pessoas tive de comparecer à mega-sar- também, e um ramo de cravos do mim: homenagem ao professor doutor de Bem, cujo coração está impre- dinhada. Obrigado e parabéns pelo lugar de Fala, que o igualmente E tenho pena Bissaya Barreto, “são como as gnado das flores mais belas da seu exemplo”. saudoso amigo Basílio Baptista de acabar assim árvores: crescem umas mais do tolerância e da santa virtude da Quando, há muitos anos, trazia para o efeito. Dessas ter- Aníbal Duarte
  • 8. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 8 O COIMBRINHA Victor Baptista lamenta Guilherme d’ Oliveira Martins “perda para Coimbra” recorda “cidadão activo e empenhado” O líder da Federação de Coimbra O presidente do Tribunal de Con- putado do PS recordou Fausto do PS, Vítor Baptista, lamentou o tas, Guilherme d’Oliveira Martins, Correia como “um cidadão activo desaparecimento de Fausto Cor- afirmou-se chocado com a morte e empenhado para quem a vida e reia, frisando que o eurodeputado de Fausto Correia, que recordou a política se confundiam”. deveria candidatar-se à Câmara de como “um cidadão activo e “Sempre o encontrei no Coimbra nas autárquicas de 2009. empenhado”. combate sem tréguas pela liber- “Contávamos com ele como “Foi um choque saber da mor- dade e pela justiça - e agora por candidato do PS à Câmara Muni- te de um amigo com quem trabalhei uma Europa mais humana. cipal. Fausto Correia parte de um muito directa e intensamente”, Ainda agora nos deixou e já momento para o outro, sem o ver- afirmou Oliveira Martins. fica uma enorme saudade”, mos fazer esse combate”, declarou. O ex-ministro e antigo de- acrescentou. A morte repentina de Fausto Correia, hoje, em Bruxelas, “é uma perda para o PS e para Coimbra”, política, no partido, por influência Campos Coroa honra “académico dedicado” sublinhou. “Parte demasiado cedo um de Fausto Correia. Vítor Baptista, deputado e O antigo presidente da Acadé- Briosa, em 1995, quando Fausto homem solidário e fraterno que vereador da Câmara de Coimbra, mica Campos Coroa, que suce- Correia passou a integrar o adorava a sua cidade e que tinha recordou que o camarada falecido deu a Fausto Correia na liderança Governo de António Guterres. muito para dar à vida”, lamentou o “ultrapassava as divergências do clube de futebol dos estu- Campos Coroa disse que presidente da Federação do PS, pontuais”, no seio do PS, “com a dantes, recordou o eurodeputado, Fausto Correia “era amigo do seu revelando ter começado a sua vida maior das facilidades”. como “cidadão impoluto e fra- amigo” e “mostrava a sua ami- terno”. zade quando as pessoas mais “Era um académico dedica- precisavam”. do”, declarou o médico, frisando “Homens como este fazem que assumiu a liderança da falta ao país”, concluiu. Até sempre, Fausto, até sempre! de Lurdes, as Maria Helenas, as Fátimas…enfim, PCP manifesta pesar Nestes momentos tão particularmente violentos e dolorosos em que todo o nosso ser treme em as raparigas que mais tarde se transformaram nas permanente convulsão psicológica, onde o desgosto mães dos nossos filhos, o teu trato fino para com enorme parece materializar-se ganhando a força do vácuo, de ausência insuportável como se de todos e a tua preciosa amizade. Recordo sobretudo o enorme legado de e consternação um “buraco negro” cerebral se tratasse, não me solidariedade que deixaste…quando o Manel ficou O deputado do PCP António ocorre nada melhor senão abrir a minha janela e sem o seu estabelecimento comercial consumido Filipe lamentou a morte do deixar entrar o ar a jorros, o ar que também é teu pelo fogo, foste tu a força matriz que a todos eurodeputado socialista Fausto que é parte de ti, aqui nesta baixa da nossa amada mobilizou e que revitalizou o negócio…eras ainda Correia, de quem disse guardar Coimbra que tão elevadamente serviste. um rapaz! Mais tarde…décadas mais tarde, quando “boas recordações” das “rela- Nesta transcendente situação em que se evitaste que ele cometesse um acto tresloucado ções cordiais” de trabalho na começa a tomar consciência de que já não te vamos porque a vida lhe fôra adversa… Assembleia da República. encontrar na nossa barbearia para partilhar do Recordo quando te pedi ajuda para tratar da “Foi com consternação que senso de humor que tão saudavelmente partilhavas mãe que precisava dos cuidados competentes de tomámos conhecimento do súbito com os teus amigos… que já não teremos a um lar, que tu imediatamente te prestaste a falecimento de Fausto Correia. satisfação do telefonema a agradecer os “cartoon’s resolver… Tivemos com ele, na Assembleia do “Chico Melenas”… ao concluir que não Recordo o amigo Raposo que veio do Brasil da República, relações de traba- continuaremos a ler os “Alvorada” no teu (nosso) em dificílima situação, doente, amputado de uma lho muito cordiais, quer enquanto O vice-presidente da Assem- “Despertar”, tão carregados da tua personalidade perna…arranjaste-lhe a reforma de que vive e um deputado quer enquanto secre- bleia da República manifestou pesar política, mas também do Homem que eras…não tecto onde é acarinhado e tratado. tário de Estado dos Assuntos pela morte do eurodeputado, acres- me ocorre nada mais estimulante do que recordar São inúmeras as recordações em que, na Parlamentares”, afirmou António centando guardar de Fausto Correia as nossas vidas. companhia do Carlos Nobre, do Fausto Choila, do Filipe. “boas recordações”. Na juventude, chegados das aulas do liceu D. Carlos Andrade, do Manuel do Eldorado, do Nini e João III, onde nem estudávamos muito porque os de outros tantos, nos divertíamos na Praça professores eram tão bons que, mesmo sem Velha…até que o pai Fausto chegava e fazia de pai 35 anos de vivências inesquecíveis sermos particularmente atentos, (e eles tanto se de todos nós… “Pra casa, toca a estudar!…” E A Ana Wilson telefonou à minha filha Luisa e esta avisou-me. esforçavam para que o fôssemos) conseguiram o nós, íamos!… Desabaram sobre mim 35 anos de vivências inesquecíveis. milagre de nos transmitir culturas, saberes, Este ar que me entra pela janela vem Conhecemo-nos em 1972. conhecimentos, cidadania, respeito, compa- impregnado da tua presença, talvez um pouco menos O ideal comum juntou-nos numa luta comum pejada de alegrias e nheirismo; foi já nessa altura que notámos pela fresco porque já não o respiras mas vai estar sempre de tristezas, mas não foi isso que nos tornou Amigos/Irmãos: foi a primeira vez que terias alguma deficiência nesse por cá, lembrando que eras um Homem bom, de ternura, o carinho, o verdadeiro interesse e a dedicação ao outro coração que agora tão prematuramente deixou de quem já temos saudades. com que o Fausto impregnava o seu relacionamento. bater… Ele unia-se aos outros numa óptica de fraternidade - Cansavas-te muito para a tua idade…esse Até sempre, fossem quem fossem os outros! Partiu. A morte (que coração que era tão grande que sempre respondeu Fausto, até sempre! não a vida) tem destas injustiças relativas, mas a quem necessitava… dolorosas: ele foi na pujança da vida e eu, já fora de Lembro-me bem quando nos juntávamos no Belisário prazo, fiquei! “Texas” da D.Luísa, onde namorávamos as Maria Até breve... Júlio Correia
  • 9. O COIMBRINHA 9 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 Até Sempre, Fausto ! Faustito, até já Há momentos que desejamos que não existam ou que por nós não “Estranho destino este. Estranha perfeição a passem. deste mundo imperfeito. Além, aí algures neste A notícia do que aconteceu ao Fausto Correia, é disso exemplo. jornal, escrevo sobre a morte de um ex- Fausto, para nós que convivemos com ele, não desapareceu, -colaborador, amigo exemplar. Aqui tenho que pois se há homens que não podem ser arredados da memória redigir uma nota sobre a morte de Fausto Correia, colectiva, o Fausto é um deles. intempestivamente acontecida ao princípio da Não posso esquecer nesta hora que nos delicera o coração, o manhã de terça-feira. O “Faustito”, como o homem que conheci há 15 anos numa situação particularmente dificil tratava há mais de 30 anos, deixou-se vencer pela para mim, e que foi dos poucos, que se me dirigindo, me morte, ele que em tudo o mais era um lutador cumprimentou com um forte abraço e me manifestou a sua total destemido. Homem público, um homem e um solidariedade. Ali estava o Fausto, homem solidário. político em peregrinação constante, teve Não posso esquecer o caminho político desde aí trilhado, que dificuldade, ao longo das últimas dezenas de anos, se transformou em reconhecimento e amizade, e que passei a ter em se refugiar dos excessos a que a vida social como referência, pois desde aí, muitos momentos, aliás os tão activa quanto a dele pode conduzir. Vida activa fundamentais e determinantes na minha vida, sempre tiveram como no exercício das funções variadas que foi base a conversa amiga e fraterna com ele. Ali estava o Fausto, desempenhando, mais activa ainda por ser um que acomodando-se atrás das trincheiras onde homem amigo e fraterno. homem bom, um cavalheiro distinto, um amigo se refugiam os políticos sem dimensão. E ele que E na passada quinta-feira, mais uma vez me socorri do Fausto, sincero, um verdadeiro homem de Coimbra que, me desculpe, lá longe no lugar para onde foi e para ouvir a sua voz avisada, para ouvir a sua opinião, para ouvir o por não saber dizer não nem às pessoas nem às onde só mora o pensamento e a imaginação, eu seu conselho, numa conversa, que o levou a dar-me dois conselhos. causas, era uma porta nunca fechada sempre que também preferi que morresse agora, a que o Um deles de imediato o cumpri. O segundo há-de ser cumprido e o solicitavam. Por não saber dizer não, por não fizesse depois de vender ao desbarato a mais do que isso lutarei por ele, honrando o precioso conselho que saber negar a ajuda solicitada por alguém, por integridade que sempre lhe conheci. Coisa que me deixou. Ali estava há dias o Fausto, o homem conselheiro. não recusar nunca uma causa que tivesse em ele nunca faria, eu sei. Mas para resistir iria sofrer Que mais posso dizer de um homem, que todos sabemos que pano de fundo Coimbra trajando o seu fato muito mais, logo ele que já pagara cara a coragem nos vai fazer falta, pois muitos de nós quando a dúvida nos acercava, domingueiro de ética revestido, Fausto Correia, de muitas vezes dizer “eu não vou por aí”. sabiamos a quem nos poderíamos dirigir, pois ele, o Fausto estaria que se sabia doente, preferiu morrer lutando, a Muitos de nós perdemos uma pessoa de sempre disponível para conversar, para atender o telemóvel, senão viver desistindo. bem. A sua família, muitas vezes sacrificada pela era no momento, ao final do dia lá entrava em Coimbra perdeu um dos seus homens bons. sua dedicação às causas do mundo, aguardava contacto com quem precisava da sua ajuda. Era o Diria até, perdeu um dos seus melhores. Traído ansiosa a hora da compensação. Que não virá Fausto, o homem sempre disponível para ajudar. pelo coração generoso, estou certo que morreu em forma de tempo. Mas que está aí na dor Camarada e amigo Fausto, muita coisa ficou como gostaria de ter morrido. No seu posto de profunda sentida por milhares e milhares de por fazer que certamente gostarias de concretizar. trabalho, assumindo-se como se a vida fosse pessoas, pelo luto de que Coimbra se vestiu logo Saibamos todos honrar o teu desejo. infinita, caiu de pé, com a certeza que em todos soube da sua morte, com as pessoas a olhar o Um até Sempre, Fausto ! nós deixa um rasto de mágoa, de admiração, de chão, como que em busca de um porquê que o Carlos Cidade profunda saudade. Fomos contemporâneos. Em destino reserva sempre para si. Estranha e tudo. Desde a Faculdade ao Jornalismo. Do escassa compensação, eu sei, quando analisada político sério ao observador atento. Unidos pelos sobre o corpo quente de quem partiu. Mas o mesmos ideais. Comprometidos com Coimbra. tempo dirá o quanto a honra valerá como lenitivo A derradeira viagem de Fausto Correia Servidores da verdade. Ele foi longe, eu fiquei- compensador, sobretudo para a família daqueles que a viver, se recusariam a fazê-lo sem ela. Fausto Correia, o director de “O DESPERTAR”, acaba de partir -me por aqui. À distância de um contacto intermediado pela fiel secretária, aquela Gracinda Perdi um dos grandes amigos da minha para a grande viagem deixando-nos atónitos com esta “despedida”, vida, logo eu que há anos me compatibilizei com em Bruxelas, o genuíno Coimbrão, que situava a cidade de Coimbra que era já uma parte do próprio Fausto Correia. Por onde passou, pelas causas por que se bateu, a morte, como se ela da própria vida fizesse parte. entre o idealismo e o progresso hodierno, inteligente, culto, orador Mas ninguém rouba a vez a ninguém. O Fausto muito significativo em mil vertentes do pensamento foi um lutador pelos ideais por que lutou, foi sempre um honrado cidadão e combatente, adversário leal e frontal, foi na sua vez, que não no seu tempo. Mas viveu intansigente pelos ideais republicanos e democratas. o suficiente para deixar em mim uma mágoa que, Morreu o nosso Director. A cidade e o país perdem uma companheiro das boas e das más horas. Por onde passou, assumiu-se sempre como um homem de de mãos dadas com outras mágoas, manterá consciência social na sua actividade política que testemunhou toda dentro da minha alma o peregrino rebelde que a sua acção cívica por uma geometria intelectual rara, esteticamente Coimbra, terra que amava e conhecia como poucos, deixando atrás de si um rasto de respeito sempre fui. Como eu gostaria que Deus evoluído colocou acima de tudo o “interesse regional” numa profunda reservasse para mim destino idêntico: morrer de reflexão num diálogo transversal e onde a liberdade de expressão e admiração. Amigo íntimo de Torga, de Mário Soares, António Guterres, António Campos, pé, de mãos dadas com a lealdade e a integridade! tomou o lapidar sentido cartesiano. Para quem pensa que a vida para além da morte Figura de enorme prestigio prestou relevantes serviços ao país, António Arnaut e outros mais, trocou uma dúzia de anos de vida pela entrega aos outros e às não vai além da memória e da saudade dos que como governante, como autarca, como homem da cultura, em ficam, a mais não posso aspirar. momentos ingratos para a Europa, a sua voz fez-se ouvir em causas em que acreditava e que assumia como suas. A morrer, ele que da vida tanto gostava, de Faustito, até já.” Bruxelas, em exposição tranquilamente arguta que bem podia ser o Lino Vinhal “filósofo de tempos de crise” em argumentações provenientes do certeza que preferia morrer agora, lutando, do saber, do estudo, da linguagem cheia da dimensão humana. Desde criança que lidei com Fausto Correia, o Faustito, e agora “A minha maior ambição é sentia-me radiante por vê-lo a dirigir o mais antigo Jornal da Cidade. Fausto, um grande abraço! ver os meus filhos, Miguel, Ficámos mais pobres. As suas reflexões semanais dentro da Tantas vezes homenageaste o Torga, que nesta hora extrema ele António e José, rapidamente sua postura estético-filosófica, coerentes, ilustrativas, eram na sua gostaria decerto de te poder também homenagear. E como podia com um canudo. Em 2009, pena brilhante o Mundo em mutação, onde o Homem, como Protágoras, era o centro. fazê-lo melhor do que enviando-te um poema? Pela nossa parte, eu e a Fernanda, aqui em casa, escolhemos deixo o Parlamento e espero Já estamos a sentir a eterna saudade. O dr. Fausto Correia, ser mensageiros deste poema do Miguel Torga, para assim te passar a ter uma semana de era para nós, um ente de família. A ética, a moral, o civismo, a cultura, o amor ao país, darmos um abraço que é já de uma saudade sem medida. quatro dias de trabalho. particularmente, à sua e nossa COIMBRA, foi o seu breviário. Provavelmente, passarei a A sua personagem vai permanecer na nossa COMBATE dedicar memória, nesta redacção, não abstractamente mas Manhã do mundo que não amanheces! mais tempo numa realidade concreta, histórica, e social, e na Tantos poetas a cantar na sombra, E nenhuma alvorada se anuncia! ao Despertar.” alegria que ele punha em tudo por Coimbra e pelos valores mais condizentes com as relações humanas. Somos nós maus profetas no degredo, O seu exempo é lição para os que ficaram nesta Ou és tu, sol da vida, que tens medo redacção. Até breve, AMIGO! De iluminar a nossa profecia? FAUSTO Manuel Bontempo Rui Namorado CORREIA
