Redemocratização e
Neoliberalismo
O Brasil e o Mundo após o fim da Guerra Fria.
A Redemocratização no Brasil
Governo Neoli...
Fim da Guerra Fria
 A Guerra Fria começou a esfriar durante a década de

1980. Em 1989, a queda do muro de Berlim foi o a...
Fim da Guerra Fria
 Podemos afirmar que a crise nos países socialistas

funcionou como um catalisador do fim da Guerra Fr...
Fim da Guerra Fria
 No começo da década de 1990, o presidente da União

Soviética Mikhail Gorbachev começou a implementar...
Fim da Guerra Fria
 Na década de 1990, sem a pressão soviética, os outros

países socialistas (Polônia, Hungria, Romênia,...
Mikhail Gorbachev, Secretário-Geral do Partido Comunista da União Soviética, e Ronald
Reagan, Presidente dos Estados Unido...
Organização das Nações Unidas.
Organização das Nações Unidas.
Redemocratização no Brasil
 Nos últimos anos do governo militar, o Brasil

apresenta vários problemas. A inflação é alta ...
Redemocratização no Brasil
 O movimento era favorável à aprovação da Emenda

Dante de Oliveira que garantiria eleições di...
Redemocratização no Brasil
 Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de






oposição formado pelo PMDB e p...
Imagem de manifestantes pedindo a redemocratização no Brasil.
Imagem de manifestantes pedindo a redemocratização no Brasil.
Imagem representando o parlamento quando foi aprovado a diretas para presidente.
Tancredo Neves.
José Sarney.
Governo Sarney
 Com a morte de Tancredo, assumiu a Presidência seu

vice. Político contraditório, José Sarney de Araújo
C...
Governo Sarney
 No início de 1986, o governo lançou um plano





econômico que visava o controle da inflação:
Criaçã...
Governo Sarney
 A fim de mostrar seu interesse na redemocratização do

país, Sarney convocou no início de 1987 uma
Assemb...
Governo Sarney
 Eleições diretas para os cargos executivos e

legislativos e sistema de presidencialismo;
 Possibilidade...
Governo Sarney
 O mandato de José Sarney terminaria em 1990. Em

1989 foram realizadas as eleições. Após 20 anos, o
povo ...
José Sarney.
Uma cédula de Cruzados
Uma cédula de Cruzados Novos
Brasão da Republica Federativa do Brasil.
Neoliberalismo
 Podemos definir o neoliberalismo como um conjunto

de idéias políticas e econômicas capitalistas que
defe...
Miséria
Neoliberalismo: Crítcas
 Os críticos ao sistema afirmam que a economia

neoliberal só beneficia as grandes potências
econ...
Miséria
Neoliberalismo: Pontos Positivos
 Os defensores do neoliberalismo acreditam que este

sistema é capaz de proporcionar o d...
Globalização
Governos que adotaram políticas
econômicas neoliberais:
 No Brasil: Fernando Collor de Melo (1990 - 1992) e






Fer...
Fernando Collor.

Fernando Henrique Cardoso.
Eduardo Frei.

Ricardo Lagos.

Michelle Bachelet.
Ronald Reagan.

George Bush.

George W. Bush.
Ronald Reagan.
Margaret Thatcher.
Governo Fernando Collor: História
 Fernando Affonso Collor de Mello é um político,

jornalista, economista, empresário e ...
Governo Fernando Collor: História
 Nessa qualidade votou a favor das Diretas Já em 25 de

abril de 1984 e com a derrota d...
Fernando Affonso Collor de Mello
Capa da Revista Veja citando o logotipo da Campanha de Collor.
Governo Fernando Collor:
Eleição para Presidência.
 Fiel a sua estratégia rumo ao Palácio do

Planalto elegeu o governo S...
Governo Fernando Collor:
Eleição para Presidência.
 Desde então, passou à condição de alternativa conservadora

