Your SlideShare is downloading. ×
0
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

BNDS CORECON-PE - Paulo Guimarães

730

Published on

Perspectivas do desenvolvimento nacional e regional: o papel do BNDS. Painelista: Economista Paulo Guimarães – Superintendente regional do BNDS

Perspectivas do desenvolvimento nacional e regional: o papel do BNDS. Painelista: Economista Paulo Guimarães – Superintendente regional do BNDS

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
730
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • O apoio às exportações brasileiras e a internacionalização de nossas companhias tem sido uma das grandes prioridades do BNDES e do governo brasileiro. Nesse contexto, o Banco inaugurou em 27 de agosto de 2009 o seu escritório em Montevidéu, no Uruguai, cidade considerada "capital" do Mercosul. Trata-se de uma demonstração efetiva de nosso compromisso com o crescimento da indústria brasileira e com a integração latino-americana. A partir do escritório do BNDES em Montevidéu, serão identificadas oportunidades para aumentar o acesso de empresas brasileiras ao mercado regional e ampliar sua competitividade. As companhias brasileiras já atuam de maneira intensa como fornecedoras de bens e serviços em projetos de infraestrutura financiados pelo Banco em toda a América Latina, e nossa presença no país vizinho ensejará o surgimento de novas associações saudáveis com outras empresas do continente, com benefícios mútuos. O empenho que viabilizou a abertura do escritório no Uruguai continua, agora para permitir que comece a funcionar em 2009 a subsidiária de Londres, em mais uma etapa do processo de internacionalização do BNDES.
  • Nas operações diretas, o risco da operação é do BNDES. A análise do projeto é realizada pelo seu próprio corpo técnico.
  • No primeiro trimestre de 2010, o BNDES liberou R$ 25,5 bilhões em financiamentos, resultado sem precedentes para o período, com incremento de 37% na comparação com janeiro/março de 2009. No primeiro trimestre, a Indústria respondeu por 30% dos desembolsos totais do BNDES, com R$ 7,7 bilhões e destaque para alimentos e bebidas (R$ 2,6 bilhões desembolsados no trimestre). À Infraestrutura foram liberados R$ 9,9 bilhões, com 40% do total, sendo R$ 5,5 bilhões para transporte rodoviário e R$ 2,3 bilhões para energia elétrica. Comércio e Serviços, com R$ 5,2 bilhões, teve participação de 20% no montante global desembolsado pelo  BNDES.
  • Em 2007, as aprovações, que servem de termômetro para o volume de futuros desembolsos, atingiram 98,8 bilhões, superando os desembolsos em quase R$ 34 bilhões. O diferencial entre as aprovações e os desembolsos do BNDES acumulados em 12 meses, em valores superiores a R$ 30 bilhões, representam os valores mais elevados que se tem registro. E representam cerca de 50% dos desembolsos totais realizados pelo Banco em 2007. Isso indica que há uma ampla pressão de demanda efetiva pelos recursos do BNDES. Essa situação reflete a forte expansão dos investimentos em curso na economia brasileira, sinalizando que esse movimento é sustentável. Nos oito primeiros meses de 2008, houve expressiva concentração de desembolsos e aprovações, revelando crescimento da demanda em relação ao último semestre de 2007. Boa parte do desempenho pode ser atribuído ao aumento do consumo das famílias, gerado pelo crescimento do emprego, da renda e do crédito, e que resultou em novos investimentos por parte das empresas com produção voltada para a demanda doméstica. Apesar dos desembolsos crescentes, a expectativa é que o Banco encerre 2010 com liberações inferiores às registradas no ano anterior, de R$ 137,4 bilhões. Isso porque o crescimento excepcional do BNDES em 2009 foi, em grande medida, consequência das medidas anticrise implementadas pelo governo federal, das quais o BNDES é um dos principais instrumentos.
  • Os valores
  • Esse aquecimento no setor terciário afeta diretamente a indústria de bens de consumo que no caso do Nordeste e Norte do país registrou forte crescimento. É significativa a migração desse ramo industrial para as regiões menos desenvolvidas atraídas pelo incremento da renda regional e da inclusão social.
  • Destaque para maior impacto caso seja feito a conexão com a Ferrovia Norte-Sul
  • Transcript