  • 10. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 10 O COIMBRINHA Não basta um coração grande Luís Queiró recorda para impedir tão grande injustiça amigo e homem político “Interrogo-me se não há qualquer injustiça, amigo. O eurodeputado do CDS-PP Luís imanente ou transcendente, na morte de um São tantos os amigos que deixaste, Faustito! Queiró declarou-se “chocado” com homem aos 55 anos e quando se esperava ainda Sabias fazer e ter amigos como ninguém. Dentro a morte de Fausto Correia e tanto dele”. Foi com esta dúvida que António e fora do teu PS, da tua Académica, da tua lamentou a perda do antigo com- Arnaut reagiu ao desaparecimento do seu/nosso cidade… A vida não foi justa para contigo, não foi panheiro de liceu em Coimbra. amigo Fausto Correia. “A vida não foi justa para justa para connosco. Fica o teu exemplo. Não é “Estou chocado com a notícia com o Fausto”, não hesita em concluir, de imediato, pouco, nada pouco. É muito, mesmo muito. Mas inesperada da morte dele (...) Em o advogado e fundador do Serviço Nacional de tu merecias mais, nós esperávamos ainda mais. meu nome e do CDS-PP, queria Saúde. Ainda mais. E temos a certeza que não te cansarias apresentar sentidas condolências à “A vida não foi justa para com o Fausto”. nunca. família”, afirmou Luís Queiró. Nem para com quem é/era seu amigo, para com Sabemos agora, Fausto. Agora, O presidente da mesa do quem dele esperava tanto, para com a de- como poucas vezes, muito poucas, Congresso do CDS-PP recordou Amigos desde a época de mocracia, o país e Coimbra. A vida foi injusta terá sido e será, com a tua partida, Fausto Correia como “amigo e liceu, em Coimbra, Fausto Correia para com o Fausto. Mas também muito, muito demonstrado. Não basta ter um homem político”. “Tinha enormes e Luís Queiró integravam ambos injusta para connosco, que perdemos o homem coração grande, para impedir tão a comissão parlamentar de Trans- qualidades humanas e valorizava solidário e fraterno, generoso e afectivo, grande injustiça. portes e Turismo. “Tivemos oportu- sobretudo a amizade, apesar das disponível e grande, empenhado e tolerante, o João Fonseca nossas diferenças políticas. Recor- nidade de muitas vezes colaborar do também o homem político: em- em matérias de interesse comum bora tivéssemos seguido caminhos para Portugal”, sublinhou Queiró, Condolências diferentes, sempre foi solidário e empenhado naquilo em que acre- garantindo que os eurodeputados nacionais irão continuar a “honrar Têm sido inúmeras as mensagens de apoio que têm a memória” de Fausto Correia em ditava”, salientou o eurodeputado chegado ao jornal “O Despertar” neste momento de luto. Bruxelas. democrata-cristão. Toda a equipa agradece as condolências de: Fátima Ramos, Carlos Ferreira, Maurício Teixeira Marques, Artur Serra, Fernando Ribeiro, Délia Adão Gomes, Manuel Subtil, Rui Neves, José Soares, Lino Craveiro, Manuela Carranca Redondo, Susana Carranca Durão Barroso recorda Redondo, Arminda Linhares, Fausto Linhares, Adriano Bento, José Marieiro, Carlos Daniel David, José Frota Antunes, Afonso Barbosa, Jaime Ribeiro, Ricardo “europeísta convicto” O presidente da Comissão Euro- Stricker, António Mingocho, Rosa Abreu, Maria Emília Seabra, Cecília Patrocínio Tavares, João Fernandes, peia, Durão Barroso, lembrou o eurodeputado socialista Fausto “Olivais ficou José António Franco, Alberto Martins, Guida Menezes, António Sousa Marques, Fernando Reis Chim, Carla Correia como “um europeísta convicto e um político empe- muito mais pobre” Gisela Silva, Julieta Esperança Carvalho, Direcção da Delegação da Zona Centro da Associação Nacional de nhado”. “O dr. Fausto Correia era “Foi com enorme emoção, que Deficientes e Sinistrados Trabalho, Administração da um europeísta convicto, um político a família olivanense foi surpre- Matobra, Ana Madalena, Fernando Ribeiro, Silva Santos, empenhado e um deputado portu- endida com a notícia do faleci- Jorge Lé, Jorge Peixoto, Rui Peixoto, José João Matos guês muito apreciado nas insti- mento do nosso presidente da Maria, Joaquim Querido, Fernando Raposo, Gabriela tuições europeias”, afirmou. Assembleia-Geral. Godinho, Maria Luísa Amaral, Maria Helena Toscano, O presidente da comissão e família de Fausto Correia e ao PS, Aos 55 anos de idade, Fausto José Lopes, Nuno Loureiro. ex-líder do PSD manifestou ainda partido a que o eurodeputado Correia foi atraiçoado pelo co- “as mais sinceras condolências” à pertencia. ração. Esteve sempre disponível a ajudar o seu Olivais, clube de que era sócio desde 1972. Ainda recentemente se desdobrou em várias reuniões para ajudar a Municipio de Miranda do Corvo encontrar as melhores soluções VOTO DE PESAR para o Olivais Futebol Clube. Fausto Correia tomou posse VOTO DE PESAR O Dr. Fausto Correia desempenhou ao longo da sua vida vários cargos públicos a nível municipal e a nível nacional. como presidente da Assembleia- -Geral em 1996, cuja direcção DR. FAUSTO CORREIA A sua vida pautou-se por uma luta constante na defesa dos ideais da democracia, da solidariedade e da Paz. A sua forma de estar granjeou-lhe muitos amigos, mesmo entre era presidida por José Augusto “ O Sindicato dos Bancários do Centro e a Delegação da Região aqueles que não compartilhavam as suas opções político- Brito Xavier. Manteve-se sem- Centro da UGT – União Geral de Trabalhadores, associam-se, nesta -partidárias. pre em funções até à sua ines- hora de pesar, ao luto que cobre a cidade de Coimbra e a Região O Dr. Fausto Correia era um Homem bom, muito generoso que perada morte, colaborando com Centro, pelo trágico e inesperado desaparecimento do Dr. Fausto defendia com determinação os valores da liberdade, igualdade, fraternidade e cidadania. todos os outros presidentes da Correia. Foi um Homem muito fiel às suas amizades e ao interesse da direcção: Valdemar Pinho, An- Figura incontornável do meio político e académico de Coimbra nossa região. tónio Albuquerque, Carlos Gon- e de Portugal, honrou a sua região e as suas gentes com os seus O seu desaparecimento constitui uma enorme perda para desempenhos nas várias funções que foi ocupando ao longo da Miranda do Corvo, para a região e para o País. çalves (dois mandatos) e agora Assim, a Câmara Municipal de Miranda do Corvo e a Assembleia sua ainda curta, mas rica e preenchida, vida. com Carlos Ângelo. Municipal de Miranda do Corvo manifestam pesar pela sua morte, É com profunda tristeza que os Corpos Gerentes do Sindicato apresentando aos seus familiares e amigos as mais sentidas Com o desaparecimento de dos Bancários do Centro, em representação dos seus milhares de condolências. Fausto Correia, o Olivais ficou associados, beneficiários e trabalhadores, e o Coordenador da muito mais pobre. Morreu um Delegação da Região Centro da UGT – União Geral de Trabalhadores, Paços do Município de Miranda do Corvo, 10 de Outubro de 2007 dos sócios que mais se destacou em representação de todos os seus sindicatos filiados, manifestam A Presidente da Câmara Municipal nacional e internacionalmente. as mais profundas e sinceras condolências à família enlutada, ao Dr.ª Fátima Ramos À Família enlutada, a Direcção Partido Socialista, a Miranda do Corvo e à cidade de Coimbra. do Olivais Futebol apresenta as O Presidente da Assembleia Municipal Pela Direcção, Pela UGT Dr. José Manuel Simões suas mais sentidas condolên- O Presidente, Delegação da Zona Centro cias.” Carlos Silva O Coordenador Pelos Autarcas do Partido Socialista A Direcção Francisco Carapinha Eng.º António Simões
  • 11. O COIMBRINHA 11 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 Uma fraterna amizade, um sentido adeus “Um dos aspectos negativos imagens com espantosa nitidez, desta profissão de jornalista é a desde o passado longínquo até ao obrigatoriedade de lidar quo- mais recente. tidianamente com a Morte, de Desde os tempos de miúdos, fazer dela protagonista de muito de calções no D. João III, até às do espaço de cada edição de conversas de há escassos dias, todos os jornais. passando por tantas confidências Mas essa rotina, involun- (que só a amizade fraterna con- tariamente mórbida, vai criando sente e que a divergência de opi- em nós, tal como nos leitores, uma niões nunca impediu), por muitas inconsciente carapaça, mais ou cumplicidades, por algumas lou- menos sólida, razoavelmente curas… impermeável, que o instinto de Este retorno ao passado é defesa nos obriga a envergar para interrompido, a espaços, por nos proteger das cruéis agressões telefonemas de outros amigos, Uma vida incrível de dádiva da Natureza – que, de forma também eles incrédulos, a sentirem despótica, se sente no direito necessidade de partilharem cons- (talvez na obrigação…) de roubar ternações. outros que se põem em bicos de “Alheio a todos os credos políticos ou religiosos, Fausto Correia é a Vida que concebe. E são tantos os amigos do pés mal alguém lhes atira uma digno do respeito pela sua memória. Amigo ímpar, fraternal, sempre Daí que as notícias de catás- Fausto! migalhas do Poder… disponível, com vida incrível de dádiva de quem dele se trofes em que morrem milhares Dos mais humildes até às Foi um socialista conse- aproximava, deixa em Coimbra um vazio e quiçá em Portugal. de pessoas por esse Mundo além destacadas figuras da cena inter- quente, sempre disponível para Perdemos o contacto com um ‘HOMEM’ um ser humano nos não provoquem, as mais das nacional. E esta circunstância é todas as missões de que o incum- inigualável. vezes, senão um mecânico desa- bem mais eloquente do que todas biram. Estarás sempre connosco. bafo de pena, que depressa é as palavras que eu aqui consegui Mas foi também um político Um abraço fraterno.” diluído pelo caudal impetuoso das alinhar. que respeitava os seus adversários Fernando Ribeiro felicitações e dos pequenos pro- Quem, ao longo de pouco e que por eles era respeitado, em blemas da vidinha nossa de cada mais de meio século de vida, foi todos os quadrantes ideológicos. dia. conquistando tantos e tão bons Foi um gestor público íntegro Coisa bem diferente sucede amigos, até mesmo no campo da e rigoroso. quando a Morte nos toca de perto, política partidária – muitas vezes Foi um desportista apai- quando nos leva um familiar ou mesquinho!… - só pode ser uma xonado pela sua Académica, a um amigo. pessoa de qualidades raras. que presidiu de forma abnegada, Pois foi isso que me sucedeu E o Fausto Correia era-o, de mas igualmente fervoroso apoian- ontem, quando a notícia, brutal, me facto! te e dirigente do Olivais. chegou, de manhã, pelo telefone, Para atenuar a dor desta Foi um cidadão exemplar, através da voz comovida, quase enorme saudade que me aperta o sempre empenhado em causas embaraçada, de um amigo co- peito convenço-me de que o nobres, desde os Bombeiros Vo- mum: “olha, é para te dizer que o Fausto foi feliz. luntários até outras instituições Fausto morreu …” Desde a infância brincalhona altruístas. De repente tudo pára! na Baixa de Coimbra, até ao Foi um chefe de família de- Por momentos queremos trabalho no Parlamento Europeu dicado, que sempre procurou crer que não ouvimos o que a que ascendera há dois anos. compensar as esforçadas ausên- ouvimos, ou que entendemos mal, Foi um jornalista corajoso nos cias com uma constante ternura ou que deve haver ali qualquer tempos em que tal não era nada pelos três filhos e uma incomen- confusão, ou que… fácil. surável admiração pela Mulher Mas a voz amiga não nos deixa margens para fuga. Acres- Foi um político combativo, que logo muito jovem teve funções de responsabilidade no Governo (muitas vezes me disse que tinha de erigir uma estátua à Lurdes, companheira sempre tolerante, Profunda tristeza centa pormenores. Confirma aqui- lo que pretendíamos não ter ouvido, que desejávamos não Civil de Coimbra, como adjunto de Fernando Valle (uma das suas sempre disponível para o apoiar). Queria ser presidente da pela perda de um amigo tivesse acontecido. referências éticas, juntamente Câmara de Coimbra – e terá sido Ainda em choque, poisámos com Miguel Torga), nos anos esse o único dos seus grandes “Ao tomar conhecimento do o telefone. agitados que se seguiram à sonhos que não chegou a concre- trágico falecimento do Dr. Fausto E, inevitavelmente, logo volta Revolução de Abril. Mais tarde tizar-se. Correia, o Presidente da Câmara atrás, no registo da memória, a assumiu funções governativas E foi uma pena para Coim- Municipal de Vila Nova de gravação da nossa existência sem que tal lhe afectasse a bra!” Poiares, Jaime Carlos Marta comum, e nos surgem tantas simplicidade – ao contrário de Jorge Castilho Soares, em seu nome pessoal e em nome do Município de Vila Nova de Poiares, não pode deixar Democracia mais pobre de manifestar a sua profunda tristeza pela perda deste seu amigo pessoal, político de grande “É com enorme consternação e A amizade e a admiração não valor que exercia as suas funções pesar que registo o desapare- conhecem cores políticas, por isso no Parlamento Europeu como cimento de uma figura incon- é com tristeza que verifico a perda eurodeputado Português, e desse endereço as mais sentidas condo- tornável da democracia portu- de uma pessoa de grande valor, grande académico que tendo sido lências à sua esposa, filhos e guesa. deixando a Região de luto e a Presidente da AAC/OAF, divi- demais família, ao Partido Socia- Defensor insistente e persis- vivência democrática mais pobre. diu a sua carreira entre o dirigismo lista, à Assembleia Municipal de tente da Região e de Coimbra, o À família, aos amigos e ao desportivo, o jornalismo e a Miranda do Corvo, ao Jornal “O Dr. Fausto Correia assumiu-se Partido Socialista apresento as política. Despertar” e a todos os seus sempre como uma referência da minhas sinceras e sentidas condo- Numa hora tão difícil como amigos.” actividade política, cívica e social. lências.” Luís Leal esta, de consternação e luto, Jaime Soares
