Apostila texto silmara
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Apostila texto silmara

on

  • 73,629 views

 

Statistics

Views

Total Views
73,629
Views on SlideShare
72,471
Embed Views
1,158

Actions

Likes
6
Downloads
854
Comments
0

16 Embeds 1,158

http://professoralinguaportuguesa-professora.blogspot.com.br 492
http://profkadu.blogspot.com.br 355
http://dmejt.blogspot.com.br 153
http://profkadu.blogspot.com 104
http://www.profkadu.blogspot.com.br 14
http://professoralinguaportuguesa-professora.blogspot.pt 14
http://dmejt.blogspot.com 12
http://www.professoralinguaportuguesa-professora.blogspot.com.br 4
http://profkadu.blogspot.in 2
http://profkadu.blogspot.com.ar 2
http://dmejt.blogspot.pt 1
http://profkadu.blogspot.jp 1
http://profkadu.blogspot.ru 1
http://profkadu.blogspot.com.es 1
http://profkadu.blogspot.it 1
http://profkadu.blogspot.de 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apostila texto silmara Apostila texto silmara Document Transcript

  • ROTEIRO ELABORAÇÃO DE TEXTOS Leia o texto que você escreveu e reflita. CONTEÚDO DO TEXTO O texto está interessante, gostoso de ler e de ouvir? O texto não fugiu do assunto? O texto tem passagens interessantes? O que mais poderia ser contado? Você empregou palavras novas? Essas palavras estão empregadas no sentido correto? Você empregou a mesma palavra várias vezes? Releia o texto e procure substituí-la por outra como mesmo sentido ou, então, tente refazer a ideia. Você empregou palavras ou expressões como pra, tá, legal, né ou outras palavras parecidas?Verifique. O texto que você escreveu permite o emprego dessas expressões? APRESENTAÇÃO DO TEXTO Sua letra está legível? A folha de papel está limpa e sem “orelhas”? Seu texto apresenta muitas rasuras ou borrões? ORTOGRAFIA E ORGANIZAÇÃO DO TEXTO Você escreveu as palavras corretamente? Se tiver dúvidas, consulte o dicionário. Empregou letra maiúscula no início de frase e nos nomes próprios. Fez parágrafos sempre que começou uma nova ideia. Observou o uso da pontuação adequada: ponto final, de exclamação e interrogação? Empregou o travessão nos diálogos? Respeitou a margem? Colocou o título adequado com o texto? Planejamento de Redação Oficina de Produção de Texto Considera-se texto tudo aquilo que consiga expressar idéias, sentimentos,pensamentos e emoções, com o objetivo de comunicação: frases, orações, conjunto de idéias,histórias, poemas, bilhetes, cartas, avisos, anúncios, anotações, etc A produção textual deve ser contínua, pois é por meio dela que o aluno expressa suasnecessidades, agilizando seu pensamento, independentemente de sua faixa etária.
  • Escrever é uma habilidade que se adquire com o exercício e o tempo, e torna-se frutodas atividades desenvolvidas pela criança em sua vida social e escolar. Forma sua maneira individualde perceber e construir o mundo em que vive, expondo idéias, sentimentos e opiniões. O aluno já traz consigo a capacidade de narrar e contar histórias com facilidade e aprodução de texto tem como objetivo possibilitar o aprimoramento de sua escrita, levando seus textosa ter coerência e coesão de acordo com a sua finalidade. Por isso, o educador deve incentivá-lo aatividades orais que favoreçam a iniciação de produção de textos. A atividade da escrita não é um ato solitário; é necessário criar um ambiente dedescontração e naturalidade: deixar que o aluno utilize livros, jornais ou recorra aos colegas e/ou aoeducador(a), para identificar possíveis falhas. O educador tem o papel importante de esclarecer critérios claros de correção eavaliação, levando o aluno a verificar suas falhas e a reescrita, para tornar seus textos coesos eadequados. É importante também que o educador reforce o como escrever, o que escrever, aquem e por que escrever.Tipos de textos:. Textos narrativos: contos, fábulas, histórias, crônicas, relatórios, etc.. Textos literários: literatura infantil e juvenil.. Textos poéticos e lúdicos: poemas, quadrinhas, parlendas, adivinhas, letras de músicas e cantigas.. Textos informativos: textos de jornais e revistas, matérias científicas, mapas, placas, etc.. Textos publicitários: propagandas, anúncios, cartazes, outdoors, etc.. Textos instrutivos: receitas, folhetos, bulas, manuais.. Textos dissertativos: críticas, resenhas, legendas, etc.. Textos práticos: cartas, bilhetes, convites, cartões, avisos, telegramas, e-mails, etc. “ Atividades orais favorecem a iniciação da escrita. Escrever e redigir textos deve proporcionar prazer e tornar-se um ato de desafio estimulante para a criança.”Objetivos da expressão escrita:. Ter habilidade para:_ codificar mensagens_ organizar mensagens com seqüência lógica_ empregar convenções sociais por meio de bilhetes, cartas,cartões, telegramas._ preencher formulários_ usar dicionário_ organizar idéias para manifestar seu pensamento
  • _ desenvolver a criatividade_ registrar idéias, sentimentos e fatos_ automatizar a ortografia de palavras_ traçar letras de forma legível_ empregar a pontuação adequada_ empregar corretamente os parágrafos_ ampliar o uso da linguagem própria para expressar com criatividade as idéias_ manter o uso das estruturas de frases na redação_ consolidar a habilidade do uso de expressões poéticasTipos de propostas:.Temáticas: produzir um texto a partir de: * passeio * sonho * família * fantasia * brinquedo * escola. Estrutural : produzir um texto baseado em: * narração * descrição * dissertação * carta * bilhete * poema * avisoEtapas de uma produção de texto:.Rascunho – São os registros, a informação, sem preocupação com letra, margem, parágrafo,ortografia e pontuação. A criança produzirá o texto sem nenhuma censura e utilizará um lápis paraescrever, o que auxiliará sua desinibição..Intercâmbio _ Desenvolve a capacidade crítica e amplia a observação do aluno: • leitura do texto para os colegas • troca de texto entre alunos • utilização de textos produzidos pelas crianças e colocados no mural da sala de aula • leitura do texto pelo professor • comentários em grupo “A criança deve ter a oportunidade de ver seus textos lidos pelo educador e pelos colegas, que poderão utilizá-los em jornais escolares, produção de livros coletivos da turma e murais, motivando-o a aprimorar e a aperfeiçoar cada vez mais a sua produção textual.” .Releitura _ Após o ato de produzir um texto, é fundamental a releitura dele para verificar se ele está de acordo com o contexto proposto e observar se existe clareza, coerência de idéias, boa apresentação, seqüência lógica dos fatos, além de correção ortográfica e gramatical. Assim, o aluno terá oportunidade de raciocinar sobre sua linguagem escrita e reconstruí-la quando necessário. .Correção _ O educador não deve utilizar comentários negativos, mas restringir-se somente à correção de aspectos gramaticais, ortográficos, concordância e pontuação do texto. O educador deve assumir a postura de orientador, com o objetivo de comentar, sugerir, colocando-se na posição de leitor.
  • Critérios de correção: • aspectos estéticos: letra legível, paragrafação, margem, rasuras. • aspectos gramaticais : ortografia, acentuação, pontuação, concordância • aspectos estilísticos: repetição de palavras, frases longas, palavras desnecessários, pronomes inadequados, adjetivos inexpressivos • aspectos estruturais: idéia central, seqüência lógica, temporal, aspectos pertinentes ao tema, descrição dos personagens, desfecho, coerência. Ao corrigir um texto, sugerimos ao educador não riscar o texto dos alunos, mas usarcódigos que identifiquem os erros encontrados. Exemplos: Para indicar parágrafos Para indicar erros ortográficos Para indicar erros de gramática Para indicar erros de pontuação Para indicar erros de seqüência lógica ( princípio, meio e fim) Outra forma de correção para produção de textos é discuti-loscoletivamente, avaliando-os em conjunto e corrigindo-os, o que torna os alunos mais críticos e maisatentos ao uso da linguagem. .Autocorreção - Leva o aluno a rever a sua escrita. O educador pode combinar códigos paraidentificar cada tipo de erro encontrado no texto, levando o aluno a reescrever o que estiver incorretocom consulta ao dicionário. .Reescrita do texto – É importante que fique claro para os alunos que a atividade de reescrita erevisão dos textos significa aprendizagem: aprende-se a escrever, a usar a grafia, a pontuação e agramática corretamente, dando clareza ao texto, e que o erro é necessário ao processo e leva aocrescimento.
  • Como trabalhar com alguns tipos de produção de textos. Texto coletivo: O educador propõe um tema por meio de uma gravura ou de um título. Os alunosdevem dar sugestões sobre o que a gravura sugere. O educador escreverá as sugestões no quadro e,quando terminar a produção do texto, deve ler o texto com os alunos. Pode-se também variar a leitura:cada fileira de alunos poderá ler uma frase ou parágrafo. O texto coletivo possibilita ao aluno discutir alguns aspectos estruturais com oscolegas, tais como pontuação, características dos personagens, análise e argumentos críticoscoerentes.. Produzindo texto em duplas: Trabalhar com os alunos em duplas favorece o desenvolvimentosocial e intelectual deles, pois ao realizar uma atividade em dupla ou em grupo, eles terãooportunidade de trocar idéias, socializar-se, escutar a opinião do outro, superar as dificuldadesortográficas e muito mais. O educador pode, ao formar as duplas, selecionar seus componentesde acordo com as dificuldades de aprendizagem, organizando grupos heterogêneos, nos quais alunoscom bom desenvolvimento pedagógico se unam a alunos com dificuldades, tornando o processo fácile dinâmico..Textos com gravuras: Ao trabalhar com gravuras, o educador estará dando oportunidade ao alunode aprender a organizar suas idéias e desenvolver seu raciocínio e sua observação. Todas as possibilidades de uma gravura devem ser exploradas com questõesestimuladoras, tais como: • Quais são os personagens? • Onde estão? • O que estão fazendo? • O que aconteceu antes? • O que aconteceu depois? • Como vai terminar?.Tipos de gravuras: • Gravuras de primeiro tipo ou sentido completo: são aquelas que apresentam todos os elementos na mesma cena. • Gravuras de segundo tipo: são aquelas de sentido incompleto. Referem-se a uma parte de um acontecimento e permite imaginar o que não se vê.. • Gravuras de terceiro tipo: são aquelas que representam desenhos ou fotos de acontecimentos. Devem ter relação com o texto. • Gravuras de quarto tipo: referem-se a obras artísticas reproduzidas sob diversas formas: telas, esculturas, etc • Gravuras seriadas: são aquelas que possuem seqüência de cenas, de acontecimentos..Textos com seqüência de cenas – possuem estímulo visual, representado em cada cena. Ao trabalhar textos com seqüência de cenas , é necessário:
  • • Observar cuidadosamente cada cena. • Relatar oralmente os fatos. Criar uma história coletiva • Elaborar o título • Rever o texto escrito • Ler o texto final.Textos práticos - a produção de bilhetes , avisos, cartas, convites, anúncios e telegramas necessitade uma análise prévia dos elementos que os compõem: remetente, destinatário e corpo da mensagemobjetiva e precisa. São textos que visam a fins utilitários do dia-a-dia, à melhor interação do indivíduo com omundo em que vive..Música –A música exerce grande fascínio sobre a criança. É um tipo de linguagem que favorece aorganização do pensamento, do desenvolvimento, a inteligência e o conhecimento. Podemos utilizar várias letras de músicas para trabalhar temas de conteúdo na sala de aula e levaro aluno a produzir textos correlacionados..Poemas – Ao escrever poemas, o aluno está trabalhando com sua emoção e com seus sentimentos. Geralmente os poemas são escritos em versos e utilizam ritmo, rimas e jogo de palavras( repetição;onagramas;onamatopéias) O educador pode confeccionar com as crianças um livro de coletâneas de poesia e versos escritos por elas, bem como realizar uma tarde de autógrafos com a apresentação de um sarau, quando as crianças podem recitar poemas dramatizados para os pais e para os demais responsáveis..Narração – A forma narrativa é utilizada pela criança desde o momento em que é capaz de secomunicar. São elementos de um texto narrativo: *personagem: quem faz a ação *tempo: quando ocorreu o fato *enredo: como o fato ocorreu *fato: o acontecimento *espaço: onde ocorreu o fato *causa:por que o fato ocorreu *conclusão: resultado final – como termina o acontecimentoDescrição:É a capacidade de observação; é o produto da percepção. Ver, perceber, sentir objetos,formas e/ou pessoas são as atividades iniciais para se produzir um texto descritivo. Os textos narrativos e descritivos devem seguir uma estrutura: • início: apresentação dos personagens e do ambiente • enredo ou tema: esclarecimento das idéias acompanhadas de detalhes • clímax: ponto alto de interesse do enredo
  • • final ou conclusão: conclusão do acontecimento, fim da tensão..Textos literários – constitui um tipo de escrita simples, na qual pensamentos, sentimentos, emoçõese idéias são registrados em relação ao mundo em que vivem.Esses textos educam e divertem. Sãotidos como textos literários: poemas, fábulas, contos, crônicas e histórias da literatura infantil e juvenil..Textos extraverbais – são tipos de texto que não empregam códigos lingüísticos, palavras escritas,e sim desenhos, sinais e símbolos.Exemplos: fotos, sinais e placas de trânsito, charges, obras de arte, etc.Textos jornalísticos: são textos classificados com notícias e/ou reportagens; são relatos de fatosimportantes e de interesse para a comunidade._ Notícia: é um texto claro e objetivo, redigido em terceira pessoa, com linguagem simples e estiloformal. O título da notícia resume o tema central, para atrair a atenção do leitor._ Reportagem: contém uma informação precisa e objetiva do fato. É um texto longo e dividido emcapítulos..Textos publicitários: são textos pagos com a finalidade de atingir determinado tipo de público._Propaganda : são textos publicados em folhetos, encartes, jornais e revistas, nosquais são utilizadas frases curtas, freqüentemente acompanhadas de imagens._Anúncios: são textos que possuem pequenos formatos com ou sem ilustrações;sua linguagem é direta. São encontrados em jornais e/ou revistas..Pesquisa – levanta opiniões ou informações sobre comportamentos,características e tendências de pessoas, animais, plantas ou algum assuntoespecífico. Possuem respostas breves e objetivas..Legenda: Descreve fotos ou desenhos para o leitor compreender ou avaliar o que está vendo..Receitas: Orientam a organização e a realização de tarefas. Geralmente são apresentadas em textosdivididos em duas etapas; ingredientes e modo de fazer. As instruções são colocadas seguindouma ordem temporal..Histórias em quadrinhos: são textos nos quais aparecem diálogos e pensamentos em forma debalões. Utiliza códigos não-verbais e a representação é visual. São textos pequenos, coloridos ou nãoe muito atrativos. As onomatopéias estão geralmente presentes nas histórias em quadrinhos.Possuem uma seqüência na qual o movimento é representado por sinais, traços e posições.Produção de texto por meio de Arte A atividade artística é excelente geradora de texto, pois contribui para o desenvolvimento daobservação e da linguagem oral do aluno, deixando de lado seus medos, traumas, inseguranças etimidez.
