O Despertar – 8388 – 12.05.2006

  • 1,879 views
Uploaded on

Versão integral da edição n.º 8388 do semanário “O Despertar”, que se publica em Coimbra. Ao tempo dirigido por Fausto Correia. Edição que assinala remodelação gráfica, passagem de 16 para 24 páginas …

Versão integral da edição n.º 8388 do semanário “O Despertar”, que se publica em Coimbra. Ao tempo dirigido por Fausto Correia. Edição que assinala remodelação gráfica, passagem de 16 para 24 páginas e impressão em offset.
Esta nova fase de “O Despertar” passa a contar com uma série de novos e prestigiados colaboradores: José Henrique Dias, Carlos Esperança, Maria Pinto, Luís Pato, René Tapia, entre muitos outros. Os cabeçalhos das páginas do jornal e títulos de algumas rubricas são uma homenagem a jornais que se publicaram em Coimbra e entretanto desaparecidos (Alvorada, Voz de Coimbra, Espaço Repórter, Yo-Yo, O Distrito de Coimbra, O País, Revista Estrangeira, O Comércio de Coimbra, Correspondência, Cartão de Visita, O Académico, O Observador, O Reclame, Voz Desportiva, O Pregoeiro, Crepúsculo). Ideia original de Fausto Correia.
Jornal fundado em 1917. 12.05.2006.

Visite outros sítios de Dinis Manuel Alves em www.mediatico.com.pt ,
www.youtube.com/mediapolisxxi, www.youtube.com/fotographarte, www.youtube.com/tiremmedestefilme, www.youtube.com/discover747 ,
http://www.youtube.com/camarafixa, , http://videos.sapo.pt/lapisazul/playview/2 e em www.mogulus.com/otalcanal
Ainda: http://www.mediatico.com.pt/diasdecoimbra/ , http://www.mediatico.com.pt/redor/ ,
http://www.mediatico.com.pt/fe/ , http://www.mediatico.com.pt/fitas/ , http://www.mediatico.com.pt/redor2/, http://www.mediatico.com.pt/foto/yr2.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/foto/index.htm , http://www.mediatico.com.pt/luanda/ ,
http://www.biblioteca2.fcpages.com/nimas/intro.html

More in: Technology , Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,879
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
8
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O Despertar REPUBLICANO INDEPENDENTE FUNDADO EM 1917 COBRIAGEM – NIQUELAGEM CROMAGEM – ZINCAGEM SERRALHARIA CIVIL SOLDADURAS A ELECTROGÉNEO AUTOGÉNEO E ALUMÍNIO REPARAÇÃO DE JANTES EM FERRO E ALUMÍNIO INSTALAÇÕES PRÓPRIAS: Director: Fausto Correia Director-Adjunto: António Carlos de Sousa RELVINHA Telef. e Fax: 239 825 294 3020-365 COIMBRA 6.ª FEIRA O SEMANÁRIO DE COIMBRA PORTE PAGO 1 2 - Maio - 2 0 0 6 Ano 89 N.º 8388 – 0,50 Figueira da Foz Prémio Academia Geriátrico Dolce Vita Cortejo assinala melhor dá cor aniversário da Europa à cidade Página 6 Página 15 Página 18 Crianças “especiais” na escola de todos Página 5 O Desper t ar @ agora também na Internet Visite-nos em: “Ninguém está satisfeito www.odespertar.com.pt Escreva-nos para: com o sistema de saúde” portal@odespertar.com.pt Anuncie em O Despertar online José Manuel Silva, Presidente do Conselho Regional do Centro Contacte-nos através do 239 852 710 da Ordem dos Médicos, em entrevista, nas páginas centrais
  • 2. 12| MAIO |06 O Despertar 2 O CONIMBRICENSE ALVORADA semanas, dias e horas. Mas tem valores e pelos princípios que nos e de entrega que nos deixaram valido a pena! foram legados, em especial por como testemunho de vida. Ao António de Sousa (nosso Avô) e serviço de Coimbra - cidade, O Despertar inicia hoje por Artur, Armando e António de concelho, distrito e região. uma nova fase da sua vida, mar- Almeida e Sousa (nossos Tios), e O Despertar - O SEMA- cada por uma radical remo- por Lúcia Maria de Jesus e Sousa NÁRIO DE COIMBRA - conti- delação gráfica e por uma signi- Fausto Correia Correia (minha Mãe), que durante nuará como uma tribuna aberta, A Sobrevivência ficativa alteração de conteúdos, fcorreia@europarl.eu.int décadas suportaram esta difícil plural, livre e independente. Às A Académica e a Naval deram passando das 16 para as 24 empreitada nos seus ombros. Com 6as feiras, o seu jornal. De leitura tudo por tudo no passado fim de páginas. A partir desta edição subir a coluna das receitas. coragem, dignidade, persistência e obrigatória. semana pela sobrevivência no contamos, igualmente, com novos A situação económico-finan- amor. Apostila 1: Ao atribuir aos escalão maior do futebol na- colaboradores e novos colunistas, ceira do jornal não é propriamente O Despertar, que mantém cabeçalhos das novas páginas, os cional. Aos de Coimbra bastava- além de secções e rubricas que fácil. Importa reconhecê-lo clara na íntegra a sua linha editorial de títulos de jornais e revistas que -lhes um empate e aos da Fi- são inéditas no mais antigo jornal e inequivocamente. Mas a aposta antanho, despertou e modernizou- em tempos se publicaram na gueira só a vitória interessava. de Coimbra, agora impresso em feita (do tipo “agora ou nunca”) -se. A opção era simples: entre o Lusa-Atenas, queremos home- Ambos os emblemas conse- rotativa. visa produzir um semanário de conformismo da estagnação e o nagear quem lançou (antes, guiram (e bem) os seus intentos Ao mesmo tempo, passamos qualidade, atento à realidade risco da mudança. A decisão não durante e após 1917, ano da - e estão de parabéns. A Briosa a integrar o ciberespaço através de circundante e em confronto com a podia ser diferente da que foi fundação de O Despertar) e a Naval tiveram que sofrer até o Despertar Online, ainda que concorrência, semanário que atraia adoptada. Sabendo as adversida- periódicos que não conseguiram ao último segundo do campeo- em período experimental. mais colaboradores, leitores, des que vamos encontrar ao dobrar resistir à voragem do tempo. nato. Mas valeu a pena! Todas estas transformações anunciantes, amigos e assinantes de cada esquina - que nos colocam Apostila 2 - Um beijo - com Cá por casa, ao longo dos necessitam do apoio acrescido dos - todos juntos os verdadeiros sempre à beira da “linha de água”, a ternura equivalente à distância 89 anos da nossa existência, nossos assinantes, amigos, anun- pilares da sobrevivência de “O como também acontece com as entre Coimbra e o Rio de Janeiro também foi e é por demais ciantes, leitores e colaboradores - Despertar”. tabelas classificativas desportivas. - para Ângela de Sousa Antunes, conhecido o combate constante sem o que o novo Despertar não Queremos disputar o cam- O mesmo é dizer: nos limites da nossa Tia e sócia, hoje a única pela sobre-vivência, a luta per- poderia manter-se. Uma vez que peonato dos jornais vivos, inter- sobrevivência. filha sobreviva de António de manente pela manutenção no não temos qualquer via alternativa: venientes, dinâmicos e lidos da Rumo ao centenário, pedimos Sousa e de Maria do Carmo escalão dos jornais vivos. So- é que, estando os custos total- Imprensa Regional. No respeito nesta hora emprestado, aos nossos Sousa, residente há mais de 50 fremos todos os anos, meses, mente esmagados, resta tão-só inalterado pelas causas, pelos antepassados, o exemplo de dádiva anos no Brasil. O Desper t ar O Desper t ar Um novo SEMANÁRIO 89.º Ano de Publicação (Sai às sextas feiras) 89 O Despertar na web www.odespertar.com.pt portal@odespertar.com.pt Director: Fausto Correia Despertar Director Adjunto: António Carlos de Sousa Redacção António Carlos de Sousa (C.P. N.º TE-951) Zilda Monteiro (C.P. N.º 7937) Colaboradores Cristina Brás Dinis Manuel Alves Luís Monteiro Marco Francisco ANOS Paula Cardoso Almeida Rogério Aguiar Colunistas ADIFER • Alda Constança Bernardes Teixeira O semanário “O Despertar”, de hoje, a marcar presença no Imprensa, oxigénio vital da Carlos Coelho Veiga • Carlos Esperança Eduardo Proença Mamede Chronos • Fernando Martins jornal mais antigo que se publica em Coimbra, acaba de come- ciberespaço. O Despertar O n l i n e, a i n d a e m v e r s ã o Democracia e do Estado de Direito. Tracção Jaime Ramos • Joaquim Vieira Jorge Rua • José Soares Lino Mendes • Luís Marques morar 89 anos. Mantendo-nos fiéis à linha experi-mental, já pode ser c o n s u l t a d o n o endereço A melhor forma de home- nagear quem antes de nós tratou eléctrica Manuel Bontempo Manuel Chaves e Castro editorial que foi nosso timbre www.odespertar.com.pt dos alicerces desta singular Marcelo Henriques de Brito desde os primórdios, decidimos Acompanhamos os novos Pedem-nos para alvitrar a Marcos Franco • Mário Ruivo empresa de levar o mundo em Paulo Eduardo Correia avançar com uma profunda tempos, sinal de que o nosso conveniência de se mudar o Paulo Leocádio Bernardo letra de forma a todos os cida- remodelação gráfica, que correrá projecto editorial continua vivo, princípio da zona que se en- Pedro Ferrão • Pedro Redol dãos, encontrámo-la dando aos Rui Fausto Lourenço • Sofia Figueiredo a par com uma gradual alteração sem no entanto alienar a sua contra ao cimo da linha ascen- Victor Gonçalves • Vítor Botelho cabeçalhos das páginas do “novo nos conteúdos. história, os valores que sempre dente da Avenida Sá da Ban- Administração Despertar” os títulos de jornais e Redacção, Publicidade, Sinal da vitalidade de O defendeu e pelos quais de- deira para onde está a agulha, Assinaturas e Serviços revistas que em tempos se pu- Rua Pedro Roxa, 7-1.º Despertar, e do carinho que o nodadamente se vem batendo ao ao voltar para a Travessa da blicaram em Coimbra. Telefones: 239 85 27 10/11/12 nosso semanário granjeia junto longo dos seus 89 anos. mesma Avenida, mudando, Fax: 239 852 719 Obrigado aos fundadores, e-mail: jornaldespertar@mail.telepac.pt dos leitores, reside, por exemplo, Nesta hora de renovação também, para ali, para o pri- redactores, tipógrafos, ardinas Denominação Social: na significativa adesão de novos saudamos, sem excepção, todos meiro poste do cabo eléctrico ANTÓNIO DE SOUSA (HERDEIROS), LDA. que trouxeram até nós O Distrito Contrib. N.º 502 137 258 colunistas. os colegas que, na cidade e na que se lhe segue, á esquerda Cap. Social: 7.481,97 Euros de Coimbra, o Centro Por- O mesmo se diga dos jovens região, se afadigam em manter de quem sobe, o sinal luminoso Gerência: tugal, O Observador, A Voz Maria Ascenção Sousa colaboradores com que passa- vivos projectos similares. há tempo colocado acima. Desportiva, O Pregoeiro, O Composição e Montagem Depart. Gráfico de “O Despertar” mos a contar a partir desta Os jornais de uma cidade ou Comércio de Coimbra, Zum- Tiragem média no mês de Abril edição, alguns deles estudantes região fazem parte da história do Achamos juste o alvitre. 14.000 Exemplares bidos, Yo-Yo, Crepúsculo, Impressão universitários que escolheram O povo que as habita, pertencem ao Cidade de Coimbra, Espaço Beirastexto, sociedade editora, S.A. Despertar como sua primeira seu património histórico, a um Repórter, Voz de Coimbra, Rua 25 de Abril, n.º 7 Apartado 44 – 3046-652 Taveiro escola de jornalismo. património nobre porque edi- Revista Estrangeira, O Co- 11 de Maio de 1935 Número de Registo 100117 Passamos, também, a partir ficado em prol da Liberdade de nimbricense, Photographias,
  • 3. PUBLICIDADE 3 O Despertar 12| MAIO |06
  • 4. 12| MAIO |06 O Despertar 4 VOZ DE COIMBRA Universidade cria Fundação Tudo por um grande museu simas peças, sobretudo nas áreas e Ensino Superior. O Senado da Universidade da física, astronomia e antropo- A reunião do senado serviu de Coimbra aprovou logia. A primeira fase deste também para aprovar o regula- a criação da Fundação projecto deverá estar concluída até mento que permite às pessoas com Museu da Ciência, que irá ao final de 2006 com a abertura mais de 23 anos, que não cumpram gerir o futuro Museu da do “Laboratório Chímico”, actual- os requisitos do ensino normal, a Ciência, cuja conclusão da mente em obras de reconversão. possibilidade de ingressar no ensino Tomada de posse de Torres Farinha primeira fase está prevista para o final do ano. De acordo com o reitor, o tema da primeira exposição per- superior. “É uma nova forma da Universidade atrair novos públicos, IPC quer acreditação manente será “Luz e Matéria”. recuperar o interesse dos adultos “Estamos a trabalhar para As obras desta primeira fase, e valorizar uma prática profis- criar um grande museu nacional, orçadas em 3,5 milhões de euros, sional”, sublinhou o reitor. cujo espólio é considerado um dos estão a ser suportadas em partes internacional O novo regulamento, que dá mais importantes e valiosos do iguais pela Universidade de Coim- cumprimento a um decreto-lei mundo”, disse o reitor da Univer- bra e o Ministério da Cultura. publicado em Março, vem subs- sidade em declarações à agência Seabra Santos acrescentou ainda tituir os antigos exames had-hoc, O Instituto Politécnico sidente traçou dez vectores estra- Lusa. que a segunda fase do projecto será possibilitando aos maiores de 23 de Coimbra (IPC) tégicos para o Instituto, que Segundo Seabra Santos, o iniciada no próximo ano, adiantando anos a entrada na Universidade quer conseguir passam por “conseguir a acre- Museu da Ciência pretende valori- que a Universidade está a tentar através da prestação de provas e a acreditação nacional ditação nacional e internacional dos zar o património museológico da obter financiamento junto do avaliação do currículo e percurso e internacional cursos”, fomentar cursos de “pós- Universidade, que possui riquís- Ministério da Ciência, Tecnologia profissional. dos seus cursos. graduação, em parceria com organizações nacionais e inter- Este foi, pelo menos, o desejo nacionais” e tornar “obrigatórios os manifestado por José Torres Farinha, que tomou posse como estágios”. A internacionalização é a ACIC assina protocolo com ISHST Por melhores condições de trabalho presidente daquele estabele- grande aposta de um estabe- cimento de ensino. A concretizar- lecimento de ensino que, “com um se a intenção o Instituto “deverá orçamento baixo”, ministra “for- ser a primeira instituição totalmente mação de qualidade a custos mais certificada” em Portugal. baixos do que o universitário”. Mas, A Associação Comercial explicam a assinatura do acordo, Para o presidente da ACIC Mesmo sem apoios gover- explica ainda o professor univer- e Industrial de Coimbra mediante o qual a ACIC se este protocolo é um investimento namentais, o IPC decidiu avançar sitário, é preciso “homologar (ACIC) está apostada propõe a “colocar à disposição do no futuro, até porque “existem com o pedido de avaliação inter- definitivamente o quadro de pes- em melhorar as condições ISHST toda a sua rede distrital” melhorias consideráveis a in- nacional pela Associação Europeia soal não docente” e “alargar o de trabalho para desenvolver acções no troduzir” para estabelecer boas das Universidades. Torres Farinha quadro de pessoal docente”, até dos seus associados. sentido de sensibilizar traba- práticas. Uma opinião partilhada anunciou ainda a intenção de porque “todos os anos perdemos lhadores e empregadores para a por Jorge Gaspar, presidente do constituir, na segunda metade deste quadros superiores altamente Contribuir para uma dimi- relevância, a nível de produ- ISHST, que considera que a ano, dois centros de investigação qualificados, em particular para a nuição de acidentes e de com- tividade, das condições de tra- “produtividade do trabalhador acreditados pela Fundação para a universidade, aliciados por con- portamentos negativos no tra- balho. aumenta à medida que há in- Ciência e Tecnologia. A ideia é que dições de estabilidade e de carreira balho é, precisamente, o propósito “Esse é o papel fundamental vestimento nas condições de o IPC se constitua como um “pólo mais interessantes”. de um protocolo de colaboração que consideramos ter, como segurança, higiene e saúde do de excelência de investigação e Recorde-se que Torres Fa- assinado entre a Associação e o associação patronal. Divulgar, trabalho”, o que é “altamente desenvolvimento”, nomeadamente rinha tomou posse um ano depois Instituto para a Segurança, disseminar e sensibilizar os rentável do ponto de vista da nas áreas das ciências da alimen- de ter sido reconduzido no cargo e Higiene e Saúde no Trabalho nossos associados para a neces- competitividade da empresa e tação e do ambiente. após um conturbado processo (ISHST). sidade de alterar mentalidades e logo na competitividade do tecido Consciente das limitações eleitoral, marcado pela contestação Razões de “pura raciona- comportamentos”, explica Paulo empresarial e da própria eco- impostas pelo orçamento, o pre- dos seus adversários. lidade económica” e sociais Canha. nomia nacional”. PRAÇA PÚBLICA É habitual apreciador do cortejo da Queima das Fitas? “Raramente. Este ano calhou ir, “Não. Este ano até estava pela “Sim, mas nesta edição não pude “Não. Não tenho tempo para “Sou, mas nem sempre se pode mas não faço disso um hábito.” baixa, mas não ligo nenhuma a ir por causa do trabalho.” essas coisas.” ir. Este ano, por exemplo, estive isso.” a trabalhar.” José Matos Mário Fonseca Graça Congo Paula Cortez Hugo Machado 69 anos, Mecânico 67 anos, Reformado 32 anos, Aux. de acção médica 37 anos, Doméstica 22 anos, Empregado de mesa
  • 5. ESPAÇO REPÓRTER 5 O Despertar 12| MAIO |06 Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental Os meninos da Sala 13 É, talvez, a única forma de dizer: “tu também pertences aqui”. Os Centros de Recursos Educacionais e as Unidades Especializadas de Apoio à Multideficiência nasceram há três anos. Estes dois “serviços” da APPACDM permitem que os meninos e as meninas com necessidades especiais possam frequentar a escola como qualquer outra criança. Já não são “os meninos da APPACDM”. Fazem todos parte do mesmo espaço. agravadas com estados de saúde complicado integrá-lo nas aulas de muito débeis e complexos. Educação Visual e Educação A Escola Básica dos 2º e 3º Física. Paula Cardoso Almeida ciclos de S. Silvestre ofereceu condições excepcionais para a Centros de Recursos implementação de uma Unidade Educacionais “É para a Sala 13?”. A funcio- Especializada de Apoio à Mul- nária da Escola Básica dos 2º e tideficiência. A APPACDM Tal como o Carlitos, muitas outras 3º Ciclos de S. Silvestre já co- reconhece que a facilidade de crianças estão a ser acompanha- nhece estas pessoas e sabe que integração e disponibilidade das pela APPACDM desde que aquela é uma sala especial. Ali, encontradas naquele estabele- nasceram. Têm entre 6 e 16 anos na Unidade Especializada de cimento de ensino são “invul- e há muito que se tenta integrá- Apoio à Multideficiência, estão gares” e “fora do habitual”. Todos los nos estabelecimentos de seis crianças e jovens, com idades eles pertencem a uma turma ensino. Inicialmente, “víamos compreendidas entre os 9 e os 17 regular. A ideia é que eles “ocu- quais eram as necessidades que anos. pem e usem o espaço da escola as escolas tinham, tentávamos O Luís Paulo, a Beatriz, a como qualquer outra criança”. colmatá-las e, em contrapartida, Inês, o Alexandre, o Luís Filipe e o Sorridente, a presidente do elas abriam as portas às crianças Carlitos são os meninos da Sala 13. Conselho Executivo conta que com deficiência”, recorda Ana Têm necessidades educativas nunca houve problemas de acei- Isabel Cruz, membro da direcção especiais de carácter prolongado tação com alunos, professores, da Associação. e, por isso, estão entregues aos funcionários ou pais. “A partir do Hoje, essa é, apesar de tudo, cuidados da Associação Portugue- momento em que aceitamos, uma tarefa mais fácil. Houve uma sa de Pais e Amigos do Cidadão aceitamos a valer. Não há acei- mudança de postura e de menta- Deficiente Mental (APPACDM). tação de meio termo”, sublinha lidades. Existe a consciência de Há três anos que duas pro- Teresa Morais, sem conseguir que os cidadãos deficientes fessoras e quatro auxiliares tentam esconder a ternura que nutre por podem e devem usufruir de encher de vida esta sala. É uma aquelas crianças “especiais”. serviços especiais, cabendo aos O simpático “Carlitos” e Ana Isabel Cruz, da direcção da APPACDM resposta da própria escola aos Ali todos gostam e respeitam pais reivindicar o seu lugar na alunos com graves limitações a muito os “meninos e meninas da Há 25 anos que Antonieta pessoais são os principais obje- sociedade. O mais importante é Figueira, psicóloga no Centro de ctivos. nível de desenvolvimento e apren- sala 13”. O Carlitos, de 14 anos, que, acrescenta Antonieta Figuei- Recursos Educacionais de Coim- A professora Estrela Brás dizagem. Trata-se de, no fundo, espelha esse carinho. É o mais ra, estes já não são apenas os “me- bra, faz parte da grande família está com o projecto de expressão “permitir que as crianças com extrovertido e energético dos ninos e meninas da APPACDM”. da APPACDM. Conta que quan- dramática – que abrange, duas problemas possam frequentar meninos. Os que o rodeiam Neste momento, a Associa- do terminou o curso nunca tinha vezes por semana, quatro escolas uma escola regular e que recebam ressaltam a sua “incrível força de ção apoia, pelo menos, 279 crian- visto um deficiente. “Tive de ir à do concelho de Coimbra (Pe- o tratamento adequado às suas vontade”. Adora interagir com ças, que estão inseridas em procura de um”. Sorri. Reco- drulha, Martim de Freitas, Alice necessidades particulares”, que, outras pessoas e, talvez por isso, na maior parte dos casos, são Centros de Recursos Educa- nhece que muita coisa mudou Gouveia e Eugénio de Castro) – não tenha sido particularmente cionais de mais de meia centena desde então. “Houve uma alte- desde o início. Mas o seu percurso de escolas de Montemor-o-Velho, ração ao nível do tratamento dado na APPACDM começou muito Cantanhede, Coimbra e Arganil. ao cidadão deficiente mental, mas antes: há 26 anos. “Tenho 54 anos. Mas apenas nestes dois últimos a escola, por exemplo, tem ainda Quando entrei não sabia ao que concelhos é prestado apoio à um longo caminho a percorrer.” vinha. Fui-me habituando. Agora multideficiência. só concebo sair daqui para ir para Estes Centros existem desde Transição a reforma.” No final deste ano 1993 e são, na sua essência, um para a vida adulta põe um ponto final na sua missão. recurso da inclusão, na escola e “Termino realizada.” na sociedade, de crianças e jovens O trabalho da APPACDM esten- Além deste projecto de com necessidades educativas de-se muito para além da defi- expressão dramática, a Asso- especiais. Constituem-se como ciência, levando o apoio a crianças ciação desenvolve também proje- estruturas de apoio terapêutico, de com problemas motores, de fala ctos de transição para a vida complemento educativo, e de ou emocionais. Há três anos que adulta. Actualmente, perto de seis apoio psico-social para alunos e estão a desenvolver um projecto dezenas de jovens estão a ser famílias. de expressão dramática, que acompanhados. Trata-se de um São, além disso, um recurso envolve 40 crianças com difi- trabalho que se inicia por volta dos e parceiro da própria escola no culdades a nível cognitivo e 13 anos com actividades de âmbito da avaliação psicopeda- problemas comportamentais. despiste vocacional, que decorrem gógica, da selecção e organização “Verificámos que havia algumas em simultâneo com as aulas. de estratégias e recursos edu- crianças com competências so- “É, no fundo, abrir-lhes cativos. Os estabelecimentos de ciais muito baixas e criamos um perspectivas para o futuro”, ensino “já se capacitaram de que projecto de treino de competências sublinha Antonieta, acrescentando estes alunos lhes pertencem”, para promover o posicionamento que “mais do que ensinar com- reconhece Ana Isabel Cruz, social destes alunos”. Contribuir petências profissionais, pretende- A professora Estrela Brás e a psicóloga Antonieta Figueira a apoiar admitindo, no entanto, que existem para a socialização, a adopção de se facultar competências pes- um aluno com multideficiência algumas dificuldades. regras e o reforço das relações soais”.
