Pesquisa cultura no brasil
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Pesquisa cultura no brasil

on

  • 1,557 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,557
Views on SlideShare
1,375
Embed Views
182

Actions

Likes
0
Downloads
14
Comments
1

3 Embeds 182

http://balaiodafiletti.blogspot.com.br 88
http://balaiodafiletti.blogspot.com 85
http://balaiodafiletti.blogspot.pt 9

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Pesquisa cultura no brasil Pesquisa cultura no brasil Presentation Transcript

  • pesquisaCultura no Brasil
  • Pesquisa - Cultura no Brasil INTRODUÇÃO No senso comum a palavra cultura é usada como sinônimo de conhecimento e erudição. Porém, é um termo com várias acepções e diferentes níveis de profundidade e especificidade. O estudo “O hábito de lazer cultural do brasileiro” elaborado pelo Sistema Fecomércio- RJ – que abrange Fecomércio-RJ, Sesc Rio e Senac Rio – com base na pesquisa Perfil do consumo de cultura do brasileiro, encomendada à Ipsos Public Affairs, não pretende analisar os hábitos de cultura do brasileiro, mas os hábitos de lazer relacionados à cultura, como ler um livro, assistir a um filme no cinema, visitar exposições, ir ao teatro e a espetáculos de dança. O levantamento, de abrangência nacional, foi realizado em mil domicílios situados em 70 cidades e 9 regiões metropolitanas, e procurou compreender a visão da população sobre atividades culturais de lazer; os motivos que a levam ou não a procurar por essas atividades e a avaliação dos consumidores sobre sua participação no ambiente cultural. A apuração se deu entre os dias 23 e 30 de janeiro, com uma margem de erro de três pontos percentuais. As instituições que compõem o Sistema Fecomércio-RJ têm como missão: contribuir para a formação e desenvolvimento da cidadania, das potencialidades do ser humano e do bem estar social; criar condições para que pessoas e organizações possam viver e empreender na sociedade do conhecimento, aprimorando as atividades de comércio de bens, serviços e turismo e; promover e incentivar o crescimento empresarial, em harmonia com o desenvolvimento sustentável da sociedade.Capa - quadro de Tarsila do Amaral - Abaporu - Tarsila pintou um quadro para dar de Tarsilapresente para o escritor Oswald de Andrade, seu marido na época. Quando viu a tela, assustou-se Sendo assim, por agregar todos os objetivos acima e considerar a cultura um dose chamou seu amigo, o também escritor Raul Bopp. Ficaram olhando aquela figura estranha e principais meios de inserção social, um fator essencial para o desenvolvimento doacharam que ela representava algo de excepcional. Tarsila lembrou-se então de seu dicionário tupi- país, o Sistema Fecomércio-RJ decidiu tomar o pulso do brasileiro sobre o assunto.guarani e batizaram o quadro como Abaporu (o homem que come). Foi aí que Oswald escreveu oManifesto Antropófago e criaram o Movimento Antropofágico, com a intenção de “deglutir” acultura européia e transformá-la em algo bem brasileiro. Este Movimento, apesar de radical, foi A meta é repensar o papel da cultura numa sociedade moderna que não consideramuito importante para a arte brasileira e significou uma síntese do Movimento Modernista brasileiro, lazer cultural uma forma de entretenimento. Para isso, é preciso agregar esforços. Éque queria modernizar a nossa cultura, mas de um modo bem brasileiro. O “Abaporu” foi a tela mais fundamental uma política de parceria público-privada. Mas seria leviano transferir acara vendida até hoje no Brasil, alcançando o valor de US$1.500.00. Foi comprada pelo colecionadorargentino Eduardo Costantini. responsabilidade apenas para o governo e iniciativa privada. É necessário um esforço individual do cidadão para que em um futuro não muito distante a população brasileiraTexto retirado site oficial www.tarsiladoamaral.com.br possa ser formada por consumidores de cultura. Fecomércio-RJ - 1
  • Pesquisa - Cultura no Brasil CULTURA NO BRASIL: UMA QUESTÃO DE FALTA DE HÁBITO Mais da metade dos entrevistados (55%) não leu nenhum livro, não foi ao teatro, não visitou nenhuma exposição de arte, assistiu a um show de música ou dança ou sequer foi ao cinema em 2007. O motivo: falta de hábito ou gosto. É o que revela o estudo da Fecomércio-RJ sobre “O hábito de lazer cultural do brasileiro”, encomendada à Ipsos Public Affairs. O levantamento aponta também para uma inércia em relação à cultura, que passa necessariamente pela questão intergeracional - em geral, os pais não têm o hábito de freqüentar “ambientes culturais”, como museus, cinema ou teatro, e por isso, não estimulam os filhos . Conforme podemos perceber pela leitura das tabelas a seguir, esta análise independe do gênero, da faixa etária, da classe social, da renda ou do grau de escolaridade. Fecomércio-RJ - 2
  • Pesquisa - Cultura no Brasil Por que não leu algum livro? Fecomércio-RJ - 3
  • Pesquisa - Cultura no Brasil Por que não assistiu a alguma peça de teatro? Fecomércio-RJ - 4
  • Pesquisa - Cultura no Brasil Por que não visitou alguma exposição de arte (escultura, pintura, fotografia)? Fecomércio-RJ - 5
  • Pesquisa - Cultura no Brasil Por que não foi ao cinema? Fecomércio-RJ - 6
  • Pesquisa - Cultura no Brasil Por que não foi a algum show de música? Fecomércio-RJ - 7
