• Like
  • Save
A Biblioteca Escolar Nos RelatóRios De AvaliaçãO Externa Das Escolas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A Biblioteca Escolar Nos RelatóRios De AvaliaçãO Externa Das Escolas

on

  • 1,442 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,442
Views on SlideShare
1,441
Embed Views
1

Actions

Likes
0
Downloads
18
Comments
0

1 Embed 1

http://folhasdeletras.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A Biblioteca Escolar Nos RelatóRios De AvaliaçãO Externa Das Escolas A Biblioteca Escolar Nos RelatóRios De AvaliaçãO Externa Das Escolas Document Transcript

    • 1 A BIBLIOTECA ESCOLAR NOS RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS / AGRUPAMENTOS Relatórios analisados: • Avaliação Externa das Escolas: 2006 / 2007 Escola Secundária de Sampaio – Sesimbra Escola Secundária Anselmo de Andrade – Almada EB 2,3 / S de Artur Gonçalves – Torres Novas 2007 / 2008 Agrupamento de Escolas Elias Garcia – Almada Agrupamento de Escolas Marvila – Lisboa Agrupamento Vertical de Escolas Baixa-Chiado – Lisboa 2008 / 2009 Agrupamento de Escolas de Azeitão Agrupamento de Escolas da Trafaria Agrupamento de Escolas Pedro de Santarém - Lisboa • Avaliação Externa das Escolas 2007 – 2008 (Inspecção-Geral da Educação) Apesar de a biblioteca escolar ser entendida como o espaço privilegiado do conhecimento e da aprendizagem, um recurso essencial ao desenvolvimento dos currículos e das diversas literacias e um importante contributo para o sucesso educativo, isso não transparece da análise feita aos diferentes relatórios, seleccionados aleatoriamente. Na verdade a biblioteca escolar é pouco referida, em especial nos relatórios que se reportam a 2006/07 e 2007/08, notando-se um aumento, ainda que pouco significativo nos relatórios de 2008/09, em contraste com a importância que o próprio modelo de auto avaliação das bibliotecas escolares lhe confere. Assim, reportando-me aos relatórios analisados de 2006/ 2007, constatei que no relatório de avaliação externa da escola EB 2,3/S de Artur Gonçalves – Torres Novas a biblioteca apenas surge na rubrica II – Caracterização da Unidade de Gestão («O Centro de Recursos é amplo, dividido racionalmente e com equipamento abundante»); no relatório da Escola Secundária Anselmo de Andrade, surge também referência na mesma rubrica («A Escola dispõe também de um centro de recursos educativos/Biblioteca Escolar muito bem equipado, garantindo diversidade e funcionalidade.»), para surgir novamente referida nos pontos 2.4 Abrangência do
    • 2 currículo e valorização dos saberes e da aprendizagem («Para o efeito dispõe a Escola, neste momento, de um conjunto de infra-estruturas que tem vindo a apetrechar, como a Biblioteca escolar e Centro de Recursos...») e 3.3 Gestão dos recursos materiais e financeiros ( As condições da escola são adequadas, tanto nas instalações como nos espaços específicos e equipamentos nomeadamente laboratórios de Química e Física, Centro de Recursos e Sala Multimédia ...»). O relatório da Escola Secundária de Sampaio – Sesimbra refere-se também à biblioteca na rubrica II – Caracterização da Unidade de Gestão («... e o centro de recursos educativos é bom,...»), no ponto 2.3 Diferenciação e apoios onde a biblioteca surge como estrutura de apoio às aprendizagens e no ponto 2.4 Abrangência do currículo e valorização dos saberes e da aprendizagem («A Escola dá ainda alguma atenção à dimensão artística e cultural, não só através da oferta curricular do curso de Artes Visuais, como através de projectos e iniciativas de enriquecimento curricular onde se enquadra o embelezamento do espaço Escolar, as exposições interactivas no Centro de Recursos Educativos, o convite a escritores...») Nos relatórios referentes a 2007/2008, pude verificar os seguintes aspectos: o relatório do Agrupamento de Escolas Elias Garcia – Almada refere unicamente a biblioteca no ponto 3.3 Gestão dos recursos materiais e financeiros («A Escola sede dispõe de uma Biblioteca/Centro de Recursos Educativos bem equipada, incluindo material informático, e nas escolas do 1º ciclo existem espaços adaptados a pequenas bibliotecas ...»). No relatório do Agrupamento de Escolas de Marvila – Lisboa a biblioteca surge no ponto 1.2 Participação e desenvolvimento cívico («Também são estabelecidas e negociadas com os alunos regras de utilização dos diferentes espaços, tais como a biblioteca, o bar...») e, à