Your SlideShare is downloading. ×
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Manual do diacono
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Manual do diacono

104,891

Published on

Published in: Spiritual
7 Comments
18 Likes
Statistics
Notes
  • MARAVILHA! DEUS OS ABENÇÕE.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • A Paz do Senhor Jesus, amados! Solicito autorização para uso deste material com referência.

    Grande abraço,

    Josemar Cunha
    Jequié-Bahia
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • eu sou Igreja nação Evangélica Ebeneze
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • IRMA ELIZABETH e IRMAO ISRAEL ESSE SITE e MUITO BOM IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Muito Bom... Material resumido e objetivo. Estou copiando para ministrar aos diáconos de nossa igreja.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
104,891
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
28
Actions
Shares
0
Downloads
1,784
Comments
7
Likes
18
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O Ministério do Diácono João Batista da Silva
  • 2. SUMÁRIOIntrodução ..........................................................2Origem do Diaconato ............................................3Qualificações dos Diáconos em Atos 6 ....................6Qualificações dos Diáconos em I Timóteo 3 ...........12Qualificações das Diaconisas em I Timóteo 3 .........17O Ofício do Diaconato .........................................19Informações Gerais sobre o Diaconato...................26Programa de Visitação para o Diaconato ...............30Receitas para o Pão de Santa-Ceia .......................35Conclusão .........................................................37 -1-
  • 3. Introdução Este material foi escrito para uso dos diáconos ediaconisas da Igreja Adventista do Sétimo Dia,obreiros voluntários, que bondosamente estão aserviço na causa de Deus. Embora os diáconos e diaconisas como um todoestejam apercebidos da importância dessa função naigreja, nenhum manual foi elaborado, até então, nosentido de orientar e esclarecer o ofício do diaconato. De forma simples, porém, prática, este trabalho temcomo objetivo informar, orientar e sugerir atividadesque visam uma melhor atuação no desempenho dessaclasse de ministros que atuam na obra do Senhor. Oro a Deus para que o Espírito Santo ilumine emotive o diaconato no desempenho de uma obra deamor e serviço em favor do corpo de Cristo, a SuaIgreja. Pr. Érico Tadeu Xavier -2-
  • 4. Origem do DiaconatoO diaconato nasceu na mente e coração deDeus. Foi a direção do Espírito Santo quelevou as igrejas do Novo Testamento acriarem o diaconato. A sabedoria divinatrouxe à luz o diaconato, dando-lheexistência, e ele tem, assim, uma finalidadedivina. No relato da escolha dos homens que passaram aser conhecidos como os sete diáconos da igrejaapostólica, segundo está registrado em Atos 6:1-8,é-nos dito que eles foram escolhidos e ordenados paraatender ao serviço da igreja. Convocando uma reunião dos crentes, os apóstolosforam levados pelo Espírito Santo a esboçar um planopara a melhor organização de todas as forças ativasda igreja. Chegara o tempo, declararam os apóstolos,em que os chefes espirituais que superintendiam asigrejas deveriam ser aliviados da tarefa de distribuiraos pobres, e de outros encargos semelhantes, demodo que pudessem estar livres para levar avante aobra de pregar o evangelho. “Escolhei pois, irmãosdentre vós”, disseram eles, “sete varões de boa fama;cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quaisconstituamos sobre este importante negócio. Mas nósperseveraremos na oração e no ministério daPalavra”. -3-
  • 5. Este conselho foi seguido e, pela oração e imposiçãodas mãos, sete varões escolhidos foram solenementeseparados para seus deveres como diáconos – Atosdos Apóstolos, p. 89 Aqueles homens não recebem o nome de diáconos.São, quase sempre, chamados Os Sete. Contudo, háacordo geral em que a eleição daqueles sete varõesqualificados significa realmente o início do diaconatocomo um cargo na igreja. É no terceiro capítulo daPrimeira Carta a Timóteo que aparecem,cuidadosamente esboçadas por Paulo, as qualificaçõesdos que deveriam servir a Igreja como diáconos.Também, no início de sua carta aos Filipenses, lemosisto: “Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todosos santos em Cristo Jesus que estão em Filipos, comos bispos e diáconos” (Fl.1:1). Temos aqui forte baseescriturística para afirmar que, começando na igrejaem Jerusalém, o ofício do diaconato desenvolvera coma aprovação e a bênção do Espírito Santo. No grego do Novo Testamento aparece 30 vezes apalavra diakonos. Em vinte casos é traduzida porministro. O vocábulo também é interpretado comoservo e servidor. -4-