  • O educador poderá utilizar vários tipos de material, como: jornais, revistas, canetas coloridas,lãs, barbantes, retalhos de papéis e tecidos, embalagens , pincel atômico, canetas hidrocor. Com esse material, o aluno criará seus personagens – animais, bonecos, objetos – e lhes darávida e nomes. Depois, ele escreverá um texto sobre o personagem criado. O aluno poderá também escrever um texto a partir de uma observação de uma obra de arte, umdesenho, um enfeite, etc. Poderá também utilizar gravuras de revistas para fazer uma montagem de personagens e/ouobjetos e depois descrevê-los por meio de um texto. Com sucatas, poderá criar também personagens fantásticos, como robôs, objetos com vida edepois descrevê-los. O aluno poderá também fazer o seu próprio desenho usando criatividade e imaginação e depoisescrever um texto sobre ele.Textos para serem trabalhados com alunos do 5º. Ano do Ensino Fundamental_ Textos lacunados_ Diário_ Coisas de que eu gosto_ Família_ Diálogos_ Retrato escrito_ Acróstico_ Seqüência de cenas_ Completando textos_ Continuação de histórias_ Textos por meio de temas_ Textos com passatempos_ Textos poéticos_ Poemas enigmáticos_ Poemas cinéticos_ Tempestade de idéias_ Textos fantásticos_ Textos com roteiro_ Textos com gravuras_ Criando cardápios_ Biografias_ Textos jornalísticos ( notícias, manchetes, reportagens, classificados, anúncios)_ Textos com legendas_ Propaganda_ Cartum e charges_ Resumos_ Textos práticos ( bilhete em códigos, carta, esquema, pesquisas)_ Enquetes_ Debates_ Entrevistas_ Requerimentos_ Relatórios
  • _ Biografias_ Texto e InternetBIOGRAFIA: Oficina de Textos Volume 2 – Regina Villaça Lima Editora FonteObservações: ( Sugestões do livro citado acima: Oficina de textos)_Cartazes: Como trabalhar cartazes._Eu: Eu mesmo Meu diário Coisas de que eu gosto_Família: Descrevendo alguma pessoa da família Mensagem para a mãe Mensagem para o pai Lembranças de meus avós_Amizade: Meu (minha) melhor amigo(a) Retrato escrito_Textos lacunados: Completando o texto Dia de jogo_Continuando a história: A união das cores Dia de pescaria Um robô bem legal_Textos com gravuras: Divertindo com os desenhos Seqüência de cenas Noite de terror O jogo de futebol O castelo de areia De olho na gravura Preservando a natureza O pedido de socorro! Vida na cidade Vida no campo Um feriado na praia_Textos com roteiro: Criando um super-herói O colecionador Viagem pelo mundo O fantasma brincalhão O tesouro encontrado
  • O que estamos fazendo?_Textos através de temas: Tempestade de idéias Qual é o tema? Uma travessura inesquecível Meus desejos Sonhei que... Solidariedade Ser solidário é... O dinheiro sumiu, e agora? Vida de... Inventando histórias Um dia de festa Aventuras emocionantes Paulo, o corujão_Textos fantásticos: O extraterrestre O mapa do Brasil A idade da pedra O cometa e a estrela As aventuras de uma moeda Fotografando Um pássaro diferente O sonho da lua Invenções malucas Imagine-se As aventuras de um pirata Se eu fosse um super-herói O anti-herói Bicho esquisito_Diálogos: Dialogando_História em quadrinhos: Conversa de jardim Um diálogo diferente Diálogos em quadrinhos_Poemas: Poema em código Poema enigmático Brincando com antônimos Poema cinético Rimas e rimas O nome O amor é... As estações No mundo da matemática Energia elétrica Frases e versos
  • Poema com verbo_Biografia: Biografia Minha biografia Biografia de autores brasileiros ( Projeto LiterArte)_Receitas: Uma receita especial Uma receita diferente Criando cardápios_Textos jornalísticos: Trabalhando com jornal Notícia Escolhendo notícias Caixinha de manchetes Comentando a notícia O elefante Zulu O time do meu coração Reportagem Você é o repórter Jornal dos animais Texto de opinião Legendas Criando legendas Charge Criando charges_Textos publicitários: Propaganda Criando uma propaganda Propaganda de turismo Eleição da propaganda Classificados de jornal Anunciando Anunciando tudo Anúncios malucos Perdidos e achados_Textos com rótulos: Trabalhando com rótulos Rótulo maluco_Resumo: Resumo Meu programa favorito_Pesquisa: Pesquisa Pesquisando A vida de grandes personalidades Pesquisando sobre alimentos_Relatório: Relatório
  • _Entrevista: Entrevista Entrevistando_Debate: Debate_Enquete: Enquete_Requerimento: Requerimento Requerimento de passe-livre para estudantes_Bilhetes: Bilhete em código_Carta: O correio Escrevendo cartas O envelope_Internet: Textos e Internet_Bibliografia: _ Bibliografia
  • ( Geraldo Amaral e Renato Rocha ) Galo cantou, grilo grilou, Cachorro latiu, gato miou. O pato grasnou, a ovelha baliu, E o leão ? O leão rugiu! O pinto piou, a vaca mugiu. O peru grugrulhou, o porcogrunhiu. Passarinho cantou, a cigarra zuniu. Papagaio falou... E a girafa? A girafa não fala! ( Geraldo Amaral e Renato Rocha ) Galo cantou, grilo grilou, Cachorro latiu, gato miou. O pato grasnou, a ovelha baliu, E o leão ? O leão rugiu! O pinto piou, a vaca mugiu. O peru grugrulhou, o porcogrunhiu. Passarinho cantou, a cigarra zuniu. Papagaio falou... E a girafa? A girafa não fala!
  • CURIOSIDADES SOBRE OS ANIMAIS:1. O pica-pau pode dar cem bicadas por minuto numa árvore.2. O beija-flor bate as asas noventa vezes por segundo, quatro vezes mais rápido que uma libélula. Ele voa de frente, de costas e até de ponta-cabeça. Procura néctar em 2 mil flores todos os dias.3. Apesar do tamanho, o pescoço de uma girafa tem apenas sete ossos, o mesmo número de ossos do pescoço de um homem. A cabeça da girafa fica a mais de dois metros de distância do coração. Para fazer o sangue subir, o coração precisa ser muito forte. O coração da girafa é 43 vezes maior que o do ser humano.4. Quando em perigo, os elefantes formam um círculo em que os mais fortes protegem os mais fracos.5. Um camelo consegue beber 120 litros de água em dez minutos. Ele retém água para oito dias. Pode andar de 200 a 270 km por dia. As girafas e os ratos podem viver mais tempo sem água que o camelo.6. O pavão macho possui duzentas penas longas e coloridas na cauda.7. Um porco-espinho, tem em média, 30 mil espinhos. Ele é um excelente nadador porque os espinhos ajudam a flutuar.8. A preguiça movimenta-se de noite e dorme de dia (mais de dezoito horas sempre). Tem um pescoço que pode virar até 180 graus. Assim, não precisa mexer o corpo para olhar o que está acontecendo ao seu redor.9. Um avestruz mede de 1,80 a 2,50 metros de altura, o mesmo tamanho de um camelo. As girafas atingem sete metros, o mesmo que um prédio de dois andares.10. De acordo com a espécie, uma centopéia pode ter de 28 a 354 patinhas.
  • A LEBRE E A TARTARUGA No verão, a floresta fica mais alegre. O sol espanta a coruja quefecha os olhos e entra no toco mais cedo. A preguiça dorme entre asfolhas. Os macacos balançam nos galhos, enquanto o tatu cava buracospara procurar raízes.Muito silenciosa, a tartaruga escuta o macaco dizer: - A lebre é o animal mais veloz da mata. Lá embaixo, o tatu responde: - Mas a tartaruga é mais resistente. Ela anda muito mais. A onça-pintada, que estava sentada à sombra, ouviu a conversa edisse: - Vamos ver quem é o melhor. Aquele que chegar primeiro no lago é ocampeão da mata. - Será a lebre ou a tartaruga? Todos os bichos ficaram animados. A lebre saiu correndo. A tartarugaandava bem devagar. Arrastava o casco e parecia que não ia chegar. Nomeio do caminho, a lebre ficou cansada. Já estava tão longe da tartarugaque se deitou à sombra de uma árvore e dormiu um sono profundo. E foi assim que a tartaruga, com seu passo miúdo e lento, passou àfrente da lebre. Chegou primeiro ao lago e foi beber água.MORAL: Quem corre cansa e devagar se vai ao longe. (Jean de la Fontaine. A lebre e a tartaruga. Editora Melhoramentos).1)O narrador do texto é alguém que conta a história de outra pessoa ou énarrador personagem? Como você descobriu isso?__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________2) O que você entendeu dessa história?__________________________________________________________________________
  • ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________3) Qual foi a surpresa no final da história?____________________________________________________________________________________________________________________________________________________4) Leia e responda: “Quem ri por último ri melhor”a) O que você entende por essa frase? Ela tem alguma relação com o texto?______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________5) Agora é sua vez! Crie uma linda poesia com base nesta fábula. Não seesqueça de ilustrar!
  • OS TRÊS PORQUINHOS Era uma vez uma mãe porca, que tinha três porquinhos. Um dia , ela resolveu que chegara a hora deseus filhos conhecerem o mundo. Sendo assim, os três porquinhos se despediram da sua mãe , e partiramcada um por um caminho diferente. O primeiro porquinho se cansou de andar, fez uma casinha de palha e deitou-se para dormir. Chegou um lobo faminto e disse: - Abre a porta porquinho, ou soprarei com força e a tua casa derrubarei! O porquinho não abriu, o lobo então soprou com força , a casa se desmanchou e o porquinho correupara a casa de seu segundo irmão. O segundo porquinho também era um pouco preguiçoso . Quando ficou cansado, fez uma cabana degalhos e foi brincar com seu irmão. O lobo faminto chegou dizendo... - Abre a porta porquinhos ou soprarei , soprarei e tua casa derrubarei! Os porquinhos não quiseram abrir. Então o lobo soprou e soprou, derrubou a cabana e osporquinhos saíram correndo para a casa do terceiro irmão. O terceiro porquinho era muito trabalhador. Quando decidiu buscar um lugar para morar, construiu uma casa com tijolos e cimento . Novamente apareceu o lobo, e bateu na porta da casa do terceiro porquinho. - Abre ou soprarei , soprarei e tua casa derrubarei! - Podes soprar quanto quiseres – disse o porquinho - que não tenho medo! O lobo soprou e soprou com todas as suas forças até ficar vermelho , mas a casa não se mexeu nemum pouquinho. - Olha que vais ficar cansado – zombaram os porquinhos que estavam tranqüilos. O terceiro porquinho tinha feito um bom trabalho , e a casa era muito resistente. O lobo, astuto, subiu no telhado e desceu pela chaminé. Estava disposto a entrar na casa de qualquerforma. Porém, os porquinhos perceberam as intenções do lobo e destamparam o caldeirão com águafervendo que estava na lareira. O lobo caiu na panela e queimo-se com a água. Saiu em disparada e nunca mais voltou a aparecer. 1º DIA1. PROBLEMATIZAÇÃOA) EXPLORAÇÃO DO TÍTULOB) LEITURA COM INFERÊNCIA E CHECAGEM : O PROFESSOR LÊ E PARA EM DETERMINADOS PONTOS, OUVE A RESPOSTA DOS ALUNOS. ANTECIPAÇÃO/ CHECAGEM
  • PREDIZER O QUE VIRÁ NO TEXTO E SEU SIGNIFICADO CONHECIMENTO DO LEITOR DETERMINA POSSIBILIDADES DE FAZER INFERÊNCIAS CHECAGEM - ESTRATÉGIA DE CONFIRMAÇÃO INFERÊNCIA DESCOBRIR , CAPTAR O QUE NÃO ESTÁ EXPLÍCITO NO TEXTO. CONHECIMENTO E VISÃO DE MUNDO DETERMINAM POSSIBILIDADES DE FAZER INFERÊNCIASC)- LEITURA ORAL PELO PROFESSOR:NESTA ETAPA OS TEXTOS SÃO ENTREGUES PARA OS ALUNOS.ANTES DE DIZER QUE ALGUÉM NÃO É CAPAZ DE COMPREENDER UM TEXTO, É PRECISO CONSIDERAR:SE ELE CONHECE OS RECURSOS LINGUÍSTICOS AÍ UTILIZADOS.SE COMPARTILHA COM O PRODUTOR O CONHECIMENTO DE MUNDO QUE ESTE PÕE EM AÇÃO NO TEXTO.SE ELE TEM INFORMAÇÕES SUFICIENTES SOBRE A SITUAÇÃO.SE O TEXTO EM QUESTÃO DEPENDE DE OUTROS TEXTOS(INTERTEXTUALIDADE)D) LEITURA ORAL PELOS ALUNOS ( LEITURA COMPARTILHADA )UM ALUNO LÊ ,OUTRO CONTINUA. PEDE-SE QUE ALGUÉM LEIA UM DETERMINADO PARÁGRAFO.E) LEITURA SILENCIOSA INDIVIDUALO ALUNO VAI LER E MARCAR AS PALAVRAS DESCONHECIDAS POR ELE. O PROFESSOR APÓS TER SIDOMARCADAS ESSAS PALAVRAS, PEDE AOS ALUNOS QUE COPIEM NO CADERNO COMO NO EXEMPLO ASEGUIR:EX:2. LER E MARCAR AS PALAVRAS DESCONHECIDAS NO TEXTO EXEMPLOS:FAMINTOCABANADECIDIUZOMBARAMTRANQUILOSASTUTODISPOSTOINTENÇÕESLAREIRA3. O QUE VOCÊ ACHA QUE SIGNIFICAM ESSAS PALAVRAS? COPIE O SIGNIFICADO QUE VOCÊ IMAGINA NAFRENTE DA PALAVRA. 2º DIAESTUDO DO VOCABULÁRIOAS PALAVRAS ANOTADAS NO DIA ANTERIOR SERÃO PROCURADAS NO DICIONÁRIO E SERÃO ANOTADOS OSSEUS SIGNIFICADOS.1. TRABALHANDO COM O DICIONÁRIOA) O QUE DIZ O DICIONÁRIO: AS PALAVRAS ANOTADAS NO DIA ANTERIOR SERÃO PROCURADAS NO DICIONÁRIO.ESTAS PALAVRAS EU NÃO ENTENDI, MAS AGORA DESCOBRI O SIGNIFICADO DELAS:FAMINTOCABANADECIDIUZOMBARAMTRANQUILOSASTUTODISPOSTOINTENÇÕESLAREIRAB) TROQUE A PALAVRA ASSINALADA NA FRASE, PELO SIGNIFICADO ENCONTRADO NO DICIONÁRIO: O LOBO FAMINTO DISSE. O LOBO DERRUBOU A CABANA DE GALHOS. O TERCEIRO PORQUINHO DECIDIU CONSTRUIR UMA CASA COM TIJOLOS. OS PORQUINHOS ZOMBARAM DO LOBO.C)TROQUE A PALAVRA ASSINALADA NA FRASE, PELO SEU ANTÔNIMO:D) FORME FRASE COM AS PALAVRAS:ASTUTOLAREIRA
  • DISPOSTO2. INTERPRETAÇÃO ORAL: AS PERGUNTAS DA INTERPRETAÇÃO ESCRITA SERÃO FEITAS ORALMENTE, ANTES DE SEREMPASSADAS NA LOUSA:E) INTERPRETAÇÃO ESCRITA1- QUAL É O TÍTULO DO TEXTO?.............................................................................................................................................................................2- QUAIS OS PERSONAGENS QUE APARECEM NO TEXTO?.............................................................................................................................................................................3- ESSE TEXTO É: ( ) POESIA ( ) PARLENDA ( ) RECEITA ( ) CONTO4- A MÃE PORCA RESOLVEU QUE: ( ) SEUS FILHOS DEVERIAM CONHECER O MUNDO ( ) SEUS FILHOS DEVERIAM CONSTRUIR CASAS ( ) SEUS FILHOS DEVERIAM IR VISITAR A VOVÓ ( ) SEUS FILHOS DEVERIAM IR VER OS PRIMOS5- O PRIMEIRO PORQUINHO FEZ SUA CASA DE : ( ) MADEIRA ( ) TIJOLOS ( ) PALHA ( ) LONA6- O SEGUNDO PORQUINHO FEZ SUA CASA DE .....................................................................................7- O PORQUINHO QUE CONSTRUIU UMA CASA DE TIJOLOS E CIMENTO FOI: ( ) O PRIMEIRO ( ) O SEGUNDO ( ) O TERCEIRO ( ) O QUARTO8- “ABRE OU SOPRAREI E TUA CASA DERRUBAREI”. ESSA FRASDE É DITA: ( ) PELO PORQUINHO ( ) PELO LOBO ( ) PELA MÃE PORCA9- O QUE ACONTECEU COM O LOBO DEPOIS QUE ELE SUBIU PELA CHAMINÉ?............................................................................................................................................................................. GRAMÁTICA CONTEXTUALIZADA1) EM “...DEPOIS OS LEVAREMOS À MATA E LÁ OS ABANDONAREMOS.” , OS TERMOSSUBLINHADOS REFEREM-SE :A) À MADRASTAB) AOS PAIS DE JOÃO E MARIAC) A JOÃO E MARIAD) À BRUXA E À MADRASTA2)- “ ... NO DIA SEGUINTE DEU-LHES UM PEDAÇO DE PÃO VELHO...” , A PALAVRA GRIFADA É :A) ADJETIVOB) SUBSTANTIVOC) PRONOMED) VERBO3) “ ...A BRUXA QUERIA DEVORAR JOÃO...” A PALAVRA EM NEGRITO SIGNIFICA:A) ABANDONARB) COMERC) DEVOLVERD) ENGORDAR
  • 4) “ ... JOÃO MOSTRAVA UM OSSINHO DE GALINHA ...”SE AS PALAVRAS EM DESTAQUE FOSSEM SEPARADASAO FINAL DA LINHA ,COMO FICARIAM?A) OSSIN – HO , GALIN - HAB) OSS – INHO , GAL - INHAC) OSSI – NHO , GALIN - HAD) OS – SINHO , GALI - NHA5) AS PALAVRAS: OUVIU, ENCHEU, MARCOU, CONSEGUIRAM, SÃO:A) SUBSTANTIVOSB) ADJETIVOSC) VERBOSD) PRONOMES6) “AS CRIANÇAS ANDARAM MUITO QUANDO AVISTARAM UMA CASINHA...”, SE NOS REFERÍSSEMOS AAPENAS UMA CRIANÇA , COMO IRÍAMOS ESCREVER ESSE TRECHO DO TEXTO: __________________________________________7) NO TRECHO “ ... DISSE A MADRASTA MALVADA ...”. SE ESTE TRECHO FOSSE ESCRITO NO MASCULINO ,COMO ESCREVERÍAMOS? ___________________________________________8) “... A BRUXA COM RAIVA PEGOU A TOCHA ACESA, ABRIU A PORTA DO FORNO E ACENDEU....” , SE ESTEFATO AINDA FOSSE ACONTECER COMO FICARIA ESCRITO ESSE TRECHO DO TEXTO? __________________________________________9) NO TRECHO “ — MINHA MULHER, O QUE SERÁ DE NÓS? ” , O TRAVESSÃO INDICA O INÍCIO DA :A- FALA DE JOÃOB- FALA DA MARIAC- FALA DA MADRASTAD- FALA DO LENHADOR “ - HOJE EU VOU FAZER UMA FESTA MARIA , PONHA UM CALDEIRÃO COM ÁGUA PARA FERVER. ÉHOJE QUE EU VOU COMER ENSOPADO! ”10) NO TRECHO QUE VOCÊ LEU APARECEM OS SEGUINTES SINAIS DE PONTUAÇÃO:A) TRAVESSÃO ,DOIS PONTOS,PONTO DE EXCLAMAÇÃO,RETICÊNCIAS,PONTO FINAL,HÍFENB) PONTO DE INTERROGAÇÃO ,VÍRGULA,PONTO FINAL,HÍFENC) TRAVESSÃO , VÍRGULA , PONTO FINAL, PONTO DE EXCLAMAÇÃOD) PONTO FINAL, VÍRGULA , HÍFEN,TRAVESSÃO ,DOIS PONTOS11) A PALAVRA ÁRVORE RECEBE ACENTO:A- AGUDO.B- ASPAS.C- TILD- CIRCUNFLEXO12) A PALAVRA CHAMAVA-SE SE JUNTA POR MEIO DE :A- PONTO FINAL.B- ASPAS.C- HÍFEND- VÍRGULA.13) “... PONHA UM CALDEIRAO COM AGUA ...” “ ...PRENDEU JOÃO EM UMA JAULA PARA COME-LO...”NAS FRASES ACIMA, AS PALAVRAS EM NEGRITO NÃO FORAM ACENTUADAS. ASSINALE A ALTERNATIVA EMQUE TODAS ESTEJAM ACENTUADAS CORRETAMENTE:A- CALDEIRÃO, AGUÁ, COMÊ-LOB- CALDEIRAÕ , AGÚA , COMÉ-LOC- CALDEIRÃO , ÁGUA , COMÊ-LOD- CALDEIRÃO, ÃGUA , COMÊ-LO14) “ QUANDO O PAI VIU AS CRIANÇAS FICOU MUITO CONTENTE ” , A PALAVRA GRIFADA ESTÁ ESCRITACOM LETRA MAIÚSCULA PORQUE:A- ESTÁ NO FINAL DA FRASE.
