Violência policial no Brasil<br />
	A polícia representa o aparelho repressivo do Estado que tem sua atuação pautada no uso da violência legítima. <br />	É e...
Badido é paramorrer<br />...pensando dessa maneira, alguns moradores entrevistados consideram a violência policial como al...
Há uma reconhecida correlação entre violência, corrupção e impunidade. <br />A indiferença da sociedade pela sorte dos ban...
Não importa que ele tenha sido executado, importa que ele era bandido e isso basta para justificar seu assassinato. <br />...
Dada a soma de violências existente e o sentimento de insegurança despertado por elas, os moradores se voltam para a políc...
<ul><li>23% temem mais a polícia que os bandidos
Em cada três negros, um (35%) teme mais a polícia que os bandidos e outro teme os dois na mesma proporção,
Praticamente um em cada quatro Paulistanos (23%) tem hoje mais medo da polícia do que dos bandidos.
Em 95, 22% achavam a polícia nada eficiente. Agora, 36% compartilham dessa opinião.
Em números: os bandidos são menos temidos por 31% dos que já passaram por uma revista e por 18% dos que nunca foram revist...
"Abuso de poder." Essa é a idéia mais comumente associada à imagem da polícia pelos entrevistados da pesquisa. Ao todo, 23...
"Medo", "corrupção' , "ineficiência" e "desconfiança" foram lembrados por 70% dos entrevistados.<br />
Para tentar se encontrar um caminho que ajuste os órgãos de segurança à realidade democrática, é importante, antes de tudo...
13<br />Contextualizando a polícia<br />A polícia, diferentemente de todas as outras organizações de policiamento (caso, p...
14<br />Poder de Polícia<br />primeiro, por ter acesso ao uso legítimo da força;<br />segundo, pelo fato de ela ser um ser...
15<br />História da Polícia<br />Nos séculos XIX e XX protetora do patrimônio, subsidiariamente protege a vida;<br />Prote...
16<br />A violência policial<br />
17<br />FavelaNaval – Diadema - SP<br />
18<br />Como a mídia enxerga a Polícia brasileira<br />J:DARWIN29-11-07_1738_NEW.mp3<br />(Julita Lemgruber)<br />
19<br />Segundo a mídia a polícia brasileira é:<br />Mal paga;<br />Mal treinada;<br />Violenta;<br />Corrupta; e<br />Inc...
20<br />DIAGNÓSTICOS<br />“MANIPULAÇÃO SOCIALé exercida de forma sutil e insidiosa, por meio da população, com sua demanda...
21<br />O papel da Segurança Pública<br />Visão simplista: responsabilidade dos Governos Estaduais porque possuem corpo pr...
22<br />As polícias são e continuarão sendo muito importantes para a Segurança Pública, sendo dever da União e dos Estados...
23<br />Capital Social<br />   Segundo José Antonio<br />“Desde a perspectiva da CEPAL, o capital social sempre se entende...
24<br />Delimitando o conceito de Capital Social<br />As relações de solidariedadee os recursos por elas produzidos consti...
25<br />Princípios do Capital Social<br />as comunidades funcionam bem ou mal dependendo das dimensões sociais existentes....
26<br />Resultado do princípio<br />	A ação coletiva somente tem êxito quando existem afinidades entre as pessoas, se elas...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Violência policial 08 8-2008

1,309

Published on

1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
1,309
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
84
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Violência policial 08 8-2008

  1. 1.
