Palestra INTA - Ferramentas WEB em cursos presenciais do Ensino Superior
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Palestra INTA - Ferramentas WEB em cursos presenciais do Ensino Superior

on

  • 2,134 views

Palestra apresentada nas Faculdades INTA (Sobral) durante o VII Encontro Pedagógico, realizado no dia 28/01/11.

Palestra apresentada nas Faculdades INTA (Sobral) durante o VII Encontro Pedagógico, realizado no dia 28/01/11.

Statistics

Views

Total Views
2,134
Views on SlideShare
2,133
Embed Views
1

Actions

Likes
2
Downloads
36
Comments
0

1 Embed 1

http://campus.dokeos.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Palestra INTA - Ferramentas WEB em cursos presenciais do Ensino Superior Palestra INTA - Ferramentas WEB em cursos presenciais do Ensino Superior Presentation Transcript

  • FACULDADES INTA VII ENCONTRO PEDAGÓGICOAS FERRAMENTAS DA WEB EM EAD NOS CURSOS PRESENCIAIS Prof. Dennys Leite Maia Sobral - CE 2011
  • O PALESTRANTE Pedagogo - Universidade Estadual do Ceará (UECE); Bolsista de iniciação científica do Grupo de Pesquisa Laboratório de Tecnologias Educacionais e Software Livre (LATES); Especialista* em Planejamento, Gestão e Implementação de Educação a Distância – Universidade Federal Fluminense (UFF); Mestrando em Educação – Universidade Estadual do Ceará (UECE); Integrante do Grupo de Pesquisa Matemática e Ensino (MAES); Professor convidado do curso de especialização em Docência em EaD - Universidade de Fortaleza (UNIFOR).
  • O PORQUÊ DESTA PALESTRA?
  • VÁRIOS SÃOS OS MOTIVOS... Pedagogia Universitária → Inovar no Ensino Superior (Cunha, 2009); É necessário adentrar numa “zona de risco” (Borba; Penteado, 2010); Novos “espaços de aula” nas universidades (Masetto, 2010); Portaria Ministerial Nº 2.253/01 → 20% da carga horária dos cursos presenciais das IES na modalidade a distância; Tecnologias digitais como recurso motivador de aprendizagem → Alunos são Nativos Digitais (Prensky, 2001); Sociedade em Rede, da Informação, do Conhecimento (Castells, 1994).
  • DESCONSTRUINDO ALGUNS MITOS “Fazer uso das EADs é ir contra qualidade de ensino” “IES que ofertam EAD não são confiáveis” “Estão inserindo a EAD aos poucos” “Estudar na EAD é mais fácil”
  • O DESENVOLVIMENTO DA EAD:DAS CORRESPONDÊNCIAS AO ENSINO ON-LINE
  • FASES DA EADA partir das formas de veiculação de conteúdo: Ensino por correspondência: Materiais didáticos enviados por correio; Telensino: Uso dos meios de comunicação de massa com a postagem de material; Ensino on-line: Computador conectado à internet e reúne os “antigos” e “novos”.
  • OBJETIVOS ALCANÇADOS COM AS DUAS PRIMEIRAS FASES – TRANSMISSÃO DE CONTEÚDO. O QUE MUDA COM A TERCEIRA FASE É A FORMA DE: ACESSO, ACESSOINTERAÇÃO E INTERATIVIDADE. INTERATIVIDADE
  • TECNOLOGIA DIGITAL Kenski (2007): “as possibilidades de uso de mídias cada vez mais interativas em educação têm alterado, e muito, a concepção do que é educação presencial e a distância” Informação → Conhecimento Via de mão dupla → Rede (teia) colaborativa
  • CÓDIGO BINÁRIO 000100100101 101010110111100101 1110100001101110
  • CRITÉRIOS PARA ESCOLHA Marinho (2010): A questão das TICs em educação é muito mais pedagógica do que tecnológica. Aspectos técnico-operacionais, burocráticos e pedagógicos. Definição da concepção de aprendizagem → prevista nos Referenciais de Qualidade para Educação Superior a Distância (Brasil, 2007).
  • CONCEPÇÕES DE APRENDIZAGEMPodem ser com base na: Teoria Comportamental (behaviorista): Estímulos e resposta → Aprender é memorizar ; Conhecimento é transmitido, é ensinado (insignare). Abordagem Pedagógica: Instrucionista (Skinner) Teoria Cognitiva (construtivista, sócio-interacionista): O que é transmitido é o conteúdo → Aprendizagem ocorre através de um processo de construção do indivíduo com o meio e seus pares. Abordagem Pedagógica: Construcionista (Papert)