  • B- ESTÁ NO INÍCIO DA FRASE.C- É UM NOME PRÓPRIO.D- É TÍTULO DO TEXTO3º Dia: DITADO INTERATIVO O lobo faminto chegou dizendo... - Abre a porta porquinhos ou soprarei , soprarei e tua casaderrubarei! Os porquinhos não quiseram abrir. Então o lobo soprou e soprou,derrubou a cabana e os porquinhos saíram correndo para a casa doterceiro irmão.TEXTO INSTRUCIONALCONSTRUÇÃO DE UM COFRE EM FORMA DE PORQUINHO COM MATERIAIS DIVERSOS− Veja como construir um cofre em forma de porquinho.*Use uma garrafa, vazia e limpa, de água ou produto de limpeza, para fazer o corpo.*Faça um corte na garrafa, para passar as moedas.*Use papelão para fazer as orelhas.*Use botões para fazer os olhos.*Use tampinhas ( ou potinhos de filme ou carretéis), para fazer as pernas.*Use mola ou um pedaço de espiral de caderno usado, para fazer o rabo.*Para finalizar, faça uma pintura ou cole algum enfeite.ADIVINHATEM LOMBO DE PORCOTEM ORELHA DE PORCOTEM COSTELA DE PORCOMESMO ASSIM NÃO É PORCO?........................................... ( FEIJOADA)O QUE É, O QUE É?UMA IRMÃ É DE METALE O PARAFUSO SEGURA.A OUTRA É BICHO DE FAZENDAQUE DÁ CARNE E DÁ GORDURA.
  • ..............................................( A PORCA E O PORCO)CONVITEO PORQUINHO MAIS VELHO VAI FAZER ANIVERSÁRIO E RESOLVEU CONVIDAR SEUSAMIGOS PARA SUA FESTA. VEJA:1- QUE TIPO DE TEXTO É ESSE?.......................................................................................2- PARA QUE SERVE ESSE CONVITE?.............................................................................3- QUEM É O ANIVERSARIANTE?.....................................................................................4- QUEM É O CONVIDADO?.................................................................................................................- AGORA , INVENTE AS INFORMAÇÕES QUE FALTAM E COMPLETE O CONVITE COMO SEFOSSE SEU ANIVERSÁRIO:TEXTO POÉTICO CUIDADO PORQUINHO Porquinho, porco, porcão por que vive focinhando com o focinho no chão? Porquinho, porco, porcão
  • vai ficando tão redondo que lhe passam um facão. (Maria Célia Bueno. Misturando Versos. Vigília,986)TEXTO PRÁTICO - CARDÁPIODEPOIS QUE FICARAM LIVRES DO LOBO MAU , OS PORQUINHOS RESOLVERAM MONTAR UM RESTAURANTE.VEJA OS PRATOS QUE ELES IRÃO SERVIR: QUARTA-FEIRA ALMOÇO LANCHE JANTAR*Imagine que você tenha sido convidado a criar um cardápio par um restaurante. Antes de pensar nos ARROZ CACHORRO-QUENTE SOPApratos e seus preços, você terá que escolher o tipo de estabelecimento, para poder inventar um cardápioadequado. Pode ser um restaurante vegetariano, uma lanchonete, um restaurante italiano etc.*Depois de definido o tipo de restaurante , faça uma lista das opções de pratos e bebidas que ele poderáoferecer. FEIJÃO PÉ-DE-MOLEQUE*Se quiser, faça uma pesquisa de preços para que o cardápio pareça bem real.*Crie um visual interessante, recortando figuras de pratos para ilustrar seu cardápio, e dê um nome BIFE SUCOapropriado para seu restaurante ou lanchonete. SALADATEXTO PRÁTICO – RÓTULOVEJA O RÓTULO DE UM DOS PRODUTOS QUE OS PORQUINHOS UTILIZAM NO PREPARO DASRECEITAS. _______________________ INFORMAÇÃO NUTRICIONAL 100g de milho contém: Proteínas 2,7g Gorduras 1,0g Sal 0,9g Carboidratos 13,6g Energia 74Kcal ______________________ Produzido por Peso Líquido 500g Bom Sabor S.A. Peso Líquido 500g Estrada do Milharal,1001- ESSE RÓTULO É DE QUE PRODUTO?.......................................................................2- EM QUE RECEITAS VOCÊ ACHA QUE ESSE PRODUTO PODE SERUSADO?.....................................................................................3- PODEMOS COMER ESSE PRODUTO DO JEITO QUE ELE VEM NA LATA?................4- CONTORNE NO RÓTULO, O NOME DA EMPRESA QUE ENLATA O PRODUTO.5- QUAL O PESO DO PRODUTO?................................................6- INVENTE UM NOME E AS CARACTERÍSTICAS DE UM PRODUTO ALIMENTÍCIO. FAÇA UMAPROPAGANDA , EXALTANDO SUAS QUALIDADES.
  • HISTÓRIA EM QUADRINHOSTEXTO PRÁTICO – ANÚNCIOO LOBO ESTAVA FURIOSO À PROCURA DOS TRÊS PORQUINHOS. VEJA O CARTAZ QUE ELEESPALHOU PELO BOSQUE: PROCURAM-SE BOA RECOMPENSA PARA QUEM CAPTURAR ESSES TRÊS PORQUINHOS.1- O QUE OS TRÊS PORQUINHOS TERIAM FEITO COM O LOBO PARA ESTAREM SENDOPROCURADOS ?
  • O PORQUINHO “PRÁTICO” QUANDO FOI CONSTRUIR SUA CASA , FOI ATÉ UMA LOJA DEMATERIAL DE CONSTRUÇÃO PARA COMPRAR OS MATERIAIS QUE PRECISAVA. ELE PAGOUSUA CONTA COM UM CHEQUE, VEJA: 520,00 (QUINHENTOS E VINTE REAIS)-------------------------//-------------------------------------------------------------------------------------//-----------------------------------------------------//------------------------------------------- CONSTRUÇÃO DOS SONHOS – MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO----------------//----- REINO ENCANTADO 21 AGOSTO 2007 PORQUINHO PRÁTICOO CHEQUE É USADO PELAS PESSOAS PARA PAGAR CONTAS E PARA COMPRARMERCADORIAS, EM SUBSTITUIÇÃO AO DINHEIRO. ELE TAMBÉM É UTILIZADO PARARETIRAR DINHEIRO DO BANCO.* OBSERVANDO O CHEQUE DO PORQUINHO RESPONDA:1- NOME DO BANCO:---------------------------------------------------------------------2- NÚMERO DO CHEQUE:---------------------------------------------------------------3- CIDADE ONDE O CHEQUE FOI USADO:------------------------------------------------------------4- NOME DO ESTABELECIMENTO QUE RECEBEU O CHEQUE:----------------------------------5- VALOR DO CHEQUE:------------------------------------------------------6- NOME DA PESSOA QUE ASSINOU O CHEQUE:--------------------------------------------------7- A ASSINATURA DO CHEQUE SERVE PARA: ( ) DEVOLVER O CHEQUE EM CASO DE PERDA ( ) GARANTIR QUE SÓ O DONO USE O DINHEIRO DA CONTA BANCÁRIA ( ) IDENTIFICAR DE QUEM É O CHEQUE8-A QUANTIA NO CHEUQE É ESCRITA: ( ) COM LAGARISMOS ( ) COM PALAVRAS ( ) COM ALGARISMOS E COM PALAVRAS9- IMAGINE QUE VOCÊ FEZ UMA COMPRA E VAI PAGAR USANDO UM CHEQUE, PREENCHA-O: Emitente __________________________ ____________________ _ Endereço ___________________ _________________ __________________________ _ C.G.G.- CPF - RG
  • APÓS PAGAR A CONTA COM SEU CHEQUE, O PORQUINHO “ PRÁTICO” PEDIU UM RECIBODO PAGAMENTO PARA MOSTRAR À SUA MÃE. VEJA: RECIBO Para maior clareza firm_o____ o presenteAGORA QUE VOCÊ JÁ LEU O RECIBO QUE O PORQUINHO RECEBEU , PREENCHA UM RECIBO,COMO SE VOCÊ TIVESSE EFETUADO A VENDA DE ALGUM BRINQUEDO. RECIBO Para maior clareza firm_______ o presenteO PORQUINHO “ HEITOR” FEZ SUA CASA DE MADEIRA. MAS ELA DESABOU, ENTÃO ELERESOLVEU ESCREVER UMA CARTA PARA O COMERCIANTE QUE LHE VENDEU A MADEIRA.
  • Cidade dos Encantos, 21 de agosto de 2007Ao Senhor Fred FlinstonesPrezado senhor,Comprei neste estabelecimento comercial Cons-trução dos Sonhos , no dia 18 de agosto de 2007. Assim que construi a casa o lobo a derrubou. Desta forma, solicito a troca das madeiras ou a devolução do dinheiro gasto na compra dessa mercadoria , pois afinal o sopro do lobo não foi tão forte assim! Esperando contar com o respeito que o consu- midor merece, aguardo resposta pelo telefone 5525- 0101 ou no Reino Encantado. Porquinho Heitor
  • A borboleta e a tartaruga Liliana Iacocca Era uma manhã ensolarada e a velha tartaruga, que vivia na lagoa hámais de cem anos, saiu para tomar sol. Procurou um cantinho na margem, se ajeitou vagarosamente e ládecidiu ficar no maior sossego. Naquela mesma hora, uma borboleta, que tinha acabado de nascer,apareceu por lá, batendo apressadamente as asas. Toda agitada, olhando para tudo quanto é lado, sem saber por ondecomeçar. — O que será aquilo? — pensou a borboleta quando viu a tartaruga. E imediatamente pousou sobre ela. — Pronto! Eu sabia que este meu sossego não ia durar! — reclamou atartaruga. — Xô! Xô! Vai incomodar outra! Se você não consegue ficar umminuto parada, deixa em paz quem quer ficar tranqüila no canto dela! — Mas quem é você? — perguntou a borboleta. Não está vendo que eu sou uma tartaruga? — Que horror! — gritou a borboleta. — Fui pousar logo em cima dobicho mais parado que existe no mundo. Que horror! E foi embora do jeito que tinha chegado. — Que bicho irritante! — pensou a borboleta. — Eu não sei comoalguém pode ficar a vida toda parada com tanta coisa para se ver. — Que bicho irritante! — pensou a tartaruga. — eu não entendo comoalguém pode se mexer o tempo todo, sem ter um pingo de sossego. E enquanto a borboleta voava, a tartaruga encolheu a cabeça e ficouonde estava. — Que linda flor! Como é bonita aquela amarela! E a vermelhatambém! Você é uma árvore? Bom dia, passarinho! Vou correr atrás daabelha... Olha eu no espelho da lagoa!... — Para que sair daqui se o calor do sol está tão gostoso? — pensou atartaruga. E assim o dia foi passando, e a tartaruga no canto dela pensava: — Nada melhor do que uma boa dormida depois de um dia longo comoeste.
  • — Nossa! Já está anoitecendo e eu não vi quase nada! — pensou aborboleta. — Como o dia foi curto! Quando a noite chegou, a tartaruga decidiu ficar onde estava mesmo esó voltar para a lagoa no dia seguinte. E a borboleta, surpreendida pelaescuridão, procurou um lugar para ficar. — Vou pousar nesta pedrinha — pensou a borboleta, e pousou sobre atartaruga. — Que ventinho gostoso! — pensou a tartaruga quando sentiu aborboleta sobre ela. E fechou os olhos. Que pedra quentinha! — pensou a borboleta e dormiu. Naquela noite, a borboleta sonhou que era tartaruga e a tartarugasonhou que era borboleta. A borboleta e a tartaruga. são Paulo, Ática, 1999.1) Numere a 2ª coluna de acordo com a 1ª, relacionando as falas daspersonagens.( 1 ) Borboleta( 2 ) Tartaruga( ) — O que será aquilo?( ) — Que horror!( ) — Pronto! Eu sabia que este meu sossego não ia durar!( ) — Que linda flor!( ) — Que ventinho gostoso!2) Numere de 1 a 5 os acontecimentos de acordo com a ordem do texto.( ) A borboleta voou admirando a natureza enquanto a tartaruga ficavaquieta no seu canto.( ) Uma borboleta nova, agitada, pousou na tartaruga.( ) À noite, a borboleta pousou sobre a tartaruga e a sentiu quentinha e atartaruga gostou do ventinho suave de suas asas.( ) Uma velha tartaruga que vivia na lagoa, procurou um cantinho namargem e ficou no maior sossego.( ) A tartaruga e a borboleta brigaram, uma reclamando da outra.3) Marque com um (X) as características da TARTARUGA.( ) nova ( ) agitada( ) lenta ( ) velha( ) sossegada ( ) esperta4) Lendo o texto pode-se observar a duração (tempo) em que a históriaacontece. Marque a resposta certa.a) A história acontece em:( ) uma semana( ) um dia
  • ( ) um mêsb) Copie do texto expressões que podem comprovar a resposta acima.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________5) Você se considera mais parecido com a borboleta ou com a tartaruga?Explique sua resposta.______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________8) É possível seres diferentes como a tartaruga e a borboleta, viverem juntose se entenderem bem? Explique.______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________9) Retire do texto:a) Três substantivos comuns que nomeiam seres.________________________________________________________________________b) Dois substantivos comuns que nomeiam um período de tempo.________________________________________________________________________c) Um verbo:1ª conjugação: ____________________________2ª conjugação: ____________________________3ª conjugação: ____________________________
  • O inventor e os meninos Um dia Santos Dumont voava tranqüilo sem eu balão dirigível, sobre a cidade de Paris. Uma multidão aplaudia o inventor. De repente, o balão partiu-se ao meio e começou a murchar. Aconteceria um terrível desastre? Gritos de horror se ouviam por toda parte. Muitas pessoas começaram a correr meio desorientadas, como se não soubessem o quefazer. Fugir ou procurar socorrer o aeronauta? Socorrer como? Seria possível... Nessa hora o balão se achava bem por cima de um campo,em cujo rumo Santos Dumontconseguiria conduzi-lo. O aeronauta viu alguns meninos empinando papagaios. Sem perder acalma, ele esperou que as pontas da corda tocassem o chão e gritou com toda a força para osmeninos, que já o olhavam espantados. - Segurem a corda principal! Corram contra o vento! Façam como se este balão fosse umpapagaio de papel! Os pequenos eram ativos. Fizeram no mesmo instante o que era preciso. O balão,arrastando contra o vento, foi caindo devagar. Algumas crianças tinham salvado da morte o grande inventor brasileiro! Renato Seneca Fleury. Santos Dumont. São Paulo, Ed Melhoramentos, s.d. Compreensão do texto:1) Assinale a alternativa correta:a) As pessoas corriam e gritavam. ( ) de alegria ( ) de satisfação ( ) de horrorb) O balão dirigível:
  • ( ) fazia evoluções ( ) partira-se ( ) voava altoc) O dirigível sobrevoava:( ) um estádio ( ) um campo de futebol ( ) uma casad) Santos Dumont pediu ajuda.( ) aos expectadores ( ) a polícia ( ) aos meninos2) Faça a correspondência :Nessa hora o balão se achava bem por cima do campo.Nessa hora os __________________________________bem por cima do campo.3) Em que tempo está o verbo sublinhado?a) Ele esperou que as pontas da corda tocassem o chão.b) OS meninos olhavam espantados.c) Aconteceria um terrível desastre.4) Responda:a) Qual é o assunto principal do texto?b) Quem dirigia o balão?c) Como foi salvo o grande inventor? O passeio a Santos Sra. Leonardo Dupré Sábado chegou. Um sábado cheio de sol, canto de pássaros nas árvores e alegria. A cestade almoço estava pronta desde a véspera. E que delícia. Vovó tinha feito bolos, frangos assados,sanduíches de queijo com bastante manteiga e mais coisas ainda. Vera e Lucia nem dormirambem de sexta para sábado; seus pensamentos se dividiam entre o mar e a cesta de almoço – nãosabiam qual seria melhor. Mal chegou o dia e já todos estavam de pé, preparando-se para partir; na frente ia papaicom as duas meninas e mamãe. Atrás iam vovó, vovô e Brasa; Brasa estava contentíssima. O automóvel foi correndo pela estrada afora, de vez em quando um dizia: - Olhe as árvores roxas. Que beleza! E outro falava: - Que linda manhã! Vai ser um ótimo dia! Quando foram chegando à praia, Vera e Lúcia ficaram de pé no automóvel para avistarlogo o mar; quando viram aquele mundo de água azul que parecia mesmo não ter fim, ficaramolhando espantadas. Depois Lúcia disse: - Nossa! Como é grande este mar! Interpretação do texto:1) Responda:a) Em que dia foi o passeio a Santos?
