Apresentaçao variação linguística

8,343 views
7,971 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
8,343
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
367
Actions
Shares
0
Downloads
113
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentaçao variação linguística

  1. 1. Diretoria de Ensino Região de Bragança Paulista ORIENTAÇÃO TÉCNICA PARA PROFESSORES COORDENADORES Avaliação da Aprendizagem em Processo 13/06/2012 Língua Portuguesa ensino Médio PCNP de Língua Portuguesa - Dalmacia
  2. 2. Narradores de Javé – parte 1-10 YOUT
  3. 3. CHICO BENTOEM O CAUSO DA MELANCIA YOUTUBE
  4. 4. LOBISOMEM E O CORONEL – VERSÃO OF YOUTUBE animação produzida pela dupla Elvis Figueiredo e Ítalo Cajueiro em 2002
  5. 5. Questionamentos1- Como vocês caracterizam as personagens do ponto de vista econômico?2- E do ponto de vista regional/geográfico?3- Existe, então, uma correlação entre identidade cultural e variação linguística?
  6. 6. VARIAÇÃO LINGUÍSTICA
  7. 7. • No Brasil, considerando sua extensão física, é possível pensarmos em todos os brasileiros utilizando a Língua da mesma maneira? PRECONCEITO LINGUÍSTICO YOUTUBE
  8. 8. Existe uma variedade melhor do que a outra? Como devemos tratar a variedade linguística: enquanto formas diferentes de realização da língua ou como correto e não correto?
  9. 9. • O Brasil é composto por diversidade linguística e pluralidade cultural.• A língua é dinâmica.Ela sofre transformações. Existem diferentes variações que ocorrem em função das pessoas que usam a língua, entre elas estão: Variação Histórica - transformações ao longo do tempo – Você - antes vosmecê• Variação Regional - de acordo com a cultura de uma determinada região - abóbora, que é como jerimum. O dialeto caipira.• Variação Social - pertencente a um grupo específico de pessoas: gírias, a linguagem coloquial, a linguagem formal - utilizada pelas pessoas de maior prestígio social.
  10. 10. Norma-padrão – Ao contrário das normas urbanas de prestígio,que são variantes linguísticas desenvolvidas e atestadas no interiorde uma comunidade, a norma-padrão é um ideal de condutalinguística artificialmente construída, à semelhança das regras deetiqueta. Essencialmente conservadora, é baseada na escrita einspirada em ideologias puristas, propondo-se como padrãolinguístico em situações formais de esferas públicas.Normas urbanas de prestígio – Essa expressão vem sendo utilizada para (re) definir, com mais rigor sociolinguístico, a noção de “norma culta”. Assim, a expressão normas urbanas de prestígio designa os falares urbanos que, numa determinada comunidade linguística, desfrutam de maior prestígio político, social e cultural, graças a sua vinculação histórica com a escrita, a tradição literária, o Estado, a Escola, as Igrejas e a Imprensa.
  11. 11. FALAR DIFERENTE NÃO É FALAR ERRADO. João Ribeiro, 1921
  12. 12. • PRONOMINAIS Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro.• Oswald de Andrade
  13. 13. Habilidade trabalhada• H29- Justificar a presença em um texto, de marcas de variação linguística, no que diz respeito aos fatores geográficos, históricos, sociológicos ou técnicos, do ponto de vista da fonética, do léxico, da morfologia ou da sintaxe. (GIII) Reflexão sobre o uso da língua falada e escrita
  14. 14. Em “Agora tá tudo diferente:” , a palavra destacada é um exemplo de linguagem(A) ensinada na escola.(B) estudada nas gramáticas.(C) encontrada nos livros técnicos.(D) empregada com colegas.
  15. 15. • Justifica-se o uso da expressão placas tectônicas em razão de queA) o autor quis esclarecer o nome científico do fenômeno geológico explicado no segmento anterior.B) o autor quis informar a origem grega do termo que ele usaria no segmento posterior.C) o autor quis esclarecer que apenas na Grécia usa-se esse nome científico.D) o autor quis diferenciar as placas tectônicas dos blocos de rocha sólida.
  16. 16. BibliografiaNOLL, Volker. O português brasileiro:formação e contrastes/VolkerNoll; traduzido do alemão por Mario Eduardo Viaro. – SãoPaulo:Globo, 2008.RANGEL, Egon; GARCIA, Ana Luiza M.; MORI DE ANGELIS,Cristiane. Sequência didática: aprendendo por meio de resenhas.Curso online da Comunidade Virtual das Olimpíadas de LínguaPortuguesa Escrevendo o futuro, MEC?CENPEC, 2011.http://www.escrevendo.cenpec.org.brSiteshttp://www.youtube.com/watch?v=VkywM4GNvjs&feature=fvwhttp://www.youtube.com/watch?v=XKqWOJwe6cQ&feature=&p=607E32571http://portaldoprofessor.mec.gov.br/buscarAulas.http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=27231http://www.youtube.com/watch?v=6afuJb7CUq0

×