às eleiçõ...
Leonel Brizola.
Luiz Inácio Lula da Silva.
Roberto Marinho Fundador da Rede Globo.
Rede Globo.
Governo Fernando Collor:
Eleição para Presidência.
 Iniciou as articulações para a formação de uma chapa

viável de modo ...
Itamar Franco.
Governo Fernando Collor:
Presidente
 Collor teria uma duração de dois anos e meio sendo

que seu titular assumiu a presid...
Governo Fernando Collor:
Presidente
 Ao mesmo tempo, o governo passou a incentivar os

investimentos externos no Brasil m...
Governo Fernando Collor:
Presidente
 Não são poucas as críticas sobre a venda do patrimônio

público. Uma delas aponta ao...
Collor, o mais jovem presidente.
Companhia Vale do Rio Doce.
Companhia Siderúrgica Nacional.
Companhia Siderúrgica Nacional.
Governo Fernando Collor:
Plano Collor
 No ano anterior ao início de seu governo a inflação

oficial medida pelo Instituto...
Governo Fernando Collor:
Plano Collor
 Anunciou o retorno do cruzeiro como unidade

monetária em substituição ao cruzado ...
Governo Fernando Collor:
Plano Collor
 80% de todos os depósitos do overnight, das contas correntes ou

das cadernetas de...
Logomarca do Governo Collor.
A ministra da Fazenda, Zélia Cardoso de Mello.
Jornal anunciando o Plano COLLOR.
Cédula de 50.000 Cruzeiros
Pessoas fazendo filas com medo do confisco da poupança pelo Plano Collor
Governo Fernando Collor:
Impeachment
 Em meados de 1991, denúncias de irregularidades

começaram a surgir na imprensa, en...
Governo Fernando Collor:
Impeachment
 A Revista IstoÉ publica em 24 de junho uma matéria

na qual Eriberto França, motori...
Governo Fernando Collor:
Impeachment
 Em 29 de setembro, por 441 a 38 votos, a Câmara vota

pelo impedimento do president...
A ex-primeira dama Rosane Collor.
Pedro Collor de Mello, irmão do presidente.
Capa da Revista Veja, no qual Pedro Collor denuncia o irmão.
Paulo César Farias, PC FARIAS
Eriberto França, motorista da secretária de Collor.
Capa da Revista IstoÉ, no qual Eriberto denuncia a corrupção.
Imagem dos CARAS PINTADAS
Imagem da Manifestação pelo Impeachment de Collor.
Imagem da Manifestação pelo Impeachment de Collor.
Fernando Collor deixando a Presidência.
Tô Feliz (Matei O Presidente):
Gabriel O Pensador


Atirei o pau no rato
Mas o rato não morreu
Dona Rosane, admirou-se do...
Governo Itamar Franco: História
 Itamar Augusto Cautiero Franco foi um político

brasileiro, 33º presidente da República,...
Governo Itamar Franco: História
 O Brasil estava no meio de uma grave crise

econômica, com a inflação chegando a 1100%
e...
Governo Itamar Franco: História
 O Presidente Itamar Franco fez projetos de combate à

miséria ao lado do sociólogo Betin...
Itamar Franco, presidente.
Edmar Bacha.
Cédula de Um Real.
Betinho.
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 Fernando Henrique Cardoso é um sociólogo, cientista

político, filósofo, professor uni...
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 Em 1980, quando se extinguiu o bipartidarismo e

autorizou-se o multipartidarismo, FHC...
João Figueiredo.
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 Durante o governo Sarney exerceu apenas o cargo de líder

do governo no Congresso Naci...
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 Em 19 de maio de 1993, assumiu o Ministério da

Fazenda por indicação feita à época ao...
João Figueiredo.
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 Fernando Henrique tomou posse como presidente em 1

de janeiro de 1995, tendo nos dois...
Marco Maciel.
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 Em seu governo houve denúncias de corrupção, dentre

as quais merecem destaque as acus...
Logomarca do Bolsa Escola.
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 O segundo mandato do presidente FHC findou-se no

dia 1º de janeiro de 2003, com a pos...
Imagem representado a Crise do Apagão.
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 FHC continuou o processo de privatização de

empresas estatais iniciadas por Fernando ...
Companhia Vale do Rio Doce.
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 Concedeu à iniciativa privada, por tempo determinado,

a operação de algumas rodovias ...
Rodovia Presidente Dutra.
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 O livro A Privataria Tucana, do repórter Amaury

Ribeiro Jr.acusa a chamada Era das Pr...
Capa da obra “A Privataria Tucana”.
Amaury Ribeiro Jr..
Governo
Fernando Henrique Cardoso
 ―O Brasil não gosta do sistema capitalista. Os congressistas não
gostam do capitalismo...
Governo
Fernando Henrique Cardoso
Redemocratização e  neoliberalismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Redemocratização e neoliberalismo

4,616

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,616
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
189
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Redemocratização e neoliberalismo

