A besta do abismo

  • 684 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
684
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
7
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A Besta do Abismo - Por George McCready Price No capítulo do Apocalipse a respeito das Duas Testemunhas, que nósestudamos rapidamente, um ataque especial sobre a Bíblia é mencionado, quefoi admiravelmente cumprido no tempo da Revolução Francesa. Em Apocalipse 11:7, A.R.V., nós lemos: "E quando eles tiveremterminado seu testemunho, a besta que vem do abismo fará guerra com eles eos vencerá, e os matará". Isto significa que quando eles tiverem terminado e estiverem terminandoseu testemunho "em saco" (veja O Grande Conflito, p. 268), o que seria pelofim do período de 1260 anos, uma violenta campanha seria movida contra asEscrituras Sagradas. Todo o estudante da história sabe que precisamente umatal luta mortal ocorreu por ocasião da Revolução Francesa. Várias cerimôniaspúblicas foram feitas para acumular desgraça e desprezo sobre todas asreligiões, especialmente sobre as Sagradas Escrituras. Seria difícil para aingenuidade pensar algum novo método de vergonha e desgraça contra aBíblia que não foi praticado durante este período insano. E nós precisamoslembrar que para o século precedente ou antes a França se orgulhara de ser amais culta e educada nação do globo. As sutis influências que prepararam o caminho para esta erupção de ódiocontra tudo que era sagrado ou divino são dados no capítulo 15 de O GrandeConflito, pp. 265-288. Somente um curto sumário pode ser dado aqui. Estaexplosão nacional , com muitos ecos internacionais, foi a culminância de umalonga série de eventos em que Roma imprimiu as Duas Testemunhas de Deus,as Sagradas Escrituras. Mas esta Revolução foi permitida ocorrer como umterrível exemplo, um tipo, uma visão prévia, de que todo o mundoexperimentará como um resultado da moderna guerra anti-Gênesis contra aBíblia, sob a influência da filosofia moderna da evolução. Nós fomos advertidos: "... A disseminação de âmbito mundial dosmesmos ensinos que levaram à Revolução Francesa - todos estão tendendo aenvolver o mundo inteiro em uma luta semelhante a esta que convulsionou aFrança". – Educação, p.228. O trabalho da Reforma começou cedo na França. Ela começou entre osprofessores educados na Universidade de Paris e entre os membros cultos dacorte real. Mas naquele tempo do mundo ninguém jamais tivera um vislumbreda idéia da completa separação da igreja e do estado; portanto aqueles queavaliavam a Bíblia e desejavam ver seus ensinos executados não viam outromeio que o método político e militar para conseguir executá-lo. Portanto, porséculos o conflito prosseguiu, decretos legais e exército foram empregadospor ambos os lados, às vezes os Reformadores e às vezes os Papistas forambem sucedidos. Finalmente pelo horrível massacre de São Bartolomeu e pelomais perverso sistema bem sucedido dos dragões, pelo qual uma soldadescalicenciosa e acelerados foram aquartelados nos lares dos huguenotes, osprotestantes foram finalmente expulsos no exílio ou exterminados; e umaparalisia cultural e econômica medonha baixou sobre a nação. Sendo que o rei determinara regularizar as vidas de todos, elenaturalmente tinha que cuidar das classes pobres. Finalmente Paris continhatantos mendigos e uma tão grande proporção da população vivia das dádivasdo governo, que a cidade foi comparada a uma monstruosa casa de mendigos.Ignorantes, supersticiosos, sem tostão, sem trabalho útil para ocupar seu
  • 2. tempo, a plebe de Paris tornou-se a arma pela qual os demagogos podia, empouco tempo, decretar um excitamento frenético e dirigi-los a umcomportamento louco e histérico, controlado por demônios e tendente àsupressão e ruína dos dirigentes na igreja e no estado, aos quais olharamcomo os causantes de sua miséria. Somente alguns anos antes as colônias americanas haviam declarado suaindependência, e as loucas plebes de Paris foram incendiadas pelos ecos dooutro lado do Atlântico para experimentar uma liberdade democráticasemelhante. Mas eles não sabiam como fazê-lo. Os americanos, com um fundointensamente de mentalidade protestante, conseguiram seus alvos semdesordem nem luta ruinosa; mas os jacobinos, com uma base pior do que opaganismo, pôs ao mundo um exemplo do que os seres humanos são capazesde fazer quando lançam de si todas as restrições e se põe sob o controlecompleto dos demônios do abismo sem fundo. É verdade que, em sua forma desorganizada e esporádica, o ateísmo, adescrença