Your SlideShare is downloading. ×
INTRODUÇÃO                                  PROVÉRBIOS  Autoria  O próprio livro de Provérbios apresenta Salomão (971-931 ...
Mesmo não tendo a preocupação de ser uma obra teológica, Provérbios faz questão de apresentarDeus como o Criador do Univer...
      III.	 Provérbios escritos por Salomão e as palavras dos sábios (10.1-29.27)            1.  A extraordinária sabedori...
PROVÉRBIOSO princípio da sabedoria1                                              Advertências contra as seduções1   Provér...
PROVÉRBIOS 1                                                     148em partes iguais o resultado de tudo o                ...
149                                        PROVÉRBIOS 1, 232 Pois a imprudência dos néscios os ma-                        ...
PROVÉRBIOS 2, 3                                                150derradeira habitação, e cujas trilhas to-               ...
151                                           PROVÉRBIOS 315 Mais preciosa é do que os rubis mais                         ...
PROVÉRBIOS 4                                                  152A supremacia da sabedoria                                ...
153                                         PROVÉRBIOS 4, 5vras perversas; e não permitas que teus                        ...
PROVÉRBIOS 5, 6                                                  154descontrolado atrás de uma mulher imo-                ...
155                                         PROVÉRBIOS 6, 716 Há seis atitudes que o SENHOR odeia,                        ...
PROVÉRBIOS 7                                                 1562 Segue as minhas orientações e desco-                    ...
157                                           PROVÉRBIOS 8A primazia absoluta da sabedoria                                ...
PROVÉRBIOS 8, 9                                                158A Sabedoria vive para sempre                            ...
159                                     PROVÉRBIOS 9, 104 “Vinde  todos vós, os incautos!” Aos in-                       q...
PROVÉRBIOS 10, 11                                              160em segurança, mas quem segue por tri-                   ...
161                                          PROVÉRBIOS 112 Em vindo a arrogância, chega logo tam-                        ...
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
028 proverbios
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

028 proverbios

2,614

Published on

Provérbios de Salomão

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,614
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
20
Actions
Shares
0
Downloads
20
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "028 proverbios"

  1. 1. INTRODUÇÃO PROVÉRBIOS Autoria O próprio livro de Provérbios apresenta Salomão (971-931 a.C.), filho do grande rei Davi comBate-Seba (2Sm 12.24), como o principal autor e compilador dos ditados e instruções sapienciaisque formam esta obra canônica (1.1). Os escritos que se encontram registrados entre 10.1 e 22.6são de sua direta e pessoal autoria. Contudo, Salomão selecionou – com sabedoria divina – os maisapropriados pensamentos e ditados entre as centenas de sábios que vinham anualmente ao reinounificado de Israel para conhecer, aprender e trocar experiências com o maior líder nacional, pacifi-cador, administrador, conselheiro e sábio hebreu de todos os tempos. A passagem de 22.17 revelaas conclusões poéticas de alguns “Sábios”, e 24.23 cita ainda a contribuição de “outros sábios”. Aintrodução de 22.17-21 é uma comprovação de que as diversas sessões da obra são fruto de umcolegiado de homens de Deus e sábios, e não apenas do próprio Salomão. O capítulo 30 tem comomentor o sábio Agur, filho de Jaque e o rei Lemuel com sua mãe são considerados os autores dotrecho bíblico que encerra o livro de Provérbios. A extraordinária capacidade intelectual de Salomão é evidenciada no Primeiro Livro dos Reis (4.29-32), que afirma ser Salomão autor de 3.000 provérbios. O destaque conferido ao “temor do Senhor”como a chave para uma vida feliz aqui, agora e na eternidade (1.7), é o elo indelével de todas assessões e conclusões da obra. Propósitos No livro de Provérbios, a sabedoria tem sua origem em Deus, Yahweh. Os ditados e instruçõesda obra têm um principal objetivo: revelar prudência aos incautos; conhecimento e bom senso aosjovens (1.4); assim como aumentar a inteligência dos sábios (1.5). O uso freqüente da expressão“filho meu” ressalta a idéia de um monarca que ama a Deus, sábio e muito experiente na arte deviver, que, amorosa e pacientemente, procura conduzir seus súditos mais jovens e inexperientes pelocaminho da paz, da saúde e da prosperidade eterna (1.8,10; 2.1; 3.1; 4.1; 5.1). Embora esta obra sejaeminentemente prática e menos teológica, o alicerce de toda a sua praxe repousa sobre o princípiofilosófico de que o “temor do Senhor” é o segredo de uma vida feliz (1.7). Nos primeiros capítulos (de 1 a 9), a obra revela que o caminho da sabedoria é absolutamenteoposto a qualquer atitude arrogante, violenta e imoral (1.11-18; 2.16-18). Ao mesmo tempo, Provérbios critica severamente a esposa implicante e briguenta (19.13; 21.9,19),e os maridos insensíveis, preguiçosos e rabugentos (14.29; 26.21). O lar deve ser um lugar de amor,respeito, descanso e encorajamento para a alma (15.17; 17.1). A intriga e a difamação são expressamente condenadas (10.19; 17.27). O tempo e a comunica-ção devem servir para a edificação saudável e integral dos filhos e dos alunos ou discípulos (1.8;22.6; 31.26). O sistema disciplinar formado por ministração, ensino, acompanhamento, correção erepreensão e indispensável à boa educação e formação de filhos, empregados e alunos em geral(13.24). Por isso, Provérbios incentiva o trabalho honesto e dedicado (10.4; 31.17-19), repudiandoo preguiçoso e aproveitador (6.6; 20.13). A boa e verdadeira riqueza está associada a retidão, jus-tiça e esforço competente (3.16); enquanto a miséria é, quase sempre, fruto de iniqüidade e faltado “temor do Senhor” (22.16). Há riquezas perversas e sobre elas Provérbios faz severos alertas(15.16; 28.6). Os reis e governantes têm obrigação de agir com honestidade e justiça (31.5). Osque tratam os mais fracos e pobres com misericórdia e cooperação serão grandemente abenço-ados por Deus (14.21). Os ímpios e arrogantes serão exterminados subitamente (11.2; 16.18), es-pecialmente aquele soberbo que vive questionando e zombando da fé e do comportamento limpoe justo dos crentes no Senhor (1.22; 21.24). Os que se entregam ao álcool e a quaisquer outrasdrogas vivem sob depressão e muita tristeza e precisam desistir de seus vícios o quanto antes eapegar-se a Deus (20.1; 23.29-35).
  2. 2. Mesmo não tendo a preocupação de ser uma obra teológica, Provérbios faz questão de apresentarDeus como o Criador do Universo, Aquele que detém o tempo, a matéria e a História em suas mãos,controlando cada mínimo detalhe na Terra e no Universo (16.4,9,33; 20.24; 14.31; 5.21; 15.3). A“Sabedoria”, como atributo do caráter de Deus é personificada (8.22-31). Não há situação impossívelpara Deus, pois é Ele quem dirige e muda o próprio coração dos reis, segundo seus propósitossantos e justos (21.1). Data da primeira publicação A escrita e o estilo poético-sapiencial dos provérbios já eram áreas bastante apreciadas pelospovos do Oriente Próximo (cananitas, hititas), especialmente na Mesopotâmia e no Egito, desde osegundo milênio a.C. A técnica literária de personificar uma grande virtude a ser exaltada e ensinadaé visível em muitas passagens do livro bíblico de Provérbios (1.20; 3.15-18; 8.1-36). Os “30 ditadosdos Sábios”, que fazem parte do cânon das Escrituras Sagradas (22.17 a 24.22), apresentam grandesemelhança com as 30 sessões da conhecida obra egípcia “Sabedoria de Amenemope”, publicadapor volta da mesma época de Salomão. Nesse sentido, considerando o papel fundamental do rei Sa-lomão na autoria e coletânea dos melhores pensamentos disponíveis em sua época, sobre o relacio-namento do homem com Deus, Yahweh (o nome sagrado e impronunciável de Jeová ou Iavé: YHWH,o Eu Sou dos judeus e de todos os crentes, o Senhor – Êx 3,14, 15; Mt 16.15-17), podemos inferir queo livro de Provérbios, como o conhecemos, foi publicado por volta do século 10 a.C. Um período emque Israel e os povos vizinhos experimentaram grande paz, prosperidade e desenvolvimento cultural.Tudo isso, fruto do amor sincero e dedicado do rei Davi e de seu filho Salomão, por Deus, por seupovo e pela humanidade em geral. A vida do rei Salomão mostra o que um líder nacional pode fazerpor sua nação e pelo mundo, quando verdadeiramente comprometido em servir a Deus. O próprio livro de Provérbios nos revela que um grupo especial de sábios, conhecido como “osservos de Ezequias, rei de Judá” (25.1), foi encarregado de selecionar, organizar, editar e publicarseções completas dos pensamentos e escritos de Salomão, por volta dos anos 715 e 686 a.C. Épocade grande reavivamento espiritual em Israel, motivado pelo próprio Ezequias rei, que amava a exten-sa obra poética e literária de Davi e de Asafe (2Cr 29.30). Foi nesse tempo que as palavras proféticas(no sentido de “oráculo”, de instrução e transmissão da Palavra de Deus ao povo) do sábio Agur(cap.30) e do rei Lemuel (cap.31.1-9), assim como os demais ditados dos “Sábios” foram incorpora-dos à coletânea que deu origem ao cânon do livro de Provérbios, como o temos hoje, na edição daBíblia King James Atualizada - KJA (22.17 a 24.22; 24.23-34). Esboço geral de Provérbios       I.  Prefácio: autor, propósito e tema (1.1-7)       II.  Dois conjuntos de sete princípios de sabedoria (1.8 – 9.18)          A)  Primeiro conjunto dos princípios do saber: 1.  O poder e as riquezas conquistados por meios imorais e violentos (1.8-33) 2.  A graça e a riqueza da sabedoria e do discernimento que vêm de Deus (2.1-22) 3.  Deus sempre abençoará o esforço daqueles que nele confiam (3.1-10) 4.  Descobrir o valor da disciplina é encontrar valioso tesouro (3.11-20) 5.  Um único Caminho é certo, e o amor ao próximo passa por ele (3.21-35) 6.  A sabedoria bíblica é o maior tesouro de uma família (4.1-9) 7.  A sabedoria do Senhor nos ajuda a tomar o Caminho certo (4.10-19)          B)  Segundo conjunto dos princípios do saber: 1.  O filho de Deus precisa demonstrar justiça e bom senso ao mundo (4.20-27) 2.  O cuidado para não se deixar levar pelos ardis da carne e do maligno (5.1-6) 3.  O amor verdadeiro é absolutamente oposto à concupiscência (5.7-23) 4.  Cuidados com a fiança, a preguiça e os enganos malignos (6.1-19) 5.  A imoralidade e o adultério são loucuras: fuja dessas ciladas (6.20-35) 6.  Quem busca viver em santidade contará com as bênçãos de Deus (7.1-27) 7.  A personificação da Sabedoria em busca do coração humano (8.1-9.18)
  3. 3.       III.  Provérbios escritos por Salomão e as palavras dos sábios (10.1-29.27) 1.  A extraordinária sabedoria divina e inteligência de Salomão (10.1-22.16) 2.  A primeira parte dos ditados dos Sábios (22.17 – 24.22) 3.  A segunda parte dos ditados dos Sábios (24.23-34) 4.  Os pensamentos de Salomão pelos sábios do rei Ezequias (25.1-29.27)      IV.  Os oráculos do sábio Agur (30.1-33) 1.  A verdade e a mentira – o meio termo ou a difamação (30.1-10) 2.  Caluniadores e enganadores – os desobedientes (30.11-17) 3.  Os quatro caminhos misteriosos, e a queda no adultério (30.18-20) 4.  Os quatro eventos que surpreendem o mundo (30.21-33)      V.  Oráculos do rei Lemuel e da rainha-mãe (31.1-9)      VI.  Acróstico da mulher virtuosa (31.10-31).