  1. 1. Redemocratização e Neoliberalismo O Brasil e o Mundo após o fim da Guerra Fria. A Redemocratização no Brasil Governo Neoliberalismo: •Fernando Collor •Fernando Henrique Cardoso (FHC)
  2. 2. Fim da Guerra Fria  A Guerra Fria começou a esfriar durante a década de 1980. Em 1989, a queda do muro de Berlim foi o ato simbólico que decretou o encerramento de décadas de disputas econômicas, ideológicas e militares entre o bloco capitalista, comandado por Estados Unidos e o socialista, dirigido pela União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).  Na sequência deste fato, ocorreu a reunificação da Alemanha (Ocidental com Oriental).
  3. 3. Fim da Guerra Fria  Podemos afirmar que a crise nos países socialistas funcionou como um catalisador do fim da Guerra Fria.  Os países do bloco socialistas, incluindo a União Soviética, passavam por uma grave crise econômica na década de 1980.  A falta de concorrência, os baixos salários e a falta de produtos causaram uma grave crise econômica. A falta de democracia também gerava uma grande insatisfação popular.
  4. 4. Fim da Guerra Fria  No começo da década de 1990, o presidente da União Soviética Mikhail Gorbachev começou a implementar a Glasnost (reformas políticas priorizando a liberdade) e a Perestroika (reestruturação econômica).  A União Soviética estava pronta para deixar o socialismo, ruma a economia de mercado capitalista, com mais abertura política e democrática.  Na sequência, as diversas repúblicas que compunham a União Soviética foram retomando sua independência política. Futuros acordos militares entre Estados Unidos e Rússia garantiriam o início de um processo de desarmamento nuclear.
  5. 5. Fim da Guerra Fria  Na década de 1990, sem a pressão soviética, os outros países socialistas (Polônia, Hungria, Romênia, Bulgária, entre outros) também foram implementando mudanças políticas e econômica no sentido do retorno da democracia e engajamento na economia de mercado.  Portanto, a década de 1990 marcou o fim da Guerra Fria e também da divisão do mundo em dois blocos ideológicos. O temor de uma guerra nuclear e as disputas armamentistas e ideológicas também foram sepultadas.
  6. 6. Mikhail Gorbachev, Secretário-Geral do Partido Comunista da União Soviética, e Ronald Reagan, Presidente dos Estados Unidos, assinando o Tratado INF, em 8 de dezembro de 1987.
  7. 7. Organização das Nações Unidas.
  8. 8. Organização das Nações Unidas.
  9. 9. Redemocratização no Brasil  Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também.  Enquanto isso a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos e com o fortalecimento dos sindicatos.  Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já.
  10. 10. Redemocratização no Brasil  O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano.  Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.  No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República.
  11. 11. Redemocratização no Brasil  Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de      oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal. Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.
  12. 12. Imagem de manifestantes pedindo a redemocratização no Brasil.
  13. 13. Imagem de manifestantes pedindo a redemocratização no Brasil.
  14. 14. Imagem representando o parlamento quando foi aprovado a diretas para presidente.
  15. 15. Tancredo Neves.
  16. 16. José Sarney.
  17. 17. Governo Sarney  Com a morte de Tancredo, assumiu a Presidência seu vice. Político contraditório, José Sarney de Araújo Costa havia apoiado o regime militar, inclusive votou contra a emenda Dante de Oliveira, que garantiria eleições diretas em 1985. Mesmo assim, foi eleito na chapa favorável a redemocratização do país.  Sarney pegou um Brasil arruinado. Os índices de inflação eram altíssimos, a população sofria com desemprego, miséria e a dívidas externa e interna herdadas do período militar assolavam ainda mais o país.
  18. 18. Governo Sarney  No início de 1986, o governo lançou um plano     econômico que visava o controle da inflação: Criação de uma nova moeda – Cruzado; Congelamento do preço das mercadorias; Congelamento de salários, adotando o ―gatilho salarial‖; Fim da correção monetária;