  • ABORDAGENS PEDAGÓGICAS P/ EADDe acordo com Valente (2005; 2009) podem ser: Broadcast: Não há interação entre professor e aluno. Uma relação de para muitos. Virtualização da Sala de aula: Semelhante a prática na sala de aula convencional. O professor “confere” se o aluno cumpriu com as atividades. Estar junto virtual: Envolve múltiplas interações entre os sujeitos para assessorar a aprendizagem. O aluno em EaD embora esteja sozinho, não estará desacompanhado.
  • WEB CURRÍCULO: OBJETOS DE APRENDIZAGEM E WEB 2.0
  • WEB CURRÍCULO 40% da população brasileira tem acesso a internet; 86% desses usuários estão nas comunidades virtuais; 51% do usuários do Orkut são brasileiros; Alunos são Nativos e professores Imigrantes Digitais (Prensky, 2001); Web na educação ou educação na web? Almeida (2010): É o currículo que se desenvolve por meio das ferramentas da internet, integrando as tecnologias com o currículo.
  • FERRAMENTAS DA WEB 2.0 Não é “outra” internet, mas uma forma diferente de relacionar-se com e através dela; Web 2.0 → maior interatividade, colaboração e (co)autoria na rede. Surge um novo tipo de mídia → Mídias Sociais. Espaço prolífero para boas práticas educativas em EaD. Serviços da Web 2.0: Edição colaborativa de conteúdo; Ferramentas de comunicação; Redes sociais; Compartilhamento de arquivos; Vídeos; Imagens etc.
  • EDIÇÃO COLABORATIVA DE CONTEÚDO Blogue (blog) Blogger <blogger.com> Facilidade de criação e manuseio; Inserção de comentários; Wiki: PbWiki <my.pbworks.com> Está deixando de ser gratuito Wikipedia <pt.wikipedia.org> Produção colaborativa de conteúdo; Wikimapia <wikimapia.org> Mapa colaborativo e interativo.
  • COMPARTILHAMENTO DE ARQUIVOS GoogleDocs <docs.google.com>: Inclusive, criados de forma colaborativa; Textos; Planilhas Eletrônicas; Formulários. Scribd <scribd.com>: Maior parte documentos; SlideShrare <slideshare.net>: Apresentação de slides; Tanto o Scribd quanto o SlideShare permitem integração com Facebook e Twitter; Podem ser incorporado à blogues, sites e baixados (download).
  • FERRAMENTAS COMUNICAÇÃO Mensageiros Instantâneos E-buddy <ebuddy.com> Contato síncrono (chat) através de serviços como Messenger (MSN), Gtalk etc. Microblogue: Twitter <twitter.com> Divulgação de informações de forma rápida e interativa; “Msgs c/ até 140 caracteres”; Twitpic (imagens) <twitpic.com> Twitcam (vídeos) <twitcam.com>
  • REDES SOCIAIS Facebook <facebook.com>: Integração com uma diversidade de mídias sociais; Inclusive com possibilidade compartilhar e indicar (curtir) links; Orkut <orkut.com>: Criação de comunidades para fins específicos; Live Mocha <livemocha.com>: “Ambiente Virtual de Aprendizagem” para aprendizagem de idiomas.
  • VÍDEOS YouTube <youtube.com>: Os vídeos podem ser, facilmente, incorporados (embed/share) em AVAs, blogues, sites etc; TeacherTube <teachertube.com>: Vídeos “com foco” na educação.
  • IMAGENS Picasa <picasa.google.com>: Basta ter uma conta Google. Integração com o Orkut, por exemplo. Flickr <flikr.com>: Bastante popular, por ser um serviço Yahoo!
  • DIVERSAS MÍDIAS 4Shared <4shared.com>: Hospeda quase todo tipo de mídia; No caso de áudio é possível, inclusive, fazer incorporação a blogues, sites etc; DropBox <dropbox.com>: Compartilhamento de arquivos “nas nuvens”; Maior privacidade.
  • OBJETOS DE APRENDIZAGEM (OAs) De acordo com David Wiley (2000) são: [...] geralmente compreendidos como entidades digitais acessíveis via internet, significando que um número infinito de pessoas pode acessá-los e usá-los simultaneamente [...] qualquer recurso digital que pode ser reusado para apoiar a aprendizagem. Desencadeadores do processo de ensino-aprendizagem, mas cuidado para não se vislumbrar por cores e efeitos.
  • TIPOS DE OAs Animação/Simulação: Interatividade Estudo de Casos; Áudio: Portabilidade Alunos na condição de produtores; Experimento prático; Hipertexto: Texto multilinear Necessidade de manter o foco; Imagem: Recursos paralinguísticos;