    • 1. Dia do Economista – Corecon-Pe Perspectiva do Desenvolvimento Nacional e Regional: o Papel do BNDES Paulo Guimarães Chefe do Departamento Regional Nordeste
    • 2. Escritório Montevideo BNDES Limited Rio de Janeiro 2.723 empregados (Março de 2011) Subsidiária Escritórios Brasília Recife São Paulo
    • 3. Como apoiamos Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES EMPRESÁRIO Instituição Financeira Credenciada EMPRESÁRIO Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Informação e Relacionameto
    • 4. Evolução dos desembolsos 609 mil operações 390 mil operações 204 mil operações
    • 5. Aprovações vs Desembolsos
    • 6. Projetos Apoiados pelo BNDES Alavancam Investimentos e Empregos
    • 7. Operações em 2010 R$ 168,4 bilhões Número de Operações (Quantidade) 609.894 Micro e Pequena Média Pessoa Física Grande Desembolsos (Valor) MPME + PF = 93%
    • 8. Cartão BNDES – Evolução da cobertura (2005/2011*) 2005 2007 2011* 357 mil cartões emitidos até fev/11 *acumulado em 12 meses até fevereiro Nº Municípios 4297 % Cobertura 77,00%
    • 9. Fonte: BNDES BNDES – Desempenho Regional Nordeste: Valores desembolsados do BNDES (R$ milhões)
    • 10. Fonte: BNDES Número de Operações do BNDES no Nordeste
    • 11.
        • Desembolsos BNDES e Contratações BNB no Nordeste
        • 2003 a 2009 (R$ Bilhões)
      Fontes: BNDES e BNB 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 5,15 7,27 9,83 12,12 12,80 21,44 42,91 Desempenho dos Bancos de Desenvolvimento no Nordeste
    • 12. 2008 2011* *acumulado em 12 meses até fevereiro O BNDES vem contribuindo para democratizar o acesso ao crédito...
    • 13. Fonte: BNDES BNDES – Desempenho Estadual – 2008-2009 Nordeste: Participação dos Estados nos desembolsos do BNDES (R$ milhões) Excluídos R$ 9,89 bilhões da Refinaria Abreu e Lima
    • 14. Fonte: BNDES BNDES – Desempenho Estadual – 2008-2009 Nordeste: Participação dos Estados nos desembolsos do BNDES (R$ milhões)
    • 15. Fonte: BNDES BNDES – Desempenho Estadual – 2009-2010 Nordeste: Participação dos Estados nos desembolsos do BNDES (R$ milhões)
    • 16. Participação Relativa dos Estados no PIB da Região Nordeste – 2008 (%) e Desembolsos do BNDES – 2010 PIB - 9,7% Desemb - 8% PIB - 4,2% Desemb – 4% PIB - 30,6% Desemb – 28% PIB - 15,1% Desemb – 21% PIB - 6,4% Desemb – 5% PIB - 6,5% Desemb – 3% PIB - 17,7% Desemb – 25% PIB - 4,9% Desemb – 3% PIB - 4,9% Desemb – 4%
        • PIB - NE/BR (%) - 13,1%
    • 17. Projetos com Impacto Regional
    • 18. Perspectivas do investimento: expectativas positivas Fonte: APE/BNDES
      • Petróleo e Gás e o Mercado Interno comandam os Investimentos na Indústria
      • Energia Elétrica comanda os investimentos na Infraestrutura
      • Investimentos em saneamento e logística crescerão a taxas expressivas
    • 19. Destaques Setoriais Novo ciclo de investimentos em diversos setores: 1.Geração de Energia: hidrelétricas, parques eólicos e bioenergéticos; 2. Petróleo e Gás (construção de novas refinarias); 3. Indústria Petroquímica (novas plantas e ampliação das existentes); 4. Indústria Naval (retomada de investimento); 5. Indústria Automobilística (e toda cadeia de autopeças); 6. Indústria de gêneros alimentícios; 7. Comércio varejista e atacadista (setor beneficiado diretamente pelo aumento de renda e emprego na região).
    • 20. Ferrovia Transnordestina
      • Principais características da Ferrovia
      • Valor total: R$ 5,42 bilhões
      • Extensão: 1.728 km
      • Municípios envolvidos: 81
      • Estados: Pernambuco, Piaui e Ceará
      • Atualmente gera 6.000 empregos diretos no sertão do NE.
      • Destaque para município de Salgueiro - PE
    • 21. Revitalização e Integração de Bacias do São Francisco
    • 22. Transnordestina + Revitalização do S.F.
    • 23. Investimentos Copa 2014 Arenas Copa 2014 - NE: Recife, Salvador, Fortaleza e Natal Oportunidades: Melhoria de Infraestrutura, Hotéis, Comércio e Serviços
    • 24. Pernambuco
    • 25. PERNAMBUCO
