• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Sistemas Operacionais  aula 02
 

Sistemas Operacionais aula 02

on

  • 226 views

 

Statistics

Views

Total Views
226
Views on SlideShare
216
Embed Views
10

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

1 Embed 10

http://tecnologia.vv.si 10

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Sistemas Operacionais  aula 02 Sistemas Operacionais aula 02 Presentation Transcript

    • 1 Sistem as O peracionais Aula II Prof. Inaldo Nascimento Prof. Augusto Correia Bibliografia e Referência: SISTEMAS OPERACIONAIS – Editora: LTC, 2011. Autores: José Alves Marques, Paulo Ferreira, Carlos Ribeiro, Luiz Veiga, Rodrigo Rodrigues. Adaptação e Revisão: Edgar Toshiro Yano.
    • Notas de Aula  Função dos Sistemas Operacionais  Gerenciador de Recursos  Interface  Maquina Virtual  Qualidade do S.O 2
    • Sistem a O peracional  Historicamente os primeiros sistemas operacionais eram simples monitores de controle que gerenciavam sessões onde cada usuário tinha o uso exclusivo da máquina, permitindo a execução de tarefas como carregar programas na memória e controlar dispositivos de E/S. 3
    • Sistem a O peracional  O Sistema Operacional é um dos componentes centrais de qualquer sistema computacional, sendo a sua principal função apresentada sob três pontos de vista diferentes.  Gerenciador de recursos;  Interface simples para o Hardware;  Máquina virtual que abstrai o hardware e mecanismos de baixo nível; 4
    • Função dos Sistem as O peracionais  A principal função de um sistema computacional é executar uma ou várias aplicações para seus usuários.  Aplicação é um conjunto de programas e de informações persistentes, armazenadas em arquivos ou bases de dados. 5
    • Gerenciado de Recursos  Compreender o S.O como responsável por gerenciar os recursos lógicos e a sua utilização, é necessário entender os recursos lógicos com abstração do hardware.  Normalmente aprendemos o conceito das linguagens de programação e o modelo lógico. 6
    • Gerenciado de Recursos  A abstração dos recursos lógicos e os recursos físicos implica em entender:  Arquivos X Espaço em disco;  Variáveis e Pilhas X Blocos de Memória;  Criar recursos;  Controlar o funcionamento;  Otimizar o desempenho; 7
    • Gerenciado de Recursos  Os principais recursos lógicos gerenciados pelo Sistema Operacional são:  Processos;  Memória Virtual;  Sistema de Arquivos;  Periféricos;  Usuários; 8
    • Gerenciado de Recursos  PROCESSOS – é a capacidade de executar programas, simplificando o seu gerenciamento.  Um processo define um ambiente de execução independente das características do computador e da linguagem, podendo ser visto como uma máquina virtual. 9
    • Gerenciado de Recursos  MEMÓRIA VIRTUAL – É a capacidade de executar programas maiores que a memória física da máquina movendo peças entre memória RAM e o disco.  Implementada no S.O através do gerenciamento de espaços de endereçamento, de forma transparente para os usuários, feita pelos programadores. 10
    • Gerenciado de Recursos  SISTEMA DE ARQUIVOS – O conceito fundamental do S.O que compõe o sistema de armazenamento de informações.  Através das chamadas do sistemas, são necessárias para criar, remover, ler e escrever arquivos;  Peculiares aos discos e outras E/S ( CD, Pendriver, etc) normalmente organizadas em diretórios de modo a agrupar arquivos; 11
    • Gerenciado de Recursos  PERIFÉRICOS – O S.O permite a interação de mecanismos físicos através de diversos componentes externos como: telas , teclados, impressoras e rede. 12
    • Gerenciado de Recursos  USUÁRIOS – O S.O gerencia a identificação e os privilégios, mantendo a informação das ações e recursos utilizados. 13
    • 14 http://www.youtube.com/watch?v=jo3rl2kxB4g
    • Interface  Uma visão do sistema operacional é considerá-lo como interface que virtualiza o computador.  Existem duas interfaces diferentes e com uso distintos, são elas:  Interface Operacional  Chamadas de Sistemas 15
    • Interface  INTERFACE OPERACIONAL – é utilizada para a interação, composta de comandos simples ou scripts para criar, usar, configurar e apagar os recursos correspondentes a linguagem de controle textual para todos os usuários.  Como exemplo o Shell, tornou-se gráfica, mais interativa e simples, que permite a execução das funções operacionais. 16
    • Interface  CHAMADAS DE SISTEMA – Fazem parte do modelo computacional do S.O e formam a interface funcional do sistema, permitindo não apenas executar operações associadas como gerenciar o ciclo de vida.  Essa interface se materializa numa biblioteca ou API (application Programming Interface) que faz a interação entre as operações associadas e os objetos. 17
    • M áquina Virtual  Originalmente denominada CP/CMS e depois renomeado VM/370, onde é a separação completa de duas funções: (1) Multiprogramação – que fornece o sistema de tempo compartilhado. (2) Maquina Estendida – interface do que o hardware oferece. 18
    • M áquina Virtual  Uma máquina virtual, torna-se independente do hardware onde executa, tornando-se mais eficientes, robustas.  O coração do sistema é o monitor de máquina virtual, que é executado diretamente sobre o hardware e implementa a multiprogramação. 19
    • Q ualidade do S.O  Critérios que definem a qualidade dos Sistemas Operacionais: 20 Desempenho Segurança Confiabilidade Disponibilidade Tolerância a Faltas Interface Interativa
    • Q ualidade do S.O  Desempenho – Um dos critérios mais evidente que tem o impacto global em todas as aplicações.  O S.O deve explorar os recursos físicos;  Implementação lógica com técnicas de otimização; • Segurança – O S.O é a base de qualquer política de segurança.  Requer complexidade;  Atualização constante; 21
    • Q ualidade do S.O  Confiabilidade – Mede a probabilidade de, em um intervalo de tempo, não existir nenhuma falha do sistema.  Disponibilidade – Define a probabilidade do sistema estar operacional, admitindo que ocorrem falhas, mais foram reparadas, permitindo que o sistema continue funcionando. 22
    • Q ualidade do S.O  Tolerância a Falhas – Oferece mecanismos para tratamentos de defeitos e assim evitar ocorrência de falhas do sistema como um todo.  Interface – A evolução da interface gráfica, procura apresentar o S.O ao usuário de forma natural e interativa. 23
    • Duvidas 24