  4. 4. PROVÉRBIOSO princípio da sabedoria1 Advertências contra as seduções1 Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel.2 Para aprender a viver de maneira inte- 8 Filho meu, ouve a instrução de teu pai e não menosprezes o ensino de tua mãe.5ligente e disciplinada; para entender os 9 Pois eles formarão uma coroa de bên-ensinos que produzem sabedoria;2 çãos para a tua cabeça e colar de honra3 para desenvolver um caráter correto e para o teu pescoço.perspicaz, vivendo de maneira justa, com 10 Filho meu, se pessoas perversas tenta-eqüidade e bom senso; rem seduzir-te, não o permitas!4 para dar prudência aos simples, assim 11 Se te convidarem: “Vem conosco, em-como conhecimento e juízo aos jovens.3 bosquemo-nos para assaltar e matar al-5 Mesmo o sábio que lhes der ouvidos guém; espreitemos o incauto, ainda queaumentará em muito seu entendimento, apenas por diversão!e quem tem discernimento obterá clara 12 Traguemo-los vivos, como a sepulturaorientação engole os mortos; vamos destruí-los por6 para compreender o significado das pa- completo, como são aniquilados os quelavras e parábolas, ditados e enigmas dos descem à cova;sábios. 13 encontraremos todo tipo de objetos7 O temor do SENHOR é o princípio do co- valiosos e encheremos as nossas casasnhecimento, mas os insensatos despre- com tudo o que roubarmos;6zam a sabedoria e a disciplina.4 14 junta-te ao nosso bando; dividiremos 1 Jafar Sadeq, considerado pela tradição muçulmana xiita como um de seus santos mais destacados, encontrou-se com umreligioso ocidental e lhe perguntou: “Quem pode ser considerado sábio?” Depois de pensar um pouco, o religioso lhe disse:“Aquele que pode distinguir entre o bem e o mal”. Ao que replicou o mestre xiita: “Então, até mesmo um macaco pode ser con-siderado sábio, pois que é capaz de discernir entre o que é bom e ruim para ele”. Entretanto, a Palavra de Deus nos garante quea amorosa, sincera e reverente devoção a Deus (expressão aqui traduzida por “temor”) é a lei magna e princípio fundamental detodo o saber (v.7). A sabedoria divina de Salomão, sua profícua produção literária de provérbios e cânticos em louvor ao SenhorDeus são citados em 1Rs 4.32; Ec 1.1; Ct 1.1; Pv 10.1; 25.1. 2 “Sabedoria” é palavra-chave nesta obra canônica e ocorre mais de 40 vezes em todo o livro. Seu significado inclui a idéia deaplicar a inteligência divina nas idéias e práticas humanas cotidianas. O livro dos provérbios é uma convocação para um viversadio e bem sucedido, em harmonia com os justos e imutáveis desígnios de Deus (3.13,14; 4.5). Jesus Cristo, o Messias, é aexpressão exata da sabedoria de Deus (1Co 1.30; Cl 2.3). 3 A palavra, aqui traduzida por “prudência”, no original hebraico é uma expressão tão forte que, na literatura hebraica, fora docânon bíblico, é normalmente usada com conotação negativa de “ardil” ou “astúcia” (Gn 3.1; Jó 5.13). Os “simples” ou “inexpe-rientes” são expressões (e seus sinônimos) que aparecem no texto bíblico mais de 15 vezes, sempre com o propósito de se referiràs pessoas que se deixam influenciar facilmente; os incautos, ingênuos, inseguros ou de personalidade fraca, alguns devido àpouca experiência com a vida e nos relacionamentos humanos e à dificuldade em dominar suas vontades (9.4,16; Sl 19.7). A KJde 1611 traduz este versículo assim: To giue subtiltie to the simple, to the yong man knowledge and discretion. 4 O v.7 resume o tema da obra:  “o temor” do Senhor, que é a maneira bíblica hebraica original de se referir à plena, alegre e amo-   rosa submissão do ser humano ao seu Criador e Pai – Deus Yahweh – a quem, como súditos celestes, devemos honra e a cuja Palavradevemos obediência (9.10; 31.30; Jó 28.28; Sl 2.11; 111.10; Is 12.6; Ec 12.13; Ml 1.14). Em contraposição, temos a figura do “insen-sato”, expressão cujo sentido mais amplo e dramático refere-se ao “louco”, não exatamente ao doente mental, mas especialmente ao“tolo”, aquele que diante da verdade e da vida prefere a mentira e a morte (v.22; Jo 1.9-12; Pv 5.12; 12.1; 20.3; 28.26; 29.11; Sl 14.1). 5 Na prática diária da vida hebraica, especialmente nos tempos antigos, o pai e a mãe são os primeiros e melhores mestresque um ser humano pode ter: é um privilégio, particularmente nos primeiros anos de vida. Por isso, é comum no Oriente, osmestres tratarem seus alunos como filhos (6.20). A KJ de 1611 traduz: My sonne, heare the instruction of thy father, and forsakenot the law of thy mother. 6 O poder e o prazer são tentáculos do deus Dinheiro (Mâmon), que desde a mais tenra idade procuram seduzir e manipularos “tolos” e “volúveis”. Pessoas cujo egoísmo não lhes permite resistir aos encantos e prazeres do poder, seja qual for o preço a
  5. 5. PROVÉRBIOS 1 148em partes iguais o resultado de tudo o ção: eis que derramarei copiosamenteque tomarmos!” sobre vós o meu espírito e vos revelarei15 Filho meu, não sigas pelo caminho as minhas palavras.10desse tipo de gente! Afasta os teus pés 24 Contudo, visto que vos convoquei aopara longe das veredas que eles seguem,7 arrependimento e vós recusastes; porque16 pois os pés deles se precipitam para o estendi a mão e não houve quem aten-mal e correm para derramar sangue. desse;17 Assim como é inútil estender a rede de 25 em vez disso, rejeitastes todo o meucaça, se as aves te observam,8 conselho e não aceitastes a minha repre-18 da mesma maneira essas pessoas não ensão,percebem que armam cilada contra a 26 eu, de minha parte, zombarei da vos-própria vida; constroem emboscadas sa desgraça; me rirei quando o terror separa sua própria destruição! abater sobre vós,1119 Tal é a vereda de todo ganancioso; e a 27 em vindo o flagelo como a tempesta-ambição pelo lucro ilícito conduz o in- de sobre vós; em vindo a vossa completasensato à ruína. perdição como o furacão, quando a afli- ção e a dor vos desesperarem.Exortação à sabedoria 28 Então, suplicarão minha atenção, en-20 A Sabedoria clama em alta voz pelas tretanto, não vos responderei; buscar-ruas, proclama nas praças públicas;9 me-ão, porém, não me hão de encontrar.21 brada do alto dos muros; à entrada das 29 Porquanto desprezaram o conheci-portas da cidade profere em alta voz o mento e rejeitaram o temor do Eterno,seu discurso: o SENHOR,22 “Até quando, ó insensatos, amareis a 30 não desejaram receber o meu conselhoinsensatez? E vós, zombadores, até quan- e foram indiferentes à minha advertên-do tereis prazer na zombaria? E, vós, des- cia!controlados, até quando desprezareis o 31 Portanto, comerão do fruto de suasconhecimento? decisões e atitudes, e se fartarão de suas23 Convertei-vos, pois, à minha exorta- próprias elucubrações inúteis.12pagar; que estão prontas a derramar sangue inocente para obter seus intentos sórdidos (v. 13,19; 3.14-16; 5.1-6; 6.24; 7.5; 16.16;Jó 28.12-19; Mt 6.24). 7 O caminho do adultério (não apenas sexual, mas toda alteração da verdade e justiça) é ilusório (aparentemente interessante,sedutor e prazeroso), mas conduz, invariavelmente, a dois resultados: produz muito mal às outras pessoas (v.16) e aos própriosincautos (vv.17-19). 8 Uma alusão a um antigo adágio oriental: “Ave experiente (e suculenta) não cai em laço simples”. Os caçadores (corruptorese mal-intencionados) freqüentemente caem em suas próprias armadilhas (emboscadas – v.11): é só uma questão de tempo (Sl7.15; Pv 26.27; Ec 10.8). 9 Salomão é dirigido por Deus para personificar a “Sabedoria”, fazendo referência à própria pessoa de Jesus Cristo, que prome-te conceder o seu Espírito (v.23), mediante oração invocatória (de aceitação da Graça – v.28), adverte todos aqueles que zombame desdenham da sua Palavra, mas promete a paz e a felicidade aos que o aceitam de coração sincero (vv.32,33; Mt 5.6). 10 Ainda é tempo de o arrogante, presunçoso, insensível, avarento, hedonista e egoísta se render humildemente aos pés deCristo e receber a graça salvadora de Deus. Há uma fonte de refrigério de alma e sabedoria jorrando, ininterruptamente, à disposi-ção de todas as pessoas da terra (18.4). Contudo, chegará o momento em que essa fonte cessará de jorrar na terra e o derradeirojuízo terá início, sem clemência (v.24; Is 1.4; 5.24; Mt 23.37). 11 Este verso não deve ser compreendido como uma atitude simplesmente vingativa ou possivelmente descontrolada de Deus,mas como uma reprodução da exultação humana, frente ao glorioso momento de sua redenção, depois de tanto tempo passadosob as tentações, a exploração e zombaria daqueles que se achavam imbatíveis, auto-suficientes e rebeldes contra Deus, seus ser-vos e seus princípios. O sábio poeta retrata a alegria do justo que, finalmente, vê com satisfação o mal ser definitivamente destruído.Deus dará sua resposta aos reis da terra que usurparam seus poderes e imaginaram ser iguais à divindade (6.12-15; Sl 2.4). 12 É comum às pessoas clamarem diante de um perigo, grave acidente ou catástrofe: “Ó, meu Deus!” Todavia, no instantepreciso em que o Dia do Senhor chegar, e com ele o grande e derradeiro Juízo, não adiantarão expressões de arrependimentoe súplicas por perdão e misericórdia (vv.20,27; 18.20; 31.31; Is 3.10). “Portanto, tudo o que o ser humano semear, isso tambémcolherá!” (Gl 6.7).