  • 6. Ellen White declarou que “O fato de terem sidoesses irmãos ordenados para a obra especial de olharpelas necessidades dos pobres, não excluía do deverde ensinar a fé. Ao contrário, foram amplamentequalificados para instruir a outros na verdade; e seempenharam na obra com grande fervor e sucesso”Atos dos Apóstolos, p. 90. -5-
  • 7. Qualificações dos Diáconos Em Atos 6“Portanto, irmãos, escolhei dentre vós setevarões de boa reputação, cheios do EspíritoSanto e de sabedoria, aos quais constituamossobre este importante negócio. Nós, porém, nosdedicaremos continuamente à oração e aoministério da palavra.E este parecer contentou toda a multidão, eelegeram Estevão, homem cheio de fé e doEspírito Santo, e Felipe, e Prócoro, e Nicanor, eTimão, e Parmenas, e Nicolau, e Prosélito deAntioquia; e os apresentaram ante os apóstolos,e estes, orando, lhes impuseram as mãos. Ecrescia a palavra de Deus, e em Jerusalém semultiplicava muito o número de discípulos, egrande parte dos sacerdotes obedecia à fé.Estevão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios egrandes sinais entre o povo” (Atos 6:3-8). Ellen White faz um importante apelo aos líderes daigreja, para que sejam cuidadosos na escolha deobreiros, inclusive de diáconos. Suas palavras são: “Que o Senhor possa impressionar a mente e o coraçãode todos ligados ao sagrado trabalho de Deus acercada importância de se averiguar se aqueles que sãoministros, diáconos e anciãos são homens adequadose confiáveis ao rebanho do Senhor” – ComentárioBíblico Adventista, v. 7-A, p. 926. -6-
  • 8. Os versículos acima citados, de Atos 6, constituem asignificativa passagem das Escrituras Sagradas quefala dos diáconos e de suas características. 1. Boa reputação – A palavra grega traduzida por boa reputação aparece 25 vezes no Novo Testamento, com a significação de dar testemunho. O capítulo 11 da Carta aos Hebreus diz que “os antigos alcançaram bom testemunho”, significando, com isso, que o povo dizia boas coisas a respeito deles. 2. Cheios do Espírito Santo – Os sete homens de Atos deveriam ser pessoas “cheias do Espírito Santo e de sabedoria”. A palavra cheio aparece em outras passagens muito significativas. Estevão estava “cheio de fé e poder”, Lucas diz que Jesus estava “cheio do Espírito Santo” (Lc. 4:1) João diz que o Verbo estava “cheio de graça e verdade” (Jô 1:14); Barnabé estava “cheio do Espírito Santo e de fé” (At. 11:24). Que significa essa plenitude do Espírito Santo ou de virtudes espirituais? O vocábulo grego que traduzimos por cheio (pleres) significa: coberto inteiramente, permeado totalmente por alguma coisa, completo, não faltando em nada. Estar cheio do Espírito Santo é estar completamente entregue à sua direção. Quando o Espírito Santo se apossa inteiramente do cristão, -7-
  • 9. produz nele santidade de vida e lhe confere o poderdivino para realizar boas obras. Aqueles homens que serviram à igreja primitiva,como diáconos, devem ter sido pessoasprofundamente espirituais. 3. Cheios de sabedoria – Os diáconos precisamser pessoas cheias de sabedoria. Este vocábulo nãoexclui o senso comum e, nas páginas do NovoTestamento, ele sempre toma significado conformeo contexto. Encontramo-lo 21 vezes. Em Lucassurge ele para descrever a infância de Jesus: “Jesuscrescia em sabedoria” (Lc. 2:52). Paulo chamaJesus “a sabedoria de Deus” (I Co. 1:24). Encontramos conforto na declaração de Tiagoquando afirma: “Se alguém necessita de sabedoriapeça-a a Deus, que a todos dá liberalmente”(Ti. 1:5). Vemos que o significado desta palavra,em cada caso, nos é dado pelo contexto. Sabedoria aqui não significa, portanto, que odiácono tem que ser homem letrado. Os homens demuitas letras nem sempre são homens sábios. Avida e o ministério de qualquer pessoa, de fato,poderão ser mais ricos e de maior êxito quandoestá presente uma erudição verdadeira. Nãoobstante, a sabedoria aqui exigida é essencialmenteda elevada ordem espiritual. À luz dasresponsabilidades do ofício, para o qual aquelessete foram separados, fazia-se mais que necessário -8-