      • Complexo Industrial Portuário de Suape (116 empresas) – Refinaria, Estaleiro, Energia Eólica (componentes),Laminadora automobilistica
      • Indústria de Alimentos – Sadia, Perdigão e Kraft
      • P ólo Farmacoquímico;
      • Vale do São Francisco – Fruticultura e vitivinicultura;
      • Porto Digital – Tecnologia da Informação;
    • 26. Desembolso do BNDES – Pernambuco – R$ milhões Fonte: BNDES 2000-2008 2009-2010 R$ 6.032 R$ 17.271
    • 27. Principais Operações em Suape Projeto Valor Total Participação BNDES Refinaria Abreu e Lima R$ 25,0 bilhões 49% EAS – Implantação R$ 1,4 bilhão 71% EAS – Navios R$ 2,8 bilhões 46% Petroquímica Suape R$ 4,6 bilhões 60% M & G R$ 707,7 milhões 49% Wind Power R$ 120,1 milhões 80% TOTAL R$ 34,6 bilhões
    • 28. Ações de Fomento, Sociais e Ambientais - Suape
      • Participação nos conselhos consultivos e deliberativos de SUAPE GLOBAL e SUAPE SUSTENTAVEL
      • Programa de Controle Urbano e Ambiental (R$ 11,0 milhões – municípios da área de influência – recursos não reembolsáveis)
      • PAIS – Produção Agroecológica Integrada Sustentável (R$ 5,8 milhões em parceria com a FBB – 540 unidades em 9 municípios, 436 já implantadas e 390 estão produzindo - recursos não reembolsáveis)
      • ISE – Investimento Social das Empresas (Destaque para a PQS com R$ 25,0 milhões – escola técnica têxtil, centro de formação em segurança do trabalho, centro de inclusão digital, centro social urbano – ilha de Deus, etc.)
    • 29. Aspectos Relevantes
    • 30.
      • Políticas Nacionais com impactos regionais
        • Programas de transferência de renda
        • Valorização do Salário Mínimo
        • Aposentadoria Rural
      • Retomada dos Investimentos com destaque para grandes projetos regionais
      • Crescimento do PIB-NE acima das taxas nacionais
        • Alguns Estados da Região devem crescer mais de 9% em 2010
      Contexto Regional
    • 31.
      • Possíveis mudanças culturais na busca por financiamento
        • taxas e prazos mais atrativos
        • redução no uso de capital próprio nos investimentos (capacidade de endividamento)
        • quase ausência do modelo de financiamento SUDENE
        • ampliação da divulgação das linhas do BNDES na região
      Financiamento
    • 32.
      • Atuação Regional dos Bancos de Desenvolvimento
        • expressivo aumento do financiamento na Região
        • possível complementaridade entre as fontes BNB e BNDES
        • demanda por crédito a médio prazo acarretará necessidade de novas fontes de financiamento
        • desafio da concentração intra-regional
      Financiamento
    • 33.
      • Contribuir para a irradiação e enraizamento do desenvolvimento nos entornos dos grandes projetos;
      • Projetos de desenvolvimento integrado de longo prazo que envolvam o apoio a APLs, infraestrutura, logística, urbanização, saneamento, gestão pública, meio ambiente e outros.
      Estratégias Selecionadas
    • 34.
      • Viabilizar a absorção da força de trabalho local e regional - postos gerados e desencadeados pelo projeto, no curto, médio e longo prazo.
      • Promover a agregação de valor e a maximização do conteúdo local e regional na produção e fornecimento de bens e serviços e mobilização de APLs.
      • Desenvolver e ampliar as demais vocações econômicas do território, em função das novas infraestruturas implantadas e da nova dinâmica.
      • Fortalecer a capacidade de gestão do território - ampliar participação e controle social e maior qualificação das atividades públicas.
      • Potencializar os investimentos em cultura e nos setores sociais básicos.
      • Potencializar os investimentos nos setores urbanos.
      • Recuperar ou criar novas áreas de proteção ambiental - licenciamento do empreendimento, planejamento ambiental, regional e urbano da área de influência e demandas da população.
      AGENDA de DESENVOLVIMENTO para o TERRITÓRIO – ADT
    • 35. Obrigado! Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Departamento Regional Nordeste www.bndes.gov.br

    ×