  • b) Como estava o dia?c) Quantos personagens são citados no texto?d) Em que Vera e Lúcia dormiram pensando?e) O que vovó havia preparado para a merenda?2) Destaque do texto uma frase que demonstre que eles estavam apreciando a paisagem3) Compete: a) O texto demonstra que as crianças não conheciam o _______________________ b) Santos fica no litoral de _________________________________ Um gato de nome Faro-Fino deu de fazer tal destroço na rataria duma casa velha que os sobreviventes, sem ânimo de sair das tocas, estavam a ponto de morrer de fome. Tornando-se muito sério o caso, resolveram reunir-se em assembleia para o estudo da questão. Aguardaram para isso certa noite em que Faro-Fino andava aos mios pelo telhado, fazendo sonetos à lua. ––Acho, disse um deles, que o meio de nos defendermos de Faro- Fino é lhe atarmos um guizo ao pescoço. Assim que ele se aproxime, o guizo o denuncia e pomo-nos ao fresco a tempo. Palmas e bravos saudaram a luminosa ideia. O projeto foi aprovado com delírio. Só votou contra um rato casmurro, que pediu a palavra e disse: ––Está tudo muito direito. Mas quem vai amarrar o guizo no pescoço de Faro-Fino? Silêncio geral. Um desculpou-se por não saber dar nó. Outro, porque não era tolo. Todos, porque não tinham coragem. E a assembleia dissolveu-se no meio de geral consternação. (Monteiro Lobato) 1) Todo texto é produzido com uma intenção: expressar um ponto de vista, apresentar informações sobre um assunto qualquer, etc.. Nessa perspectiva, o assunto principal do texto em estudo é: ( ) A esperteza; ( ) Uma casa velha; ( ) Um gato poeta; ( ) O medo. 2) Pelo modo como se aborda o assunto, pode-se dizer quanto à tipologia textual que o texto “Assembleia dos Ratos” é certamente: ( ) Uma fábula; ( ) Uma crônica;
  • ( )Um conto; ( )Um artigo;3) Adjetivo é uma palavra que caracteriza, qualifica os seres. O adjetivo,entre os citados abaixo, que caracteriza o rato que discordou da “luminosaideia” é:( ) Inteligente;( ) Bravo;( ) Casmurro;( ) Animado;( ) Malvado. 4) Na frase “Silêncio geral” (último parágrafo), a expressão destacada foi empregada no sentido de:( ) Apresentar um fato real, acontecido entre animais;( ) Os ratos caíram na realidade e ficaram frustrados;( ) Os ratos mantiveram-se em silêncio para ouvir o rato casmurro falar;( ) Os problemas difíceis não têm solução;( ) Toda reunião (assembleia) exige silêncio geral.5. Observe a expressão “...deu de fazer tal destroço na rataria...” (primeiroparágrafo). O item que serve de sinônimo para a palavra destacada é:( ) Versos;( ) Rataria;( ) Roubalheira;( ) Destruição;( ) Sineta.6) As sílabas da palavra “destroço” e “silêncio” estão corretamenteseparadas em:( ) Des-tro-ço; si-lê-ncio;( ) Des-tro-ço; si-lên-cio;( ) De-str-oço; si-lê-ncio;( ) Des-troç-o; si-lên-ci-o;( ) Des-tro-ço; si-lê-nc-io.7) A palavra “guizo” escreve-se com “z”. Qual das palavras abaixo estáescrita corretamente?( ) Avizo;( ) Atrazo;( ) Atravéz;( ) Pouzada;( ) Azia.
  • REX em “Uma tarde no museu"a) Nosegundo quadrinho, a personagem diz que não sabe se foi uma boa levar oRex ao museu. Quem é o Rex?( ) O alienígena. ( ) O soldado.( ) O esqueleto de dinossauro. ( ) O dinossauro.
  • b) Rex aparece chorando no último quadrinho por que: ( ) não está gostando do museu. ( ) se assustou com o esqueleto do dinossauro. ( ) achou que o esqueleto era de seu avô falecido. ( ) discutiu com os amigos e ficou aborrecido. c) A amiga de Rex diz, no terceiro quadrinho, que Rex se emociona demais em museus. A palavra sublinhada está em negrito no balão por que: ( ) Rex tinha razões para se emocionar, mas exagerou quando chorou ao ver o esqueleto de um antepassado. ( ) Rex realmente não deveria se emocionar diante de situações difíceis. ( ) Seus amigos o acham “Demais!” de legal. ( ) Rex é muito curioso. 2) Leia o trecho da reportagem abaixo:Jornal do Rio está fazendo 50 anos Ousado e investigativo o “Correio do Povo” sempre mostrou numa ling a) No trecho “ Ousado e investigativo o Correio do Povo sempre mostrou numa linguagem muito clara...” as palavras destacadas qualificam: ( )A cidade do Rio de Janeiro. ( )O leitor. ( )O jornal. ( )Os jornalistas. Agradecendo a Deus Um turista viaja para um safári na África. Durante a excursão na savana, se perde e acaba frente a frente com um leão feroz. Ao vê-lo avançando em sua direção, pede a Deus que um espírito cristão tome posse daquele leão. Nisto, ouve-se um trovão, seguido de um grande clarão no céu. O leão ajoelha-se diante do assustado turista e começa a rezar, dizendo: - Obrigado Senhor, por mais essa refeição! Fonte: Piadas e pára-choques nº1 – RDE – Revista das Estradas.
  • 3)O texto acima tem a intenção de provocar risos, é um texto humorístico. Oque torna o texto engraçado?( ) O trovão que clareia o céu tornando o leão bonzinho.( ) O desespero do turista frente a frente com o leão.( ) A forma como o leão agradece a refeição.( ) A atitude do leão ao agir como cristão.4) Leia a tirinha e responda:( ) Cebolinha estava correndo do coelhinho da Mônica.( ) O coelhinho tomou rumo diferente de Cebolinha.( ) Cebolinha achou que havia enganado o coelhinho.( ) As setas ajudaram Cebolinha a fugir do coelhinho
  • A raposa e as uvas Certa raposa esfomeada encontrou umaparreira carregadinha de lindos cachosmaduros, coisas de fazer vir água na boca. Mastão altos, que nem pulando. O matreiro bicho torceu o focinho: — Estão verdes - murmurou. — Uvasverdes, só para cachorros. E foi-se. Nisto, deu um vento e uma folha caiu. A raposa, ouvindo o barulhinho, voltoudepressa, e pôs-se a farejar.Moral da História:Quem desdenha quer comprar.Monteiro Lobato. Fábulas. São Paulo, Brasiliense, 1991.1) Responda:a) A raposa, ao pensar que as uvas estavam verdes disse que só serviriampra cachorros. Por que ela cita cães e não qualquer outro animal?________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________b) Se a raposa desdenhou das uvas dizendo não querê-las mais, por quese volta rapidamente ao ouvir um barulho de algo caindo com o vento?____________________________________________________________________________________________________________________________________________________2)Leia agora a versão da mesma fábula, só que escrita por Esopo. Observeque, embora ambas apresentem as mesmas idéias, a segunda é maisdetalhada. Compare, nas duas versões, como são apresentados: • A personagem • O local • As ações da personagem • A reação da raposa, quando percebe que as uvas estão altas; • A reação da raposa, quando cai algo da árvore; • A fala da raposa. • A moral;
  • A Raposa e as Uvas Uma Raposa, morta de fome, viu, ao passar diante de um pomar, penduradas nas grades de uma viçosa videira, alguns cachos de Uvas negras e maduras.  Ela então usou de todos os seus dotes e artifícios para pegá-las, mas como estavam fora do seu alcance, acabou se cansando em vão, e nada conseguiu.  Por fim deu meia volta e foi embora, e consolando a si mesma, meio desapontada disse:  Olhando com mais atenção, percebo agora que as Uvas estão todas estragadas, e não maduras como eu imaginei a princípio. Autor: Esopo Moral da História:  Ao não reconhecer e aceitar as próprias limitações, o vaidoso abre assim o caminho para sua infelicidade.3) Assinale X nas principais mudanças encontradas nas fábulas de Esopo edeMonteiro Lobato:( ) Esopo escreve de forma mais resumida, já Lobato procura ampliar umpouco mais as idéias da fábula;( ) O jeito de escrever de Lobato facilita compreender melhor a fábula,pois seu texto dá mais detalhes sobre a história contada;( ) Houve uma mudança de texto narrativo para texto poético;( ) Aparecem mais adjetivos na versão de Lobato que descrevem apersonagem e enriquecem o enredo;( ) Embora hajam mudanças( ) Embora hajam mudanças no jeito de contar de cada autor, os fatosnarrados continuam os mesmos.4) As fábulas sempre terminam com uma moral da história, isto é, com umensinamento. Copie do texto o parágrafo que contém a moral da fábula deEsopo:5) Qual das frases abaixo traduz a ideia principal da fábula de Esopo?Assinale a resposta correta:( ) Quem não tem, despreza o que deseja.( ) A mentira tem pernas curtas.( ) Quem não tem o que deseja, sente inveja dos outros.
  • 6) Reescreva a história de acordo com os desenhos: ____________________________________________________ ____________________________________________________ ______________________________________________ ____________________________________________________ ____________________________________________________ ______________________________________________ __________________________________________________ ____________________________________________________ ____________________________________________________ ______________________________________________ ____________________________________________________ ____________________________________________________ ______________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________ __________________________________________________
  • Resolvi botar um nome na rã. Para isso, convidei duas amigas vizinhas, dizendo que erapara um batizado. Seria de tarde. Mamãe preparou uma torta de maçã e me amarrou ocabelo com uma fita branca, enorme. Naquele tempo, as meninas usavam sempre, nasfestas, vestidos de organdi, que é um tecido fino, transparente, que espeta que é umhorror. Nos cabelos, laços enormes, brancos, também. O sapato era de verniz preto, commeias brancas. Minhas amigas chegaram vestidas do mesmo modo, acompanhadas das mães,vestidas de escuro. Aí, eu trouxe a rã para a sala. Enfeitei a caixa de celulóide com flores, para elaficar elegante. As mães, espantadas, olhavam para a rã. Explicaram que tinham entendidoque era batizado de gente. Como as mães pensaram que era batizado de gente, a rã ganhou uma medalhade prata pra pendurar no pescoço e um santinho emoldurado, acho que não era santo, eraanjo, pra pendurar em cima da cama. Mamãe, um pouco sem jeito, tentava explicar. Pensava que as mães sabiam queera brincadeira. Tentou devolver os presentes, aí eu chorei, dizendo que era de rã,ninguém tinha o direito de tirar! As senhoras foram conversar na varandinha, uma sacada pequenina. Nós fomosfazer o batizado. As duas meninas: Tereza e Glória, a empregada e a rã. Peguei a rã, esfreguei a cabeça dela com água salgada, dizendo: __ Rã, eu te batizo... Aí a Glória disse que precisava ter madrinha, padrinho e padre e que a rã tinhaque ter um nome de batismo. A rã esperneava, detestando a cerimônia. Teresa pegou um barbante e tentavaamarrar o santinho no pescoço da rã. Foi quando a rã, que parece que não queria serbatizada, escorregou da minha mão, deu vários pulos e caiu dentro do decote da donaMargarida, mãe de Teresa. Foi um berro só! – parece que as mães não gostam de rã
  • dentro do decote – pensei, espantada. Parece que a rã também não gostou do decote deDona Margarida, pulou pra fora e caiu no chão, com olhos arregaladíssimos. Fiquei danada com a rã, me atirei em cima dela, consegui pegar. Dona Margaridateve um pequeno ataque nervoso, foi preciso dar água com açúcar, bestagem de gentegrande. (...) Escolhi o nome da rã, apesar de ser o padre. Teresa ficou danada, dizendo queera a madrinha quem escolhia o nome. Aí respondi que eu era o padre e era a mãe da rã,quem escolhia o nome era a mãe e quem batizava era o padre. Escolhi um nome lindo:Aurora. Silvia Orthof1) Dê a sua opinião:a) Na sua opinião, qual é o fato mais engraçado da história? Por quê?________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________b) O que você achou da idéia da menina em preparar um batizado para o seu animal deestimação? Justifique a sua resposta.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________2) Copie do texto uma frase que mostra:a) Que a mãe da menina ajudou a filha a preparar o batizado:________________________________________________________________________________________________________________________________________________b) Que a menina preparou a rã para o batizado:________________________________________________________________________________________________________________________________________________3) Faça o que se pede:a) Pinte a afirmativa correta, de acordo com o texto: Mães e meninas estavam vestidas da mesma maneira para o batizado. Mães e meninas estavam vestidas de modos diferentes para o batizado.
  • b) Copie aqui , o trecho que comprova a afirmativa que você escolheu:________________________________________________________________________________________________________________________________________________ “Parece que as mães não gostam de rã dentro do decote”.4) Responda:a) Que atitude da dona Margarida mostra que ela não gostou da rã no seu decote?____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ “As mães pensaram que era batizado de gente...”b) Cite uma atitude das mães que comprovam essa afirmativa.____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________c) A menina disse que ela é quem deveria escolher o nome da rã por dois motivosdiferentes. Que motivos eram esses?________________________________________________________________________________________________________________________________________________d) Qual foi o nome escolhido para a rã?_______________________________________________________________________5) Complete as palavras com S ou SS: a _____ obio sal ___ inha fal ___ idade atrave ____ ava descan ___ ar se ___ enta
  • 6) Leia a piadinha. Ela esta desorganizada e sem pontuação.Reescreva bem certinho emforma de diálogo:7) Um dia a mãe de Juquinha estava se arrumando pra sair O menino chegou e disse Manhê por que você se pinta tanto Pra ficar bonita Juquinha Então por que não ficaComplete os quadros com palavra que sejam da mesma família: cidade sinal certo8) Pontue corretamente o texto: Cecília é simpática e inteligente___ Mas como falava___ Muito___ O tempo todo___ Sem parar___ Cecília___ pra resumir___ falava pelos cotovelos___ Deixava os pais tontos___ de tantas coisas que tinha pra contar e pra perguntar___ Cecília era um poço sem fundo___ ___M ãe___ você sabe da última lá da escola___ A Júlia falou pra Ana___ que contou pra Helena___ que___9) Complete as palavras com R ,RR,S ou SS,depois preencha o diagrama com aspalavras separadas em sílabas: guel___a pul _____ eira ca ___ oça pen___ão diver____ ão hon___ ado
  • 10) Continue colocando a vírgula onde for necessário. O cartunista é o profissional que faz desenhos animados tirinhas e charges. Eles costumam trabalhar em jornais revistas e na tevê. Os peixes são capazes de distinguir os sabores amargo salgado azedo e doce Se eu pudesse levaria você comigo Silmara. Quatiguá 26 de abril de 2010.MEU AMIGO ÍNDIO Chamo-me Maximiliano Couto e tenho 9 anos. Estou cursando a 3ª sériena Escola Municipal Tiradentes, que fica perto da minha casa.
  • Certo dia, numa aula de História, a professora falou sobre os índios,suas crenças e seus costumes. Ela disse que muita gente da cidadeacreditava na existência de índios numa mata que fica cerca de 1 quilômetroda escola. Disse também que não deveríamos nos aproximar da mata, porqueas informações não eram precisas e não sabíamos o que poderíamosencontrar. Fiquei pensando por vários dias se realmente existiria índios naquelamata, e, quanto mais pensava, mais aguçava minha vontade de ver um índiopessoalmente. Numa tarde, ao invés de ir para a escola, segui em direção à mata. Aochegar, deparei com uma mata fechada, o que me surpreendeu. Fiqueiparado, observando e pensando se realmente haveria alguém vivendo ali, emmeio a tantas árvores. Depois de muito observar, avistei uma pequena abertura, comecei a meaproximar e encontrei uma trilha. Relutei um pouco antes de seguir e comeceia andar por aquele estreito caminho cercado por grandes árvores e muitavegetação. Andei aproximadamente 30 minutos, até que cheguei a uma clareira.Parei ali e me assentei para descansar, olhando tudo à minha volta. Só ouviao cricrilar dos grilos e o canto de uma cigarra. Comecei a sentir medo e uma vontade grande de voltar para casa.Levantei-me para pegar novamente a trilha e sair, quando, de repente, surgiuna minha frente um indiozinho com uma lança na mão. Fui tomado de pânicoe, sem saber o que iria me acontecer, comecei a pedir-lhe:  Não faça nada comigo! Sou amigo! Não vim lhe fazer mal! Só queriaver um índio. Por favor! Minha mãe não sabe que estou aqui!  Calma! Calma! Por que você está tão assustado? Não vou lhe fazermal! Está pensando que sou índio canibal?
  •  Não, não é isso! É que nunca tinha visto um índio e não sabia comovocê ia reagir.  O que você veio fazer na mata? Qual é o seu nome?  Chamo-me Max. Vim para ver se realmente existiam índios vivendoaqui. Então é verdade mesmo!  Sim, vivemos numa pequena aldeia no centro da mata.  Como é o seu nome?  Meu nome é Cauã. Fiquei muito tempo conversando com Cauã. Queria saber tudo sobre ele enem percebi que a noite estava chegando.  Puxa! Já está escurecendo e preciso voltar para casa. E agora, comofaço para sair daqui?  Não se preocupe, vou levá-lo até a saída da mata.  Você conhece bem esta mata, não é Cauã?  Sim, vivo aqui desde que nasci, e nada nessa mata é segredo paramim. E Cauã me conduziu, até que avistei a saída.  Agora você pode ir, Max. E não volte aqui sozinho, pois é muitoperigoso!  Obrigado, Cauã. Posso chamá-lo de amigo?  Pode sim. E seja sempre um menino obediente.  Está bem, amigo, ouvirei o seu conselho. Tchau!... Solange Valadares1) Responda de acordo com o texto:a) O que o menino ficou pensando por vários dias?b) Que atitude Max tomou?c) O que ele encontrou pela frente?____d) Qual foi a reação de Max ao deparar com um índio?e) O que Max aprendeu com o índio?2) Dê a sua opinião:a) Você acha que Max agiu corretamente ao entrar na mata sozinho? Porquê?
