Your SlideShare is downloading. ×
0
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

O Uso do Contexto Social na Elicitação de Requisitos de Software

318

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
318
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O Uso do Contexto Social naElicitação de Requisitos de Software Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br
  • 2. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012JÁ ACONTECEU COM VOCÊ? O sistema que queremos deve fazer isto, isto… e nesse caso também isto.. Sim, sim. Estamos anotando. Conversei com os usuários e basicamente este é o sistema que teremos que desenvolver. Sim chefe. Ótimo. Começaremos a especificar os requisitos imediatamente.
  • 3. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/20122 MESES DEPOIS… Pessoal, após o emprego das mais modernas técnicas de espeficação, com nossa melhor equipe, produzimos este documento que descreve minuciosamente o sistema. Ótimo! Bom. Hum… É um documento com 300 páginas e todos esses gráficos, tabelas… Enfim, vamos analisá-lo e voltamos a nos falar!
  • 4. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/20127 MESES DEPOIS… Pessoal, o cliente não está satisfeito com o sistema pois diz que está fazendo as coisas diferentes do que ele pediu, e faltam algumas coisas… Mas seguimos o documento que foi espeficado com exatamente o que eles queriam… Sim, mas o cliente disse que não tinha dito exatamente aquilo que estava no documento e que somente agora sentiu falta de algumas coisas… COMO NÃO?? ESSES CLIENTES COMO SEMPRE NÃO SABEM O QUEREM..
  • 5. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Engenharia de RequisitosPrimeira etapa dentro de todo o processoda engenharia de software, a qual estudacomo coletar entender, armazenar, coletar,verificar e gerenciar os requisitos [THAYER, 97]
  • 6. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Engenharia de Requisitos É o processo através do qual clientes e usuários são questionados por um coletar desenvolvedor para falarem “o quê” o software deve fazer. [THAYER, 97]
  • 7. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Elicitação de Requisitos:Uma ciência social?Os problemas da elicitação de requisitos não podem serresolvidos simplesmente com tecnologia, pois ocontexto social neste caso é mais crucial que etapas deprogramação, especificação ou modelagem. [GOGUEN, 94]
  • 8. Dificuldades da Elicitação de Requisitos
  • 9. usuários não sabem precisam deve ser como o sistema queDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 10. usuários tem diferentes problema pontos de vista doDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 11. nem todos os usuários do processo de elicitação participamDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 12. usuários tem para descrever o domínio do problema dificuldadeDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 13. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 14. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 15. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Principais Técnicas Tradicionais Tradicionais Colaborativas Colaborativas Abordagens Abordagens Cognitivas Cognitivas contextuais contextuais
  • 16. O Contexto Social
  • 17. seminárioDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 18. CASE Diagramas Ferramentas Sociais? Ciências Reuniões PlanilhasDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 19. pausas. Resultado: Resultado: Respostas rápidas, fluentes e diretas. Palavras soltas, sem segurança, com longasDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 20. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012ConclusãoCrianças negras tem problemas delinguagem e precisam ser ensinadasa falar. Grau de confiabilidade dessa conclusão?
  • 21. Resultado: Linguagem extensa, fluente com uma surpreendente complexidade e competência.Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 22. artificial Teste em ambiente x natural Teste em ambienteDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 23. Etnometodologia Análise de tarefas Teoria da atividade Análise de conversasDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 24. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Teoria da Atividade Estrutura filosófica e interdisciplinar para estudar diferentes formas de práticas humanas de processos de desenvolvimento, tanto no nível individual como no nível social (Martins, 1999) Três vertentes: Filosofia clássica Alemã dos séculos XVIII e XIX Escritos de Marx e Engels que elaboraram o conceito de atividade Psicologia Soviética, fundada por Vygostky, Leontev e Lúria