  • 10. uma sabedoria desta natureza, visto que, o êxito docometimento, dela dependeria em grande parte. Falando de maneira geral, falando de maneirageral, teriam de ser homens que cuidassem tantodas necessidades físicas como das necessidadesespirituais de muitíssimas pessoas, motivo pelo qualteriam de ser indivíduos altamente qualificados. 4. Cheios de fé – Os diáconos deveriam serhomens cheios de fé. Vemos que isso não se exigiude modo direto; mas, quando lemos queescolheram Estevão porque era homem cheio de fé,torna-se clara esta inferência. Os diáconos, ocupando o lugar que Deus lhesdeterminou, legalmente eleitos pela igreja,realizando com devoção e com direção do EspíritoSanto o programa traçado no Novo Testamento,contribuirão imensamente para que a igreja avancevitoriosamente. Estevão colheu ótimos resultados, eisto se dará igualmente com todos os diáconosverdadeiramente dedicados. O diácono que aspireser um Estevão deve buscar diariamente o auxíliode Deus. Será homem de poder. 5. Homens de negócios – A orientação para aescolha dos primeiros sete apenas diz que seriampelos apóstolos “constituídos sobre aqueleimportante negócio”. Precisamos examinar a palavra negócio a fim deevitar possíveis mal-entendidos. A palavra grega -9-
  • 11. aqui é chreia que, fundamentalmente, significanecessidade. Assim ela é traduzida 25 vezes. Estapassagem de Atos é a única em que se traduziu pornegócio. Vemos, pois, que as Escrituras nãooferecem base à idéia de que os diáconos é quedevem decidir sobre as finanças da igreja. A igrejaé que deve decidir sobre tais assuntos: Ellen White comenta: A designação dos sete para tomarem a direção deramos especiais da obra mostrou-se uma grandebênção para a igreja. Estes oficiais tomaram emcuidadosa consideração as necessidades individuais,bem como os interesses financeiros gerais daigreja; e, pela sua gestão acautelada e seu piedosoexemplo, foram, para seus colegas, um auxílioimportante em conjugar os vários interesses daigreja em um todo unido. – Atos dos Apóstolos, p.89 O papel dos sete era aliviar os apóstolos para oseu trabalho de ensinar a Palavra. Hoje, pastores eanciãos necessitam do mesmo apoio dos diáconos.É relevante o pensamento de Ellen White sobre oassunto: “É necessário que a mesma ordem e sistemasejam mantidos na igreja agora como nos diasapostólicos. A prosperidade da causa dependegrandemente de serem seus vários departamentosconduzidos por homens hábeis, qualificados para - 10 -
  • 12. suas posições. Os que são escolhidos por Deus paraserem líderes em Sua causa, tendo a supervisãogeral dos interesse espirituais da igreja, devem seraliviados, tanto quanto possível, de cuidados eperplexidades de natureza temporal. Aqueles aquem Deus chamou para ministrar em palavra edoutrina devem ter tempo para meditação, oração,e estudo das Escrituras. Seu claro discernimentoespiritual é diminuído ao entrarem em mínimosdetalhes de negócios e no trato com os váriostemperamentos da pessoas que se reúnem emqualidade de igreja. É próprio que todos os assuntosde natureza temporal se apresentem perante osoficiais qualificados e sejam por eles ajustados. Masse soa de caráter tão difícil que frustre suasabedoria, devem ser levados ao conselho daquelesque têm a supervisão de toda a igreja”. – Históriada Redenção, p. 260, 261 - 11 -
  • 13. Qualificações dos Diáconos Em I Timóteo 3 “Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância, guardando o mistério da fé em uma pura consciência. E também estes sejam primeiro provados, depois sirvam, se forem irrepreensíveis. (...) Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem os seus filhos e suas próprias casas. Porque os que servirem bem como diáconos adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.” (I Tim. 3:8-13) Estes versículos apresentam qualidades indispensáveis para o ofício do diaconato. Vejamos o que se requer dos diáconos: 1. Respeitáveis ou honestos – No grego é Lemnos, que significa nobre, sério e digno de respeito. Deus espera que Sua igreja eleja para diáconospessoas que interiormente possuam certa dignidade,que tenham plena consciência do valor do homem edo divino privilégio de servi-Lo, que vivam - 12 -
  • 14. diretamente ligados a Ele, e que, assim, se tornemhomens honestos e tragam dentro de si o índice darespeitabilidade. 2. De uma só palavra ou sinceros – Estas palavras representam o vocábulo grego dilogos, que pode significar de língua dupla, isto é, insincero, no sentido de alguém dizer uma coisa, mas querer dizer outra, ou de dizer algo para alguém e dizer algo diferente para outrem, sobre a mesma questão. Os líderes da igreja com freqüência agem como mediadores entre partes em conflito. E por muitas vezes, são tentados a falar com diferentes modos e tons, para pessoas diversas, ocultando informes para alguns e revelando-os para outros. Um diácono deve manter total honestidade e franqueza ao tratar com todos, sem qualquer favoritismo. 3. Não inclinados ao vinho – No versículo 3 se diz que o ancião ou pastor não deve se “dado ao vinho”. Noutra versão isto é traduzido por temperado, e ainda numa terceira por vigilante. Muitos acham grande conforto nesse fato porque, enquanto o pastor não deve fazer uso do vinho, do diácono simplesmente se exige que não beba muito vinho. Interpretam, então, o texto, afirmando que este dá certa liberdade aos diáconos no que respeita ao uso de bebidas alcoólicas, uma vez que não se excedam. - 13 -