  • Pesquisa - Cultura no Brasil Por que não foi a algum espetáculo de dança? Fecomércio-RJ - 8
  • Pesquisa - Cultura no Brasil UMA VISÃO D I S TO R C I D A : P O U C O É S U F I C I E N T E TO DA A opção “ler um livro” aparece no topo do ranking de preferências dentre a minoria (45%) que usufruiu de pelo menos uma das atividades culturais listadas na pesquisa. Em 2007, você.... (pergunta feita para todos os entrevistados, os que freqüentam ou não ambientes culturais) A preferência pelo livro encontra justificativa por ele estar mais ao alcance da população e ter o benefício de permitir uma ampla circulação de um mesmo produto. Show de música e cinema também são favorecidos pela pulverização, apesar do baixo número de salas de cinema num país de dimensões continentais como o Brasil. Segundo o IBGE, 89,1% dos municípios brasileiros possuem bibliotecas públicas. No caso de teatros, essa proporção é de 21,2% e no de salas de cinema, 8,7%. Não se trata, no entanto, apenas de um problema de falta de salas. A ausência de equipamentos está diretamente relacionada à indiferença da população em relação a programas como teatro ou cinema. É preciso considerar ambos os fatores: a falta de incentivos por parte do poder público e a inércia da maioria da população diante da agenda cultural. Fecomércio-RJ - 9
  • Pesquisa - Cultura no Brasil Além do baixo percentual de pessoas que consomem bens culturais, o número de livros lidos, espetáculos de teatro, dança e música assistidos, exposições de arte visitadas e filmes assistidos no cinema é ínfimo. Apesar disso, metade dos usuários avalia que o volume consumido é suficiente. Você avalia que foi um número de vezes (ou livros) suficiente? Isso reforça a análise de que, até para a pequena parcela que freqüenta ambientes culturais, o hábito ainda não é intrínseco ao seu cotidiano. Por exemplo, o leitor brasileiro e o freqüentador de cinema lê um livro e vê um filme, em média, a cada dois meses e meio. Em 2007, quantas vezes você: Fecomércio-RJ - 10
  • Pesquisa - Cultura no Brasil UMA O P Ç Ã O : N Ã O CONHEÇO , POR IS S O N Ã O GOST O IS GOSTO A pesquisa revela ainda que 24% da população não gostam de nenhuma das atividades culturais citadas. Dentre as listadas, o cinema é opção de lazer cultural preferida dos brasileiros, apesar de não ser a mais consumida. Esse cenário ilustra que o brasileiro não se aventura em atividades que não conhece – o nível de desconhecimento cultural da população é elevado – e dentro do quadro de opções o cinema é o que lhe parece mais confortável, devido à semelhança com a televisão. Por ordem de preferência, o que você mais gostaria de fazer? Além de boa parte da população abrir mão do acesso a qualquer alternativa acima, a maioria ainda demonstra sinais de que não vai sair dessa inércia em 2008 e optar por uma aproximação com a cultura. Fecomércio-RJ - 11
  • Pesquisa - Cultura no Brasil V A LO R : LO TO LO TO PA G O M U I TO P E L O M E U D E S C O N H E C I M E N TO A pesquisa sinaliza também o valor que o brasileiro acha justo pagar, em reais, por cada um dos bens culturais citados. Pelos valores sugeridos podemos observar que o consumidor acha coerente pagar pelo produto o piso ou uma média dos preços disponíveis no mercado, seja ele formal ou informal. Apesar de estar presente no consciente coletivo que o preço é o fator decisivo para a baixa presença do público nos espetáculos culturais, o levantamento apurou que esse fator muitas vezes não chega a ser cogitado. A falta de hábito ou gosto por este tipo de programa normalmente aparece como primeiro obstáculo e impede o consumidor até mesmo de pensar na viabilidade do custo. Fecomércio-RJ - 12
  • Pesquisa - Cultura no Brasil CONCLUSÃO E P R O P O S TA : TA A leitura detalhada do estudo “O hábito de lazer cultural do brasileiro” “O mostra que a falta de estímulo à cultura gerou um ciclo que perdura por gerações no país. Seja na família, no círculo de amizades ou na escola, a costumeira socialização a que estamos sujeitos, não incentiva o jovem a criar hábitos culturais como os abordados pela pesquisa. Em geral, os pais não passam para os filhos os hábitos culturais porque a maioria deles os desconhece. Na escola, a qualidade do ensino ainda deixa a desejar e a não gera a motivação necessária. Para se ter uma idéia da situação da cultura no Brasil, em 2006, apenas 4,2% dos municípios brasileiros tinham uma secretaria municipal exclusiva para a cultura, segundo o IBGE. A despesa dos municípios brasileiros na área era de 0,9% do total da receita arrecadada, o que ajuda a explicar os números de salas de teatro ou cinema no país. É preciso uma ruptura com os paradigmas, um esforço nacional de longo prazo para interromper a inércia da falta de incentivo aos hábitos de cultura. Afinal, para gostar, é preciso conhecer, e a valorização de hábitos culturais tem que começar cedo. A cultura forma uma sociedade mais consciente, compõem a identidade do cidadão, que respeita a si mesmo e ao outro tanto quanto valoriza a sua cultura. Ela é fundamental para auto-estima de um povo, para formar valores éticos e solidários em um país com manifestações culturais tão ricas como o Brasil. Fecomércio-RJ - 13