APLICAÇÃO DAS PRIORIDADESDIOCESANAS NO QUADRIÊNIO 2011 - 2015DiscípulosMissionáriosemMissão        Diocese de Araçatuba
Convocação Pastoral      Dom precioso do Bom Pastor é conceder-nos participar doscuidados do Seu rebanho. O Senhor da Mess...
Apresentação     As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil2011-2015 incentivam a Igreja a reconhecer...
APLICAÇÃO DAS PRIORIDADES NO QUADRIÊNIO                 2011 - 2015I – INTRODUÇÃO           A Diocese de Araçatuba, já há ...
‘Evangelizar, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo,      como Igreja discípula, missionária e profética, ...
II – PROPOSTAS DE APLICAÇÃO DAS PRIORIDADES DIOCESANAS1. PRIORIDADE ECLESIAL: FAMÍLIA  1.1 NA DIOCESESob a responsabilidad...
c. Organizar visitas pastorais às famílias;  d. Incentivar o planejamento e a participação na Semana da Família e     na S...
2.2 NA REGIÃO PASTORALSob a coordenação dos Conselhos Regionais de Pastoral:   a. Cada região pastoral, a partir de sua re...
entender o alcance dessas decisões. Prioridades não são tarefas, masbalisas a pautar a vida e a ação de todas as forças vi...
11   22      7
Oração do Brasil na missão continental        Senhor, Deus da vida e do amor,             enviastes o vosso Filho      par...
Aplicação prioridades diocesanas no quadriênio 2011 2015
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Aplicação prioridades diocesanas no quadriênio 2011 2015

2,415 views

Published on

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,415
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,374
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aplicação prioridades diocesanas no quadriênio 2011 2015