semelhança de outros relatórios, no ponto 3.3 Gestão dos recursos materiais e financeiros («A escola-sede dispõe de uma biblioteca escolar/centro de recursos educativos em processo de integração na rede de bibliotecas escolares e as restantes escolas de espaços organizados de bibliotecas e recursos informáticos. Estes espaços são bastante utilizados pelos alunos encontrando-se acessíveis e bem organizados.»). No que se refere ao relatório do Agrupamento Vertical de Escolas Baixa-Chiado – Lisboa, a biblioteca é referenciada no ponto 2.4 Abrangência do currículo e valorização dos saberes e da aprendizagem (As Bibliotecas Escolares/Centros de Recursos Educativos, nas escolas do 1º ciclo, são muito rudimentares, tanto em termos de recursos como de dinamização, apesar de haver vontade e sensibilidade para ampliar o trabalho neste domínio....A Biblioteca/Centro de
    • 3 Recursos da escola-sede, que data de 1911, encontra-se devidamente equipada.») e também no ponto 3.2 Gestão dos recursos humanos («Contudo, quando a OPTE não consegue dar resposta a todos os alunos, este, enquadrados por pessoal não docente, são encaminhados para o Centro de Recursos e Biblioteca.») Da análise destes relatórios poder-se-á concluir da pouca importância de que se reveste a biblioteca escolar. É indicada em termos de organização e de equipamento, havendo apenas referência a algumas actividades, nomeadamente o colmatar de ausências por parte dos professores. Analisando o relatório de Avaliação Externa das Escolas 2007-2008, da responsabilidade da Inspecção-Geral da Educação (IGE) infiro a mesma conclusão: é dada muito pouca importância à biblioteca escolar. Ela apenas é referida uma única vez e apenas como exemplo de um ponto forte referente ao domínio Organização e gestão escolar «A biblioteca bem equipada e dinamizadora de actividades, constituindo-se num polo de divulgação cultural» (página 30) e, nas rubricas Perguntas ilustrativas do entendimentos dos factores ou Tópicos descritores dos campos de análise e seu desenvolvimento nenhuma pergunta incide sobre a biblioteca ou a sua importância, apesar de ser evidente no cruzamento dos domínios de auto avaliação da biblioteca escolar com os campos, tópicos e domínios estabelecidos pela IGE a presença e a importância da biblioteca escolar. Sobre os relatórios de 2008/09 indicarei os seguintes aspectos: Nos relatórios analisados, a biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Azeitão continua a ser assinalada unicamente em termos de equipamento e de integração na rede de bibliotecas escolares. Contudo nos relatórios de avaliação externa dos agrupamentos de escolas da Trafaria e Pedro de Santarém – Lisboa, é dada maior importância à biblioteca, não só nos aspectos relativos ao equipamento mas também como locais promotores de actividades de enriquecimento do currículo, tal como refere o Agrupamento de Escolas Pedro de Santarém: «O Agrupamento organiza actividades de enriquecimento do currículo e promove actividades na Biblioteca Escolar/Centro de Recursos, embora se tenha verificado um decréscimo destas iniciativas nos últimos anos», «A BE/CRE é um pólo que dinamiza actividades e projectos comuns a várias turmas, estabelecendo ainda a ligação com o Plano Nacional de Leitura. O Leitor do trimestre é uma das actividades implementadas que pretende estimular e premiar as práticas de leitura entre os alunos». É considerado um ponto forte: «A interdisciplinaridade apenas é visível, através do projecto transversal Terra há só uma,
    • 4 desenvolvido pela Biblioteca Escolar/Centro de Recursos, que constitui um espaço aglutinador das actividades desenvolvidas na escola sede.». São ainda referidos neste relatório dados estatísticos decorrentes da frequência e das actividades desenvolvidas na biblioteca. No relatório do Agrupamento de Escolas da Trafaria, ainda para além das referências ao equipamento e de ser considerada a biblioteca como «um espaço educativo por excelência», «o melhor espaço da escola» nela se encontram disponibilizados os documentos estruturantes do Agrupamento e nela se promovem actividades tendentes a prevenir situações de indisciplina. Verifiquei que, embora de modo pouco significativo, os relatórios referentes a 2008/2009 conferem já à biblioteca escolar uma importância que não encontrei nos relatórios anteriores. A formanda: Dina Maria Ribeiro Dourado 6 de Dezembro de 2009