  • 12. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 12 O COIMBRINHA “Nunca poderei pagar a Coimbra tudo o que me deu. Limitar-me-ei a pagar os juros dessas dádivas. Coimbra deu-me a família, o curso, os amigos, as tertúlias e a Académica, que para mim não é um clube mas uma paixão”. FAUSTO CORREIA Na “Quebra Costas” do “Campeão das Províncias”, em Março de 2004 “É esta homenagem que lhe deixo em três palavras: era um cidadão exemplar, um amigo irrepetível e Fausto Correia (1951-2007) obrigado Fausto! É uma responsa- Traído pelo bom coração aos 55 anos… bilidade que nos fica saber inter- pretar e respeitar a herança política que nos deixou. O Fausto sabia fazer uma expressão rigorosa e humana da palavra amizade. É um grande vazio que fica.” Fausto de Sousa Correia faleceu na madrugada de Radiodifusão Portuguesa. De Abril de 1992 a Outubro de Armando Pereira In Diário As Beiras terça-feira, aos 55 anos. Vítima de ataque cardíaco, este 1995, foi Vice-Presidente da Direcção-Geral da Agência Lusa “verdadeiro amigo”, assim apelidado por todos quantos de Informação, CIPRL. “Era um grande amigo de Coimbra, com ele lidaram de perto, acabou por sucumbir no seu Ocupava ainda a função de presidente das Assembleias- de toda a gente, independentemente apartamento em Bruxelas. gerais de António de Sousa (Herdeiros), Lda., empresa de cores políticas. Coimbra perdeu Nascido em Coimbra, na Freguesia da Sé Nova, a proprietária d’ “O Despertar”, de que era Director desde um grande amigo e acredito que está hoje de luto. A semente que Fausto 29 de Outubro de 1951, Fausto Correia formou-se em 14 de Outubro de 2005 e cujo capital social é pertença integral Correia deixou vai transmitir-se Direito pela Universidade de Coimbra, repartindo a sua da Família. depois da sua morte. Os seus valo- vida entre o jornalismo e a actividade política. O Foi, ainda, deputado socialista, membro do XIII e do res e o seu pensamento ultrapas- jornalismo sempre esteve presente na sua vida, tendo XIV Governos Constitucionais: Secretário de Estado da sam-no a ele próprio.” começado a escrever, aos 14 anos, no jornal “O Administração Pública (1995-1999) e, sucessivamente, António Luzio Vaz In Diário As Beiras Despertar”, actualmente com 90 anos e propriedade Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Secretário da família. Esta ligação manteve-se sempre ao longo da de Estado Adjunto do Ministro de Estado e Secretário “É uma perda muito significativa para vida, assumindo actualmente o cargo de Director do Adjunto do Primeiro-Ministro (1999-2002). Eleito deputado a política nacional. Era um homem jornal, o mais antigo da cidade, a quem o ligavam pelo Círculo de Coimbra à Assembleia da República na IV bom que tinha uma participação inquebráveis laços afectivos. Legislatura, foi reeleito nas VII, VIII e IX Legislaturas. Além cívica muito importante.” Isabel Damasceno Jornalista do “República”, co-fundador de “A Luta” de eurodeputado eleito em 13 de Junho de 2004, Fausto In Diário As Beiras e chefe da Delegação Regional Centro da ANOP – Correia era actualmente deputado à Assembleia Municipal Agência Noticiosa Portuguesa, regeu a cadeira de de Miranda do Corvo e presidente da Mesa da Comissão “Coimbra e a região perderam um dos “Iniciação ao Jornalismo” no Liceu D. Duarte, em Política da Federação de Coimbra do PS, estrutura de que grandes defensores. Além das diver- Coimbra. Durante nove anos, de 1983 a 1992, fez parte foi o líder entre 1978 e 1980 e entre Março de 2002 e Abril gências partidárias, aprendi com ele muita coisa. Era uma pessoa que dos sucessivos Conselhos de Administração da RDP – de 2003. quando acreditava num projecto não Militante do PS desde 1974, foi (desde Maio de 1992 e tinha barreiras ideológicas. Ajudava até Outubro de 2000) Secretário-Coordenador da Federação todas as pessoas, independente- Distrital de Coimbra, cargo que já desempenhara entre 1978 mente de todas as ideologias polí- e 1980; em Março de 2002, voltou a liderar a Federação de ticas. Um homem de extrema gene- rosidade, que punha acima de tudo Coimbra, enquanto Coordenador da Comissão Executiva as suas relações de amizade pessoal.” Distrital, estrutura transitória que cessou funções no XI Maurício Marques Congresso Federativo (realizado em Abril de 2003). Membro In Diário As Beiras do Secretariado Nacional desde Março de 1994 e da respectiva Comissão Permanente desde 1996 e até ao “São mais de 30 anos de amizade. Estou profundamente sensibilizado antepenúltimo Congresso Nacional, em 2002, onde foi eleito e triste com esta perda ingrata e membro da Comissão Nacional, primeiro, e da Comissão prematura. O Fausto Correia é um Política Nacional, depois. Voltou a ser eleito membro da cidadão que se empenhou sempre na Comissão Nacional no XV Congresso Nacional, que decorreu vida da cidade, por isso, hoje foi uma em Santarém nos dias 10, 11 e 12 de Novembro de 2006. bandeira de Coimbra que foi arreada. Pela sua personalidade, fraternidade, Foi dirigente da Associação Académica de Coimbra, co- carinho com que tratava os amigos e -fundador do Clube Académico de Coimbra, Vice-Presidente todas as pessoas. Penso que a nossa da Assembleia-geral da Académica/Organismo Autónomo de cidade tem uma dívida de gratidão Futebol e Presidente da Direcção da Associação Académica para com o Fausto.” de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol, de Maio a Manuel Machado In Diário de Coimbra Outubro de 1995, e integrava o seu Conselho Académico. Desempenhou igualmente, entre outras, as funções de “A sua morte é um profundo choque Vogal da Junta Distrital de Coimbra; Vice-Governador Civil e uma perda irreparável. Foi um de Coimbra; Presidente-Substituto e Vereador da Câmara cidadão exemplar e todos quantos se Municipal de Coimbra; Secretário do Conselho Fiscal da cruzaram com ele ficaram seus ami- gos. Era o príncipe perfeito da amizade Associação Atlântica dos Jovens Dirigentes Políticos; e da solidariedade. Guardo pequenos Deputado à Assembleia Municipal de Coimbra; Presidente gestos e grandes atitudes de um da Mesa da Assembleia-geral da Associação Humanitária dos homem que nunca esquecerei. Culti- Bombeiros Voluntários de Coimbra; membro da Direcção vou o nome de Coimbra como pou- cos. O país perde um grande homem do Instituto de Imprensa Democrática (IID); e Presidente e Coimbra despede-se de um dos da Assembleia Municipal de Miranda do Corvo (2001-2005). mais verdadeiros filhos da cidade.” Actualmente, ocupava o cargo de Presidente da Mesa José Manuel Portugal da Comissão Política da Federação de Coimbra do PS, In Diário de Coimbra
  • 13. O COIMBRINHA 13 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 “Fiquei muito surpreendido com a sua “Comecei a escrever no jornal – o mais antigo do distrito morte. Fausto era das pessoas do PS com quem eu tinha o privilégio de transmitir tudo o que pensava. Quero de Coimbra - com 14 anos e hoje sou o director. É uma sublinhar essa capacidade que ele tinha de, em todos os momentos – até nos mais conturbados de maior paixão e um compromisso.” FAUST USTO FA UST O CORREIA divergência –, falar desassombrada- mente e sem receios. [A sua morte] é um empobrecimento político.” Jorge Gouveia Monteiro Presidente da Assembleia-geral do Olivais Futebol Clube e In As Beiras também membro da Assembleia Municipal de Miranda do Corvo. “Era um homem ‘probo’, de uma honradez e de uma seriedade abso- Era sócio honorário da Associação Humanitária dos lutamente acima de qualquer suspeita, Bombeiros Voluntários de Coimbra e sócio de mérito do tinha um grande humanismo, um gran- Olivais Futebol Clube, bem como da Secção de Andebol da de sentido de tolerância, de solida- Associação Académica de Coimbra, além de militante riedade e de justiça, a que se juntava honorário da Juventude Socialista. Distinguido pela Secção mais três qualidades políticas: a coragem, a coerência e a memória.” do Botão do PS com a placa “Alcides Neves/2000”. Em 2002, Rui Avelar foi homenageado pela Casa da Académica em Lisboa. Era In Campeão das Províncias também sócio honorário do Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra. Foi condecorado pelo Presidente «Distinguia-se pelas suas qualidades Jorge Sampaio, a 11 de Fevereiro de 2006, com a Ordem de – nobreza de carácter, integridade e coerência de ideias. Tinha um pro- Mérito (Grande-Oficial). Homenageado no dia 9 de Dezembro fundo apego aos conceitos de liber- de 2006, pela Junta de Freguesia de S. Bartolomeu, onde dade individual e democracia plena. viveu durante toda a sua juventude, tendo o Rui Alarcão, Lamento que tenha partido deixando antigo Reitor da Universidade de Coimbra, pronunciado o por concluir o que desejava para a seu elogio. cidade que o viu nascer». Francisco Rodeiro Advogado, consultor de empresas e gestor. Era Pre- In Campeão das Províncias sidente da Assembleia-geral da Promogolf, com sede na Cu- ria; Vogal do Conselho Fiscal da Casa de Repouso Coimbra; Perdi o meu melhor amigo, de há 36 membro do Conselho Superior da Invesvita; membro do anos, o meu companheiro de boas e Conselho de Fundadores da FAQ – Fundação Antero más recordações, dos momentos em que sempre estivemos juntos. Tivemos Quental; e membro do Conselho de Estratégia da ADFP – uma amizade fraternal, por isso perdi Associação para o Desenvolvimento e Formação Profissional, um irmão. Era um homem com um de Miranda do Corvo. coração enorme, o mesmo que o Membro do Conselho Consultivo da ARCA e Presidente matou. Se calhar foi do tanto que da Direcção do Fórum Conimbrigae, duas instituições também deu». Dias Loureiro sediadas em Coimbra, era ainda Vice-Presidente da Direcção In Campeão das Províncias da APLD – Associação para um Portugal Livre de Drogas, com sede em Lisboa. Curador da Fundação Fernando Valle, “De repente tudo pára! Por mo- com sede em Côja, Arganil, era também Vice-Presidente da mentos queremos crer que não ouvi- Assembleia-geral da Casa da Académica em Lisboa. mos, ou que entendemos mal, ou que Era membro do Conselho Nacional de Solidariedade Afro- deve haver ali qualquer confusão, ou -Lusitana. No Parlamento, era membro da Comissão Par- que…” Um minuto Jorge Castilho lamentar das Liberdades Cívicas, Justiça e Assuntos Internos In Centro e membro suplente da Comissão Parlamentar dos Trans- portes e Turismo do Parlamento Europeu. “Foi um chefe de família dedicado, de silêncio Integrava ainda a delegação para as Relações com os que sempre procurou compensar as Países da Comunidade Andina e era membro suplente das forçadas ausências com uma cons- delegações para as Relações com o Mercosul e à Assembleia tante ternura pelos três filhos e uma Parlamentar Euro-Latino-Americana (EUROLAT). incomensurável admiração pela Como obras publicadas, tem Praça da República I, 1997; Praça da República II, 1998; e Praça da República III, 1999. em Bruxelas Mulher (muitas vezes me disse que tinha de erigir uma estátua à Lurdes, companheira sempre tolerante, O Parlamento Europeu guardou anteontem um minuto de sempre disponível para o apoiar.” silêncio, na abertura da mini-sessão plenária em Bruxelas, Jorge Castilho em memória de Fausto Correia. In Centro O presidente do PE, Hans-Gert Pöttering, abriu a sessão dando conta à assembleia da “triste notícia” da morte de “ Coimbra tem pela Fausto Correia, e sublinhou que o deputado era “conhecido e estimado” no Parlamento “pelo seu empenho em favor da frente marés de democracia e defesa das ideias de fraternidade e amizade”. dificuldades. Mas Pöttering indicou que foi aberto um livro de condolências à entrada do hemiciclo para os deputados europeus e este é o momento, se restantes funcionários. bem aproveitado, O secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Manuel Lobo Antunes, que interveio a seguir no hemiciclo, num para abrir janelas de debate sobre a Cimeira de Lisboa, agradeceu, em nome do oportunidades. Esta Governo e da presidência portuguesa da UE, a homenagem prestada e a “referência tão calorosa e amiga e também é uma verdade justa” feita por Pöttering ao “desaparecimento tão doloroso” inquestionável. de Fausto Correia, “alguém que era efectivamente um E a nossa aposta.” homem bom” e “um exemplo a seguir”. Fausto Correia
  • 14. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 14 O PAÍS Fátima/90 Anos . . . . FOTO grafias . . . . . . . . . . . . . . . . . . Autoridades esperam picos . . . . . . . . CITAÇÕES CASA DAS CITAÇÕES . . . . . . . . . . . . . . . . . . “O processo eleitoral correu mal, . . . . . . . . . . de 250 mil peregrinos . . deu uma má imagem do PSD e, . . . . . . . . . . . . por arrastamento, dos partidos. . . . . . . . . . . . . Felizmente, apurados os votos, . . . . . . . . . . . . todos reconheceram a sua legi- . . . . . . . . . . . . timidade.” amanhã (10:00). . . . . André Freire A GNR espera vários . . . . . . . . . . . . picos de 250 mil peregrinos Para prevenir congestiona- . . . . . . . . Professor de Ciência Política . . . . . . no Santuário de Fátima mentos do trânsito, os 300 militares . . . . . . . . . . . . . . 08/10/07 durante os três dias mobilizados programaram um anel . . . . . . . . . . . . de segurança em torno do santuário . . . . . . da peregrinação . . . . . . . . “Olhando para o estado da que compreende todo o perímetro . . . . . . Oposição, não é difícil de adi- que encerra as interior das avenidas Beato Nuno . . . . . . . . . . . . . . . . vinhar que Sócrates, tal como comemorações dos 90 anos e João XXIII. . . . . . . . . . . . . . . Cavaco, fará uma dobradinha das Aparições e inclui Esta área poderá ser vedada . . . . . . . . . . . . . . na maioria absoluta.” a inauguração a residentes caso o afluxo de . . . . . . . . . . . . Domingos deAndrade da nova Igreja da . . . . trânsito o exija, explicou o tenente- . . . . . . . . Chefe de Redacção . . . . Santíssima Trindade. -coronel Vítor Lucas, salientando . . . . . . . . . . . . . . 08/10/07 que nos momentos mais proble- . . . . . . . . . . . . . . Esse número poderá mesmo máticos os condutores serão . . . . . . . . . . . . “No espaço de poucos dias, os “subir um pouco” no domingo, já encaminhados para sul, para uma . . . . . . . . . . . . . . bispos declararam a guerra, que a celebração dominical será estrada secundária com cerca de . . . . . . . . . . . . . . lançaram os morteiros e procla- presidida pelo cardeal Tarcisio cinco quilómetros, de modo a aliviar . . . . O Primeiro-Ministro José Sócrates foi presenteado em . . . . . . . . maram vitória. Com um por- Bertone, secretário de Estado do ao máximo a pressão sobre as . . . . Montemor-o-Velho com os doces conventuais tão caracte- . . . . . . . . menor: ninguém sabia do que Vaticano, e incluirá uma mensagem praças de portagem da Auto-es- . . . . rísticos daquele município . . . . . . . . estavam eles a falar.” televisiva, transmitida em directo, trada do Norte (A1). . . . . . . . . . . . . Rui Tavares de Bento XVI, explicou o tenente- A praça funciona como “um . . . . . . . . . . . . Historiador . . . . -coronel Vítor Lucas, comandante funil” já que a capacidade de . . . . . . . . . . . . . . distrital da GNR de Santarém. escoamento da avenida onde ela . . . . . . . . 08/10/07 . . . . . . Nos domingos do Verão é desemboca é “limitada”, reco- . . . . . . . . . . . . frequente haver no Santuário nheceu o militar. . . . . . . “Sou um soldado que está sem- . . . . . . . . pre pronto para o combate, mas concentrações de 200 mil pessoas, Para a cidade de Fátima, . . . . . . . . . . . . . . para combater não preciso de ter pelo que as autoridades admitem foram mobilizados militares de . . . . . . . . . . . . divisas nos ombros nem de ne- que este número suba mais este várias áreas, como investigação . . . . . . . . . . . . . . nhuma graduação especial.” fim-de-semana por se tratar da criminal e protecção do ambiente, . . . . . . . . . . . . Pedro Santana Lopes Peregrinação Aniversária de equipas cinotécnicas, brigadas de . . . . . . . . . . . . . . Ex-primeiro-ministro Outubro. trânsito e patrulha a cavalo. . . . . . . . . . . . . “Pensamos que no domingo A principal preocupação dos . . . . . . . . . . . . . . 09/10/07 vão ser mais pessoas”, admitiu o militares é o trânsito rodoviário, já . . . . . . . . . . . . . . responsável da GNR, até porque que são esperados muitos carros e . . .