  6. 6. 149 PROVÉRBIOS 1, 232 Pois a imprudência dos néscios os ma- 8 pois guarda os passos do justo e protegetará; e o falso bem-estar dos insensatos o caminho de seus santos.4os levará à destruição. 9 Desse modo, compreenderás bem o que33 Mas aquele que me der ouvidos vive- significa ser justo, ter juízo, agir com reti-rá em plena paz, seguro e sem temer mal dão, e aprenderás os caminhos do bem.algum!”13 10 Pois a sabedoria habitará em teu co- ração, e o conhecimento será agradávelLucros de uma vida sábia à tua alma.52 Meu filho, se aceitares os meus con- selhos e abrigares contigo os meusmandamentos,1 11 O bom senso te guardará, e a plena in- teligência te protegerá. 12 A sabedoria te livrará das veredas dos2 com o objetivo de considerar atenta- maus, das pessoas de palavras ardilosas;mente a sabedoria e inclinar o coração 13 dos que abandonam o caminho dapara o discernimento,2 verdade e trilham os atalhos da mentira3 e, se clamares por entendimento, e por e das trevas;inteligência suplicares, aos brados; 14 que se alegram em praticar o mal e co-4 se buscares a sabedoria como quem memoram a crueldade dos perversos,procura a prata, e como tesouros escon- 15 seguem por atalhos tortuosos e se ex-didos a procurares, traviam em suas próprias trilhas.5 então, compreenderás o que significa 16 A sabedoria também te livrará da mu-o temor do SENHOR e acharás o conheci- lher imoral, da pervertida que visa sedu-mento de Deus.3 zir com palavras e sensualidade,66 Porquanto é o SENHOR quem concede 17 que abandona aquele que desde a ju-sabedoria, e da sua boca procedem a in- ventude foi seu companheiro dedicado,teligência e o discernimento. ignorando a aliança que pactuou diante7 Ele reserva a plena sabedoria para os de Deus.7justos; como um escudo protege quem 18 A mulher imoral caminha a passosprocura viver com integridade, largos em direção à morte, que é a sua 13 Os “tolos” seguirão suas próprias e mais obscuras vontades rumo à destruição. O “sábio” andará na companhia do Espíritode Deus e jamais se arrependerá; ainda que passe por crises e momentos de aflição, reinará em triunfo, paz e felicidade sobre aterra (Is 32.9,18; Ez 34.27; Am 6.1; Sf 1.12). Capítulo 2 1 O sábio conclama os jovens ou inexperientes (tanto na vida quanto na comunhão com Deus) a depositarem a sabedoria emseus corações com todo o carinho e segurança, assim como o salmista exorta que guardemos a Palavra de Deus (Sl 119.11; Is55.11). A expressão original hebraica  “meus mandamentos” não deixa dúvida sobre as ordens expressas do Senhor. 2 A expressão hebraica traduzida nas edições de KJ, desde 1611, como “coração”, corresponde, na antiga cultura hebraica,a “entranhas” ou a “intestinos”, por causa da sensação (frio na barriga) normalmente experimentada quando se sente uma forteemoção, e significa o “centro das decisões humanas”; sendo assim traduzida também, em algumas passagens, por “mente” ou“razão” (4.21; 1Rs 3.9). A KJ de 1611 publica assim este versículo: So that thou incline thine eare vnto wisedome, and apply thineheart to vnderstanding. 3 A expressão hebraica aqui traduzida por Deus é Elohim (v.17; Gn 2.4; Pv 3.4; 25.2; 30.9). O sábio nos exorta a conhecer aDeus como pessoa (Pai), como única maneira de alcançar vida sábia e eterna (v.6; Fl 3.10-11). 4 A expressão hebraica original “santos” significa aqueles que foram “santificados”; escolhidos e separados pelo Espírito deDeus para sua honra e glória (Rm 1.7; 8.14). 5 Os que aceitam a Palavra de Deus e recebem com sinceridade a sua Graça, aprenderão, com o Espírito do Senhor, a agir comsabedoria em todas as circunstâncias (Hb 5.11-14). 6 A expressão hebraica original e literal “forasteira” ou “estrangeira” carregava o sentido de que as mulheres judias eramtementes ao Senhor e, portanto, somente as gentias ou pagãs eram “imorais”. Contudo, o significado mais amplo diz respeitoao afastamento da Lei e, especialmente, do amor sincero e dedicado ao Senhor, a fim de se entregar aos ilusórios prazeres mun-danos (5.3,10,20; 6.24; 7.5,21; 23.27; 1Rs 11.1). 7 O crente sincero é leal e, por seu amor e fé em Deus, não quebra pactos assumidos diante do Senhor, como o caso da“aliança” matrimonial, normalmente celebrada na juventude, com a pessoa a quem se prometeu amar e cooperar na construçãode uma família temente a Deus por toda a vida (Is 54.6; Ez 16.8; Ml 2.14; Êx 20.14).
  7. 7. PROVÉRBIOS 2, 3 150derradeira habitação, e cujas trilhas to- 5 Confia no SENHOR de todo o teu coraçãodas conduzem ao lugar dos espíritos e não te apóies no teu próprio entendi-mortos.8 mento.319 Os que a procuram jamais retornarão, 6 Reconhece o SENHOR em todos os teustampouco voltarão a encontrar o cami- caminhos, e Ele endireitará as tuas vere-nho da vida! das.20 Entretanto, a sabedoria te fará an- 7 Não sejas sábio aos teus próprios olhos;dar pelo caminho dos homens de bem e teme ao SENHOR e aparta-te do mal.aprenderás a guardar a vereda dos justos. 8 Isso se constituirá em saúde para o teu21 Porquanto os justos herdarão a terra, e corpo e vigor para os teus ossos.os íntegros nela habitarão;9 9 Honra ao SENHOR com teus bens e com22 porém os ímpios serão exterminados as primícias de todos os teus rendimen-da face da terra, assim como dela serão tos;desarraigados os insinceros e desleais. 10 e se encherão com fartura os teus celei- ros, assim como transbordarão de vinhoO sábio ama e obedece a Deus os teus reservatórios.43 Filho meu, não te esqueças das mi- nhas ordenanças, mas permite que oteu coração guarde os meus mandamen- 11 Filho meu, não desprezes a disciplina do SENHOR, nem te sintas magoado por causa da sua repreensão.tos, 12 Porquanto o SENHOR corrige a quem2 porquanto eles prolongarão a tua vida ama, da mesma forma que o pai re-por muitos anos e te concederão plena preende o filho a quem deseja todo oprosperidade e paz.1 bem.53 Que a benignidade e a lealdade jamais 13 Bem-aventurado o homem que achate abandonem: ata-as ao redor do pesco- a sabedoria, e a pessoa que encontra oço, escreve-as na tábua do teu coração. entendimento,4 Assim, encontrarás favor diante de 14 pois a sabedoria é muito mais proveito-Deus e dos homens, bem como boa re- sa que a prata, e o lucro que ela proporcio-putação.2 na é maior que o acúmulo de ouro fino. 8 A expressão hebraica original transliterada refaim significa “espíritos dos mortos” ou “reino das sombras” (7.27; Jó 26.5). Osfalecidos estão no Sheol, expressão hebraica original que se refere à sepultura, ao pó da terra para onde nossos corpos voltam,às profundezas obscuras ou às “moradas dos mortos” (1.12). Uma vida dedicada à prática da imoralidade (uma ação imoral levasempre a outra e mais outra), pavimenta o caminho que conduz rapidamente à destruição e à morte dos envolvidos (5.5; 9.18). 9 As terras de Canaã haviam sido prometidas por Deus a Israel (Gn 17.8; Dt 4.1). Na terra prometida o povo de Deus encontrariaplena paz e liberdade para viver em alegre devoção a Deus – Yahweh. Essa promessa foi ampliada para todos os povos, medianteo sacrifício vicário de Cristo, o Messias (v.22; Dt 28.63; Sl 37.9-29; Mt 5.5). Capítulo 3 1 A obediência amorosa aos mandamentos e princípios da Palavra de Deus (o temor ao Senhor – 1.7) proporciona saúde aocorpo, paz ao espírito e, portanto, vida longa (v.8; 9.10,11; 10.27; 19.23). Essa é a promessa do quarto grande mandamento (Êx20.12), que faz parte também dos ensinos de Jesus Cristo. Salomão orou pedindo sabedoria, e Deus lhe prometeu paz, prospe-ridade e longevidade saudável, se permanecesse obediente à sua Palavra (1Rs 3.13,14). 2 O sábio crescerá em graça diante de Deus e dos homens, conforme o exemplo que nos deixou o Senhor Jesus (Lc 2.52; Rm12.17; 2Co 8.21). A expressão hebraica original  “confia” refere-se à atitude de depositar toda a nossa fé na pessoa de Deus.   3 O ser humano herdou de Deus a criatividade (capacidade de resolver problemas e ordenar o caos), mas para uma soluçãoperfeita e duradoura, devemos sempre consultar o Senhor (em oração) e sua Palavra. Não confiar jamais apenas em nossa forçae sentimentos, mas depositar toda a nossa fé no amor e poder de Deus, da mesma forma que os antepassados de Israel con-fiaram em Deus e foram salvos (Sl 22.4,5; 37.5; Nm 14.24; Dt 1.36; Is 38.3). O próprio rei Davi suplicou a seu filho Salomão queoferecesse seu coração em plena e sincera confiança ao Senhor (1Cr 28.9; Os 4.1; 6.6; Is 45.13). 4 Deus promete a todos que lhe trazem o dízimo de seus bens e ganhos, como sincera demonstração de fé, louvor e adoração,derramar mais bênçãos financeiras e econômicas do que eles têm condições de recolher e armazenar (Ml 3.10; Dt 28.8,12; 2Co 9.8). 5 Nem sempre o justo vive em prosperidade plena; às vezes precisamos passar por provas e períodos sob a repreensão do Pai,a fim de crescermos espiritualmente e não ficarmos tão apegados aos desejos da nossa carne e aos bens materiais (v.2; 12.1; Jó5.17; 36.22; Sl 119.71; Hb 12.5-10). Israel, por exemplo, passou por uma prova e período de disciplina que durou 40 anos, porcausa do coração endurecido dos filhos de Deus naquele momento histórico (Dt 8.2-5).
