Your SlideShare is downloading. ×
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
2.1.0. Classif.BiolóGicas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

2.1.0. Classif.BiolóGicas

7,699

Published on

Para 11º ano de biologia e Geologia

Para 11º ano de biologia e Geologia

Published in: Education
1 Comment
11 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
7,699
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
1
Likes
11
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CLASSIFICAÇÕES BIOLÓGICAS PROF. CIDÁLIA AGUIAR
  • 2. Sistemas de classificação Sistemática - estudo da diversidade biológica num contexto evolutivo Taxonomia – classificação e nomenclatura das espécies filogenia – constitui a história evolutiva de uma espécie ou grupo de espécies relacionadas Séc XVIII – LINEU
  • 3. RACIONAIS PRÁTICAS HORIZONTAIS VERTICAIS FILOGENÉTICAS Filética cladística ARTIFICIAIS Observação de poucos caracteres Aristóteles, Teofrastos, Lineu NATURAIS (Fenéticas) Observação de muitos caracteres fenotípicos, anatómicos, fisiológicos De Lineu a Darwin Diagrama encaixante e dendogramas/ taxonomia numérica / chaves dicotómicas Não interessa o tempo Não se baseiam em características observadas Ex: ordem alfabética EMPÍRICAS Baseiam-se em características práticas com interesse para o Homem Baseiam-se em características estruturais observadas nos seres vivos Aristóteles, Teofrastos Período pós-Darwiniano Relações evolutivas, o tempo interessa
  • 4. Sistemas de classificação As classificações fenéticas podem existir actualmente – não têm em conta as relações evolutivas – baseiam-se na semelhança entre os organismos Permitem uma classificação rápida dos organismos
  • 5. Actividade 7 – pag 148 1- com base nos dados, mencione critérios utilizados por Aristóteles e Lineu 2 – Qual das classificações é a mais recente? Porquê? 1. Aristóteles – Essencialmente critérios de reprodução; Lineu – Essencialmente critérios estruturais. 1. A de Lineu, que viveu mais recentemente
  • 6. Classificações fenéticas ou horizontais Diagrama encaixante e dendogramas Chaves dicotómicas Não interpreta órgãos homólogos /análogos como existência de evolução divergente/convergente Analisa apenas a morfologia destes órgãos dendograma
  • 7. Classificações fenéticas ou horizontais Diagrama encaixante
  • 8. Classificação filogenética Dinâmica Vertical Em consideração o factor tempo Determina a história evolutiva dos seres vivos Representa-se por árvores filogenéticas Importância das características filogenéticas As estruturas homólogas são muito utilizadas Dados paleontológicos, embriológicos, bioquímicos e de anatomia comparada
  • 9. Classificação filogenética Uitiliza cladogramas Carácter primitivo - compartilhado por todos - Ancestral comum cladograma Dinâmica Vertical Em consideração o factor tempo Característica primitiva Característica derivada Carácter derivado Característica que diverge das restantes - Permite traçar novas linhas evolutivas
  • 10. Classificação evolutiva clássica examina o maior nº possível de caracteres identifica relações filogenéticas Equilíbrio entre a classificação fenética e filética subjectiva Árvore filogenética
  • 11.
    • a Sistemática como um conceito que abrange modelos evolutivos e taxonomia;
    • a universalidade e a hierarquia das categorias taxonómicas
  • 12. Taxonomia e nomenclatura
    • As classificações actuais dos seres vivos ainda manifestam influência de Lineu
    •  hierarquia das categorias taxonómicas
    •  nomenclatura binominal das espécies
  • 13. Regras básicas da nomenclatura
    • Espécie – unidade básica de classificação – grupo natural constituído por um conjunto de indivíduos isolados reprodutivamente de indivíduos de espécies diferentes, que podem cruzar-se entre si e originar descendentes férteis
    • Lineu – regras de nomenclatura
  • 14. Regras básicas da nomenclatura
    • Designação dos taxa em latim
    • Espécies – nomenclatura binominal (espécie+restritivo específico)
    • Grupos superiores à espécie – uninominal
    • Família – obtem-se acrescentando a terminação –idae à raíz de um dos géneros
    • Subespécies- nomenclatura trinominal – restritivo subespecífico
    • - Itálico ou sublinhado – género, espécie ou subespécie
  • 15. Actividade 8- categorias taxonómicas – pag 154 1. Na figura, que representam os rectângulos inseridos num maior? Os diferentes taxa que estão contidos num taxon de maior amplitude. 2. Refira os grupos considerados nesta classificação Espécie, género, família, ordem, classe, filo, reino. 3. Qual o grupo que engloba maior diversidade de organismos? Reino .
  • 16. Actividade 8- categorias taxonómicas – pag 154 4. Mencione o grupo em que é maior o nº de características comuns entre os organismos que a ele pertencem Espécie . 5. Justifique a existência de uma classificação hierárquica em classificação Organização dos seres vivos numa série ascendente de taxa, que são progressivamente de maior amplitude, em que cada taxon contém o que o precede e está contido no que o segue.
  • 17. Os Reinos e a sistemática…
    • Lineu – 2 reinos – Plantas e Animais
    • Séc XIX – Haeckel – Plantas, Animais e Protista
    • 2ª metade do Séc. XX – Copeland – 4 reinos – Plantas, Animais, Protista e Monera
  • 18.
    • 1969 – Whittaker – 5 reinos – Monera, Protista, Fungi, Plantae e Animalia
    • Critérios – nível de organização celular
    • - modos de nutrição
    • - interacções nos ecossistemas
    • 1979 – modificação do seu sistema de classificação – incluiu no Reino Protista alguns organismos incluidos antes nos Reinos Plantae e Fungi
  • 19. Monera Critérios Reino Organização celular Tipo de nutrição Interacção nos ecossistemas exemplos MONERA Procariontes Unicelulares ou coloniais Autotróficos, fotossintéticos ou quimiossintéticos, heterotróficos (absorção) Produtores ou microconsumidores Bactérias e cianobactérias
  • 20. Protista Critérios Reino Organização celular Tipo de nutrição Interacção nos ecossistemas exemplos PROTISTA eucariontes Unicelulares ou coloniais ou multicelulares com diferenciação reduzida Autotróficos fotossintéticos heterotróficos (absorção e ingestão) Produtores, macroconsumidores e microconsumidores Protozoários e algas
  • 21. Fungi Critérios Reino Organização celular Tipo de nutrição Interacção nos ecossistemas exemplos FUNGI eucariontes Unicelulares ou multicelulares heterotróficos (absorção) microconsumidores Leveduras, bolores e cogumelos
  • 22. Plantae Critérios Reino Organização celular Tipo de nutrição Interacção nos ecossistemas exemplos PLANTAE Eucariontes. Multicelulares com diferenciação progressiva Autotróficos fotossintéticos Produtores Musgos, Fetos, plantas com flor
  • 23. Animalia Necessidade de revisão  duas linhas distintas de Procariontes Critérios Reino Organização celular Tipo de nutrição Interacção nos ecossistemas exemplos Animalia Eucariontes. Multicelulares com diferenciação progressiva Heterotróficos (ingestão) Macroconsumidores Esponjas, corais, insectos, peixes, mamíferos

×