  • 15. Mas não há base aqui para se criar escrituristicamente um duplo padrão. Na questão de bebidas alcoólicas, o diácono é responsável diante de Deus. Assim, um exame mais acurado da Bíblia nos mostrará que a pessoa que aceita a votação que faz dele, para o resto da vida, um servo da igreja, deve abandonar as bebidas alcoólicas, e mesmo a aparência disso, até o final de sua carreira neste mundo. 4. Não cobiçosos de torpe ganância – O termo grego aqui significa ganho desonesto ou simplesmente cobiça pelo ganho. Recomenda-se ao diácono que fuja do ganho desonesto e que não fique com um centavo que a outrem pertença.Roubar a Deus, em não se lhe devolvendohonestamente o dízimo, impossibilitará o diácono deexercer sua função. O amor ao dinheiro é mais umadisposição do coração, e é justamente neste sentidoque este trecho bíblico alerta ao diácono. 5. Que guardem o mistério da fé em uma pura consciência – O mistério da fé significa que a doutrina cristã contém muitas revelações admiráveis, segredos abertos para benefício da humanidade. Há o Cristo, o Salvador, e suas boas novas de redenção; há as boas novas da glorificação e da vida eterna. E todos esses elementos são segredos franqueados, - 14 -
  • 16. são verdades divinas que antes estavam ocultas, mas que agora nos foram desvendadas. O diácono deve conhecer essas verdades, devehonrá-las e deve propagá-las. Ele é o guardião dasmesmas, bem como o seu representante. Outrossim,deve confiar pessoalmente nesses mistérios,tornando-os conhecidos de outros mediante suapregação e ensino. Também deve defendê-las contraos falsos mestres, o que é uma das ênfasesconstantes das epístolas pastorais. (ver I Tm. 1:18-19). 6. Provados ou experimentados – No contextono Novo Testamento isto deve significar aqueles quetinham dotes espirituais e que já haviam demonstradoa capacidade de usar dos mesmos corretamente. O diácono tem que ser provado, experimentado,primeiro. É muito fácil às igrejas deixarem-se levarpela forte personalidade de qualquer indivíduo ouserem arrastadas e enganadas pelo seu zelo aparentepara com os negócios eclesiásticos, esquecendo-se deprocurar saber qual a atuação do tal indivíduo nascongregações de onde ele veio. 7. Irrepreensíveis – O diácono precisa ser umapessoa que esteja acima de qualquer reprovação, umindivíduo contra quem não se possa alegar coisaalguma. - 15 -
  • 17. Um homem de quem se falam coisas, acusado dedesvios que desabonem sua vida, caráter ou ações,não estará habilitado a ser eleito para o diaconato.Devemos lembrar que não se elege uma pessoa parapô-la a salvo ou protegê-la dessas acusações. 8. Marido de uma só mulher e que governebem sua casa – As Escrituras Sagradas em partealguma dizem que o diácono deve ser casado. O quese diz é que deve ser marido de uma só mulher seestiver casado, evidentemente. O lar do diácono deveser exemplo para os demais lares. À luz do que encontramos nas Sagradas Escrituras,deve haver exame cuidadoso do rol da igreja para aeleição de diáconos, pois eles são ministros tambéme, como tais devem proceder. - 16 -
  • 18. Qualificações das Diaconisas em I Timóteo 3 “Da mesma forma as mulheres sejamrespeitáveis, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo.” (I Tm. 3:11) 1. Responsáveis – É a mesma palavra para os diáconos, Lemnos, que significa ser honesto, sério, nobre. 2. Não maldizente – O vocábulo grego aqui é diabolos, e este é o único lugar no Novo Testamento em que se traduz por maldizente ou acusador. Em 35 vezes ele é traduzido por diabo. Em 2 vezes é traduzido por falso acusador. O Espírito Santo ensina que a diaconisa não deve ter os graves defeitos que este vocábulo apresenta. - 17 -