  • ______________________________________________________________ ______________________________________ ______________________________________ ______________________________ 3) Retire do texto o que se pede: • Uma palavra som SS: ___________________ • Uma palavra som S no final: ______________ • Uma palavra com S entre vogais: __________ • Uma palavra com mais de 4 sílabas:3) Leia o texto e copie as palavras destacadas na coluna certa:Eu vi uma arara vermelhacom pitangas nas orelhas.Eu vi uma cobra jararacaengolindo uma jaca.Eu vi uma onça-pintadase coçando com a espingarda. Sérgio Caparelli. Tigres no quintal (trecho). Porto Alegre, Kuarup, 1989, p. 64 1 sílaba 2 sílabas 3 sílabas 4 sílabas
  • 4) Escreva o nome das figuras e separe as sílabas.5) Ordene as sílabas e escreva o nome dos animais.
  • 6) Um aluno do 1.º ano errou seispalavras no ditado. Descubra quaissão elas e marque.a) Reescreva as palavras que o alunoerrou sem cometer as mesmas falhas:7) Descubra a sílaba que completa as palavras abaixo. Atenção: A sílaba quevocê vai completar é a sílaba tônica da palavra e todas devem ter acentoagudo ou acento circunflexo. QUI NA RE GIO NI BUS LEO GUA RA A BO RA8) Organize as palavras do quadro nas colunas abaixo, seguindo o modelo.Lembrando do S inicial, no meio da palavra e final: escolaridade – tênis – sincero – parabéns - cosmético – sábado – masculino – pensamento – sonda – temos – sumiço - flores
  • sincero escolaridade tênis9) Marque as alternativas em que o Ç foi usada corretamente: paçoca çerveja palhaço paçiente açúcar paláçio esforço biçicleta10) Observe a tirinha e faça o que se pede:a) Escreva os nomes das coisas que as crianças pediram e pinte a sílabatônica de cada palavra:
  • O sono dos bichos O gato adora dormir, especialmente se tiver um lugar quente e confortável. Ao sol está ótimo. Se deixarem, ele pode dormir muito mais do que a gente. Ele se enrola sobre si mesmo, apóia ou esconde a cabeça, fecha os olhos e nem se importa com o que acontece ao seu redor. Mas, de vez em quando, mesmodormindo, ele mexe as pequenas orelhas, as patas, os olhos e faz barulhosesquisitos com a boca, como se estivesse sonhando e miando no meio dosonho. E não é que está sonhando mesmo! É evidente que está – sabe-se lácom o quê! (Texto adaptado da revista Ciência Hoje das Crianças)1) Onde o gato gosta de dormir?2) Como a gente sabe se o gato está sonhando?3) Retire do texto o que se pede:a) Três substantivos simples:b) Um adjetivo:4) Complete o diálogo a seguir utilizando os sinais de pontuação doretângulo abaixo:5)Agora,coloque as
  • palavras abaixo em ordem alfabética, observando que as letras iniciais nãosão iguais: felicidade – fábrica – fogueira – figo Os três porquinhos e o lobo Lalau Era uma vez um lobo que vivia sossegado na sua floresta. Chamava-se Lalau ealimentava-se de frutas, mel de abelhas e néctar de flores. É verdade que os lobos sãocarnívoros, mas Lalau era um lobo diferente. Era capaz, por exemplo, de ficar uma tarde inteiraconversando com passarinhos. Ele perguntava aos passarinhos como estava o tempo lá em cima, se fazia mais frio do queaqui embaixo, se ventava muito, essas coisas sem importância que ninguém se lembra mais deperguntar aos passarinhos. E assim corria a vida na floresta. Lalau era um lobo feliz. Também os outros animais eramfelizes, porque podiam conversar à vontade. Mas um dia chegaram os três porquinhos, gritandoalto e fazendo arruaças. Muitos bichos fugiram, assustados com tanta gritaria, mas Lalau, que era bom e paciente,ficou para receber os novos habitantes da floresta. Quando os três porquinhos viram o lobo, abriram muito os olhos e começaram a tremer demedo. -Ih, um lobo! – gritou Palhaço, que queria construir uma casa de palha. -É mesmo, um lobo – gemeu Palito, que pretendia fazer uma casa de pau. -Ora, não passa de um lobo velho – resmungou Pedrito, que pensava em fazer uma casade pedra. E, isso dizendo, jogou um tomate podre na cara de Lalau. Lalau ficou muito triste, mas, mesmo assim, ele teve paciência. Depois de limpar a cara, eleolhou bem firme para os três porquinhos e disse: -Sejam bem-vindos. Sejam bem-vindos. Pedrito fez uma careta feia e virou as costas. Ele não gostava de lobo. Mas Palhaço, queera muito atrevido, chegou perto de Lalau e puxou-lhe os bigodes. Lalau gritou de dor e umalágrima rolou pelo seu negro focinho. Encorajado pelo atrevimento de Palhaço, palito deu um nó no rabo de Lalau, que, aí sim,começou mesmo a chorar. Como eram maus os três porquinhos! Desde esse dia, Lalau passou aser um lobo triste. Muitas vezes era visto andando pela floresta, protegido pela escuridão da noite.Ele levantava o focinho, olhava para a Lua e uivava como os mais terríveis lobos da FlorestaNegra. Estava tão abatido que Aristóteles, a coruja, ficou com pena dele e reuniu o Conselho dosAnimais. Este só se reunia em ocasiões muito importantes. Reunia-se, por exemplo, quandopegava fogo na floresta, quando um bicho brigava com outro, quando chegavam os homens paraderrubar as árvores. Mas ele podia ser convocado, também, quando um dos bichos andava triste,pois a ordem naquele tempo era ser feliz. E Lalau não era feliz. -Isso não pode continuar assim – disse Aristóteles para os outros animais.
  • -É mesmo, não pode – disse Lalau com lágrimas no canto do olho. – Eu queria tanto seramigo dos porquinhos. Depois de muita discussão, os animais decidiram eleger uma comissão de representantespara conversar com os três porquinhos. Foram escolhidos três bichos honestos e pacíficos:Hércules, a tartaruga, Genoveva, a lesma e Andrômaco, o caracol. E lá foram eles em busca dos porquinhos. Hércules, a tartaruga, disse para Pedrito queLalau era um lobo calmo e bom. Genoveva, a lesma, disse que Lalau era até poeta, pois andavaescrevendo uns sonetos em homenagem ao pôr-do-sol. Andrômaco, o caracol, disse que Lalauera mesmo um artista. Tinha, na sua casa, um ateliê de pintura e uma flauta, na qual tocavapolcas e valsas vienenses. Pedrito, muito desconfiado, como sempre, disse que não podia acreditar naquilo. Mas,depois de muita conversa, os três concordaram em fazer uma visita a Lalau. E assim, vestiramsuas melhores roupas e lá foram à procura do lobo. O lobo estava numa caverna da estrada, alegre e sorridente. Pedrito falou: -Oi, Lalau, Lalá-uuu. E Lalau disse: oi. -Nós gostamos de você – gaguejou Palhaço. -É, gostamos sim. – repetiu Palito. O lobo ficou olhando meio de lado, e estendeu as suas mãos peludas para os porquinhos. -Oh, como estou feliz – disse, arregalando os dentes. – Aproximem-se, aproximem-se. Pedrito, cada vez mais desconfiado, foi se aproximando devagarinho, mas, de repente, viuque Lalau tinha nos olhos um brilho estranho e mau. -Fujam, fujam! – gritou ele para os dois irmãos. E eles fugiram, gritando sem parar. Lalau, com os dentes arregalados, foi correndo atrás.Afinal, desde que os lobos são lobos que eles gostam terrivelmente de carne de porquinhosgordos. Até hoje os animais da floresta não entenderam essa história. Aristóteles teve de reunir outra vez o Conselho dos Animais, desta vez para declarar o lobo“Inimigo Público número 1” dos animais pacíficos. -Esse lobo é um neurótico – comentou Hércules, a tartaruga, envergonhada de terparticipado da comissão de aproximação entre Lalau e os três porquinhos. -É, ele não passa de um traidor – disse Genoveva, a lesma. No meio da floresta, escondido entre as folhas, Lalau, o lobo, observava tudo. Ele olhavapara os lados com um risinho muito maldoso no canto do focinho. -Um dia eu pego esses porquinhos – dizia Lalau, mostrando os dentes – nem que tenha dederrubar o mundo inteiro. E desde então, Lalau nunca mais foi bom. (Fonte: EMEDIATO, Luiz Fernando. Os três porquinhos e o lobo Lalau. Belo Horizonte, Geração Editorial, 2008)1) O lobo Lalau vive três fases diferentes ao longo da história. Complete o quadro com oprincipal sentimento que ele tinha e o que era comum vê-lo fazendo em cada uma dessasfases. Sentimento O que ele fazia normalmente? 1º momento
  • 2º momento 3º momento2) O que fez com que Lalau se transformasse tanto ao longo da história?3) Leia o trecho e responda: Aristóteles, a coruja, reuniu o Conselho dos Animais.a) Qual era a função do Conselho dos Animais?b) Na história, por que esse conselho se reuniu?c) Que decisões ele tomou?d) Em sua opinião, a decisão tomada foi correta? Justifique.4) O que os animais da floresta não entenderam até hoje?5) Que pistas o lobo estava dando aos porquinhos que mostravam que ele não queriamais a amizade deles?6) Faça uma comparação entre essa história e a história tradicional de Os TrêsPorquinhos e escreva: Duas semelhanças Duas diferenças7) Escreva algumas características contando como eram os porquinhos desta história.Coloque nele as informações que o texto oferece sobre os seus nomes, as atitudes quecostumavam ter, o jeito de ser de cada um deles, os seus sentimentos e os seus medos.NOME CARACTERÍSTICAS8) Ordene as frases e as pontue corretamente:a) até parque Vamos o
  • ________________________________________________________________________b) sujeira tapete no Quanta________________________________________________________________________c) fazer o Não de dever consegui casa________________________________________________________________________d) você Por que não banho tomou ainda________________________________________________________________________9) Leia a piadinha e reescreva organizando a pontuação depois marque v o f de acordocom a pontuação: Duas crianças conversam eu nasci nessa casa eu nasci no hospital por quê você estava doente ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________( ) Os dois pontos foram usados para indicar a fala dos personagens.( ) A interrogação foi usada para indicar que o personagem estava admirando.( ) O travessão foi usado para indicar a fala dos personagens.( ) Os dois pontos foram usados para indicar que o personagem ia falar.10) Leia a piadinha e responda: O Juquinha estava distraído, cabeça baixa, mexendo embaixo da carteira. A professora chega perto e vê que ele está desmontando a caneta. – Que é isso, menino? E o Juquinha: – Estou tentando ver de onde saem as letrinhas! ZIRALDO. As Anedotinhas do Bichinho da Maçã. São Paulo: Melhoramentos, 1997, p.11.
  • a) Quem é o narrador da piadinha?________________________________________________________________________b) Ele participa da história? _________________________________________________c) Reescreva a piadinha como se você fosse o Juquinha e tivesse contando um fato queaconteceu com você:11) Complete as palavras com SÃO ou ZÃO: alu _____ fu _____ pe ________ deci _____ ala _____ arte ________ Amor _____ confu_____ anel ______ televi _____ parme _____ pai _____12) Complete a cruzadinha com o antônimo das palavras usando DEZ ou DES: a) ordem b) obedecer c) ativar d) animar e) fazer f) ocupado b a d e f c13) Marque a alternativa em que todas as palavras estejam escritas corretas:( ) dezembro - desatenção - desoito( ) desunião - dezesseis - desarrumado( ) desenove - desinibida - desespero( ) dezoito – desanimado - dezena( ) desistir - dezocupado - desejo14) Observe a tirinha e reescreva-a em forma de diálogo:
  • A banana Dentre todas as frutas___________________,nenhuma possuiqualidades_______________ às da banana. Basta dizer que, em valor ________________, três bananas __________________ a um bife, para se ter uma idéia dassuas___________________________________________. Nenhuma outra fruta indígena é mais procurada emtodos os_______________ do mundo. Nenhuma outra é tão_____________pelos adultos e principalmente pelas crianças. Crianças e idosos, ricos e pobres, doentes e sãos,todos podem alimentar-se deste ____________produto danatureza. Há centenas de espécies de banana, todas riquíssimas em __________________. Cruas ou assadas, fritas ou cozidas, secas ao sol, usadas em caldas, doces ou compotas, são as bananas alimento ____________________________. _______________ a pó, dão uma farinha especial, muitíssimo nutritiva, ______________________ pelos ____________ para mingaus às crianças pequeninas ou ___________________. As crianças devem sempre preferir as bananas a ___________ outra fruta. Deodato Morais (adaptação) Alimentícias – superiores – nutritivo -equivalem- extraordinárias – qualidades - mercados – apreciada – precioso – vitaminas – importantíssimo - reduzidas - recomendada – médicos – debilitados - qualquer
  • Carina mora numa chácara, na cidade de Corinto. Todas as noites ela ficava sentada na varanda a espera de um vaga-lume quesempre voa por ali. Carina fica observando com curiosidade a sua luzinha acendere apagar. Numa noite enluarada, Carina ficou na varanda escura esperando o vaga-lume a parecer. De repente ele apareceu, voando, na sua direção. Ela segurou-o eprendeu-o entre as duas mãos. Ficou ali muito tempo admirando aquela luzinha,que mais parecia um farolzinho. Carina falou: __ Oi, você é um bichinho muito interessante! Vou chamá-lo de Farolete. O vaga-lume com uma carinha de apavorado, respondeu: __ Pode me chamar de Farolete, mas por favor, não me segure mais. Gostode voar pela escuridão. Prometo que virei e voarei todas as noites na sua varanda. Carina soltou o Farolete, que saiu voando e piscando, como nunca, o seupequeno farol. Solange Valadares.1) Responda de acordo com o texto:a) Quais são os personagens do texto?
  • b) O que Carina faz todas as noites?c) Como ela fez para pegar o vaga-lume?d) O que a menina disse para o vaga-lume?e) O que o vaga-lume respondeu?2) Dê a sua opinião:a) Você concorda com a atitude da menina em prender o vaga-lume? Explique:3) Enumere os fatos de acorda com a ordem que aparecem no texto:( ) Prometeu voar todos os dias na varanda da Carina.( ) Carina colocou nome de Farolete no vaga-lume.( ) A menina ficou na varanda escura esperando o vaga-lume.( ) Carina prendeu o vaga-lume nas mãos.4) Complete o desenho com o alfabeto maiúsculo:5) Agora escreva o alfabeto minúsculo e com letra cursiva:
  • ___________________________________________ ___________________________________________ ___________________________________________ ___________________________________________6) Leia as palavras e copie-as nos lugares adequados:F _______ _______ _______ _______V _______ _______ _______ _______7) Complete as frases com uma das palavras dos quadros:a) Tirei muitas _________ do bebê. Quer ver?b) Cuidado! Essa _____________ está muito afiada.
  • c) Ufa! Ainda bem que o jogo chegou ao _____________.8) Complete as palavras com T ou D. depois copie-as:9) Forme frases com as palavras abaixo: _____________________________________________________________ VENDO _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ VENTO _____________________________________________________________10) Descubra com qual consoante você escreve seu nome preferido. Pinte ecomplete:a) Você escreveu os nomes com inicial maiúscula ou minúscula? Por quê?
  • BIDO, O SABIDO Era uma vez um lindo peixinho. Seu nome era Bido – Bido, o Sabido. Um dia, todos os peixinhos estavam nadando juntos. Os peixinhos gostam de nadarpara o mesmo lado ao mesmo tempo, e nadavam para um lado. Depois nadavam para ooutro. Mas que fez Bido, o Sabido? Quando eles vinham para cá, Bido ia para lá. Quandoiam para lá, Bido vinha para cá. Então todos os peixinhos ficaram atrapalhados! Depois os peixinhos começaram a nadar juntos, de novo. Para um lado. Para ooutro. E veio Bido, o Sabido de novo. Que foi que ele fez? Virou de cabeça para baixo efez uma careta engraçada. Todos os peixinhos começaram a rir. Bluuu – bluuu – bluuu –soltando bolhas de riso. E todos se atrapalharam de novo! Um dia, Bido viu peixinhos chorando por causa do Velho Caranguejo. Os peixinhostinham medo do Velho Caranguejo Mau. Mas Bido, não! Bido nadou por cima do VelhoCaranguejo Mau, que estava jantando. Pegou a comida do caranguejo e deu um puxão,mas o Velho Caranguejo Mau não largou a comida. Bido puxou, puxou mais e fez ocaranguejo rodar, rodar. O Velho Caranguejo ficou tonto e largou a comida. Estava tãotonto que foi rodando, rodando para longe. - Viva Bido, o Sabido! – gritaram os peixinhos – o Velho Caranguejo Mau foiembora! Um dia, Bido viu uma coisa pendurada num anzol. O anzol estava numa linha. Láfora, um pescador segurava a linha. Oba! Era gostoso o que estava naquele anzol. Bidosubiu para ver. - Bido! – gritaram os peixinhos – não chegue perto do anzol! Mas Bido era sabido. Conhecia um truque de tirar a isca do anzol. E tirou! Depoispendurou uma bota velha no anzol do pescador. O anzol subiu com o presente e ospeixinhos riram. Mas o pescador não riu, não. Foi embora zangado. (...) (Fonte: LEONARDOS, Stella. Bido, o sabido. São Paulo, Editora Tecnoprint, 1970. – adaptação)1) Responda certinho:a) O que Bido fez que deixou os peixinhos atrapalhados enquanto nadavam?b) Os peixinhos ficaram bravos quando Bido os atrapalhou a nadar de novo? Explique suaresposta.c) Por que Bido era um peixinho sabido?d) Quando Bido viu o anzol com a isca e subiu para ver, os peixinhos gritaram para elenão chegar perto do anzol. O que eles achavam que iria acontecer com Bido?e) O que era o presente que Bido colocou no anzol?c) Por que os peixinhos riram quando o anzol subiu com o presente que Bido colocou?2) Desenhe uma tirinha mostrando Bido e seu truque com o anzol.3) Preencha o quadro mostrando como Bido resolveu o problema do Velho CaranguejoMau.