  8. 8. 151 PROVÉRBIOS 315 Mais preciosa é do que os rubis mais calamidades nem da ruína provocadapuros, e tudo o que podes ambicionar pelos ímpios!não é comparável a ela!6 26 Porque o SENHOR é a tua segurança16 Ao passar da vida, na mão direita a sa- em qualquer circunstância e guardará osbedoria te garante longevidade; na mão teus pés de caírem em ciladas.esquerda, riquezas e honra. 27 Sempre que possível, não deixes de co-17 Os caminhos da sabedoria são veredas operar com quem precisa de ajuda.12agradáveis, e todas as suas trilhas condu- 28 Não respondas simplesmente ao teuzem à paz.7 próximo: “Vai e volta amanhã, e eu te18 A sabedoria é árvore que oferece vida a darei algo”, se o tens disponível agora equem a abraça; quem a ela se apega será podes ajudar.muito feliz!8 29 Não planejes o mal contra o teu pró-19 Por meio da sua sabedoria o SENHOR ximo, que confiantemente mora contigofirmou os alicerces da terra, por seu en- ou perto de ti.tendimento fixou no lugar os céus. 30 Jamais acuses ou demandes com al-20 Pelo seu conhecimento as fontes mais guém, sem razão, especialmente se essaprofundas se rompem, e as nuvens gote- pessoa não te fez um mal evidente.jam o delicado orvalho das manhãs e as 31 Não tenhas inveja de quem é violento,chuvas de tempo em tempo.9 nem adotes qualquer dos seus procedi-21 Filho meu, não se apartem estes en- mentos;sinos dos teus olhos; guarda em teu co- 32 porque o SENHOR detesta o perverso,ração a verdadeira sabedoria e o bom porém ao justo Ele trata como seu gran-senso; de amigo!1322 porquanto serão vida plena para a 33 A maldição do SENHOR está sobre atua alma e valiosa jóia ao redor do teu casa dos ímpios, mas Ele abençoa o larpescoço!10 dos justos.23 Assim, andarás seguro no teu cami- 34 Ele ri com desprezo dos arrogantesnho, e não tropeçará o teu pé. zombadores, entretanto concede graça24 Quando te deitares, jamais temerás; aos humildes!repousarás, e o teu sono será tranqüi- 35 A honra é a preciosa herança dos sá-lo.11 bios, mas o Senhor expõe os insensatos25 Não te afligirás com a iminência das ao ridículo. 6 A sabedoria é personificada pelo poeta sagrado como a mais bela e inteligente mulher. A esposa amorosa e dedicada valemais que os mais caros rubis (31.10). Jó também considerou a sabedoria muito mais valiosa que os rubis (Jó 28.18). A KJ de 1611já trazia a expressão hebraica original “rubis”, em vez de “pérolas”, como aparece em algumas versões: She is more precious thenRubies: and all the things thou canst desire, are not be compared vnto her. 7 A expressão hebraica original shãlôm não apenas significa paz mas também prosperidade e plenitude, considerando a pazcom Deus como base para alcançar a plenitude. (v.2; 16.7; Sl 119.165). 8 O poeta sagrado usa uma figura de linguagem que remete à Árvore da Vida do jardim do Éden (Gn 2.9; Pv 11.30; 13.12; 15.4;Ap 2.7; 22.2,14 de acordo com 1Co 1.30). 9 Deus abriu, pela força do seu poder, fontes e rios por toda a terra (Gn 7.11; 49.25; Sl 74.15). O orvalho diário que limpa o are renova o viço da flora e da fauna é uma figura de linguagem da própria renovação da graça diária de Deus para com a humani-dade, assim como as chuvas periódicas concedidas pela sabedoria divina (Dt 33.13; 2Sm 1.21). 10 Nas antigas culturas orientais, os soberanos exibiam ao redor do pescoço um valioso colar de ofício (Gn 41.42). 11 O sono reparador e saudável é profundo e sem sobressaltos. Por isso, a oração antes de dormir é de fundamental impor-tância na preparação de um terapêutico período de descanso para restauração do físico e da alma. Só Deus pode nos concederabsoluta segurança e paz, mesmo em meio às crises mais difíceis e preocupantes (Sl 4.8; Mt 8.24-26; Ef 4.26). Essa é uma daspromessas listadas entre as bênçãos pactuais (Lv 26.6; Jó 11.18,19; Mq 4.4; Sf 3.13; Pv 1.33). 12 Deixar de fazer o bem que sabemos e podemos é um grave pecado de omissão (Tg 4.17). 13 O Senhor abomina qualquer tipo de prática pagã, como a maldade, arrogância, indiferença, perversidade e degradaçãomoral (Dt 18.9,12; Pv 6.16; 8.7; 11.20). Porém, o justo é considerado seu grande amigo (Gn 18.17-19; Jó 29.4; Sl 25.14; Jo15.12-27).
  9. 9. PROVÉRBIOS 4 152A supremacia da sabedoria 12 Sendo assim, enquanto andares sabia-4 Ouvi, filhos meus, a instrução do pai; prestai atenção, a fim de alcançardeso discernimento; mente, nenhum obstáculo impedirá tua vitória: correrás e não tropeçarás! 13 Retém a orientação que recebeste e2 porquanto o ensino que vos ofereço é jamais a desprezes; guarda-a bem, poisexcelente; não desprezeis a minha dou- dela depende a tua vida.3trina. 14 Jamais sigas pelas trilhas dos ímpios,3 Quando eu era menino, ainda mui- tampouco andes pelas veredas dos maus.to pequeno, filho único de meus pais, e 15 Evita o mal caminho, não passes pormuito especial para minha mãe,1 ele; desvia-te dele e passa de largo.4 meu querido pai me ensinava, dizendo: 16 Porquanto, os maus não conseguem“Retém em teu coração as minhas pa- conciliar o sono enquanto não praticamlavras; obedece às minhas ordenanças e o mal; não podem dormir se não fizeremviverás feliz. tropeçar alguém;5 Busca a sabedoria, procura obter en- 17 pois eles se alimentam com o pão datendimento e não te esqueças das pala- malignidade, e se embriagam com o vi-vras da minha boca, tampouco delas te nho da violência.afastes. 18 Entretanto, a vereda dos justos é como6 Não abandones a sabedoria, e ela te pro- a luz da aurora, que vai brilhando cadategerá; ama-a, e ela te dará segurança. vez mais até a plena iluminação do dia.7 O princípio fundamental do saber é: 19 O caminho dos perversos é como asprocura obter sabedoria; investe todo o mais densas trevas, nem conseguem sa-teu ser e o que possuis para adquirir en- ber em que tropeçam.4tendimento.2 20 Filho meu, dá atenção às minhas ins-8 Dedica grande consideração à sabe- truções; aos meus conselhos inclina osdoria, e ela te exaltará; abraça-a, e ela te teus ouvidos.honrará! 21 Jamais os percas de vista; guarda-os no9 Ela te coroará com um exuberante dia- mais íntimo das tuas entranhas,dema de graça sobre tua cabeça e nela 22 pois são vida para quem os encontra efará repousar o esplendor da glória”. saúde para todo o seu ser.10 Ouve, filho meu, recebe com atenção 23 Acima de tudo o que se deve preser-as minhas palavras e terás vida longa. var, guarda o íntimo da razão, pois é da11 No caminho da sabedoria te condu- disposição do coração que depende todazi e pelas veredas da retidão te ensinei a tua vida.5a andar. 24 Afasta para longe da tua boca as pala- 1 O rei Davi fala sobre Salomão, seu único filho com Bate-Seba (1Cr 22.5; 29.1),quando este era ainda muito jovem e inexpe-riente (simples), muito amado por seu pai e, especial para sua mãe (Gn 37.3; Zc 12.10). As citações e declarações autobiográficaseram comuns entre os sábios judaicos (Pv 24.30-34, de acordo com o livro de Eclesiastes). 2 A expressão original hebraica  (o princípio) nos ajuda a compreender que a sabedoria é “suprema” e deve ser procura-da de todo o coração, por meio do temor do Senhor (1.7), como alguém que, ao encontrar uma pérola rara, de valor inestimável,vende tudo o que tem para adquiri-la (Mt 13.45,46). É Deus quem concede a sabedoria (Tg 1.5-8). 3 Devemos aceitar e amar a sabedoria divina como luz e guia eterno para os nossos caminhos (Sl 119.89, 105). Jesus Cristonos ensinou a reconhecer na Palavra de Deus a direção sábia e infalível de Deus; seus mandamentos são leves e nos conduzemà verdadeira felicidade (Mt 11.28-30; Jo 10.10; 14.12-21). 4 Em muitas ocasiões, o próprio Messias, o Senhor Jesus, referiu-se aos provérbios para ministrar aos seus amados ouvintes(Jo 12.35 com Pv 4.19; Jo 8.24 com Pv 5.23; Jo 6.47 com Pv 8.35; Mt 7.24-29 com Pv 14.11). 5 A expressão hebraica original aqui traduzida por “coração”, corresponde à sede dos sentimentos e decisões do ser humano,que no antigo oriente era compreendida como a região das entranhas (dos intestinos), especialmente por causa da sensaçãoque as emoções normalmente causam no estômago, como um certo “frio na barriga”. Jesus nos ensinou que a boca fala do queestá cheio o “coração”, ou seja, do que está repleto o íntimo (Lc 6.45). Sendo o corpo do cristão o templo do Espírito Santo, éfundamental que saibamos guardar o nosso “coração”; afastarmo-nos do mal mediante atenção às orientações do Espírito (Rm8.26,27; 1Co 6.19; 1Ts 5.19).