  • 19. 3. Sóbrias ou temperantes – A diaconisa deveser alguém que apresenta uma vida de perfeitoequilíbrio, vida esta que se abstém do que é nocivo eprejudicial e que usa moderadamente, e de acordocom a vontade de Deus, as boas coisas da vida. 4. Fiéis em tudo – Pessoas dignas de confiança nos assuntos a elas confiados. A fidelidade à família e a Deus também se espera da diaconisa. Nota: Existe muita discussão sobre as mulheres doverso 11, alguns acreditam serem esposas dosdiáconos. Outros entendem como sendo asdiaconisas. Pelo grego do Novo Testamento, não sepode determinar se Paulo refere-se às diaconisas ouàs esposas dos diáconos. No entanto, quando ligamoseste verso com Romanos 16:1-2, onde Febe émencionada como diaconisa, cremos referir-se àsirmãs diaconisas. - 18 -
  • 20. O Ofício do DiaconatoTeve por origem a controvérsia que surgiu em tornodo cuidado pelas viúvas da igreja de Jerusalém, tendosurgido para providenciar os problemas materiaismais essenciais da comunidade cristã; porém, o fatode que era exigido daqueles homens que fossemdotados de elevadas qualificações espirituais, mostra-nos que o trabalho material não era a únicaresponsabilidade e labor de que estavam investidos. O manual da igreja (2000) apresenta as diversasatividades inerentes ao ofício do diaconato, que serãocolocadas na seguinte ordem: 1. Cuidado dos enfermos e dos pobres (p. 57-59) – É da responsabilidade dos diáconos o cuidado dos enfermos e o socorro aos pobres e desafortunados. O dinheiro para essa obra deve ser provido pelo fundo da igreja para os necessitados. O(a) tesoureiro(a), mediante recomendação da comissão da Igreja, entregará aos diáconos, ou às diaconisas, o dinheiro que for necessário para auxiliar os casos de - 19 -
  • 21. necessidade. Este trabalho está especialmente a cargo dos diáconos e diaconisas, mas a igreja tem que ser plenamente informada das necessidades, para que se obtenha o apoio dos membros.2. Preparativos para as cerimônias batismais (p. 35, 57-58, 66) – Os diáconos devem desempenhar sua parte nos preparativos necessários para essa cerimônia, a fim de que não haja confusão ou atraso. Os diáconos devem ajudar nas cerimônias batismais, certificando-se de que o local do batismo esteja preparado e de que os candidatos masculinos sejam atendidos, tanto antes como depois da cerimônia. As diaconisas ajudam nas cerimônias batismais,assegurando que as candidatas sejam atendidas,tanto antes quanto depois da cerimônia. Dãotambém conselhos e prestam o auxílio necessáriono tocante às roupas apropriadas para o batismo.Devem ser providos roupões de materialadequado. Nas igrejas em que são usados essesroupões, as diaconisas devem cuidar para que elessejam lavados, passados e cuidadosamenterepostos em seus lugares, para uso futuro. - 20 -
  • 22. 3. Ajudar na cerimônia da comunhão (p. 57-59, 78-79) – Na celebração do rito do lava- pés, os diáconos ou diaconisas provêem tudo o que for necessário para a cerimônia, como toalhas, bacias, água (a uma temperatura confortável, conforme o exigir a ocasião), baldes, etc. Depois da cerimônia, devem cuidar para que os objetos usados sejam lavados e repostos em seus devidos lugares. Depois da Ceia do Senhor, grande cuidado deveser exercido ao destino a ser dado a qualquer sobrade pão ou vinho, depois que todos tenham participadodesses emblemas. A sobra do vinho que foiabençoado deve ser despejada ou derramada naterra. A sobra do pão que foi abençoado deve serqueimada. As diaconisas ajudam na cerimônia do lava-pés,prestando especial auxílio às mulheres visitantes ouàs irmãs que se uniram à igreja recentemente. É odever das diaconisas providenciar tudo o que fornecessário para esta cerimônia, como cuidar de que atoalha da mesa, as toalhas de enxugar os pés, etc.,usadas na celebração dos ritos, sejam lavadas,passadas e cuidadosamente repostas em seuslugares. - 21 -
  • 23. As diaconisas tomam as providências relacionadascom a mesa da comunhão; preparam o pão e o vinho,arrumam a mesa, despejam o vinho, colocam ospratos com o pão sem levedura e cobrem a mesa coma toalha preparada para este fim. Tudo isto deve serfeito antes da cerimônia começar. Algumas vezes é recolhida uma oferta para ospobres, enquanto a congregação deixa o templo.Depois da cerimônia, os diáconos e as diaconisasdesocupam a mesa, recolhem os cálices e tomamconta do pão e vinho que sobraram, queimando ouenterrando o pão e derramando o vinho. 4 Ajudar nos cultos e reuniões (p. 58) – Nas reuniões da igreja, os diáconos geralmente são responsáveis por dar as boas-vindas aos membros e visitantes que forem chegando ao templo, e em ajudá-los, se necessário, a encontrar lugares em que possam sentar-se. Também devem estar prontos a colaborar com o pastor e os anciãos para o melhor desempenho das reuniões realizadas na igreja. - 22 -
