Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin

on

  • 1,615 views

Pra saber um pouco mais dessa grande obra de Morin.

Pra saber um pouco mais dessa grande obra de Morin.

Statistics

Views

Total Views
1,615
Views on SlideShare
1,615
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
44
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin Os sete saberes necessários à educação do futuro . Edgar Morin Presentation Transcript

  • IDEIA Instituto de Desenvolvimento em Educação Faculdade Suldamérica Coordenação de Pós-Graduação Latu Sensu Disciplina: Educação, Sociedade e Cultura EDUCAÇÃO DOS EDUCADORES : O PENSAMENTO DE EDGAR MORIN Djalma Caetano de Miranda
  • O pensamento de Morin à respeito da formação de professores • Morin trabalha com a ideia de que o conhecimento deve ser complexificado. • A realidade é por natureza um fenômeno complexo á medida que não podemos vivê-la de forma fragmentada. • O próprio ser humano é complexo: somos únicos e múltiplos ao mesmo tempo. ““Cada indivíduo é único. Cada individuo se compões de Cada indivíduo é único. Cada individuo se compões de inúmeros indivíduos que ele não conhece” (Octávio Paz). inúmeros indivíduos que ele não conhece” (Octávio Paz).
  • • Quando analisamos mais profundamente um acontecimento constatamos que este é uma parte inserida num todo. • O paradigma simplificador, redutor e reducionista analisa os acontecimentos numa só perspectiva. • Diante de uma realidade complexa devemos pensar também de forma complexa. • Quem educará no futuro os educadores será uma minoria de educadores, estimulados por esse pensamento complexo.
  • • Os educadores deverão buscar saberes para que possa responder às questões fundamentais referentes á ética, à cidadania, à sociedade planetária e global do presente e do futuro. Morin sugere sete saberes “fundamentais” para a educação do futuro
  • PRIMEIRO SABER: As cegueiras do conhecimento: o erro e a ilusão. • Temos erros de percepção ou de julgamento em relação à realidade exterior e em relação a nós mesmos. • Tendemos a acreditar que a ciência clássica garante a detecção desses erros e dessas falhas. • Porém, nem o conhecimento científico está imune ao erro. • A educação do futuro deverá estar consciente da possibilidade do erro nos processos do conhecimento.
  • SEGUNDO SABER: Os princípios do conhecimento pertinente (relativo). • Somos portadores e reprodutores de saberes desunidos e compartimendores, fragmentados e fragmentadores, divididos e divisores. • Os conhecimentos tem divisões estanques e não comunicáveis geradas por uma lógica binária que determina uma dupla visão do mundo falsamente antagônica. • O educador deve ser capaz de promover uma relação dialógica entre o particular e o geral, a parte e todo, do local e do global. • A educação do futuro formará o cidadão e o profissional apto a pensar e trabalhar com o todo e não com as partes isoladamente.
  • TERCEIRO SABER: Ensinar a condição humana. • Nosso destino está irremediavelmente ligado ao destino da Terra e do Universo. • A educação do futuro deverá conscientizar as novas gerações do nosso duplo imperativo antropológico: conservar a unidade e a diversidade humana. • A educação do futuro deverá conscientizar da nossa condição como cidadãos do mundo e do nosso destino em comum: individual, social e global.
  • Nossa condição cósmica nos leva a sermos três relações triádicas simultaneamente.
  • QUARTO SABER: Ensinar a identidade terrena • Somos todos originários da mesma espécie, possuímos as mesmas características fundamentalmente humanas. • O professor do futuro deverá despertar e cultivar nas futuras gerações um sentimento de desvelo e pertencimento à Terra. • Essa tomada de consciência já se iniciou: consciência ecológica, ação em defesa dos direitos humanos, direitos das minorias étnicas, culturais, sexuais e muitos outros movimentos sociais.
  • QUINTO SABER: Enfrentar as incertezas • A história do ser humano não é só calçada de certezas, ordens, determinismos, evoluções, progressos. • A história do ser humano comporta também incertezas, desordens, acasos, involuções e regressões. • Nossa vida não é linear, mas um complexo de ordens, desordens, organizações e desorganizações. • A educação do futuro ensinará que toda ação é um jogo de inter-retro-ações entre o sujeito e o contexto, com suas probabilidades e improbabilidades. • Deveremos desenvolver habilidades cognitivas que possibilitem um pensamento criador de estratégias.
  • SEXTO SABER: Ensinar a compreensão • Ensinar a compreensão é a missão espiritual da educação. • Vivemos um paradoxo. No momento em que o mundo mais se comunica menos nos compreendemos. • A incompreensão tem suas raízes que vão do mal-entendido ao não entendido de uma informação, passando pela ignorância : a)Dos ritos e costumes de outras culturas; b)Dos códigos de éticas e dos valores; c)Das visões e concepções de mundo. • As posições contrárias à compreensão são: a)O egoísmo e o egocentrismo; b)O etnocentrismo e o sociocentrismo; c)O espírito frio e redutor (o ladrão é só ladrão, o pobre é só pobre, etc).
  • • A educação do futuro deverá ensinar a ética da compreensão. • Essa ética apregoa o compreender de modo desinteressado e mais ainda, que se possa compreender a própria incompreensão. • A ética da compreensão requer uma abertura simpática ao outro, não somente ao próximo, mas ao distante também. • A ética da compreensão requer tolerância para as ideias e convicções diferentes das nossas.
  • SÉTIMO SABER: A ética do gênero humano • Devemos conceber cada uma • Devemos conceber cada uma dessas esferas como inseparáveis e dessas esferas como inseparáveis e coprodutoras uma das outras. coprodutoras uma das outras. • A ética do gênero exige o dever ético de ensinar os princípios democráticos da liberdade individual, da responsabilidade dos atos, o respeito à diversidade e ao antagonismo,o consenso que nasce do conflito de ideias, posições e pensamentos, da aceitação das pluralidades, concorrências e antagonismos.
  • Referências bibliográficas: BENZATTI, Eduardo. A educação e os educadores do futuro. “Todo conhecimento comporta o risco do erro e da ilusão. A educação do futuro deve enfrentar o problema de dupla face do erro e da ilusão. O maior erro seria subestimar o problema do erro; a maior ilusão seria subestimar o problema da ilusão. O reconhecimento do erro e da ilusão é ainda mais difícil, porque o erro e a ilusão não se reconhecem como tal." Edgar Morin