  19. 19. Governo Sarney  A fim de mostrar seu interesse na redemocratização do país, Sarney convocou no início de 1987 uma Assembléia Constituinte, para elaborar uma nova Constituição. A Assembléia Constituinte foi composta por Deputados e membros do Senado.  Depois de 20 meses de trabalhos, discussões, no dia 05 de outubro de 1988 foi promulgada a Constituição do Brasil, a mesma que está em vigor atualmente. Ficou conhecida como Constituição Cidadã, tendo como garantias e deveres:
  20. 20. Governo Sarney  Eleições diretas para os cargos executivos e legislativos e sistema de presidencialismo;  Possibilidade de criação das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs);  Igualdade e direitos para cidadãos: liberdade para trabalhar, para expressar o pensamento, liberdade de religião, acesso à saúde, educação, etc;  Direitos trabalhistas foram reafirmados: jornada de trabalho de 44 horas semanais, FGTS, entre outros.
  21. 21. Governo Sarney  O mandato de José Sarney terminaria em 1990. Em 1989 foram realizadas as eleições. Após 20 anos, o povo pode ir às urnas para eleger seu candidato à Presidência.  Sarney não se opôs à campanha eleitoral, em nenhum momento. Mesmo porque este direito estava garantido na Constituição, promulgada em 1988. Seu sucessor, eleito pelo voto popular, foi Fernando Collor de Mello.
  22. 22. José Sarney.
  23. 23. Uma cédula de Cruzados
  24. 24. Uma cédula de Cruzados Novos
  25. 25. Brasão da Republica Federativa do Brasil.
  26. 26. Neoliberalismo  Podemos definir o neoliberalismo como um conjunto de idéias políticas e econômicas capitalistas que defende a não participação do estado na economia. De acordo com esta doutrina, deve haver total liberdade de comércio (livre mercado), pois este princípio garante o crescimento econômico e o desenvolvimento social de um país.  Surgiu na década de 1970, através da Escola Monetarista do economista Milton Friedman, como uma solução para a crise que atingiu a economia mundial em 1973, provocada pelo aumento excessivo no preço do petróleo.
  27. 27. Miséria
  28. 28. Neoliberalismo: Crítcas  Os críticos ao sistema afirmam que a economia neoliberal só beneficia as grandes potências econômicas e as empresas multinacionais. Os países pobres ou em processo de desenvolvimento (Brasil, por exemplo) sofrem com os resultados de uma política neoliberal. Nestes países, são apontadas como causas do neoliberalismo: desemprego, baixos salários, aumento das diferenças sociais e dependência do capital internacional.
  29. 29. Miséria
  30. 30. Neoliberalismo: Pontos Positivos  Os defensores do neoliberalismo acreditam que este sistema é capaz de proporcionar o desenvolvimento econômico e social de um país. Defendem que o neoliberalismo deixa a economia mais competitiva, proporciona o desenvolvimento tecnológico e, através da livre concorrência, faz os preços e a inflação caírem.
  31. 31. Globalização
  32. 32. Governos que adotaram políticas econômicas neoliberais:  No Brasil: Fernando Collor de Melo (1990 - 1992) e     Fernando Henrique Cardoso (1995 - 2003); No Chile: Eduardo Frei (1994 - 2000), Ricardo Lagos (2000 - 2006) e Michelle Bachelet (2006 - 2010); Nos Estados Unidos: Ronald Reagan (1981 - 1989), George Bush (1989 - 1993) e George W. Bush (20012009); No México: Vicente Fox Quesada (2000 - 2006); No Reino Unido: Margaret Thatcher (1979 - 1990).
  33. 33. Fernando Collor. Fernando Henrique Cardoso.
  34. 34. Eduardo Frei. Ricardo Lagos. Michelle Bachelet.
  35. 35. Ronald Reagan. George Bush. George W. Bush.
  36. 36. Ronald Reagan.
  37. 37. Margaret Thatcher.
  38. 38. Governo Fernando Collor: História  Fernando Affonso Collor de Mello é um político, jornalista, economista, empresário e escritor brasileiro, tendo sido prefeito de Maceió de 1979 a 1982, governador de Alagoas de 1987 a 1989.  Fernando Collor iniciou a carreira política na ARENA e foi nomeado prefeito de Maceió em 1979 pelo então governador Guilherme Palmeira, cargo ao qual renunciou em 1982, ano em que foi eleito deputado federal pelo PDS.
  39. 39. Governo Fernando Collor: História  Nessa qualidade votou a favor das Diretas Já em 25 de abril de 1984 e com a derrota dessa proposição votou em Paulo Maluf no Colégio Eleitoral em 15 de janeiro de 1985.  Durante a gestão empreendeu estrategicamente um combate a alguns funcionários públicos que recebiam salários altos e desproporcionais. Com vistas a angariar apoios na campanha presidencial que estava por vir, a imprensa o tornou conhecido nacionalmente como "Caçador de Marajás―.