  • 24. 5 Cuidado e manutenção da propriedade da igreja (p. 58, 66-67) – Em algumas igrejas, onde a responsabilidade pelo cuidado e manutenção da propriedade da igreja não é atribuída a uma comissão de construção, os diáconos têm essa responsabilidade. Os diáconos têm a responsabilidade de tomarprovidencias para que o edifício seja mantido limpo eem bom estado de conservação, e que o terreno emque se acha esteja limpo e seja o mais atraentepossível. Isto inclui o trabalho do zelador. Em igrejasgrandes, é muitas vezes necessário empregar umzelador. Os diáconos devem recomendar à Comissãoda Igreja uma pessoa apropriada, e a Comissão équem resolve, por voto, esse auxiliar. Ou a Comissãoda Igreja poderá autorizar os diáconos a empregaremum zelador. Deve-se obter a autorização da Comissãoda Igreja para todas as principais despesas deconservação. Todas as despesas de consertos, água,luz, combustível, etc., são entregues ao(à)tesoureiro(a) da igreja, para serem pagas. - 23 -
  • 25. 6 Visitação dos membros (p. 57, 59) – Uma responsabilidade importante dos diáconos é visitar os membros da igreja em seus lares. Em muitas igrejas isto é realizado distribuindo os membros por distrito e designando um diácono para cada distrito, com o objetivo de que visite cada lar pelo menos uma vez por trimestre.• Outras atividades do Diaconato 1. Contar as ofertas (p. 64) – Todas as ofertas gerais, que não estejam em envelopes, devem ser contadas pelo(a) tesoureiro(a) na presença de outro oficial da igreja, de preferência um diácono, e ser fornecido recibo a esse oficial. 2. Apoiar a ASA (p. 94) – Esta organização trabalha em estreita cooperação com os diáconos e as diaconisas da igreja. - 24 -
  • 26. 3. Distribuir o pão e o vinho (p. 80, 90) – A cerimônia da comunhão deve ser dirigida por um pastor ordenado ou pelo ancião da igreja. Os diáconos, embora sejam ordenados, não podem dirigi-la, mas podem ajudar a distribuir o pão e o vinho aos membros.4. Comunhão para os doentes (p. 80) – Se algum membro estiver doente, ou se por outro motivo não puder ausentar-se de casa para assistir à cerimônia da comunhão na casa do culto, poderá ser realizada uma cerimônia especial para ele, em sua casa. Esta cerimônia pode ser dirigida por um pastor ordenado ou pelo ancião da igreja, que poderá ser acompanhado por diáconos ou diaconisas, que ajudem na cerimônia regular. - 25 -
  • 27. Informações Gerais sobre o DiaconatoAs informações foram extraídas do Manual da Igreja. Eleitos pela Igreja (p.49) – Tanto os diáconoscomo as diaconisas são eleitos pela igreja e seu cargotem duração de um ou dois anos, dependendo do votoda igreja local. Os Diáconos devem ser ordenados (p. 56-57)– O diácono recém eleito não pode desempenhar suasfunções sem que haja sido ordenado por um pastorordenado, que tenha credenciais daAssociação/Missão. O sagrado rito da ordenação deve ser efetuado comsimplicidade, na presença da igreja, por um ministroordenado, e pode consistir numa breve referência àfunção do diácono, às qualidades requeridas desseservidor da igreja e aos principais deveres que estaráautorizado a desempenhar na igreja. Após uma breveexortação a que seja prestado um serviço fiel, opastor, com a ajuda de um ancião, se isto forapropriado, ordenará o diácono por meio de orações eimposição das mãos. Se já havia sido ordenado comodiácono e se manteve fiel aos princípios da igreja, nãoé necessário que seja ordenado novamente, mesmoque tenha sido transferido para outra igreja. Quando - 26 -
  • 28. terminar o período de serviço para o qual foi eleito,terá que ser reeleito para que possa continuarservindo como diácono. Se alguém que foi ordenadocomo ancião abrange essa função. Os diáconos não estão autorizados apresidir (p. 57) – O diácono não está autorizado apresidir nenhum dos ritos da igreja, nem poderárealizar a cerimônia matrimonial. Não pode presidir uma reunião administrativa daigreja, nem oficiar no recebimento ou na transferênciade membros. Se a igreja não dispuser de alguémautorizado a realizar tais deveres, deverá entrar emcontato com a Associação/Missão pedindo ajuda. Comissão de Diáconos (p. 56) – Onde a igrejatem um número suficiente de diáconos que justifiquea formação de uma Comissão de Diáconos éconveniente organizá-la tendo como presidente oprimeiro diácono ou chefe dos diáconos, e outrodiácono que atue como secretário. Um grupo assimproporciona uma maneira bem ordenada de distribuirresponsabilidade e coordenar a contribuição dosdiáconos para o bem-estar da igreja. Também provêuma oportunidade de preparação para irmãos maisnovos, devidamente selecionados para ser diáconos, afim de que recebam instruções a respeito de seusdeveres. O chefe dos diáconos é membro da Comissãoda igreja. - 27 -