  • 15. VOZ DE COIMBRA 15 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 Ciclo decorre até amanhã Canil Municipal de Coimbra Investigadores retratam Câmara introduz inquérito obrigatório a cidade medieval para adoptantes século XV e à afirmação do Mos- Especialistas e teiro de Santa Cruz”. O Serviço Médico obrigatório no Canil e Gatil Mu- rigosos ou potencialmente perigo- investigadores estão a “É uma forma - esclareceu - Veterinário Municipal da nicipal começou no dia 4, Dia sos. debater, até amanhã, em de tomar conhecimento com todos Mundial do Animal e do Médico Estas campanhas começaram os fundamentos de um passado Câmara de Coimbra vai Coimbra, o tema “Coimbra Veterinário, tendo sido acom- com a distribuição de panfletos e medieval que se prolongou até passar a realizar um Medieval”, num ciclo de panhada pela aplicação gratuita uma recolha de donativos, con- hoje, com muitas alterações, mas inquérito aos interessados do “microchip” (identificação tinuando a divulgação daquelas conferências organizado com raízes no contexto desta ur- em adoptar animais de electrónica) em todos os canídeos brochuras em parques públicos e pela autarquia que começou banidade que somos nós”. forma a promover “uma adoptados nesse dia. locais da cidade de maior afluência ontem e onde serão Neste ciclo de conferências De acordo com o vereador, de pessoas, numa iniciativa que serão proferidas comunicações adopção responsável”, abordados temas como a o concurso para o alargamento do conta com o apoio do Governo Civil sobre Coimbra romana, o seu revelou o vereador Luís paisagem urbana, a Canil e Gatil - Centro Municipal de Coimbra e das autoridades castelo medieval, o Mondego, o Providência. de Recolha Oficial de Animais de policiais do concelho. sociedade e a arquitectura. românico e a sua influência na Sé Companhia de Coimbra - vai ser Também vão merecer divul- Velha e nas igrejas do Mosteiro “Muitas vezes, verifica-se a lançado até ao final do ano. gação as actividades e funções “É a primeira vez que se faz de Santa Cruz e São Tiago e o adopção por instinto por pessoas Esse alargamento vai per- oficiais da competência do Serviço uma abordagem tão profunda e “culto” ao Convento de Santa que, passados uns dias, aban- mitir criar zonas específicas para Médico Veterinário Municipal de diversificada deste tema, escal- Clara-a-Velha, que acolhia a donam os animais”, disse o verea- albergar animais de grande porte, Coimbra (do Departamento de pelizando desde a questão geo- Rainha Santa Isabel. dor da Câmara de Coimbra. exóticos e aves, além do aumento Ambiente e Qualidade de Vida da gráfica e urbanística, até ao A conquista de Coimbra por O inquérito, apresentado em das áreas destinadas aos recursos autarquia), enquanto autoridade domínio de Coimbra, o castelo, o D. Sesnando e os seus domínios, conferência de imprensa no Dia humanos. sanitária veterinária do concelho. público e o privado, as comu- como era a cidade na Baixa, do Animal, contém duas dezenas Na conferência de imprensa, Na conferência de imprensa, nidades minoritárias e a Baixa da desde o Arnado até Santa Cruz, de perguntas sobre as condições realizada no âmbito do Dia Mun- que decorreu no Canil Municipal de cidade, desde o Arnado até Santa nos séculos XI e XII, e a fun- que a pessoa interessada em dial do Animal e do Médico Ve- Coimbra, estiveram presentes a Cruz”, assinalou o vereador Mário dação do Mosteiro de Santa Cruz adoptar um animal do Canil e terinário, foram também di- médica veterinária da autarquia, Nunes. até à configuração moderna do Gatil Municipal de Coimbra pode vulgadas as campanhas de sen- Filomena Ramalho, e represen- O objectivo, segundo o ve- mundo vão ser também objecto de garantir, e é acompanhado por sibilização e informação da po- tantes da PSP e da GNR. reador, responsável pelo pelouro abordagem dos 15 investigadores um termo de responsabilidade, pulação sobre as “Regras cívicas De acordo com o vereador Luís da Cultura, é fazer “um percurso participantes, que são na sua visando evitar o seu abandono a ter com os animais de com- Providência, este ano deram entrada desde a nossa independência e a maioria professores catedráticos futuro. panhia” em geral e, sobretudo, no Centro de Recolha 1040 animais, conquista de Coimbra até ao da Universidade de Coimbra. A introdução do inquérito com os canídeos considerados pe- dos quais 750 eram cães. Convento de S. Francisco Câmara de Coimbra aplica 700 mil euros em obras Colina de Santa Clara, nas ime- “Diogo de Castilho”, no valor de A Câmara de Coimbra diações do centro de lazer Portugal 3.750 euros. decidiu abrir um concurso dos Pequenitos e dos conventos de João Mendes Ribeiro, Désireé público, orçado em cerca de Santa-Clara-a-Velha e Santa Pedro e Carlos Antunes, com o 700 mil euros, para a Clara-a-Nova. projecto “Remodelação e Prefi- execução de obras de consolidação estrutural do É originário dos primórdios do século XVII, construído segundo guração do Museu das Ciências - Laboratório Chimico”, e Gonçalo Muita magia no Dolce Vita antigo Convento de São o estilo maneirista coimbrão e foi Byrne, José Laranjeiro, João Neves O Dolce Vita de Coimbra acolheu, no fim-de-semana passado, o Francisco, e para a ocupado pela congregação dos e Carlos Ribas, autores de “Entrada Dolcelândia, um evento que encheu de magia este espaço realização de trabalhos de Franciscanos de 1609 até à revolta Poente do Parque Verde do Mon- comercial. A presença de “Bob, o Construtor” encantou as arqueologia. liberal. dego”, foram os contemplados. crianças e encerrou um programa que se prolongou por 16 dias e No século XX funcionou A autarquia decidiu também que ofereceu um mundo de diversões aos mais pequenos. A O lançamento da empreitada, durante alguns anos como fábrica atribuir o estatuto de Interesse Dolcelândia não se restringiu ao Dolce Vita de Coimbra. Esteve aprovado na segunda-feira em de lanifícios. Público Municipal à IPN Incu- também nos Dolce Vita de Miraflores, Ovar, Porto e Vila Real, reunião do executivo camarário, De acordo com o presidente badora - Associação para o Desen- tendo atraído em todos estes centros comerciais milhares de destina-se à consolidação de da Câmara, Carlos Encarnação, o volvimento de Actividades de Incu- crianças. elementos estruturais em situação custo da empreitada será suportado bação de Ideias e Empresas. de instabilidade, execução de em 79 por cento por fundos A IPN Incubadora foi cons- rebocos em fachadas exteriores, e disponibilizados pelo Instituto do tituída em 2002 para apoiar a AGÊNCIA FUNERÁRIA realização de trabalhos de ar- queologia necessários para a Turismo de Portugal. O prazo de execução para a criação de empresas de base tecnológica, assumindo a tarefa ADELINO MARTINS, LDA. TINS, MARTINS LDA. continuidade da reabilitação do presente empreitada é de 150 dias. até então desempenhada pelo O ORGULHO DE BEM SERVIR DESDE 1940 edifício. Na reunião do executivo Instituto Pedro Nunes, uma ins- FLORES TRASLADAÇÕES FUNERAIS – FLORES – TRASLADAÇÕES O antigo Convento de S. camarário de segunda-feira, foi tituição vocacionada para a Francisco, propriedade da autar- ainda decidido atribuir ex-aequo, a SERVIÇO PERMANENTE SERVIÇO transferência de saber da Uni- Telefs. 239 824 825 - 239 820 406 quia, que no futuro será um centro duas equipas de arquitectos, o versidade de Coimbra para o R. Corpo de Deus, 118-120 3000 COIMBRA de congressos, situa-se no sopé da Prémio Municipal de Arquitectura meio empresarial.
  • 16. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 16 CARTÃO DE VISITA PASSEAR NA HISTÓRIA O homem rivaliza com o inferno e dá lições ao diabo... “Isto é o inferno. Hoje, nos logo a uma tentativa de higienização do seu cabelo. Numa palavra, da nossos dias, o Inferno deve ser do povo alemão, preservando-o de sua individualidade. O vestuário assim, um local grande e vazio, e todo o tipo de ameaças internas. inadequado, a fome, a violência nós, cansados de estar de pé, com Promoveram-se, assim, os cha- e o trabalho extenuante e vão, uma torneira a pingar água que mados casamentos eugénicos, rapidamente transformavam os não se pode beber, esperamos contraídos por homens e mulheres prisioneiros, de forma a ajus- algo sem dúvida terrível e nada alemães, cuja superior qualidade tarem-se à imagem sub-humana acontece e continua a não racial estivesse devidamente com- que os senhores dos campos, acontecer nada. Como pensar? provada, no sentido de um aper- pequenos hitlers, tinham deles. Já não se pode pensar, é como feiçoamento cada vez maior da Os Kz simbolizavam o novo estar já morto. Alguns sentam-se estirpe. Maria Pinto* mundo alemão, dominador, e o no chão. O tempo passa gota Por outro lado, encetou-se na novo mundo sub-humano, domi- após gota”. própria sociedade alemã, um pro- nado. Um mundo demente e sem Escrito entre o final de 1945 e cesso de eliminação dos “degene- regras. Um inferno organizado, o início de 1947, “Se Isto é Um rados”, onde cabiam deficientes, mas de genocídio psicológico. onde o medo era uma companhia Homem” é, antes de mais, a idosos incapacitados e doentes Com a guerra a decorrer, omnipresente. Um mundo que narrativa seca e minuciosa de uma incuráveis. Esta iniciativa ficou tornava-se imperioso e urgente destruía caracteres e personali- experiência extrema: um ano vivido conhecida como o Programa da dar solução ao chamado “pro- dades e que me faz regressar à Primo Levi por Primo Levi, um químico italiano, Eutanásia (Aktion T4), sendo blema judaico” (judenfrage). A questão inicial de Primo Levi: o no campo de concentração de responsável pelo assassínio de guerra convencional cruzava-se que é um homem? E me impele leitor (a) e a mim decidiram Auschwitz, vítima e testemunha de milhares de homens e mulheres que, com a guerra racial, arrastando- a responder-lhe com uma outra que assim fosse. Fizeram a escolha um dos maiores horrores produzidos de acordo com os preceitos nazis, se ambas no espaço e no tempo. questão: o que pode ser um ho- de planear mortes em massa ao pelo século XX. tinham “uma vida indigna de ser Os alemães perfilavam-se entre mem quando todas as condições longo de um período de vários anos. Figura essencial da literatura vivida”. dois grandes objectivos: coman- de existência humana lhe são Poderiam ter escolhido algo dife- italiana do pós-guerra, Levi foi um No entanto, o povo alemão dar os destinos do mundo, por um subtraídas? rente. Deveriam tê-lo feito! judeu que sobreviveu “por sorte” teria também que ficar a salvo de lado; libertar a Alemanha e a No entretanto, outras ques- Este momento da nossa His- aos campos de extermínio nazis, e elementos nocivos, destruidores Europa em geral da influência ju- tões me surgem: como é que os tória recente leva-me a considerar que dedicou o resto da sua vida a de culturas, que viviam na Ale- daica, por outro. alemães, povo civilizado, pude- que o instinto do mal, o instinto de tentar responder à pergunta essen- manha. Estas afirmações visa- Foi nesta altura, por volta de ram tolerar os campos de con- matar provocando o sofrimento e cial de Auschwitz: o que é um vam, essencialmente, os judeus, 1941, que se iniciou a construção centração e de extermínio? On- a humilhação, está inscrito nos homem? considerados pelos alemães como voraz dos campos de concen- de estava o Homem no meio de genes da nossa espécie de forma A sua obra é um impres- seres sem natureza e sem pátria tração que, apesar de já existirem, todo este drama? O Homem inequívoca. Eles põem em evidên- sionante estudo daquilo em que os e, por isso, responsáveis por todos ainda que em menor número des- com a sua inteligência, a sua cia a imperiosa necessidade de homens podem transformar outros os males que ocorres-sem no de o início do mandato de Hitler, consciência, o seu coração? Era uma intensa reflexão sobre a na- homens e da luta constante destes interior da Alemanha. passam agora a ter um objectivo assim tão frágil o verniz da tureza humana. últimos para não deixarem de o ser. Este ódio irracional e ubíquo mais específico: tornam-se, na civilização, que pôde ser des- Por isso, constituirá sempre De facto, os campos de con- torna-se um sentimento obses- sua maioria, campos de extermí- truído tão facilmente por uma uma responsabilidade para pais, centração foram a maior criação sivo e enraizado na sociedade nio. Autênticas fábricas de morte doutrina selvagem e primária? professores e políticos ensinar às institucional do nazismo. Através alemã, pelo que a única solução onde seres humanos eram pro- Há quem pense que o fenó- novas gerações que ao lado da deles se tentou levar à prática a considerada possível e justa seria gressivamente transformados em meno do Holocausto está para opção errada existe sempre uma teoria demencial de Hitler, que a eliminação da raça judaica. seres sub-humanos numa espé- além da compreensão humana. opção certa. Mas só poderemos apontava para a ideia de uma raça Da interiorização desta ideia cie de linha de montagem (ou de Mas ficar indiferente e não tentar fazer a opção certa se compre- pura e, portanto, superior: a raça dos se passou rapidamente à prática. desmontagem neste caso) con- compreender o porquê de crimes endermos ao que pode conduzir a arianos louros, dolicocéfalos, mais Os judeus, logo desde a subida ducente à morte. como este, pode pôr em risco o opção errada. preservada na Alemanha do que em de Hitler ao poder, passam a ser Nos campos de concentra- nosso futuro comum. Esta questão Pouco depois de ser publicado qualquer outro lugar da Europa. A alvo de ataques físicos e verbais ção nazis (Kz), a única regra não diz apenas respeito aos ju- o livro de Primo Levi, uma questão este povo competiria fatalmente o e de todo o tipo de legislação arbi- existente era precisamente a au- deus. É uma questão universal. lhe foi colocada: pode um homem domínio do mundo, se necessário trária, no sentido de os segregar sência de regras. A arbitrarie- Da humanidade. sobreviver ao facto de ter sobre- através da submissão ou da elimi- e expulsar do país. Gradualmen- dade. Não eram reconhecidos às Os nossos instintos egoístas vivido a Auschwitz? nação dos povos ditos inferiores. te, vão sendo afastados dos vítimas os laços de parentesco. podem tentar-nos a virar as costas A esta pergunta respondeu o Esta teoria simultaneamente sectores público e privado e ainda Ultrapassados os portões do com repugnância para nos recu- autor anos mais tarde. No dia 11 tenebrosa e racista tinha como do contacto com o povo alemão. campo, a família deixava de exis- sarmos a olhar...e a ver. Mas esta de Abril de 1987, Primo Levi suici- objectivo primacial a afirmação da Quando se inicia a Segunda tir. é uma tentação que deveremos dava-se em Turim. Com o núme- raça ariana. No fundo, tratava-se Guerra Mundial, os judeus viviam Iniciava-se então o processo vencer. Porque o Holocausto ro 174517 ainda tatuado no pulso... de fazer ressuscitar a grandeza da já como uma comunidade lepro- de desumanização das vítimas, aconteceu. Em pleno coração da nação alemã. sa, evitada e injuriada. Como que eram tatuadas com números Europa. E só foi levado a cabo *Docente do Ensino Superior Para tal, procedeu-se desde seres socialmente mortos. Víti- nos pulsos, privadas do seu nome, porque pessoas iguais a si, caro (a) Casa Verde” “Muralha Verde” – Aluguer de quartos 24h – Máximo de Conforto e Higiene – Preços acessíveis – Parque Privado Especialidade: Estrada Nacional 111 OUTEIROS Cabrito Assado 3140-563 Tentúgal “Junto das Bombas Alves Bandeira” em Forno de Lenha O Cabritino é o local ideal para usufruir de momentos especiais Telefone: 239 105 948 Telemóvel: 965 512 167 Auschwitz Condeixa-a-Nova • Telef. 239 944 111 • Telm. 968 856 796
  • 17. REVISTA ESTRANGEIRA 17 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 Sarkozy defende . . . . . . . FOTO grafias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . união da Europa . . . . . . . . . . CITAÇÕES CASA DAS CITAÇÕES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . “As milícias no Rio de Janeiro . . . . . . . . . . . . têm a sua semente na inca- dá passos no sentido da comuni- . . . . . . . . pacidade dos órgãos do Estado O Presidente francês dade internacional”. . . . . . . . . . . . . . . de garantir condições aos po- considerou “muito Sarkozy saudou a “vontade de . . . . . . . . . . . . . . lícias, seja no exercício da sua importante a Europa cooperar” da Rússia e insistiu que . . . . . . . . . . . . . . . . profissão ou na vida quotidiana. manter-se unida” sobre o o programa nuclear iraniano é “um . . . . . . . . . . . . São quase a resposta a um grito dossier do Kosovo e desejou assunto que preocupa o planeta”. . . . . . . . . . . . . de desespero.” “uma solução que não “A poucos dias da sua deslo- . . . . . . . . . . . . Mário Sérgio Duarte cação a Teerão, dizer que ele . . . . . . humilhe quem quer que coopera, que quer continuar a . . . . . . . . . . Antigo Comandante do BOPE . . . . seja”, durante uma cooperar, é algo de importante”, . . . . . . . . . . . . . . . . 08/10/07 conferência de imprensa em disse o chefe de Estado francês. . . . . . . População, Governo e as forças de segurança durante o . . . . . . Moscovo. Durante a conferência de . . . . minuto de silêncio em memória pela vítima do atentado da . . . . . . . . ETA, em Bilbau, País Basco . . . . “Não seria justo que por causa imprensa conjunta dos dois chefes . . . . . . . . . . . . de um regime político ou de um “Em relação ao Kosovo, é de Estado, Sarkozy declarou ainda . . . . . . . . . . . . muito importante que a Europa se que “a França não deseja dar lições . . . . . . ditador não se fizesse uma reu- . . . . . . mantenha unida e que a discussão a quem quer que seja” sobre . . . . . . . . nião a este nível com África no . . . . se mantenha aberta com os nossos direitos humanos. . . . . . . . . seu conjunto.” “Reconheço e compreendo a . . . . . . . . amigos russos sobre esta questão, . . . . . . Durão Barroso . . . . que é um assunto europeu, sobre especificidade russa” e “fiz valer . . . . . . . . Presidente da Comissão Europeia . . . . o qual tentamos absolutamente sobre um certo número de questões . . . . . . . . . . . . encontrar uma solução que não as minhas convicções com fran- . . . . . . . . 09/10/07 . . . . humilhe quem quer que seja”, queza” a Vladimir Putin, adiantou . . . . . . . . . . . . declarou Nicolas Sarkozy, que Sarkozy. “Putin respondeu-me com . . . . . . . . . . “Che Guevara, se tal se pode dizer, a mesma franqueza porque nós . . . . . . falava durante uma conferência de . . . . . . já existia antes de ter nascido. consideramos que a amizade con- . . . . . . imprensa conjunta com o Presi- . . . . . . . . Che Guevara, se tal se pode dente russo, Vladimir Putin. siste em dizer as coisas, a olhar os . . . . . . . . . . . . afirmar, continua a existir depois Contrariamente à França, a eventuais desacordos e a olhar para . . . . . . . . . . . . de morto.” Rússia, aliada tradicional da Sérvia, as soluções”, disse Sarkozy. . . . . . . . . . . . . José Saramago “Não há surpresas, há sim- . . . . . . recusa ouvir falar de independência . . . . . . . . Escritor Português plesmente transparência da qual eu . . . . total da província sérvia e tem . . . . . . . . falava sempre sobre o plano . . . . . . ameaçado vetar a proposta no . . . . . . 09/10/07 económico, nós também a temos . . . . . . Conselho de Segurança da ONU. . . . . . . sobre a questão política”, concluiu . . . . . . Por outro lado, numa alusão . . . . . . “Acredito que haverá um acordo o chefe de Estado francês. . . . . . . . . ao dossier iraniano, Vladimir Putin . . . . . . político em relação ao tratado Sobre o plano económico, . . .
