Ensino de LE em   tempos de novas   demandas sociais:   gêneros textuais e   letramento digitalProfa. Reinildes Dias      ...
Consultoria de Língua Estrangeira        Espanhol - InglêsEscola do Grupo Pitágoras de Ensino            Ourilândia
Por que estudar a LE?Direito cidadão de todo aluno brasileiroFluência em pelo menos uma LE paraler, escrever, ouvir e fala...
Saber uma LE emancipa eempodera o aluno.(Educação libertadora: FREIRE, 1987).
Lugar para aprender inglês é naescola (PNLD) e fora dela também,pelos recursos da web e por meio dedesafios para aprender ...
Como, então, ensinar inglês emtempos de novas demandassociais?Por meio da abordagem comunicativavia gêneros.
Como, então, ensinar inglês emtempos de novas demandassociais?Linguagem como comunicação +Linguagem como ação social
Como, então, ensinar inglês emtempos de novas demandassociais?Uso de situações reais de comunicaçãoem contextos sociais de...
Gêneros textuais e Gêneros digitais        tornam-se objetos de ensino na sala        de aula contemporânea.Não agimos pel...
E o que são os gêneros?Gêneros são as nossas açõespela linguagem num contextosocial de interações presenciaisou no meio vi...
E o que são os gêneros?Assim, agimos, tanto paraouvir e falar quanto paraler e escrever, por meio degêneros.
E o que são os gêneros?Nas palavras de Bakhtin(2006 [1979], p. 283)   “se os gêneros do discurso   [gêneros textuais] não ...
Para reflexão e debate:Enumere exemplos(1) Gêneros do seu dia a dia.(2) Gêneros em seu livro didático (LD).(3) Gêneros no ...
Abordagem comunicativa viagêneros textuais:desenvolvimento das capacidades delinguagem para o uso do espanhol / inglêsem s...
Respeito ao Conhecimento Anterior.Participação ativa do aluno. Interdisciplinaridade.Temas instigantes e atuais.Temáticas ...
Gêneros textuais / digitais   Listas. Quizzes. Poemas. Perfis pessoais.   Biografias.   Guias turísticos. Manual de instru...
Tipos de Textos:  compõem a teia em cada gênero  Narração (predomínio de sequências temporais)  Descrição (predomínio de...
MultimodalidadeTodo texto é multimodal.Ênfase: não apenas no código verbal,mas na combinação de diferentesmodos semióticos.
Linguistic - oral and written                  language: use of vocabulary                           & grammar            ...
http://www.save-money-    with-alternative- energy.com/lets-all-go-        green.html
http://www.gstriatum.com/energiasolar/
Do: letramento para ler e escrever    Para: multiletramento para ler e escrever    textos multimodais.
Protagonismo         do alunoCriação de uma revista impressa (para conter      seus textos produzidos em sala).Criação de ...
Letramento Digital                             Compromisso de uma educação                             emancipadora.      ...
Nativo ou                                                        imigrante                                                ...
Nativo ou                                    imigrante                                    digital?Imigrantes digitais:Imig...
Cultura Digital: movimento cognitivo, social ecultural amplo, estreitamente conectado àstecnologias da informação e da com...
Ferramentas que podem promover a colaboração e odesenvolvimento da capacidade do aluno paraproduzir textos de vários gêner...
Cultura digital  ou cibernéticaCultura da aprendizagem colaborativa.Cultura da aprendizagem por descoberta  (self-discover...
Processo de                               Recepção:                             Ouvir podcasts                            ...
Recepção                                                OUVIRCriar filmes em Espanhol – Inglês             com o          ...
Listas, Quizzes, Receitas, Reportagem, Charge, Biografia, Recepção:Slides, Entrevistas, Cartão Postal Ler                 ...
Fases de uma aula de leitura    Fase 1: Pré-leitura Ativação de conhecimento          anteriorPara mais informações, http:...
Fases de uma aula de leitura         Fase 2Compreensão de pontos gerais   Compreensão das condições de         produção do...
Fases de uma aula de leitura      Fase 3Compreensão de pontos     principaisExploração da informação verbal:   construção ...
Fases de uma aula de leitura                   Fase 4Compreensão detalhadaExploração da informação verbal:inferências, sín...
Fases de uma aula de leitura      Fase 5: Pós-LeituraReflexões sobre as características retórico-discursivas e linguístico...