  1. 1. APLICAÇÃO DAS PRIORIDADESDIOCESANAS NO QUADRIÊNIO 2011 - 2015DiscípulosMissionáriosemMissão Diocese de Araçatuba
  2. 2. Convocação Pastoral Dom precioso do Bom Pastor é conceder-nos participar doscuidados do Seu rebanho. O Senhor da Messe nos constitui seusdiscípulos e envia-nos em missão. Vinde! Ide! São dois movimentos que estreitam nossa pertençaao Senhor e aprofundam a consciência de nossa identidade cristã,impulsionando-nos, continuamente, no serviço da construção doReino de Deus. O Episcopado Latino Americano expressou vivamente estedom na Conferência de Aparecida: “Conhecer a Jesus é o melhorpresente que qualquer pessoa pode receber; tê-lo encontrado foi omelhor que ocorreu em nossas vidas, e fazê-lo conhecido com nossapalavra e obras é nossa alegria” (DA, n. 29). É com o reconhecimento do dom de participar do cuidado doRebanho do Senhor e com imensa alegria no coração que conclamonossa diocese inteira a acolher, docilmente, as orientações destemanual da Aplicação das Prioridades Diocesanas no Quadriênio 2011-2015. Na comunhão eclesial, colocamo-nos em espírito de oraçãopara pedir pelo êxito da pastoral em nossa realidade diocesana. Fortaleça-nos e conduza-nos o Senhor da Messe e Pastor doRebanho! Dom Sergio Krzywy Bispo Diocesano de Araçatuba 3
  3. 3. Apresentação As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil2011-2015 incentivam a Igreja a reconhecer-se em estado permanentede missão. Dentro deste contexto eclesial, nossa Diocese deAraçatuba, escolheu como Prioridade Pastoral na dimensão Eclesial: aFamília, e na dimensão Social: Ações de Superação da Violência e dasDrogas. Em continuidade ao processo iniciado, a Coordenação Diocesanade Pastoral apresenta o texto: APLICAÇÃO DAS PRIORIDADESDIOCESANAS NO QUADRIÊNIO 2011-2015, que almeja dar umacoesão maior em nosso agir pastoral. Com grande alegria, registra-se que muitas das propostasapresentadas já estão sendo aplicadas em nossas comunidades. ACoordenação Diocesana de Pastoral quer prestar um serviço a toda aDiocese ao apresentar este subsídio. Manifesto a minha gratidão ao Bispo Diocesano, Dom SergioKrzywy, por incentivar a pastoral diocesana com empenho e zelo depastor, e à Coordenação Diocesana de Pastoral e Equipe Executiva,pela contribuição na elaboração do texto final. Que Deus Pai, em Cristo, no Espírito Santo, enriqueça a todaDiocese com sua bênção e ilumine sua caminhada pastoral, sob aintercessão de Maria Santíssima, no título da Imaculada ConceiçãoAparecida, padroeira do Brasil e de nossa Diocese. Pe. Fernando Stanicheschi Coordenador Diocesano de Pastoral 4
  4. 4. APLICAÇÃO DAS PRIORIDADES NO QUADRIÊNIO 2011 - 2015I – INTRODUÇÃO A Diocese de Araçatuba, já há alguns anos, vemdesenvolvendo um trabalho pastoral dinamizando e articulando a açãoevangelizadora. Para tornar esse processo evangelizador maisconsistente foi brotando a necessidade de realizar-se uma AssembléiaDiocesana. Assim, a Coordenação do Conselho Diocesano de Pastoralficou encarregada de traçar a linha mestra desde as AssembléiasComunitárias, passando pelas Paroquiais e Regionais, até culminar naAssembléia Diocesana, que indicou as prioridades do caminhoevangelizador, a ser percorrido nos quatro anos subseqüentes àAssembléia. A caminhada da Igreja Particular de Araçatuba situa-se noespírito do Concílio Vaticano II, das Conferências Episcopais da Igrejana América Latina e das Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igrejano Brasil. A fidelidade a Jesus Cristo e a caridade para com o povosedento de uma água capaz de saciar-lhe a sede de viver plenamente,estimula a Igreja a sair e evangelizar com um fervor sempre renovado.Ciente está a Igreja, que não pode se acomodar. Ao contrário, decididae fiel ao seu Senhor, busca constantemente renovar-se paraevangelizar com maior eficácia. A urgência missionária que perpassa a Igreja, faz-sepresente, também, na diocese de Araçatuba. Múltiplas são asiniciativas pastorais e missionárias presentes em nossa diocese.Valiosíssima é a contribuição do clero, religiosos, religiosas e,principalmente, do grande contingente de leigos que, com admirávelalegria e generosa dedicação, empenham-se em suas tarefasevangelizadoras. 5
  5. 5. ‘Evangelizar, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo10,10), rumo ao Reino definitivo.’ Os participantes, divididos em 10 grupos, analisaram edebateram as propostas apresentadas pelas regiões. Os 160 delegadospresentes no plenário escolheram, por maioria simples, conformeestabelecia o regimento, como prioridade eclesial, a FAMÍLIA, e comoprioridade social, AÇÃO DE SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA E DASDROGAS. Ratificou outrossim, o plenário, as prioridades regionaisdefinidas por cada região pastoral: * Região pastoral de Araçatuba: JUVENTUDE, * Região pastoral de Birigui: MISSÕES POPULARES, * Região pastoral de Guararapes: FORMAÇÃO, * Região pastoral de Andradina: FAMÍLIA. D. Sergio Krzywy, Bispo diocesano, chancelou as decisõesda Assembléia. A Assembléia limitou-se a fixar as prioridades, mas não seenvolveu em elaborar programas para a sua aplicação. As instânciasdiocesanas de ação Pastoral ficaram responsáveis de elaborar eapresentar orientações e encaminhamentos de ação. A partir das reflexões e análises elaboradas no ConselhoDiocesano de Pastoral e na Assembléia do Clero, apresentamos aspropostas e metas de aplicação das prioridades definidas. 6
  6. 6. II – PROPOSTAS DE APLICAÇÃO DAS PRIORIDADES DIOCESANAS1. PRIORIDADE ECLESIAL: FAMÍLIA 1.1 NA DIOCESESob a responsabilidade da Coordenação e da Equipe Executiva doConselho Diocesano de Pastoral: a. Fortalecer a Pastoral Familiar, a partir da sua Coordenação Diocesana; b. Criar uma equipe específica da Pastoral Familiar, para ampla assessoria nas regiões pastorais; c. Motivar a Semana Nacional da Família e a Semana de Defesa da Vida; d. Propor uma disciplina, no Curso de Teologia para Leigos, que aprofunde a reflexão sobre a Família; e. Motivar as Pastorais e Movimentos, para que assumam a Prioridade Família em suas atividades; f. Elaborar material para divulgação da Prioridade em toda Diocese; g. Preparar, um folheto celebrativo, para as famílias rezarem em casa. 1.2 NA REGIÃO PASTORALSob a coordenação dos Conselhos Regionais de Pastoral: a. Cada região pastoral, a partir de sua realidade, é motivada a pensar e aplicar com criatividade a prioridade Família; b. Que as regiões organizem-se para facilitar a assessoria diocesana da equipe específica da Pastoral Familiar; c. Destacar, sempre que possível nos encontros regionais, a prioridade Família. 1.3 NA PARÓQUIA a. Estabelecer a Pastoral Familiar, onde não existe, e fortalecê-la onde já está implantada; b. Dar atenção especial à Pastoral do Batismo e à Catequese; organizar a pastoral de modo a trabalhar com a família no sentido integral e abrangente; 7