sempre existiu. Mas em 1793 ele foi organizado e controlou umadas nações líderes da Europa, e com zelo fanático se dispôs a subjugar ou aomenos lançar sua propaganda em todo o resto do mundo. Nesta forma emaneira particular seus dias foram breves. Em 1848, na forma de comunismomarxista, parecia que alcançara o ponto de alcançar o poder outra vez. Entãoem 1917 capturou a Rússia, e um pouco depois a China; e destes centros têmse espalhado sobre mais da metade da população do mundo. Esta é a sua forma organizada, ou nacional. Mas nós não devemosesquecer que cada colégio ou universidade pela Europa e na América, cadajornal, e toda a fonte de publicidade ou entretenimento tem, por mais deduas gerações, estado empenhado e uma campanha mais sutil mas não menoseficiente contra a doutrina bíblica da criação, e portanto contra toda asdemais verdades da religião revelada, da qual a criação é o fundamento lógicoe indispensável. Este é o método de infiltração da besta, sua quinta coluna.Entre todos os povos chamados "livres" do Mundo Ocidental, a filosofia dedesenvolvimento ou evolução, durante mil milhões de anos, é quaseuniversalmente ensinado e crido, com os seus corolários, que o homemexerceu de algum animal ancestral mais baixo, em vez de ter sido criado sempecado e sem tendências para o mal. Seguindo logicamente a teoria daevolução está a conclusão de que não é a falta do homem, mas seu infortúnioser ele um pecador e sujeito à enfermidade e à morte; portanto se algum seré responsável pelo mal e a miséria do mundo deve ser Deus mesmo, que fez araça humana por este processo estranho de desenvolvimento de animaisancestrais pela sobrevivência do mais forte e mais cruel. Tais são as idéias radicalmente mudadas a respeito de Deus e todas asfundamentais de ética e religião que agora se tornaram quase universais. Defato, grande numero de homens e mulheres mais lógicos recusam-se a crerque um Criador onisciente e misericordioso podia jamais fazer o mundo porum processo tão covarde e tão mal feito; e assim eles se voltam para o pontode vista panteísta, que, como Se Cante exprimiu, "o que nós chamamos malnão é um fenômeno único confinado ao homem, e o resultado de um acidente(a "queda" de Adão), mas deve ser um grande fato que penetra toda anatureza, e uma parte de sua própria constituição. Este panteísmo pessimistaé provavelmente a forma de filosofia mais amplamente mantida no tempopresente. O universo, de acordo com ele, é a única deidade; ele é
  • 3. intrinsecamente mau. Esta é uma maneira de pensar escassamentedistinguível do paganismo da Grécia e de Roma. Nenhuma pessoa informada pode negar que esta mais polida, moderna,forma de infidelidade é hoje quase geral na América e na Europa. E isto podeser o que a profecia significa dizendo que a besta novamente ascendera dopoço sem fundo, ou do abismo. O Grande Conflito, nas páginas 268 e 269, explica as expressõessemelhantes em Apocalipse 11:7 como significando a "nova manifestação dopoder satânico" que apareceu na Revolução Francesa, e nós sabemos que istoera um aparecimento preliminar do que nós agora vemos na Rússia e na Chinacomo comunismo Marxista. Este comunismo, porém, é apenas uma forma maisrude da apostasia anti-Gênesis tão generalizado na América e na EuropaOcidental. Nesta base, a americanização da religião através do mundoOcidental é apenas uma forma variante do comunismo da China e da Rússia.Na luz da verdade celestial estes dois sistemas são essencialmente gêmeos.Nós sabemos também que o comunismo historicamente pode ser traçado láatravés da Revolução Francesa a uma perversão humana dos "dois chifres" daliberdade civil e religiosa que estava na fundação da América. E tudo isto, ou o clima intelectual mundano total de nossos dias, podeser o cumprimento proléptico, ou preliminar, de Apocalipse 17:8, que a bestaestava por ascender do poço sem fundo, ou abismo. Mas eu penso ser maisprovável que esta predição aponta à frente ao tempo terrível de caos social eanarquia que certamente terá lugar no fim da provação humana. EntãoSatanás aparecerá pessoalmente. Então a graça e a misericórdia terão feitoseu último apelo, e a raça inteira do gênero humano será abandonada porDeus ao dirigente rebelde a quem eles escolheram. Este tempo de aflição paratodo o mundo, "qual nunca houve desde que houve nação até aquele tempo"(Daniel 12:1), é vividamente descrito como segue:"Naquele tempo terrível os justos devem viver à vista de um Deus santo, semintercessor. Removeu-se a restrição que estivera sobre os