Your SlideShare is downloading. ×
A Semântica Cordial: representações da mulher negra no turismo de Salvador
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

A Semântica Cordial: representações da mulher negra no turismo de Salvador

910
views

Published on

Apresentação referente a um artigo apresentado no V ENECULT

Apresentação referente a um artigo apresentado no V ENECULT

Published in: Travel

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
910
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A SEMÂNTICA CORDIAL
    REPRESENTAÇÕES DA MULHER NEGRA NO TURISMO DE SALVADOR
  • 2. Camila Xavier Nunes Diego CasaesJuliana Cunha Costa
  • 3.
    • O turismo põe em contato povos diversos, com diferentes perspectivas, histórias, aspirações.
    • 4. Em Salvador, a cultura e o corpo de sua população são comercializados pelo turismo deliberadamente. A alegria baiana é enaltecida ao caráter máximo, em detrimento da verdade escondida nas vielas escuras da cidade, que abrigam os indivíduos à margem da sociedade.
  • Herança cordial na figura feminina: a construção da cordialidade no turismo
    • A cordialidade é o ponto-de-partida; o método.
    • 5. A cordialidade contribuiu para a dissociação da imagem da mulher negra do ideal de civilidade e decência, cabendo este papel somente à mulher branca européia ou “europeizada”;
    • 6. Corpo frágil, violado.
    • A mulher negra baiana sofre do ostracismo em diversos espaços. No turismo, porém, sua figura é (re)significada, dando-lhe condições, mesmo que através da ruptura de sua integridade, para acalmar seus anseios ao estabelecer o contato com o turista. A alteridade nesse momento serve como elemento apaziguador da necessidade de mudança da mulher cordial.
  • Representações da mulher negra em Salvador:
    nas entrelinhas da desigualdade
  • 7.
    • O discurso provindo da sociedade colonial ainda perpassa o seu cotidiano e constrói uma imagem muito díspar da realidade vivenciada, pois, se utiliza de elementos culturais moldados para fins turísticos que ocultam sua condição desigual dentro da sociedade soteropolitana;
    • 8. A composição de uma historiografia detalhada e desmistificadora da mulher negra soteropolitana se apresenta como um importante instrumento metodológico que permite a desconstrução de uma identidade que a oprime socialmente desde seu nascimento;
    • Desse modo, desvia-se, intencionalmente, da identidade construída ao longo de séculos, pois a reprodução mescla elementos arraigados à cultura baiana (especialmente sua exuberante corporeidade) e os remodela com objetivos mercadológicos. Sob esse contexto, a cultura é vista apenas como um recurso econômico e não como elemento intrínseco das relações sociais existentes;
    • 9. Assim, é imprescindível que a cultura baiana esteja aberta a diversas releituras que preservem suas especificidades. Por isso, torna-se necessário ultrapassar o arcabouço de baianidade impregnada de um discurso ideológico monopolizador.
  • 10. A Mulher Negra e o Discurso Publicitário em Salvador: Objeto de Consumo, Objeto de Desejo
    • A Bahia composta pela paisagem natural exuberante;
    • 11. Mulher negra objeto do roteiro turístico “para consumo”;
    • 12. Propaganda visa provocar no consumidor desejo em adquirir produtos
    • 13. Mulher baiana como um artigo exótico.
  • 14.
  • 15. A Mulher Negra e o Discurso Publicitário em Salvador: Objeto de Consumo, Objeto de Desejo
    • Baiana negra “Sensualidade excêntrica” altamente atraente.
    • 16. Representações do modo de vida: andar, vestir, dançar.
    • 17. Discurso claro e objetivo muitas vezes apelativo.
    • 18. Espetacularização do cotidiano soteropolitano (HARVEY, 1996)
    • 19. Ex.: Baiana do acarajé personagem do cenário criado nos principais pontos turísticos.
    • 20. Promoters em supermercados são comercializadas como um produto em exposição que esta sendo colocado à venda.
  • A Mulher Negra e o Discurso Publicitário em Salvador: Objeto de Consumo, Objeto de Desejo
    [...] a própria Bahiatursa, empresa responsável pelo marketing do estado, utilizava imagens de mulatas de biquíni fio-dental tomando sol nas praias do porto da Barra, ou baianas de acarajé, sempre sorridentes e prontas para servir o turista, fazendo menção indireta aos tempos da escravidão e às escravas de ganho. Empresas aéreas aproveitavam da imagem construída para vender passagem para esse paraíso sexual que seria o Brasil, usando também em suas campanhas publicitárias em aeroportos internacionais imagens da típica mulata (CAVALCANTI; ELEUTERIO, 2008, p.6).
  • 21. Inspetores da FIFA chegam a Salvador05/02/2009 - Eduardo Martins / Agência A Tarde
  • 22. Peça publicitária, da década de 1980, para o Centro de Convenções da Bahia, é assinada pela Empresa Brasileira de Turismo. Propõe aos turistas “aliar o útil ao agradável”. Repare os olhares compenetrados dos congressistas ao fundo para o discurso do presidente da mesa que está em primeiro plano.

×