  40. 40. Fernando Affonso Collor de Mello
  41. 41. Capa da Revista Veja citando o logotipo da Campanha de Collor.
  42. 42. Governo Fernando Collor: Eleição para Presidência.  Fiel a sua estratégia rumo ao Palácio do Planalto elegeu o governo Sarney como responsável por todas as mazelas e descalabros políticoadministrativos que assolavam o país naquele momento, postura que o levaria a deixar o partido e a ingressar no PRN, sucessor do obscuro Partido da Juventude (PJ), e que o levou a apresentar-se como candidato ao eleitorado brasileiro em 1989 através de uma série bem elaborada de programas de televisão.
  43. 43. Governo Fernando Collor: Eleição para Presidência.  Desde então, passou à condição de alternativa conservadora às eleições daquele ano, cujo panorama apontava dois nomes de esquerda como os preferidos do eleitorado: Leonel Brizola e Luiz Inácio Lula da Silva.  O sucesso eleitoral de Collor se deve em grande parte à elaborada estratégia de marketing e ao fundamental papel da televisão. Alguns comentaristas argumentam que a vitória de Collor nas urnas não seria possível sem a interferência da Rede Globo, com destaque para um resumo do principal debate entre Collor e Lula, veiculado no Jornal Nacional, cuja edição beneficiou Collor.
  44. 44. Leonel Brizola.
  45. 45. Luiz Inácio Lula da Silva.
  46. 46. Roberto Marinho Fundador da Rede Globo.
  47. 47. Rede Globo.
  48. 48. Governo Fernando Collor: Eleição para Presidência.  Iniciou as articulações para a formação de uma chapa viável de modo a compensar a debilidade de sua origem política em um dos menores estados da federação e, nesse contexto, fixou-se na escolha de um candidato a vice-presidente oriundo do segundo maior colégio eleitoral do país, o estado de Minas Gerais, escolha que recaiu sobre o senador Itamar Franco.  Durante a campanha cerrou seu discurso no combate a corrupção e aos altos índices de inflação apontando ainda o governo Sarney como inepto, chegando até a classificar o então presidente como alguém "corrupto, incompetente e safado―.
  49. 49. Itamar Franco.
  50. 50. Governo Fernando Collor: Presidente  Collor teria uma duração de dois anos e meio sendo que seu titular assumiu a presidência aos quarenta anos e sete meses de idade, o mais jovem político a assumir esse cargo na história brasileira e em todas as Américas.  No governo Collor, os produtos importados passaram a invadir o mercado brasileiro, com a redução dos impostos de importação. Os efeitos iniciais destas medidas indicavam que o governo estava no caminho certo.
  51. 51. Governo Fernando Collor: Presidente  Ao mesmo tempo, o governo passou a incentivar os investimentos externos no Brasil mediante incentivos fiscais e privatização das empresas estatais.  O argumento favorável a essas políticas é de que as estatais eram improdutivas, davam prejuízo, estavam endividadas, eram cabides de emprego, um canal propício à corrupção e sobreviviam somente devido aos subsídios governamentais. Mas as principais empresas privatizadas, como são os casos da Companhia Vale do Rio Doce e da Companhia Siderúrgica Nacional, eram empresas lucrativas e competitivas.
  52. 52. Governo Fernando Collor: Presidente  Não são poucas as críticas sobre a venda do patrimônio público. Uma delas aponta ao fato de que o dinheiro arrecadado pelo Estado brasileiro, através da privatização, foi emprestado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Isto é, o governo financiou a juros baixos as empresas que ele próprio vendeu.  Os recursos captados com o processo de privatização deveriam servir para diminuir a dívida pública. Mas seu objetivo foi inviabilizado em pouco tempo.
  53. 53. Collor, o mais jovem presidente.
  54. 54. Companhia Vale do Rio Doce.
  55. 55. Companhia Siderúrgica Nacional.
  56. 56. Companhia Siderúrgica Nacional.
  57. 57. Governo Fernando Collor: Plano Collor  No ano anterior ao início de seu governo a inflação oficial medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística alcançou a inacreditável cifra de 1.764% e em razão desse flagelo o presidente Collor elegeu como sua prioridade a luta contra a espiral inflacionária através do chamado Plano Brasil Novo, popularmente denominado de Plano Collor:
