1. funcionamento veiculo parte 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

1. funcionamento veiculo parte 1

on

  • 14,326 views

 

Statistics

Views

Total Views
14,326
Views on SlideShare
14,275
Embed Views
51

Actions

Likes
4
Downloads
306
Comments
1

4 Embeds 51

https://cursosrapidosonline.com.br 27
https://www.cursosonlinecursos.com.br 13
https://cesbonline.com.br 6
https://www.xn--cursosonlinedaeducao-7yb1g.com.br 5

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

1. funcionamento veiculo parte 1 1. funcionamento veiculo parte 1 Presentation Transcript

  • FUNCIONAMENTO DO VEÍCULO PARTE 1
  • 1. VEÍCULO E SEGURANÇA
  • 1. VEÍCULO E SEGURANÇA Os veículos assumem importância na vida de cada um. Veículos bem conservados são mais econômicos e seguros.
    • Todo condutor e proprietário devem:
    • conhecer o funcionamento do veículo
    • ler o manual de instruções
    • conservar o veículo em bom estado
    • efetuar revisões periódicas
    • garantir combustível suficiente
    • ter domínio constante sobre o veículo
    • dirigir com atenção e cuidados indispensáveis à segurança
    • cuidar da existência e do bom funcionamento dos equipamentos obrigatórios
  • 2. FUNCIONA-MENTO DO VEÍCULO DE 4 RODAS
  • EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS – 4 RODAS +
    • parachoques, dianteiro e traseiro
    • protetores das rodas traseiras dos caminhões
    • espelhos retrovisores, interno e externo
    • limpador de párabrisa
    • lavador de párabrisa
    • parassol (pala interna) para o condutor
    • faróis principais dianteiros de cor branca ou amarela
    • luzes de posição dianteiras (faroletes) de cor branca ou amarela
    Os equipamentos obrigatórios existem no veículo para garantir a segurança dos seus ocupantes. São eles:
  • EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS – 4 RODAS +
    • lanternas de posição traseiras de cor vermelha
    • lanternas de freio de cor vermelha
    • lanternas indicadoras de direção
    • lanterna de marcha à ré, de cor branca
    • Retro-refletores (catadióptricos) traseiros, de cor vermelha
    • lanterna de iluminação da placa traseira, de cor branca
    • velocímetro
    • buzina
    • freios de estacionamento e de serviço...
    • pneus (condições mínimas de segurança)
  • EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS – 4 RODAS + (CONT.)
    • dispositivo de sinalização luminosa ou refletora de emergência...
    • extintor de incêndio
    • registrador instantâneo de velocidade e tempo, nos veículos....
    • cinto de segurança...
    • dispositivo destinado ao controle de ruído do motor...
    • roda sobressalente...
  • EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS – 4 RODAS + (CONT.)
    • macaco
    • chave de roda
    • chave de fenda....
    • lanternas delimitadoras e lanternas laterais nos veículos de carga....
    • cinto de segurança para árvore de transmissão....
    • encosto de cabeça...
    • dispositivos de segurança para prover melhores condições de visibilidade....
    • equipamento suplementar de retenção – air bag
  • EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS – REBOQUES E SEMIRREBOQUES
    • parachoque traseiro
    • protetores das rodas traseiras
    • lanternas de posição traseiras de cor vermelha
    • freios de estacionamento e de serviço, com comandos independentes para veículos com capacidade superior a 750 quilogramas e produzidos a partir de 1997
    • lanternas de freio, de cor vermelha
    • iluminação da placa traseira
    • lanternas delimitadoras de direção traseira, de cor âmbar ou vermelha
    • pneus que ofereçam condições mínimas de segurança