  • Por que Bido foi atrás do Velho Caranguejo? O que o Velho Caranguejo estava fazendo? O que Bido fez com o caranguejo?b) Em sua opinião, o que o caranguejo fazia com os peixinhos para que eles tivessemmedo dele e o chamassem de mau?4) Amanda anotou alguns nomes de colegas da classe em um pedaço de papel paraescrevê-los em sua agenda. Como Amanda organizará esses nomes em ordemalfabética? Escreva nas linhas ao lado:5) Descubra uma palavra escondida dentro de cada palavra abaixo:6) Leia o convite abaixo e justifique o uso da letra maiúscula nos casos abaixo:
  • Renato:Meu:ClubePrimavera:Rua das Palmeiras:Pipoca:7) Complete as frases com as palavras do quadro:a) Eu não me __________________ a fazer cafuné nesse gato _________________.b) De onde eu _________________ dá pra ver o ________________ dos Ipês.c) O _________________ custou ________________, mas a bicicleta, não.
  • 8) Descubra qual é a palavra secreta e copie-a:  Tem sete letras:  Está ao lado de uma palavra com cinco letras.  Serve para comer.  É o nome de uma fruta.  Começa com vogal.  A palavra é ______________________________9) Bastante atenção no ditado:
  • A RAPOSA SEM RABO LILI ERA A RAPOSA MAIS LINDA E VAIDOSA DA FLORESTA. UM BELO DIA, CAIU NAARMADILHA DO CAÇADOR. CHOROU, DEBATEU-SE, GRITOU POR SOCORRO E FINALMENTE CONSEGUIUESCAPAR. E O RABO, ONDE FICOU? O RABO FICOU NA ARMADILHA. LILI, ENVERGONHADA, CHORAVA MUITO E FICOU MUITO TEMPO ESCONDIDA. UM DIA, TEVE UMA IDÉIA GENIAL. CHAMOU AS OUTRAS RAPOSAS PARA UMA REUNIÃO E FEZ UMA PROPOSTA: — QUERIDAS AMIGAS, CHEGUEI À CONCLUSÃO DE QUE NOSSAS CAUDAS SÓSERVEM PARA ATRAPALHAR, QUANDO FUGIMOS DOS CAÇADORES. PROPONHO QUECORTEMOS ESSAS HORRÍVEIS CAUDAS! AS RAPOSAS, MUITO MATREIRAS, DESCONFIARAM DE ALGUMA COISA E FALARAM: — ÓTIMO LILI! CORTAREMOS PRIMEIRO A SUA. VIRE-SE PARA CÁ. LILI, DESAPONTADA, VIROU-SE E. . . A GARGALHADA FOI GERAL. LILI APRENDEU A LIÇÃO E ACOSTUMOU-SE A VIVER SEM O RABO. LILI VIU QUE ABELEZA E A VAIDADE NÃO ERAM AS COISAS MAIS IMPORTANTES DE SUA VIDA. VOCABULÁRIO: LEIA O TEXTO NOVAMENTE E TENTE DESCOBRIR O SIGNIFICADO DAS EXPRESSÕESGRIFADAS: INTERPRETAÇÃO: 1) O QUE ACONTECEU COM A RAPOSA LILI QUE A DEIXOU MUITO TEMPO ENVERGONHADA E ESCONDIDA? RESPOSTA:________________________________________________________________ __________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ 2) PARA RESOLVER SEU PROBLEMA, LILI TEVE UMA IDÉIA. QUE IDÉIA FOI ESSA? O QUE ACONTECEU? RESPOSTA:________________________________________________________________ __________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ 3) QUAL SOLUÇÃO VOCÊ DARIA À RAPOSA LILI? RESPOSTA:________________________________________________________________ __________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________
  • SONHO DE MENINA MEU NOME É REGINA TENHO 8 ANOS O MEU MAIOR SONHO É SER BAILARINA IMAGINO- ME MUITO LINDA NUMA ROUPA DE BALÉ ELEGANTE, EQUILIBRANDO NA PONTINHA DO PÉ. OH! QUE GRANDE EMOÇÃO JÁ POSSO ME ENXERGAR COM OS BRAÇOS PARA O ALTO DESLIZANDO PELO PALCO FICO ALI A BAILAR FAZENDO MEU CORPO GIRAR AO SOM DE UMA CANÇÃO NUMA BELA APRESENTAÇÃO. EU POSSO CRER QUE ESTE SONHO VAI REALIZAR EU VOU SEMPRE AGRADECER A DEUS ENQUANTO EU VIVER. SOLANGE VALADARES TRABALHANDO O TEXTO1) QUAL É O TÍTULO DA POESIA?2) QUAL É O SONHO DA MENINA?3) COMO REGINA SE IMAGINA?4) O QUE REGINA IRÁ FAZER QUANDO O SEU SONHO SE REALIZAR?5) VOCÊ TEM UM SONHO? QUAL? ESCREVA COMO VOCÊ O IMAGINA.6) COPIE E REPRESENTE COM DESENHOS A ESTROFE QUE VOCÊ MAIS GOSTOU.
  • OS AMIGOSO ZERO NÃO ERA SINCEROO UM SÓ FAZIA “PUM”O DOIS DEIXAVA PRA DEPOISO TRÊS FALAVA INGLÊSO QUATRO NÃO ERA PATOO CINCO USAVA CINTOO SEIS PARECIA PORTUGUÊ(I)SO SETE JOGAVA BASQUETEO OITO VIVIA AFOITOO NOVE NÃO CONSEGUIA RIMAR.MAS TODOS JUNTOSSABIAM:SOMARDIMINUIRMULTIPLICARDIVIDIR.INVENTAVAM MUITO PROBLEMA E EQUAÇÃOE QUASE SEMPRE NENHUMA SOLUÇÃO.JOGO DE BOLAA BELA BOLAROLA:A BELA BOLA DO RAUL.BOLA AMARELA,A DA ARABELA.A DO RAUL,AZUL.ROLA A AMARELA
  • E PULA A AZUL.A BOLA É MOLE,É MOLE E ROLA.A BOLA É BELA,É BELA E PULA.É BELA, ROLA E PULA,É MOLE, AMARELA, AZUL.A DE RAUL É DE ARABELA,E A DE ARABELA É DE RAUL.O COLAR DE CAROLINACOM SEU COLAR DE CORAL,CAROLINACORRE POR ENTRE AS COLUNASDA COLINA.O CALOR DE CAROLINACOLORE O COLO DE CAL,TORNA CORA A MENINA.E O SOL, VENDO AQUELA CORDO COLAR DE CAROLINA,PÕE COROAS DE CORALNAS COLUNAS DA COLINA.
  • O PASSARINHO NO SAPÉP TEM PAPOO P TEM PÉ ?(PIU!)QUEM É ?O P NÃO PIA:O P NÃO É.O P SÓ TEM PAPOE PÉ.SERÁ O SAPO?O SAPO NÃO É.(PIU!)É O PASSARINHOQUE FEZ SEU NINHONO SAPÉ.PIO COM PAPO.PIO COM PÉ.PIU-PIU-PIU:PASSARINHO.PASSARINHONO SAPÉ.OU ISTO OU AQUILOOU SE TEM CHUVA E NÃO SE TEM SOL,OU SE TEM SOL E NÃO SE TEM CHUVA!OU SE CALÇA A LUVA E NÃO PÕE O ANEL,OU SE PÕE O ANEL E NÃO SE CALÇA A LUVA!QUEM SOBE NOS ARES NÃO FICA NO CHÃO,QUEM FICA NO CHÃO NÃO SOBE NOS ARES.É UMA GRANDE PENA QUE NÃO SE POSSAESTAR AO MESMO TEMPO NOS DOIS LUGARES!
  • OU GUARDO O DINHEIRO E NÃO COMPRO O DOCE,OU COMPRO O DOCE E GASTO O DINHEIRO.OU ISTO OU AQUILO: OU ISTO OU AQUILO…E VIVO ESCOLHENDO O DIA INTEIRO!NÃO SEI SE BRINCO, NÃO SEI SE ESTUDO,SE SAIO CORRENDO OU FICO TRANQÜILO.MAS NÃO CONSEGUI ENTENDER AINDAQUAL É MELHOR: SE É ISTO OU AQUILO.A CHÁCARA DO CHICO BOLACHANA CHÁCARA DO CHICO BOLACHAO QUE SE PROCURANUNCA SE ACHA!QUANDO CHOVE MUITO,O CHICO BRINCA DE BARCO,PORQUE A CHÁCARA VIRA CHARCO.QUANDO NÃO CHOVE NADA,CHICO TRABALHA COM A ENXADAE LOGO SE MACHUCAE FICA DE MÃO INCHADA.POR ISSO, COM O CHICO BOLACHA,O QUE SE PROCURANUNCA SE ACHA.DIZEM QUE A CHÁCARA DO CHICOSÓ TEM MESMO CHUCHUE UM CACHORRINHO COXOQUE SE CHAMA CAXAMBU.OUTRAS COISAS, NINGUEM PROCURA,PORQUE NADA ACHA.COITADO DO CHICO BOLACHA!
  • POEMA COM PENAFIZ UM POEMAE NÃO SEI SE VALE A PENAPOEMAR.É UM POEMA COM PENAPENA DO CÉUPENA DA TERRAPENA DO MAR.NÃO TEM MAIS PENA DE ÍNDIOPORQUE ÍNDIO JÁ NÃO SE ACHA EM NENHUM LUGAR.MAS AINDA TEMPENA DA ARARA AZULPENA DA GALINHA SEM CABEÇAPENA DO PATO PATETA.TEM TANTA PENAPENA ATÉ DE TRAVESSEIRO.SÓ NÃO TEM PENA NENHUMA DO BURROPORQUE BURRO NÃO TEM PENA.
  • ÔNIBUSLOGO NA ESQUINADESCEU O PRIMEIRO.SEGUIU O MOTORISTAMAIS QUATRO PASSAGEIROS.DESCEU O SEGUNDONO PONTO SEGUINTE.LEVOU UM SUSTO:A RUA ESTAVA DIFERENTE.DESCEU O TERCEIRONA CASA DE RAIMUNDOQUE CARREGA NO NOMETANTA RAIVA DO MUNDO.O QUARTO DESCEUEM FRENTE À ESTÁTUA.CAIU-LHE SOBRE A CABEÇAUMA ESPADA DE PRATA.DESCEU O ÚLTIMOTRANQÜILO NA CALÇADA,QUERIA SENTIR O VENTO,PASSEAR E MAIS NADA.FICOU SÓ O MOTORISTANENHUM PASSAGEIRO.AGORA SIM –UFA!—PODIA IR AO BANHEIRO.
  • O CORVO E A RAPOSAO SENHOR CORVO ESTAVA EMPOLEIRADO NUM GALHO DE ÁRVORE, COM UM PEDAÇODE QUEIJO NO BICO.COMADRE RAPOSA APROXIMOU-SE, ATRAÍDA PELO CHEIRO. E CUMPRIMENTOUALEGREMENTE O CORVO:- BOM DIA, MESTRE CORVO! COMO VOCÊ ESTÁ BONITO! ACHO QUE NUNCA VI AVE MAISBELA. FRANCAMENTE, SE A SUA VOZ É TÃO FORMOSA COMO A SUA PLUMAGEM, VOCÊ ÉO REI DOS PÁSSAROS.OUVINDO ESSES ELOGIOS, O CORVO QUASE ESTOUROU DE SATISFAÇÃO. E QUERENDOMOSTRAR QUE NEM MESMO UMA BELA VOZ LHE FALTAVA, ABRIU O BICO PARA CANTAR.O QUEIJO CAIU E MAIS QUE DEPRESSA A RAPOSA APANHOU-O. ANTES DE IR SABOREARO PETISCO, DISSE:- CARO COMPADRE, APRENDA QUE TODO BAJULADOR VIVE DE QUEM O ESCUTA. ACHOQUE ESTA LIÇÃO VALE BEM UM PEDAÇO DE QUEIJO.O MACACO E A ONÇAO MACACO ANDOU FAZENDO POUCO CASO DA ONÇA.- VOU DAR CABO DESSE DANADO, PENSOU A ONÇA, POR CONTA!E FEZ CORRER O BOATO DE QUE HAVIA MORRIDO. O MACACO FICOU LOUCO PARA VERA DEFUNTA. MAS COMO SEMPRE, ESTAVA DESCONFIADO:- HUM! ESTA MORTE NÃO ME CHEIRA BEM…;FOI CHEGANDO À CASA DA ONÇA E VIU OS PARENTES DELA CHORANDO. BEM A SALVO,PENDURADO NUM GALHO DE ÁRVORE, INDAGOU:- A FALECIDA JÁ ESPIRROU?- POR QUÊ? PERGUNTARAM OS PARENTES.- ORA, QUEM MORRE SEMPRE DÁ O ÚLTIMO ESPIRRO…, COMENTOU ELE, MATREIRO.A ONÇA OUVIU TUDO. FINGIA-SE DE MORTA PARA AGARRAR O MACACO. E, CAINDO NACONVERSA DELE, TRATOU DE ESPIRRAR:- ATCHIM!- ESTÁ VIVA, MAROTA! ONDE JÁ SE VIU DEFUNTO ESPIRRAR?A ONÇA LEVANTOU-SE FURIOSA, E O MACACO CONTINUOU A DIZER-SE MAIS ESPERTODO QUE ELA.
  • VERMELHOA COR DO MEU BATUQUETEM O TOQUE, TEM O SOMDA MINHA VOZVERMELHO, VERMELHAÇO,VERMELHUSCO, VERMELHANTE, VERMELHÃOO VELHO COMUNISTASE ALIANÇOUAO RUBRO DO RUBORDO MEU AMORO BRILHO DO MEU CANTO,TEM O TOM E A EXPRESSÃODA MINHA CORVERMELHO, VERMELHAÇO…MEU CORAÇÃO É VERMELHODE VERMELHO VIVE O CORAÇÃOE Ô, E ÔTUDO É GARANTIDOAPÓS A ROSA VERMELHARTUDO É GARANTIDOAPÓS O SOL VERMELHECERVERMELHOU NO CURRALA IDEOLOGIA DO FOLCLOREVERMELHOU BISVERMELHOU A PAIXÃOO FOGO DE ARTIFÍCIO DAVITÓRIA VERMELHOU.
  • O GIRASSOLSEMPRE QUE O SOLPINTA DE ANILTODO O CÉUO GIRASSOLFICA UM GENTILCARROSSEL.O GIRASSOL É O CARROSSEL DAS ABELHAS.PRETAS E VERMELHASALI FICAM ELASBRINCANDO, FEDELHASNAS PÉTALAS AMARELAS.- VAMOS BINCAR DE CARROSSEL, PESSOAL?- “RODA, RODA, CARROSSELRODA, RODA, RODADORVAI RODANDO, DANDO MELVAI RODANDO, DANDO FLOR.”- MARIMBONDO NÃO PODE IR QUE É BICHO MAU!- BESOURO É MUITO PESADO!- BORBOLETA TEM QUE FINGIR DE BORBOLETA NA ENTRADA!- DONA CIGARRA FICA TOCANDO SEU REALEJO!- “RODA, RODA, CARROSSEL- GIRA, GIRA, GIRASSOL- REDONDINHO COMO O SOL.”E O GIRASSOL VAI GIRANDO DIA AFORA…O GIRASOL É O CARROSSEL DAS ABELHAS.
  • O RELÓGIOPASSA, TEMPO, TIC-TACTIC-TAC, PASSA, HORACHEGA LOGO, TIC-TACTIC-TAC, E VAI-TE EMBORAPASSA,TEMPOBEM DEPRESSANÃO ATRASANÃO DEMORAQUE JÁ ESTOUMUITO CANSADOJÁ PERDITODA A ALEGRIADE FAZERMEU TIC-TACDIA E NOITENOITE E DIATIC-TACTIC-TACTIC-TAC…
  • A PORTAEU SOU FEITA DE MADEIRAMADEIRA, MATÉRIA MORTAMAS NÃO HÁ COISA NO MUNDOMAIS VIVA DO QUE UMA PORTA.EU ABRO DEVAGARINHOPRA PASSAR O MENININHOEU ABRO BEM COM CUIDADOPRA PASSAR O NAMORADOEU ABRO BEM PRAZENTEIRAPRA PASSAR A COZINHEIRAEU ABRO DE SUPETÃOPRA PASSAR O CAPITÃO.SÓ NÃO ABRO PRA ESSA GENTEQUE DIZ (A MIM BEM MEIMPORTA…)QUE SE UMA PESSOA É BURRAÉ BURRA COMO UMA PORTA.EU SOU MUITO INTELIGENTE!EU FECHO A FRENTE DA CASAFECHO A FRENTE DO QUARTELFECHO TUDO NESSE MUNDOSÓ VIVO ABERTA NO CÉU!
  • A CASAERA UMA CASAMUITO ENGRAÇADANÃO TINHA TETONÃO TINHA NADANINGUÉM PODIAENTRAR NELA NÃOPORQUE NA CASANÃO TINHA CHÃONINGUÉM PODIADORMIR NA REDEPORQUE NA CASANÃO TINHA PAREDENINGUÉM PODIAFAZER PIPIPORQUE PENICONÃO TINHA ALÍMAS ERA FEITACOM MUITO ESMERONA RUA DOS BOBOSNÚMERO ZERO. O AR (O VENTOESTOU VIVO MAS NÃO TENHOCORPOPOR ISSO É QUE EU NÃO TENHOFORMAPESO EU TAMBÉM NÃO TENHONÃO TENHO COR.QUANDO SOU FRACOME CHAMO BRISAE SE ASSOBIOISSO É COMUMQUANDO SOU FORTE
  • ME CHAMO VENTOQUANDO SOU CHEIROME CHAMO PUM! O PINGÜIMBOM DIA, PINGÜIMONDE VAI ASSIMCOM AR APRESSADO?EU NÃO SOU MALVADONÃO FIQUE ASSUSTADOCOM MEDO DE MIM.EU SÓ GOSTARIADE DAR UM TAPINHNO SEU CHAPÉU-JACAOU BEM DE LEVINHOPUXAR O RABINHODA SUA CASACA. ELEFANTINHOONDE VAIS, ELEFANTINHOCORRENDO PELO CAMINHOASSIM TÃO DESCONSOLADO?ANDAS PERDIDO, BICHINHOESPETASTE O PÉ NO ESPINHOQUE SENTES, POBRE COITADO?- ESTOU COM UM MEDO DANADOENCONTREI UM PASSARINHO!