  • 18. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 18 O ACADÉMICO A Escola em Portugal um muro que separava a rua dum Naquele tempo a escola era risonha e franca ribeiro que, na minha imaginação Do velho professor, as cãs e a barba branca era o reino das fadas. Passava Infundiam respeito, impunham simpatia... (Cap. 1 - Anos 50) horas no muro e na margem do ribeiro e conversava com as fadas Assim começava um dos poemas infligidos às alunas, o que esta inédita. Levava todas essas me- minhas amigas. Às minhas irmãs, que tantas vezes ouvi o meu Pai negou. Claro que nós estávamos ninas para minha casa e ensinava- mais novas do que eu, dizia que recitar. E estes versos levan- lá e apresentámos ao inspector a -lhes a ler e a fazer as contas. Aí ainda não tinham idade para poder tavam para mim, menina curiosa, cana e a “menina dos 5 olhos” que deve ter nascido a minha vocação entrar no reino das fadas e, uma interrogação: Que tempo? a professora tinha escondido. de professora. O certo é que nesse mesmo que o conseguissem não Em que tempo teria a escola sido Se o meu relacionamento ano muitas das meninas passaram as veriam nem conseguiriam falar risonha e franca? com a professora não era dos para a segunda classe e eu, ao com elas. E assim me evadia dos problemas da escola, criando um Passados tantos anos sempre melhores, a partir daí piorou ensiná-las aprendi imenso. No ano mundo de fantasia só meu. na escola, como aluna e depois imenso a ponto de nunca mais seguinte fiz o mesmo. Ainda há uns Maria Emília Seabra* Depois de Felgueiras fomos como professora, a mesma inter- conseguir nada de mim. Certa vez anos fui a Felgueiras e precisei dum para Fronteira, no Alto Alentejo. rogação. Terá sido a Escola em em que me queria dar umas trabalho de costura e quando quis Tive uma professora particular Portugal? reguadas por indisciplinar a turma terra de senhores feudais e servos pagar a senhora não deixou porque que me preparou para o tão Filha de funcionário público e não o tendo conseguido levou- da gleba. Havia os senhores, se lembrava que tinha sido eu que importante exame de admissão tive de mudar de terra e de escola -me à sala do Delegado Escolar proprietários e alguns industriais ensinara a filha Alzira. Fiquei muito aos liceus. Particular, mas com várias vezes. Comecei em Espo- para ser ele a fazê-lo. A sala do e os caseiros e operários. Esta comovida! mais dois colegas uma menina e sende e não tenho grandes recor- Delegado era no 1º andar e a das divisão em duas classes prolon- E assim passou a escola um rapaz. Foi uma trégua na dações da escola. Na primeira meninas no rés-do-chão. gava-se na escola. As filhas dos primária, sem deixar saudades. As escola e as coisas correram bem. classe aborrecia-me porque não O Delegado Escolar, profes- caseiros sentavam-se atrás, junto saudades que tenho desse tempo Fiz o exame em Portalegre, no se avançava como eu queria. sor dos rapazes, tinha uma can- ao mapa das colónias, e rara- são as do recreio em que tanto Liceu Nacional. Quando entrei já sabia ler e cus- tilena antes de aplicar as palma- mente alguém lhes dirigia a brincávamos. Jogávamos ao mata Frequentei ainda em Fron- tava-me ouvir vezes sem conta os toadas, cantava a Ladainha e os palavra. Aí estavam até aos 14 com bola ou ringue, às 5 pedrinhas teira o primeiro e segundo ano dos mesmos textos. A mata, má , mau, alunos tinham que responder Ora anos, muitas vezes sem nada que se foram transformando em liceus e comecei a reconciliar-me o miau mia muito, Maio, amuo, pro nobis. Nunca tinha entrado aprender. As meninas dos se- pequenos saquinhos cheios de lentamente com a escola. A Di- mói a mó. Ou mais tarde – a naquela sala nem sabia dos nhores, eu incluída, sentavam-se areia para não aleijar os dedos, às rectora era uma senhora afável e Emilita é muito esperta e gosta estranhos hábitos, mas o que à frente, em carteiras de dois escondidas, à macaca; saltávamos os restantes professores tam- de ajudar a mãe. Minha mãe já desde logo me interessou foi lugares com tampos de levantar a corda; fazíamos rodas ou bém eram muito diferentes dos sei varrer a cozinha, arrumar as verificar se haveria alguma porta e um tinteiro de tinta roxa no meio. brincávamos à condessa condes- que tive anteriormente. Recordo cadeiras e limpar o pó. ou janela por onde escapar da- Ninguém parecia estranhar ou pôr sinha, condessa de Aragão; particularmente o professor de De tanto ouvir acabei por quela humilhação. E de facto uma em causa esta ordem pré esta- fazíamos casas ou mercearias. Português, o Prior de Fronteira, e fixar todos os textos, muitos deles das janelas estava aberta. belecida. Nesse primeiro ano a Em Esposende além das brinca- o professor de Desenho e Ciên- até hoje. O professor mandou-me deiras na escola brincava em casa, cias, o Veterinário local, que me professora tinha a 3.ª classe e a fizeram começar a gostar um A segunda classe foi ainda estender a mão, levantou a régua 1.ª e no seguinte a 4.ª e a 2.ª e a ou melhor, no muro à frente da bocadinho da escola. pior. A professora era nova, tinha e, antes de a baixar cantou bem professora da sala ao lado as nossa casa. A rua só tinha casas * Professora do Ensino um bebé que muitas vezes levava alto: Santa Luzia...Eu não fiz outras duas classes. Aqui, os dum dos lados e do outro havia Secundário - Aposentada com ela e punha as alunas a mais nada, corri para a janela rapazes tinham aulas noutro fazerem todo o serviço da escola, além de tomarem conta do bebé. enquanto respondia: eu vou-me embora... e saltei, felizmente para edifício, junto aos Bombeiros. Estranhei imenso esta divisão DENTÉCNICA, LDA. Além disso batia muito com a cima dum monte de areia, ou não social a que não estava habituada LABORATÓRIO E CONSULTÓRlO palmatória e a cana., às vezes por estivéssemos numa praia. A partir e tratei de o dizer à professora o DENTÁRIO PRÓTESE MÓVEL, coisa nenhuma. Um dia espetou- desse dia conquistei o respeito de que me valeu uma dúzia de re- PRÓTESE FIXA -me uma cana na sobrancelha todos os rapazes. guadas e o epíteto de bolchevista E ORTODÔNCIA direita. O meu pai não gostou e A sorte, ou talvez não, foi ter que não sabia o que era. Foi o pior fez queixa ao Delegado Escolar. de mudar de terra e de escola. que a professora podia ter feito. A Acordos com a ADSE, EDP, e RDP Dias depois apareceu na escola A 3ª e 4ª classes fi-las em partir daí nunca me calava se ela R. Ferreira Borges, 7-2.º um inspector que interrogou a Felgueiras. Nesses anos, Fel- não ensinasse as meninas da Telef. 239 826 991 professora sobre os maus tratos gueiras era verdadeiramente uma primeira e resolvi fazer uma coisa 3000 COIMBRA O Despertar espert ar Envie o cupão para: Despe esper O D espe r t ar – Rua Pedro Roxa, 7-1.º – 3000-330 COIMBRA
  • 19. O OBSERVADOR 19 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 INTERNET – REALIDADE BASEADA 17 PERGUNTAS A NUMA SEDUÇÃO ANCESTRAL NONSTOP? RUI NAMORADO Hoje, observa-se que as novas tecno- logias proporcionam facilidades que vários autores reconhecidos pela comunidade. No entanto, como este provocam, para alguns, o fim da aspecto é ainda residual há, natural- informação tal como ela se apresenta mente, muita relutância para aceitar – hoje temos Blogs, vídeos, pocasts, alguma veracidade desta realidade etc., – ou seja, conteúdos feitos pela comunidade científica inter- através de “produções caseiras” que nacional. Actualmente, observa-se alimentam a difusão de e para o Por Luís Miguel Pato* que esta é a característica que “Ego” (Egocasting). Aliás, aqui, se luis13pato@gmail.com domina a consulta de conteúdos na reflectirmos um pouco, facilmente internet – aspecto que causa um se chega à conclusão de que hoje, certo grau de narcisismo baseado para se produzir conteúdos multi- do, ter visto um musical chamado em fórmulas históricas; uma certa média bastarão cerca de mil euros Little Shop of Horrors, onde uma procura dos “actores” integrantes – aspecto que é fruto da total demo- flor carnívora, com cerca de dois de um star system, proveniente dos cratização de aparelhos como palm- metros de altura, comia tudo o que media clássicos, que, entretanto, já corders, telemóveis, computadores, a entediava – aqui destaca-se a se implantou na internet. Aqui, etc.; ou seja, conclui-se que a esfera personagem que era preconizada como sempre, não deixará de ser entre quem produz e quem consome pelo actor Rick Moranis – o uma geração que gosta de reco- está cada vez mais diminuta. “eterno ameaçado” deste espectá- nhecer e de descobrir o seu outro No entanto, apesar do “Mundo culo. Aqui, tal como acontecia no “eu” numa grande figura (clássica) ter mudado” e passar a ser mais musical, podemos ver que para que reinterpreta os problemas do “Público” observa-se um receio, combater o tédio e controlar os momento. Ah! Como todos gosta- constante, perante esta demo- excessos da inovação já existe na ríamos de ser “Jasões contem- cratização – este aspecto baseia-se internet a implementação, ainda que porâneos” a combater as “Medu- numa pulverização entre todos os residual, de uma comunidade de sas” que, até há pouco tempo, elementos dos media, sem exce- opinion makers com fortes castravam a nossa imaginação. pção, e despreza os mecanismos convic-ções acerca dos mais Aqui, a implementação da internet que eram provenientes de um certo variados assuntos que fulminam fez com que houvesse umas “botas classicismo (onde alguns influen- tudo o que entra em rotinas com asas” que nos fazem “voar” e ciavam muitos e se (re)organizava repetitivas. Mas como será o futuro transformar os nossos receios em Rui Manuel dos Santos Namorado, 66 anos, nasceu o poder na mão dos mesmos desta massa critica? pedra com o reflexo que imana do e reside em Coimbra. Professor da Universidade poderosos de sempre). Aliás, poder- écran do nosso PC enquanto de Coimbra, casado, um filho. se-á afirmar que quando isto não Narciso’s & Maven’s? navegamos na internet. Já em 1983, namorado@fe.uc,pt acontece há a colocação de uma Durante o abandono, progressivo, esta necessidade icónica narcisista http://ograndezoo.blogspot.com/ patente de descrédito, funda- da esfera da burguesia dos media, é referida por Gilles Lipovetsky mentada, aparentemente, na história, historicamente separados, observa- como “um dos temas centrais da O diabo em pessoa: O perverso melífluo com pele de piedoso perante o conteúdo que está a ser -se que as promessas digitais da cultura americana” que natural- mediatizado. Steinbeck refere, no convergência de realidades como mente passou para a internet. Com o diabo no corpo: Chamar-lhe diabo é uma boa piada. seu livro “As Vinhas da Ira”, que a internet, rádio e TV só poderão Aqui, podemos ver os traba- O diabo que o (a) carregue: Se puder… industrialização, com o passar dos funcionar através de uma acumu- lhos de Malcolm Gladwell, jornalista anos, trouxe uma mecanização das lação flexível; sob uma plataforma da revista Newyorker, que fala, no Põe-me nos píncaros: O ataque de um imbecil. funções e originou uma progressiva com um grau de veracidade seu livro The Tipping Point, acerca destruição dos valores familiares e científica comprovada por vários do termo Maven para se referir Santos vícios: “ Ai que prazer não cumprir um dever…” dos valores sociais. Manuel Castells autores – aspecto que é ainda àquele que acumula conhecimento Pecado sem remorsos: Os sonhos de que nos esquecemos. define este aspecto como: Fordism residual na internet. Por exemplo, e é respeitado pela comunidade e afirma que, apesar de ter latente no campo da informação, organi- onde se insere. No mundo da Problema insuperável: Todo aquele de que não temos uma homenagem à histórica indus- zada em bases de dados enciclopé- internet, esta realidade social pode consciência. trialização automóvel do “Ford T” dicas, podemos observar o exemplo ser vista nos elementos que estão feito por Henry Ford em Detroit do “movimento wiki” – aspecto que mais atentos e, por isso, quando há Formiga ou cigarra? Cigarra sempre que possível, formiga (EUA), existe: “uma relutância se resume à produção e difusão de algum aspecto menos correcto são sempre que necessário. ‘crónica’ a qualquer tipo de inova- conteúdos enciclopédicos, disse- os primeiros a apontá-lo. Por Telemóvel ou micro-ondas? Telemóvel para cozinhar palavras, ção”- aspecto que silenciava as minado em várias línguas, a partir exemplo, a luta, “já ancestral”, entre micro-ondas para ganhar tempo. personagens que se destacavam na das colaborações voluntárias do a Microsoft e a Macintosh é um sociedade. Portanto, conclui-se que: público consumidor de conteúdos. exemplo claríssimo de mavens a Vinho ou Coca-Cola? Vinho de Silgueiros, Coca-cola se voltar o que interessava era a quantidade Para combater as fraudes no funcionarem em duas “barricadas” a ser proibida. em vez da qualidade das opiniões de espaço da Wikipedia há uma diferentes. Por isso, em suma, uma massa crítica. selecção mínima, feita no início de poder-se-á concluir que a internet Hillary Clinton ou Al Gore? Ambos aceitáveis: mas ela votou Já agora, por falar em “Terras cada participação, baseada em não deixa de sentir a necessidade no Senado a favor da invasão do Iraque e ele suportou com do Tio Sam”, lembro-me de, na consultas sobre temas provenientes de ter estas pessoas (que fun- mansidão a fraude eleitoral que lhe roubou a Presidência e pôs o década de oitenta do século passa- de confrontações entre teses de cionam como referências) incluídas segundo Bush à frente dos USA. nas várias realidades que a com- Nascer em berço de ouro? Uma vantagem tão preciosa quanto PROBLEMAS DE põem... injusta. Quem tem filhos tem cadilhos? Quem os não tem devia tê-los. S *Docente do Ensino Superior http://videoonscreen.blogspot.com O pior filme da minha vida: Um dos que me fez sono sem me deixar dormir. U Desporto detestável: O massacre dos cristãos nos coliseus romanos e os autos-de-fé para queima de cristãos novos e outros D hereges. Data para esquecer: 28 de Maio de 1926. O Sem perdão: No mundo: ver no que se gasta a pagar salários, K N.º 45 U uma despesa inútil; e no que se gasta a pagar como lucros, o oxigénio Solução da economia. Em Portugal: as alarvidades salazarentas. SODUKU Pelo Prof. Doutor Manuel Crisóstomo