  • 29. Comissão de Diaconisas (p. 56-57) – Ondeforam eleitas diversas diaconisas, deve ser formadauma Comissão dessas pessoas, presidida pelaprimeira diaconisa e tendo uma outra comosecretária. Esta Comissão está autorizada a designardeveres às diaconisas individuais e coopera com aComissão de Diáconos, especialmente em dar asboas-vindas aos membros e visitantes, e na visitaçãoaos lares. Membros da Comissão da Igreja (p. 84) –Entre os oficiais que fazem parte da Comissão estão odiácono chefe e a diaconisa chefe. Relatórios a serem fornecidos pontualmente(p. 60) – Compete ao(à) secretário (a) da igrejafornecer pontualmente certos relatórios. Alguns delessão anuais, ao passo que outros são trimestrais. Éessencial que sejam enviados ao(à) secretario(a) daAssociação/Missão no tempo especificado, pois essesrelatórios são importantes para a exatidão dosrelatórios preparados por outras organizações daIgreja Mundial. As informações requeridas por essesrelatórios poderão ser obtidas do(a) tesoureiro(a),do(a) secretário(a) do Ministério Pessoal, do diácono,do(a) secretário(a) da Escola Sabatina, do(a)secretário(a) da Sociedade de Jovens Adventistas,do(a) professor(a) da Escola Fundamental e dosdados que o(a) próprio secretário(a) já possui. - 28 -
  • 30. Relatórios em reuniões administrativas (p.83, 92) – São reuniões especiais que podem serrealizadas uma vez por mês ou uma vez portrimestre, de acordo com as necessidades da igreja. Um relatório dos diáconos e das diaconisas arespeito das visitas feitas aos membros, de suasatividades em favor dos pobres e de quaisquer outrosaspectos que estejam sob a sua supervisão. - 29 -
  • 31. Programa de Visitação para o Diácono O trabalho de visitação cristã certamente éuma das melhores maneiras de que dispomospara ganhar pessoas para Jesus Cristo, além defortalecer a fé dos irmãos. Durante o seuministério terrestre, Jesus “ia de casa em casa,curando os enfermos, confortando os tristes,consolando os aflitos e dirigindo palavras de pazaos abatidos” (Serviço Cristão, p. 114).Seguindo o exemplo de Cristo, devemos hojefazer o mesmo.A quem visitar1. Aos vizinhos, amigos, familiares e interessados no Evangelho – Pesquisas indicam que, provavelmente, 60% dos adultos batizados em nossas igrejas tiveram seu primeiro contato através de um familiar, amigo ou vizinho adventista. Isso comprova que as pessoas são atraídas à igreja por amizade. Ao visitarmos os vizinhos, procuremos demonstrar cristianismo prático: auxiliar aos enfermos, levar um pão caseiro, partilhar uma receita, emprestar ferramentas, consertar algo quebrado, etc. Uma visita cordial e amistosa sempre trará resultados positivos. Deve-se visitar, também, os interessados que visitam nossas igrejas - 30 -
  • 32. pela primeira vez (aqui o papel das recepcionistas em anotar o nome e o endereço é fundamental), os que tiveram interesse despertado por programa de rádio e televisão adventistas e os que solicitam estudos bíblicos.2. Aos membros regulares, afastados e ex- membros – Este é um trabalho que deve ser dirigido especificamente pelo pastor e/ou liderança da igreja (anciãos, diáconos e diaconisas). Ellen White, preocupada com a situação de muitos membros da igreja, fez uma série de perguntas aos anciãos e diáconos, que são: • Por que há, em nossas igrejas, muitos que não estão firmados, arraigados e fundados na verdade? • Por que se acham na igreja os que andam em trevas e não têm nenhuma luz, cujos testemunhos são pouco sinceros, frios e queixosos? • Por que existem pessoas cujos pés parecem prestes a desviar-se por veredas proibidas e que sempre têm a contar uma triste história de tentação e derrota? • Sentiram os membros da igreja sua responsabilidade? • Cuidaram os anciãos e diáconos dos fracos e desviados? • Compreenderam eles que os inconstantes estão em perigo de perder a alma? - 31 -
  • 33. • Procurastes por preceito e exemplo, firmar na Rocha Eterna os pés dos extraviados?Conselhos sobre a Escola Sabatina, p. 162 Diante disso, fica evidente a necessidade doministério da visitação para animar, orientar eresgatar todo aquele que se encontra em dificuldadesna fé.Objetivos da Visita aos Membros 1. Conhecer melhor o membro. 2. Animar os desanimados. 3. Incentivar a assistência aos cultos. 4. Orientar as pessoas quanto à devolução dos dízimos e ofertas. 5. Orientar e aconselhar os jovens. 6. Deter mexericos. 7. Desfazer inimizades. 8. Promover o estudo da Lição da Escola Sabatina e a leitura da Revista Adventista (supõe-se que o visitador seja um exemplo quanto a isso). 9. Incentivar o culto familiar e o trabalho missionário (aqui, também o visitador deve um exemplo).Visitando um Ex-membro Alguns princípios gerais se devem ter em mente aovisitar um ex-membro: - 32 -