  • 6. 12| MAIO |06 O Despertar 6 O DISTRITO DE COIMBRA Aniversário do Centro Geriátrico Fundação inaugura clínica de fisioterapia podendo a sua utilização ser O Centro Geriátrico Luís alargada a todos aqueles que Viegas de Nascimento tenham prescrição médica para assinalou o seu primeiro sessões de fisioterapia. “Inovar aniversário com a não é fácil”, desabafou Nuno inauguração de uma clínica Viegas de Nascimento, pre- de fisioterapia. Este novo sidente da Fundação Bissaya Barreto, sublinhando que a inten- serviço vem valorizar aquele ção continua a ser “renovar a espaço da Fundação esperança de melhor servir quem Bissaya Barreto e melhorar ganhou direito à longevidade”. a qualidade de vida dos 34 Na cerimónia foi ainda assi- idosos – oito dos quais nado um acordo de cooperação homens – que ali vivem. entre a Fundação e o Conselho dentes e famílias do Centro. Distrital da Ordem dos Advo- Os convidados institucionais Localizado na Figueira da gados, no âmbito do qual a pri- – entre os quais Henrique Fer- Foz (na Gala, junto às antigas meira disponibilizará uma de- nandes, governador civil de instalações da Colónia Balnear Neste momento, encon- assinado com a Segurança So- zena de lugares do Centro Ge- Coimbra, e Fernando Regateiro – Bissaya Barreto), o Centro Geriá- tram-se 44 idosos em lista de cial, que assegura meia centena riátrico para advogados, cônjuges não foram poupados nos elogios. trico tem capacidade para mais de espera. Apesar das instalações de lugares. e ascendentes directos. À Ordem Para o presidente da Admi- oito dezenas de pessoas, mas terem uma excelente qualidade, Seguindo os passos da mo- caberá indicar advogados da área nistração Regional de Saúde do apenas 34 lugares estão pre- mas os seus utentes pertencem a dernidade deixados pelo Centro do Distrito Judicial de Coimbra Centro a clínica de fisioterapia é enchidos, situando-se a média de diversos estratos sociais, sendo Geriátrico, a clínica de fisio- para a realização da “Academia um “projecto bem necessário a idades dos seus utentes entre os que os mais carenciados são terapia, agora inaugurada, dispõe da Cidadania”, um programa esta zona, que honra o patrono 70 e os 90 anos de idade. abrangidos por um protocolo do mais moderno equipamento, científico/cultural para os resi- como génio e como modelo”. Câmara de Góis promove Miranda do Corvo Livro “sob o signo de Bocage” Protesto contra encerramento do SAP “Sob o Signo de Bocage” iniciativa, que todos esperam que o município de Góis seja um êxito e um incentivo para realiza, até Domingo, organizar outros eventos. A edil a décima edição acredita mesmo que haverá uma da Feira do Livro. “elevada adesão”, quanto mais A Comissão Municipal lização da vila, a qual “poderá dar não seja para “folhear e ficar a de Saúde de Miranda apoio aos concelhos de Miranda A iniciativa é uma oportu- conhecer” algumas obras. do Corvo (CMSMC) exige e Lousã e a parte do concelho nidade para se comprar livros a Ainda assim, oito editoras a reabertura imediata de Penela”. preços mais económicos, propor- vão tentar aliciar os visitantes a do internamento do Centro O Centro de Saúde deve cionando, simultaneamente, uma levar um livro para casa. Os de Saúde local ao recusar “proceder ao reforço qualitativo visita por uma exposição de escritores da região não foram José António de Carvalho, presi- o encerramento do Serviço do funcionamento das extensões trabalhos realizados pelos alunos esquecidos e têm no certame um dente da Assembleia Municipal da de Atendimento e alterar as regras de fun- do concelho. lugar de destaque. Aliás, o presi- Câmara de Góis; José de Albu- Permanente (SAP). cionamento, facilitando a vida aos Incentivar o gosto pela leitura dente da Câmara fez questão de querque, do Conselho Executivo utentes”, preconiza, propondo e levar os livros à população são que houvesse um “espaço reser- das escolas do concelho; e a Em comunicado, a comissão ainda que seja aumentado o os grandes objectivos, mas tam- vado para todos os escritores do vereadora da Cultura do muni- refere que o Centro de Saúde número de consultas ao domicílio. bém aproximar os habitantes da concelho de Góis”, até porque, cípio, foram algumas das perso- tem uma capacidade de inter- Criada este ano e liderada cultura, “já que nestas vilas mais explica ainda Girão Vitorino, “são nalidades que, no dia 10, estiveram namento para 12 utentes e que pela presidente da Câmara, afastadas dos grandes centros obras que vale a pena ler” e que presentes na sessão de abertura este serviço à população foi Fátima Ramos (PSD), a CMSMC urbanos a oferta é muito menor”, “falam sobre o município”. Para da Feira do Livro. suspenso devido a obras que integra ainda o presidente social- sublinha Helena Moniz, vereadora o autarca a atenção dada aos A decorrer no auditório da “estão praticamente concluídas”. democrata da Assembleia Mu- da Cultura da Câmara de Góis. escritores da terra é também uma Biblioteca Municipal “António A comissão defende ainda nicipal (AM) de Miranda, José E porque se comemora o forma de os estimular a escrever. Francisco Barata”, o certame que a Administração Regional de Manuel Simões, um deputado de segundo centenário da morte de O governador civil Henrique inclui um diversificado conjunto de Saúde (ARS) do Centro aumente cada partido com assento neste Bocage, o irreverente poeta foi o Fernandes; António Pedro Pita, actividades culturais, abrindo às 10 o número de camas para apoios órgão autárquico (PSD, PS e escolhido para apadrinhar a Delegado Regional da Cultura; e encerrando às 18 horas. Hoje, continuados no concelho, uma CDS-PP). Um representante de por volta das 14h30, assiste-se à “mais-valia extremamente im- cada uma das duas forças po- final das Olimpíadas da Língua portante para a população e para líticas que concorreram às elei- Portuguesa, enquanto que o dia de o bom funcionamento dos hos- ções autárquicas, mas não ele- amanhã é dedicado ao teatro, pitais”. geram deputados (BE e CDU), destacando-se a peça “Espectá- Ao apoiar a manutenção do dois vereadores dos partidos que culo de Luz Negra”, levada a SAP, a Comissão Municipal de compõem o executivo (PSD e palco, às 21h30, pelo Grupo de Saúde defende que a ARS de- PS), membros das instituições Teatro de Sobral do Ceira. O verá criar em Miranda do Corvo particulares de solidariedade Grupo de Música e Cantares de uma unidade básica de urgência, social do concelho e dos Bom- Vila Nova do Ceira encerra, no tendo em conta as características beiros Voluntários completam a Domingo, a Feira do Livro. do Centro de Saúde e a loca- comissão.
  • 7. PUBLICIDADE 7 O Despertar 12| MAIO |06
  • 8. 12| MAIO |06 O Despertar 8 GERAL LUZE – SOCIEDADE PORTUGUESA DE LEILÕES, LDA LUZE – SOCIEDADE PORTUGUESA DE LEILÕES, LDA Quinta do Moleirinho, armazém n.º 1 Quinta do Moleirinho, armazém n.º 1 Ladeira da Paula – 3040 Antanhol – Coimbra Ladeira da Paula – 3040 Antanhol – Coimbra Telefone n.º 239810643 Telemóvel n.º 968022319 Telefone n.º 239810643 Telemóvel n.º 968022319 Inédito em Portugal. Transparência – Honestidade – Isenção e Imparcialidade A Luze Portuguesa, informa o público em geral que no dia 11 de Junho de 2006 (domingo) vai inaugurar um novo serviço, inédito em Portugal, em novas instalações para o efeito de vendas, exclusivamente entre particulares, nas suas instalações AVALIAÇÕES sitas em Santana – Santiago de Litém a 9 km de Pombal. Efectuamos qualquer tipo de avaliações, nomeadamente, partilhas Este serviço é apenas e só um local privado para vendas de todos os objectos de heranças, de coisas móveis e imóveis. que pretenda vender, negociados apenas por compradores também particulares, não é permitido a comerciantes comprar ou vender nesse local qualquer objecto (EXCLUSIVO LEILÕES: DE PARTICULAR PARA PARTICULAR). Realizam-se leilões de todo o tipo de bens móveis, todos os sábados às 10h30, na morada acima indicada, não ignore estes leilões, pois nem PROCEDIMENTO: que seja para uma breve visita vale a pena vir até à nossa leiloeira. Temos Todo o cidadão que pretenda vender um objecto móvel sujeito ou não a registo de sua propriedade deverá inscrever-se e reservar o seu lugar para a realização da sua artigos de extrema qualidade, como por exemplo, magníficos móveis (de venda até sexta feira anterior ao domingo em que se efectuarão as vendas, neste caso todos os estilos), Arte-Sacra, porcelanas de várias marcas novas e antigas, são contínuas todos os domingos de cada mês. velharias e muitos outros tipos de artigos. Poderão ser vendidos todo o tipo de objectos desde diamantes, ouro, pratas, antiguidades, arte-sacra, porcelanas, móveis, camiões, veículos ligeiros, motas e tudo DEPÓSITOS: desde que provem a sua origem lícita. Todos os objectos farão parte de participação Aceitamos todo o tipo de bens móveis para venda em leilão nas às autoridades competentes. nossas instalações. Todos os cidadãos particulares interessados poderão assim comprar um objecto por negociação particular directamente com o vendedor também ele particular, sem GESTORES DE NEGÓCIOS: intermediários. Neste local e todos os domingos de negócio existem garantias de Todo o tipo de gestão de qualquer negócio relacionado com os seus segurança privada, e todos os intervenientes serão identificados e portadores de um crachá da empresa. interesses a nível nacional e na União Europeia. As forças de segurança da GNR serão todos os dias do evento (domingos), requeridas para completarem o serviço de segurança. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: Toda a identificação quer de vendedores quer de visitantes será estritamente Em toda a União Europeia alvo de um sigilo total. O vendedor pode delegar em qualquer mandatário para a realização da venda dos seus artigos através de poderes expressamente escritos e NÃO COMPRE, NÃO VENDA, NÃO MANDE AVALIAR, NÃO ENTREGUE assinados. Para qualquer esclarecimento e condições relativas às vendas é favor de contactar QUALQUER SERVIÇO SEM NOS CONSULTAR PRIMEIRO. a Sociedade Luze na sua sede em Antanhol, ou pelos telefones n.ºs 239810643 e telemóvel n.º 968022319 e 967956029. PRETENDEMOS REALIZAR ATRAVÉS DO NOSSO TIMBRE TODOS OS SEUS NEGÓCIOS. INAUGURAÇÃO DO PRIMEIRO EVENTO NO DOMINGO OS NOSSOS SERVIÇOS DESTINAM-SE A TODOS, DIA 11 DE JUNHO DE 2006. TANTO A NÍVEL PRIVADO COMO PÚBLICO. Horários das vendas: 9h30m às 18 horas, sem interrupção. CONTACTE-NOS POIS FAREMOS TUDO O QUE ESTIVER AO NOSSO Nota: Qualquer situação ilícita detectada será de imediato participada às ALCANCE PARA LHE PROPORCIONAR UM RESULTADO JUSTO E EFICAZ. autoridades competentes TRIBUNAL JUDICIAL DE PENELA Secção Única NECROLOGIA ANÚNCIO ANTÓNIO TEIXEIRA DA SIL- residia em Orelhudo. natural de Famalicão, Nazaré, e 1.ª PUBLICAÇÃO VA faleceu com 84 anos. JOSÉ DA CRUZ ARAÚJO residia em Condeixa. Processo: 48/06.1TBPNL Transportes Renegado, Ld.ª, NIF – 503.757.152, domicílio: Quinta do Rama- CARLOS ALBERTO TRIGO COUTINHO faleceu com 69 anos. MARIA GABRIELA PEREIRA Carta Precatória (Distribuida) N/Referência: 91166 lhão, 3230 Penela. VAZ MONTEIRO faleceu com 52 Divorciado, era natural de Coimbra, ANTUNES faleceu com 80 anos. Data: 04-05-2006 É fiel depositário Fernando Mendes anos. Solteiro, era natural de Angola onde residia. Exequente: Transportes A. Mon- Alves, residente em Póvoa de Chão de Casada com Mário dos Santos teiro da SILVA, Lda Ourique, 3230 Penela, obrigado a mostrar e residia em Coimbra. LUCILINDA FERNANDES LE- Leitão, era natural de Leiria e Executado: Transportes Rene- a quem pretenda examiná-lo. gado, Ld.ª e outros… Não existem créditos reclamados. ELISA RIBEIRO faleceu com 98 AL faleceu com 84 anos. Viúva, era residia em Coimbra. Processo de origem: Valor base: euros 3000,00; Valor a anos. Viúva, era natural de Con- natural e residente em Coimbra. MARIA INÁCIA SIMÕES fale- Execução Ordinária n.º 2001/ anunciar para venda: 70 % = euros 03.8TJCBR 2100,00. deixa e residia em Arzila. LUÍS RIBEIRO DE SÁ PE- ceu com 77 anos. Viúva, era natural 1.º Juízo Cível de Coimbra Os proponentes deverão compa- FRANCISCO RAMOS DE CAR- REIRA TAVARES faleceu com 64 recer na data da abertura das propostas, de Antanhol, onde residia. Nos autos acima identificados foi fazendo-se acompanhar dos respectivos VALHO faleceu com 81 anos. anos. Era natural da Covilhã e MARIA JOSÉ DE JESUS PE- designado o dia 06-06-2006, pelas documentos de identificação (bilhete de Casado com Maria Margarida residia em Coimbra. 13h30m, neste Tribunal, para a abertura identidade e cartão de contribuinte). REIRA faleceu com 84 anos. de propostas em carta fechada que Ribeiro Martins Ramos de Carvalho, LUÍSA DUARTE LOPES MA- Viúva, era natural de Ceira, onde sejam entregues até esse momento, na O Juiz de Direito, era natural de Coimbra, onde residia. Secretaria deste Tribunal, pelos interes- Dr. Duarte Cavaco Nunes LAGUERRA faleceu com 91 anos. residia. sados na compra do seguinte bem: O Oficial de Justiça, GRACINDA CARDOSA CA- Viúva, era natural de Coimbra, onde MARIA DE LOURDES CLARO Veículo automóvel de marca Volvo Cristina Sobral F12, de matrícula QR-65-87, avaliado em LEIRAS faleceu com 86 anos. residia. faleceu com 89 anos. Viúva, era euros 3000,00, penhorado à Executada: “O Despertar” N.º 8388, de 06/05/12 Viúva, era natural de Cernache e MANUEL DA CONCEIÇÃO natural da Sé Nova e residia na BARROS faleceu com 61 anos. Portela do Mondego. AMBULÂNCIAS AGÊNCIA FUNERÁRIA Divorciado, era natural de Miragaia, Porto, e residia em Coimbra. MARIA LUÍSA CABRAL DE SERVIÇO ADELINO MARTINS, LDA. MARIA DA ENCARNAÇÃO MONCADA faleceu com 87 anos. Solteira, era natural de Coimbra e PERMANENTE O ORGULHO DE BEM SERVIR DESDE 1940 MAMEDE faleceu com 72 anos. residia na Rua da Boavista. André Dinis, Lda. FUNERAIS – FLORES – TRASLADAÇÕES Viúva, era natural de S. João de PAULO JOAQUIM DUARTE Areias, Santa Comba Dão, e residia DA COSTA faleceu com 44 anos. R. 6 de Outubro, 75-Dt.º SERVIÇO PERMANENTE em Coimbra. Telefs. 239 824 825 - 239 820 406 Casado com Teresa Maria Ribeira Tel. 239 701 013 Telm. 96605720 COIMBRA MARIA FIGUEIREDO LOPES Santos, era natural e residente em faleceu com 64 anos. Solteira, era Coimbra.
  • 9. O PAÍS 9 O Despertar 12| MAIO |06 CASA DAS CITAÇÕES Fraude na AFINSA e Fórum Filatélico . . . . FOTO grafias . . . . . . . . . . . . . . Detidos são . . . . . . . . . . . . “Em Portugal, trabalho e sacrifí- . . . . . . . . . . . . . . cios são, quase sempre, para os . . . . . . . . . . . . outros.” . . . . . . hoje ouvidos . . . . . . . . João Morgado Fernandes . . . . . . . . . . Director adjunto do DN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8/05/06 . . . . . . . . Os nove detidos em Santiago Pedraz e Fernando . . . . . . . . . . . . . . consequência da operação Grande-Marlaska, levantem o . . . . . . “As autarquias saídas do 25 de . . . . . . . . anti-fraude desencadeada segredo de justiça que ainda . . . . . . Abril para aproximar o poder dos . . . . . . contra as empresas pende sobre o sumário da acu- . . . . . . . . cidadãos, transformaram-se nas . . . . AFINSA e Fórum sação. . . . . . . . . organizações mais corruptas do . . . . . . Filatélico, em Madrid, só Até ao momento desco- . . . . . . . . país.” . . . . . . deverão ser hoje nhecem-se as acusações espe- . . . . . . Domingos de Andrade . . . . . . Chefe de redacção do JN apresentados ao juiz. cíficas que pendem sobre cada . . . . Esta poderá ser, possivelmente, uma das últimas crianças a . . . . . . . . . . nascer na sala de partos da maternidade de Elvas, que, por . . um dos detidos na operação que, . . . . . . . . ordem do Governo, poderá encerrar até ao final desta semana . . 8/05/06 Os detidos estão, desde . . segundo a polícia, se prende com . . . . . . . . . . . . quarta-feira, nas celas da Polícia rede de burla “piramidal” das duas . . . . . . . . . . . . “O congresso do CDS-PP aca- Nacional em Canillas (Madrid), empresas avaliada em mais de . . . . . . . . . . . . bou por expor ainda mais as . . devendo depois ser apresentados quatro mil milhões de euros e que . . . . . . . . . . . . divergências internas quanto ao . . a juízes da Audiência Nacional. terá afectado até 350 mil pessoas. . . . . . . . . . . . . modelo de oposição a seguir e não Entre os detidos estão o A polícia afirmou no entanto . . . . . . . . . . . . serviu, como pretendia o líder empresário luso-espanhol, Alber- . . . . que as duas empresas são acu- . . . . . . . . . . . . reeleito, para clarificar de uma tino de Figueiredo, fundador e sadas de terem desenvolvido um . . . . . . . . . . . . vez por todas a confusão interna.” Presidente honorário do grupo “negócio fraudulento de captação . . . . . . . . . . . . Amílcar Correia AFINSA, o seu filho, Carlos de . . . . massiva de poupanças em nume- . . . . . . . . . . Jornalista Figueiredo Escriba, quadro diri- rosas localidades espanholas”, . . . . . . . . . . . . . . 8/05/06 gente da empresa, e ainda os oferecendo uma rentabilidade alta . . . . . . . . . . . . espanhóis Juan António Cano, . . . . e utilizando como garantia “lotes . . . . . . . . . . “A importância de uma ban- presidente da empresa, e Vicente de selos de valores consolidado e . . . . . . . . . . . . . . deira só com mulheres há-de o Martín Peña, outro responsável. outros bens móveis”. Pendem . . . . . . . . O Ministro da Administração Interna, António Costa, usa da . . . . banco explicar qual é, quando A polícia deteve ainda F. ainda sobre as empresas pre- . . . . palavra durante a interpelação ao Governo, requerida pelo . . . . . . . . Guijarro, que segundo fonte . . grupo parlamentar do PSD, sobre “A situação política geral . . der a conhecer as suas estraté- sumíveis delitos contra a fazenda . . . . . . . . judicial é sócio de uma empresa . . após um ano de governo” . . gias financeiras para o sector pública, branqueamento de capi- . . . . . . . . . . . . feminino. Até lá, ganham Scola- afiliada à Afinsa, na casa de quem tais, insolvência punível, adminis- . . . . . . . . . . . . agentes policiais encontraram . . . . ri e a selecção.” tração desleal e falsificação . . . . . . . . . . mais de 10 milhões de euros em . . José Leite Pereira documental. . . . . . . . . . . . . Director do JN dinheiro. Um porta-voz da A alegada rede de burla, de . . . . . . . . . . . . AFINSA garantiu que Guijarro . . . . cariz “piramidal”, centrava-se na . . . . . . . . 9/05/06 “não é nenhum quadro dirigente utilização de investimentos mais . . . . . . . . . . . . . . . . ou empregado” da empresa, recentes para pagar juros a . . . . . . . . . . . . “Se brasileiros – que são gente negando igualmente que esteja investidores mais antigos, sem . . . . . . . . . . . . nossa, mesmo com diferenças, ligado, através de outra empresa, chegar nunca a efectivar as . . . . . . . . . . . . falam a nossa língua e desejam ao grupo fundado há 26 anos por operações oferecidas aos novos . . . . . . . . . . . . trabalhar – quiserem “repovoar” . . . . Albertino de Figueiredo. clientes. O sistema centrava-se na . . . . . . . . . . . . o nosso interior e se essas Ainda por ser ouvidos estão captação de pequenos inves- . . . . . . . . . . . . experiências foram efectivas, também os quatro detidos nas tidores que, com quantias a partir . . . . . . . . . . . . porque não?” . . . . rusgas ao Fórum Filatélico, entre de 300 euros, investiam em selos . . . . . . . . José Manuel Barroso . . . . os quais o presidente Francisco . . . . mediante a promessa de um juro . . . . Um grupo com centenas de peregrinos que percorre as . . Jornalista . . . . Briones. Espera-se que antes da de seis por cento por ano e de que . . . . estradas do país a caminho de Fátima, onde vão participar . . .
  • 10. 12| MAIO |06 O Despertar 10 PHOTOGRAPHIAS Fotos Dinis Manuel Alves
  • 11. REVISTA ESTRANGEIRA 11 O Despertar 12| MAIO |06 CASA DAS CITAÇÕES Tensão em Timor-Leste . . . . . FOTO grafias . . . . . . . . . . . . . . . . . Denúncias de abusos . . . . . . . . . . “Depois dos “não” de 2005, o . . . . . . . . . . . . caminho é estreito mais ainda . . . . . . . . . . . . . . . . existe: esquecer a proposta de . . . . . . dos direitos humanos . . . . . . “Constituição europeia”, parar . . . . . . . . . . . . para pensar no que afasta os . . . . . . . . . . . . . . . . europeus das instituições euro- . . . . . . . . . . . . peias, encontrar outras respostas . . . . . . diversos aspectos relacionados . . . . . . para as preocupações centrais . . . . . . . . As denúncias sobre abusos com os direitos humanos. . . . . . . do desemprego e do crescimento . . . . . . dos direitos humanos pelas O convite é nominalmente . . . . . . . . económico.” . . . . . . forças de segurança dirigido ao Relator Especial Sobre . . . . . . Honório Novo . . . . . . Deputado do PCP de Timor-Leste levaram Tortura e Outros Tratamentos . . . . . . . . . . . . Cruéis, Desumanos e Degra- . . o ministro dos Negócios . . . . . . . . . . . . 8/05/06 Estrangeiros a escrever ao dantes, Manfred Nowak, ao . . . . . . . . . . . . Relator Especial Sobre Execu- . . . . Alto Comissariado da ONU . . . . . . . . . . . . para os Direitos Humanos, ções Extrajudiciais, Sumárias e . . . . . . . . . . . . “Europa é mais do que um convidando a uma Arbitrárias, Phillip Alston, e ao . . . . . . . . . . . . Relator Especial sobre o Direito . . mercado, é um projecto de vida investigação independente . . . . . . . . . . . . sobre as alegações. de Expressão e Opinião, Ambeyi . . . . em comum, e só pode manter-se . . . . . . . . . . e aprofundar-se com coesão Ligabo, bem como ao Grupo de . . . . . . . . . . . . De acordo com um comu- Trabalho Sobre Detenções Arbi- . . . . económica e social e com vontade . . . . . . . . . . política.” nicado enviado à Lusa pelo trárias e o representante do . . . . . . . . . . . . secretário-geral da ONU Sobre . . José Manuel Durão Barroso Ministério dos Negócios Estran- . . . . . . . . . . . . Presidente da Comissão Europeia geiros timorense, as denúncias Pessoas Deslocadas Internas, . . . . . . . . . . . . Walter Kalin. . . . . foram feitas recentemente pelo . . . . . . . . . . O relatório elaborado pelo . . 8/05/06 Departamento de Estado norte- . . . . . . . . . . . . americano e pela organização HRW, distribuído no passado dia . . . . Em pleno ano de centenário, os espanhóis do Sevilha . . . . . . . . 20 de Abril, sustenta que o . . conquistaram a sua primeira Taça UEFA de futebol, ao não-governamental Human Ri- . . . . . . . . . . derrotarem na final, disputada em Eindhoven, Holanda, os . . “A crise europeia é a do divórcio ghts Watch (HRW). governo timorense necessita . . . . . . . . . . ingleses do Middlesbrough por 4-0 . . . . entre as elites e cidadãos que ou Na carta, assinada por José urgentemente de combater as . . . . . . . . . . . . sentem a utilidade das polícias ou Ramos Horta e dirigida à Alta práticas de torturas e de maus- . . . . . . . . . . . . . . acabam por ser vítimas da dema- Comissária Louise Arbour, pre- tratos perpetrados pela Polícia . . . . . . . . . . . . Nacional de Timor-Leste contra . . gogia dos que exploram a igno- coniza-se que, face aos relatórios . . . . . . . . . . . . rância.” elaborados pelo Departamento de detidos, sob pena de esses com- . . . . . . . . . . . . José Manuel Fernandes portamentos se generalizarem. . . . . Estado e pela HRW, para além dos . . . . . . . . . . Director do Público acontecimentos ocorridos em Díli A denúncia de tais práticas . . . . . . . . . . . . . . nos passados dias 28 e 29 de Abril, vem referida num relatório de 50 . . . . . . . . 9/05/06 . . . . páginas daquela organização não- . . “que conduziram à alegação de . . . . . . . . . . . . uso excessivo de força pelas governamental intitulado “Come- . . . . . . . . . . . . . . forças de segurança timorenses”, ços Tortuosos: Violência Policial . . . . . . . . “O tratado encalhado é a expres- . . . . seja enviada uma equipa inter- e o Início da Impunidade em . . . . . . . . . . . . são da crise política, mas ele não nacional de peritos. Timor- Leste”. . . . . . . . . . . . . é a causa do mal-estar europeu. “Timor-Leste está e continua Recorde-se que os aconte- . . . . . . . . . . . . O problema europeu deriva das . . . . fortemente empenhado no res- cimentos registados em Díli nos . . . . . . . . . . . . profundas clivagens nacionais peito pelos direitos humanos e leva passados dias 28 e 29 de Abril . . . . . . . . . . . . geradas em torno da Reforma muito a sério todas as alegações foram marcados por confrontos . . . . . . . . . . . . social.” de violações perpetradas pelo violentos, relacionados com uma . . . . . . . . . . . . António José Teixeira . . . . Estado”, destacou Ramos Horta. manifestação realizada por ex- . . . . Membros do Parlamento iraquiano num intervalo. O primeiro- . . . . . . Director do DN . . ministro Nouri al Maliki tem até dia 22 para apresentar . . . . Na carta, o chefe da diplomacia militares. Oficialmente, morreram . . . . governo. Entretanto, começam a surgir sinais da redução da . . . . . . . . timorense estende o convite a cinco pessoas e 80 ficaram feridas . . . . presença dos EUA e do Reino Unido . . . . 9/05/06 especialistas da ONU sobre nesses confrontos. PRAÇA PÚBLICA Compreende as razões dos conflitos em Timor-Leste? “Não tenho acompanhado muito “As razões compreendo. O que “Sim. Parece que cada um quer “Sinceramente não estou muito “Creio que o que se está a essa situação.” eu não compreendo é que não impor aquela que julga ser a a par do assunto, mas sei que o passar é uma guerra de inte- haja capacidade para solucionar melhor maneira de governar.” medo voltou e as pessoas estão resses entre quem está no os problemas antes de eles a fugir para as montanhas.” poder e o povo.” assumirem esta dimensão.” Nuno Alves Jorge Castilho Joana Pereira Antero Viegas Rosa Costa 26 anos, Empregado de mesa 56 anos, Jornalista 28 anos, Bancária 62 anos, Reformado 43 anos, Técnica administrativa
  • 12. 12| MAIO |06 O Despertar 12 ENTREVISTA Gestão dos hospitais “Ciclos políticos são o problema da saúde” Defende uma profunda reorganização dos serviços de saúde, a começar pelos órgãos de gestão das unidades hospitalares. José Manuel Silva, presidente do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, não poupa críticas às nomeações políticas. Acredita que esta é a grande doença da saúde portuguesa, que, apesar de tudo, continua a ser um dos melhores sistemas do país. Mas falta ainda percorrer um longo caminho. Falta encetar uma profunda reforma. Passa por um maior investimento em melhores estruturas. A gene- Há pouco falava das limita- Paula Cardoso Almeida ralidade dos edifícios hospitalares ções do sistema de saúde. são antigos e isso cria cons- Podia precisar? D. - Que retrato se pode fazer trangimentos e muitas dificul- As limitações do sistema de do sistema de saúde por- dades. Por exemplo, há sistemas saúde têm a ver com as próprias tuguês? de ventilação que não estão limitações do país. O problema J.M.S. - Não tenho dúvidas de adequados à prevenção de infec- da saúde é, a muitos níveis, a falta que o sistema de saúde é o melhor ções hospitalares e há pessoas de competência na gestão da serviço público nacional. Não é que trabalham na área sem terem saúde. perfeito. Tem muitas deficiências, recebido formação devida para mas muitas delas são reflexo das responder a situações de risco. Não considera que se tenha dificuldades de organização e conseguido contornar isto com económicas de Portugal. É certo O sistema de saúde deveria a criação dos hospitais empre- que podia funcionar melhor, mas beneficiar de um maior in- sa? as medidas essenciais não têm vestimento? Melhorou ficticiamente. Passou sido tomadas, designadamente O problema é que não há recur- a trabalhar-se para os números porque colidem com muitos sos para tanto. Pelo contrário, vai e não para os resultados. Apesar interesses estabelecidos. ser necessário lidar com a difi- de se dizer que houve um au- culdade de gerir os recursos mento da produtividade com os E será que os portugueses escassos que existem. É evidente Hospitais SA a verdade é que as estão satisfeitos com o seu que não há hipótese, num país que listas de espera nunca pararam sistema de saúde? não é rico, de corresponder aos de crescer. Os números fabri- É evidente que nenhum portu- anseios de toda a população. Vai cam-se. Aliás, há uma máxima guês está completamente sa- ser necessário gerir recursos e da estatística que diz que os tisfeito com o sistema de saúde. essa gestão condiciona a quan- números podem ser torturados E os profissionais menos satis- tidade e qualidade dos cuidados até confessarem. Melhorou-se feitos estão, quanto mais não seja que são prestados à população. alguns procedimentos com a pelo facto de, diariamente, terem Temos um bom exemplo disso em empresarialização dos hospitais, de fazer um grande esforço para Coimbra: o encerramento do mas penso que esta não é, em si, que consigam prestar cuidados Serviço de Atendimento Per- Luís Manuel Silva reconhece que os portugueses não estão satisfeitos a solução do problema. de saúde de melhor qualidade. Há manente (SAP) do Centro de com a saúde, mas acredita que é o melhor serviço público nacional uma série de condicionalismos Saúde de Norton de Matos. responsáveis porque julgam que feche e que uma que faz 1500 que fazem com que o trabalho dos é com demagogia que ganham não feche. Há uma série de “Há muito tempo que profissionais de saúde exija um esforço e uma atenção suple- eleições. Aliás, há extensões de condicionantes que têm de ser a saúde portuguesa “Não se justificava a centros de saúde que só conti- avaliadas, desde logo o número mentar. não é gerida. abertura do Serviço nuam abertas por razões polí- de obstetras por maternidade. Os ticas. Vivemos num país que não argumentos não têm sido uti- É acompanhada.” Quer exemplificar? de Atendimento é rico e, portanto, é inadmissível lizados da melhor maneira, até A questão das infecções hos- pitalares. A verdade é que os Permanente que haja uma extensão de saúde porque se os relatórios técnicos para meia dúzia de pessoas. Não fossem cumpridos a esmagadora Qual é, então, a solução? hospitais portugueses não estão do Centro de Saúde se justifica e não é comportável maioria das maternidades deste A saúde é um sector comple- preparados para fazer face às infecções hospitalares, desde logo de Norton de Matos” para nenhum país do mundo. Tem país encerrava. tamente diferente do resto da porque a esmagadora maioria não de existir uma reorganização dos economia: se eu produzir um tem condições de isolamento para serviços de saúde em função da Acha que os relatórios técni- prego e passar a produzir dois um doente com uma infecção Concorda com o fecho do SAP? realidade actual do país. cos têm sido utilizados de uma estou a aumentar a produtividade, multiresistente. Em muitas uni- Sim. Não se justificava sequer a forma demagógica? mas se eu tinha um doente e dades hospitalares não há condi- sua abertura. É preciso não E acha que a população está Claro. Todos reconheçamos que passo a ter dois, aumento a ções para lavar as mãos e quando esquecer que Coimbra tem três preparada para esta reor- não pode haver uma maternidade despesa. As regras do mercado os profissionais de saúde o fazem urgências abertas por dia (isto se ganização? em cada esquina, mas os critérios não se podem aplicar à saúde, têm de, depois, limpar as mãos à considerarmos o Hospital Militar) Não. Esse é que é o nosso gran- técnicos têm de ser temperados que tem de ser gerida de outra mesma toalha porque não há e que a cidade não tem dimensão de problema. com os critérios geográficos. forma. É fundamental manter-se verba para comprar papel. Es- para ter estes serviços abertos 24 Temos de proteger a interio- um Serviço Nacional de Saúde tando o país doente, é natural que horas por dia. É um desperdício Estende esta linha de pensa- ridade. Choca-me, como portu- (SNS) forte e gerido pelo Estado, o sistema de saúde sofra também de recursos humanos e econó- mento à questão do fecho das guês, que feche a maternidade de isto porque, por um lado, regula os efeitos do condicionalismo micos. O SAP era a quarta ur- maternidades? Elvas. Por outro lado, é evidente o mercado dos privados, e, por económico, estrutural e político gência aberta. A questão do fecho das mater- que há serviços que devem outro lado, estimula o sistema que Portugal atravessa. nidades é muito complexa. De encerrar. O fecho de mater- público a funcionar melhor. Há qualquer forma, eu não me revejo nidades deve ser discutido caso muito tempo que a saúde portu- Como é que se pode resolver Este desbaratar de recursos nos tais 1500 partos. Não faz a caso, não se podendo aplicar guesa não é gerida. É acompa- este problema de falta de tem responsáveis? sentido que uma maternidade os critérios técnicos de uma Os políticos são os primeiros que faça 1499 partos por anos forma cega. 8 condições dos hospitais?
  • 13. ENTREVISTA 13 O Despertar 12| MAIO |06 desempenho. Mas ainda falta Como médico e presidente do muita gente pensa, a Ordem percorrer um longo caminho, Conselho Regional do Centro age em conformidade com o até porque há muitas unidades da Ordem dos Médicos, com sistema judicial. No entanto, é hospitalares em que os critérios que olhos vê estes casos de preciso dizer que há formas de políticos estão a prejudicar o negligência recentemente noti- penalizar que são incompre- bom funcionamento das ins- ciados? ensíveis. Por exemplo, penalizar tituições. Há dois conceitos que convém um erro com uma suspensão. A separar: o erro e a negligência. suspensão nunca é solução. É E qual é o caminho que ainda Há coisas que acontecem e que uma daquelas formas de pe- está por percorrer? um médico, por melhor que seja, nalizar que é, em si, penalizante, Precisamos de pôr no terreno não pode prever. A isso, a Ordem designadamente para o doente. e levar até às últimas conse- dos Médicos chama erro. A ne- Actualmente, a grande preo- quências uma reforma da com- gligência implica uma menor cupação da Ordem dos Mé- petência e da responsabilização, atenção e/ou cuidado do clínico dicos é a formação dos jovens sob pena de Portugal não ter em relação ao doente. Nós clínicos de modo a que a pos- solução. Isso é fundamental. penalizamos esta última situa- sibilidade de erro seja reduzi- Tudo o resto é acessório. ção. Aliás, ao contrário do que da. O presidente do Conselho Regional do Centro da OM considera que a prevenção primária tem de ser a grande aposta do Governo 8 prevenção não dá votos, até porque os ganhos na saúde nhada. É impossível gerir um reflectem a 10 ou 20 anos. hospital com base em ciclos Temos as maiores taxas de políticos. acidentes cardio-vasculares da Europa e, no entanto, continua a Está-se a referir a quê em não se ter uma política de pre- concreto? venção efectiva. E isso é abso- À falta de continuidade das lutamente necessário. políticas de gestão e à nomeação dos responsáveis das instituições Na área da saúde, qual é a de saúde. Não é possível gerir medida mais positiva do actual bem um hospital quando o Con- Governo e Ministro? selho de Administração é nomea- A reforma dos cuidados de saúde do com base em critérios polí- familiares. Eu tenho expectativas ticos. Isto é, no fundo, uma forma positivas, mas também algumas de corrupção, até porque não são dúvidas sobre esta medida que utilizados critérios de compe- está actualmente a ser imple- tência e de qualidade para pre- mentada. Considero que é uma miar os profissionais de saúde. reforma de grande risco que tem, Mesmo quando até são nomea- no entanto, um grande mérito: das pessoas competentes, elas está a mexer com o sistema, a acabam por não sentir a força pôr as pessoas a pensar e a falar suficiente para implementar as sobre os centros de saúde. E isso políticas necessárias a uma boa é, só por si, positivo. gestão. O grande problema da saúde em Portugal, como de todo o país, são os ciclos políticos. “Independentemente do espectro político Refere muito a palavra gestão. Mas estamos a falar de que do país, é muito tipo de gestão? importante que exista De uma gestão virada para os ganhos na saúde e não para o responsabilidade e economicismo. Querer pôr uma boa gestão” instituição de saúde a dar lucro é extremamente falacioso, até O que falta fazer? porque, por definição, uma uni- Procurar uma maior respon- dade hospitalar só dá prejuízo em sabilização de todos aqueles que termos económicos. Ela só é gerem as instituições de saúde. rentável se alguém pagar. Independentemente do espectro político do país, é muito im- Qual é o passo mais impor- portante que exista respon- tante que falta dar para que a sabilidade e boa gestão. Caso saúde do País melhore? contrário, não há nada que Apostar na prevenção primária. funcione. Neste momento, ga- Por exemplo, tratar um enfarte nhou-se uma maior conscien- do miocárdio fica caro, prevenir cialização de que as pessoas – um enfarte do miocárdio fica embora nomeadas por critérios barato. Mais uma vez a culpa é políticos – têm de ser res- dos ciclos políticos. Apostar na ponsáveis pelo resultado do seu
  • 14. 12| MAIO |06 O Despertar 14 BLOGOS FERAS Direita problemática Contraste entre touros Um tiro... O problema da direita portuguesa de hoje é bem de fundo. A direita sofre de uma falha estruturante de ideias e está nas mãos Um contraste entre touros. Em 28 de Abril também nasceram Salazar e Saddam Hussein. Neste mesmo dia nasceu Pedro na água de figuras de segundo plano. As outras figuras movem-se em Pauleta e … nasci eu. Hoje de manhã, na TSF, redor de Cavaco. Eduardo Graça, in http://absorto.blogspot.com/ Maria João Avillez zurzia a E a chegada de Cavaco Silva ao poder de Belém veio reduzir ministra da Cultura, assim a ainda mais o espaço de manobra da direita institucional, dar para o insulto, porque a completamente vazia de ideias. Ou há ideias novas e bem dita senhora se preparava fundamentadas, ou o povo de direita que votou e ouviu Cavaco não dá guarida aos dirigentes do nível de Marques Mendes. A evolução das espécies para demitir Benard da Costa da direcção da Cinemateca Frases retiradas de um 24 Horas da semana passada: Com a agravante. Há uma “Desnecessidade” desta direita Portuguesa. Gostei de ouvir. Filipe Soares Franco para a governação deste país. Não é um problema de sobranceria. Fico sempre muito sensi- É uma questão bem mais profunda. A direita esvaziou-se, nada - “Os meus três filhos são do Benfica!” bilizado quando alguém dá acrescenta nas circunstâncias actuais. Para se avançar na assim o peito em público por solução dos graves problemas do país, o diálogo passa por Cavaco Sérgio Abrantes Mendes um amigo. em quem aliás a direita aliás delegou a sua representatividade e - “Até os meus cães são do Sporting...” Já esta noite, foi anun- um pouco pela esquerda, em certos domínios. ciado que a ministra vai Rui Baptista, em http://amor-e-ocio.blogspot.com/ convidar Benard para con- in http://www.puxapalavra.blogspot.com/ tinuar na Cinemateca. É claro que, na próxima semana, Maria João Avilez vai pedir desculpa aos ou- Dobragens vintes. Afinal de contas, pode ela dizer, nem sequer está só, e dobrada nesta moda recente de co- mentar taxativamente não- Até ter ido viver uns tempos para Itália -acontecimentos. nunca tinha pensado muito nas do- João Morgado Fernandes, bragens. Em Portugal, preocupava-me em http://frenchkissin.blogspot.com/ às vezes a dobrada, de que também não gosto muito. Era isso, não gostava 25 de Abril na Madeira muito, mas também não pensava muito nisso. Com esta coisa das comemorações do 25 de Abril estou Em Itália tudo é dobrado. Isto tem absolutamente persuadido que se passou exactamente o mesmo. várias consequências. Muita gente Sinceramente não acredito que nem o Alberto João Jardim nunca ouviu a voz de, por exemplo, possa ser tão estúpido e imbecil que despreze o 25 de Abril e o Brando ou Pacino. Ou Kathleen Fotomontagem da Confraria das Bifanas, considere assim tão prejudicial, principalmente para as autonomias em http://paulodamaso.blogspot.com/ Turner. Isto é estranho, dado que não insulares e para as cliques partidárias que à sua sombra se me passa pela cabeça separar a voz formaram. do actor da sua representação. E que até nem acenda todos os dias uma velinha a Nossa em http://-truelies-.blogspot.com/ Senhora para que esta, entre as bananas da Madeira e os subsídios do Continente, lhe mantenha as coisas tal e qual como estão. Vamos descascar a Laranja Simplesmente o brilhante guru, talvez depois de um desfile carnavalesco mais animado, deve ter dado consigo mesmo a Este blog destina-se a descascar as laranjas, expremer [sic] o seu pensar como poderia uma vez mais exibir-se e dar nas vistas, suco e separar as estragadas das sãs. Não podemos permitir que “épater le bourgeois” continental, talvez chatear um pouco o Sr. algumas laranjas continuem a apodrecer as suas companheiras Silva e, como é bom de ver, fazer soltar umas boas gargalhadas à de cesto. A política faz-se com ética e não com truques. malta depois de mais uma bela jantarada. Luís Grave Rodrigues, Um Abraço e bons coments... em http://rprecision.blogspot.com/ Blog “JSD”, http://coimbralaranja.blogspot.com/ Terras da Beira vinho, a rudeza e os maus-tratos. Os tempos mudaram e os campos, Ponte Europa obrigação de aceitar os filhos que Deus mandar a quem já não é capaz de os abandonados, são pasto de chamas que gerar, é persistir em rotinas que a São cada vez mais os mortos que lhes devoram os arbustos, no estio, e os desatenção e a demência cultivam. povoam os cemitérios e menos os vivos entregam à erosão. Há dias fui à Beira onde nasci. São que ficam. Os jovens saíram pelas Os funerais são o momento de fazer poucas as pessoas que permanecem. estradas que invadiram o seu habitat. o recenseamento dos que resistem. Nas O País inclina-se perigosamente para o Fugiram das courelas que irmãos missas, os padres em via de extinção mar com o interior despovoado, a disputavam à sacholada e à facada, dos debitam com ar sofrido a homilia, com caminhar para o deserto. Outrora, aquela regatos que secaram a caminho das pressa de passar à paróquia seguinte e zona foi um alfobre de gente, hoje é um hortas, da humidade que penetrava as sem coragem para falar do Inferno. Ora, cemitério de recordações em vias de casas e os ossos e da pobreza que os sem medo, sem ameaças e sem convicção extinção. consumia. não há fé que resista ao ar lúgubre de uma A nossa incúria vai reduzindo Por- Não há estímulo para permanecer. igreja, ao frio do lajedo e às imagens que tugal a uma estreita faixa com mar à Não se percebe que as penedias ti- substituíram as antigas que rumaram aos vista. Até o Presidente da República diz vessem custado vidas na disputa da antiquários. que devemos virar-nos para o mar. É uma fronteira, que homens se tivessem Falar de castidade a quem a idade Carlos Esperança forma de nos afogarmos de frente. agarrado aos sítios e enchido de filhos condenou, dos malefícios do aborto a quem http://ponteeuropa.blogspot.com/ Foi esta regionalização que o PSD e o as mulheres que lhes suportavam o passou há décadas a menopausa e na CDS quiseram.
  • 15. O COMÉRCIO DE COIMBRA 15 O Despertar 12| MAIO |06 Depois de receber o prémio de melhor do mundo para o espaço que assinalou, Dolce Vita sagra-se melhor da Europa recentemente, o seu primeiro aniversário. João Leal Barreto considera que os galardões são uma “con- sagração técnica” do empre- Recebeu, em Março, o endimento, que ambiciona cons- prémio de melhor centro tituir-se como uma verdadeira comercial do mundo pelo alternativa de animação, lazer, MIPIM Awards. Agora, serviços e compras. O “Dolce atribuíram ao Dolce Vita Vita Coimbra transformou-se Coimbra a distinção de num projecto modelo”, sublinha melhor projecto comercial da o representante da Amorim Europa, no International Imobiliária para a zona Centro, Council of Shopping Centers acrescentando que em Varsóvia (ICSC), que decorreu em querem realizar um empreen- Conpenhaga, no âmbito da dimento similar. Conferência Anual do ICSC Representando um investi- European Shopping Centre mento de 100 milhões de euros, Awards 2006. o espaço prestigia a região, a promotora, mas, sobretudo, a Promovido pela Amorim cidade, tendo recebido, desde a Imobiliária, o centro comercial é sua abertura, perto de dez milhões o primeiro projecto a ganhar, no de visitantes. São, ao todo, 117 mesmo ano, dois prémios tão lojas, distribuídas por cinco pisos importantes. Com uma área comerciais. Decorrido um ano bruta locável de mais de 39 mil desde a sua inauguração, o metros quadrados, o Dolce Vita projecto da ECE; e o Príncipe Rio, tuído por alguns dos represen- os acessos, os serviços, a inte- objectivo mantém-se inalterável: concorreu, para este segundo da Riofesa, localizado também tantes mais importantes da gração no espaço e o contributo “mostrar que somos a melhor galardão, na categoria de shop- em Espanha, disputaram o galar- indústria ligada aos centros co- para o desenvolvimento sócio- opção no mercado”. Recorde-se ping centers com áreas entre 21 dão com a grande superfície merciais. económico da região” justificam que o Dolce Vita faz parte de um mil e 40 mil metros quadrados. portuguesa. A avaliar a qualidade A “qualidade do projecto, a a atribuição do prémio do ICSC multiprojecto que inclui áreas de O Espacio Léon, em Es- destes espaços esteve um júri excelência da arquitectura, a ao Dolce Vita Coimbra. Uma lazer, comércio, cultura, desporto panha; o alemão Phoenix Center, essencialmente técnico, consti- originalidade, as infra-estruturas, excelente prenda de aniversário e espaços verdes.