  2. 2. Violência policial no Brasil<br />
  3. 3. A polícia representa o aparelho repressivo do Estado que tem sua atuação pautada no uso da violência legítima. <br /> É essa a característica principal que distingue o policial do marginal.<br /> Mas essa violência legítima está ancorada no modelo de “ordem sob a lei”, ou seja, a polícia tem a função de manter a ordem, prevenindo e reprimindo crimes, mas tem que atuar sob a lei, dentro dos padrões de respeito aos direitos fundamentais do cidadão – como direito à vida e à integridade física. <br />
  4. 4. Badido é paramorrer<br />...pensando dessa maneira, alguns moradores entrevistados consideram a violência policial como algo necessário, e que só atinge as pessoas “erradas” ou que estão em lugares “errados”.<br />
  5. 5. Há uma reconhecida correlação entre violência, corrupção e impunidade. <br />A indiferença da sociedade pela sorte dos bandidos acabou por tornar os bandidos indiferentes à sorte de suas vitimas potenciais e indiferentes mesmo a sua própria vida. <br />
  6. 6. Não importa que ele tenha sido executado, importa que ele era bandido e isso basta para justificar seu assassinato. <br />Se ele resistiu à polícia, colocando em risco sua própria vida, tanto melhor: merecia morrer. <br />
  7. 7. Dada a soma de violências existente e o sentimento de insegurança despertado por elas, os moradores se voltam para a polícia como a instância que deveria protegê-los das agressões praticadas pelos vizinhos e, principalmente, pelos marginais. Em lugar disso, a ação policial está pautada na omissão, cumplicidade com infratores, preconceito e violência. <br />
  8. 8. <ul><li>23% temem mais a polícia que os bandidos
  9. 9. Em cada três negros, um (35%) teme mais a polícia que os bandidos e outro teme os dois na mesma proporção,
  10. 10. Praticamente um em cada quatro Paulistanos (23%) tem hoje mais medo da polícia do que dos bandidos.
  11. 11. Em 95, 22% achavam a polícia nada eficiente. Agora, 36% compartilham dessa opinião.
  12. 12. Em números: os bandidos são menos temidos por 31% dos que já passaram por uma revista e por 18% dos que nunca foram revistados. Já a polícia conta com a preferência de 34% dos que já foram revistados, contra 47% dos que não foram parados por ela.</li></li></ul><li>O dossiê relaciona várias chacinas ocorridas nos últimos anos no estado, como a da Baixada Fluminense e a do Maracanã que produziram mortes, cujas circunstâncias até hoje não foram esclarecidas, e menciona dados sobre violência em ações policiais como a do Complexo do Alemão, em andamento há quatro meses, onde, até agora, foram contabilizadas cerca de 70 mortes. Segundo os dados, laudos mostram que 68% da vítimas receberam pelo menos um tiro pelas costas e 23% delas foram atingidas na cabeça, o que comprovaria que “não houve intenção de imobilizá-las, mas de executá-las".<br />Relatório produzido pela OEA<br />
  13. 13. "Abuso de poder." Essa é a idéia mais comumente associada à imagem da polícia pelos entrevistados da pesquisa. Ao todo, 23% relacionaram a polícia a essa expressão.<br />
  14. 14. "Medo", "corrupção' , "ineficiência" e "desconfiança" foram lembrados por 70% dos entrevistados.<br />
  15. 15. Para tentar se encontrar um caminho que ajuste os órgãos de segurança à realidade democrática, é importante, antes de tudo, que a sociedade descubra que tipo de polícia ela quer: uma polícia que respeite os direitos do cidadão, que exista para dar segurança e não para praticar a violência; ou uma polícia corrupta (que livra de flagrantes os filhos das classes abastadas) e arbitrária (que utiliza a tortura e o extermínio como métodos preferenciais de trabalho e que atingem na sua maioria as classes populares). <br />
  16. 16. 13<br />Contextualizando a polícia<br />A polícia, diferentemente de todas as outras organizações de policiamento (caso, por exemplo, no Brasil, dos órgãos de fiscalização sanitária e do meio ambiente), se destacaem função de duas razões principais:<br />