Recepção:         Ler      Produção          :      EscreverLer e escrever: responsabilidade de        todas as disciplinas.
Scaffolding                Primeiro / Segundo                             Terceiro rascunho        Scaffolding   (suporte)...
Quem escreve? (autoria)Sobre o quê? (conteúdo)Para quem (Público alvo)Para quê? (Propósitos do texto)Como? (Gênero)Quando?...
Purpose: To introduce this person   Step One:                                    In groups, choose a well-known person who...
Let’s write a recipe!Reading
Ir más allá de … Going beyond …Desafie seus alunos a aprender mais!Incentive os seus alunos a usar os recursosda Web para ...
Por meio da Língua EstrangeiraAmpliam-se as possibilidades doaluno de agir discursivamente nomundo (pesquisas, cursos deap...
Por meio da Língua EstrangeiraAmpliam-se também aspossibilidades do aluno decompreender outras manifestaçõesculturais próp...
Por meio da Língua EstrangeiraAmpliam-se também aspossibilidades do desenvolvimentoda capacidade do aluno para viverna soc...
Gracias!              Thank you!       Mantenerse en contacto!            Keep in touch!       diasreinildes@gmail.comMeu ...
Set of slides 2 - Ourilândia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Set of slides 2 - Ourilândia

288

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
288
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Set of slides 2 - Ourilândia

  1. 1. Ensino de LE em tempos de novas demandas sociais: gêneros textuais e letramento digitalProfa. Reinildes Dias Maio de 2012
  2. 2. Consultoria de Língua Estrangeira Espanhol - InglêsEscola do Grupo Pitágoras de Ensino Ourilândia
  3. 3. Por que estudar a LE?Direito cidadão de todo aluno brasileiroFluência em pelo menos uma LE paraler, escrever, ouvir e falar comcompetência.
  4. 4. Saber uma LE emancipa eempodera o aluno.(Educação libertadora: FREIRE, 1987).
  5. 5. Lugar para aprender inglês é naescola (PNLD) e fora dela também,pelos recursos da web e por meio dedesafios para aprender mais, alémdos limites da sala de aula.(Ir más allá de … Going beyond ... ).
  6. 6. Como, então, ensinar inglês emtempos de novas demandassociais?Por meio da abordagem comunicativavia gêneros.
  7. 7. Como, então, ensinar inglês emtempos de novas demandassociais?Linguagem como comunicação +Linguagem como ação social
  8. 8. Como, então, ensinar inglês emtempos de novas demandassociais?Uso de situações reais de comunicaçãoem contextos sociais de interação
  9. 9. Gêneros textuais e Gêneros digitais tornam-se objetos de ensino na sala de aula contemporânea.Não agimos pela linguagem com textos “fabricados”(mesmo tempo verbal, um número limitado de vocábulos).Agimos por meio de gêneros das práticas sociais:conversa informal, telefonemas, emails, texting, blogs,chats, bilhetes, listas, depoimentos, relatórios, artigos denotícias etc. E o que são os gêneros?
  10. 10. E o que são os gêneros?Gêneros são as nossas açõespela linguagem num contextosocial de interações presenciaisou no meio virtual, em ambasas modalidades, a escrita e a oral.
  11. 11. E o que são os gêneros?Assim, agimos, tanto paraouvir e falar quanto paraler e escrever, por meio degêneros.
  12. 12. E o que são os gêneros?Nas palavras de Bakhtin(2006 [1979], p. 283) “se os gêneros do discurso [gêneros textuais] não existissem e não os dominássemos, se tivéssemos de criá-los pela primeira vez no processo do discurso ...., a comunicação [verbal] seria quase impossível.”
  13. 13. Para reflexão e debate:Enumere exemplos(1) Gêneros do seu dia a dia.(2) Gêneros em seu livro didático (LD).(3) Gêneros no LD de geografia e no de história.(4) Gêneros da academia.(5) Gêneros do contexto escolar(6) Gêneros da publicidade.(7) Gêneros do espaço cibernético.Mais um desafio:Onde circulam estes gêneros ?
  14. 14. Abordagem comunicativa viagêneros textuais:desenvolvimento das capacidades delinguagem para o uso do espanhol / inglêsem situações reais de comunicação nasmodalidades oral e escrita, em contextossociais de interaçãoPCN, 1998 / OCEM, 2006.
