Your SlideShare is downloading. ×
Manual de uso   planilha de estudo de viabilidade economica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Manual de uso planilha de estudo de viabilidade economica

994
views

Published on

Published in: Business

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
994
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
63
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. MANUAL DE USO PLANILHA DE ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICA Um passo-a-passo para você avaliar a viabilidade econômica de seu negócio
  • 2. ÍNDICE 03 04 06 09 PASSO 01 Antes de Começar PASSO 02 Receitas PASSO 03 Custos Fixos e Variáveis PASSO 04 Indicadores Financeiros
  • 3. A Planilha de Estudo de Viabilidade Econômica é utilizada em 90% dos casos quando abordamos a seção financeira do Plano de Negócios. Mas sua utilidade é muito maior do que essa. A ferramenta permite um importante exercício financeiro de entender como e quais aspectos influenciam mais na lucratividade do seu negócio. Quanto maior o nível de detalhamento, principalmente das variáveis que você tem controle, maior a probabilidade de você estar próximo do resultado real, mas lembre-se: o único fato é que o que você projetar não acontecerá. Como disse Peer Kolendorf, um grande empreendedor e professor de empreendedorismo ''é arrogante acreditar que você pode prever o que realizará daqui a cinco anos. Gastar muito tempo na formulação de suposições é um desperdício de tempo.'' Você pode até projetar cenários diferentes: otimista, pessimista e conservador, mas as simulações, embora sejam interessantes, não tornam a projeção mais segura. Explicaremos quais são os principais itens que você deve preencher na planilha e o que você deve estar buscando nos resultados. Baseado na sua análise, você decidirá se vale a pena investir no negócio ou não. A planilha está organizada em 4 seções: (1) investimento, (2) receitas, (3) Custos fixos e variáveis, e (4) Fluxo de caixa. ANTES DE COMEÇAR VAMOS ENTENDER COMO FUNCIONA A PLANILHA DE ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICA 03
  • 4. Primeiro estabeleça o período que deseja avaliar seu futuro negócio. No nosso exemplo, sugerimos 3 anos, medidos por meses. Depois disso, liste os investimentos que comporão esta nova atividade no ano 0. Esse serão os gastos pré operacionais, ou seja, que você realiza antes de começar a rodar o seu negócio. Por exemplo: terrenos, obras, equipamentos, estoque, capital de giro, etc. Terceiro: desça até as linhas 82 e 83 e preencha sua alíquota de imposto mensal e a taxa de desconto anual. AGORA QUE JÁ ENTENDEMOS A IDEIA PRINCIPAL DA PLANILHA, VAMOS PREENCHER A PROJEÇÃO DE RECEITAS PARA OS PERÍODOS DEFINIDOS 04 PASSO 01 ANTES DE COMEÇAR A USAR A PLANILHA
  • 5. O preenchimento da planilha começa, ironicamente, fora da planilha. Tudo o que a planilha te dá são resultados da conta que você mandar ela fazer. Portanto sente com seus sócios e pessoas experientes, e comece o exercício de futurologia, ou, como nós preferimos dizer: chute. Após fazer esse exercício, insira as informações na planilha. Para isso, basta colocar as projeções de receitas por produto ou serviço em cada período pré-definido na planilha. Essas informações poderão ser adicionadas entre as linhas 13 e 22, no item 2“Receitas”. É muito importante que você aceite o fato de que no final das contas tudo será baseado em “achismo”, portanto verifique questões como: a. Eu consigo (ou me planejei para) produzir tudo isso que projetei? b.Há clientes o bastante para comprar tudo isso? Estou investindo o bastante em marketing para atingir todos eles? Ponto importante: seus parceiros, investidores ou quem quer que avalie a planilha pode questionar qualquer dado, e isso acontece principalmente quando se trata de receitas. Para você chegar a um resultado, utilizou premissas ou pressupostos. Tenha isso bem anotado para que você consiga explicar os dados quando lhe questionarem. Resumo: os números que serão apresentados na planilha devem ser coerentes e “defensáveis”. Por isso, registre da forma que lhe for mais conveniente o que o levou a considerar tais números e tenha sempre em mãos sua memória de cálculo de forma a poder defende-los. COM AS RECEITAS PRONTAS, VAMOS AOS CUSTOS 05 PASSO 02 RECEITAS