  • 25. Sujeito Teoria da Atividade Ferramenta Objeto RESULTADODaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 26. Programador Editor de texto “Codificar um programa” Algoritmo FONTE PROGRAMADaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 27. Atividade Atividades Ações Operações Ações Atividade Operações Meta Motivo CondiçõesDaniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 28. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Atividade “Faturar venda” Atividade Ações Operações Preencher campos da NF Emitir nota fiscal Calcular impostosFaturar uma venda Imprimir NF Gerar datas de vencimento Emitir duplicatas Imprimir duplicatas
  • 29. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Elicitando Requisitos Utilizandoa Teoria da Atividade Identificar procedimentos realizados no sistema que possam ser classificados como atividades Para cada atividade identificar: sujeito, ferramenta, objeto, comunidade, regras, divisão de trabalho e resultado (representação do modelo sistêmico da atividade). Decompor em ações e operações (a partir do modelo sistêmico)
  • 30. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Exemplo de Uso Sistema de controle de protocolos de uma secretária de faculdade Atividades identificadas: Criar protocolo Atualizar protocolo Consultar protocolo por data
  • 31. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012 Caneta Protocolo realizado Secretária Quadro de registro de protocolo Divisão deRegras para criação Secretárias trabalho entrede protocolo as secretárias
  • 32. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Regras para Criação do Protocolo O campo número do protocolo deve ser gerado seqüencialmente. O novo número gerado deve ser igual ao número do último protocolo mais um. O campo número do protocolo e nome devem ser destacados, utilizando-se cor vermelha para o preenchimento destes campos. Todos os campos do quadro de registro de protocolo devem ser preenchidos, com exceção do campo origem, que quando tem o mesmo conteúdo do campo assunto, pode ser omitido. Todos os documentos protocolados no livro do protocolo devem receber um carimbo constando a data em que o documento chegou na secretaria da faculdade e o número do protocolo gerado para esse documento
  • 33. Conclusão
  • 34. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Conclusão Elicitação de requisitos precisa ser mais centrada no usuário e no contexto do ambiente em que o software deve ser usado Técnicas que usam alguma ciência social geralmente tem essa caracteristica A Teoria da Atividade se mostra fácil de implementar e os resultados são de boa visualização para vários públicos Leva em consideração elementos importantes como sujeito, ferramentas, objetos, regras, ambiente, etc. Alguns trabalhos na área também utilizam o conceito de Cenários.
  • 35. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012
  • 36. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Referências[EASTERBROOK, 04] EASTERBROOK, Steve. Requirements Elicitation 2004. Elicitation. (Department of Computer Science) - University of Toronto. Toronto.[GOGUEN, 94] GOGUEN, J.A.; LINDE, C. Techiques for Requirements Elicitation. Elicitation In: Proceedings of the First IEEE International Symposium on Requirements Engineering, San Diego, Ca, IEEE Computer Society Press, p. 1-14, 1994.[CLAUS, 71] Claus Moser and GrahamKalton. Survey Methods in Social Investigation. Investigation Gower, 1971.[PARASURAMAN, 91] PARASURAMAN, A. Marketing research. 2. ed., Addison research Wesley Publishing Company, p. 21-60, 1991[JUNIOR, 05] JUNIOR, Paulo Roberto de O. Elicitação de Requisitos de Elicitaç Software Através da Utilização de Questionários 2005. Atravé Utilizaç Questionários. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.[THAYER, 97] THAYER, R. H. e DORFMAN, M.; Introduction to Tutorial Software Requirements Enginnering in Software Requirements Engineering, IEEE-CS Press, Second Edition, 1997, p.p. 1-2.
  • 37. Daniel Ferreira – Seminário apresentado na disciplina de Gestão, Qualidade e Processos – CIn UFPE – Dezembro/2012Referências[PREECE, 02] Preece, Rogers and Sharp, Interaction Design, beyond Human Computer Interaction Wiley, 2002, p. 249 Interaction,[CASTRO, 98] CASTRO, Jaelson. Elicitação e Análise de Requisitos Elicitaç Aná Requisitos. Universidade Federal de Pernambuco. 1998. Disponível em <http://www.cin.ufpe.br/~if119/aulas/cap3.PDF>. Acesso em 25 set 2012.[DAMIAN, 97] DAMIAN, Adrian, et al. Joint Application Development and Participatory Design 1997. Disponível em Design. <http://www.cpsc.ucalgary.ca/~pand/seng/613/report.htm l>. Acesso em 26 set 2012.[CMMI, 12] CMMi – Requirements Development Disponível em Development. <http://www.software-quality-assurance.org/cmmi- requirements-development.html>. Acesso em 01 out 2012.
  • 38. OBRIGADO!Daniel Ferreira

×