0
Esperanças docentes... marisavalladares
...A esperança é solidária, mesmo quando solitária... ... E persevera contra a descrença de quem não mais acredita...
<ul><li>... o esperançar de cada pessoa nasce e se fortalece a partir do que se aprende no trato com o outro na história d...
A esperança tem urgência... ...Embora seja paciente...
...a esperança movimenta o esperançar, verbo que se conjuga vigorosamente, em silêncio ou com barulho, quando se acredita ...
...A esperança justifica a educação, uma das maiores alavancas da esperança...
...aprendemos a esperançar quando, ao recusarmos jeitos contra a vida de pessoas e contra a natureza...
...e não permitimos que tal presente se alastre no passado e no futuro canibalizando-os, como nos alerta Boaventura (1996).
“ seria uma contradição se, inacabado e consciente do inacabamento, primeiro, o ser humano não se inscrevesse ou não se ac...
No duelo entre a esperança e o desencanto que se instala no mundo nestes tempos, enquanto o horror brota do chão, impregna...
...a esperança não se deixa vencer...
A esperança vinga entre o pranto e a dor, escorregando em lágrimas que prometem não esquecer para mudar, que regam o chão ...
Ela enfrenta e se instala entre canhões e fuzis, pela mão de crianças...
A importância da narrativa docente é esperança de colar o viver e o agir.
Cumpre narrar o que fazemos e partilhar esperanças na perspectiva de que utopia é apenas o que não se concretizou ainda.
Contar histórias possíveis - e aparentemente utópicas –fortalece memórias que se tornam reservas de esperança nas sociedad...
Como traduzir isto na sala de aula?
... não há receitas mas continuamos, teimosamente, a tentar, dia após dia, dor sobre dor, alegria somada a outra...
Há pistas... <ul><li>Lutar pela condição de professora-pesquisadora, pela autoridade de saber... </li></ul>
Se abandonamos a pieguice, não podemos colocar no lugar um amor engajado, sério mas alegre?
<ul><li>Se optamos pelo ensino laico, que tal manter a fé no bem, a esperança na paz, a solidariedade no conviver? </li></ul>
...juntar esperança e conhecimento para trançar diferentes modos de (vi)ver a vida, ler o mundo, querer o futuro...
quando o dia fica nublado, os girassóis se viram uns para os outros, buscando forças no companheiro...
“ Dá-me, Senhor, a constância das ondas do mar, para que a cada recuo eu tenha forças para voltar...”   ...Esperancemos...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Esperanças docentes

135

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
135
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Esperanças docentes"

  1. 1. Esperanças docentes... marisavalladares
  2. 2. ...A esperança é solidária, mesmo quando solitária... ... E persevera contra a descrença de quem não mais acredita...
  3. 3. <ul><li>... o esperançar de cada pessoa nasce e se fortalece a partir do que se aprende no trato com o outro na história de cada um de nós, e, por isso, a esperança traz consigo a polifonia do mundo... </li></ul>
  4. 4. A esperança tem urgência... ...Embora seja paciente...
  5. 5. ...a esperança movimenta o esperançar, verbo que se conjuga vigorosamente, em silêncio ou com barulho, quando se acredita na humanidade, quando se aposta na vida...
  6. 6. ...A esperança justifica a educação, uma das maiores alavancas da esperança...
  7. 7. ...aprendemos a esperançar quando, ao recusarmos jeitos contra a vida de pessoas e contra a natureza...
  8. 8. ...e não permitimos que tal presente se alastre no passado e no futuro canibalizando-os, como nos alerta Boaventura (1996).
  9. 9. “ seria uma contradição se, inacabado e consciente do inacabamento, primeiro, o ser humano não se inscrevesse ou não se achasse predisposto a participar de um movimento constante de busca e, segundo, se buscasse sem esperança.”
  10. 10. No duelo entre a esperança e o desencanto que se instala no mundo nestes tempos, enquanto o horror brota do chão, impregna e suja ares, mares, florestas e toda a espécie de vida...
  11. 11. ...a esperança não se deixa vencer...
  12. 12. A esperança vinga entre o pranto e a dor, escorregando em lágrimas que prometem não esquecer para mudar, que regam o chão do hoje, preparando-o para o frutificar de um amanhã diferente...
  13. 13. Ela enfrenta e se instala entre canhões e fuzis, pela mão de crianças...
  14. 14. A importância da narrativa docente é esperança de colar o viver e o agir.
  15. 15. Cumpre narrar o que fazemos e partilhar esperanças na perspectiva de que utopia é apenas o que não se concretizou ainda.
  16. 16. Contar histórias possíveis - e aparentemente utópicas –fortalece memórias que se tornam reservas de esperança nas sociedades, entre grupos sociais subjugados, maltratados, mas rebeldes no desejo de mudança.
  17. 17. Como traduzir isto na sala de aula?
  18. 18. ... não há receitas mas continuamos, teimosamente, a tentar, dia após dia, dor sobre dor, alegria somada a outra...
  19. 19. Há pistas... <ul><li>Lutar pela condição de professora-pesquisadora, pela autoridade de saber... </li></ul>
  20. 20. Se abandonamos a pieguice, não podemos colocar no lugar um amor engajado, sério mas alegre?
  21. 21. <ul><li>Se optamos pelo ensino laico, que tal manter a fé no bem, a esperança na paz, a solidariedade no conviver? </li></ul>
  22. 22. ...juntar esperança e conhecimento para trançar diferentes modos de (vi)ver a vida, ler o mundo, querer o futuro...
  23. 23. quando o dia fica nublado, os girassóis se viram uns para os outros, buscando forças no companheiro...
  24. 24. “ Dá-me, Senhor, a constância das ondas do mar, para que a cada recuo eu tenha forças para voltar...” ...Esperancemos...
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×