  • 16. 12| MAIO |06 O Despertar 16 CORRESPONDÊNCIA em voga, pensa e executa, na linha as vendedeiras, a ria de Aveiro, os ARTES & ARTISTAS dos grandes impressionistas ibéri- “Moliceiros”, os “velhos Rabelos”, cos, e não só, pois trilha o seu os transeuntes, o homem como Ana Sequeira num festim para os olhos caminho sem imitações dos mestres onde fica somente o seu “estudo”, destino inconfundível em qualquer parte nas suas fainas, no ócio, no a “natureza”, a “figura”, a “paisa- trabalho e no abandono, numa linha Esta pintora licenciada pela Uni- de leituras díspares; teoriza como gem”, a verdade do seu processo evolutiva da arte, sempre nova, a versidade de Coimbra expõe na poucos as ideias, emoções, e o de versificação… partir das teorias de Holderlin que é cidade do Porto cerca de 40 quadro nasce em profundidade, substratum para o modo de estar quadros numa pintura por várias entre a sensibilidade e a inteligência, desta artista que, de vez em vez, se vezes premiada em França e numa melodia articulada, como lembra que nasceu neste país e que distingue-se no seu credo impres- fosse um filólogo ou cultor duma passou por Coimbra, que a viu numa sionista-expressionista ou numa linguagem remoçada. aguda vivência a par com o mestre ciência da natureza transfigurada Manuel Bontempo Pincelada solta. Ali lembra Hébil, e depois mostrou anos mais partindo sempre da forma e do Edmundo Cruz e mais além João tarde o suporte orgânico da vida conteúdo, com rara mestria como dar vida, transformar e Ana Se- Mário, ou Mário Salvador e ainda humana com os ingredientes absor- concebe o quadro, olhando para a queira, engenheira, recria através as bailarinas de José Viana e vidas por outras culturas, outras tela branca, começando a pintar, destes anos, modifica, numa per- mesmo Monet e Degas, estão vivências, a relembrar a exposição num acto inteiramente intuitivo, mas feita razão discursiva bem patente presentes por analogia, mas o que primeira que fez em Coimbra na já seguro que se ajusta ao ambiente, à na sua pintura, em toda a sua obra, fascina é o Porto no seu encanto distante década de 70. luz da cidade invicta, às sombras das nos desenhos para ilustrações, no pleno sem os medíocres “ismos”, Ana Sequeira Quando esta ligeira crónica ruas, do misticismo da Ribeira, das desenvolvimento das ideias, na mas cheio de símbolos e de me- Esta pintora aparece nas suas sair no Despertar já a distinta janelas com roupa a secar, tudo, harmonia da forma e num saboroso táforas, a cidade com a sua única exposições sempre diferente. O artista estará em França sempre a mas tudo, com outra cidade em exotismo temático. atmosfera, quase londrina, quadros estilo está presente. Mas não se aderir aos racionalismos da arte e perspectivas definidas, onde, as Vive há anos em França onde que nos fazem respirar pelo cro- repete como meio. Aparece modi- cultura francesas, onde é parte figuras, os movimentos, a paisagem exerce a “sua actividade multi- matismo ajustado à hora, ao sol, ao ficada. É insatisfeita por idios- integrante sem os corcomidos urbana sui generis fazem parte das vária” e regressa esporadica- nevoeiro, à chuva, ao festim da sincracia. É comovida pelo que vê. empirismos anti-intelectualistas. leis desta pintora. mente, a Portugal para mostrar o natureza inteira duma terra graciosa, Sente. Tem com o mundo uma Rever “figuras prestigio- Esteta acima de tudo. Elabora que lhe vai na alma com quadros mais bela, a bem dizer, pelos artistas sociabilissima convivência. E só sas” ou falar nas “memórias dos o quadro com sentimento, como cosmopolitas e com o “húmus da que a auscultam, que a miram sem assim pinta como pinta! que partiram”, é, também dever coisa amada e permanece o seu terra portuguesa” e combina com pecado, como um canto gregoriano. Olhos e ouvidos despertos da crítica. O senão que encontrei “quid”, a sua forma, se quisermos o pincel e a espátula uma dança de Ana Sequeira artista contro- para o canto das gentes e dos meios foi a pecha da filosofia da razão uma espécie de sucedâneo da estesia que se entrechoca com versa, intelectual pura sem os físicos que nos rodeiam. que em Ana Sequeira é uma lúcida filosofia de vida, pois criar é inventar, caminhos numa gramática larga e artifícios da cultura postiça, hoje tão Como as “cenas do Bolhão” loucura… Já anteriormente escrevi que a As ambiguidades da Violência! transparência melhor! venção social do Estado tem que opinião pública podem parecer Justiça em Portugal tem vindo a Face a tudo isto, questiono-me: funcionar, a fim de atenuar mais correctas, mas que na prática tem ser alvo de fortes criticas e -Será que estas mexidas e as desigualdades sociais, aliás dado indicações de conflitos e que recheada de vários episódios alterações têm alguma coisa a ver como Sr. Presidente da Republica podem estar por detrás deste carregados de controvérsia e com o Processo da Casa Pia? Cavaco Silva, salientou nas Come- aumento de violência na Escola. polémica que têm denegrido - Será que se está a “saldar” morações do 25 de Abril, evitando Assim, o grande aumento da substancialmente o poder judicial contas antigas? assim, a canalização de pessoas de carga horária dos alunos dentro da português. - Será que se anda a passar bem para caminhos menos corre- Escola, a obrigatoriedade de terem O caso mediático da Casa de Governo para Governo, o ctos. as aulas de substituição, a falta de Pia, com o envolvimento de arrastamento de “cabalas”? Bernardes Teixeira* Por sua vez nas Escolas, para tempos livres para brincarem, a pessoas públicas, com o arras- Sinceramente não sei, mas além da situação grave da Socie- constante adaptação a modelos de tamento de políticos e partidos, que pairam no ar muitas interro- dade que também se reflecte, pois personalidade e de autoridade dos com as constantes “habilidades” gações, lá isso pairam! tório”, mas isso é tema já antigo e maiores desigualdades maiores professores “volantes” com que e confrontos entre as “defesas” e Agora existem certezas que muito gasto, mas partindo do focos de conflito e confrontos, a meu têm de lidar, agravado ao facto de a “acusação”, com o “escândalo” não podem ser escamoteadas, a pressuposto que é verdade, então ver, as principais razões prendem- os professores substitutos, normal- de afirmações gratuitas de advo- Justiça está directamente relacio- o futuro será mais negro, pois a se com a gradual falta de autoridade mente, serem estranhos à turma gados, com a de morosidade de nada com violência, isto é, onde violência indicia que irá aumentar. que os docentes têm sido sujeitos, e de áreas disciplinares diferentes, todo este processo, assim como o existe fragilidades no poder judicial Pergunta-se: resultantes de reformas pouco tudo isto parece à “vista desar- envolvimento da Procuradoria e da normalmente existe um maior - Porquê esta ambiguidade? conseguidas e por leis ambíguas, mada” pouco significante só que, Policia Judiciária, em nada digni- número de crimes e a violência Ou seja, menos crimes maior que penaliza quem ensina e quem na prática são permanentes facto- ficaram a Justiça. aumenta. gravidade! E porquê mais crimes quer aprender em detrimento de res que aguçam a irritabilidade de Paralelamente, a crise instau- Embora o número de crimes e maior gravidade nas Escolas? quem tem insucessos. alunos e professores, criando um rada no seio dos agentes judiciais, tenha baixado em Portugal, de Pessoalmente penso que o Depois, intencionalmente, clima propício para uma maior com a enorme contestação às facto as estatísticas indicam que aparecimento de mais crimes de encetou-se uma campanha publi- violência. reformas do Sistema Judicial, com houve um aumento da gravidade grave delito se deve a várias citária para denegrirem os Pro- Face a isto, dever-se-á pen- uma unidade contestatária nunca dos delitos. No entanto, também variantes da actual Sociedade, fessores e, paralelamente, os sar numa forma mais correcta e vista quer dos juízes, advogados foram conhecidos resultados independentemente do estado funcionários públicos, os eternos conciliadora que leva a resolver a até aos restantes agentes, trou- estatísticos relevantes à violência lastimoso e conflituoso da Justiça, responsáveis pelo agravamento curto prazo esta problemática, xeram para a praça pública fragi- escolar, registando-se um aumento de facto o que está por detrás das contas públicas, desmotivando aliás tenho conhecimento que lidades e lacuna do Sistema. das participações de agressões a disto tudo é a crise económica, uma classe que não vê reconhe- algumas Escolas já abandonaram Por fim e mais recente, a professores e funcionários dentro financeira e social do nosso País, cidas as suas funções sociais, pois modelos iniciais para fazerem problemática da Policia Judiciária das Escolas, com a agravante de que se vai agravando dia a dia e vive os seus problemas de inse- ajustamentos. com demissões, acusações e terem aumentado também a gravi- que leva ao aumento significativo gurança laboral, vive os problemas Se é verdade que de “pe- entrevistas denunciantes, tudo dade dos delitos. do desemprego, que é o maior dos alunos, sendo pai/mãe, edu- quenino se torce o pepino” então valeu, até inviabilizar esclare- Se é verdade que a Sociedade flagelo nacional, coloca muitos cador, psicólogo, etc. e ainda se urge começarmos por baixo no cimentos na Assembleia da Repu- é o reflexo da Escola que temos, jovens e adultos em situações sente maltratada. combate à violência, isto é, na blica, sem querer saber das moti- como muitos evocam para justificar desesperantes, degradantes, moti- Depois para agravar tudo isto, Escola. vações do Governo ou da Opo- os males da Sociedade, pois é vadores de percursos marginais. as recentes alterações no funcio- *Mestre em Ciências do sição, acho que quanto mais vantajoso ter-se um “bode expia- É nestas alturas que a inter- namento das escolas, que para a Desporto de Alto Rendimento
  • 17. CARTÃO DE VISITA 17 O Despertar 12| MAIO |06 O Fim dos desterrados Memórias curtas O encerramento de escolas do centenas de alunos ao insu- 1º Ciclo, com reduzido número cesso, à discriminação, à exclu- CHRONOS de alunos, configura uma an- são. Nenhum lugar para mais tecipação, clara, às circuns- um professor vale o desper- Hesitei bastante antes de iniciar esta pequena crónica. Receio de tâncias de deixar correr para dício de um cidadão livre, redundância, receio de seguir pelo caminho mais fácil, pelo tema ver o que acontece, tão comum escolarizado e consciente. Por escolhido, receio de falta de oportunidade em virtude da efeméride quando se trata de provocar mais legítimos que sejam os já ter sido objecto de inúmeras crónicas nos mais variados órgãos rupturas. Começo por reco- interesses sindicais de lutar por de informação. nhecer o mérito do Governo mais emprego, estes não po- No entanto, o evoluir da situação política interna, o esforço pela coragem de assumir para dem ter como consequência a que se empreende e, sobretudo, uma falta de memória crónica da si as consequências do encer- exclusão do sucesso educativo esmagadora maioria dos nossos concidadãos e a fatalidade sempre ramento de escolas, e não de um único aluno. Nestes presente na nossa memória colectiva, levaram-me a abordar o tema deixar às autarquias o ónus termos, nobres que sejam os do 25 de Abril, o antes e o depois. político de assumirem o en- interesses invocados não os Em tempos de dificuldade, mas de liberdade, começa a ser cerramento, apesar de lhes entendo, não vejo justificação preocupante a quantidade de referências mais ou menos Victor Gonçalves para eles, não os aceito. Criar encapotadas destinadas a branquear o regime deposto em 25 de trazer custos acrescidos. O victorgoncalves@gmail.com Abril de 1974. Da mesma forma, é com tristeza que ouço os nossos processo nunca antes fun- condições físicas, pedagógicas cionou, porque os sucessivos e de socialização condignas e mais velhos dizerem que “dantes é que era bom e nada disto ministros nunca assumiram no mais curto prazo possível de acontecia”. esse ónus e tentaram sempre excelência para todos os alu- Façamos então um (muito) pequeno exercício de memória. que o encerramento de qual- nos do 1º Ciclo e da Educação Durante quase meio século (48 anos), até 25 de Abril de 1974, quer escola ocorresse com uma Pré – Escolar é uma missão não houve eleições livres e democráticas, não havia alternância de tomada de posição, pública e fundamental do Estado. Os poder; havia apenas um partido, não havendo liberdade para qualquer concordante, pela respectiva Para meu espanto, ou não, primeiros anos da educação partido de oposição; não havia liberdade de imprensa, vigorando a autarquia. Estas, obviamente, e provavelmente para espanto básica já foram, demasiado censura prévia e o famoso lápis azul; a guerra em África e na Ásia quase sempre o recusaram, por de muitos dos leitores, os tempo, deixados ao mais total (Angola, Moçambique, Guiné, Cabo Verde, S. Tomé e Príncipe, não terem qualquer interesse principais adversários destas abandono. Os que puderam Goa, Damão, Diu, Timor), em territórios ocupados e onde directo na situação, bem pelo medidas têm sido os Sindicatos contar com autarcas motivados permanecíamos à força, era um facto e uma obrigação para a contrário e, por acharem que, as dos Professores. Qual o sentido para as questões da educação, juventude deste País, e uma tragédia (100 mil deficientes e 10 mil razões do encerramento eram de dessa contestação? Nenhuma lá foram sobrevivendo um mortos, nas nossas forças armadas); o delito de opinião existia e natureza pedagógica e por essa razão pedagógica ou edu- pouco melhor, outros, muitos sempre que alguém se atrevia a expressar o seu desagrado, o via, a respectiva responsabi- cativa. As únicas razões são a milhares de outros, foram mais certo era ter a polícia política a bater-lhe à porta (a famosa lidade devia ser assumida por eliminação de uns lugares para esquecidos e abandonados a PIDE/DGS), arriscando-se à prisão, apenas por dizer “não”; os quem tinha a tutela pedagógica uns quantos professores. Quan- uma sala sem condições, a um universitários contestatários eram obrigados a interromper os seus das escolas. do para compor o ramo se quadro negro, a uns paus de estudos, ao alistamento forçado e à ida para a guerra ou a escolher invocam as questões da inte- giz e a uma professora ou um o exílio; o Poder Local, não existia. Do ponto de vista peda- rioridade e desertificação do professor que ia directo à Após 1974 foram várias as medidas tomadas, que hoje gógico é um imperativo de espaço rural, sou levado a escola e saía de lá a correr para consideramos obrigação social do Estado e que já não concebemos consciência encerrar as escolas classificar apenas de uma a sua residência, invariavel- que não existam: terminou a guerra colonial; instituiu-se o salário com reduzido número de alu- imensa “lata” colocar nos om- mente longe do local de tra- mínimo nacional, ou seja, estabeleceu-se que os trabalhadores não nos. De facto, há muito que se bros de duas ou três crianças a balho. Esta é a verdadeira poderiam ganhar abaixo de determinada quantia pois isso não seria sabe que os níveis de insucesso responsabilidade de manter realidade das escolas do 1º o suficiente para poderem viver em condições mínimas de dignidade dos alunos dessa espécie de essas aldeias em funciona- Ciclo com reduzido número de humana; foi criado o subsídio de desemprego; foi estabelecido o escolas é assustador, se não mento, por causa da escola. É alunos. Coíbo-me de falar dos direito a férias para todos os trabalhadores e que essas férias eram detectado no 1º Ciclo, por fácil falar, difícil é estar lá e professores que viveram esta pagas; foi criado o Serviço Nacional de Saúde, o acesso a cuidados razões que facilmente se per- fazer trabalho sério que evite a realidade. Seria melhor ouvi- de saúde para todos os cidadãos, em igualdade de circunstâncias, cebem, vem a ser confirmado desertificação do interior. Não -los e perceber as suas dificul- gratuito; a mortalidade infantil diminuiu drasticamente (é uma das no 2º Ciclo. Por outro lado, são as escolas de 1, 2 ou 3 dades a lidar com as situações mais baixas da Europa); a esperança de vida da população aumentou pasme-se, havia situações em alunos que podem interferir, descritas. Talvez, se fossem substancialmente; a lei do divórcio passou a abranger todas as que eram retidos alunos nessas sequer, nessa problemática. ouvidos esses professores, mulheres, casadas pelo civil ou pela igreja. “escolinhas” para garantir o seu Invocá-las é o caminho mais sozinhos numa escola, em O País real em 1974 era rural, atrasado, com enormes carências funcionamento no ano seguinte. fácil, mas não resulta. Basta localidades longe de tudo, ao nível do abastecimento de água, electricidade e saneamento Não apresento provas desta atentar nos milhares de escolas muitas vezes em início de básico. 32 Anos de Poder Local democrático resolveram estas afirmação mas, como eu, mui- que fecharam nos últimos 20 carreira, sem um único colega carências. A qualidade de vida dos cidadãos é incomparavelmente tos outros colegas sabem que anos, sem qualquer decisão para esclarecer uma dúvida, melhor. E isto deve ser dito, sempre, para evitar esquecimentos e isto é uma verdade várias vezes superior, apenas pelo simples debater uma estratégia ou branqueamentos. repetida e importada do Ensino facto de terem ficado sem simplesmente conversar, tal- Está tudo feito? Não está! A sociedade é dinâmica e novas Básico Mediatizado (EBM) que alunos. A estas que fecham vez, dizia, os responsáveis necessidades se vão criando continuamente. O País em que felizmente julgo que acabou, agora ia acontecer o mesmo, sindicais não tomassem as vivemos tem que ser construído todos os dias pelos seus cidadãos, muitos anos depois do mo- mais ano menos ano, e até lá posições públicas que têm por nós. Liberdade é, tem que ser, igual a responsabilidade, a mento certo para o seu fim. condenavam-se mais umas vindo a defender. empenhamento, a participação, a cidadania. O cidadão hoje tem o direito de ser interventivo, de reclamar mais e melhor. Pode e deve LUMELde Coimbra, Lda. pedir contas àqueles a quem delega poderes para o representar em DENTÉCNICA, LDA. cada ciclo político, nas Juntas de Freguesia, nas Câmaras Municipais, LABORATÓRIO E CONSULTÓRlO junto do Deputado eleito pelo seu círculo. Aos cidadãos, Lusa Mecânica DENTÁRIO PRÓTESE MÓVEL, individualmente ou em grupo, a Lei confere o direito de intervenção PRÓTESE FIXA E cívica. O Povo é soberano sempre, porque o Poder é dele emanado FERROS FORJADOS - ALUMÍNIOS ANODIZADOS ORTODÔNCIA e deve ser o reflexo da sua vontade. Acordos com a ADSE, EDP, e RDP Foi por isto que se fez Abril. É por isto que se deve continuar Sala de Exposições Escritórios e Oficinas R. Ferreira Borges, 7-2.º a construir Abril. R. João Cabreira, 20-22 Zona Industrial da Pedrulha Telef. 239 826 991 25 de Abril Sempre! COIMBRA 3000 COIMBRA
  • 18. 12| MAIO |06 O Despertar 18 O ACADÉMICO A Queima saiu à rua, numa tarde assim... A Queima saiu à rua, numa tarde assim, como sai todos os anos. O rio de sorrisos escancarados desaguou na Baixa, como em todos os anos. O rio que escava as margens lá de baixo recebeu algumas lágrimas de nostalgia. Ei-los que partem, ei-los que chegam, uns levam canudos embebidos de saudades, outros trazem sonhos que um dia tomarão os contornos das cartolas. Coimbra, por uns dias, é uma festa. Que a Melanie C não percebeu muito bem, que o Quim Barreiros percebe bem demais, se ele também foi finalista, por cá tirou, jurou-o, um curso de dactilografia e dele fez canção brejeira. Bebe-se bem, grita-se muito, os corações abrem-se a paixões que duram, quantas vezes, a eternidade de uma semana. A Queima saiu à rua, numa tarde assim, como sai todos os anos. Dinis Manuel Alves (texto e fotos) TRIBUNAL JUDICIAL DE SOURE Secção Única Rua João de Deus – 3130-250 Soure PROCESSO n.º 199/05.OTBSRE O encarregado da venda por negociação particular dos bens penhorados nos autos a margem em epígrafe abaixo discriminados vai levar a cabo o seu mandato com recurso a: LEILÃO “A Riqueza das Nações” Instituto Miguel Torga No próximo domingo dia 21 de Maio, pelas 10h30, no local sito em: Rua dos Carpinteiros n.º 4, Ribeira da Mata, Vila Nova de Anços, Soure, os seguintes bens: evoca Adam Smith Verba n.º 1: Prédio Urbano Prédio Urbano sito na Ribeira da Mata, Freguesia Vila Nova de Anços, Concelho de Soure, correspondentes a uma casa de habitação composta por r/c, de dependência que serve de adega e cozinha rústica, pátio, currais, telheiro e logradouro, com 343 m2, descrito na de uma investigação sobre a natureza descrito na Conservatória do registo Predial de Soure sob o n.º 02768 da freguesia de Vila Nova “A Riqueza das Nações e as causas da riqueza das nações. de Anços, inscrito na respectiva matriz predial urbana so o artigo 978. No momento em que o Instituto de Adam Smith – 230 anos Base de licitação: 10.000 euros Superior Miguel Torga anuncia a depois” pretende assinalar criação de um novo curso de Licen- (Magnífico para casa de campo) os dois séculos passados ciatura em Gestão e a nova Escola de Verba N.º 2: Prédio Rústico sobre a publicação Comércio e Negócios, os respon- Prédio Rústico sito na Ribeira da Mata, Freguesia Vila Nova de Anços, Concelho de Soure, de uma das obras chave sáveis desta instituição de ensino terra de semeadura com 930 m2, inscrito na Conservatória do Registo Predial de Soure sob o n.º do pensamento económico. consideram particularmente opor- 2766 da Freguesia de Vila Nova de Anços, inscrito na matriz cadastral sob o artigo 7920. tuno apresentar uma conferência A iniciativa é do Instituto sobre a obra de um autor que, 230 Base de licitação: 2.000 euros Superior Miguel Torga e realiza-se na anos depois, continua a inspirar (O referido prédio rústico é contíguo ao prédio urbano acima descrito na Verba n.º 1. próxima quarta-feira, pelas 14h30, nas muitos professores e alunos. Regulamento da venda na modalidade será lido em voz alta antes do início do leilão. suas instalações à Rua Augusta, em João Filipe Machado, René Coimbra. Tapia, Henrique Amaral Dias e Vasco Poderá visitar os bens imóveis no dia e hora a combinar, tendo que para tal se dirigir a Leiloeira, A “Riqueza das Nações” de Sousa Almeida foram convidados Luze – Sociedade Portuguesa de Leilões, Lda. Sita em Antanhol, na Ladeira da Paula Quinta do Adam Smith, obra dividida em cinco para falar sobre a vida, obra e teorias Moleirinho Armazém, n.º 1, ou contactando a mesma pelo telefone 239810643 ou telemóvel 968022319. livros e publicada em 1776, unani- de Adam Smith. As inscrições po- memente considerada como um mar- dem ser feita através dos telefones “O Despertar” N.º 8388, 06/05/12 co do pensamento económico, trata 239 824557, 239 488043 e 239 488044.
  • 19. O OBSERVADOR 19 O Despertar 12| MAIO |06 1 5 P E R G U N TA S A Diário de Fictícias Pedro Redol ENTREVISTA A UMA CADEIRA DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA “A minha meta é o Parlamento Europeu” Confortável, macia, conversadora e simpática; é assim a cadeira da Assembleia da República (CAR) que concedeu uma breve entrevista ao nosso jornal. Director do Museu Nacional Machado de Castro Melhores recordações A fórmula do sucesso: da infância: Não há uma fórmula porque A emoção da música. sucesso não é o mesmo para O final dos dias de Verão nos toda a gente areais da Vieira DF: Qual é a sua função e onde de bebé, passei pela escola primá- Desporto favorito: O que mais aprecia nos seres trabalha? André Pereira ria, concluí o Ensino Básico e o Natação humanos? CAR: Eu sou uma cadeira que Secundário. Essa altura da minha A capacidade de gostar de si Filme que gostaria de rever trabalha na Assembleia da Repú- vida foi muito complicada pois tinha próprios e, por conseguinte, 100 vezes: blica, no parlamento português. DF: Já teve algum acidente de duas opções: ou ia para cadeira do do mundo à sua volta 100 são demasiadas vezes Tenho por função proporcionar trabalho? Estádio Alvalade XXI, a convite de Uma data marcante (a nível bem-estar aos deputados durante CAR: Felizmente apenas um. um conhecido do meu pai, ou iria E o que mais detesta? Estava a descer as escadas do para a Universidade. Decidi-me pessoal): as suas reuniões. A hipocrisia Parlamento, escorreguei e parti pelo curso superior. Foi a melhor 13 de Fevereiro de 2005 Coimbra em três palavras: DF: Como é o seu dia-a-dia? uma perna. Como seria de esperar, escolha; se fosse para o Estádio Uma data marcante (país): CAR: De manhã sou acordada ao durante dois meses tornei-me do Sporting provavelmente teria Nostalgia, tradição, mito 25 de Abril de 1974 som do Hino Nacional. Logo de numa cadeira de rodas… que mudar de visual (mudar de cor) Portugal tem futuro? Uma data marcante (mundo): seguida, várias empregadas de e talvez ficasse atrás de um placard Claro que tem! 11 de Setembro de 2001 limpeza passam cerca de uma hora DF: Como são os seus colegas? que me impediria de ver os jogos… a arrumar a Assembleia. Da parte CAR: As outras cadeiras do Terminada a minha licenciatura, fui O melhor do mundo são: Um sonho por concretizar: da tarde, há reuniões com leis a Parlamento são cadeiras simpá- estagiar como cadeira de escritório Os jovens Viver no campo aprovar e questões a debater. Ao ticas e muitas vezes falamos sobre para o gabinete do Primeiro Onde está o mal deste mundo? Um pesadelo que o atormente: fim do dia, apagam-se as luzes e os assuntos em destaque nas Ministro da altura, e, devido ao meu Em nós próprios Nenhum dormimos. discussões parlamentares. Conhe- carácter, também à qualidade da cemo-nos há décadas. Os depu- minha pele, três anos depois fui DF: Qual é o seu horário la- tados é que variam, normalmente, proposta para cadeira do Parla- de 4 em 4 anos. Cada partido tem retronews boral? mento. E aqui estou, a minha pro- CAR: Eu tenho uma grande os seus lugares marcados, mas as fissão resume-se à Assembleia da flexibilidade nesse aspecto. Apesar pessoas raramente são as mesmas República. 1914 de haver uma escala com os horários estipulados, raramente é durante muito tempo. Até na forma de sentar são diferentes: uns DF: Que objectivos pretende Dr. Sidónio Pais cumprido. Nós, as cadeiras, não temos para onde ir nos períodos sentam-se mais à direita, outros mais à esquerda, e outros nem se alcançar? CAR: Bem, a minha principal mortos, somos obrigadas a ficar sentam de um lado nem do outro, meta como cadeira é a Europa, ou “Está nesta cidade naquela sala enorme. Os deputa- depende da maré… (risos) seja, ser cadeira do Parlamento o sr. dr. Sidonio Pais, dos quase nunca chegam a horas Europeu. Todos nós sabemos que ilustre professor da e, quando chegam, são raros os que DF: Gosta daquilo que faz? aqui em Portugal o campeonato Universidade de aquecem o lugar. Mas também há CAR: Gosto muito do meu traba- não é muito competitivo, só há duas Coimbra e ministro de aqueles que aproveitam para lho. Conheço, de antemão, os equipas grandes. Na Europa tudo Portugal em Berlim. descansar um bocadito os olhos. problemas do nosso País, e as so- é diferente, a visibilidade a que S. exa. ainda este mês Tenho colegas de trabalho que luções que cada grupo parlamentar estou sujeita é muito maior. embarcará para a sofrem muito com as diferenças apresenta para os resolver. Por Alemanha, afim de de temperatura. Estando sempre outro lado, divirto-me muito com DF: Tem alguma cadeira que tomar conta do seu descobertas, basta uma corrente algumas propostas apresentadas. admire? posto diplomatico”. de ar para ficarem logo cons- Há dias em que até me chega a CAR: Sim, admiro muito a minha tipadas. No que diz respeito a férias, doer a almofada de tanto rir. falecida avó, que arriscou imenso posso dizer que temos alguma em prol da democracia. Foi a In “Gazeta de Coimbra”, 11 facilidade, pois são raras as vezes DF: Que caminho percorreu última cadeira em que Salazar se de Julho de 1914 em que a Assembleia se encontra antes de chegar aqui? sentou, lembra-se, não se lembra? cheia. CAR: O tradicional. Fui cadeirinha Uma heroína, a senhora...
  • 20. 12| MAIO |06 O Despertar 20 O RECLAME 8.ª VARA CÍVEL DE LISBOA NOTARIADO PORTUGUÊS 8.ª Vara – 1.ª Secção CARTÓRIO EM MONTEMOR-0-VELHODE ISILDA MARIA BARBAS Endereço: Barreiras do Tejo – S. JUSTIFICAÇÃO Processo: 692/1998 Execução Ordinária ANÚNCIO João, Abrantes, 2200-000 Abrantes. TIPO DE BEM: Imóvel Certifico para fins de publicação que, por escritura de vinte e um de Abril descrito no Registo Predial. Que ela, justificante, possui em N/Referência: 10021086 1.ª PUBLICAÇÃO REGISTO: 01045, Mação – Conser- de dois mil e seis, lavrada a folhas treze nome próprio o referido imóvel desde mil Data: 03-05-2006 vatória do Registo Predial e seguintes, do livro de notas para escri- novecentos e oitenta e quatro, por Exequente: Banco Totta & com José Ferreira da Mata, Sul e Poente ART. MATRICIAL: 213.º Secção turas diversas número vinte e quatro-A, doação, ainda no estado de solteira e Açores, S.A com Blandina Pires Paisana e Nascente AD, Mação – Serviço de Finanças do Cartório em Montemor-o-Velho, da menor, de seus avós, José Cavaleiro de Executado: TEIXEIRA & LIMAS com vertente, com o valor patrimonial de DESCRIÇÃO: ½ de prédio rústico notária Licenciada Isilda Maria Gon- Jesus e mulher Ester Bernardes Cava- Ld.ª e outros… Esc. 24.623$00. composto de 3 parcelas de terra çalves Duarte da Silva Barbas, IRENE leiro, residentes que foram no lugar de PENHORADO A: eucaliptal e pinhal, sito em Texugueira, SIMÕES DE JESUS e marido JAIME DA Porto Mieiro, freguesia de Seixo, deste Correm éditos de 20 dias para EXECUTADO: António Manuel dos freguesia de Mação, com a área de SILVA FERREIRA, casados sob o regime concelho, cujo título não dispõem. citação dos credores desconhecidos Santos Aleixo. Documentos de identifi- 7.250 m2, a confrontar a Norte com de comunhão de adquiridos, naturais, Que desde aquele ano ela entrou que gozem de garantia real sobre os cação: NIF- 116.784.539. Vertente, Sul com Luís Marques dos ela da freguesia do Seixo e ele da fre- na posse do prédio, agindo sempre por bens penhorados aos executados Endereço: Barreiras do Tejo – S. Santos, Nascente com Mateus Serra e guesia de Arazede, ambas deste conce- forma correspondente ao exercício do abaixo indicados, para reclamarem o João, Abrantes, 2200-000 Abrantes Poente com Hermenegildo de Matos, com lho, residentes no lugar de Porto Mieiro, direito de propriedade plena, aprovei- pagamento dos respectivos créditos TIPO DE BEM: Imóvel o valor patrimonial de Esc. 18.850$00. dita freguesia do Seixo, contribuintes .tando todas as suas utilidades, usu- pelo produto de tais bens, no prazo de REGISTO: 01040, Mação – Conser- PENHORADO A: fiscais 191.414.093 e 186.215.363, fruindo-o, habitando-o, fazendo melhora- 15 dias, findo o dos éditos, que se vatória do Registo Predial EXECUTADO: António Manuel dos declararam: mentos e reparações e suportando os começará a contar da segunda e última ART. MATRICIAL: 46.ª Secção AD, Santos Aleixo. Documentos de identifi- Que a mulher é dona e legitima respectivos encargos, posse esta que publicação do presente anúncio. Mação – Serviço de Finanças cação: NIF – 116.784.539. possuidora, com exclusão de outrém, exerceu até hoje, de modo continuo, pacifica DESCRIÇÃO: ½ de prédio rústico Endereço: Barreiras do Tejo – S. do prédio urbano composto de casa de e publicamente e de boa fé, pelo que se Bens penhorados: composto de terra de pinhal, sito em Vale João, Abrantes, 2200-000 Abrantes. habitação de rés-do-chão, pátio, telheiro afirma proprietária do imóvel, justificando a TIPO DE BEM: Imóvel da Igreja, freguesia de Mação, com a TIPO DE BEM: Imóvel e curral de gado, sito em Porto Mieiro, sua aquisição, por usucapião. REGISTO: 1044, Mação – Conser- área de 5.160 m2, a confrontar a Norte REGISTO: 01046, Mação – Conser- freguesia do Seixo, concelho de Mon- É certidão de narrativa e está con- vatória do Registo Predial com Luís dos Santos Filipe, Sul e Poente vatória do Registo Predial temor-o-Velho, com a área de cento e forme o original. ART. MATRICIAL: 134 – Secção A com João Lopes Carda e Nascente com ART. MATRICIAL: 129.º Secção vinte e quatro metros quadrados, a B, Mação – Serviço de Finanças vertente, com o valor patrimonial de Esc: AR, Mação – Serviço de Finanças confrontar do norte com Bernardino Montemor-o-Velho, vinte e um de DESCRIÇÃO: ½ de prédio rústico 17.279$00. DESCRIÇÃO: ½ de prédio rústico Francisco Ângelo, sul e poente com José Abril de dois mil e seis. composto de terra de pinhal, sito em Vale PENHORADO A: composto de terra de pinhal, sito em Cavaleiro de Jesus e nascente com do Asno, freguesia de Mação, com a EXECUTADO: António Manuel dos Milharada, freguesia de Mação, com a serventia de inquilinos, inscrito na matriz A colaboradora com poderes delegados, área de 14.240 m2, a confrontar a Norte Santos Aleixo. Documentos de identifi- área de 9.200 m2, a confrontar a Norte sob o artigo 702, com o valor patrimonial (Maria Euiália Manaia Rodrigues) com Manuel dos Santos Godinho, Sul e cação: NIF – 116.784.539. com Vertente, Sul com João Lopes Carda tributário e atribuído de mil trezentos e Poente com Manuel de Matos Machado Endereço: Barreiras do Tejo – S. e Nascente com Francisco Mendes vinte e cinco euros e vinte cêntimos, não “O Despertar” n.º 8388, de 06/05/12 e Nascente com Afonso Marques João, Abrantes, 2200-000 Abrantes Esteves e poente com Maximina Mar- Gaspar, com o valor patrimonial de Esc: TIPO DE BEM: Imóvel ques, com o valor patrimonial de Esc: 32.500$00. REGISTO: 01042, Mação – Conser- 21.053$00. PENHORADO A: EXECUTADO: António Manuel dos vatória do Registo Predial ART. MATRICIAL: 51.º secção AD, PENHORADO A: EXECUTADO: António Manuel dos CARTÓRIO NOTARIAL Santos Aleixo. Documentos de identi- Mação – Serviço de Finanças Santos Aleixo. Documentos de identifi- LIC.MARIA ALEXANDRA CANOTILHO TEIXEIRA RIBEIRO ficação: NIF – 116.784.539. DESCRIÇÃO: ½ de prédio rústico cação: NIF – 116.784.539. Endereço: Barreiras do Tejo – S. composto de terra de pinhal, sito em Vale Endereço: Barreiras do Tejo – S. JUSTIFICAÇÃO João, Abrantes, 2200-00 Abrantes da Igreja, freguesia de Mação, com a João, Abrantes, 2200-000 Abrantes TIPO DE BEM: Imóvel área de 6.960 m2, a confrontar a Norte CERTIFICO, para efeitos de publi- mos e atribuído de trezentos eu- REGISTO: 01043, Mação – Conser- com José Ferreira da Mata, Sul e Poente O Juiz de Direito, cação que por escritura de hoje, exa- ros. vatória do Registo Predial com Blandina Pires Paisana e Nascente José Carlos Pereira Duarte rada a folhas trinta e seis e seguintes Que o referido imóvel encontra- ART. MATRICIAL: 45.º Secção AD, com caminho, com o valor patrimonial de do livro de notas para escrituras diver- se inscrito na respectiva matriz em Mação – Serviço de Finanças Esc. 15.933$00. O Oficial de Justiça, sas número dezanove-E, deste Cartório, nome de António Carvalho. Que possui DESCRIÇÃO: ½ de prédio rústico PENHORADO A: Maria de Lurdes da Rocha Pires compareceram como outorgantes: o dito imóvel, na referida proporção, sem composto de terra de pinhal, sito em Vale EXECUTADO: António Manuel dos Rodrigues VASCO DE CARVALHO TORRES qualquer interrupção, à vista de toda a da Igreja, freguesia de Mação, com a Santos Aleixo. Documentos de identifi- SIMÕES (NF:126.063.990), divorciado, gente, sem qualquer oposição, limpando área de 7.360 m2, a confrontar a Norte cação: NIF: 116.784.539. “O Despertar” N.º 8388, 06/05/12 residente no Bairro de Santa Apolónia, o mato, pagando as contribuições e lote 208, 1.º esq.º, freguesia de Eiras, impostos respeitantes, posse que assim concelho de Coimbra. exerceu como verdadeiro proprietário que Que é dono e legítimo possuidor, sempre se julgou, era e é do dito imóvel, com exclusão de outrém, do seguinte pelo que o adquiriu, na referida CARTÓRIO NOTARIAL imóvel sito em Bico da Areia, freguesia proporção, por usucapião, fundada de Torres do Mondego, concelho nessa posse, que exerceu em seu LIC.MARIA ALEXANDRA CANOTILHO TEIXEIRA RIBEIRO de Coimbra, omisso na competente próprio nome, de boa fé, de modo pacífico, Conservatória: contínua e publicamente, por período JUSTIFICAÇÃO Metade indivisa de um prédio superior a vinte anos, estando ele rústico, composto de pinhal e mato, justificante impos-sibilitado de comprovar CERTIFICO, para efeitos de publi- mil e novecentos metros quadrados, a Viegas, concelho de Coimbra. no seu todo com a área de dois mil e pelos meios extrajudiciais normais a cação que por escritura de hoje, exarada confrontar do norte e sul com Quinta da Que possui os ditos imóveis, nas cem metros quadrados, a confrontar aquisição do seu direito sobre aquele a folhas cinquenta e seguintes do livro Conraria, nascente com vala e poente com ditas proporções, sem qualquer interru- do norte com Borges e Irmão, nascente imóvel, atento o título de aquisição. de notas para escrituras diversas número estrada, inscrito na respectiva matriz sob pção, à vista de toda a gente, sem com Hermínio de Almeida, do sul com Penacova , 29 de Abril de dois mil dezanove-E, deste Cartório, compare- o artigo 1.395, com o valor patrimonial, qualquer oposição, cultivando-os, prepa- Joaquim Carvalho e poente com José e seis. ceram como outorgantes: tributário de trinta e seis euros e oitenta e rando e lavrando a terra, retirando dela Maria Carvalho, inscrito na respectiva A Colaboradora, MARIA ALBERTINA LAPA SI- sete cêntimos e atribuído, corres- os seus frutos e produtos, cortando matriz sob o artigo 2.584, com o valor (Maria Isabel Bento Batista e Pina) MÕES MOREIRA (NF:135.934.915; pondente à fracção, de DUZENTOS pinheiros, limpando o mato, pagando as patri-monial, tributário, correspondente BI.4041997 de 11/05/04 - SIC de Coimbra), EUROS. contribuições e impostos respeitantes, à fracção, de nove euros e três cênti- “O Despertar” n.