  17. 17. 14<br />Poder de Polícia<br />primeiro, por ter acesso ao uso legítimo da força;<br />segundo, pelo fato de ela ser um serviço público permanente de atendimento de emergência, ao menos teoricamente, disponível para todos, em qualquer lugar, 24 horas por dia. <br />
  18. 18. 15<br />História da Polícia<br />Nos séculos XIX e XX protetora do patrimônio, subsidiariamente protege a vida;<br />Proteger a elite;<br />Conter a plebe;<br />A Revolução de 64 “abduziu a polícia da sociedade”<br />
  19. 19. 16<br />A violência policial<br />
  20. 20. 17<br />FavelaNaval – Diadema - SP<br />
  21. 21. 18<br />Como a mídia enxerga a Polícia brasileira<br />J:DARWIN29-11-07_1738_NEW.mp3<br />(Julita Lemgruber)<br />
  22. 22. 19<br />Segundo a mídia a polícia brasileira é:<br />Mal paga;<br />Mal treinada;<br />Violenta;<br />Corrupta; e<br />Incompetente, porque não se fala.<br />
  23. 23. 20<br />DIAGNÓSTICOS<br />“MANIPULAÇÃO SOCIALé exercida de forma sutil e insidiosa, por meio da população, com sua demanda justa mas desesperada e ignorante por segurança pública, que parte do pressuposto de que a falta da SEGURANÇA se dá pela falta de mais ENERGIA POLICIAL, diga-se, TRUCULÊNCIA. A polícia nada mais é do que a imagem da própria sociedade.” (Dr. Balestreri – SENASP/MJ)<br />“É preciso considerar que a polícia não é um monstro à margem da sociedade, nem é capaz de reagir contra os anseios desta mesma sociedade.” (Prof. Ignácio Cano, Depto. de Ciências Sociais da UERJ)<br />
  24. 24. 21<br />O papel da Segurança Pública<br />Visão simplista: responsabilidade dos Governos Estaduais porque possuem corpo próprio de Polícias Civil e Militar e do Governo Federal por ter maior dotação orçamentária, além das polícias Federal e Rodoviária Federal (artigo 144, CF/88);<br />Visão ampliada: Segurança Pública pressupõe uma realidade que abarca um conjunto de providências e programas específicos, que podem manter pouca ou nenhuma relação com o trabalho das polícias. <br />
  25. 25. 22<br />As polícias são e continuarão sendo muito importantes para a Segurança Pública, sendo dever da União e dos Estados capacitá-las e aperfeiçoá-las. Contudo, uma política de Segurança Pública deve envolver outras agências, públicas e privadas, capazes de desenvolver e apoiar políticas de prevenção. <br />Daí a necessidade de estruturar-se uma atividade em REDE, que envolva as Polícias, o Judiciário, o Ministério Público, a Sociedade Civil Organizada e outras Instituições Públicas ou Privadas, num trabalho racional, complementar e não competitivo, onde as comunidades exerçam um verdadeiro protagonismo.<br />
  26. 26. 23<br />Capital Social<br /> Segundo José Antonio<br />“Desde a perspectiva da CEPAL, o capital social sempre se entende como o conjunto de relações sociais baseadas na confiança e nos comportamentos de cooperação e reciprocidade.” <br />
  27. 27. 24<br />Delimitando o conceito de Capital Social<br />As relações de solidariedadee os recursos por elas produzidos constituem um tipo de fábrica social das comunidades e transformam-se em fatores essenciais para o desenvolvimento de estratégias que atuem em beneficio da comunidade. <br />
  28. 28. 25<br />Princípios do Capital Social<br />as comunidades funcionam bem ou mal dependendo das dimensões sociais existentes. <br />
  29. 29. 26<br />Resultado do princípio<br /> A ação coletiva somente tem êxito quando existem afinidades entre as pessoas, se elas confiamumas nas outras e se respeitam mutuamente, capacitando-as a compartilharrecursos, tanto como inputs e outputs.<br />
  30. 30. Em relação ao texto “VIOLÊNCIA POLICIAL NO BRASIL: abordagens teóricas e práticas de controle”, responda:<br />1) Quais são as concepções de violência policial estudadas?<br />2) Quais são as explicações para o problema da violência policial?<br />3) Quais são os tipos de práticas de controle da violência policial sugeridos?<br />4) Como você se posiciona, criticamente, em relação ao texto lido?<br />
  31. 31. 28<br />Pehkx Jones<br />pehkx.jones@terra.com.br<br />61 – 9682-3434<br />
  32. 32. 29<br />Bom final de semana!!<br />
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×