  10. 10. 153 PROVÉRBIOS 4, 5vras perversas; e não permitas que teus 9 para que não entregues aos outros a tualábios pronunciem qualquer mentira. honra, tampouco, tua própria vida a al-25 Olha sempre para a frente, mantém teu gum homem cruel e violento;olhar fixo no objetivo a ser alcançado.6 10 para que dos teus bens não se fartem26 Reflete sobre tuas escolhas e sobre o os estranhos, e outros se enriqueçam àcaminho por onde andas, e todos os teus custa do teu trabalho;planos serão bem sucedidos! 11 e venhas a te queixar e gemer no final27 Não te desvies nem para a direita da vida, quando teu corpo perder o es-nem para a esquerda; retira o teu pé da plendor e o vigor abandonar tua carne.malignidade!7 12 Então, murmurarás: “Como me rebe- lei à disciplina! Como meu coração des-Conselhos contra a imoralidade prezou a repreensão!5 Filho meu, presta atenção às minhas palavras de sabedoria e inclina os teusouvidos para compreender o meu dis- 13 Não quis ouvir os meus mestres, nem dei atenção aos que me ensinavam. 14 Cheguei muito próximo da ruína com-cernimento. pleta, à vista de toda a comunidade!”32 Assim manterás o bom senso, e os teus 15 Portanto, bebe a água da tua próprialábios guardarão o conhecimento;1 fonte, sacia tua sede com as águas que3 porquanto os lábios da mulher imoral brotam do teu próprio poço.são sedutores e destilam mel; sua voz é 16 Por que deixar que os teus ribeirosmais suave que o azeite, transbordem pelas ruas e as tuas fontes4 contudo, no final é amarga como fel, pelas praças?afiada como uma espada de dois gumes.2 17 Que tais mananciais sejam exclusiva-5 Seus pés correm para a morte; seus pas- mente teus, jamais divididos com quemsos conduzem-na diretamente ao inferno. quer que seja!6 Ela não reflete sobre o perigo de andar 18 Bendita seja a tua fonte! Alegra-tepor trilhas tortuosas, e não consegue en- sobremaneira com a tua esposa. Sê felizxergar o caminho da vida. com a moça com quem casaste!7 Agora, portanto, meu filho, dá-me ou- 19 Gazela ardorosa, corsa graciosa; que osvidos e não te desvies das palavras da mi- seios da tua esposa sempre te fartem denha boca. prazer, e seu amor te extasie de carinhos8 Afasta o teu caminho da mulher adúltera, todos os dias de tua vida.e não te aproximes da porta da sua casa; 20 Por qual razão, filho meu, andarias 6 Devemos olhar sempre para nosso alvo maior: a glória do Senhor (Fl 3.13,14), e não nos deixarmos levar pelas coisas e pai-xões paralelas deste mundo (Sl 119.37). A inveja, o mexerico e a maledicência são outras formas de nos desviarmos do principalobjetivo de nossas vidas e “olharmos de lado” (v.27; Lv 19.16; Dt 5.32,33; 28.14; Js 1.7). 7 Assim foi traduzido este versículo, do manuscrito grego para a KJ de 1611: Turne not to the right hande nor to the left: remouethy foot frō euil. (1.15). Capítulo 5: 1 A expressão original hebraica     “para que conserves a discrição e os teus lábios guardem o conhecimen-            to” era, costumeiramente, aplicada a um sacerdote (Ml 2.7). Os cristãos, hoje, são os sacerdotes de Cristo (1Pe 2.9; Ap 5.10). 2 Estes conselhos foram dirigidos, originalmente, a jovens masculinos de uma cultura oriental hebraica, há cerca de 3000 anos;hoje, particularmente nas sociedades ocidentais, podem ser aplicados, indistintamente, a ambos os sexos e a todas as idades.Os “lábios que destilam o mel” referem-se à conversa interessante, compreensiva e agradável que se estabelece entre duaspessoas em processo de sedução (Ct 4.11; 5.13; 7.9). As palavras de uma mulher ou homem adúlteros (imorais), bem pensadase carinhosamente pronunciadas, exercem função semelhante à do azeite quente massageado em músculos tensos e juntas dolo-ridas; entretanto, são expressões cheias de lisonjas, hipocrisia e malícia (Sl 5.9; 55.21). O absinto ou fel é um extrato de ervas, asubstância mais amarga que se conhecia, usado na época no tratamento dos males do estômago, fígado e intestinos. 3 No contexto da cultura e da Lei judaicas da época, o pecador aqui apresentado quase foi acusado perante a assembléia dopovo e condenado à pena de morte por apedrejamento (Lv 24.14; Dt 22.22). A tradução literal e original deste versículo é: “Porpouco estive em todo mal no meio de toda a assembléia e congregação”. A KJ de 1611 traduziu desta maneira: I was almost inall euill, in the midst of the congregation & assembly.
  11. 11. PROVÉRBIOS 5, 6 154descontrolado atrás de uma mulher imo- Advertência contra a preguiçaral? Por que acariciar outros seios que 6 Observa a formiga, ó preguiçoso, refletenão os de tua esposa? sobre o trabalho que ela realiza e sê sábio!21 Os caminhos do homem estão diante 7 Mesmo não tendo um chefe, nem su-dos olhos do SENHOR, e Ele examina aten- pervisor, nem comandante,tamente todos os seus passos!4 8 armazena suas provisões no verão, e na22 Quanto ao perverso, são suas próprias época da colheita ajunta seu alimento,iniqüidades que o amarram e o fazem pri- com toda a disciplina.sioneiro das cordas do seu pecado. 9 Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado?23 Com toda a certeza, ele morrerá por Quando te levantarás da tua sonolência?falta de controle; andará inseguro e cam- 10 Tirando uma pestana, cochilando umbaleante por conta de sua insensatez. pouco, cruzando os braços para descansar, 11 tua iminente pobreza te aterrorizará,Advertência quanto a ser fiador e tua necessidade te assaltará como um6 Filho meu, se serviste de fiador ao teu próximo, se, com um aper-to de mãos, te comprometeste por um ladrão armado. Advertência contra a maldadeestranho,1 12 O caráter do perverso é maligno. Ca-2 e ficaste enredado pelas declarações que minha de um lado para o outro murmu-saíram da tua boca, então és prisioneiro rando atrocidades,3de tua própria palavra. 13 comunica-se sorrateiramente com os3 Agora, filho meu, considerando que olhos, arrasta os pés e faz sinais com oscaíste nas mãos do teu companheiro, vai dedos.e humilha-te diante dele; insiste, inco- 14 Em seu coração habita o engano; todomoda e importuna esse teu próximo; o tempo planeja o mal; anda semeando4 não te permitas conciliar o sono, nem que perversidades e discórdias.teus olhos pestanejem; não descanses. 15 Por essa razão, a desgraça se abaterá5 Livra-te desse compromisso como a ga- repentinamente sobre ele; de um gol-zela das mãos do caçador, como a ave da pe será completamente destruído, semarmadilha que a pode prender.2 qualquer apelação.4 4 Estamos moralmente e psicologicamente nus diante do Espírito de Deus, e o Senhor sonda os nossos corações (vontades eintenções), o tempo todo. Se a felicidade plena e a vida eterna repousam na obediência amorosa e sincera aos mandamentos deDeus, não há como justificar más intenções, deslizes morais e pecados de toda espécie, com argumentos racionais, científicose modernos (novos padrões de moral mundial). Somente o sincero arrependimento, confissão, pedido de perdão e a mudançaradical de hábitos, mediante o exercício prático do “temor do Senhor” poderão nos livrar das garras do maligno e da destruiçãocerteira (v.22; 1Sm 16.7; Ez 33.11; Mt 5.8 de acordo com Hb 9.27 e Gl 6.7). Capítulo 6 1 Um documento assinado, um aperto de mão ou uma palavra empenhada, para a pessoa que realmente teme a Deus, sãoatitudes que têm o mesmo significado: um compromisso que deve ser cumprido custe o que custar (22.26,27). Em Gênesis háuma passagem que ilustra bem o perigo de assumirmos a responsabilidade pelo pagamento da dívida do próximo ou qualqueroutra obrigação semelhante. Judá ofereceu sua própria pessoa como garantia pela devolução, em segurança, de Benjamim aJacó (Gn 43.9), e, quando o cumprimento desse desafio pareceu impossível de se realizar, Judá se viu obrigado a apresentar-se aJosé para servir-lhe como escravo (Gn 44.32,33). Era costume dos judeus da antigüidade selarem seus contratos e alianças comum aperto de mãos (Pv 11.15; 17.18; 20.16; 22.26, de acordo com Jó 17.3). 2 Devemos fugir de qualquer contrato de fiança como as aves fogem das mãos ou do laço do passarinheiro (Sl 124.7). Veja esteversículo na tradução da KJ de 1611: Deliuer thy selfe as a Roe from the hand of the hunter, and as a bird from the hand of the fowler. 3 O original hebraico personifica e apresenta o “homem vil”   como “homem de Belial”, uma pessoa maligna (1Sm30.22). O termo “maligno” vem da conjunção de duas palavras: beli, “sem” e ya’al, “nada de bom” ou “imprestável” (Jz 19.22;1Sm 25.25; Jó 34.18; Dt 13.13). Em 1Co 6.15 essa palavra traduz um dos nomes de Satanás. 4 Há pessoas que são absolutamente escravizadas e manipuladas pelo Diabo. Assim como as atitudes do homem de Belialsão semelhantes às obras do Maligno, assim também seu fim será parecido à derrota iminente, fulminante e eterna do “homemda iniqüidade” (2Ts 2.7-12). A própria palavra “Diabo” originalmente significa “semeador de conflitos”, e a palavra grega diabolosquer dizer “aquele que promove a discórdia”. A palavra original hebraica Satan tem o sentido básico de “Acusador”.
