• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Redes sociais: entre a potencialização da sociedade de controle e o empoderamento coletivo
 

Redes sociais: entre a potencialização da sociedade de controle e o empoderamento coletivo

on

  • 608 views

Mesa Redonda na ESAGS - Escola Superior de Administração e Gestão. Santo André, 2012.

Mesa Redonda na ESAGS - Escola Superior de Administração e Gestão. Santo André, 2012.

Statistics

Views

Total Views
608
Views on SlideShare
608
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Redes sociais: entre a potencialização da sociedade de controle e o empoderamento coletivo Redes sociais: entre a potencialização da sociedade de controle e o empoderamento coletivo Presentation Transcript

    • Redes sociais: sociedade de controleentre a potencialização dae a empoderamento coletivo? ESAGS - Escola Superior de Administração e Gestão Mesa redonda: Redes Sociais – comportamento e o mundo das organizações. 03/10/2012Dalton Martinsdmartins@gmail.comhttp://daltonmartins.blogspot.com
    • Questionamento central para nossa reflexão:Que modos de cooperação/colaboraçãoem rede invetam outras formas derelacionamento e que modos apenasreproduzem formas?Critério de análise → olhar para as formasem suas práticas!
    • 4 parâmetros de análise de nossa sociedade atualmente● O modo neoliberal de governo leva a lógica da economia como parâmetro de análise a todas as instâncias que se tornam objeto de governabilidade;● O deslocamento do trabalho material para o trabalho imaterial → produção de serviços;● A busca contínua por inovação → promover diferenciais que levam ao consumo;● A importância do campo relacional como objeto de intervenção → capital social, visualizações e métricas → plano estratégico.
    • Uma proposta esquemática de análise desses parâmetros
    • ● Todo um modo de entender a questão das redes sociais é colocado: – Criam a base e as condições para se produzir inovação: ● Análise de padrões e tendências → algoritmos Google, Facebook, Twitter, etc, etc, etc... ● Possibilidade de previsão de movimentos futuros: inteligência artificial, algoritmos genéticos, etc, etc... ● Métricas para avaliação dos resultados das estratégias de promoção da inovação: quem publica mais? Quem é mais central? Que comunidades existem? Quais são as expressões semânticas mais utilizadas? Sobre o quê conversam? Como interferir nos rumos? – Criam a base e as condições para se estimular consumo: ● Marketing inteligente → a cada nó, uma oferta; ● Marketing viral → difusão massiva; ● Controle social → o que as pessoas pensam sobre....
    • Voltando a questão inicial...● O que vemos aqui são novas formas de relacionamento ou as velhas formas com nova roupagem?● A intencionalidade por trás dessa “febre” por redes sociais é de fato nova ou ainda vemos o desejo de poder, controle e consumo como elementos centrais?● São esses “elementos” que estão “revolucionando” a nossa sociedade?
    • Mas, há outras formas derecolocarmos a questão das redessociais que de fato inventem outras formas de relacionamento?
    • Empoderamento coletivo● Se descentrarmos a questão do consumo para a possibilidade de uso das redes sociais como modos de apoiar o empoderamento de coletivos, outro plano de análise se abre: – A busca por entendimento mútuo (não necessariamente concordância!) e visibilidade do outro através de suas ideias cria condições de produção de comum; – O desejo de produção de comum reconecta os indivíduos na potência da ação coletiva; – A ação coletiva coloca em movimento os afetos, o pertencimento social → recoloca os sentidos de existir; – O coletivo fornece parâmetro de auto-análise → possibilidade de se ver pelo olhar do outro.
    • Muitas questões em aberto● Podemos produzir políticas públicas a partir dessa visão de redes sociais e empoderamento coletivo? Experiência: www.redehumanizasus.net● Como trabalhar a reinvenção de organizações a partir desses princípios?● Como produzir critérios que nos permitam avaliar nossas concepções de como operamos a partir das redes que produzimos?● Conseguimos perceber em nós mesmos em que condições o empoderamento coletivo é de fato desejável? Estamos prontos para isso?● Etc....
    • Obrigado!!!Dalton Martinsdmartins@gmail.comhttp://daltonmartins.blogspot.com