• Like
Produtos e Serviços da Web 2.0 no Serviço de Referencia das Bibliotecas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Produtos e Serviços da Web 2.0 no Serviço de Referencia das Bibliotecas

  • 3,576 views
Published

Este trabalho busca demonstrar como as ferramentas da web 2.0 podem atuar nas bibliotecas auxiliando o processo de atendimento ao usuário e promovendo melhorias nos serviços prestados pelo setor de …

Este trabalho busca demonstrar como as ferramentas da web 2.0 podem atuar nas bibliotecas auxiliando o processo de atendimento ao usuário e promovendo melhorias nos serviços prestados pelo setor de referência. Por meio de uma revisão de literatura, são apresentados quais são as principais ferramentas e suas funcionalidades, identifica exemplos da sua utilização em unidades de informação, introduz aspectos sobre o surgimento da internet e da web 2.0 e apresenta o histórico de funcionamento das principais funcionalidades e conceitos de ferramentas como: Google, YouTube, Wikipédia, Flickr, Delicious, Twitter, Blogs, RSS Feed e Facebook. Após análise conceitual dessas ferramentas se inicia um estudo sobre o serviço de referência com foco no atendimento ao usuário e compara as gerações de bibliotecas (biblioteca 1.0 x biblioteca 2.0). A partir de então são apresentados exemplos de como tais ferramentas podem ser utilizadas na biblioteca, especialmente no setor de referência. Conclui-se que a importância da adoção dessas ferramentas em centros de informação, a utilidade das mesmas, a falta de iniciativa por parte das bibliotecas brasileiras, o rápido avanço e desenvolvimento de unidades de informação estrangeiras, principalmente americanas em relação a utilização de ferramentas da web 2.0 é um fato que deve ser considerado pelos profissionais da informação como ponto central do processo de evolução das bibliotecas num futuro próximo.

Published in Education , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
3,576
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4