  • O PERUGLU! GLU! GLU!ABRAM ALAS PRO PERU!O PERU FOI A PASSEIOPENSANDO QUE ERA PAVÃOTICO-TICO RIU-SE TANTOQUE MORREU DE CONGESTÃO.O PERU DANÇA DE RODANUMA RODA DE CARVÃOQUANDO ACABA FICA TONTODE QUASE CAIR NO CHÃO.O PERU SE VIU UM DIANAS ÁGUAS DO RIBEIRÃOFOI-SE OLHANDO FOI DIZENDOQUE BELEZA DE PAVÃO!GLU! GLU! GLU!ABRAM ALAS PRO PERU!AS BORBOLETASBRANCASAZUISAMARELASE PRETASBRINCAMNA LUZAS BELASBORBOLETAS.BORBOLETAS BRANCAS
  • SÃO ALEGRES E FRANCAS.BORBOLETAS AZUISGOSTAM MUITO DE LUZ.AS AMARELINHASSÃO TÃO BONITINHAS!E AS PRETAS ENTÃO…OH, QUE ESCURIDÃO! O MARIMBONDOMARIMBONDO FURIBUNDOVAI MORDENDO MEIO MUNDOCUIDADO COM O MARIMBONDOQUE ESSE BICHO MORDE FUNDO!- ETA BICHO DANADO!MARIMBONDÔDE CHOCOLATSAIA DAQUISEM ME MORDERSENÃO EU DOUUMA PAULADABEM NA CABEÇADE VOCÊ- ETA BICHO DANADO!MARIMBONDO…NEM TE LIGO!VOOU E VEIO ME ESPIAR BEM NA MINHA CARA…- ETA BICHO DANADO!
  • AS ABELHASA AAAAAAABELHA-MESTRAE AAAAAAAS ABELHINHASESTÃO TOOOOOOODAS PRONTINHASPRA IIIIIIIR PARA A FESTA.NUM ZUNE QUE ZUNELÁ VÃO PRO JARDIMBRINCAR COM A CRAVINHAVALSAR COM O JASMIM.DA ROSA PRO CRAVODO CRAVO PRA ROSADA ROSA PRO FAVOVOLTA PRO CRAVOVENHAM VER COMO DÃO MELAS ABELHINHAS DO CÉU! A FOCAQUER VER A FOCAFICAR FELIZ?É PÔR UMA BOLANO SEU NARIZ.QUER VER A FOCABATER PALMINHA?É DAR A ELAUMA SARDINHA.QUER VER A FOCAFAZER UMA BRIGA?É ESPETAR ELABEM NA BARRIGA
  • O MOSQUITOO MOSQUITO É TÃO ESQUISITO:TEM MOSQUITOPOR QUE, MOSQUITO, POR QUEEU… E VOCÊ?VOCÊ É O INSETOMAIS INDISCRETODA CRIAÇÃOTOCANDO FINOSEU VIOLINONA ESCURIDÃO.TUDO DE MAUVOCÊ REÚNEMOSQUITO PAUQUE MORDE E ZUNE.VOCÊ GOSTARIADE PASSAR O DIANUMA SERRARIA –GOSTARIA?POIS VOCÊ PARECE UMA SERRARIA! A CORUJINHACORUJINHA, CORUJINHAQUE PENINHA DE VOCÊFICA TODA ENCOLHIDINHASEMPRE OLHANDO, NÃO SEI O QUÊ.O SEU CANTO DE REPENTEFAZ A GENTE ESTREMECERCORUJINHA, POBREZINHATODO MUNDO QUE TE VÊDIZ ASSIM, AH! COITADINHA
  • QUE FEINHA QUE É VOCÊ.QUANDO A NOITE VEMCHEGANDOCHEGA O TEU AMANHECERE SE O SOL VEMDESPONTANDOVAIS VOANDO TEESCONDER.HOJE EM DIA ANDASVAIDOSAORGULHOSA COMO QUÊTODA NOITE TUA CARINHAAPARECE NA TV.CORUJINHA, COITADINHAQUE FEINHA QUE É VOCÊ! O PORQUINHOMUITO PRAZER, SOU O PORQUINHOE TE ALIMENTO TAMBÉMMEU COURO BEM TOSTADINHOQUEM É QUE NÃO SABE O SABOR QUE TEMSE VOCÊ CRESCE UM POUQUINHOO MÉRITO, EU SEI, CABE A MIM TAMBÉM.SE QUISER ME CHAMETE DAREI SALAMEE A MORTADELABRANCA, ROSA E BELANUM PÃOZINHO QUENTECONTINUANDO O ASSUNTOTE DAREI PRESUNTOE NA FEIJOADAMESMO REQUENTADA
  • AGRADO A TODA GENTE.SENDO UM PORQUINHO INFORMADOO MEU DESTINO BEM SEIDEPOIS DE ESTAR BEM TOSTADOFRITINHO OU ASSADOEU PARTIREICOM A TIA VACA DO LADOVESTIDO DE ANJINHOPRO CÉU VOAREI.DO RABO AO FOCINHOSOU TODO TOICINHOBOTA MALAGUETAEM MINHA COSTELETANUMA GORDURINHAQUE COISA MALUCAMINHA PURURUCAÉ UMA BELEZAMINHA CALABREZANO AZEITE FRITINHA. A FORMIGAAS COISAS DEVEM SER BEM GRANDESPRA FORMIGA PEQUENINAA ROSA, UM LINDO PALÁCIOE O ESPINHO, UMA ESPADA FINA.A GOTA D’ÁGUA, UM MANSO LAGOO PINGO DE CHUVA, UM MARONDE UM PAUZINHO BOIANDOÉ NAVIO A NAVEGAR.O BICO DE PÃO, O CORCOVADOO GRILO, UM RINOCERONTEUNS GRÃOS DE SAL DERRAMADOS,OVELHINHAS PELO MONTE.
  • O PEIXE ESPADAQUANDO UM PEIXE-ESPADAVÊ OUTRO PEIXE-ESPADAPENSAM QUE ELES BRIGAM?QUAL BRIGEM QUAL NADA!PODERÃO NO MÁXIMOBRINCAR DE DUELOMAS BRIGAR SÓ BRIGAMCOM O PEIXE-MARTELO.OU COM O TUBARÃO SAMBA LELÊSAMBA LELÊ ESTÁ DOENTEESTÁ COM A CABEÇA QUEBRADASAMBA LELÊ PRECISAVAÉ DE UMA BOAS PALMADASSAMBA SAMBA SAMBA OLE LÊPISA NA BARRA DA SAIA OLA LÁSAMBA SAMBA SAMBA OLE LÊPISA NA BARRA DA SAIA OLA LÁÓ MORENA BONITACOMO É QUE SE NAMORAPÕE O LENCINHO NO BOLSODEIXA A PONTINHA DE FORA
  • Ó MORENA BONITACOMO É QUE SE CASAPÕE O VÉU NA CABEÇADÁ O FORA DE CASAÓ MORENA BONITACOMO É QUE SE COZINHAPÕE A PANELA NO FOGOVAI CONVERSAR COM A VIZINHAÓ MORENA BONITAONDE É QUE VOCÊ MORAMORO NA PRAIA FORMOSADIGO ADEUS E VOU EMBORA OLÊ MULHER RENDEIRAOLÊ MULHER RENDEIRAOLÊ MULHER RENDATU ME ENSINA A FAZER RENDAQUE EU TE ENSINO A NAMORARTU ME ENSINA A FAZER RENDAQUE EU TE ENSINO A NAMORARAS MOÇAS DE VILA BELANÃO TÊM MAIS OCUPAÇÃOÉ SÓ FICAR NA JANELANAMORANDO O LAMPIÃOAS MOÇAS DE VILA BELANÃO TÊM MAIS OCUPAÇÃOÉ SÓ FICAR NA JANELANAMORANDO O LAMPIÃO
  • TEREZINHA DE JESUSTEREZINHA DE JESUSDE UMA QUEDA FOI AO CHÃOACUDIRAM TRÊS CAVALEIROSTODOS TRÊS CHAPÉU NA MÃOO PRIMEIRO FOI SEU PAIO SEGUNDO SEU IRMÃOO TERCEIRO FOI AQUELEQUE A TEREZA DEU A MÃODA LARANJA QUERO UM GOMODO LIMÃO QUERO UM PEDAÇODA MORENA MAIS BONITAQUERO UM BEIJO E UM ABRAÇO DIAS DA SEMANAOLÁ, EU ME CHAMO MINGOE BRINCO TODOS OS DOMINGOS.SOU RAIMUNDAE FAÇO GINÁSTICA TODA SEGUNDA.GOSTO DAS BRINCADEIRASE NÃO PERCO UMA TERÇA-FEIRA.EU SOU MARTAE FAÇO MÁGICA NA QUARTA!OLHA SÓ QUE PINTA!SÓ VENHO NA QUINTA!E EU QUE NÃO SOU BESTA,SÓ APAREÇO NA SEXTA.NO SÁBADO PURA DIVERSÃOE EU CANTO UMA LINDA CANÇÃO.
  • MARSUPIAIS NEM TODOS OS MAMÍFEROS CRESCEM DURANTE A GESTAÇÃO, DENTRO DE UMABARRIGA. OS MARSUPIAIS NASCEM ANTES DA HORA E ACABAM O SEUDESENVOLVIMENTO DENTRO DA BOLSA DA MÃE, ONDE SE ALIMENTAM E FICAM MAISFORTES. A AUSTRÁLIA É O GRANDE REFÚGIO DOS MARSUPIAIS – CANGURUS E COALASSÃO OS MAIS CONHECIDOS ( NAS AMÉRICAS, OS ÚNICOS MARSUPIAIS SÃO OSGAMBÁS ). O MACACOO MACACO FOI A FEIRANÃO TEVE O QUE COMPRARCOMPROU UMA CADEIRAPRA COMADRE SE SENTAR.A COMADRE SE SENTOU,A CADEIRA ESBORRACHOU.COITADA DA COMADREFOI PARAR NO CORREDOR. A LINGUAGEM DO PISCA-PISCA AO VOAR, O VAGA-LUME FÊMEA PISCA PARA AVISAR O MACHO QUE ELE PODE SEAPROXIMAR DELA PARA ACASALAR. O PISCA-PISCA TAMBÉM SERVE PARA ESPANTAROS INIMIGOS, POIS TODA VEZ QUE A LUZ PISCA, PRODUZ-SE UMA SUBSTÂNCIA TÓXICANO CORPO DO VAGA-LUME. COMO MUITOS VAGA-LUMES TÊM TOXINA EM SEU CORPO, ELES SÃO PRESASPOUCO SABOROSAS. O SINAL LUMINOSO SERVE PARA AVISAR AO PREDADOR QUEAQUELA COMIDA NÃO É DAS MELHORES.
  • FUTEBOL NA GARAGEM Hoje é dia do Vi ficar vigiando. - Você já sabe né Vi? Se ele estiver chegando, avisa pra gente! - Tá legal! Todo dia tinha esse ritual no futebol da garagem. E tinha até escala de olheiro. Segunda era o Vi, terça era o Lê, quarta era o Beto, quinta era o Juninho, sexta era o Vando e sábado, Rodrigo e Henrique, porque eram gêmeos. Domingo não precisava, porque todo mundo saía de casa. Jogar futebol na garagem do prédio era um verdadeiro sacrifício. Imagina que, às vezes, na hora daquele gol suado, quando o artilheiro ia completar, vinha o aviso. - Pára! Pára! Corre, gente! Lá vem ele! E era aquele corre-corre: esconde a bola; a bola é minha; eu sei cara, depois te dou, o negócio agora é sumir com a bola. Não sei se eles suavam mais no aquecimento ou na fuga. - Naturalmente vocês já sacaram quem era ele, não é? Isso mesmo! Era o síndico do prédio. Toda reunião era a mesma coisa. É proibido jogar bola na garagem. 1º motivo: suja as paredes. 2º motivo: estraga os carros. 3º motivo: não pode e pronto!!! A meninada se reunia atrás da janela da portaria, espreitando, para ouviras “proibições da noite”. Reunião de condomínio era sinônimo de proibição. Para dizer a verdade,havia sempre decepção. Nada de bom para as crianças, só: NÃO! NÃO!NÃO! Restava a elas o contra-ataque: Jogar futebol na corda-bamba, levando susto com cada barulho de carroou descida de elevador. Será fusível? Santuza abras Editora Lê, Belo Horizonte.
  • ESTUDO DO TEXTOVocabulárioritual-no texto, conjunto de regras, costume, praxeolheiro- vigia, observadorsacrifício- no texto, tem o sentido de sofrimento, dificuldadesíndico- pessoa escolhida pelos moradores para cuidar daadministração do prédioespreitando- espiando, observandocondomínio- o que pertence a duas ou mais pessoas juntamente;no texto, reunião de condomínio quer dizer reunião entre o sindicoe os moradores do prédiodecepção- surpresa desagradável, desilusão1- Copie as frases substituindo as palavras destacadas por seusinônimo.a) Ele era o olheiro.b) Ele ficava espreitando.2- Forme frases com as palavras.a) síndico-condomínio b) reunião-decepcionouc) gol- contra-ataque d) jogo- ritual3- Copie a frase que tem o mesmo significado da do quadro. Ganhar o jogo foi um sacrifício• Ganhar o jogo foi um ritual.• Ganhar o jogo foi uma dificuldade.• Ganhar o jogo foi maravilhoso.Interpretação e participação1- Responda.a) Onde os meninos gostavam de jogar futebol?b) Por que durante o jogo os meninos escalavam um olheiro?c) por que jogar futebol na garagem tornava-se um sacrifício?d) onde você costuma brincar?2- Estes são os vigias do futebol na garagem.Agora faça um quadro com todos os dias da semana e osvigias escalados.
  • dia da semanavigia escaladosegunda-feiraVi3- Copie e complete.Domingo não tinha escala de olheiros porque ▪.4- Escreva os três motivos pelos quais o síndico proibia o jogode bola na garagem.
  • O boto Ninho nasceu forte e corado. Como todos os bebês, mamava com muito apetite. Emvolta, os botos discutiam com quem ele se parecia. Enquanto havia dúvidas sobre isso, todosconcordavam num ponto: - O boto ninho tem uma expressão muito triste. Por que será? Ele somente se acalmou no colo da mamãe. Um cardume de tucunaré ficou olhando e depois aplaudiu aquele lindo espetáculo. O boto Ninho havia nascido com a expressão triste porque sabia dos perigos que teria deenfrentar. O homem se instalara na região, com firme propósito de explorar os botos, ou matá-lose aproveitar partes do seu corpo como amuletos (a lenda diz que seus olhos e dentes dão sorte),ou ainda como atração turística em outras regiões. Esta história foi escrita por Arnaldo Niskier e faz parte do livro O boto e o raio de sol, da Editores Melhoramentos. Vocabulário: corado: que tem cor. apetite: vontade de comer. expressão: fisionomia. tucunarés: peixes da região amazônica. instalara: alojara. explorar: pesquisar, estudar. amuletos: objetos a que se atribuem poder mágico; talismã. Você quer saber? a) Escreva no caderno as palavras do texto que você não entendeu. Consulte um dicionáriopara saber o significado delas. B0 existem várias lendas sobre o boto na Amazônia. Uma delas conta que, ao anoitecer, oboto se transforma em um homem muito bonito e vai aos bailes para dançar com as moças dolugar. É comum as mulheres se apaixonarem por ele. Mas o namoro dura pouco porque o rapazvolta à água dos rios e se transforma em boto novamente, desaparecendo com a madrugada. Você leu... Você participa!1- Escreva o que se pede do texto:a) Título b) Autor c) Livro do qual fazparte.2- Copie e responda:a) Como nasceu o boto?b) Em que ele se assemelhava aos bebês?c) Por que o boto Ninho nasceu com a expressão triste?
  • d) Para que o homem se instalou na região dos botos?COMENTANDO:1- Muitos animais estão em extinção devido à matança desenfreada feita pelo homem. Vocêconcorda com isso? Por quê?2- Você acha certo o homem matar animais apenas para aproveitar parte de seus corpos comoamuletos? Por quê?3- O que você diria para as pessoas que têm como esporte caçar animais? O GALO CISCADOR Chico não gostava de viver preso, obrigado a comer milho e ração.E certo dia...Descobriu! Podia ciscar. Ciscar? É, escavava e afofava a terra, com as unhas, à procura de outros alimentos. Aranhas, besouros, minhocas, grilos, joaninhas, pulgões, lesmas, lacraias, lagartas, raízes, sementes, brotinhos e tudo mais que encontrava. Logo ficou sabendo, eram deliciosos. No princípio todos estranharam o cisca-cisca do Chico. Teve muitobate-boca e muito bate-bico. Mas, aos poucos, foram aprendendo a ciscar egostando muito. Virou moda. Era todo mundo lá cisca, cisca, cisca, cisca. O dono do galinheiro não gostou. Eta, homem ranzinza, sempre resmungando. Implicou com o Chico e com todos os seus amigos... - Este galinheiro é meu. Berrava o homem ranzinza, sempre brigando. E berrava ranzinza, ranzinza, ranzinza, ran... - Este galinheiro é meu. Berrava ranzinza, brigão, resmungão, até que proibiu tudo. Esta historia foi escrita por Túlio Bulcão e faz parte do livro O galo ciscador, da Editora do Brasil. VOCABULÁRIO: ração: porção de alimento par uma refeição. escavava: tirava a terra. ranzinza: aborrecido, mal-humorado. rmplicou: irritou-se. Você sabia? a) Escreva no caderno as palavras do texto que você não entendeu. Consulte um dicionário para saber o significado delas. b) Dizem que as aranhas são capazes de prever as mudanças de tempo. Para verificar isso, observe com cuidado as teias que as aranhas tecem. Quando vai chover, a aranha geralmente não se mexe. Mas se vai fazer tempo bom, ela arruma sua teia pelo menos uma vez por dia. c) Biblioteca do escoteiro mirim, volume 1, Circulo de livro.VOCÊ LEU...VOCÊ PARTICIPA!1- Escreva no caderno o que se pede no texto:a) O título b) A personagem principal c) O nome do autor2- copie a resposta: a) De que o galo Chico não gostava? b) Qual foi a descoberta de Chico?