  • 6. Antes de preencher os custos é importante discernir custos fixos de variáveis. Os Custos Variáveis aumentam à medida que aumenta a produção ou serviço. Por exemplo, além do salário, seu vendedor possui uma comissão sobre a venda. Caso ele não faça nenhuma venda, não receberá seu salário variável, apenas o fixo. Enfatizamos que a planilha está habilitada a fazer o cálculo para você. Portanto, ao invés de estabelecer um valor absoluto para “Comissão de vendedores” você pode informar a base de cálculo na célula em referência como sendo: x% do faturamento. Um exemplo seria: Comissão de Gerente = Receita do trimestre * 10% Já os Custos Fixos são a parcela do custo que se mantém fixa independentemente da produção ou venda, como é o caso do aluguel. Este será cobrado independente do nível de produção, inclusive no caso de não se produzir nada. 06 PASSO 03 CUSTOS FIXOS E VARIÁVEIS
  • 7. Como sugestão, relacionamos na planilha custos fixos que são comuns a diversos ramos de atividade. PARA FINALIZAR, FALTA APENAS ANALISAR OS INDICADORES FINANCEIROS 07
  • 8. Por fim chega a parte que todo mundo quer ver: os resultados financeiros. Não importa qual o seu negócio, eles lhe dirão aonde e como está entrando e saindo dinheiro. Embora não lhe dê necessariamente as causas do seu sucesso e fracasso, lhe indicará aonde está pesando mais e reduz drasticamente os riscos do seu negócio dar errado. Para facilitar, você tem três campos importantes aqui: 1. FLUXO GERAL POR MESES 2. FLUXO GERAL POR ANOS 08 PASSO 04 FLUXO DE CAIXA E INDICADORES FINANCEIROS
  • 9. 3. GRÁFICO EXPLICATIVO E se você está interessado em saber mais sobre todos os indicadores que a Planilha de Estudo de Viabilidade Econômica lhe fornece, vale dar uma lida aqui embaixo: 01. EBITDA O EBITDA, que vem a ser o quanto a sua empresa ganhou (Lucro Bruto - Despesas Operacionais) antes de descontar os impostos, taxas, depreciação e amortização. O EBITDA avalia o lucro referente apenas ao negócio, descontando qualquer ganho financeiro. Ele diz basicamente duas coisas: (1) quão eficiente a empresa É nas suas operações e (2) qual a capacidade da empresa de gerar caixa. É o melhor indicador para fazer comparações dentro do mesmo segmento. Quanto maior, melhor. 02. FLUXO DE CAIXA BRUTO: Depois do EBITDA, tira-se impostos e taxas e chegamos ao Fluxo de Caixa Bruto que diz quanto dinheiro sobrou. 03. FLUXO DE CAIXA LIVRE: O Fluxo de Caixa Bruto não leva em consideração investimentos que tenham sido realizados. O Fluxo de Caixa Livre é o Fluxo de Caixa Bruto menos os investimentos. Isto é, no final das contas, deduzindo e incrementando tudo, qual foi o resultado final da sua empresa. Resumindo, o fluxo de caixa livre é o que, vulgarmente, chamamos de“lucro”. 09
  • 10. 04. FLUXO DE CAIXA LIVRE ACUMULADO: É o somatório dos Fluxos de Caixa Livre, que apresenta o resultado acumulado. No nosso exemplo, mesmo tendo tido no segundo semestre de 2011um resultado positivo para o Fluxo de Caixa Livre, o resultado acumulado demonstra que ainda está no “vermelho”. Só a partir do terceiro período é que todas os compromissos já foram pagos e a situação se reverte, apresentando um Fluxo de Caixa Acumulado, positivo. 05. LUCRATIVIDADE: A Lucratividade indica o percentual de lucro que sua empresa conseguiu gerar sobre as vendas realizadas. De forma a melhorar sua análise, sugerimos consolidar os dados anualmente, apresentando as receitas, custos, EBITDA, Fluxo de Caixa Livre e Fluxo de Caixa Acumulado. Após visualizar os indicadores no fluxo de caixa, é possível fazer cálculos para avaliar o retorno do negócio. Isto é, podemos gerar números que vão nos dizer se o negócio é ou não atraente. Isto porque comparar valores absolutos como “a empresa A lucra R$ 1.000.000,00 no final do primeiro ano e a empresa B, R$ 500.000,00”, não te diz nada de concreto sobre um negócio em relação ao outro. Por isso, normalmente usa-se três indicadores financeiros para comparar a viabilidade economica de empresas/projetos. 06. VPL (Valor Presente Líquido): O VPL indica quanto vale sua empresa hoje a partir de projeções de lucro e investimentos nos próximos anos. Ou seja, se você investiu R$ 100.000,00 num projeto e o VPL dele é menor do que R$ 100.000,00, pela sua projeção não vale a pena investir no negócio. 07. TIR (Taxa Interna de Retorno): - A TIR é a taxa de retorno do seu negócio, que compara quanto você está conseguindo gerar de valor ($) frente ao que foi investido. para você igualar o valor do investimento com os valores futuros que você projetou. Pelo fato do investimento inicial influenciar muito na taxa de retorno do negócio, escrevemos um livro para reduzir o seu desembolso inicial, focado no trabalho de casa. Para mais informações clique aqui, 08. PAYBACK: É o prazo de retorno do investimento. Determina em quanto tempo (em meses) o empreendedor terá seu investimento de volta. PRONTO! AGORA VOCÊ JÁ DEVE TER UMA BOA NOÇÃO DA VIABILIDADE DO SEU NEGÓCIO!
  • 11. AINDA PRECISA DE AJUDA? Não deixe de conhecer a nossa lista de Planilhas acesse o nosso site: www.luzconsultoria.com.br