  • 20. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 20 GERAL Grupo Folclórico da Casa do Povo de Ceira realizou descamisada na Praça 8 de Maio Era sábado, mal rompia o sol e já no meio das maçarocas, espa- separando o grão do casulo. Ora em Ceira, tudo se preparava para lhando tudo quanto levava na cesta. agora dás-lhe tu, ora agora dou- mais um dia de esfrega, que iria A Maria, que é uma rapariga -lhe eu, sempre certo e a andar de durar até tarde. Primeiro a dejejua, prendada, encontrou uma espiga roda. Volta não volta lá ia um depois, tratar do gado, limpar a eira mulata e foi toda contente, mas um homem e uma mulher juntar as e pôr os bois ao carro, preparar o pouco tímida, ao encontro do espigas para o meio e o grão para almoço e adiantar o jantar para o Senhor Vereador da Cultura, da o lado. O casulo com os poucos pessoal falado para a apanha do Câmara Municipal, a quem disse: grãos que lhe ficaram agarrados milho. “Espiga mulata, criada no foram ensacados para serem Duas boas carradas. Valeu a meu jardim, se eu lhe pedir um descasulados ao serão, ao redor da pena toda a faina com a semen- abraço, o Senhor diz-me que sim?” lareira. teira, a monda, o amanho, as Foi um abraço e dois beijinhos. O milho, esse continuou na sucessivas regas, a desponta e a Quem não ficou muito contente foi eira, onde todos os dias é espalhado desfolha. Houve, ainda, tempo para o Zé, que anda há tantos anos a ao sol, virado e revirado, com os o rebusco do feijão, que há-de piscar o olho à cachopa e ficou a pés ou com o ancinho de madeira servir para compor a panela da olhar, lá por detrás do monte das até estar bem seco. Duas mulheres, sopa durante todo o ano. De capas. com os joeiros e aproveitando o regresso a casa e antes da sesta No cedeiro duas mulheres vento que sopra foram-no limpando para retemperar forças, o jantar de iam desfiando as capas para pôr a preceito. A patroa foi, então, batatas cozidas com bacalhau, nos colchões. Está o verão a acabar medir o milho com o alqueire e o pre, com umas danças de terreiro. público. Quantas manifestações couves, azeite e alho, bem regado e é necessário deitar fora a palha rodo e ensacá-lo para finalmente O público marcou presença culturais se realizam na nossa com uma boa pinga da pipa grande. velha, lavar os panos e torná-los a colocar na arca. Durante o ano há- na Praça 8 de Maio e esteve atento cidade de Coimbra que se possam Ao final da tarde, quando o encher com capas novas e fofas. -de dar para levar ao moinho e e entusiasmado. Muitos terão visto ombrear com as iniciativas dos sol se escondia e o luar, juntamente Pena é que o Ti Albino tenha trocar por farinha para cozer a broa uma descamisada pela primeira Grupos Folclóricos. Porquê, por com gasómetros e candeeiros a morrido sem deixar ninguém que ou fazer umas papas lavessas e, vez, outros reviveram tempos, não vezes, tanta indiferença? A cara- petróleo davam luz à noite, come- saiba acolchoar. Esse sim, fazia também, para dar aos galináceos. muito distantes, mas, porventura, puça para quem a queira enfiar. çaram a chegar os familiares e colchões onde era um regalo Chegava a hora de tratar do já esquecidos. Houve quem pedis- Um agradecimento ao Grupo vizinhos de Ceira, que vinham dar dormir. estômago e todos se reuniram à se para descamisar milho e para de Teatro do CPT de Sobral de Ceira uma demão na descamisada do Passaram-se alguns dias, o volta de uma mesa recheada de levar espigas para casa. pelo seu importante apoio logístico, milho. É sempre um pretexto para milho em espiga, andou ao sol e pataniscas de bacalhau, chouriço Como alguém disse, foi mais ao INATEL e à Junta de Freguesia se encontrarem, porem a conversa está pronto para malhar. Dois queijos, figos, bolachas e bolos uma maravilhosa reconstituição do de Ceira e ao Dr. Mário Nunes, em dia e, sobretudo, uma grande homens fortes e com a experiência, lêvedos, regados com bom vinho e Grupo Folclórico da Casa do Povo Vereador da Câmara Municipal e à festa. agarraram-se aos malhos e numa jeropiga. de Ceira, que com muito poucos Dr.ª Cristina, pela sua disponibilidade Umas iam compondo cestas dança de paus, foram malhando e A noite terminou como, sem- apoios, teve qualidade, mérito e empenho e presença. e poceiros com o milho dos carros, outros iam transportando para o pátio, onde as mulheres e alguns CARTÓRIO NOTARIAL DE COIMBRA CARTÓRIO NOTARIAL DE PENACOVA que não podem pegar em carregos, DE LIC. MARIA ALEXANDRA CANOTILHO TEIXEIRA RIBEIRO começavam a descamisada. A Notário, JOAQUIM MANUEL SALES GUEDES LEITÃO patroa ia distribuindo os aguços, JUSTIFICAÇÃO NOTARIAL JUSTIFICAÇÃO CERTIFICO, para efeitos de publica- patrimonial tributário (para efeitos de IMT) cumprimentos e agradecimentos à CERTIFICO, narrativamente, para verbal feita por sua mãe e sogra, ção que por escritura de hoje, exarada a e atribuído de quinhentos e noventa e medida que a aldeia se ia juntando. efeitos de publicação, que neste Cartório Felismina Rigueiro, viúva, residente que nove euros e quarenta e oito cênti- folhas noventa e quatro e seguintes do e no livro de notas para escrituras foi em Taveiro, entretanto falecida, mos e (para efeitos de IMI) de dezoito Ainda não estava cheia a diversas número 100-A, a folhas 87 se ocorrida no ano de mil novecentos e livro de notas para escrituras diversas nú- mero cinquenta - E, deste Cartório a cargo euros dezanove cêntimos. primeira cesta e já aparecia uma encontra exarada uma escritura de setenta e cinco, sem que no entanto da Notária Lic. Maria Alexandra Canotilho Três: - Rústico, composto de terra justificação notarial, outorgada hoje, pela ficassem a dispor de título formal que lhes espiga mulata e, consequente- qual, ANÍBAL DOS SANTOS AZENHA e permita obter o seu registo na competente Teixeira Ribeiro, compareceram como de cultura, pinhal e sobreiros, sito em outorgantes: Cabeço Alto, freguesia de São Paulo de mente, o primeiro momento de mulher, MARIA DA GRAÇA SIMÕES Conservatória. Frades, com a área de cinco mil trezentos FERNANDO MADEIRA (NF:172.166.268; grande satisfação. O patrão atento, BERNARDES, casados no regime da Todavia, possuem-no há mais de BI. 0494946 de 08/01/80 -CICC de Lisboa), e oitenta metros quadrados, a confrontar comunhão geral, residentes na Rua vinte anos e tal posse sempre foi exercida entre duas ordens, trazia o garrafão Outeiro, n.° 128, no lugar e freguesia de de forma pública, pacífica e sem e mulher ISILDA RODRIGUES LUCAS (NF: de norte com António da Costa Júnior, sul 146.130.570; BI. 0588968 de 20/11/84 - com serventia, nascente com Júlio Madei- e os figos para animar o pessoal. Taveiro, concelho de Coimbra e com os interrupção, tal como se correspondesse CICC de Lisboa), naturais, ele da freguesia ra e poente com Octávio Alves, inscrito na NIF. 102.252.513 e 102.252.521, decla- ao exercício do direito de propriedade, Já lá estavam os tocadores com a raram que, com exclusão de outrém, são plantando, cortando árvores, efectuando de Santo António dos Olivais, concelho de matriz sob o artigo 943, com o valor patri- Coimbra, ela da freguesia de Eiras, monial tributário (para efeitos de IMT) e concertina e as gaitas de beiços, donos e legítimos possuidores, do prédio a sua limpeza e por tal motivo, perante a atribuído de mil quatrocentos e ses- concelho de Coimbra, onde residem no para animarem o trabalho e lhe rústico, composto de terra de semeadura inexistência do titulo de aquisição, alegam lugar de Dianteiro, casados no regime da senta e oito euros e sessenta e seis com oliveiras e laranjeiras, sito no Outeiro os justificantes terem adquirido o citado darem o ambiente de festa. O de Cima, freguesia de Taveiro, concelho prédio por um outro modo de adquirir, a comunhão geral de bens. cêntimos e (para efeitos de IMI) de quaren- Que são donos e legítimos possuido- ta e seis euros e cinquenta e um cêntimos. pessoal foi acompanhando com de Coimbra, com setecentos e vinte usucapião, insusceptível, porém, de res, com exclusão de outrém, dos seguin- Que possuem os ditos imóveis sem umas cantigas bem animadas e metros quadrados, a confrontar do norte comprovar pelos meios extrajudiciais qualquer interrupção, à vista de toda a tes imóveis, sitos concelho de Coim- com a C.P., do sul com estrada, do normais. gente, sem qualquer oposição, cultivando- muita alegria. nascente com Firmino Balhau Jorge e do DE CONFORMIDADE COM O ORI- bra, ainda por descrever na competente -os, preparando e lavrando a terra, se- Conservatória do Registo Predial. Entre as mulheres comen- poente com herdeiros de Belmiro da Cruz GINAL. Um: - Rústico, composto de eucaliptal meando-a, retirando dela os respectivos Fresco, inscrito na matriz em nome dele Coimbra e Cartório Notarial, 09 de tava-se o caso da mulher que se justificante marido sob o artigo 1486, com Outubro de 2007. e dezassete oliveiras, com a área de seis produtos e frutos, cortando e vendendo mil e duzentos metros quadrados, sito em eucaliptos, e pinheiros, limpando o mato, atirou ao rio na ponte da Boiça e o o valor patrimonial de euros 820,54, não Vale Minhoto, freguesia de Santo António pagando as contribuições e impostos res- marido que andava à sua procura se achando descrito na Segunda Conser- O colaborador devidamente autorizado: peitantes, posse que assim exerceram dos Olivais, a confrontar de norte com vatória do Registo Predial de Coimbra. (Armindo Gonçalves Augusto) como verdadeiros proprietários que sempre no açude do Cabouco, por ela ser Mais declararam que o mencionado António Rosalino, nascente com Rosária Madeira, sul com Manuel Soares e poente se julgaram, eram e são dos ditos imóveis, tão teimosa, que não ia para baixo, prédio veio à sua posse por doação “O Despertar” N.º 8454, de 07/10/12 António Lourenço Simões, inscrito na ma- pelo que os adquiriram por usucapião, mas antes para cima. Os homens triz sob o artigo 564, com o valor patrimonial, fundada nessa posse, que exerceram em lamentavam a péssima colheita de AMBULÂNCIAS tributário e atribuído (para efeitos de IMT) de mil trezentos e quarenta euros e seu próprio nome, de boa fé, de modo pací- fico, contínua e publicamente, por período vinho que se avizinhava. Muitos SERVIÇO quarenta cêntimos e (para efeitos de superior a vinte anos, estando eles justifi- deles já tinham desistido de fazer IMI) e atribuído de trinta e sete euros e cantes impossibilitados de comprovar pelos PERMANENTE sessenta e um cêntimos. meios extrajudiciais normais a aquisição do a vindima. O melhor era aproveitar seu direito sobre aqueles imóveis, atento o André Dinis, Lda. Dois: - Rústico, composto de terra a beber enquanto houvesse. de fruteiras, oliveiras e vinha, sito em Car- título de aquisição. reirinha, freguesia de Torres do Mondego, Penacova, 29 de Setembro de 2007. A descamisada continuava, e R. 6 de Outubro, 75-Dt.º com a área de mil novecentos e sessenta o homem que acartava as espigas Tel. 239 496 118 metros quadrados, a confrontar de norte A Colaboradora para a eira, cada vez mais animado Tlm. 966 005 720 e poente com Florindo Batista, nascente Maria Isabel Bento Batista e Pina COIMBRA com estrada e sul com Manuel, inscrito na por uns copitos, não tardou a cair matriz sob o artigo 1.808, com o valor “O Despertar” N.º 8454, de 07/10/12
  • 21. A VOZ DESPORTIVA 21 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 A Naval conquistou finalmente a primeira vitória do campeonato frente ao Leixões (1-0), um resultado positivo que surgiu CASA DAS CITAÇÕES CITAÇÕES precisamente no jogo de estreia do “O mais importante foi conse- novo treinador guido, mas o que nos espera é muito trabalho.” Ulisses Morais Treinador da Naval 08/10/07 “Os jogadores estão de parabéns pelo comportamento que tiveram. Tudo fizeram para chegar à igualdade, mas as coisas não correram como pretendíamos.” Domingos Paciência Treinador daAcadémica 08/10/07 “José Mourinho fez muito mais pela aproximação de dois países da União Europeia do que fez Pedro Santana Lopes e, se calhar, mais do que fazem outros Josés de êxito que temos: o Sócrates […] e o Barroso.” Uma grande penalidade ditou a derrota da Académica na Sérgio deAndrade recepção ao líder FC Porto. Apenas esse golo ditou a diferença Jornalista 09/10/07 “Nós fomos para a nossa base [de treino] porque as mulheres no futebol são um flagelo. Elas não entendem que os homens precisam de trabalhar, que eles têm um trabalho duro a fazer.” Jozséf Szabó Treinador do Dínamo de Kiev 09/10/07 “Estou contente com o grupo de trabalho uma vez que tenho jogadores ambiciosos e que querem melhorar.” Domingos Paciência Treinador da Académica 08/10/07 PRAÇA PÚBLICA Acredita que a Selecção Nacional de Futebol irá conseguir vencer amanhã o Azerbeijão e manter-se na corrida ao apuramento para o Europeu de 2008? “Sim, claro.” “É imperativo vencermos.” “Somos obrigados a vencer.” “Claro que sim.” “Estou totalmente confiante.” Patrícia Fonseca Fernando Silva Manuel Leite António Antunes Sónia Meireles 24 anos, Estudante 30 anos, Advogado 27 anos, Empresário 25 anos, Estudante 25 anos, Estudante