  58. 58. Governo Fernando Collor: Plano Collor  Anunciou o retorno do cruzeiro como unidade monetária em substituição ao cruzado novo.  Redução da máquina administrativa com a extinção ou fusão de ministérios e órgãos públicos.  Demissão de funcionários públicos e o congelamento de preços e salários.  E mais...
  59. 59. Governo Fernando Collor: Plano Collor  80% de todos os depósitos do overnight, das contas correntes ou das cadernetas de poupança que excedessem a NCz$50mil (Cruzado novo) foram congelados por 18 meses, recebendo durante esse período uma rentabilidade equivalente a taxa de inflação mais 6% ao ano.  Alargamento da base de incidência do Imposto sobre Operações Financeiras IOF, recaindo sobre todos os ativos financeiros disponíveis , transações com ouro e ações e sobre todas as retiradas das contas de poupança Alteração da base de tributação do IOF.  Eliminação de vários tipos de incentivos fiscais: para importações, exportações, agricultura, os incentivos fiscais das regiões Norte e Nordeste, da indústria de computadores e a criação de um imposto sobre as grandes fortunas.  Aumento de preços dos serviços públicos, como gás, energia elétrica, serviços postais, etc.
  60. 60. Logomarca do Governo Collor.
  61. 61. A ministra da Fazenda, Zélia Cardoso de Mello.
  62. 62. Jornal anunciando o Plano COLLOR.
  63. 63. Cédula de 50.000 Cruzeiros
  64. 64. Pessoas fazendo filas com medo do confisco da poupança pelo Plano Collor
  65. 65. Governo Fernando Collor: Impeachment  Em meados de 1991, denúncias de irregularidades começaram a surgir na imprensa, envolvendo pessoas do círculo próximo de Fernando Collor, como ministros, amigos do presidente e mesmo a primeiradama Rosane Collor.  Em entrevista à Revista Veja em maio de 1992, Pedro Collor de Mello, irmão do presidente, revelou o esquema de corrupção que envolvia o ex-tesoureiro da campanha Paulo César Farias, entre outros fatos comprometedores para o presidente.
  66. 66. Governo Fernando Collor: Impeachment  A Revista IstoÉ publica em 24 de junho uma matéria na qual Eriberto França, motorista da secretária de Collor, revela que ele próprio pagava as despesas pessoais do presidente com dinheiro de uma conta fantasma mantida por PC, reforçando a tese do irmão do presidente.  Em 2 de outubro é aberto o processo de impeachment na Câmara dos Deputados, impulsionado pela maciça presença do povo nas ruas, como o movimento dos Caras-pintadas.
  67. 67. Governo Fernando Collor: Impeachment  Em 29 de setembro, por 441 a 38 votos, a Câmara vota pelo impedimento do presidente, que renuncia antes de ser condenado. A presidência é assumida pelo então vice-presidente, Itamar Franco.  Foi a primeira vez na história republicana do Brasil que um presidente eleito pelo voto direto era afastado por vias democráticas, sem recurso aos golpes e outros meios ilegais.
  68. 68. A ex-primeira dama Rosane Collor.
  69. 69. Pedro Collor de Mello, irmão do presidente.
  70. 70. Capa da Revista Veja, no qual Pedro Collor denuncia o irmão.
  71. 71. Paulo César Farias, PC FARIAS
  72. 72. Eriberto França, motorista da secretária de Collor.
  73. 73. Capa da Revista IstoÉ, no qual Eriberto denuncia a corrupção.
  74. 74. Imagem dos CARAS PINTADAS
  75. 75. Imagem da Manifestação pelo Impeachment de Collor.
  76. 76. Imagem da Manifestação pelo Impeachment de Collor.
  77. 77. Fernando Collor deixando a Presidência.
  78. 78. Tô Feliz (Matei O Presidente): Gabriel O Pensador  Atirei o pau no rato Mas o rato não morreu Dona Rosane, admirou-se do ferrão Três-oitão que apareceu Todo mundo bateu palma quando o corpo caiu Eu acabava de matar o Presidente do Brasil Fácil um tiro só Bem no olho do safado Que morreu ali mesmo Todo ensanguentado Quê? Saí voado com a polícia atrás de mim E enquanto eu fugia eu pensava bem assim: "Tinha que ter tirado uma foto na hora em que o sangue espirrou Pra mostrar pros meus filhos Que lindo, pô" Eu tava emocionado mas corri pra valer E consegui escapar Ah tá pensando o quê? E quando eu chego em casa O que eu vejo na TV?  Primeira dama chorando perguntando (Por quê?) Ah! Dona Rosane dá um tempo num enche num fode Não é de hoje que seu choro não convence Mas se você quer saber porque eu matei o Fernandinho Presta atenção sua puta escuta direitinho Ele ganhou a eleição e se esqueceu do povão E uma coisa que eu não admito é traição Prometeu, prometeu, prometeu e não cumpriu Então eu fuzilei, vá pra puta que o pariu É "podre sobre podre" essa novela É Magri, é Zélia É Alceni com bicicleta e guarda-chuva LBA Previdência chega dessa indecência Eu apertei o gatilho e agora você é viúva E não me arrependo nem um pouco do que fiz Tomei uma providência que me fez muito feliz  Hoje eu tô feliz! (Minha gente!) Hoje eu tô feliz matei o presidente