º 8388, de 06/05/12 viúva, natural da freguesia de Castelo Que o referido imóvel encontra-se posse que assim exerceu como verda- Viegas, concelho de Coimbra, residente inscrito na matriz em nome de Maria José deira proprietária que sempre se julgou, na Rua José Costa Coelho, r/c- C, da Assunção. era e é dos ditos imóveis, pelo que os Buarcos, Figueira da Foz. TRÊS - Metade indivisa de um adquiriu, nas referidas proporções, CARTÓRIO NOTARIAL Que é dona e legítima possuidora, prédio rústico, composto terra de por usucapião, fundada nessa posse, com exclusão de outrém, dos seguintes cultura, sito em Campo, no seu todo com que exerceu em seu próprio nome, de boa LIC.MARIA ALEXANDRA CANOTILHO TEIXEIRA RIBEIRO imóveis sitos no concelho de Coimbra, a área de mil quatrocentos e oitenta fé, de modo pacífico, contínua e publica- ainda por descrever na competente metros quadrados, a confrontar do norte mente, por período superior a vinte anos, JUSTIFICAÇÃO Conservatória, aos quais atribui o valor com António Estêvão, nascente e poente estando ela justificante, impossibilitada de CERTIFICO, para efeitos de publica- atribuído de trezentos euros. global de SEISCENTOS EUROS e com caminho e sul com Alfredo Ribeiro comprovar pelos meios extrajudiciais ção que por escritura de hoje, exarada a Que o referido imóvel encontra-se parcelar de duzentos euros: Negrão, inscrito na respectiva matriz sob normais a aquisição do seu direito sobre folhas trinta e quatro e seguintes do livro inscrito na respectiva matriz em nome de o artigo 1.004, com o valor patrimonial, aqueles imóveis, atento o título de de notas para escrituras diversas número José Torres Simões. Freguesia de Ceira tributário de quinze euros e trinta e quatro aquisição. dezanove-E, deste Cartório, compare- Que possui o dito imóvel, na UM - Uma quarta parte indivisa cêntimos e atribuído, correspondente Penacova, 29 de Abril de dois mil e ceram como outorgantes: referida proporção, sem qualquer interru- de um prédio rústico, composto de à fracção, de DUZENTOS EUROS. seis. JORGE DE CARVALHO TORRES pção, à vista de toda a gente, sem qual- pinhal e mato, sito em Chão de Patinhas, Que o referido imóvel encontra-se A Colaboradora, SIMÕES (NF:106.073.370), divorciado, quer oposição, limpando o mato, pagando no seu todo com a área de sete mil metros inscrito na matriz em nome de Maria do (Maria Isabel Bento Batista e Pina) residente na Urbanização do Loreto, lote as contribuições e impostos respeitantes, quadrados, a confrontar do norte com Carmo Jorge. 4, 10.º B. Eiras, Coimbra. posse que assim exerceu como verda- herdeiros de Manuel Leal, nascente e sul Que em meados de mil sessenta e “O Despertar” N.º 8388, de 06/05/12 Que é dono e legítimo possuidor, deiro proprietário que sempre se julgou, com herdeiros de Manuel Antunes e sete, no estado de solteira, maior, tendo com exclusão de outrém, do seguinte era e é do dito imóvel, pelo que o poente com António Borbon, inscrito na posteriormente casado com Carlos da imóvel sito em Barroca do Canavial, adquiriu, na referida proporção, por respectiva matriz sob o artigo 9.143, com Silva Moreira, no regime da comunhão de freguesia de Torres do Mondego, usucapião, fundada nessa posse, que o valor patrimonial, tributário de vinte euros adquiridos, do qual actualmente se concelho de Coimbra, omisso na exerceu em seu próprio nome, de boa fé, e quatro cêntimos e atribuído, corres- encontra no estado de viúva, ajustou competente Conservatória: de modo pacífico, contínua e publica- pondente à fracção, de DUZENTOS contratos verbais de doação, e por isso Metade indivisa de um prédio mente, por período superior a vinte anos, EUROS. não titulados, quanto ao imóvel men- rústico, composto de pinhal e mato, no estando ele justificante impossibilitado de Que o referido imóvel encontra-se cionado sob o número UM, com aquele seu todo com a área de sete mil e comprovar pelos meios extrajudiciais inscrito na matriz em nome de David dos David dos Santos e mulher Cidália Jorge, setecentos metros quadrados, a con- normais a aquisição do seu direito sobre Santos. quanto ao imóvel mencionado sob o frontar do norte e nascente com Borges aquele imóvel, atento o título de aquisição. número DOIS, com aquela Maria José da e Irmão, sul com Augusto Maria de Penacova, 29 de Abril de dois mil e Freguesia de Castelo Viegas Assunção e marido Arménio Jorge e Carvalho e poente com Borge e Irmão e seis. DOIS - Uma quarta parte indivisa quanto ao imóvel mencionado sob o estrada, inscrito na respectiva matriz sob A Colaboradora, de um prédio rústico, composto terre- número TRÊS, com aquela Maria do o artigo 2.669, com o valor patrimonial, (Maria Isabel Bento Batista e Pina) no com pinhal e mato, sito em Barreiras do Carmo Jorge, viúva, todos residentes no tributário, correspondente à fracção, de Campo, no seu todo com a área de nove lugar de Conraria, freguesia de Castelo sessenta e sete euros e seis cêntimos e “O Despertar” N.º 8388, 06/05/12
  • 21. VOZ DESPORTIVA 21 O Despertar 12| MAIO |06 Chegou a ser dada como certa a descida da Académica, que esteve a perder 2-0, mas os estudantes acabariam por conseguir empatar com o Marítimo, garantindo assim a permanência na primeira divisão. No final, era bem visível a felicidade dos jogadores, sobretudo de N´Doye e Joeano (na foto), e do treinador Nelo Vingada. Foi muito complicado, mas a Naval conseguiu alcançar o seu objectivo. A vitória frente ao Penafiel por 1-0 garantiu aos figueirenses a permanência no mais alto patamar do futebol nacional. Leo Guerra (na foto) esteve em campo o tempo suficiente – pouco mais de dez minutos – para marcar o golo que valeu por uma época. O Estádio Municipal 25 de Abril foi pequeno para os festejos. C L A S S I F I C A Ç Õ E S D E F U T E B O L SUPERLIGA LIGA DE HONRA II DIVISÃO - ZCentro I I I D I V. - S é r i e C I I I D I V. - S é r i e D J V E D M S P J V E D M S P J V E D M S P J V E D M S P J V E D M S P 1 FC Porto 34 24 7 3 53 16 79 1 Beira Mar 34 18 14 2 451868 1 Oliveirense 26 17 5 4 52 26 56 1 U. Lamas 32 19 5 8 44 21 62 1 Eléctrico 30 17 8 5 37 25 59 2 Sporting 34 22 6 6 50 24 72 2 Desp. Aves 34 18 10 6 47 30 64 2 Fátima 26 14 8 4 41 18 50 2 Avanca 32 17 6 9 52 29 57 2 Mirandense 30 16 6 8 38 25 54 3 Benfica 34 20 7 7 51 29 67 3 Leixões 34 17 11 6 47 19 62 3 S.J. Ver 32 15 8 9 46 37 53 3 Caldas 30 15 7 8 43 33 52 4 Olhanense 34 13 13 8 41 28 52 3 Tourizense 26 14 5 7 38 22 47 4 Sp. Braga 34 17 7 10 38 22 58 4 Lamas 32 14 10 8 48 37 52 4 Sourense 31 13 11 7 51 39 50 5 Nacional 34 14 10 10 39 31 52 5 Varzim 34 13 13 8 47 39 52 4 Pampilhosa 26 12 8 6 36 29 44 5 Tondela 32 14 9 9 48 36 51 5 Monsanto 31 15 5 11 42 32 50 6 Boavista 34 12 14 8 37 29 50 6 Gondomar 34 14 9 11 56 41 51 5 Abrantes 26 13 5 8 38 33 44 6 Souropires 32 14 8 10 41 33 50 6 Idanhense 30 13 7 10 40 27 46 7 U. Leiria 34 13 8 13 44 41 47 7 Santa Clara 34 13 12 9 45 32 51 7 Valecambr. 31 12 13 6 43 36 49 7 Riachense 30 12 8 10 33 33 44 6 Nelas 26 9 10 7 32 27 37 8 V. Setúbal 34 14 4 16 28 33 46 8 D. Chaves 34 13 11 10 40 36 50 8 Anadia 32 12 11 9 32 31 47 7 Rio Maior 26 9 9 8 31 31 36 8 Peniche 30 12 6 12 33 36 42 9 E. Amadora 34 12 9 13 31 33 45 9 Estoril 34 11 12 11 44 43 45 9 Milheiroen. 32 13 7 12 40 39 46 9 Caranguej. 30 10 11 9 34 33 41 10 Marítimo 34 10 14 10 37 36 44 10 Feirense 34 12 8 14 44 44 44 8 Sp. Pombal 26 9 7 10 34 29 34 10 Valonguen. 32 10 12 10 34 34 42 10 Alcobaça 30 10 10 10 30 25 40 11 P. Ferreira 34 11 9 14 38 49 42 11 Vizela 34 11 11 12 42 48 44 9 P. Castelo 25 9 5 11 27 37 32 11 Gafanha 32 9 13 10 34 39 40 12 Portimon. 34 10 13 11 36 36 43 11 Sertanen 30 9 10 11 31 34 37 12 Gil Vicente 34 11 7 16 37 42 40 12 Satão 32 9 12 11 35 35 39 13 Moreirense 34 11 9 14 36 37 42 10 O. Bairro 26 6 11 9 32 35 29 12 Marinhen. 30 9 9 12 45 43 36 13 Belenens. 34 11 6 17 40 42 39 13 Cesarense 31 9 12 10 34 36 39 14 Académica 34 10 9 15 37 48 39 14 Sp. Covilhã 34 10 12 12 37 42 42 11 Portomos. 26 5 12 9 26 27 27 14 Tocha 32 8 13 11 31 33 37 13 Bidoeiren. 30 9 9 12 35 40 36 15 Naval 34 11 6 17 35 48 39 15 Barreirense 34 8 11 15 31 41 35 12 BC. Branco 25 5 8 12 23 39 23 15 Estarreja 32 8 12 12 33 41 36 14 Fundão 30 9 6 15 22 33 33 16 Guimarães 34 8 10 16 28 41 34 16 Marco 34 7 8 19 32 63 29 16 F. Algodres 32 7 9 16 25 42 30 15 Benediten. 30 8 8 14 31 39 32 13 U. Coimbra 26 6 3 17 24 50 21 16 Vigor 30 6 7 17 23 41 25 17 Rio Ave 34 8 10 16 34 53 34 17 Ovarense 34 6 7 21 36 72 25 17 Marialvas 32 7 7 18 30 53 28 18 Penafiel 34 2 9 23 21 61 15 18 Maia 34 6 6 22 30 67 24 14 O. Hospital 26 2 6 17 22 53 12 18 Arrifanen. 32 1 11 20 21 59 14 17 Amiense 30 5 8 17 23 53 23 PRAÇA PÚBLICA Qual a importância para a Região Centro ter quatro equipas – Académica, Naval, Beira-Mar e Leiria – na primeira divisão? “Fiquei muito satisfeito. São “Ter este número de equipas é “É muito positivo para as pessoas “É muito bom, sobretudo porque “É muito importante, na medida equipas que têm lutado pela sempre bom, nem que seja para e para a própria Região.” traz vantagens económicas para em que o futebol é um desporto permanência e, portanto, acho divulgar a nossa Região. Ainda a Região.” de massas e é sempre bom que muito positivo.” assim, do ponto de vista financeiro, uma Região tenha o maior núme- creio que vai ser complicado ro de equipas na primeira divisão.” aguentá-las na primeira divisão.” António Pureza Helder Oliveira David Silva João Soares Gaspar Mendes 74 anos, Reformado 46 anos, Motorista 23 anos, Emp. de balcão 20 anos, Estudante 63 anos, Professor
  • 22. 12| MAIO |06 O Despertar 22 YO-YO O estado na Nação-Rosa O filho de Marisa Cruz e João Pinto já tem dois dentes, Elisabeth Alexandra Lencastre oferece-se para ama Taylor prepara o seu funeral, Celine Dion está com uma otite, Raquel Henriques quer um filho de Alexandre, Rita Egídio arranjou novo negócio e desmente separação, Stéphanie deve voltar a casar-se com Ducruet, seu ex-guarda-costas. Luísa Beirão continua a adiar a decisão de ser mãe, Ana do bebé do ex-marido Afonso anda saturada da agricultura. “Já me vejo a tomar conta do bebé”, mancheta a Hélas, o primeiro neto dos grãos-duques do Luxemburgo foi “Caras”. A afirmação é de Alexandra Lencastre, a finalmente fotografado. Uff, até que enfim! quem se atribui a revelação de que Piet-Hein vai Mico da Câmara Pereira vai estar numa jaula com quatro ter um filho de outra mulher: leões e elevar-se ao tecto do Chapitô na roda gigante e de olhos “A sensual actriz confirma que Piet-Hein vai vendados. Vai tudo correr bem… ser pai”. Já agora, fiquem com o nome da mãe (do filho de Piet-Hein, não da mãe de Alexandra Lencastre): Patrícia Silva. Afinal, Um pouco confuso, não é? em que ficamos?! “Não gosto de falar Isabel Preysler vai emagrecer Filipa tem bola da minha vida pessoal”. “Quando falo da minha família “Não quero ser uma sogra de cristal é porque penso tratar-se “Se um dia o Simão me de um estímulo pesada”, confessou à Hola trair é fácil eu saber”, para as outras pessoas”. garante Filipa Sabrosa, “Falei da separação mulher do jogador do Ben- do meu ex-marido para provar que podem fica, à revista Maria. existir separações civilizadas”. Marina Mota à Flash! Alô mulheres! “Já é mais do que certo Calmeironas que o actor se encontra disponível para amar” – O fair-play de Herman “A Sónia Araújo bem tenta ser um bocadinho mais calmeirona, sobretudo quando está ao lado assevera a Maria, refe- rindo-se ao actor Mar- “Depois de ter visto a Bárbara ao lado do de uma calmeirona. Mas, ó filha, cada uma é cantonio del Carlo. marido em campanha eleitoral, acho que como é. Não é?” está preparada para tudo” O humorista à “Caras”, a propósito da sua Pergunta dilacerante da “Nova Gente”. Amor com substituição por Bárbara Guimarães na apre- sentação dos Globos de Ouro. adrenalina “Sei que ele tem uma eter- na apaixonada e é asse- diado pelo sexo feminino. Mas é bom, porque não a io amp gosto de ter ho-mens a que e S ninguém ligue nenhuma”. Jorg Alberta Marques Fernandes que ” sobre o marido, ’, coisa Miguel Beleza. iziam dondoo do ‘maispcaoriasarefeari,rquerr dizeirt,e nos n d e s me g a E d e de r a “srefeitos, etidanet tolegrráavçeale a densagrqauçe não per ’, m falavodos o permi entre a a media t anda ndo r Os Super-Rápidos a ia os n i “Par a m é d oscilam uma áto major. e ‘vai-se um dev é s, r s d de “Eu não gostava de ser entrevistado por mim q u e alidade ures po p r e s s õ e s a ç õ e s squina r g e n e próprio. Não dou tempo a ninguém para gene o-nos al s n e m d õ e s e s e rado, à PA, a s a o IS responder” ficam s c o l o r i d e x p r e s tivesse p ado”. ca n aras”. e ó s s líni v i s õ e r m i t e s cto, se e ente atra ia C olog ónica n a “C Rodrigo Guedes de Carvalho à “NS” P fa ve lm sic , de edia de P em c r o se ora com uer, irrem o fess “A velocidade excita-me!” q l, Pr qual bel Lea Alexandra Fernandes à “Motor 24” Isa Título da semana “Elisabete Carvalho foi ao cabeleireiro ao pé da nova casa onde vive com Baía”. Feliz contemplada: Revista “Caras”.