  12. 12. 155 PROVÉRBIOS 6, 716 Há seis atitudes que o SENHOR odeia, objetivo da adúltera, que vive rondandosete atitudes que ele detesta:5 à caça de vidas preciosas!817 olhos arrogantes, língua mentirosa, 27 É possível alguém atear fogo ao pró-mãos que derramam sangue inocente, prio peito sem queimar a roupa?18 coração que maquina planos perversos, 28 Pode alguém andar sobre brasas sempés que se apressam para fazer o mal, queimar os próprios pés?19 a testemunha falsa que espalha difa- 29 Assim acontece com quem se deitamações e aquele que provoca contendas com mulher alheia; ninguém que a toqueentre irmãos! ficará sem castigo. 30 O ladrão não é execrado se, faminto,Advertências contra o adultério furta para matar a fome?20 Filho meu, obedece à orientação de teu 31 Contudo este, quando for pego, deverápai e não abandones o ensino de tua mãe. pagar sete vezes o que furtou, ainda que21 Ata-os para sempre ao teu coração, isso lhe custe tudo o que tem em casa.9envolve-os junto ao teu pescoço.6 32 Mas o homem que comete adultério22 Quando caminhares, eles te guiarão; não tem juízo; qualquer pessoa que as-quando te deitares, eles te protegerão sim procede a si mesmo se destrói.durante o sono; quando acordares, eles 33 Sofrerá ferimentos e vergonha, e a suadialogarão contigo! humilhação jamais se apagará,23 Porquanto, o mandamento é lâmpada, 34 pois o ciúme desperta a fúria de umo ensino é luz, e as advertências da disci- homem, que não terá misericórdia quan-plina são o caminho que conduz à vida; do se vingar.1024 eles te guardarão da mulher imoral e 35 Não aceitará nenhuma compensação;das palavras lisonjeiras da mulher adúl- nem os mais caros presentes servirãotera! para acalmar sua ira.25 Não cobices no teu coração a suabeleza, nem te deixes seduzir por seus A sedução e a cilada do adultérioolhares,726 pois o preço de uma prostituta é umpedaço de pão, quando comparado ao 7 Filho meu, obedece aos meus conse- lhos e no íntimo do teu ser guarda os meus mandamentos! 5 A poesia bíblica hebraica do séc. X a.C. costumava usar números na formação de seu paralelismo sinônimo, com o objetivode dar ênfase e dramaticidade aos escritos sapienciais (30.15-29; Jó 5.19). O número sete, por exemplo, desde a antigüidade ju-daica tem sido usado para comunicar a idéia de “absoluto, completo, perfeito” e tem sentido de “muitos ou fartura”. A idéia centraldeste versículo é apenas mostrar uma seleção das várias atitudes pecaminosas que são detestadas, abomináveis a Deus (3.32). 6 Estas expressões no original evocam a passagem de Dt 6.4-9, que alguns judeus mais religiosos até hoje recitam todas asmanhãs, como sua confissão de fé, conhecida como shema, “Ouve, ó Israel!...”. (v.22; Js 1.8; Dt 6.4-9). 7 É melhor deixar a Palavra e o Espírito de Deus queimarem toda a “cobiça”, assim que surgir no horizonte de nossa almavoluptuosa, do que cair no engodo do “adultério” (imoralidade), quer seja sexual, financeiro ou político (Pv 5.20; Mt 5.27-30, deacordo com Êx 20.17). 8 Aqui não há uma concessão bíblica para qualquer prática imoral ou licenciosidade sexual. O saber canônico está apenasrevelando, de forma dramática, que a mulher pública (prostituta) tem como principal objetivo o dinheiro dos incautos que por elasão seduzidos; mas como adúltera, ela é muito mais perversa: reduzirá o homem conquistado, a mera servidão e a completa ruínamoral e econômica (1Sm 2.36; Pv 5.10; 29.3). Quem se entrega a uma vida adúltera será destruído, a menos que se arrependae mude radicalmente seus hábitos, zelando permanentemente por sua castidade e integridade diante de Deus (Hb 13.4; 1Co6.9; Gl 5.19-21). 9 A lei dos judeus exigia, como penalidade, que o criminoso restituísse, à sua vítima, até cinco vezes mais o valor do que haviafurtado ou roubado (furto a mão armada ou com violência). A sabedoria bíblica e poética usa o termo “sete vezes” para indicar,simbolicamente, que o faltoso pagará a pena máxima e integral. Contudo, a pessoa que vive em adultério e jamais se arrepende,sofrerá vergonha e destruição eterna (Êx 22.1-9; 2Sm 13.13,22). 10 Aqui, a exemplo da questão do v.26 (Nota 8), não está sendo apresentada uma justificativa plausível para a vingança e aviolência, especialmente se a parte prejudicada for temente a Deus. No entanto, o sábio nos adverte sobre a força destruidora dociúme incontrolado. Além disso, bens materiais sempre poderão ser reconquistados ou restituídos, mas não há compensaçãopara a loucura (insensatez) das práticas adúlteras, que não ficarão sem o devido castigo (vv. 29-31).
  13. 13. PROVÉRBIOS 7 1562 Segue as minhas orientações e desco- buscar-te, e te encontrei.brirás a verdadeira vida; zela pelos meus 16 Já estendi sobre o meu leito cobertasensinos como cuidas da pupila dos teus coloridas de linho fino do Egito;olhos. 17 também já perfumei minha cama e o3 Amarra os meus mandamentos aos ambiente, com mirra, aloés e canela.teus dedos; escreve-os na tábua do teu 18 Vem, embriaguemo-nos com as de-coração! lícias da sensualidade até o amanhecer;4 Dize à Sabedoria: “Tu és minha irmã!”, gozemos os prazeres do amor!e ao Entendimento considera teu parente 19 Pois o meu marido não está em casa;próximo;1 partiu para uma longa viagem.35 eles saberão te manter longe da mulher 20 Levou consigo uma bolsa cheia de pra-imoral e da pessoa leviana e bajuladora. ta e não retornará antes da lua cheia!”6 Da janela da minha casa, por minhas 21 Assim, com a sedução ardilosa das suasgrades, olhando eu, muitas palavras e gestos, persuadiu-o,7 vi entre os incautos, no meio de um gru- com a lisonja e volúpia dos seus lábios,po de jovens, um rapaz deveras sem juízo! o arrastou.8 Ele ia e vinha pela rua próxima à esqui- 22 E ele, sem refletir, no mesmo momentona de certa mulher imoral, depois seguiu a seguiu como o boi levado ao matadou-em direção à casa dela. ro ou como o cervo que corre em direção9 Estava chegando o crepúsculo, o final à emboscada,do dia, caíam as sombras do entardecer, 23 até que uma flecha lhe atravesse o co-rodeavam as trevas da noite. ração; como a ave que se apressa em sal-10 Eis que a mulher lhe sai ao encontro, tar para dentro do alçapão, sem imagi-com vestes de prostituta e cheia de astú- nar que essa atitude lhe custará a vida!cia na alma. 24 Agora, portanto, filho, dá-me toda a11 Ela é sedutora e espalhafatosa, seus pés tua atenção e inclina os teus ouvidos àsnão suportam ficar em casa; minhas palavras experientes:12 um momento na rua, outro nas praças, 25 Não permitas que teu coração se des-em cada esquina se detém à espreita de vie para o caminho da mulher imoral,sua vítima. nem vagues desorientado pelas trilhas13 Precipitou-se sobre o rapaz, beijou-o dessa pessoa.sem pudor e lhe declarou: 26 Inúmeras foram as suas vítimas; e14 “Tenho em casa a carne dos sacrifícios muitos são os que por ela foram mortos!de paz que hoje preparei para cumprir os 27 A casa dela é uma trilha que conduzmeus votos.2 precipício abaixo, rumo ao inferno, à15 Por esse motivo, saí ao teu encontro, a morada eterna dos mortos.4 1 O sábio personifica a Sabedoria e o Entendimento, para enfatizar o quanto são importantes e devem ser amados e cuidadoscomo nossos parentes mais íntimos. O termo hebraico original “irmã” pode também ser empregado aqui com o sentido de“noiva” (Ct 4.10-12; 5.1,2). 2 Conforme a Lei, após seu período menstrual toda mulher deveria oferecer, ao Senhor, uma oferta “pacífica” ou “de comu-nhão” (Lv 15.19-30; Am 5.21,22). O sentido espiritual do texto nos leva a entender que essa pessoa imunda, que representa todaa sagacidade do pecado, teve a petulância de usar um ritual sagrado para confundir e instigar ainda mais a volúpia do joveminexperiente (incauto ou fraco na fé). Essa situação também revela como é possível que as pessoas continuem sua vida religiosae cerimonial sem se darem conta de que estão cometendo graves afrontas e sacrilégios contra Deus. 3 Podemos fazer uma outra importante inferência espiritual a partir desta declaração. É possível ver como a sociedade tende aargumentar que Deus se ausentou do mundo e da vida cotidiana e individual das pessoas sobre a face da terra e que, portanto,nada há de mal em se permitir um pouco de divertimento e prazer em meio a tanta desgraça. Esse sofisma bem articulado temlevado e continuará levando milhões de pessoas para a morte eterna, especialmente quando o “Noivo” voltar em glória pararesgatar os seus e destruir o Maligno e seus seguidores (Mt 25.6). 4 O sábio não está se referindo simplesmente à pena máxima para o adultério, tanto do homem quanto da mulher, explícitana Lei e em voga na época, que era a condenação à morte (Lv 20.10). O pecado e todo tipo de adulteração da Palavra de Deusconduz à desmoralização da personalidade, à ruína em todos os sentidos, ao lugar dos mortos (em hebraico: Sheol), e à morte
  14. 14. 157 PROVÉRBIOS 8A primazia absoluta da sabedoria que as mais finas jóias, e de tudo o que se8 A Sabedoria clama! O Entendimento ergue a sua voz!12 Sobre os montes mais elevados junto possa ambicionar, absolutamente nada se compara a ela! 12 Eu sou a Sabedoria! Em mim habitaao caminho, nos cruzamentos, ouve-se a todo o conhecimento, o discernimento evoz do discernimento.2 o ensino!53 Ao lado dos portais, à entrada da cida- 13 O temor do SENHOR consiste emde, portas adentro, ela conclama em alta odiar o mal; rejeitar todo orgulho, ar-voz: rogância, o mau comportamento e o4 “A todos vós, ó homens, suplico; dirijo falar perverso.a minha convocação a toda a humanida- 14 Meu é o conselho sábio; a mim perten-de. cem o entendimento e o poder!5 Entendei, ó incautos, a prudência; e vós, 15 Por meu intermédio, os reis governam,insensatos, compreendei a sabedoria!3 e as autoridades exercem a justiça;6 Ouvi, pois proferirei conselhos exce- 16 da mesma forma, mediante meu po-lentes; os meus lábios falarão de assuntos der, governam os nobres, todos os juízesjustos e práticos. da terra.7 A minha boca proclamará a verdade, 17 Eu amo todos os que me amam, eporquanto meus lábios abominam a ma- quem me busca me encontra!6lignidade! 18 Em minhas mãos está toda a riqueza,8 Todas as minhas palavras são justas, ne- honra, prosperidade e justiça perenes.nhuma delas é adulterada ou perversa.4 19 Meu fruto é melhor que o ouro; sim,9 Para os que possuem discernimento, que o ouro mais puro; o lucro que vossão ensinos claros; e, veredas retas, para ofereço é superior ao metal mais valioso!os que alcançam o conhecimento. 20 Ando pelo caminho da retidão, em10 Recebei o meu ensino, e não a prata, meio às veredas da justiça,preferi o conhecimento, antes do ouro 21 outorgando riquezas aos que mepuro. amam; oferecendo a estes prosperidade11 Porquanto, melhor é a sabedoria do sem fim!eterna ou inferno (2.18; 5.5; 14.12; 16.25; Mt 7.13; 1Co 6.9,10). Graças a Deus temos na pessoa e no sacrifício vicário de Cristo,a derradeira oportunidade de nos livrarmos das garras do pecado e da morte: a confissão, o arrependimento e o abandono daprática do pecado em o Nome do Senhor (1Jo 1.9). Capítulo 8 1 O livro de Provérbios pode ser didaticamente dividido em três grandes capítulos, todos com o objetivo de ensinar à huma-nidade como viver de forma piedosa (santa e inteligente) diante de Deus: o temor do Senhor é a base de todo o saber e vidacom Deus (1.1 – 7.27). A prática da verdadeira vida espiritual (santidade) só é possível mediante a sabedoria – o conhecimentovivo do Senhor – (8.1 – 9.18). A piedade (santidade) é o exato oposto da vida mundana desinteressada de Deus – impiedade –(10.1 – 31.31). 2 Uma das mais evidentes demonstrações da graça de Deus está no fato de que ele mesmo providencia – de todas as formas– para que sua mensagem de salvação (evangelização) chegue a todos os povos, culturas e indivíduos em todo o mundo, dasruas e vilas às grandes edificações e centros urbanos. É importante notar que o convite do Senhor vem ao nosso encontro, ondeestivermos, e cabe a nós a decisão final de aceitá-lo de todo o coração ou nos mantermos indiferentes, atitude que tem o mesmosentido prático da rejeição (v.7; Lc 19.9,10). 3 O termo original hebraico  peti´ “simples” comunica a idéia de uma pessoa “ingênua, inexperiente, que é facilmenteenganada”, ou seja, “incauta”. “Néscio” ou “insensato” – em hebraico, kesil – tem o sentido de alguém vagaroso na compreensãodas coisas e da vida, mas inclui também a idéia de ser “ímpio, pagão ou ateu” (Sl 49.13; Ec 7.25). 4 A expressão “adúltera” não se aplica somente à perversão sexual, mas a todo tipo de distorção da verdade, falsificação,corrupção, deturpação e perversidade (Fp 2.15 e Pv 2.15). 5 A “Sabedoria” é personificada e revelada com perfeição em Jesus, o Filho de Deus e o Cristo (o Messias prometido). Nelereside, corporalmente, toda a plenitude da “Divindade” (Cl 2.9), que é a “Vida” (Jo 14.6) e a “Luz” que veio do céu (Jo 8.12) paratodos os que o aceitam com sinceridade e alegria de coração (Jo 7.17). Só essa sabedoria tem o poder de falar com autoridadeabsoluta (vv.22-31; Jo 1.1; 1Co 1.30; Cl 1.17). 6 Aqui podemos reconhecer claramente a voz de Jesus Cristo expressando seu amor incondicional pela humanidade e suadisposição constante em atender as orações de todos que se achegam a ele (Jo 13.1; Hb 7.25).