  79. 79. Governo Itamar Franco: História  Itamar Augusto Cautiero Franco foi um político brasileiro, 33º presidente da República, vicepresidente, senador por Minas Gerais e governador do estado de Minas Gerais.  Em 1992, Fernando Collor de Mello foi acusado de corrupção e sofreu um processo de impeachment pelo Congresso Nacional e se afasta do governo.  Itamar assume interinamente a presidência em 2 de outubro de 1992, sendo formalmente aclamado em 29 de dezembro de 1992, quando o presidente Collor renuncia ao cargo
  80. 80. Governo Itamar Franco: História  O Brasil estava no meio de uma grave crise econômica, com a inflação chegando a 1100% em 1992, e alcançado mais de 2700% no ano seguinte (a maior da historia do Brasil). Itamar trocou de ministros da economia várias vezes, até que Fernando Henrique Cardoso assumisse o Ministério da Fazenda.  Em fevereiro de 1994, o governo Itamar lançou o Plano Real, elaborado pelo Ministério da Fazenda a partir de idealização do economista Edmar Bacha, que estabilizou a economia e acabou com a crise hiperinflacionária.
  81. 81. Governo Itamar Franco: História  O Presidente Itamar Franco fez projetos de combate à miséria ao lado do sociólogo Betinho. Em 1994 apóia o então candidato Fernando Henrique Cardoso, o qual sai vitorioso nas urnas. Itamar Franco terminou o seu governo com 41% de aprovação popular.
  82. 82. Itamar Franco, presidente.
  83. 83. Edmar Bacha.
  84. 84. Cédula de Um Real.
  85. 85. Betinho.
  86. 86. Governo Fernando Henrique Cardoso  Fernando Henrique Cardoso é um sociólogo, cientista político, filósofo, professor universitário e político brasileiro. Professor emérito da Universidade de São Paulo, lecionou também no exterior, notadamente na Universidade de Paris.  FHC estimulou o MDB a moldar-se no Partido Democrata norte-americano, isto é, um partido "omnibus―  O sociólogo pregava que tanto fazendo alianças amplas como repudiando a luta armada, o MDB chegaria ao poder pelo voto.
  87. 87. Governo Fernando Henrique Cardoso  Em 1980, quando se extinguiu o bipartidarismo e autorizou-se o multipartidarismo, FHC filiou-se ao PMDB, partido que era o sucessor natural do antigo MDB. FHC assume uma cadeira no Senado em 1983, quando Montoro renunciou ao mandato de senador para assumir o governo de São Paulo.  A partir de 1983, com a posse de 10 governadores de oposição ao governo João Figueiredo, FHC participa das articulações visando a transição do regime militar para a democracia. Torna-se um dos grandes articuladores das "Diretas-já", amplo movimento social e político que reivindicava eleições democráticas para presidente logo ao fim do governo João Figueiredo.
  88. 88. João Figueiredo.
  89. 89. Governo Fernando Henrique Cardoso  Durante o governo Sarney exerceu apenas o cargo de líder do governo no Congresso Nacional — função criada especialmente para ele por Tancredo Neves quando o senadorHumberto Lucena (do PMDB da Paraíba), surpreendentemente derrotado por seu correligionário José Fragelli na disputa pela presidência do Senado Federal, teve de ser mantido na posição de líder do governo no Senado.  Durante o governo Collor, exercia o cargo de senador pelo PSDB apoiando o executivo. Em discurso proferido no plenário em 24 de março de 1990, nove dias após o início da vigência do Plano Collor, discursou: "Sabe V. Exª que sou defensor do plano. Sabe V. Exª que não sou só eu, mas o meu partido".
  90. 90. Governo Fernando Henrique Cardoso  Em 19 de maio de 1993, assumiu o Ministério da Fazenda por indicação feita à época ao presidente Itamar Franco pelo líder do governo, o então deputado federal Roberto Freire (PE) — cargo que ocupou até o dia 30 de março de 1994, ao ser sucedido por Rubens Ricupero.  Em outubro de 1994, FHC foi eleito presidente da República em primeiro turno, tendo sido fundamental para a sua eleição o sucesso do Plano Real, iniciado e colocado em prática por ele enquanto Ministro da Fazenda de Itamar Franco, sendo o plano finalizado pelo presidente Itamar Franco durante o mandato de seu ministro da fazenda Rubens Ricupero, em junho daquele ano.