  7. 7. c. Organizar visitas pastorais às famílias; d. Incentivar o planejamento e a participação na Semana da Família e na Semana em Defesa da Vida; e. Desenvolver encontros de estudos e de momentos celebrativos com o tema Família; f. Incentivar o encontro de casais de segunda união, e promover encontros catequéticos com os casais para conhecerem e viverem melhor o sacramento do matrimônio; g. Promover a articulação no Conselho de Pastoral Paroquial entre as atividades pastorais já existentes. 1.4 NA COMUNIDADE a. Motivar visitas às famílias, sobretudo aos enfermos e idosos; b. Motivar as famílias a participar das novenas, dos grupos de reflexão e de estudos. 1.5 NA FAMÍLIA a. Motivar a Família à vida de oração, de participação eclesial e à vivência cristã; b. Rezar nos tempos fortes com o material fornecido pela Diocese.2. PRIORIDADE SOCIAL: AÇÃO DE SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA E DAS DROGAS 2.1 NA DIOCESESob a responsabilidade da Coordenação e da Equipe Executiva doConselho Diocesano de Pastoral: a. Incentivar a Pastoral da Sobriedade, onde ela pode crescer e desenvolver-se; b. Motivar todas as Pastorais e movimentos, para que assumam a Prioridade Ação de Superação da Violência e das Drogas em suas atividades; c. Promover a articulação entre as pastorais sociais (Criança; Carcerária; Saúde; Social; Sobriedade), na aplicação desta prioridade. Sugestão: realizar um Fórum destas Pastorais; d. Elaborar material para divulgação da Prioridade em toda Diocese. 8
  8. 8. 2.2 NA REGIÃO PASTORALSob a coordenação dos Conselhos Regionais de Pastoral: a. Cada região pastoral, a partir de sua realidade, é motivada a pensar e aplicar com criatividade a Prioridade Ação de Superação da Violência e das Drogas; b. Nos encontros regionais, especialmente com os jovens, abordar esta prioridade; c. Aproveitar as reuniões das regiões para partilha de experiências pastorais. 2.3 NA PARÓQUIA a. Valorizar e participar das iniciativas existentes na sociedade para a Superação da Violência e das Drogas; b. Promover momentos de conscientização com assessoria específica; c. Motivar a formação de grupos de jovens; d. Abordar na catequese temas pertinentes à realidade da Violência e das Drogas. 2.4 NA COMUNIDADE a. Incentivar a participação nas campanhas inerentes a esta prioridade; b. Solidarizar-se com as famílias que enfrentam diretamente o drama da superação, motivando-as para engajamentos de grupos, serviços e pastorais.III – CONCLUSÃO As regiões, paróquias e movimentos são convocados adebruçar-se sobre essas prioridades de modo a encontrar meios pararealizá-las, respeitando o carisma e a realidade de cada instância. Épreciso que toda a diocese compenetre-se que foi a Igreja de Araçatubaque definiu essas prioridades. A esta mesma Igreja, clero e leigoscompete, agora, assumir essas preferências e as pôr em prática. Urge, como primeira e indispensável atividade, levar aoconhecimento de todos, o que ficou determinado em Assembléia. Urge, 9
  9. 9. entender o alcance dessas decisões. Prioridades não são tarefas, masbalisas a pautar a vida e a ação de todas as forças vivas da diocese. Todos osagentes de pastoral, sem distinção, devem sentir-se envolvidos, sempre deacordo com a identidade de cada segmento pastoral, na realização práticadessas prioridades. A Igreja quer marcar presença na sociedade, aplicadaem SERVIR, DIALOGAR, ANUNCIAR E SER TESTEMUNHA DACOMUNHÃO. Uma ação articulada, genuinamente pastoral, induziránaturalmente a uma fecunda partilha de experiências e, também, a umainteração generosa que torna real e eficaz uma Pastoral de Conjunto. A Diocese de Araçatuba possui um novo perfil, a partir daAssembléia diocesana. A convocação, agora, é para concentrar esforços,canalizar energias em vista dos objetivos a serem alcançados. Quando,todos, olharmos numa mesma direção, com idêntica determinação eevangélica caridade, haveremos de experimentar a alegria de estarmosservindo às nossas irmãs e aos nossos irmãos, onde quer que estejam, aencontrar a fonte de água viva a jorrar para a vida eterna. Por feliz coincidência, a Assembléia aconteceu na véspera do3º Domingo da Quaresma, que evoca o magistral encontro do SenhorJesus com a mulher samaritana. Neste encontro, o Mestre nos deixa umapreciosa lição de ação missionária. Senta-se no poço, lugar deconvergência dos nativos. Rebaixa-se para abrir a possibilidade dediálogo. Mantém-se sereno, apesar das provocações e ironias. Persiste emanunciar a verdade, mesmo encontrando resistências. Sua perseverança edeterminação encontraram o êxito desejado, a conversão, não de umapessoa, mas de todo um povoado. Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, e danossa Diocese, acompanhe-nos com sua intercessão, para que sejamosfiéis discípulos missionários de seu Filho Jesus Cristo, na construção doReino de Deus. Diocese de Araçatuba, 23 de Dezembro de 2011. Coordenação Diocesana de Pastoral 10
  10. 10. 11 22 7
  11. 11. Oração do Brasil na missão continental Senhor, Deus da vida e do amor, enviastes o vosso Filho para nos libertar das forças da morte e conduzir-nos no caminho da esperança. Movei-nos pelo dom do vosso Espírito! Fazei-nos discípulos, comprometidos com o anúncio do Evangelho em nossa Pátria, em comunhão com a Missão Continental. Fazei-nos missionários,caminhando ao encontro de nossos irmãos e irmãs, acolhendo a todos, sobretudo os jovens, os afastados, os pobres, os excluídos. Virgem Mãe Aparecida, intercedei junto ao vosso Filho, para que sejamos fiéis ao nosso compromisso de discípulos missionários. Amém!

×