  15. 15. PROVÉRBIOS 8, 9 158A Sabedoria vive para sempre Ele criou, e me alegrando com os seres22 O SENHOR me possui como fundamento humanos!do seu Caminho, antes mesmo do princí- 32 Agora, pois, filhos meus, ouvi-mepio das suas obras mais antigas;7 atentamente, porquanto muito felizes se-23 fui formada desde a eternidade, desde rão os que guardarem os meus decretos!a origem de tudo, antes de existir a terra. 33 Ouvi o meu ensino e sereis sábios, não24 Nasci quando ainda nem havia abis- rejeites a minha instrução.mos, quando não existiam fontes carre- 34 Bem-aventurado todo aquele que megadas de água; dá ouvidos, vigiando dia a dia à minha25 antes de serem estabelecidos os montes porta, aguardando com esperança às om-e de se formarem as colinas, eu já existia. breiras da entrada da minha casa.26 Ele ainda não havia formado a terra, 35 Porquanto, toda pessoa que me en-tampouco os campos, ou as partículas de contra, acha a vida e ganha o favor dopoeira com as quais fez o mundo. SENHOR.927 Quando Ele estabeleceu os céus, lá 36 Todavia, aquele que decide afastar-seestava Eu; quando delineou o horizonte de mim, a si mesmo se flagela; todos ossobre a superfície do abismo, que me desprezam, amam a morte!”28 quando fixou as nuvens em cima e es-tabeleceu as fontes do abismo, O grande convite da Sabedoria29 quando determinou as fronteiras domar para que as águas não ultrapassas-sem seu ordenamento, quando assinalou 9 A Sabedoria edificou a sua casa; er- gueu suas sete colunas.1 2 Charqueou as melhores carnes do re-as balizas dos alicerces da terra, banho para o banquete, preparou seu30 então, Eu estava com Ele e cooperei vinho com especiarias e arrumou suaem tudo como seu arquiteto. Dia após grande mesa.dia tenho sido o seu prazer, sempre me 3 Já deu ordens às suas servas para pro-sentindo muito feliz a seu lado.8 clamarem os convites desde o ponto mais31 Regozijando-me com o mundo que alto da cidade, anunciando:2 7 O trecho dos vv.22-31 veio a se constituir – ao longo da história de Israel e da Igreja – em um hino sobre a personificação e aobra da sabedoria divina em toda a criação do Universo (1.20-33; 3.15-18; 9.1-12). Portanto, esta e outras passagens semelhantespodem ser interpretadas como uma antecipação sobre o que o NT descreve quanto a Jesus Cristo como a própria Palavra deDeus (Jo 1.1-3; 17.5), como também, Sabedoria de Deus (1Co 1.24,30; Cl 2.3; Jo 5.17,18). 8 Deus, em sua plena soberania e eternidade, criou o Universo e tudo o que há, a partir do “nada absoluto”, que é o sentidoexato da palavra “criar” nos originais hebraicos do livro do Gênesis 1.1,21,27. Deus forma do “nada” as partículas básicas doUniverso, moléculas e células, enquanto sua palavra (o logos divino) e sabedoria (seu caráter amoroso e justo), reveladas napessoa do seu Filho, e nosso Salvador (Messias), colaboram na maravilhosa ação da Trindade para ordenar tudo de tal forma quea humanidade possa ter alguma compreensão geral (Jo 1.1-3). E na plenitude dos tempos, no limiar do final das eras, decidiuDeus tomar plena forma humana (encarnar) na pessoa de seu Filho, Jesus Cristo; viver e sacrificar-se em benefício da vida eternada criação, da qual o homem, feito à imagem de Deus, é obra-prima (Gn 1.26-28). 9 Aquele que é a vida em si mesmo é o único que pode dar a vida (Jo 14.6). E Deus (em Cristo) deseja ansiosamente dar essavida a todos aqueles que desejam recebê-la, mediante simples e sincera fé na pessoa e obra vicária do seu Filho, o Cristo (Jo11.25,26; Jo 3.16-21). A KJ de 1611 traz a seguinte tradução para este versículo: For whoso findeth mee, findeth life, and shallobtaine fauour of the LORD. Capítulo 9 1 O convite divino (de Yahweh – o nome hebraico de Deus) sempre se expressou nos termos de um grande, delicioso e alegrebanquete entre amigos de verdade (Is 55.1,2). Somente em Cristo, entretanto, o Evangelho (a Salvação), esse banquete eterno,tem seu custo total e substância plenamente compreendidos (Jo 6.51-58). Aqui a expressão hebraica  pode ser transli-terada em hokmôť “a sabedoria” (1.20). As grandes edificações pagãs, como o magnífico templo de Afrodite e o palácio do reiassírio Senaqueribe, costumavam ser sustentados por sete imponentes colunas. Mas a sabedoria que vem do Senhor revela suassete colunas, nos sete dias da criação (8.27), e mais: na Instrução, no Conselho, no Ensino, no Entendimento, na Inteligência,no Conhecimento Pleno (para receber, no coração, a Sabedoria) e na Prudência (a melhor maneira de se aplicar o saber). Estaspalavras são as chaves para compreensão da Sabedoria e deste livro. 2 A Sabedoria e a Insensatez convidam a humanidade para suas casas (14.7,8; 8.34). Entretanto, a Sabedoria edificou sua casapessoalmente (14.1; 31.10-27), não apenas utiliza a casa de outrem, nem fica “sentada” (v.14) recepcionando seus convivas. O
  16. 16. 159 PROVÉRBIOS 9, 104 “Vinde todos vós, os incautos!” Aos in- que não têm bom senso ela convida:sensatos e desajuizados conclama: 17 “Aágua roubada é doce, e o pão que se5 “Vinde, comei do meu pão e bebei do come escondido é ainda mais saboroso!”vinho que preparei. 18 Contudo, eles nem imaginam que exa-6 Abandonai a insensatez e vivei; andai tamente ali residem os espíritos dos con-pelo Caminho do arrependimento!3 denados à morte, que os seus convidados7 O que censura o zombador traz afronta estão todos nas regiões mais profundassobre si; quem repreende o ímpio man- do inferno.4cha o próprio nome.8 Portanto, não admoestes o escarnece- A justiça e a malignidadedor, para que não te aborreça; repreendeo sábio, e ele te amará!9 Orienta a pessoa que tem sabedoria, e 10 Provérbios de Salomão:1 O filho sábio alegra o coração do seu pai, mas o filho insensato é a tristezaela será ainda mais sábia; ensina o ho- de sua mãe.mem justo, e ele aumentará em muito o 2 Os tesouros que são fruto da desones-seu saber. tidade de nada valem, mas a justiça livra10 O temor do SENHOR é a chave da sabe- da morte.doria e conhecer a Divindade é alcançar 3 O SENHOR não permite que o justo ve-o pleno sentido do conhecimento! nha a passar fome, mas abate a ambição11 Porquanto por meu intermédio os teus dos ímpios.dias serão multiplicados, e o tempo da 4 As mãos preguiçosas empobrecem o sertua vida se prolongará. humano, porém as mãos laboriosas lhe12 Se fores sábio, o benefício será todo produzem riqueza.teu; contudo, se fores zombador sofrerás 5 Aquele que faz a colheita no verão é fi-as conseqüências da tua própria esco- lho sensato, mas aquele que dorme du-lha”. rante a ceifa é filho que causa vergonha. 6 Sobre a cabeça do justo há bênçãos,O convite da Insensatez, a louca mas na boca dos perversos reside a bru-13 A Insensatez é mulher sensual, exibi- talidade.cionista e ignorante! 7 A memória do justo é abençoada, mas o14 Sentada à porta de sua casa, no ponto nome dos perversos cai em podridão.mais alto da cidade, 8 O sábio de coração aceita os manda-15 propagandeia sua proposta aos que mentos, mas o insensato de lábios vemtransitam por ali em seus caminhos: a arruinar-se.16 “Vinde todos vós, os incautos!” E aos 9 Quem caminha com integridade andabanquete preparado pela Sabedoria forma um contraste poético e moral com a cama perfumada da Insensata (7.17). A Sabedoriaoferece o melhor pão (iguarias), um vinho novo e especial, muito mais saboroso (Ct 8.2), ao seu grupo de convidados que proce-de das ruas e das praças, sendo que a deficiência de tais hóspedes é a única qualificação deles (v.4). 3 As dádivas divinas da Sabedoria à humanidade são apresentadas simbolicamente como um magnífico banquete, semelhanteaos realizados por ocasião das bodas dos grandes monarcas. Cristo (o Caminho – At 19.23; 24.22) retoma esse tema e convida“seus servos” para seu banquete universal e eterno (Lc 14.15-24; Mt 22.1-14). 4 A expressão hebraica original usada aqui  do she’ôl (sepultura, moradia dos mortos ou inferno) não é uma referênciaespecífica ao futuro eterno, uma vez que a teologia hebraica dessa época tinha mais interesse em conhecer a Deus na terra eobedecer a Ele, do que em especular sobre os detalhes da vida após a morte. Só com a vinda de Jesus Cristo (o Messias) e seusensinos sobre salvação e vida eterna, é que também ficou clara a doutrina da condenação à morte eterna e o aniquilamento deSatanás e seus seguidores (Jo 3.16-21; Mc 9.44,45; Ap 20.10-14). A KJ de 1611 traduz assim este versículo: But hee knoweth notthat the dead are there; and her guests are in the depths of hell. Capítulo 10 1 No original hebraico, a soma do valor numérico das consoantes do nome “Salomão”, na expressão  “de Salomão”,resulta em 375, conforme o antigo costume judaico de atribuir números às letras (Sl 119). Curiosamente, esse é o número totaldos versículos selecionados da imensa obra (1Rs 4.32) do sábio servo do Senhor (28.7; 15.20; 17.21,25; 29.3,15), e que se achamregistrados entre os capítulos 10.1 e 22.16.