  • 23. O PREGOEIRO 23 O Despertar 12| MAIO |06 Hoje Amanhã Domingo Segunda SOCIEDADE FAZEM ANOS: das Dores; Waldemar da Silva; Augusto HOJE: Adriano Lopes Bento; Maria Cân- Ferreira Garcia. dida de Saúde Sarmento Lyster Oliveira; SEGUNDA: Américo José. 06.30 Bom Dia Portugal 07.00 Todos Ao Pavilhão do 07.00 Brincar a Brincar 07.00 Bom Dia Portugal Armando António Loureiro Dias; Catarina TERÇA: Tânia Catarina Henriques Damas 10.00 Praça da Alegria Conhecimento 08.00 Brinca Comigo 10.00 Praça da Alegria Suzana dos Santos Várzeas. Silva; Isabel Martins da Silva Pereira; 12.55 Nonstop 08.00 Brinca Comigo 09.30 O Tempo dos Dinossauros 12.55 Nonstop AMANHÃ: Guilhermina Lopes dos Santos; António Nunes de Almeida; Dr. Fernando 13.00 Jornal da Tarde 09.00 Cerimónias de Fátima 10.00 Eucaristia Dominical 13.00 Jornal da Tarde Maria do Rosário Fonseca Coimbra; Alcina Alves Pereira; Eng. Mário Franco Gusmão da Silva Facas Simões. Martins; Olinda Maria Grosso dos Santos. 14.15 Essas Mulheres 13.00 Jornal da Tarde 11.00 No Coração de João 14.15 Essas Mulheres DOMINGO: Maria Armanda Borges de QUARTA: Célia Rodrigues Alves Pereira. 15.15 Portugal no Coração 14.10 TOP + Paulo II 15.15 Portugal no Coração Melo Fonseca; Cristina Maria Ferreira dos QUINTA: Miguel Pedro Correia; Hugo Daniel 17.20 Nonstop 15.15 A Canção do Ano 12.00 Jornal da Tarde 17.20 Nonstop Santos; Dália M.ª Jesus Lourenço; Beatriz Henriques Simões Damas. 17.30 Dois Homens e Meio 15.45 Diário de Sofia 13.00 Automobilismo 17.30 Dois Homens e Meio 18.00 Portugal em Directo 16.15 Na Terra dos Ricos 14.45 Perdidos 18.00 Portugal em Directo 18.45 Em Família com 17.30 “Heróis de palmo e Meio” 17.00 Futebol: 19.15 Em Família FARMÁCIAS DE SERVIÇO Fernando Mendes 19.30 Exclusivo Mundial F.C. Porto - Setúbal com Fernando Mendes 20.00 Telejornal HOJE TERÇA 20.00 Telejornal 19.00 Edição Especial Desporto 20.00 Telejornal S. P. - LUCIANO & MATOS: R. da Sofia, 7 21.15 Gato Fedorento 21.15 Dança Comigo 19.30 Contra Informação 21.05 Notas Soltas Coimbra - Tel: 239 42 22 56 S. P. - FIGUEIREDO: Rua da Sofia,107 Coimbra - Tel: 239 82 52 11 21.45 A Herança 23.00 “Homens de Honra” 20.00 Telejornal 21.30 A Herança S. P. - MACHADO: R. Bernardo Albuquerque,19 S. P. - LOPES RODRIGUES: R. Fern.Tomás, 2 22.45 Contra-Informação 01.15 Sem Rasto 21.15 As Escolhas de Marcelo 22.25 Contra-Informação Coimbra - Tel: 239 46 13 17 Coimbra - Tel: 239 20 49 79 23.00 Quando os Lobos Uivam 02.00 A Filha de Mussolini Rebelo de Sousa 22.30 Prós e Contras S. R. - MARIA DO CÉU ALBUQUERQUE S. R. - CELAS: Av. Armando Gonçalves, 56 00.00 No Coração de João 04.00 A Hora Discovery 21.45 Príncipes do Nada 01.00 A História do Campo Ad. Cima - Coimbra - Tel: 239 96 30 22 Coimbra - Tel: 239 484045 Paulo II 04.15 Televendas 22.15 A Herança Pequeno AMANHà QUARTA 01.00 Procissão das Velas 06.05 Boletim das Pescas 23.15 “O Caçador de Sonhos” 01.30 E-Ring S. P. - SANTA ISABEL - Av. Sá Bandeira, 28 S. R. - S. JOSÉ: Al. Calouste Gulbenkian, Lote 5 02.00 “Às Terças com Morrie” 01.45 Sem Rasto 02.15 “O Mistério Galindez” Coimbra - Tel: 239 40 24 70 Coimbra - Tel: 239 22 776 04.45 Televendas 02.30 A Filha de Mussolini 04.00 Televendas S. P. - ROCHA: Rua do Brasil, 70 S. P. - RODRIGUES DA SILVA: R. F.Borges, 32 Coimbra - Tel: 239 93 02 67 04.30 Automobilismo 06.05 Nós S. R. - MIRANDA: Praça do Comércio, 41 Coimbra - Tel: 239 94 01 33 S. P. - DUARTE - Calçada Sta Isabel, 46 Coimbra - Tel: 239 44 13 19 Coimbra - Tel: 239 91 22 19 DOMINGO QUINTA S. P. - SITÁLIA: Largo da Sé Velha, 13 S. P. - ESTÁDIO: R. Brasil, Nº 248 - R/C Coimbra - Tel: 239 94 64 44 07.00 Euronews 07.00 Euronews 07.00 Euronews 07.00 Euronews S. P. - CENTRAL: Rua da Sofia, 19 / 21 Coimbra - Tel: 239 82 20 43 07.15 Zig Zag 07.30 África 7 Dias 07.30 Músicas de África 07.15 Zig Zag Coimbra - Tel: 239 96 12 07 S. P. - UNIVERSAL: Praça 8 de Maio, 33 14.00 Sociedade Civil 08.00 Notícias de Portugal 08.30 África Global 14.00 Sociedade Civil S. R. - GASPAR: Rua Carlos Seixas, Nº 113 Coimbra - Tel: 239 95 05 51 S. R. - M. NAZARÉ: Av. João das Regras,132 15.30 O Mundo Aqui 09.00 Universidade Aberta 09.00 Caminhos 15.30 O Mundo Aqui Coimbra - Tel: 239 20 24 31 Coimbra - Tel: 239 41 11 00 16.00 Entre Nós 12.00 Haja Saúde 09.30 70x7 16.00 Entre Nós SEGUNDA 16.30 Euronews 13.00 Vida Por Vida 10.00 Nós 16.30 Euronews S. P. - RAINHA SANTA: Av. F. Magalhães, 425 11.00 Da Terra Ao Mar OBSERVAÇÃO: 17.00 National Geographic 13.30 Bombordo 17.00 National Geographic Coimbra - Tel: 239 94 01 46 17.30 Hora Discovery 14.00 Hora Discovery 11.30 Consigo 17.30 Hora Discovery S. P. - DONATO: Est. dos Covões- Bl. G-S S. P. - Serviço Permanente 18.30 A Fé dos Homens 15.00 Desporto 2 12.00 Olhar o Mundo 18.30 A Fé dos Homens S. M. Bispo - Coimbra - Tel: 239 81 24 44 • Inicia às 9h e encerra às 9 do dia seguinte 19.00 Balanço & Contas 19.30 Mundos 12.30 São Paulo - Medo e 19.00 Eurodeputados S. R. - SILVA SOARES: R. Vasco da Gama, 44 S. R. - Serviço de Reforço 19.25 Negócios à Parte 20.15 Samurai 7 Terror na Cidade 19.30 Zig Zag B. Norton de Matos - Tel: 239 42 27 30 19.45 Zig Zag 13.45 A Revolta dos Pastéis 20.45 Gente da Cidade 2006 de Nata 20.30 Diário de Sofia 20.15 Diário de Sofia 21.15 Sabores 20.45 Amigos 20.45 Friends 21.45 A Hora da Sorte 15.00 Desporto 2 21.15 Hora Discovery TELEFONES URGENTES 17.00 “A Bandeira dos Piratas 21.15 Hora Discovery 22.00 Jornal 2 18.20 Bombordo 21.50 A Hora da Sorte 22.00 Jornal 2 BOMBEIROS Mat. D a n i e l d e M a t o s ....... 239 403 060 22.30 Calma, Larry! 18.45 National Geographic 22.00 Jornal 2 Bombeiros Sapadores .. 2 3 9 7 9 2 8 0 0 Instituto Maternal .............. 239 480 400 22.30 Do Dia D até Berlim 23.00 “Nós” 19.00 Do Dia D até Berlim 22.30 Sete Palmos de Terra 23.30 Vidas Bombeiros Volunt. ......... 2 3 9 8 22 323 H o s p i t a l M i l i t a r ................. 239 403 080 00.45 Músicas 20.00 Diário de Sofia 23.30 Mundos 00.30 “Sexo, Seringas e “ “ ....................... 239 405 058 01.45 A Revolta dos Pastéis 20.30 Os Simpsons 00.30 Amores e Desamores HOSPITAIS Rublos” SERVIÇOS de Nata 21.00 Bombordo 01.15 National Geographic Emergência Social ......... 2 3 9 8 22 139 PSP Urgência .......................................... 1 1 2 01.15 National Geographic 02.45 Euronews 21.30 A Alma e a Gente 01.45 Universidades 01.45 Bastidores Universidade .................... 2 3 9 400 400 Polícia Segurança Pública ..... 2 3 9 8 51 300 03.00 Desporto 2 22.00 Jornal 2 02.00 Diga Lá Excelência Covões ................................ 2 3 9 8 0 0 1 0 0 Telefone SOS ...................... 239 721 010 02.15 Balanço e Contas 22.30 Diga Lá Excelência 03.00 Euronews 02.30 Negócios à Parte Celas .................................... 2 3 9 404 030 Socorro e Emergência .. 239 792 808 23.15 Britcom 03.30 Eurodeputados Pediátrico .......................... 2 3 9 484 163 S e r v . E l e c t r i c i d a d e .. 0 8 0 0 2 4 6 2 4 6 03.00 Euronews 23.45 Onda Curta: 04.00 Vida Por Vida 04.00 A Alma e a Gente Sobral Cid ........................... 239 404 422 S O S E s t u d a n t e ................ 0808 200 204 “Despindo a Minha Mãe”; 04.30 Sociedade Civil 04.30 Sociedade Civil “Membro Fantasma”; “Menos 06.00 Euronews 06.00 Euronews Nove”; “Pouco Espaço” TELEFONES ÚTEIS Linha Cidadão Idoso .................. 800 203 531 SOS Voz Amiga ........................... 800 202 669 SOS Solidão ............................... 800 205 535 Intoxicações .................................. 808 250 143 (Diariamente das 16 à 1 hora) Com. Iguald. e Dir. da Mulher ..... 800 202 148 06.00 Iô-Iô 06.45 Animações 07.00 Animações 06.45 Iô-Iô Programa Turismo Sénior ........ 217 901 023 APAV ....................... 218 884 732 / 218 876 351 07.00 Programa da manhã 09.00 Disney Kids 09.00 Disney Kids 07.00 Programa da Manhã Cons. Nac. Pol. da 3.ª Idade ....... 217 816 530 (Linha Directa 24 Horas) 10.00 Fátima 10.00 Animações 10.00 Animações 10.00 Fátima Provedor da Justiça .................. 808 200 084 Fund. Port. Cardiologia ............... 213 815 000 13.00 Primeiro Jornal 11.00 Uma Aventura 11.00 Uma Aventura 13.00 Primeiro Jornal (Linha destinada a Idosos) Assoc. Def. Diabéticos ................. 213 628 675 14.15 Laços de Família 12.00 O Nosso Mundo 12.00 BBC Vida Selvagem 14.00 Laços de Família Assoc. Port. Osteoporose ........... 213 633 314 Portugal Telecom Pensionistas.. 800 206 206 15.00 Contacto 13.00 Primeiro Jornal 13.00 Primeiro Jornal 15.00 Contacto Linha Mulher .............................. 800 201 805 Inst. Port. de Reumatologia ......... 213 572 326 16.45 O Jogo 14.00 Êxtase 14.00 SIC a Caminho do 16.45 Malhação 17.30 Malhação 15.00 CSI Las Vegas Mundial 18.30 New Wave 18.15 New Wave 16.00 Filme a designar 14.45 A Vingadora 18.45 Sinhá Moça CINEMAS 18.45 Sinhá Moça 18.00 Filme a designar 15.45 Filme a designar 20.00 Jornal da Noite 20.00 Jornal da Noite 20.00 Jornal de Sábado 17.45 Filme a designar 21.00 Floribella cine-teatro Tel. 239 822 131 estúdio 2 Tel. 239 822 131 21.15 Floribella 21.15 Desprevenidos 20.00 Jornal de Domingo 22.15 Gala dos Prémios da Dias 12 a 17 M/ 12 anos Dias 12 a 17 M/ 12 anos 22.15 Belíssima 22.00 Maré Alta 21.15 Camilo Em Sarilhos Imprensa Desportiva 00.00 Diário do Mundial 23.00 O Crime do Padre 22.00 7 Vidas 00.00 Diário do Mundial “BREAKFAST ON PLUTO” “VAI E VIVE” 00.15 CSI Nova Iorque Amaro 23.00 Hermansic 00.15 Levanta-te e Ri 5ª a 2ª às: 14 - 16H30 - 19 - 21H30 5ª a 2ª às: 15 - 18 - 21H45 01.15 “Ela, Eu e o Outro” 00.00 “Insomnia” 01.45 “Sócios à Força” 02.00 A Lua Disse-me 4ª às: 21H30 - 6ª e Sábado às: 00H004ª às: 4ª às: 21H15 - 6ª e Sábado às: 23H45 03.15 A Lua Disse-me 02.15 Programa a designar 04.00 Os Maias 03.00 Ganância 04.15 Ganância 04.00 Pulsações 04.00 Pulsações classificados TERMOACUMULADORES – Re- sos – Pratos regionais - Ru a Moura, 381. Telef. 239 703 784 - 07.00 Diário da Manhã 07.00 Animações 07.00 Animações 07.00 Diário da Manhã parações ao domicílio, garantia 1 Antó-nio Vasconcelos, 3 e 5 Telf. Coimbra ano; António R. Santos. Telf. 239 239 823 146 - Coimbra. 10.00 Você na TV! 10.00 Procissão do Adeus 10.00 Clube das Chaves 10.00 Você na TV! 439 474 - José Cortez - Telef. 239 MARIA HELENA MOURÃO 13.00 Jornal da Uma 13.00 Jornal da Uma 11.00 Missa 13.00 Jornal da Uma 491 896. LAVAGEM DE ESTOFOS em via- FELIZARDO SILVA, Retrosaria - 14.00 Anjo Selvagem 14.00 “A Namorada 13.00 Jornal da Uma 14.00 Anjo Selvagem turas automóveis e todos os Cortinados - Arranjos de Costura. R. Flávio 16.00 Quem Quer Ganha do Pestinha” 14.00 “Titanic” 16.00 Quem Quer Ganha HIPERPEÇAS, Variada gama de pe- serviços de lavagens automó- Rodrigues, 20 - St. António dos Olivais - 17.00 Quem Quer Ganha 15.45 “Dia de Folga” 18.00 Morangos Com Açúcar 17.00 Quem Quer Ganha ças e acessórios de automóveis: Óleos veis e pneus. Tlm. 918926895. 18.00 Morangos com Açúcar 17.45 “Homicídio na Casa 20.00 Jornal Nacional 18.00 Morangos com Açúcar - Filtros - Estação de Serviço. R. António 20.00 Jornal Nacional Branca” 21.00 Inspector Max 20.00 Jornal Nacional José de Almeida 253, Tlf. 239 483 657. HIPERPEÇAS, Rua António José de POCINHO & FILHOS, LDA. – 21.15 Euromilhões 20.00 Jornal Nacional 22.30 O Meu Odioso e 21.15 Dei-te Quase Tudo - Coimbra Almeida, 253. Telef. 239 483 657 - Instalações e Reparações Elé-ctricas, 21.30 Dei-te Quase Tudo 21.15 O Prédio do Vasco Inacreditável Noivo 22.30 Fala-me de Amor Coimbra Águas e Aquecimento Central - Rua Bri- E S T O R E S A R L I N D O - Vende gadeiro Correia Cardoso, 439 - Tel 239 22.45 Fala-me de Amor 22.00 Fala-me de Amor 23.45 “Bad Boys 2” 23.45 Operação Portugal Estores, boa qualidade. Repara todo COIMBRAPNEUS - Comércio de 715 034. 00.00 Fiel ou Infiel? 23.00 Os Serranos 02.30 Dawson’s Creek 00.00 AB...Sexo o tipo de estores. Espírito Santo das Pneus, Lda. - Pneus de todas as 02.30 Procissão das Velas 00.15 “O Código Ómega” 03.30 A Lei da Rua 01.30 “Tráfico” Touregas - Telf. 239 981 644 - Marcas. Vasta variedade de Jantes CASA DA LUIZA - Antiguidades 03.30 Frasier 03.00 Monk 05.30 Televendas 04.15 TVI Negócios Coimbra Especiais. Alinhamentos de Direc- - Compra e Venda – Avaliação dePartilhas 04.15 TVI Negócios 03.45 Dawson’s Creek 04.30 A Lei da Rua ção. Equilíbrio de Rodas por Siste- –R. Comb. G. Guerra,155-Tel. 239402740 04.30 A Lei da Rua 04.30 A Lei da Rua TASCA DO QUIM - Quim dos Os- ma Computoriza-do. Av. Elisyo de -Coimbra
  • 24. 12| MAIO |06 O Despertar 24 CREPÚSCULO Nacional & Internacional Milhares a caminho de Fátima Bloco -Notas Maternidades As maternidades que o Governo quer encerrar de um inquérito aprofun- dado, porque havia então “maiores prioridades”. Os Máquina logística Hoje Arraiolos apoia peregrinos estão fora das que registam atentados de 7 de Julho, A Galeria do Jardim da os maiores valores de mor- levados a cabo por quatro Casa Municipal da Cultura talidade ou complicações jovens britânicos de origem alberga, até 4 de Junho, uma paquistanesa e jamaicana, exposição de quadros a pós-parto. O estudo rea- Ponto de Arraiolos, basea- lizado pela Escola Nacional fizeram 52 mortos nos dos em mosaicos de Coním- de Saúde Pública avalia as transportes públicos de Milhares de pessoas briga, da autoria de António maternidades pelos resul- Londres. envergando coletes Adauta. tados alcançados – número reflectores, de chapéu de mortos e número de Artesanato na cabeça e terço na Pintura complicações no parto – e Coimbra acolhe, de hoje a mão enxameiam hoje “Expressões do Impres- não pelas condições que 18 de Maio, a 6ª edição as estradas da região sionismo” é a mais recente cada maternidade dispõe, da Feira de Artesanato. centro do país, exposição de pintura da nem os procedimentos técni- Constituir uma forma de Paletro Galeria de Arte. Os manter viva a arte da criação maioritariamente cos que adopta, como fez o trabalhos de José Carlos Governo. artesanal é dos objectivos do oriundas do norte, em Prudêncio, José Cascada, evento, no qual participam direcção ao Santuário Lourenço Gomes de Cam- Terrorismo mais de uma centena de de Fátima. pos, Pedro Olayo e Sal- Os serviços de informa- artesãos, provenientes de vação Barreto poderão ser ções britânicos não dispu- várias zonas do país. De O 13 de Maio é o dia visitados até 26 de Maio. nham dos meios suficientes entre as artes e ofícios da peregrinação por exce- para evitar os atentados de ancestrais, estarão repre- lência – embora quase Amanhã 7 de Julho de 2005 em sentadas as vertentes de diariamente, ao longo dos Londres. De acordo com o olaria e cerâmica, vidro e Concerto meses de Primavera e Ve- mas de certeza absoluta que médica, dormida e seguro Do fado ao jazz. Cinco relatório parlamentar, dois tecelagem. Na tenda da não será a última”, asse- rão, cheguem à Cova da Iria de acidentes pessoais. Cada músicos com formação e dos autores dos atentados Praça da República estará, peregrinos a pé –, e assim, gurou João Espírito Santo, pessoa paga 135 euros. experiência muito distintas eram já conhecidos dos ainda, representada a área procuram encontrar o fio serviços de segurança, mas do artesanato criativo de os dias que antecedem a justificando a sua partici- Mas se os peregrinos da data são escolhidos por pação no grupo da OBF condutor, apresentando-se não chegaram a ser objecto cariz contemporâneo. OBF têm todas as condi- de forma informal e des- milhares para cumprimento com “uma grande fé e uma ções, outros há que vêm por pretensiosa. Os Contra- de promessas feitas em enorme vontade de ajudar sua conta e risco e se bando actuam, amanhã, “Uma Frase em Destaque” momentos de angústia. os outros”. Os peregrinos queixam da “exploração” pelas 23h30, na cave da As questões de saúde que chegam a Fátima en- que encontram nalguns Galeria Santa Clara. “Em teoria, não há diferença entre justificam a maioria das quadrados pela OBF be- estabelecimentos. Helena teoria e prática. Na prática, há”. promessas, mas também há neficiam, aliás, de uma Vasconcelos, de 43 anos, de Arte Sacra muita gente que vai a Fátima verdadeira máquina logística Caminha, a cumprir o sétimo Está patente, até 27 de Yogi Berra, jogador de basebol americano, Junho, na Sala Guilherme @ nascido a 12 de Maio de 1925 a pé “apenas por uma gran- que, em cada dia, em pontos dia de percurso, confessou: Filipe “Ex-Votos do Con- de fé”, como é o caso de pré-determinados, instala “Durante estes dias chorei celho de Arganil”, uma O Despertar Margarida Freitas, esteti- “aldeias de apoio” para os muitas vezes e quase estive exposição de arte sacra cista de Paços de Ferreira, fiéis que caminham para o para ficar para trás”. A popular. A mostra – uma de 38 anos. “É a primeira Santuário dentro da sua “quebra psicológica, prin- iniciativa do Pelouro da agora também na Internet vez que venho. Tenho muita estrutura organizativa. cipalmente a meio do per- Cultura e do Museu Etno- gráfico de Arganil – pre- fé. Venho sem qualquer Associação de apoio a curso, atinge muitos pe- tende divulgar o valioso promessa, apenas para desfavorecidos de Paredes, regrinos”, admitiu à Lusa a património existente no Visite-nos em: iniciou a organização de município. agradecer a minha vida”, médica Maria do Céu, a dar www.odespertar.com.pt disse à Agência Lusa, ao peregrinações a Fátima em apoio a poucos quilómetros lado do médico dentista João 1992, altura em que levou de Fátima, acrescentando Espírito Santo, de 26 anos, apenas 50 pessoas. Em cada que “o espírito de sacrifício O tempo Escreva-nos para: pela primeira vez a dar apoio ano, a OBF precisa de mais e de solidariedade” é que Hoje aos peregrinos da Obra do de 60 mil euros para montar permite ultrapassar os Céu pouco nublado. Agua- portal@odespertar.com.pt Bem Fazer (OBF), de Pare- a logística da peregrinação. obstáculos que se colocam ceiros e trovoada durante a des. Os peregrinos inscritos têm no cumprimento de longas tarde nas regiões do Interior. Anuncie em O Despertar online Vento fraco. “Esta é a primeira vez, direito a comida, assistência distâncias. Contacte-nos através do 239 852 710 Também as bolhas dos Amanhã A Associação Integrar pés, a falta de preparação Céu pouco nublado. Tro- O Despertar tem ao seu dispôr... física, o calçado e vestuário voada e aguaceiros nas • Um vasto leque de produtos Hortícolas; desadequado provocam regiões do Interior. Pequena subida da temperatura má- Prestamos: alguns contratempos, mas • Serviços de Manutenção de espaços verdes; xima. • Serviços de Mudanças; ano após ano, segundo os O SEMANÁRIO ` 6. AS FEIRAS as • Pequenas Reparações; • Pintura de divisões de sua casa. médicos e enfermeiros de Domingo DE COIMBRA Contacte já: diversas organizações dis- Céu muito nublado por nu- Rua Pedro Roxa, 27 a 31 • 3000-330 COIMBRA Orçamentos caso a caso postas ao longo da estrada, vens altas. Vento fraco. Nebli- Tel. 239 85 27 10/11/12 • Fax 239 85 27 19 • jornaldespertar@mail.telepac.pt Associação Integrar na matinal. Pequena subida vão sendo menos os afecta- Rua do Teodoro, n.º 1 • 3030-213 Coimbra da temperatura, em especial Tele.: 239 705 697 / 969 064 529 / 913 474 751 dos, pois “a informação é da mínima. Sexta feira • 12 de Maio de 2006 • Ano 89 • N.º 8388 maior”.