Actions

Shares
Downloads
167
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Orientador Professor Murilo Bastos da Cunha, Ph.D.
  • 2.  “a web 2.0 é a mudança para um internet como plataforma e um entendimento das regras para obter sucesso nesta nova plataforma” (O’REILLY, 2005)
  • 3. Web 1.0 Web 2.0 DoubleClick Google AdSense Ofoto Flickr Akamai BitTorrent Mp3.com Napster Britannica Online Wikipedia Personal websites Blogging Evite Upcoming.org and EVDB Domain name speculation Search engine optimization Page views Cost per click Screen scraping Web services Publishing Participation Content management systems Wikis Directories (taxonomy) Tagging ("folksonomy") Stickiness Syndication
  • 4. HTML XML Fim dos Agentes de Programa Usuários Tecnologia Ubíqua XHTML API OWL/RDF WSDL RSS Web 1.0 Web 2.0 Web 3.0 Web N.0 Web N+.0 Serviços Web/SOA Páginas Pessoais Ambiente de Aprendizado Pessoal Páginas de comunidades Usuário Gerador de Conteúdo Fórum SaaS/RIA Ambiente de Aprendizado Virtual Computadores Comunidades de Interpretativos Sistema de Administração de Relacionamento Modelo Aprendizado Social Sistemas Adaptativos Pragmático Serviços Elementar Inteligentes Grupos de Notícias Rede Social Web OS Web Pragmática Web Sintática Web Semântica
  • 5.  Definição e importância Segundo Kenneth Whitaker, “a finalidade do serviço de referência e informação é permitir que as informações fluam eficientemente entre as fontes de informação e quem precisa de informações. Sem que o bibliotecário aproxime a fonte do usuário, esse fluxo jamais existirá ou só existirá de forma ineficiente.” (Whitaker, apud Vieira, 2004)
  • 6.  Os usuários Desse modo, para Cunha (2008, p. 372) o usuário pode ser assim definido: 3. Pessoa que consulta os documentos de um arquivo. Erroneamente denominado de leitor. 4. Pessoa que utiliza os serviços da biblioteca no próprio local ou por meio da retirada de documentos por empréstimo, ou pela solicitação, entre outros serviços, de buscas bibliográficas e pesquisas sobre temas especializados; parte interessada, utente. 5. Pessoa que se relaciona com a informação através dos diversos canais de acesso a esta informação.
  • 7.  Os serviços de informação na era da Internet Biblioteca 1.0 Biblioteca 2.0 Catálogo Manual Catálogo On-Line (OPACs) Serviços informatizados agilizando o Serviço de circulação manual atendimento e melhorando a qualidade do serviço Panfletos e folders para Sites dinâmicos, com informações sobre a divulgação biblioteca Catalogação informatizada e cooperativa, Catalogação manual em rede. Biblioteca sem fronteiras, uso de redes Comunidade restrita sociais na internet Coleções especiais físicas Coleções especiais digitalizadas Vocabulário controlado Folksonomia Indexação Tags DSI RSS
  • 8. Um exemplo de utilização de wiki em bibliotecas é o caso da Biomedic Library da University of South Alabama, que possui uma wiki sobre temas biomédicos como instrumento de pesquisa para os usuários da biblioteca. Outros exemplos são as da University of Sydney e Charles Stuart University ambas na Austrália. As bibliotecas buscaram criar essa ferramenta para contribuir com mais instrumentos de pesquisa para seus usuários, além dos já tradicionais fornecidos em material impresso. Outra iniciativa interessante são as do Baruch College e Butler University Libraries que criaram uma wiki de referências para ajudar os usuários nas pesquisas de determinados assuntos, ou seja, funciona como uma base de dados de referências colaborativa, sempre que um usuário registrado encontrar uma referência interessante sobre determinado assunto ele pode adicioná-lo na base para compartilhá-lo com outras pessoas. Essa iniciativa aumenta as fontes de pesquisa disponíveis para os estudantes dessas universidades.
  • 9. Stephens (2009) lista 10 maneiras para se utilizar o Flickr: 1) editar o perfil e fazer contatos, ou seja, colocar no perfil da biblioteca no Flickr a URL, missão, informações, contatos e procurar outras bibliotecas da mesma área para fazer contatos. 2) Colocar tags nas imagens do perfil com localização geográfica da biblioteca, bem como nome, universidade, escola ou instituição a qual pertença para facilitar a busca. Dessa maneira, usuários que busquem tags sobre sua cidade ou região poderão encontrar informações sobre bibliotecas que estejam perto dele. 3) Divulgar imagens via RSS. Cada conta, tag ou grupo no Flickr possui um RSS Feed que pode ser utilizado para divulgar aos usuários as últimas atualizações do perfil. O Flickr permite também que as atualizações sejam divulgadas em web sites pessoais através de um código HTML. 4) Criar conjuntos de informações sobre programas, eventos e especialidades através da ferramenta de aplicativos do Flickr. 5) Hospedar imagens do blog ou web site da biblioteca através do código HTML. As imagens hospedadas através dos links no Flickr podem ser estáticas ou dinâmicas, significando que pode ou não ser permitido ao usuário comentar ou incluir tags na imagem na página do Flickr.
  • 10. 6) Usar notas para links HTML e mais. Usando a ferramenta de adicionar notas é possível inserir um link em web sites, blogs ou catálogos, permitindo ao usuário uma navegação virtual em várias bibliotecas diferentes de acordo com os links colocados. 7) Motivar os usuários com imagens, ferramentas dinâmicas e hiperlinks eles são incentivados a comentar e complementar o conteúdo postado pela biblioteca. 8) Compartilhar a história da biblioteca, postando imagens da biblioteca através dos anos é possível montar uma história interativa e ainda permitir aos usuários que compartilhem suas próprias memórias acrescentando mais informações a história da instituição. 9) Utilizar algumas das ferramentas do Flickr para fazer gráficos estilosos. Muitas bibliotecas já possuem seus cartões visitas, pôsteres etc., criados com a ajuda do Flickr. Elas também postam capas históricas de revistas, pôsteres de filmes, entre outros. 10) Permitir acesso ao Flickr nos computadores das bibliotecas. Por motivos de segurança muitas instituições bloqueiam o acesso a diversos tipos de sites, inclusive ao Flickr.