  91. 91. João Figueiredo.
  92. 92. Governo Fernando Henrique Cardoso  Fernando Henrique tomou posse como presidente em 1 de janeiro de 1995, tendo nos dois mandatos como vice-presidente o ex-governador de Pernambuco e senador Marco Maciel, do PFL.  Na cerimônia de posse, no Congresso Nacional, FHC prometeu acabar com a fome e a miséria no Brasil.  No primeiro mandato, FHC conseguiu a aprovação de uma emenda constitucional que criou a reeleição para os cargos eletivos do Executivo, sendo o primeiro presidente brasileiro a ser reeleito.
  93. 93. Marco Maciel.
  94. 94. Governo Fernando Henrique Cardoso  Em seu governo houve denúncias de corrupção, dentre as quais merecem destaque as acusações sem provas de que governadores teriam comprado votos de parlamentares para aprovação da reeleição e de favorecimento de alguns grupos financeiros no processo de privatização de empresas estatais.  Na área social, o governo FHC introduziu o primeiro programa de distribuição direta de renda, o Bolsa Escola (posteriormente transformado no Bolsa Família no início do governo Lula), beneficiando mais de 5 milhões de famílias.
  95. 95. Logomarca do Bolsa Escola.
  96. 96. Governo Fernando Henrique Cardoso  O segundo mandato do presidente FHC findou-se no dia 1º de janeiro de 2003, com a posse de Luiz Inácio Lula da Silva.  O fim de seu segundo mandato foi marcado por uma crise no setor energético, que ficou conhecida como Crise do apagão. A crise ocorreu por falta de planejamento e ausência de investimentos em geração e distribuição de energia, e foi agravada pelas poucas chuvas.
  97. 97. Imagem representado a Crise do Apagão.
  98. 98. Governo Fernando Henrique Cardoso  FHC continuou o processo de privatização de empresas estatais iniciadas por Fernando Collor.  Em 1997, FHC privatizou a companhia Vale do Rio Doce, fundada pelo governo federal em 1942, vendendo a parte acionária pertencente ao governo (aproximadamente 27%) e seu controle. Atualmente a Vale do Rio Doce é a maior empresa privada do Brasil, com valor de mercado estimado em 127 bilhões de dólares.
  99. 99. Companhia Vale do Rio Doce.
  100. 100. Governo Fernando Henrique Cardoso  Concedeu à iniciativa privada, por tempo determinado, a operação de algumas rodovias federais, como a Rodovia Presidente Dutra (que liga as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro).  Privatizou a maioria dos bancos estaduais responsáveis por grande parte do déficit público bem como o sistema telefônico brasileiro, que gerava altos déficits, cobrava altos preços, atrasava as entregas e mantinha grande demanda reprimida não atendendo nem 10% da população.
  101. 101. Rodovia Presidente Dutra.
  102. 102. Governo Fernando Henrique Cardoso  O livro A Privataria Tucana, do repórter Amaury Ribeiro Jr.acusa a chamada Era das Privatizações, promovida pelo governo Fernando Henrique Cardoso, por intermédio de seu ministro do Planejamento, exgovernador de São Paulo, José Serra, de uma "verdadeira pirataria praticada com o dinheiro público em benefício de fortunas privadas, por meio das chamadas 'offshores', empresas de fachada do Caribe…"
  103. 103. Capa da obra “A Privataria Tucana”.
  104. 104. Amaury Ribeiro Jr..
  105. 105. Governo Fernando Henrique Cardoso  ―O Brasil não gosta do sistema capitalista. Os congressistas não gostam do capitalismo, os jornalistas não gostam do capitalismo, os universitários não gostam do capitalismo. E, no capitalismo, têm horror aos bancos, ao sistema financeiro e aos especuladores. (…) Eles não sabem que não gostam do sistema capitalista, mas não gostam. Gostam do Estado, gostam de intervenção, do controle, do controle do câmbio, o que puder ser conservador é melhor do que ser liberal. Essa é uma dificuldade imensa que temos, porque estamos propondo a integração do Brasil ao sistema internacional. Eles não gostam nem do capitalismo nacional, quanto mais do internacional, desconfiam de nossa ligação com o sistema internacional. O ideal, o pressuposto, que está por trás das cabeças, é um regime não capitalista e isolado, com Estado forte e bem-estar amplo. Isso tudo é utópico, as pessoas não têm consciência. ‖  Fernando Henrique Cardoso
  106. 106. Governo Fernando Henrique Cardoso
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×