  • 34. 1. Não condenar, nem procurar agradar demais.2. Não defender nada, nem tomar partindo em qualquer questão.3. Pedir desculpas pelas feridas do passado e solicitar uma oportunidade de corrigir o mal causado.4. Admitir que, às vezes, os membros da igreja cometem erros, mas que Deus é sempre imparcial e justo.5. Tratá-los como se ainda fizessem parte da igreja, inclusive chamando-os de irmãos.6. Não tornar o caminho de volta mais difícil do que já é.O amor, como em outro caso qualquer, é a chavepara ganhar os que se extraviaram. Apresentar oEvangelho de forma normal e, ao final, fazer umapelo para que retorne à igreja.Plano Sugestivo para VisitaSugestão 1 • Contato amistoso (bate-papo) introdutório. • Dizer o propósito da visita (de caráter espiritual). • Cantar uns dois ou três hinos (assentados mesmo). • Oração inicial (de joelhos). - 33 -
  • 35. • Breve estudo bíblico ou leitura de um texto do Espírito de Profecia. • Oração final (de joelhos). • Ir embora imediatamente para não desfazer a impressão deixada. Sugestão 2 • Pergunta 1. Que atividades os irmãos têm realizado para fortalecer a fé da família? • Pergunta 2. Que coisas os irmãos gostariam de mudar na vida espiritual? • Pergunta 3. Sobre o que o irmão gostaria que orássemos? • Oração final. Despedida. Um trabalho de visitação constante e bemelaborado trará resultados positivos, que só naeternidade se poderá avaliar. Lembre-se que “háfamílias que jamais serão alcançadas pela verdade daPalavra de Deus, a menos que Seus servos entremem seus lares”. (Review and Herald, 29 de dezembrode 1904). - 34 -
  • 36. Receitas para o pão de Santa Ceia São recursos para as diaconisas, extraídos do antigoManual para Ministros:Receita 11 xícara de farinha fina (preferivelmente integral)¼ de colher (das de chá) de sal2 colher (das de sopa) de água fria¼ xícara de azeite de oliva Peneirar a farinha junto com o sal. Verter a água noazeite, mas sem mexer. Adicionar isto aosingredientes secos e misturar com um garfo, atéumedecer toda a farinha. Esticar a massa, com umrolo, entre duas folhas de papel encerado, até quetenha a espessura de uma sólida massa de torta. Pôra massa numa forma enfarinhada, mas não untada,riscando-a então com uma faca pontuda, de maneiraa formar quadrinhos próprios para serem ingeridospelas pessoas. Deve-se ter o cuidado de perfurar cadaquadradinho para impedir que se formem bolhas dear. Assar a 230°c, durante 10 a 15 minutos. Cuidarbastante nos últimos 5 minutos para que o pão não sequeime. Esta receita será suficiente para servir cercade 50 pessoas. - 35 -
  • 37. Receita 21 xícara de farinha fina (preferivelmente integral)1 colher (das de chá) de sal3 colheres (das de sopa) de puro azeite4 ½ colheres (das de sopa) de água fria Pôr o azeite numa tigela e adicionar o sal. Adicionarágua vagarosamente, batendo constantemente comum garfo até que os ingredientes formem umaespessura emulsão branca. Adicionar depressa afarinha e misturar levemente até que forme umamassa. Estendê-la sobre uma tábua. Dobrá-la váriasvezes e dar-lhe pancadas com um malho de madeiraou com um aparelho de amassar batatas até ficarelástica. Isto leva 5 a 6 minutos. Estirar a massa comum rolo até ficar com a espessura de uma crosta detorta, colocá-la numa forma untada e, com uma faca,riscar quadradinhos próprios para serem ingeridospelas pessoas. Assar em forno moderado. Tostarapenas de leve, pois isto lhe dá um forte sabor. - 36 -
  • 38. Conclusão Este pequeno manual apresentou algumas informações e sugestões para diáconos e diaconisas. Que você, diácono ou diaconisa, procure aplicá-las em seu ministério de servir. Leia e releia este material tantas vezes quantas se fizer necessário. Procure memorizar as atividades do diaconato. Quando na dúvida, consulte o manual. Quando em comissão do diaconato, sugiro que alguns minutos sejam dedicados para recordar e discutir o conteúdo do mesmo. Lembre-se sempre de que ser diácono ou diaconisa é ser servo, servidor e ministro de Deus.Porque os que servirem bem comodiáconos, adquirirão para si uma boaposição e muita confiança na fé que há emCristo Jesus. ( I Tim. 3:13 )Portanto, meus amados irmãos, sedefirmes e constantes, sempre abundantesna obra do Senhor, sabendo que o vossotrabalho não é vão no Senhor.(I Cor.15:58) - 37 -

×