  • TIPOS DE OAsMapa (Cartográfico/Conceitual): I) Representação de uma paisagem; II) Organização de ideias;Software Educativo/Educacional: I) Desenvolvido com foco na Aprendizagem (Ex.: Moodle); II) Aplicado em situações de ensino-aprendizagem (Ex.: Processador de texto); Jogos (Sloodle = Second Life + Moodle).Vídeo: Portabilidade; Atrativo; Virtualização da sala de aula; Demanda boa conexão à internet.
  • PORTAIS DE ACESSO A OBJETOS DE APRENDIZAGEM
  • TV ESCOLA TV Escola – Canal Público de TV voltado para a Educação Brasileira (MEC); Endereço: <tvescola.mec.gov.br/>; Vídeos e programas educativos de diversas áreas; Foco na Educação Básica.
  • PORTAL DO PROFESSOR Portal do Professor (MEC) Endereço: <portaldoprofessor.mec.gov.br/> Repositório de recursos educacionais digitais; planos de aula, ferramentas para interação com outros professores etc. Foco na Educação Básica e Profissional.
  • RIVED Rede Interativa Virtual de Educação (SEED/MEC) Endereço: <rived.mec.gov.br/> Repositório de Oas para o Ensino Fundamental, Médio, Profissionalizante e Superior. Os OAs da RIVED acompanham um Guia para o Professor.
  • BIOEO Banco Internacional de Objetos Educacionais (MEC eMinistério da Ciência e Tecnologia)Endereço: <objetoseducacionais2.mec.gov.br/>Repositório de OAs da Educação Infantil ao EnsinoSuperior e outras modalidades de ensino.Para o Ensino Superior, de acordo com as áreas, existem: Agrárias: 890 Sociais Aplicadas: 136 Biológicas: 1132 Engenharias: 118 Saúde: 382 Linguística, Letras e Artes: 706 Exatas e da Terra: 2168 Multidisciplinar: 51 Humanas: 711
  • DOMÍNIO PÚBLICO Biblioteca digital pública que conta com acervo de várias categorias em diversas mídias (MEC/SEED); Endereço: <www.dominiopublico.gov.br/>; Imagem, Som, Texto e Vídeo; A pesquisa pode ser feita por conteúdo; Permite acesso a Teses e Dissertações defendidas por Área do Conhecimento.
  • PORTAL CAPES (ACESSO LIVRE) Acesso a textos completos em algumas bases de dados de periódicos, além de resumos de teses e dissertações dentre outros (MEC). Endereço: <acessolivre.capes.gov.br/>; O acesso à página do Periódicos CAPES é permitida apenas por professores e estudantes de IES participantes do projeto.
  • AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM - AVAs
  • OS AVAs Ambientes de encontro no ciberespaço; Determinantes para que boas condições de aprendizagem a distância se efetivem; Nos Referenciais de Qualidade para o Ensino Superior a Distância seu uso é, “tacitamente”, obrigado; São softwares educativos pois têm uma fundamentação pedagógica; são concebidos com o propósito educativo e interação e interatividade são, talvez, as suas funções principais. Por serem albergados na web facilita os usuários pesquisem diversas fontes digitais; Caracterizados por três elementos: interatividade, hipertextualidade e conectividade (Kenski, 2007). Possuem interfaces para aluno e para professor/tutor.
  • CONHECENDO ALGUNS AVAs No portal da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) são relacionados 71 projetos de ferramentas de cursos a distância livres (free courseware). Dentre eles estão o Moodle <moodle.org>, desenvolvido pelo australiano Martin Dougiamas e o Dokeos <dokeos.com> sob a coordenação de Thomas De Praettere, que inclusive fornece uma versão Demo gratuitamente em seu site. Produzidos no Brasil: E-proinfo <eproinfo.mec.br> (MEC/SEED); Sócrates <virtual.ufc.br/socrates> (UFC); TelEduc <teleduc.nied.unicamp.br> (UNICAMP); Rooda <ead.ufrgs.br/rooda> (UFRGS); Unifor On-line <unifor.br/oul> (UNIFOR).
  • AS FERRAMENTAS DE UM AVA Ferramentas básicas: Agenda; Material de apoio; Leituras; Mural; Fóruns de discussão; Bate-papo (chat); Correio (e-mail); Perfil; Portfólio; As de comunicação podem ser Síncronas e Assíncronas.
  • FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO Síncronas: Videoconferência; Teleconferência; Chats Assíncronas: E-mail; Fórum
  • ATIVIDADES E FERRAMENTAS Bate-papo (chat): Digitação Multi-diálogo Cuidado com a "algazarra digital" Recomendado para grupos pequenos Diário de Bordo (Portfólio): Registros pessoais Autoavaliação Pouco explorado
  • ATIVIDADES E FERRAMENTAS Fórum: Bastante utilizada; Estar junto virtual; Borba, Malheiros e Zulatto (2009): O que faz o aluno de EAD ser social é sua manifestação através da escrita Aprendizagem colaborativa; Netiqueta; Glossário: Aprendizagem colaborativa; Criação de etiquetas ao longo do AVA (hipertexto); Avaliação: proatividade.
  • ATIVIDADES E FERRAMENTAS Lição: Perspectiva instrucionista; Pode ter questão do tipo: Aberta → o aluno disserta sobre determinado assunto; Fechada → consiste em respostas de múltiplas escolhas como do tipo: verdadeiro/falso, assertivas e/ou respostas múltiplas; Possibilidade de limitar quantidade de vezes e tempo Muito utilizado com Prova digital; Tarefas: Envio de arquivo ou texto on-line.
  • EXPERIÊNCIAS... AVA Dokeos AVA Moodle Blogue como AVA Produções no Scribd Apresentações no SlideShare
  • REFERÊNCIASALMEIDA, M. E. B. de (Coord.). Web currículo: web 2.0 e educação. Belo Horizonte: Anais do XV ENDIPE, 2010.BITTAR, M. A parceria Escola x Universidade na inserção da tecnologia nas aulas de Matemática: um projeto de pesquisa-ação. In: DALBEN, Â.; DINIZ, J.; LEAL, L.; SANTOS, L. (Orgs.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalhodocente: Educação Ambiental, Educação em Ciências, Educação em Espaços não-escolares, Educação Matemática. BeloHorizonte: Autêntica, 2010, p. 591-609.BORBA, M. de C.; PENTEADO, M. G. Informática e Educação Matemática. 4a. Ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.104p. - (Coleção Tendências em Educação Matemática).______________.; MALHEIROS, A. P. dos S.; ZULATTO, R. B. A. Educação a distância online. 2a. Ed. Belo Horizonte:Autêntica Editora, 2008. 160p. - (Coleção Tendências em Educação Matemática).BRASIL. Ministério da Educação – Secretaria de Especial de Educação a Distância. Referenciais de qualidade para o EnsinoSuperior a Distância. Brasília: MEC/SEED, 2007.CARVALHO, A. A. A. (Orgs). Manual de ferramentas da Web 2.0 para professores. Lisboa: DGIDC, Ministério da Educação,2008.CUNHA, M. I. da. Inovações pedagógicas: o desafio da reconfiguração de saberes na docência universitária. In: PIMENTA, S.G.; ALMEIDA, M. I. (Orgs.). Pedagogia universitária. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas, SP: Papirus, 2003. - (Série Prática Pedagógica).____________. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas, SP: Papirus, 2007 - (Coleção PapirusEducação).MARINHO, S. P. P. Redes sociais virtuais terão elas espaço na escola? In: DALBEN, Â. I. L. de F.; PEREIRA, J. E. D.; LEAL, L.de F. V.; SANTOS, L. L. de C. P. (Orgs.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. BeloHorizonte: Autêntica, 2010, p. 197-213 – (Didática e prática de ensino).MASETTO, M. T. O professor na hora da verdade: a prática docente no Ensino Superior. São Paulo: Avercamp, 2010.PRENSKY, M. Digital natives, digital immigrants. MCB University Press, Vol. 9, No. 5, 2001.VALENTE, J. A. Curso de especialização em desenvolvimento de projetos pedagógicos com uso das novas tecnologias:descrição e fundamentos. In: VALENTE, J. A.; PRADO, M. E. B. B.; ALMEIDA, M. E. B. de. (Orgs). Educação a distância viainternet. São Paulo: Avercamp, 2003. pp. 23-55._____________. Educação a distância: ampliando o leque de possibilidades pedagógicas. In: Fonte (Belo Horizonte), v. 5, p.105-113, 2009.WILEY, D. A. Conectando Objetos de Aprendizagem com a teoria de projeto instrucional: uma definição, uma metáfora euma taxonomia. s/d. 2000.
  • OBRIGADO!E-mail (Messenger): <dennysleite@hotmail.com> Gtalk (Google): <dennysleite@gmail.com> Twitter: @dennysleite Facebook: Leite Maia