  • c) O dono do galinheiro gostou da nova moda? O que ele fez? LEÃO O leão é um animal carnívoro, ou seja, se alimenta de carne. E sua preferência é zebras, veados, antílopese girafas. Vive em regiões semidesérticas da África e da Índia e em savanas. Ele pesa entre 150 e 250 quilos, tem cerca de 2 metros e meio de comprimento e 1,20 de altura, sendo queo macho, geralmente é maior. O tempo de vida de um leão é de anos. O LEÃO E O INSETO Um inseto se aproximou de um leão e disse sussurrando em seu ouvido: _Não tenho nenhum medo devocê, nem acho você mais forte que eu. Se você duvida disso, eu o desafio para uma luta, e assim, veremos quem seráo vencedor. E voando rapidamente sobre o leão, deu-lhe uma ferroada no nariz. O leão, tentando pegá-lo com as garras,apenas atingia a si mesmo, ficando assim bastante ferido. Desse modo o Inseto venceu o leão, e entoando o mais alto que podia uma canção que simbolizava sua vitóriasobre o rei dos animais, foi embora relatar seu feito para o mundo. Mas, na ânsia de voar para longe e rapidamenteespalhar a notícia, acabou preso numa teia de aranha. Então se lamentou dizendo: _Ai de mim, eu que sou capaz de vencer a maior das feras, fui vencido por uma simples aranha. Autor: EsopoMoral da História:O menor dos nossos inimigos é frequentemente o mais perigoso. ARANHA A aranha é um aracnídeo que vive no mundo inteiro, menos na Antártica. Ela vive entre 4 e 6 anos, exceto a caranguejeira que pode viver até os 25 anos. As aranhas se alimentam de insetos e algumas espécies caçam filhotes de ratos e pássaros, lagartos esapos. As caranguejeiras pesam 15 gramas e as maiores, como a theraphosa, podem ter cerca de 80 gramas emedem entre meio e 4 centímetros de corpo.
  • O leão e o ratinho Um leão, cansado de tanto caçar, dormia espichado debaixo da sombra boa de uma árvore. Vieramuns ratinhos passear em cima dele e ele acordou. Todos conseguiram fugir, menos um, que o leão prendeudebaixo da pata. Tanto o ratinho pediu e implorou que o leão desistiu de esmagá-lo e deixou que fosse embora. Algum tempo depois o leão ficou preso na rede de uns caçadores. Não conseguindo se soltar, fazia afloresta inteira tremer com seus urros de raiva. Nisso apareceu o ratinho, e com seus dentes afiados roeu ascordas e soltou o leão. Moral: Uma boa ação ganha outra. (In: Fábulas de Esopo) O lobo e o cordeiro __ Por que você suja a água que bebo? – assim falava, com voz forte erouca um lobo feroz. E falava para um cordeirinho, que tranquilamente bebia água no riacho. __ Mas, Senhor Lobo, o senhor está acima do lugar onde me encontro. Como posso estarsujando sua água? Veja! A água corre de cima para baixo. __ Eu sei,mas você não devia me responder. Afinal, sou mais forte que você. Dizendo isso, o lobo avançou sobre o cordeirinho que saiu em disparada.1 – Complete certo:a) O título do texto é: _______________________________________________b) Seus personagens são: ____________________________________________c) Os fatos narrados no texto aconteceram perto de _____________________2 – Responda:a) O lobo focou bravo com o cordeirinho. O que ele falou?______________________________________________________________________________________b) O lobo tinha razão ao dizer isso? Explique sua resposta:____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________3 – Numere os fatos na sequência do texto:( ) O lobo retruca “Eu sou mais forte”.( ) O cordeirinho responde.( ) O lobo pergunta.( ) O cordeirinho foge.4 – Depois da resposta dada pelo cordeiro o lobo só retrucou? Justifique:_______________________________________________________________________________________5 – De acordo com o texto, assinale as características adequadas a cada personagem:
  • ( ) manso ( ) bondoso( ) feroz ( ) humilde( ) desonesto ( ) manso( ) bondoso ( ) rápido( ) esperto ( ) feroz( ) calmo ( ) desonesto1 – Os personagens da tirinha são:( ) Cascão, Pinóquio e o rio.( ) Cascão e Pinóquio.( ) Pinóquio e Cebolinha.2 – O cenário da história é:( ) Uma praça.( ) Uma cidade.( ) Às margens de um rio.3 – Responda:a) Qual foi o pedido que Cascão fez a Pinóquio?_________________________________________________________________b) Por que motivo ele faz esse pedido?_________________________________________________________________4 – Escreva a característica de cada personagem que é mostrada no texto:
  • A Vida das Abelhas é Doce Mesmo Uma colherada de mel faz a gente pensar: quem fabricou essa delícia? É quase impossível acreditar que não foi nenhuma fábrica moderna,cheia de gente e máquinas. Mas que fez foi um outro tipo de operários: asabelhas. Para essas operárias não existe greve, nem patrão. Elas trabalhampela sua comunidade, que é a colméia. Para produzir o mel, uma abelha precisa de flor. Para uma abelha, voarentre as flores de um jardim deve ser tão gostoso quanto uma criançaentrar numa loja de doces. O que ela faz no jardim? Ela colhe o pólen (um pozinho amarelo) e onéctar, um líquido bem docinho e leva para a colméia. Lá, tudo isso setransforma em alimento. Puro ou na forma de mel. Toda colméia tem uma abelha-rainha. Uma rainha que não tem coroanem trono. Tem muito trabalho, ela chega a botar mais de dois mil ovos pordia! Uma abelha vive 45 dias e, nesse período, ela faz tudo! Assim, nas colméias, encontramos abelhas com muitas profissões:faxineiras, babás, soldado, pedreiro,... Tem até abelha ventilador, ela agitasuas asas para deixar bem fresquinho o interior da colméia. As abelhas estão cheias de números pares: duas antenas (que servemde nariz), duas mandíbulas, quatro asas e seis patas. Seu mel é muito apreciado pelos homens e também por outras abelhas,camundongos e, em certos países, até pelos ursos! Mas não são úteis só porque fabricam o mel; quando passam pelasflores, elas levam o pólen de uma parte para outra, ajudando para quesurjam mais flores e frutos. Os homens, que não são bobos nem nada, descobriram que podiam criarabelhas e fazem isso há mais de 4 mil anos. Eles gostam tanto do resultado, que um dos momentos mais felizes desuas vidas elas chamam de “lua-de-mel”. Ivan L.Rotiundo In terp re ta ç ã o d e te x to 1) Qual o nome do texto e do seu autor? 2) O que a abelha usa para fazer o mel? 3) Qual é o nome dado às comunidades de abelhas? 4) Escreva as várias profissões das abelhas nas colméias. 5) Além do homem, quem mais gosta de mel?
  • A Roupa Nova do Rei Há muito tempo viveu um imperador que gostava tanto, mas tanto, de se vestir bem quetodo dinheiro dele ia embora com roupa nova.(…) Na grande cidade onde ele morava, havia muitas coisas interessantes acontecendo e tododia chegava visita importante. Um dia, apareceram dois vigaristas. Os dois espalharam pelacidade que eram tecelões e que sabiam fabricar os tecidos mais lindos do mundo. Tecidos comcores e estampas maravilhosas. E com um detalhe: as roupas feitas com os tecidos que elesfabricavam eram invisíveis para as pessoas que não soubessem trabalhar direito ou que fossemmuito burras.“Essas roupas, pelo jeito, são o máximo”, pensou o imperador. “Se eu usasse essas roupas iapoder descobrir quem não trabalha direito no meu reino e saber quem é burro e quem éinteligente. É, vou mandar tecer o tal pano imediatamente.” E deu um montão de dinheiro aos doisvigaristas para que eles fossem começando o trabalho. Os dois vigaristas armaram seus teares e fingiram que estavam trabalhando. Nos tearesnão tinha nenhum fiapo. Nada. Eles passavam o tempo todo mandando buscar a seda maisluxuosa e o fio de ouro mais deslumbrante, só que guardavam tudo em suas bolsas e ficavam atétarde da noite trabalhando nos teares vazios. “Ah! Como eu queria saber de que jeito está ficando o famoso tecido”, pensava oimperador. Vou mandar o meu velho ministro que é tão direito ao ateliê dos tecelões”, pensou oimperador. Ele é a pessoa mais indicada para ver como é esse pano, pois é inteligente eninguém faz seu trabalho melhor que ele.” Assim, o velho ministro de quem o imperador gostava tanto foi até a sala onde os doistecelões estavam sentados trabalhando na frente dos teares vazios. “Oh, meu Deus!” - pensou ele, arregalando os olhos. “Não consigo ver nada!” Mas nãoabriu a boca. Os dois tecelões convidaram o ministro a chegar mais perto e quiseram saber se ele nãoachava que o estampado estava lindo e as cores um encanto e apontaram para o tear vazio. Opobre velho ministro arregalou ainda mais os olhos, mas não conseguiu ver coisa alguma, poisnão havia nada para ver. “Puxa vida!, pensou. “ Será que sou burro? Nunca achei que era burro. Preciso dar um jeitopara ninguém descobrir. Será que não faço meu trabalho direito? Não, não posso dizer a ninguémque não consigo ver o pano” — E então? O senhor não vai dizer nada? - disse um dos tecelões. — Ah, que coisa linda, divina! Uma absoluta maravilha! - disse o velho ministro, olhandoatentamente, através das lentes de seus óculos. — Que estampado! Que cores! É, não há dúvida,vou dizer ao imperador que o tecido tem minha total aprovação. Todos na cidade só falavam no esplêndido pano. Até que um dia o imperador resolveu ir,pessoalmente, dar uma olhada no tecido ainda no tear. “Que droga é essa?, pensou o imperador. “ Não estou vendo nada! Isso é terrível! Souburro? Não sirvo para imperador? Mas isso seria a coisa mais pavorosa que poderia acontecercomigo!” Depois disse: — Ah, que lindo! Os senhores têm minha imperial aprovação! - E balançava a cabeçasatisfeito, olhando o tear vazio. Imagine se ele ia dizer que não estava vendo nada! Os nobres que acompanhavam oimperador fizeram muita força, mas exatamente como os outros, não conseguiram ver nada;mesmo assim, exatamente como o imperador, disseram:
  • — Ah! Que lindo! - e deram a idéia ao imperador de inaugurar aquelas roupas esplêndidasno grande desfile do dia seguinte. — É lindo, magnífico, sensacional. No dia seguinte, o imperador, acompanhado pelas pessoas mais importantes de sua corte,foi à sala do tear. Cada um dos tecelões levantou um braço, como se estivesse segurandoalguma coisa, e disse: — Pronto! Aqui está a calça. Aqui está a casaca. Aqui está a túnica. E assim por diante. —Leves como gaze. Vossa majestade vai ter a impressão de que não tem nada sobre o corpo, masaí é que está a beleza da coisa! — É - disseram os cortesãos, sem conseguir ver nada. Lógico! Não havia nada para ver! — Será que Vossa Alteza Imperial poderia ter a bondade de tirar a roupa? — disseram ostecelões. __ Para que a gente possa ajudar Vossa Alteza a vestir as novas aqui na frente doespelho! O imperador tirou a roupa toda e os tecelões fazendo a maior cena: fingiam que estavamentregando a ele uma por uma as peças de roupa que todos achavam que eles tinham feito e oimperador se virava e se contorcia na frente do espelho. Os valetes a serviço do imperador roçaram as mãos pelo chão como se estivessemrecolhendo a borda do manto. Depois foram andando com as mãos erguidas, pois não queriam dejeito nenhum que os outros percebessem que não estavam conseguindo ver nada. O imperador desfilava debaixo do lindo dossel e nas ruas e janelas todos diziam: — Vejam! Que beleza a roupa nova do imperador! Que cauda mais bonita tem sua túnica!Que caimento! Ninguém via nada, mas ninguém queria que os outros percebessem. Claro! Só não viam osmuito burros ou os que não faziam seus trabalhos direito. Nunca uma roupa do imperador feztanto sucesso quanto aquela. — Mas ele está sem nada! - disse uma criança pequena. — Nossa, ouçam o que disse esta inocente! — disse o pai da criança. E as pessoas começaram a repetir umas para as outras as palavras da criança até que opovo inteiro começou a gritar: — Mas ele está sem nada! O imperador sentiu o sangue gelar, pois percebeu que todo mundo tinha razão, maspensou consigo: “Agora preciso continuar até o fim do desfile”. E os valetes iam andando atrás, carregando uma cauda que simplesmente não existia. ANDERSEN, H. C. Histórias Maravilhosas de Andersen. São Paulo: Companhia daLetras, 1995. p.p. 15-20.Responda: 1. Retire do texto uma passagem que comprove quando essa história aconteceu. 2. Quem é o protagonista dessa história, ou seja, quem é a personagem principal? a. Onde essa história se passou? Copie do texto o trecho que responde a essa pergunta. 3. Qual era a principal preocupação do imperador?4. Releia este trecho:“Um dia apareceram dois vigaristas. Os dois espalharam pela cidade que eram tecelões eque sabiam fabricar os tecidos mais lindos do mundo.” a) O que são pessoas vigaristas? b) O que faz um tecelão? b. Qual era a promessa dos vigaristas?
  • c. Como os vigaristas faziam para enganar as pessoas?5. Complete a frase de acordo com o texto. Todos começam realmente a acreditar que o tecido é invisível quando6. Releia: “Que droga é essa? - pensou o imperador. “ Não estou vendo nada! Isso é terrível!Sou burro? Não sirvo para imperador? Mas isso seria a coisa mais pavorosa que poderiaacontecer comigo!” Nesse momento, o imperador sentiu: ( ) alegria ( ) admiração ( ) raiva e preocupação7. Apesar de tudo, por que o imperador aprova o tecido?8. O que você achou da atitude do imperador ao aprovar o tecido? Justifique a sua opinião.9- As pessoas que elogiavam a roupa do imperador, mesmo sem vê-la, podem ser descritascomo sendo:( ) falsas. ( ) honestas. ( ) competentes.10 . Releia: “O imperador sentiu o sangue gelar, pois percebeu que todo mundo tinha razão, maspensou consigo: ‘Agora preciso continuar até o fim do desfile’.” Com essa atitude, o que o imperador demonstrou?
  • Diversão das Cavernas A origem dos jogos de bola de gude parece ser tão amtiga quanto a humanidade. Estudiosos de objetos da Idade da Pedra emcontraram em muitas cavernas da pré- história pequenas bolas de pedra, de argila, de castanhas silvestres, de madeira e até de um certo ossinho do pé dos carneiros, que parecem ter sido utilizadas apenas para um jogo semelhamte ao de bola de gude. Bolas de gude destes e outros materiais foram emcontradas ainda em pirâmides e outros túmulos de faraós egípcios e entre ímdios americanos. O jogo foi muito popular em Roma, desde antes da Era Cristã, e na Europa durante a Idade Média, como na cidade de Nuremberge, na Alemanha, onde havia até uma área reservada apenas para o jogo de bola de gude. Existem registros de jogos de bolas de gude tanbém na China, onde eram jogados com o pé, e na Pérsia (atual Irã), omde até hoje se usam bolas de barro cozido. Nos Estados Unidos, existem campeonatos nacionais de bolas de gude desde 1.922 e a partir de 1.948, as meninas também puderam entrar na disputa. (Fonte: Revista Zá, Ano 1 / no 1)b) Escreva as palavras que você grifou e ao lado faça a correção. Em caso de dúvida, use odicionário. PARA QUEM É O PRESENTE? Os avós saíram de viagem. Sua ausência duraria aproximadamente dois meses, poisvisitariam na Itália seus parentes, os quais não viam há 20 anos. Mas antes de viajar, a vovódeixou um presente. Não disse para quem era, mas, no pacote, havia um cartãozinho em queela havia escrito quem era o destinatário do presente. Após a partida, reuniram-se o filho, a nora, os netos e Renata, sua melhor amiga, paraler o cartão e saber de quem era esse pacote enorme e tentador. O filho leu a mensagem, e era evidente que sua mãe havia deixado o presente para ele.Todos iam saindo decepcionados, quando Renata gritou: _Um momento! Eu sabia que Sara não ia fazer isto comigo, afinal sou sua melhoramiga. E acrescentou com um sorriso de triunfo: _Escutem isto. Então leu o Cartão em voz alta, e ninguém pôde duvidar: o presente era para ela. A esta altura dos acontecimentos, todos pegaram o cartão e viram que ninguém estavamentindo. Vamos ver se vocês descobrem este mistério. O cartão era este:
  • Este presente é para meu neto não para minha neta também não penso em dá-lopara Renata minha melhor amiga não é para meu filho jamais será dado para minhanora Elisa. Sara Claro! A vovó havia esquecido de colocar os pontos onde devia, e cada um colocou-osonde quis! Por exemplo: o filho da vovó imaginou os pontos assim, quando leu o cartão: Este presente é para meu neto? Não! Para minha neta também não.Penso em dá-lo paraRenata minha, melhor amiga? Não! É para meu filho. Jamais será dado para minha noraElisa. S Proponho que ponham os sinais de pontuação (todos os que quiserem: pontos, vírgulas,ponto-e-vírgula, reticências, dois pontos, pontos de interrogação, de exclamação, etc) comoimaginaram os netos, a nora e Renata, para que recebessem o presente. 1)Colocar os pontos como imaginou a neta: 2)Colocar os pontos como Elisa imaginou. 3)Colocar os pontos como o neto imaginou: 4)Colocar os pontos como Renata imaginou: