Informática Educativa e atuação do Pedagogo

2,166
-1

Published on

Discussão feita na disciplina de Estágio Supervisionado nos anos iniciais do Ensino Fundamental - Profa. Larissa Santana.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,166
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Informática Educativa e atuação do Pedagogo

  1. 1. Universidade Estadual do Ceará - UECE Centro de Educação - CED Curso de PedagogiaDisciplina: Estágio Supervisionado nos anos iniciais do Ensino Fundamental - Profa. Ms. Larissa Santana Discussão: INFORMÁTICA EDUCATIVA E A ATUAÇÃO DO PEDAGOGO Prof. Ms. Dennys Leite Maia Fortaleza - CE Março/2012
  2. 2. QUAL O PORQUÊ DESSA“PALESTRA” NUMA DISCIPLINA DE ESTÁGIO??? Vejamos... 2
  3. 3. E você, quando chegar na escola...O QUE ESTARÁ APTO A PROPOR? 3
  4. 4. OBJETIVOS: Geral: ● As tecnologias digitais na formação e prática docente de pedagogos. Específicos: ● Conceitos básicos da Informática Educativa; ● Inserção das tecnologias digitais em espaços escolares e a formação docente para o uso; ● Ferramentas disponíveis para o trabalho pedagógico. 4
  5. 5. DÚVIDAS E QUESTIONAMENTOS: Como é o acesso e uso de tecnologias digitais nas escolas? Quem faz uso desses recursos? Quais recursos estão disponíveis? Qual o papel de professores e alunos? Como se planeja uma aula que explore a característica única dos recursos digitais? 5
  6. 6. PRA INÍCIO DE CONVERSA: Informática Educativa (IE) → recursos computacionais com vistas à aprendizagem discente; ● Dois modelos: – Laboratório: de Informática Educativa (LIE) / Escolar de Informática (LEI). – 1:1 → um computador por aluno / LIE itinerante Pedagogia tecnicista ≠ Tecnologia Educacional ● Técnica ≠ Tecnologia ● Técnica → Forma de uso de ferramentas ● Tecnologias (Ferramentas): – Tecnologia “analógica”→ Material dourado, giz/pincel, livro... – Tecnologia digital (TD) → PC (personal computer), netbooks, tablets, celulares... ≃ Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC). 6
  7. 7. 0001001001010010101011011100101000100100101001110100001101110 7
  8. 8. CONTEXTUALIZAÇÃO: O uso de recursos digitais nas práticas educativas contribui para o processo de ensino e de aprendizagem: ● Abordagens Instrucionista (Skinner) x Construcionista (Papert). Desde meados dos anos 1990, políticas públicas são executadas visando a inclusão digital escolar. ● PROINFO → 1 computador para cada 25 alunos (1997); ● PROUCA → 1 computador por aluno (1:1) (2010/2012) ● A ênfase se deu na inserção das máquinas nas escolas e na formação de professores em serviço. 8
  9. 9. COMO AS TECNOLOGIAS DIGITAIS ESTÃO CHEGANDO ÀSESCOLAS Laboratórios de Informática Educativa (LIE): ● Computadores providos de software livre, com conexão a internet; ● “Sala de aula” em que os alunos acessam os recursos digitais; ● Não deve fazer parte do currículo escolar como disciplina, mas como extensão da sala de aula; 9
  10. 10. COMO AS TECNOLOGIAS DIGITAIS ESTÃO CHEGANDO ÀSESCOLAS Programa Um Computador Por Aluno (PROUCA) ● Ideia da ONG One Laptop Per Child (OLPC) ● Um laptop educacional (uquinha) para cada aluno ● Projeto piloto → 300 escolas no País, sendo 10* no Ceará – 2 na capital e 8 no interior (Barreira, Crato, Iguatu, Jijoca, Quixadá, São Gonçalo do Amarante, Sobral e Maracanaú*). 10
  11. 11. DIFERENÇAS:LIE: UCA: 1 para muitos;  1:1 Imobilidade;  Mobilidade; Uso esporádico;  Uso intensivo; Conectabilidade;  Conectividade; Pouca integração de  Integração de recursos; recursos;  Implantação sistêmica. Implantação isolada. CASTRO FILHO, 2011: Palestra InfoBrasil. 11
  12. 12. ENQUANTO ISSSO... O poder público iniciou a regulamentação da formação inicial docente tardiamente. ● Parecer do CNE de 2001 → formação inicial em tecnologias digitais para licenciados; ● Resolução do CNE de 2006 → domínio pedagógico das tecnologias digitais para pedagogos. Estudo de Gatti e Barreto (2009) → baixo percentual de disciplinas tecnologias digitais nos currículos de pedagogia. Formação defendida por Cysneiros (2000) → 2 etapas: uso geral das tecnologias em educação e, depois, nas especifidades de cada área. ● Tecnologias Digitais em Educação (Informática Educativa) ● Ensino da Matemática; Português; História e Geografia... 12
  13. 13. A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O USO PEDAGÓGICODAS TECNOLOGIAS DIGITAIS – O CASO DA UECE: Eixo 8 – Tecnologias Digitais e Educação a Distância ● Tecnologias Digitais em Educação (optativa) → principal disciplina (requisito para as demais) – Apenas 11% dos estudantes chegam a cursá-la. Tecnologia digital aplicada aos ensinos: ● As ementas das disciplinas reservam espaço para este trabalho → pouco efetivado; – Alunos revelam ter contato com tecnologias digitais em disciplinas: EaD; Arte-Educação e ensinos de Matemática. – O uso sem propósitos claros e bem definidos. 13
  14. 14. RESULTADOS DA MINHA PESQUISA: O curso de Licenciatura em Pedagogia não tem cumprido, em parte, a função de proporcionar saberes necessários a docência (Informática Educativa) → Influência da mídia se faz mais presente; ● Estudantes possuem uma visão limitada do ensino de Matemática com uso de tecnologias digitais – Colocam foco no recurso (inovação, criatividade, computador e jogo); – Destacaram necessidade de formação. A destinação de espaço curricular é um avanço → mas há que se garantir a efetivação dessa formação; Sem formação inicial a escola continuará a fazer “mais do mesmo”. 14
  15. 15. Vejamos o que dizem as professoras Beth Almeida e Vani Kenski a respeito. 15 29:30min
  16. 16. MAS O QUEJUSTIFICATIVA O USO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NAMINHA PRÁTICA PEDAGÓGICA? 16
  17. 17. ALGUNS INDÍCIOS: Mesmo modelo de escola do séc. XVIII (Seymour Papert, 1994; Armando Valente, 2000); Inovação conservadora (Seymour Papert, 1994; Paulo Cysneiros, 1999) Nativos e imigrantes digitais → Alunos e professores (Marc Prensky, 2001) Não é pra aprender sobre, mas através das TD (Armando Valente, 1999) Existe função social → Aprendizagem e a inclusão digital. 17
  18. 18. POSSIBILIDADES: Vantagens tanto para o ensino (professor) quanto para a aprendizagem (aluno); Complementar situações de ensino: ● fonte de informação; ● Interação com outras pessoas – Amplia e ressignifica o “espaço de aula”, ● Integração de mídias → Tablet substitui livros??? ● Auxílio no processo de construção do conhecimento; ● Desenvolver autonomia (pensar, refletir, criar soluções) – Conteúdos atitudinais (PCN). Exemplo: Projeto “Me perdi e me achei no Brasil” - PROATIVA 18
  19. 19. É RECOMENDÁVEL QUE AS TECNOLOGIAS DIGITAIS NAEDUCAÇÃO... Estejam sempre a serviço do processo educativo; Sejam escolhidas levando em conta sua adequação ao plano de aula e não o contrário; Sejam destinadas ao ensino de um conteúdo/conceito específico; Sejam capazes de criar situações favoráveis à aprendizagem e a superação de dificuldades; Estejam adequadas aos parâmetros de qualidade pré-definidos e ao objetivos previstos. 19
  20. 20. E QUAIS SÃO E ONDE CONSEGUIR ESTES RECURSOS? 20
  21. 21. OBJETOS DE APRENDIZAGEM: Recursos digitais, disponíveis na internet, de fácil acesso; Utilizado para a aprendizagem Tipos de OA: ● Animação/Simulação ● Áudio ● Experimento prático ● Hipertexto ● Imagem ● Mapa ● Software educativo ● Vídeo 21
  22. 22. PORTAIS DE ACESSO A OBJETOS DE APRENDIZAGEM 22
  23. 23. PORTAL DO PROFESSOR Portal do Professor (MEC) Endereço: <portaldoprofessor.mec.gov.br/> Repositório de recursos educacionais digitais; planos de aula, ferramentas para interação com outros professores etc. Foco na Educação Básica e Profissional.RIVED Rede Interativa Virtual de Educação (SEED/MEC) Endereço: <rived.mec.gov.br/> Repositório de OA para o Ensino Fundamental, Médio, Profissionalizante e Superior. Os OA da RIVED acompanham um Guia para o Professor. 23
  24. 24. BIOE Banco Internacional de Objetos Educacionais (MEC e Ministério da Ciência e Tecnologia - MCT) Endereço: <objetoseducacionais2.mec.gov.br/> Repositório com OA da Educação Infantil ao Ensino Superior e outras modalidades de ensino.PROATIVA Grupo de Pesquisa e Produção de Ambientes Interativos e Objetos de Aprendizagem (Universidade Federal do Ceará) Endereço: <proativa.vdl.ufc.br/oa.php?id=0>MDMAT Mídias Digitais para a Matemática (Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS / Laboratório de Estudos Cognitivos - LEC) Endereço: <mdmat.mat.ufrgs.br/anos_iniciais/> Foco em atividades de Matemática para os anos iniciais. 24
  25. 25. WEB CURRÍCULO: WEB 2.0
  26. 26. WEB CURRÍCULO 76 mi de brasileira tem acesso a internet; ● 97% desses usuários estão nas comunidades virtuais; – 51% do usuários do Orkut são brasileiros; – 4º maior número em usuários do Facebook (em 2011 cresceu 300%); Alunos são Nativos e professores Imigrantes Digitais (Prensky, 2001); Web na educação ou educação na web? Almeida (2010): É o currículo que se desenvolve por meio das ferramentas da internet, integrando as tecnologias com o currículo.