  • 22. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 22 O PREGOEIRO SOCIEDADE FAZEM ANOS: HOJE HOJE: Maria Delmina Silva Ferreira; Fran- SEGUNDA: José António Mingocho de 06.30 Bom Dia Portugal 07.00 Euronews 07.00 Floribella 07.00 Diário da Manhã cisco Sérgio Cunha Mano; Sérgio Filipe Abreu; Alberto Augusto Martins Mourão. 10.00 Praça da Alegria 07.30 Zig Zag 07.45 SIC Kids 10.15 Você na TV! Duarte Silva. TERÇA: Armando Jorge Pereira Canas. 13.00 Jornal da Tarde 13.00 Hora Discovery 09.15 Chiquititas 13.00 Jornal da Uma AMANHÃ: Rui Henriques dos Santos. QUARTA: Vicente Crespo; José Luís Fran- 14.10 Prova de Amor 14.00 Sociedade Civil 10.00 Fátima 14.00 As Tardes da Júlia DOMINGO: Maria Licínia Mendes de Oli- cisco da Cruz; Rui Manuel Gomes da Silva 15.30 Entre Nós 13.00 Primeiro Jornal 16.00 Comemorações dos 90 15.15 Lingo 16.00 National Geographic anos das Aparições de Fátima veira da Costa Leite; José Simões; José Luís Fernandes. 14.15 Eterna Magia 16.00 Futebol: 17.00 Zig Zag 15.15 Contacto 19.15 Morangos Com Açúcar Gonçalves Serafim; Maria Helena Toscano. QUINTA: Gonçalo Manuel Sousa Antunes. Bulgária-Portugal 18.30 A Fé dos Homens 18.00 Floribella 20.00 Jornal Nacional 18.00 Portugal em Directo 19.00 Reclame 19.00 A Ganhar é Que a 21.15 Euromilhões 18.55 Operação Triunfo 19.45 Zig Zag Gente se Entende 21.30 Casamento de Sonho 19.00 O Preço Certo 20.45 Friends 20.00 Jornal da Noite 22.00 Ilha dos Amores 20.00 Telejornal 21.15 National Geographic 21.30 SIC 15 anos 23.00 Deixa-me Amar F ARMÁCIAS DE SERVIÇO 21.15 Fátima, 90 anos de Fé 22.00 Jornal 2 21.45 Os Malucos do Riso 00.00 Casamento de Sonho HOJE TERÇA 22.15 Procissão das Velas 22.40 O Amor no Alasca 22.15 Família Superstar 00.15 Dr. Preciso de Ajuda 23.30 Vidas 22.30 Paraíso Tropical 01.30 Procissão das Velas S. P. - SITÁLIA: R. Gen. Humberto Delgado, 400 S. P. - M. NAZARÉ: Av. João das Regras,132 23.00 The Tudors Coimbra - Tel: 239 702 500 Coimbra - Tel: 239 441 123 00.30 Noites da 2 23.45 Vingança 02.30 Toca a Ganhar 00.45 Sessão da Noite: 01.00 Hora Discovery 03.45 O Escritório S. P. - GASPAR: Rua Carlos Seixas, Nº 102 S. P. - ESTÁDIO: R. D. João III, 11 00.30 CSI Las Vegas “O Milagre de Fátima” 02.00 Bastidores 01.30 Procissão das Velas 04.15 TVI Negócios Coimbra - Tel: 239 405 504 Coimbra - Tel: 239 792 470 02.45 Câmara Café 02.30 Arte & Emoção 02.00 Filme: 04.30 Nip/Tuck S. R. - CENTRAL: Rua da Sofia, 19-21 S. R. - UNIVERSAL: Praça 8 de Maio, 35 03.15 Só Visto! 03.00 Sociedade Civil “Dupla Face” 05.30 Televendas Coimbra - Tel: 239 822 089 Coimbra - Tel: 239 823 744 AMANHÃ AMANHÃ QUARTA S. P. - DONATO: Est. dos Covões- Bl. G-S S. P. - BATISTA: Praça da República, 9 06.30 Fátima, 90 anos de Fé 07.00 Euronews 07.00 SIC Kids 07.00 Animação S. M. Bispo - Coimbra - Tel: 239 812 444 Coimbra - Tel: 239 823 747 10.30 Cerimónias de Fátima 07.30 África 7 Dias 08.30 Disney Kids 09.00 Comemorações dos 90 S. P. - SILVA SOARES: R. Vasco da Gama, 44 S. P. - PAIVA: R. Luís A. Duarte Santos, Lt 9 13.00 Jornal da Tarde 08.00 Notícias de Portugal 10.00 Cerimónias de Fátima anos das Aparições de Fátima B. Norton de Matos - Tel: 239 711 454 V. das Flores - Coimbra - Tel: 239 781 044 14.15 Fátima, 90 anos de Fé 09.00 Universidade Aberta 2007 13.00 Jornal da Uma S. R. - RAINHA SANTA: Av. F. Magalhães, 425 S. R. - CRUZ VIEGAS: Rua do Brasil,154 17.00 Futebol: 11.00 Euronews 13.00 Primeiro Jornal 14.00 Águas Profundas Coimbra - Tel: 239 836 307 Coimbra - Tel: 239 714 821 Azerbaijão-Portugal 11.15 Palco 14.00 Êxtase 16.00 Filme a designar 12.30 Sons da Música 15.00 Futsal: 18.00 Filme a designar DOMINGO QUINTA 19.30 Contra 13.00 Os Simpsons Sporting-Belenenses 20.00 Jornal Nacional S. P. - LOPES RODRIGUES: R. Fern.Tomás, 2 S. P. - NAZARETH: R. Ferreira Borges, 135-139 20.00 Telejornal Coimbra - Tel: 239 822 634 13.30 Reclame 17.00 Desprevenidos 21.30 Ilha dos Amores Coimbra - Tel: 239 822 605 21.00 A Voz do Cidadão S. P. - CELAS: Av. Armando Gonçalves, lt. 15 S. P. - S. SEBASTIÃO: Av. Elísio Moura, Lt 6, 443 21.15 Operação Triunfo 14.00 Parlamento 17.15 CSI Miami 22.45 Deixa-me Amar 15.00 Desporto 2 18.00 Filme a designar 00.00 Casamento de Sonho Coimbra - Tel: 239 484 045 Coimbra - Tel: 239 712 802 23.45 Sessão da Noite: S. R. - FIGUEIREDO: Rua da Sofia,107-109 S. R. - OLIVEIRA RAMOS: R. Cidade Santos, 67 17.00 Programa a designar 20.00 Jornal da Noite 00.30 Filme: “O Especialista” 19.00 Entre Pratos Coimbra - Tel: 239 822 837 M. Formoso - Coimbra - Tel: 239 492 758 21.30 SIC 15 Anos “Erros Reparáveis” 01.30 Última Sessão: 19.30 Kulto 21.45 Os Malucos do Riso 02.45 Toca a Ganhar SEGUNDA “Crime No Dia das Águias” 20.00 Documentário 22.15 Paraíso Tropical 03.45 O Escritório 03.15 A Hora da Sorte S. P. - S. JOSÉ: Al. Calouste Gulbenkian, Lote 5 21.00 Diga Lá Excelência 23.45 Vingança 04.30 Nip/Tuck Coimbra - Tel: 239 484 497 04.00 Televendas 21.45 A Hora da Sorte OBSERVAÇÃO: 00.30 Filme: 05.30 Televendas S. P. - DUARTE - Calçada Sta Isabel, 46 22.00 Jornal 2 “007, O Agente Secreto” S. P. - Serviço Permanente Sta. Clara - Coimbra - Tel: 239 445 830 • Inicia às 9h e encerra às 9 do dia seguinte 22.40 Sessão Dupla: 02.45 Amazónia S. R. - RODRIGUES DA SILVA: R. F.Borges, 32 “Coisas Secretas” 03.30 Quando o Telefone Toca S. R. - Serviço de Reforço Coimbra - Tel: 239 824 348 02.45 Desporto 2 DOMINGO 06.30 Fátima, 90 Anos de Fé 07.00 Euronews 09.00 Fátima, 90 Anos de Fé - 07.30 Músicas de África 06.45 SIC Kids 07.00 Animação TELEFONES URGENTES 08.30 Áfric@Global 09.00 Comerações dos 90 anos Cortejo 08.30Disney Kids BOMBEIROS Mat. D a n i e l d e M a t o s ....... 239 403 060 09.00 Caminhos das Aparições de Fátima 09.45 Missa de Fátima e 09.30 70x7 10.30 Chiquititas Bombeiros Sapadores ... 239 792 800 Instituto Maternal .............. 239 480 400 Angelus de Roma 11.45 Deluxe 10.00 Nós 12.00 BBC Vida Selvagem 13.00 Jornal da Uma Bombeiros Volunt. ........... 239 822 323 H o s p i t a l M i l i t a r ................. 239 403 080 13.00 Jornal da Tarde 11.00 Da Terra Ao Mar 13.00 Primeiro Jornal “ “ ....................... 239 405 058 14.15 Top+ 14.00 Filme a designar 11.30 Consigo 14.00 Filme a designar H O S P I TA I S SERVIÇOS 15.00 Perdidos 16.00 Filme a designar Emergência Social ........... 239 822 139 PSP Urgência ........................................... 112 12.00 Vida Por Vida 16.00 Filme a designar 17.45 Bwinliga - Golos 15.45 Sessão da tarde: 12.30 Olhar o Mundo 18.00 Filme a designar Universidade ...................... 239 400 400 Polícia Segurança Pública ....... 2 3 9 797 640 “Tempestade” “Tempestade” 13.00 Os Simpsons 18.00 Filme a designar Covões ................................. 239 800 100 Telefone SOS ....................... 239 721 010 20.00 Jornal da Noite 20.00 Jornal Nacional Triunfo 18.15 Operação Triunfo 13.30 Entre Pratos Celas ...................................... 239 404 030 Socorro e Emergência .... 239 792 808 21.00 Reportagem SIC 14.00 A Europa Aqui Tão 21.30 Casamento de Sonho Pediátrico ............................ 239 484 163 S e r v. E l e c t r i c i d a d e ......... 800 506 506 20.00 Telejornal 21.30 SIC 15 Anos 00.30 Filme: Sobral Cid ........................... 239 404 422 S O S E s t u d a n t e .................. 808 200 204 Perto 21.45 Família Superstar 21.00 As Escolhas de 14.45 A Voz do Cidadão “Câmara Indiscreta” Marcelo Rebelo de Sousa 15.00 Desporto 2 00.15 A Lei do Mais Forte 21.30 Gato Fedorento 19.00 Arte & Emoção 01.00 Hora H 02.45 Toca a Ganhar TELEFONES ÚTEIS 04.00 Nip/Tuck 22.30 Conta-me Como Foi 19.30 A Alma e a Gente 01.45 Filme: 05.00 Televendas Linha Cidadão Idoso .................. 800 203 531 Intoxicações .................................. 808 250 143 23.30 Fátima, 90 Anos de Fé 20.00 Gente da Cidade 2007 “Terapia “Terapia do Amor” 06.30 Todos Iguais SOS Solidão ............................... 800 205 535 Com. Iguald. e Dir. da Mulher ..... 800 202 148 01.00 Top+ 20.30 Os Simpsons Telefone Toca 03.45 Quando o Telefone Toca (Diariamente das 16 à 1 hora) APAV ....................... 218 884 732 / 218 876 351 01.30 Automobilismo 21.00 A Verdade Sobre Os Programa Turismo Sénior ........ 217 901 023 Cons. Nac. Pol. da 3.ª Idade ....... 217 816 530 04.00 Televendas Alimentos (Linha Directa 24 Horas) Fund. Port. Cardiologia ............... 213 815 000 22.00 Jornal 2 Provedor da Justiça .................. 808 200 084 Assoc. Def. Diabéticos ................. 213 628 675 22.40 Câmara Clara (Linha destinada a Idosos) Assoc. Port. Osteoporose ........... 213 633 314 23.30 Britcom Portugal Telecom Pensionistas.. 800 206 206 Inst. Port. de Reumatologia ......... 213 572 326 Linha Mulher ............................... 800 201 805 Ass. Apoio Doentes Depressivos SEGUNDA SOS Voz Amiga ......................... 800 202 669 e Bipolares. .............................. 239 810611/12 06.30 Bom Dia Portugal 07.00 Euronews 07.00 Floribella 07.00 Diário da Manhã 10.00 Praça da Alegria 07.30 Zig Zag 07.45 SIC Kids 10.15 Você na TV! 13.00 Jornal da Tarde 13.00 Hora Discovery 09.15 Chiquititas 14.10 Prova de Amor 14.00 Sociedade Civil 10.00 Fátima 13.00 Jornal da Uma 14.00 As Tardes da Júlia classificados 14.35 Lingo 15.30 Entre Nós 13.00 Primeiro Jornal 16.00 Zig Zag 17.00 Quem Quer Ganha TERMOACUMULADORES COIMBRAPNEUS - Co- 20 - St. Ant. dos Olivais - Tlm. 15.30 Portugal no Coração 17.30 National Geographic 14.15 Eterna Magia 18.15 Morangos Com Açúcar – Reparações ao domicílio, ga- Lda. mércio de Pneus, Lda . - 918 926 895. 18.00 Portugal em Directo 18.30 A Fé dos Homens 15.15 Contacto 20.00 Jornal Nacional rantia 1 ano; António R. Santos. Pneus de todas as Marcas. Vasta 19.00 Operação Triunfo 19.00 Eurodeputados 18.00 Floribella 21.30 Casamento de Sonho Telf. 2 3 9 439 474 - José variedade de Jantes Especiais. POCINHO & FILHOS, LDA. LDA.– 19.05 O Preço Certo 19.45 Zig Zag 19.00 A Ganhar É Que a 22.00 Ilha dos Amores Cortez - Telef. 239 491 896. 20.45 Friends Gente se Entende A l i n h a mentos de Direcção. Instalações e Reparações 20.00 Telejornal 23.00 Deixa-me Amar 21.15 National Geographic 20.00 Jornal da Noite ESTORES ARLINDO - Equilíbrio de Rodas por Siste- Eléctricas, Águas e Aquecimento 21.00 Notas Soltas 00.15 Casamento de Sonho 21.30 Sabe Mais Do Que Um 21.45 A Hora da Sorte 21.30 SIC 15 Anos Vende Estores, boa qualidade. ma Computorizado. Av. Elisyo Central -R. Brig. Correia Cardo- 22.00 Jornal 2 00.45 Filme: 21.45 Família Superstar Repara todo o tipo de estores. de Moura, 381. Telef. 2 3 9 703 so, 439 - Tel 239 715 034. Miúdo de 10 Anos? “A Rede” Espírito Santo das Touregas - 22.40 Os Sopranos 22.15 Paraíso Tropical 784 - Coimbra 22.30 Prós e Contras 23.40 DocLisboa 2007- “Tomai 02.45 Toca a Ganhar 23.45 Vingança Telefone. 239 981 644 - Coimbra 01.00 Última Sessão: Lá do O’Neill” 03.45 O Escritório CASA DA LUIZA - A nti - nti- “Capitão Blood” 00.40 A Verdade Sobre Os 00.30 CSI Las Vegas 04.15 TVI Negócios MARIA HELENA MOU- guidades - Compra e Venda – guidades T ASCA DO QUIM - Quim 04.00 Televendas Alimentos 01.30 Filme: “Soldado Universal” 04.30 Nip/Tuck RÃO FELIZ A R D O LV S I LV A , Avaliação de Partilhas – R. Comb. G. dos Ossos - Pratos regionais - 06.05 Nós 01.15 Universidades 03.30 Quando o Telefone Toca 05.30 Televendas Rua António Vasconcelos, 3 e 5 Retrosaria - Cortinados - Arranjos Guerra, 155 - Tel. 239 402 740 - 01.45 Hora Discovery Telf. 239 823 146 - Coimbra. de Costura. R. Flávio Rodrigues, Coimbra
  • 23. GERAL 23 spert rtar O D e spe rt ar 12| OUTUBRO |07 Instalação de parque de inovação Aguarela de Leiria Câmara avança com expropriações de mais 60 hectares SIM, VALEU A PENA, LEIRIA, MAS... Joaquim Vieira listas no final da sessão, o pre- podíamos ir a lado nenhum, en- O presidente da Câmara de sidente da Câmara de Coimbra quanto todas as outras câmaras Fui convidado pela Câmara para assistir à inauguração dos trabalhos executados Coimbra anunciou que a municipais investiram fortemente através do POLIS, pelo nosso Primeiro Ministro, José Sócrates, no dia 29 de Agosto reiterou críticas expressas no seu passado. Como leiriense de gema que sou, evidentemente que não poderia faltar. autarquia vai avançar com discurso, condenando o modelo nesta área”, disse o autarca, Assim, naquele dia e à hora marcada, lá estava eu, entre muitas centenas de expropriações de mais 60 seguido pela autarquia nos últimos exemplificando com o caso do pessoas, à entrada do jardim Luís de Camões. Logo, e com facilidade, encontrei um hectares de terrenos para a 25 anos, com a aquisição de município de Oeiras. amigo, o Eng.º Mendes e Sousa, que, como bom conversador e observador que é, apenas 17 hectares de terrenos A primeira fase das obras do me serviu de companhia para, debaixo de um tórrido calor, acompanharmos o chefe instalação do Parque de do governo nas inaugurações que se iriam fazer. A primeira foi logo à entrada do para áreas empresariais. Coimbra Inovação Parque inclui a Inovação em Ciência, “Há 25 anos, a Câmara infra-estruturação de um espaço jardim, no descerrar de uma placa que diz: “Intervenção do programa Polis na cidade Tecnologia e Saúde com cerca de 29 hectares e tem o de Leiria. Inaugurado pelo Senhor Primeiro Ministro Eng.º José Sócrates e a Dr.