  15. 15. Respeito ao Conhecimento Anterior.Participação ativa do aluno. Interdisciplinaridade.Temas instigantes e atuais.Temáticas sociais (Pluralismo cultural. Meio ambiente.)Desenvolvimento da responsabilidade socialAprendizagem significativa.
  16. 16. Gêneros textuais / digitais Listas. Quizzes. Poemas. Perfis pessoais. Biografias. Guias turísticos. Manual de instrução. Resenhas. Artigo de opinião. Anúncios publicitários. Contos. Conversas informais. Conversas telefônicas. Piadas. Entrevista. Programas de rádio. Anúncios publicitários.Emails. Blogs. Webpages. Facebooks. Twitters.Wikis. WebQuests. Slideshares. Glogsters.
  17. 17. Tipos de Textos: compõem a teia em cada gênero  Narração (predomínio de sequências temporais)  Descrição (predomínio de sequências de localização)  Exposição (predomínio de sequências analíticas)  Argumentação (predomínio de sequências contrastivas explícitas),  Injunção (predomínio de sequências imperativas) (Marcuschi, 2002, p.29). ---------------------------------------  Dialogal (predomínio de perguntas e respostas)
  18. 18. MultimodalidadeTodo texto é multimodal.Ênfase: não apenas no código verbal,mas na combinação de diferentesmodos semióticos.
  19. 19. Linguistic - oral and written language: use of vocabulary & grammar Visual - still & moving images, colors. Auditory – music & sound effects: use of volume, pitchSemiotic codes & rhythm. or modes Gestural – facial expressions & body language. Spatial – layout & organization of objects & space.
  20. 20. http://www.save-money- with-alternative- energy.com/lets-all-go- green.html
  21. 21. http://www.gstriatum.com/energiasolar/
  22. 22. Do: letramento para ler e escrever Para: multiletramento para ler e escrever textos multimodais.
  23. 23. Protagonismo do alunoCriação de uma revista impressa (para conter seus textos produzidos em sala).Criação de um mural com notícias diversasCriação de blogs / podcastsCriação de conjuntos de slides
  24. 24. Letramento Digital Compromisso de uma educação emancipadora. Compromisso da escola com seus alunos “nativos digitais”.Digital natives, Digital immigrantsPrensky, 2001 - http://tinyurl.com/prensky-English“Nativos digitales” e “inmigrantes digitales”Prensky, 2001 - http://tinyurl.com/prensky-Spanish
  25. 25. Nativo ou imigrante digital?Nativos digitais:aqueles que nasceram na era cibernética doscomputadores, câmeras digitais, I-phones, brinquedos eletrônicos,robots, TV digital etc.Lidam facilmente com a tecnologia digital e são exímios utilitáriosde todos os gadgets da era atual.Mark Prensky (2001). http://www.marcprensky.com/
  26. 26. Nativo ou imigrante digital?Imigrantes digitais:Imigrantes digitais: aqueles que aprenderam a utilizar astecnologias atuais por força do trabalho, da necessidadedecomunicação e interação, para aprender mais.Como qualquerimigrante, retêm um “sotaque” que pode sermais ou menosperceptível,dependendo da fluência adquirida em lidar com astecnologias digitais.Mark Prensky (2001). http://www.marcprensky.com/
  27. 27. Cultura Digital: movimento cognitivo, social ecultural amplo, estreitamente conectado àstecnologias da informação e da comunicação.DIAS, R. A integração das TICS ao ensinoe aprendizagem de língua estrangeira e oo aprender colaborativo on-line.Moara n 30. Belém: UFPA. Programa deMestrado, 2008. Download:w w w . l e t r a s . u f m g . b r /p r o f s /r e i n i l d e
  28. 28. Ferramentas que podem promover a colaboração e odesenvolvimento da capacidade do aluno paraproduzir textos de vários gêneros, tanto da modalidadeoral quanto da escrita.
  29. 29. Cultura digital ou cibernéticaCultura da aprendizagem colaborativa.Cultura da aprendizagem por descoberta (self-discovery learning, Bruner, 1960).Cultura do “aprender a aprender”(aprender para a vida).