  27. 27. FERRAMENTAS DA WEB 2.0 Não é “outra” internet, mas uma forma diferente de relacionar-se com e através dela; Web 2.0 → maior interatividade, colaboração e (co)autoria na rede. Surge um novo tipo de mídia → Mídias Sociais. Espaço prolífero para boas práticas educativas na modalidade presencial e a distância. Serviços da Web 2.0: Edição colaborativa de conteúdo; Ferramentas de comunicação; Redes sociais; Compartilhamento de arquivos; Vídeos; Imagens etc.
  28. 28. EDIÇÃO COLABORATIVA DE CONTEÚDO Blogue (blog) ● Blogger <blogger.com> – Facilidade de criação e manuseio; – Inserção de comentários; Wiki: ● PbWiki <my.pbworks.com> – Está deixando de ser gratuito ● Wikipedia <pt.wikipedia.org> – Produção colaborativa de conteúdo; ● Wikimapia <wikimapia.org> – Mapa colaborativo e interativo.
  29. 29. COMPARTILHAMENTO DE ARQUIVOS: GoogleDocs <docs.google.com>: ● Inclusive, criados de forma colaborativa; ● Textos; Planilhas Eletrônicas; Formulários. Scribd <scribd.com>: ● Maior parte documentos; SlideShrare <slideshare.net>: ● Apresentação de slides; – Tanto o Scribd quanto o SlideShare permitem integração com Facebook e Twitter; – Podem ser incorporado à blogues, sites e baixados (download).
  30. 30. FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO: Mensageiros Instantâneos ● E-buddy <ebuddy.com> – Contato síncrono (chat) através de serviços como Messenger (MSN), Gtalk etc. Microblogue: ● Twitter <twitter.com> – Divulgação de informações de forma rápida e interativa; – “Msgs c/ até 140 caracteres”; ◦ Twitpic (imagens) <twitpic.com> ◦ Twitcam (vídeos) <twitcam.com>
  31. 31. REDES SOCIAIS: Facebook <facebook.com>: ● Integração com uma diversidade de mídias sociais; ● Inclusive com possibilidade compartilhar e indicar (curtir) links; Orkut <orkut.com>: ● Criação de comunidades para fins específicos; Socrates <virtual.ufc.br/socrates>: ● Ambiente para criação e gerenciamento de projetos colaborativos e comunidades virtuais de aprendizagem
  32. 32. VÍDEOS YouTube <youtube.com>: ● Os vídeos podem ser, facilmente, incorporados (embed/share) em AVAs, blogues, sites etc; TeacherTube <teachertube.com>: ● Vídeos “com foco” na educação. TV Escola <tvescola.mec.gov.br>: ● Vídeos e programas educativos mantido pelo MEC.
  33. 33. IMAGENS Picasa <picasa.google.com>: ● Basta ter uma conta Google. ● Integração com o Orkut, por exemplo. Flickr <flikr.com>: ● Bastante popular, por ser um serviço Yahoo!
  34. 34. COMPARTILHAMENTO DE DIVERSAS MÍDIAS 4Shared <4shared.com>: ● Hospeda quase todo tipo de mídia; ● No caso de áudio é possível, inclusive, fazer incorporação a blogues, sites etc; DropBox <dropbox.com>: ● Compartilhamento de arquivos “nas nuvens”; ● Maior privacidade.
  35. 35. SOFTWARES EDUCATIVOS LIVRES (SEL) 35
  36. 36. SOFTWARES EDUCATIVOS LIVRES: Software livre é um programa de computador com código-fonte aberto. Proporcionam maior segurança e economia, além de, na maior parte das vezes, ser isento de taxas. Os laboratórios de informática educativa, bem como os “uquinhas” têm utilizado esse modelo de software. Software educativo ≠ Software educacional. 36
  37. 37. Pra concluir... Portanto, o que se requer é uma mudança profunda sobre como pensar educação. Assim, tecnologia não é a solução, é somente um instrumento. Mas embora tecnologia não produza automaticamente uma boa educação, a falta de tecnologia garante automaticamente uma má educação. Seymour Papert 37
  38. 38. FECHAMENTO DA DISCUSSÃO A formação docente deve acontecer como uma espiral que passe pela (Castro Filho, 2012): ● Familiarização; ● Vivência como aprendiz; ● Pesquisa e planejamento de atividades; ● Realização das atividades; e ● Reflexão compartilhada. Pesando nisso e no que foi discutido, registre como você pensa a efetivação desse trabalho em sua prática pedagógica. Destaque possibilidades e limitações relacionando-as com a docência nos anos iniciais do Ensino Fundamental. ● Uma a duas laudas para ser entregue no próximo encontro. 38
  39. 39. OBRIGADO!dennysleite@hotmail.com @dennysleite 39
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×