ª comprava por 200 vezes menos. Isabel Damasceno Presidente da Câmara Municipal de Leiria em 29 de Agosto de (Coimbra iParque). Estamos a fazer agora tudo aquilo valor de 6.249.183 euros, acrescido 2007”. Passámos na ponte do Bairro dos Anjos, em direcção ao parque da cidade, que já devia ter sido feito há muito de IVA. no qual se encontram melhoramentos de destaque, entre os quais o parque das Carlos Encarnação falava na tempo. Numa altura de contenção Situado em Antanhol, nos crianças. Seguidamente, atravessámos a antiga ponte da Fonte Quente, que foi cerimónia de adjudicação da orçamental, de sacrifício, nós arredores da cidade, o iParque de- melhorada com corrimões metálicos, e novamente entrámos no velho Marachão primeira fase de obras do Coimbra estamos a investir o que devia ter verá receber as primeiras empre- para, poucos metros à frente, tornar a atravessar o Lis através de uma nova ponte, Inovação Parque (Coimbra iPar- sido investido há muitos anos atrás. sas em Julho de 2008. de onde se podem verificar os açudes que ali foram feitos, permitindo navegar e que), que vai ser realizada nos 45 Bastava terem comprado dez “Tem início hoje mais uma até, como antigamente, fazer competições de natação ou de remo. Seguimos a jusante e, durante algumas dezenas de metros, verificámos uma passagem pedonal hectares de terreno já expro- hectares por ano para, ao fim de etapa do Coimbra iParque. Uma fantástica em madeira. Observámos, neste recanto, o que foi e o que é agora a priados pela Câmara para a ins- 25 anos, serem 250 hectares”, etapa decisiva, definitiva e irre- antiga Fonte Quente, onde também foi construído um estacionamento subterrâneo. talação desta nova área de ino- afirmou. versível. O Coimbra iParque deixou Eu e o meu amigo companheiro, dadas as idades avançadas, já vínhamos vação tecnológica, científica e Para Carlos Encarnação, de ser uma ideia para ser uma pensando e comentando que possivelmente teríamos de seguir a pé até ao alto do empresarial. presidente da mesa da assembleia- realidade: mudou o tempo verbal”, cemitério, para ver a nova casa mortuária e pensámos que, sendo assim, seria muito “Não podemos ter empresas -geral do Coimbra iParque, este foi afirmou, na sessão, o presidente do violento o nosso esforço. Entretanto, verificámos que, um pouco mais ao fundo, se se não as ajudarmos a instalar-se”, “um modelo errado, que não podia conselho de administração da encontravam estacionados alguns veículos Mobilis e um grande corrupio de pessoas a entrar. “Amigo Eng.º ”, disse eu, “vamos aproveitar já!” Demos uma pequena afirmou. dar resultados”. sociedade anónima, Norberto Pi- corrida e o primeiro já estava completamente cheio, mas logo fomos ao segundo e, Em declarações aos jorna- “Com estes números não res. antes que fosse mais tarde e porque os lugares já estavam todos ocupados, entrámos atabalhoadamente, seguindo viagem mesmo de pé. O destino desta boleia foi não o NAS MARGENS DO CEIRA que pensávamos mas sim S. Romão. Ficámos muito admirados com o que nos foi dado observar neste local. Primeiro, a nova ponte que ali foi feita e logo ao lado à Novamente o interface direita, no local da antiga propriedade do dr. Verde, onde outrora era um terreno já largamente excedida. de milho e outros produtos agrícolas, um grande parque de desportos radicais. de Ceira Estou certo que a Adminis- Não há dúvida de que ficámos radiantes com o que foi feito, mas, à medida Recebi, em 8 de Outubro, uma tração da Metro procurará mini- que íamos observando estes melhoramentos, estávamos sempre atentos, como é carta da Administração da Metro mizar os incomodos que as popu- hábito dizer-se, “com um olho no burro e outro no cigano”, não fôssemos nós Mondego datada de 25 de Setem- lações vão sentir mas, penso, que perder o transporte para novas inaugurações. Vigiámos bem o local do bro, na qual, amavelmente, me estacionamento dos veículos e logo fomos dos primeiros a entrar. Seguiu-se nova as soluções alternativas devem ser viagem, mas sentadinhos, e só parámos frente à antiga parada do R. I. 7. prestam esclarecimentos àcerca João Baptista dadas a conhecer tão breve Antes de observar o belíssimo recinto, onde impera o bom gosto, para quem dos apontamentos que neste jornaldespertar@mail.telepac.pt quanto possível, na medida em queira ter o prazer de gozar momentos de descanso à beira-rio, lendo um bom livro jornal, em 14 e 28 de Setembro, que, cada qual, terá que, com tem- ou o jornal de sua preferência, que ali tem o local de repouso ideal, aproximei-me dediquei à construção do interface po procurar outras soluções que da margem e veio-me à memória quando no lado oposto, nos finais dos anos 20 e Diz a Administração da Me- de Ceira. inícios de 30, um “puto” (que era eu), com um garfo na mão direita, levantava com a tro Mondego que “será facultado não sejam as que lhe serão ofe- esquerda, com muito cuidadinho, do fundo do leito, um seixo para observar se São duas as informações às populações transporte alter- recidas. estava alguma enguia escondida e violentamente a espetar. Por vezes era ao anzol, prestadas: nativo” às quais atempadamente Na minha ignorância não e pescava bons barbos, bogas, etc. Reparei nas antigas noras que movimentavam Começo pela segunda: “Li- serão feitos avisos e dados con- concebo a ideia de pôr, simulta- o moinho do caseiro, onde íamos, a troco de uma porção de milho, buscar farinha gação directa entre o parque de selhos para a melhor maneira de neamente, em movimento algu- para a minha mãe fazer papas, que, com sardinhas assadas, eram um bom pitéu. estacionamento e a Quelha dos mas dezenas de autocarros! Também admirei a grande nora do R.I.7 devidamente restaurada, mas sem os efectuarem as suas deslocações. Louros” . No apontamento de 28 alcatruzes, claro, e, olhando um pouco mais acima, as quedas de água onde, todos Estamos, assim, num período Para não abordar o problema nus, íamos tomar banho. Mais acima ainda, a velha Ponte dos Caniços, na qual de Setembro, à custa de infor- de espera que para muitos repre- , a meu ver grave, da interrupção exibíamos a nossa destreza, mergulhando para as águas do Lis. Neste meu mação que me foi prestada por senta ansiedade. É evidente que da circulação durante dois anos pensamento recordo que, ainda mais acima, acompanhado por grupos de rapazes pessoa amiga, rectifiquei aquela o transporte alternativo só poderá, que, inevitavelmente, conduzirá a da escola primária e não só, em pleno Verão, me ia banhar nas águas do afluente minha sugestão e congratulei-me uma perda de hábitos e rotina que do Lis com a Ribeira do Sirol, tão límpidas que até por vezes se bebia delas . a nosso ver, ser feito utilizando au- por a Administração da Metro Bom, vamos deixar estas tão saudosas recordações e continuar a integrar- tocarros. Não perspectivamos ou- demorarão a recuperar. -nos na comitiva destinada a fazer mais inaugurações, tão progressivas para a Mondego ter encontrada uma tra solução. Não vale já a pena falar da nossa Leiria. Assim, junto à margem esquerda, e à sombra de frondosas e solução muito melhor para o caso, E é neste ponto que a nossa simples electrificação do ramal centenárias árvores de plátanos, que dão beleza à paisagem, estavam a oferecer, como confirmei pela planta que preocupação continua ou, por- que sempre defendi e que con- para quem pretendesse, água e sumos, que dispensámos. Logo, a poucos metros, fizeram o favor de me remeter. tinuarei a entender ser a melhor havia um local devidamente protegido com um grande toldo, cobrindo um espaço ventura até, aumenta. Sabemos Só o facto de a carta que re- com muitas cadeiras para quem se quisesse sentar e ouvir os discursos da praxe, por experiência própria que, em solução. Resta-me a consoladora que iriam ser feitos pelos dirigentes políticos que propositadamente se deslocaram cebi ter sido escrita em 25 de Se- horas de ponta, especialmente, certeza de que muitas e concei- à cidade. Olhei para o meu amigo companheiro e ele para mim, adivinhando o tembro justifica, compreensivel- são largas centenas os passa- tuadas vozes se ergueram no mes- nosso cansaço e desejo de regressar a casa. Desistimos, com muita pena de não mente, o reparo que me foi feito. geiros que descem em São José mo sentido. podermos ouvir nem continuar a apreciar as muitas inaugurações que ainda Quanto à primeira: “Neces- A Metro Mondego diz, e faltavam. E assim, em conversa amena e um pouco estafados, regressamos ao e na Coimbra Parque. Que sidade de suspender por dois anos local do nosso encontro, onde nos despedimos, seguindo cada qual o seu destino. tomaram o transporte nas esta- acredito que o fará, tem por missão Depois de chegar a casa, concentrei-me no meu gabinete, reflecti, pensando nas a circulação no Ramal da Lousã”. ções e apeadeiros entre Serpins melhorar as condições de vida das obras que foram executadas, e pensei para comigo: “Sim, valeu a pena, Leiria, mas... É confirmada esta situação que a e Coimbra. Será oportuno dizer populações e pedindo a colabo- e a zona histórica, a relíquia dos nossos antepassados, que não tem sido tratada como Administração da Metro reco- de novo aquilo que já escrevi. Em ração de todos para atingir os seus bem merece?” Saber esperar é uma virtude, e, agora que já se vê uma luz ao fundo do nhece ir ser penosa se bem que, Ceira, nos transportes das 8 e das objectivos permitir-me-à que diga túnel, vamos, dar tempo ao tempo, aguardando com a esperança de que esta zona será como é natural, venha a ser da minha intenção de sempre o restaurada em condições devidas, para encanto dos turistas e orgulho dos leirienses. 8.40 o problema não consiste em Está projectado um elevador para o castelo. E porque não um teleférico entre compensada, depois de dois anos ter lugar sentado, Isso é uma fazer, se bem que humildemente, o castelo e ermida da Senhora da Encarnação? Isto é apenas o parecer de um de obras,em termos de rapidez, miragem. O problema é conseguir mas com a franqueza e lealdade leiriense visionário. E até, a concretizar-se tal ideia, seria possível obter mais conforto e frequência. entrar pois a lotação em pé vem que faz parte dos meus hábitos. rendimento do que com o Estádio.
  • 24. 12| OUTUBRO |07 spert rtar O D e spert ar 24 O COIMBRINHA (Continuado da 1.ª página) A Amizade, amigo do seu amigo, com uma impres- sionante sensibilidade, sentido de solidariedade e bondade cativantes; Lutador acérrimo, convicto das causas em que acreditava, das quais jamais desistia; Homem Honrado em que a Seriedade e a Trans- parência constituíram evidências ao longo da sua vida; Engrandecer o seu jornal “O Despertar”, uma das suas paixões, a que dedicou uma parte da sua vida. Desde muito cedo, ainda adolescente, passava horas do dia na oficina, a ajudar o avô, o nosso saudoso António Sousa, sua mãe Lúcia e seus tios, Artur, Armando, Ângela e António, verificando e corrigindo provas, dobrando jornais, colando cintas, etc. Poste- riormente, como colaborador, com os seus brilhantes artigos, e mais tarde, como Director; Coimbra, um amor de sempre, a quem tanto deu, e, muito, muito mais, queria e teria para dar! Associação Académica de Coimbra, outra grande paixão, e da qual foi Presidente. Quem com ele privava, sabe o quanto sofria com as derrotas e o quanto vibrava com as vitórias do seu clube de sempre; Olivais FC o clube que seu avô foi co-fundador e sócio n.º 1 e onde exerceu o cargo de presidente da Assembleia Geral. Esteve sempre presente com a sua amizade e ajuda, nos momentos mais dificeis deste baluarte do desporto conimbricense, honrando assim, o passado afectivo da sua família; Na vertente Política, era um Homem cujas convicções se pautavam pela autenticidade, pelo espírito de serviço, sem nunca perder de vista o diálogo fecundo e de total abertura com que norteava as suas relações com os que se colocavam em campos antagónicos. Fausto de Sousa Correia – que vontade férrea de (con)viver! Que irreverência! O Fausto que parecia vender saúde, alegria, simpatia, foi traído pelo seu coração (Grande, Muito Grande)! De forma irreversível, irreparável!! Mas, nós família, amigos e colaboradores do Despertar, jamais o esqueceremos. Continuará sempre connosco! Para sempre! ATÉ SEMPRE QUERIDO A última viagem Até Sempre Fausto! PRIMO E SOBRINHO! de Fausto Correia Apesar do raiar do dia, a “Alvorada” continua sem se fazer sentir. O nevoeiro que caiu sobre nós, não O funeral de Fausto Correia está se quer dissipar. A notícia da tua morte apanhou a As lágrimas brotaram dos nossos olhos, de um modo todos desprevenidos. irreprimível, incontrolável, ao tomarmos conhecimento da previsto para as 15H00 de amanhã. Deixou Coimbra, a região e o país em choque trágica notícia! A Dor é grande e profunda! O corpo do eurodeputado deve- e nós, que transformávamos a tua força e a tua Ao sentimento de impotência que se apoderou de nós, rá chegar hoje a Lisboa, ao princípio paixão em redobrada esperança, permanecemos juntou-se a Revolta (enorme), a Injustiça! da noite. Segue para Coimbra, onde em estado de choque, sem querer acreditar que nos deixaste. Indescritível o estado de espírito que se instalou em vai estar em câmara ardente no Hoje como ontem, continuamos a ter-te aqui nós, face à brutalidade ocorrida. Pavilhão da Académica/Organismo connosco, em cada linha, em cada frase, em cada Faustito, foste e serás um exemplo para todos nós! Pela página… Autónomo de Futebol, na Solum, tua personalidade, afectividade, amizade, companheirismo Dizias que “O Despertar” era, simultanea- e humanidade. onde decorrerão também as cerimó- mente, a tua “paixão” e o teu “compromisso”. Nós Admirámos-te, respeitámos-te e amámos-te! nias fúnebres. sabíamos. Nós sentíamo-lo. Víamo-lo no teu olhar. E tu sabia-lo! O corpo vai a sepultar em jazigo Apesar de não estares cá fisicamente, a tua força e a tua energia permanece connosco. Irás continuar sempre connosco. Sentimos uma enorme de família, no cemitério de Santo Tudo faremos para manter viva esta paixão e honra e privilégio, por te termos tido como primo e sobrinho. António dos Olivais. para honrar o teu – e o nosso – projecto. Tudo Sempre foste um elemento agregador da nossa família! As bandeiras das câmaras muni- faremos para honrar a tua memória. Pugnaremos por continuar essa união! cipais de Coimbra e Miranda do Até sempre Fausto! Até sempre! Corvo mantêm-se a meia haste até Os funcionários de “O Despertar” Teus primos e tios. Carlos Dinis; Diana Oliveira; Zilda Monteiro ao dia do funeral.