ímpios, e Satanástem domínio completo sobre os que finalmente se encontram impenitentes.Terminou a longanimidade de Deus: O mundo rejeitou a Sua misericórdia,desprezou-Lhe o amor, pisando Sua lei. Os ímpios passaram os limites de seutempo de graça; o Espírito de Deus, persistentemente resistido, foi, por fim,retirado. Desabrigados da graça divina, não têm proteção contra o maligno.Satanás mergulhará então os habitantes da Terra em uma grande angústiafinal. Ao cessarem os anjos de Deus de conter os ventos impetuosos daspaixões humanas, ficarão às soltas todos os elementos de contenda. O mundointeiro se envolverá em ruína mais terrível do que a que sobreveio aJerusalém na antiguidade" – O Grande Conflito, p. 614. O mesmo autor dá um outro quadro deste tempo quando a besta doabismo tiver controle completo:"Ao mesmo tempo a anarquia procura varrer todas as leis, não somente asdivinas mas também as humanas. A centralização da riqueza e poder; vastascoligações para enriquecerem os poucos que nelas tomam parte, a expensasde muitos; as combinações entre as classes pobres para a defesa de seusinteresses e reclamos, o espírito de desassossego, tumulto e matança; adisseminação mundial dos mesmos ensinos que ocasionaram a Revolução
  • 4. Francesa - tudo propende a envolver o mundo inteiro em uma luta semelhanteàquela que convulsionou a França" – Educação, p. 228. Finalmente temos as declarações importantes na última metade doApocalipse 17, a respeito dos dez reinos concordando em dar seu poder àbesta – obviamente a mesma besta que fora mencionada anteriormente. Noverso 8 o intérprete angelical diz ao apóstolo que é "a besta que viste" da qualele está falando, não uma inteiramente diferente. Em outras palavras, é amesma besta poderosa através de todo este capítulo, justamente aspectosdiferentes da mesma organização controlada diabolicamente, aparecendo emtempos diferentes ou ocasiões diferentes. O termo "poço sem fundo" ou "abismo" é usado como uma figura retóricapara representar o lugar dos demônios. Esta besta vem diretamente da sededos espíritos maus e representa inteiramente a causa de Satanás. Assim éinteiramente má, a própria quinta essência da rebelião contra Deus e tudo oque o governo de Deus representa. Esta explanação também se adapta seu uso em Apocalipse 11:7, ondesignifica a forma anarquista de perversidade ilimitada solta no tempo doTerror Vermelho da Revolução Francesa. Outra vez no próprio fim do tempo omesmo espírito de mal ilimitado prevalecerá outra vez, pois anjos maus entãoterão controle completo dos impenitentes finais. Exatamente as mesmas condições prevalecerão no tempo mencionadoem Apocalipse 17:8, depois da ferida mortal ter prevalecido por perto de doisséculos. Como já aprendemos, este período é bem no fim real do tempo dofim, e o povo de todos os países civilizados tem-se acostumado à liberdadecivil e religiosa, que eles pensam que estas condições devem continuarsempre. Portanto quando a besta do despotismo e intolerância aparecer outravez será quase como se ela se tivesse levantado dos mortos. Ele parece vir dopoço sem fundo, o abismo, pois este termo também é usado para representara condição dos mortos. Então o anjo explica a respeito dos dez reis, ou reinos. Ao mesmo tempoa respeito do qual o anjo estava fazendo sua explicação ao apóstolo, que jáaprendemos significa nosso próprio tempo, o tempo do fim, o anjo diz queestes dez reis os quais ainda não receberam reino; mas recebem autoridadecomo reis, com a besta, durante uma hora". (Apocalipse 17:12.) E o anjocontinua dizendo que estes dez poderes mundanos dos últimos dias terão "umsó pensamento, e oferecem à besta o poder e a autoridade que possuem" (v.13) . O verso 17 diz que estes dez poderes "concordarão", e "dêem a besta oreino que possuem, até que se cumpram as palavras de Deus". Muitos pensavam que tudo isto se refere ao passado, durante a IdadeEscura, quando Roma compeliu todos os reis da Europa ocidental de fazer oseu mandado. Uriah Smith ensinou assim. Mas isso foi um engano. Refere-se plenamente ao futuro, às últimashoras do tempo. Esta é a interpretação dada por Ellen White:"O assim chamado mundo Cristão deve ser o teatro de ações grandes edecisivas. Homens com autoridade decretarão leis controlando a consciência,conforme o exemplo do papado. A Babilônia fará todas as nações beber ovinho da ira de sua fornicação. Todas as nações estarão envolvidas..."Haverá um laço universal de união, uma grande harmonia, uma confederaçãode forças Satânicas." – Manuscrito 24, 1891.