  30. 30. Processo de Recepção: Ouvir podcasts Processo de produção: Criar podcastshttp://www.spanishpodcast.org/podcasts/- Espanholhttp://iteslj.org/links/ESL/Listening/Podcasts/- Inglês
  31. 31. Recepção OUVIRCriar filmes em Espanhol – Inglês com o Produção WINDOWS MOVIE MAKER FALAR Produção de vídeo
  32. 32. Listas, Quizzes, Receitas, Reportagem, Charge, Biografia, Recepção:Slides, Entrevistas, Cartão Postal Ler Produção : Escrever Listas, Quizzes, Receitas, Reportagem, Charge, Biografia, Slides, Entrevistas, Cartão Postal
  33. 33. Fases de uma aula de leitura Fase 1: Pré-leitura Ativação de conhecimento anteriorPara mais informações, http://tinyurl.com/fases-aula-leituraProposta Curricular de Língua Estrangeira do Estado de Minas Gerais. 2003.
  34. 34. Fases de uma aula de leitura Fase 2Compreensão de pontos gerais Compreensão das condições de produção do texto Exploração da informação não-verbal Para mais informações, http://tinyurl.com/fases-aula-leitura Proposta Curricular de Língua Estrangeira do Estado de Minas Gerais. 2003.
  35. 35. Fases de uma aula de leitura Fase 3Compreensão de pontos principaisExploração da informação verbal: construção dos elos coesivos -lexicais e gramaticais - inferências. Para mais informações, http://tinyurl.com/fases-aula-leitura Proposta Curricular de Língua Estrangeira do Estado de Minas Gerais. 2003.
  36. 36. Fases de uma aula de leitura Fase 4Compreensão detalhadaExploração da informação verbal:inferências, sínteses, integração.Resumo do texto lido na forma de diagramas, esquemas e mapas conceituais Para mais informações, http://tinyurl.com/fases-aula-leitura Proposta Curricular de Língua Estrangeira do Estado de Minas Gerais. 2003.
  37. 37. Fases de uma aula de leitura Fase 5: Pós-LeituraReflexões sobre as características retórico-discursivas e linguístico- textuais do texto lido. Para mais informações, http://tinyurl.com/fases-aula-leitura Proposta Curricular de Língua Estrangeira do Estado de Minas Gerais. 2003.
  38. 38. Recepção: Ler Produção : EscreverLer e escrever: responsabilidade de todas as disciplinas.
  39. 39. Scaffolding Primeiro / Segundo Terceiro rascunho Scaffolding (suporte) Feedback Feedback Revisões pelo professor Planejamento e colegas Brainstorming. Leitura de exemplares dos gêneros ReescritasInício que serão escritos. doCiclo Aprendizagem das características Scaffolding discursivas dos gêneros que serão escritos. Feedback Edição Versão Final Scaffolding “Publicação” Feedback DIAS, 2004
  40. 40. Quem escreve? (autoria)Sobre o quê? (conteúdo)Para quem (Público alvo)Para quê? (Propósitos do texto)Como? (Gênero)Quando?Onde? DIAS, 2004
  41. 41. Purpose: To introduce this person Step One: In groups, choose a well-known person whoHow: in a short, written profile excelled in one of the eight intelligences.Audience: Teacher, classmates Step Two: Gather information about this person. and school community. Step Three: Decide what you are going to highlight about this person. Step Four: Write his / her profile. Create a first draft, revise it, make changes, write the final version. Step Five: Publish it on your classroom walls.
  42. 42. Let’s write a recipe!Reading
  43. 43. Ir más allá de … Going beyond …Desafie seus alunos a aprender mais!Incentive os seus alunos a usar os recursosda Web para aprender espanhol / inglês!
  44. 44. Por meio da Língua EstrangeiraAmpliam-se as possibilidades doaluno de agir discursivamente nomundo (pesquisas, cursos deaperfeiçoamento, leituras, viagensseminários, oportunidades detrabalho mais significativas)
  45. 45. Por meio da Língua EstrangeiraAmpliam-se também aspossibilidades do aluno decompreender outras manifestaçõesculturais próprias de outros povos,aumentando sua capacidade detolerância a diferenças.
  46. 46. Por meio da Língua EstrangeiraAmpliam-se também aspossibilidades do desenvolvimentoda capacidade do aluno para viverna sociedade contemporânea:aprender a conhecer; aprender aviver juntos (colaboração-solidariedade); aprender a ser(consciência social). (Delors, 1996). http://www.unesco.org/delors
  47. 47. Gracias! Thank you! Mantenerse en contacto! Keep in touch! diasreinildes@gmail.comMeu site: www.letras.ufmg.br/profs/reinildes
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×