  17. 17. PROVÉRBIOS 10, 11 160em segurança, mas quem segue por tri- 22 A bênção do SENHOR produz riqueza elhas tortuosas será descoberto. não provoca sofrimento algum.10 Aquele que se comunica com olhares 23 Para o insensato, praticar a iniqüidademaliciosos provoca infelicidades, assim é um divertimento; mas o ser humanocomo a boca do insensato o leva à des- verdadeiramente inteligente deleita-setruição. na sabedoria.11 Os lábios do justo são fonte de vida, 24 Aquilo que teme o ímpio, isso mesmomas a boca dos ímpios abriga a violên- lhe acontecerá; o que os justos esperamcia.2 lhes será concedido.12 O ódio provoca contendas, mas o amor 25 Como passa a tempestade, assim desa-cobre todas as transgressões.3 parece o perverso, mas o justo permane-13 Nos lábios do prudente se encontra cerá firme para sempre.4a sabedoria, mas a vara da repreensão é 26 Como vinagre para os dentes e fumaçapara as costas do desajuizado. para os olhos, assim é o preguiçoso para14 Os sábios acumulam conhecimento, aqueles que o supervisionam.mas a boca do néscio é um atalho para 27 O temor do SENHOR prolonga os diasa ruína. da nossa existência, mas o tempo de vida15 Os bens dos ricos são sua cidade for- dos perversos será abreviado.tificada, mas a pobreza é a humilhação 28 O objetivo do justo será concluídodos pobres. com alegria, mas as ambições dos ímpios16 O salário do justo lhe proporciona darão em nada.uma vida feliz, mas as rendas do perverso 29 O Caminho do SENHOR é o refúgio doso conduzem ao castigo. íntegros, entretanto, será a destruição de17 Quem recebe bem a disciplina conhece todos os que praticam o mal.o caminho da vida, mas quem ignora a re- 30 Os justos jamais serão definitivamentepreensão desencaminha a si e aos outros. abalados, mas os ímpios pouco perma-18 Quem esconde o ódio tem lábios fal- necerão na terra.sos, e quem espalha calúnia é insensato. 31 A boca do justo produz sabedoria, mas19 Quando se fala demais é certo que o a língua perversa será extirpada.5pecado está presente, mas quem sabe 32 Os lábios justos sabem como falar agra-controlar a língua é prudente. davelmente; entretanto, a boca dos ímpios20 A língua dos justos é prata da melhor só tagarela perversidades.qualidade, mas o coração dos ímpiosquase não tem valor. A Integridade e o bom nome21 As palavras dos justos alimentam mui-tas pessoas, mas os insensatos morrempor falta de juízo. 11 Deus tem ódio das balanças de- sonestas, mas os pesos exatos lhe dão prazer! 2 Em qualquer situação devemos conversar de maneira controlada e compreensiva, ainda que tenhamos de ser firmes e decisivos. Aconversa torpe, autoritária e abrutalhada coopera na formação de um ambiente beligerante, rixoso, malicioso e odioso (Ef 4.25-32). 3 O verdadeiro amor, em toda a amplitude do seu significado sempre promoverá o perdão e a reconciliação. A expressão he-braica original kasah “cobrir” comunica o sentido de “expiar”, “apagar”, “cancelar a dívida”. Este versículo foi citado também porTiago e pelo apóstolo Pedro no NT (Tg 5.20; 1Pe 4.8). Jesus Cristo foi quem pagou toda a nossa dívida por meio do seu própriosangue e nos deixou o maior exemplo prático de amor e perdão (Cl 2.14). 4 O homem prudente constrói sua casa sobre a Rocha (Cristo – 1Pe 2.4-10). Este é um fundamento perpétuo: o justo permane-cerá vivo e feliz para sempre, enquanto o ímpio e insensato passará de uma hora para outra, e dele ninguém mais se lembrará (Mt7.24-27; Sl 37.10; 15.5; Is 28.18; 1Co 15.58). A KJ 1611 traduziu este versículo assim: As the whirlewinde passeth, so is the wickedno more: but the righteous is an euerlasting foundation. 5 A expressão hebraica original , transliterada em hokmâh “a sabedoria”, comunica, nas Sagradas Escrituras, a qualidadede ser “arguto para o bem”, embora esse mesmo termo fora da Bíblia tenha apenas o sentido de “grande inteligência, perspicáciae perícia técnica” (Êx 31.3; Ez 27.8). Contudo, a “sabedoria plena” pertence a Deus e é dom de Deus aos amados de seu Filho,Jesus, o Messias (Jo 12.12-36). A KJ de 1611 traduz este versículo assim: The mouth of the iust bringeth foorth wisedome: but thefroward tongue shalbe cut out.
  18. 18. 161 PROVÉRBIOS 112 Em vindo a arrogância, chega logo tam- frerá as conseqüências; entretanto, quembém a desonra, mas com os humildes evita assumir a responsabilidade de ou-está a sabedoria.1 trem estará seguro e em paz.3 A integridade dos justos os guia, mas a 16 A mulher gentil e honrada alcança ofalsidade dos infiéis os aniquila. respeito de todos, mas os homens per-4 As riquezas acumuladas não terão valor versos só conquistam bens materiais.algum no Dia da ira divina, mas a justiça 17 Quem faz o bem aos outros, a si mes-livrará o fiel da morte.2 mo o faz; a pessoa cruel provoca sua pró-5 A retidão dos íntegros de coração lhes pria ruína.descortina o caminho justo, mas os ím- 18 O ímpio recebe pagamentos engano-pios são abatidos por sua própria perver- sos, mas quem semeia a justiça colhe se-sidade. gura recompensa.6 A integridade das pessoas justas as li- 19 Tão certo como a retidão conduz avrará, mas em sua malignidade os infiéis uma vida feliz, assim o que segue o ma-serão apanhados. ligno corre para sua própria morte.7 Assim que o ímpio morre, toda a sua 20 O SENHOR detesta todas as pessoasesperança perece com ele; todos os seus perversas de coração, mas aqueles queplanos acabam em nada. andam em integridade de coração são a8 O justo é salvo das tribulações, e elas sua alegria.são transferidas para o ímpio. 21 Tendes todos esta certeza: os maus não9 O ímpio, com sua própria boca, destrói ficarão sem o devido castigo, mas os jus-o próximo, mas os justos encontram a li- tos serão perdoados!berdade por meio do real conhecimento. 22 Como anel de ouro em focinho de10 Com a prosperidade dos justos toda a porco, assim é a mulher bonita, mas in-cidade fica feliz; quando os ímpios pere- discreta.cem há música e alegria no ar. 23 As ambições dos justos resultam em11 Os justos abençoam a cidade por meio bem para muitos; a esperança dos ím-das bênçãos que recebem, mas pela boca pios, somente em desgosto e ira.dos perversos é destruída. 24 Quem dá com generosidade, vê suas12 O que despreza o próximo é falto de riquezas se multiplicarem; outros prefe-senso, mas a pessoa prudente sabe o mo- rem reter o que deveriam ofertar, e caemmento de se calar. na pobreza.13 O fofoqueiro trai a confiança de quem 25 O generoso sempre prosperará; quemquer que seja, mas aquele que guarda um oferece ajuda ao necessitado, confortosegredo merece crédito. receberá.14 Não havendo sábia direção, toda a na- 26 O povo amaldiçoa aquele que escondeção é arruinada; o que a pode restaurar é o trigo para alcançar maior preço, mas ao conselho de muitos sábios. bênção alcança aquele que logo se dispõe15 Quem serve de fiador com certeza so- a atender o povo. 1 A arrogância é o único pecado sem perdão; não porque Deus não possa perdoar o soberbo, mas porque a pessoa altivajamais reconhece profundamente seus erros e, portanto, não é capaz de pedir perdão com a sinceridade de quem deseja aban-donar o erro e obedecer ao Senhor. A expressão hebraica original  zãdôn refere-se a “arrogância” ou “insolência”, que ésempre causada por um desequilíbrio na balança da auto-estima: desenvolvemos um conceito exageradamente alto de nossaprópria pessoa ou capacidades e um baixo conceito ou desconsideração pelo talento ou virtudes de outrem. Quando esse mes-mo sentimento se aplica à pessoa de Deus, corremos o risco de cometer o pecado da blasfêmia (16.18). Já o termo hebraico cãnüah “os humildes”, em sua forma verbal de “andar humildemente” diante do Senhor, se junta às virtudes paralelas, dohumilde: a justiça e a misericórdia, o fundamento e o âmago da piedade e da verdadeira religião de Deus, descrita no AT (Mq6.8; Pv 15.33; 29.23). 2 O dia (ou período) do grande e terrível juízo final de Deus sobre a terra e a humanidade é chamado nas Escrituras, de: Dia doJuízo (Is 10.3; Sf 1.18); Dia da ira (Lm 2.22; Sf 2.2; Rm 2.5); Dia do Senhor (Is 2.12; 13.6; Ez 30.3; Jl 1.15; 2.11); Dia da vingança(Jr 46.10).

×