  • 11.  Uma das possibilidades de uso para o YouTube é que ele seja um “depósito para vídeos instrucionais” que poderiam ser acessados através de um link no website da biblioteca. Ou ainda, uma maneira de complementar o conteúdo do acervo, utilizando vídeos que não são de autoria da biblioteca, e que não pertencem a mesma para acrescentar algum conteúdo disponibilizado, como é citado no artigo, o exemplo da America’s CareerInfoNet, que lista os vídeos sobre as diferentes profissões que existem no YouTube para ilustrar seu site e facilitar o entendimento do conteúdo, acrescentando-se assim mais um recurso áudio-visual para os usuários.  A biblioteca poderia criar um manual com recurso áudio-visual, passo a passo, com instruções para a utilização da biblioteca;  Guia de uso para estudantes;  Tutoriais para alunos e usuários de como usar a base de dados;  Tutoriais sobre o software utilizado pela biblioteca e como usá-lo.  Outro exemplo citado no artigo é o da Valdosta State University que criou um vídeo sobre “Como encontrar uma mesa de referência”. O vídeo se inicia na entrada da biblioteca e segue o caminho que deverá ser percorrido pelo usuário até os balcões de atendimento, facilitando a visualização do estudante, que sentirá familiarizado com o ambiente, antes mesmo de ter entrado na biblioteca.
  • 12.  LibGuides Librarian: permite ao usuário exibir os guias de seu perfil e também busca em catálogos de bibliotecas que tenha perfil no Facebook;  Facebook Librarian: funciona como um “fale conosco” ou “pergunte a um bibliotecário” através das pessoas que tenham a biblioteca fornecedora do serviço em seu perfil;  Books iRead: esse é considerado o maior aplicativo relacionado a livros do Facebook, nele é permitido ao usuário compartilhar suas preferências de leitura, informando quais livros ele já leu, quais gostariam de ler, quais nunca leriam e fazer um ranking de livros de acordo com critérios estabelecidos pelo próprio usuário.
  • 13.  A Missouri River Regional Library está utilizando o twitter para se comunicar com a comunidade local. Tudo que acontece na biblioteca esta sendo colocado no Twitter para que seus “seguidores”, termo designados para aquele que adicionam um perfil do twitter para acompanhar suas atualizações, tem acesso entre outros, a todas as novidades da biblioteca, como novas aquisições de base de dados, festivais promovidos pela biblioteca, alterações no funcionamento ou horários.  Outra funcionalidade do Twitter é o fato de que o aplicativo possui RSS feed, outra ferramenta que tem feito muitos adeptos nos centros de informação. De acordo com Arnal (2008) o blog BusEmpresarials da Universidade Autônoma de Barcelona também utiliza o Twitter como ferramenta de divulgação das notícias mais breves que podem ser visualizadas através de uma assinatura RSS feita pelo usuário no blog.
  • 14.  Bibliotecários resolveram desenvolver um cabeçalho de assuntos não tão tradicional quanto o da Library of Congress por meio do social bookmarking. Disponibilizando o aplicativo do Delicious em sua página na internet, a biblioteca pode utilizar tags para descrever páginas interessantes sobre o assunto pesquisado e salvá-las para formar uma base com todos os documentos relevantes sobre diversas pesquisas solicitadas pelos docentes. Dessa maneira, a colaboração entre os interessados faria a pesquisa se tornar mais eficiente, uma vez que qualquer usuário poderia adicionar sua própria tag ou página conforme achasse relevante.
  • 15.  Segundo Fichter (2003) existem inúmeras maneiras em que os blogs de bibliotecas podem ser usados para divulgá-las: promover os eventos da biblioteca, apoio aos usuários mais freqüentes, engajar a comunidade local, apoiar a comunidade que já utiliza a biblioteca, criar novos laços atraindo novos usuários.
  • 16.  Criar um RSS feed para novas aquisições no catálogo on line;  Criar um RSS feed ligado ao cadastro de cada usuário na biblioteca para notificações de materiais atrasados;  Criar um RSS feed para novos programas e eventos postados no website da biblioteca;  Criar um RSS feed para o newsletter eletrônico da biblioteca;  Criar um RSS feed para informar a imprensa e outras mídias;  Criar um RSS feed para informar sobre os dias que a biblioteca estará fechada e fechamentos de emergência;  Criar um RSS feed para vagas de emprego na biblioteca;  Inscrever-se alguns feeds RSS, como notícias locais, e compartilhar o conteúdo no site da biblioteca. Isto poderia ser incluído em uma página que contém outros recursos locais e links locais;  Inscrever RSS feeds de interesse para os clientes da biblioteca e compartilhar o conteúdo personalizado de cada cliente na página da biblioteca. Os clientes podem optar por acessar RSS feeds selecionando sua conta com informações sobre: assinatura de bases de dados, e-mail e chat com um bibliotecário;  Inscrever RSS feeds de profissionais e compartilhar com a equipe da biblioteca na intranet.
  • 17.  O site libsucess.org lista inúmeras bibliotecas que utilizam o serviço de mensagens instantâneas, cada biblioteca utiliza a política mais adequada a seus serviços, algumas, como a University of California San Diego Science and Engineering Library, disponibilizam o serviço em dias de semana de 10 às 17 horas através do AIM e Yahoo Messenger. Ou ainda, a Colorado College Tutt Library, que disponibiliza o serviço por meio do AIM, Yahoo Messenger e MSN Messenger durante todo o tempo em que tiver um bibliotecário na mesa de referência.
  • 18.  Um exemplo de biblioteca que utiliza o Skype é o da Ohio University. Ele funciona no esquema 24/5 que significa 24 horas por dia cinco dias por semana, nesse caso de segunda a sexta-feira. Em algumas bibliotecas setoriais é oferecido também o serviço por vídeo chat. Outro exemplo é o da University of Canterbury que estão testando uma versão do Skype em vídeo. Eles advertem que no primeiro momento os usuários podem ficar um pouco receosos do atendimento em vídeos, mas que após um período de experiências o retorno em relação ao serviço prestado foi bom.
  • 19. Lista Bibliotecas que utilizam o Twitter http://lindyjb.wordpress.com/2009/01/10/libraries-on- twitter-updated-list/ YouTube Biblioteca da Universidade de Aveiro (Portuga) http://www.youtube.com/bibliotecasUA Lista de Bibliotecas que utilizam o Delicious http://www.libraryjournal.com/article/CA6479377.html Lista de Bibliotecas que oferecem serviço de referência on line http://www.libsuccess.org/index.php?title=Online_Reference
  • 20.  Avanço da tecnologia  Quebra de paradigma  Literatura disponível  Iniciativas em bibliotecas estrangeiras  Iniciativa brasileira  Importância e relevância dos serviços e produtos da web 2.o