    • lanternas delimitadoras e lanternas laterais, quando suas dimensões assim o exigirem
  • 3. RESPONSA- BILIDADE COM A MANUTENÇÃO
  • RESPONSABILIDADE COM MANUTENÇÃO Não é preciso esperar que o veículo “fique doente” para levá-lo ao “médico”. É preciso fazer a manutenção preventiva : uma série de cuidados que evita que o veículo venha a apresentar problemas e tenha que ser levado a uma oficina para conserto.
    • A manutenção preventiva:
    • É mais barata
    • Garante segurança no trânsito
    • Mantém o veículo em boas condições de uso
    • Garante bom preço na hora da venda do veículo.
    Com pequenos cuidados, proprietários e condutores, podem manter o veículo em boas condições de trafegar.
  • O VEÍCULO E SEUS SISTEMAS Máquina complexa, o veículo funciona através de SISTEMAS – conjunto organizado de peças Os principais sistemas do veículo são: Motor Partida Elétrico Lubrificação Refrigeração Escapamento Alimentação Transmissão Sinalização Freios Suspensão Pneus/rodas Carroçaria
  • MOTOR Motor – máquina capaz de transformar energia térmica em energia mecânica. Para gerar energia, o combustível é queimado no interior do motor. Bloco de motor Cabeçote
  • FUNCIONAMENTO DO MOTOR A maioria dos motores funciona a quatro tempos: Admissão Descarga Combustão Compressão
  • COMPARTIMENTO DO MOTOR – VISTA LATERAL 1 2 3 4 5
  • BATERIA A bateria é um acumulador recarregável, que faz parte do sistema elétrico. Existem dois tipos: “selada” e “não selada”
    • Desligar as luzes quando o veículo não está funcionando
    • Verificar periodicamente o líquido em baterias “não seladas”
    • Por ocasião da troca, a bateria deve ser deixada no posto de venda para reciclagem
    • Evitar fazer o veículo “pegar no tranco”.
    Cuidados:
  • FARÓIS, LANTERNAS, LÂMPADAS São importantes instrumentos de comunicação do condutor com os outros usuários das vias, indicando a presença do veículo, freadas, marcha à ré, conversões.
    • Cuidados:
    • Manter as luzes sempre funcionando e substituir imediatamente as queimadas
    • Manter faróis limpos e alinhados
  • ÓLEO LUBRIFICANTE Lubrifica, refrigera e reduz atrito.
    • Cuidados:
    • Usar óleo recomendado pelo fabricante.
    • Verificar o nível e cuidar vazamentos.
    • Efetuar as trocas conforme orientação do fabricante.
    • Substituir o filtro a cada troca de óleo.
    • Procurar uma oficina quando sair fumaça preta ou azulada pelo cano de descarga.
  • INJEÇÃO ELETRÔNICA, CARBURADOR, COMBUSTÍVEL, FILTROS Combustível, filtros, carburador, injeção eletrônica são elementos que fazem parte do sistema de alimentação, que vai alimentar o veículo com combustível.
    • Vários tipos de combustível: gasolina, álcool, diesel, gás natural, biodiesel...
    • Alguns veículos funcionam com mais de um tipo de combustível: motor Flex
    • O veículo deve ser abastecido com combustível de boa qualidade.
    • Levar o veículo a uma oficina quando houver cheiro forte de combustível, quando o motor apagar, falhar ou per-der a potência.
  • CARBURADOR No carburador, pode ocorrer entupimento, por isso deve ser mantido limpo e regulado. Carburador – conjunto de peças que, nos veículos mais antigos, fazem a mistura ar + combustível para alimentar o motor.
  • INJEÇÃO ELETRÔNICA Diante de uma eventual perda de desempenho do motor ou funcionamento irregular, deve ser procurada uma oficina especializada para fazer a limpeza dos bicos injetores. Injeção eletrônica- conjunto de peças que alimenta eletronicamente o motor com combustível.
  • FILTROS Filtros – Peças que retêm as impurezas do ar e do combustível antes de chegarem ao motor. Abaixo um filtro de ar. Os filtros de ar e de combustível devem ser trocados sempre que estiverem muito sujos. As mangueiras do sistema de alimentação devem ser trocadas sempre que estiverem ressecadas, trincadas ou com folga.