  • 5. Esta interpretação traz estes versos finais deste capítulo em harmoniacom a parte precedente. Nós podemos ver agora este capítulo inteiro em seucontexto próprio e compreender sua importância no trabalho evangélico finalno próprio fim do "tempo do fim", o "tempo de angústia, como nunca houve,desde que houve nação até aquele tempo" (Daniel 12:1, R.S.V.). Como já afirmamos, dois eventos prévios eram tipos, em pequenaescala, deste caos universal final e anarquia – os últimos dias do cerco deJerusalém sob Tito, e o período conhecido como de terror Vermelho em Parisdurante a Revolução. Quando todas as restrições da lei civil e decência socialse for, quando o ódio e as paixões violentas elementares reinarem supremas,quando cada um estiver determinado a ter seu próprio caminho semconsideração qualquer aos desejos ou aos direitos dos outros, quando todosigualmente estiverem completamente sob controle demoníaco – pode algumacoisa mais horrível ser imaginada? Os passos sucessivos que levam a este clímax final: 1. A presente apostasia contra o Gênesis, já quase universal na Europa ena América, está preparando o caminho para o triunfo do Romanismo."Assim a falsa ciência da atualidade que mina a fé nas Escrituras Sagradas,mostrar-se-á tão bem-sucedida no preparar o caminho para a aceitação dopapado com seu formalismo aprazível, como o fez a retenção do saber aoabrir o caminho para o seu engrandecimento na Idade Média" – O GrandeConflito, p. 573. 2. A crise para o povo de Deus vem quando todos os governos civis domundo cristão, seguindo o exemplo da América protestante, exigem que osobservadores do sábado conformem-se na observância do mesmo dia de cultocomo o resto do mundo. Sua recusa de conformação traz penalidadesculminando no decreto final de boicote universal e completa ilegalidade. 3. Deus intervém no último momento crítico, mas deixa seu povoaparentemente abandonado aqui na terra um pouco mais entre seus inimigosfuriosos, como uma exibição diante do universo que vê o que seus servos fiéispodem suportar com Sua graça fortalecendo-os. 4. Todas as forças latentes de anarquia e caos social então tomarãoposse em toda a parte, e o mundo inteiro testemunhará cenas de terrorsemelhantes aos últimos dias do cerco de Jerusalém por Tito e o TerrorVermelho da Revolução Francesa."Satanás mergulhará então os habitantes da Terra em uma grande angústiafinal. Ao cessarem os anjos de Deus de conter os ventos impetuosos daspaixões humanas, ficarão às soltas todos os elementos de contenda... Háagora forças preparadas, e que aguardam apenas o consentimento divino paraespalharem a desolação por toda parte". - Ibid., p. 614. Estas condições serão universais sobre toda a terra. As sete últimaspragas estarão prevalecendo – mesmo as regularidades da lei naturalparecerão ter vindo a um fim, e a natureza parecerá ter-se tornado louca. Durante estas horas temíveis o povo de Deus, espalhado aqui e ali sobretoda a terra, estará vivendo no meio deste caos e desintegração da natureza,sem nenhum Sumo Sacerdote oficiando para interceder por eles, mantidosapenas por sua fé nas promessas certas de Deus."Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações.Portanto não temeremos ainda que a terra se transforme e os montes se
  • 6. abalem no seio dos mares; ainda que as águas tumultuem e espumejem, e nasua fúria os montes se estremeçam" Salmo 46:1-3"Caiam mil ao teu lado, e dez mil à tua direita: tu não serás atingido. Somentecom os teus olhos contemplarás e verás o castigo dos ímpios." Salmo 91:7, 8.