  • ÁGUA PARA REFRIGERAÇÃO
    • Cuidados:
    • Verificar periodicamente o nível do líquido do reservatório.
    • Periodicamente substituir todo o líquido.
    • Não abrir a tampa do reservatório com o motor quente
    • Substituir as mangueiras quando inchadas ou ressecadas
    Existe no veículo um sistema com a finalidade de resfriar o motor. A refrigeração ou o arrefecimento pode ser a ar ou a água. SISTEMA DE ARREFECIMENTO
  • EMBREAGEM E CÂMBIO Embreagem e câmbio são elementos do sistema de transmissão. A embreagem tem a função de ligar o motor à caixa de câmbio. O câmbio é um conjunto de engrenagens que fica no interior de uma caixa que permite a troca de marchas do veículo. Pode ser manual ou automático.
  • EMBREAGEM E CÂMBIO
    • CUIDADOS:
    • Dirigir sem apoiar o pé no pedal da embreagem
    • Efetuar a troca de marchas na rotação correta
    • Manter a embreagem regulada
    • Não manter a mão sobre a alavanca do câmbio
    • Arrancar sempre em primeira marcha.
    • Procurar uma oficina toda vez que:
    • As marchas “arranharem” ao entrar ou entrarem com dificuldade
    • O pedal da embreagem trepidar ao arrancar ou precisar ser acionado com força
    • O ponto de acionamento do pedal estiver muito baixo.
  • PNEUS, RODAS E ESTEPE Os pneus são elementos importantes na aderência do veículo ao solo.
    • Calibrar os pneus conforme a orientação do fabricante, mantendo o estepe em boas condições.
    • Fazer periodicamente o balanceamento das rodas, o alinhamento da direção e o rodízio dos pneus.
    • Trocar os pneus quando os sulcos atingirem uma profundidade inferior a 1,6mm (marca TWI).
  • TROCA DE PNEU
    • Para efetuar a troca de um pneu:
    • Estacione em local seguro e plano, peça que todos desçam do veículo e coloque triângulo para sinalizar.
    • Desligue a chave de ignição, puxe o freio estacionário, engate marcha à ré ou primeira marcha e calce a roda oposta.
    • Afrouxe os parafusos da roda, girando-os em sentido anti-horário.
    • Coloque o macaco, substi- tua o pneu furado pelo es- tepe e gire os parafusos no sentido horário. Retire o macaco e, com o pneu no chão, aperte bem os parafusos.
  • FREIOS O sistema de freios é importante para garantir a segurança no trânsito.
    • Verificar periodicamente o nível do fluido de freio
    • Inspecionar pastilhas, discos, lonas e tambores
    • Fazer regulagem periódica e adequada
    • Evitar “banguelas” e freadas bruscas
    • Puxar a alavanca do freio estacionário com moderação
    Freio a disco Freio a tambor
  • FREIOS Cuidados com o sistema de freios
    • houver barulho ou trepidação nas rodas
    • o ponto de acionamento do pedal estiver muito baixo;
    • ao frear, uma das rodas trava ou quando o veículo muda a trajetória ou demora para responder ao comando da frenagem.
    Levar o veículo a uma oficina toda vez que:
  • MOLAS E AMORTECEDORES São componentes do sistema de suspensão. Devem ser trocados ao verificar que o veículo está perdendo a estabilidade e desviando a trajetória. Molas Amorte- cedor Molas são peças metálicas elásticas, em forma de espiral ou em feixes de lâminas sobrepostas que resiste ao peso do veículo e dão estabilidade. Os amortecedores são peças que amortecem as oscilações das molas.
  • SILENCIOSOS, CANOS, CATALISADOR Fazem parte do sistema de escapamento, que elimina os ruídos e os gases.
    • Verificar o estado dos componentes conforme as recomendações do fabricante.
    • Não permanecer em ambientes fechados com o veículo em funcionamento.
    Catalisador
  • LIMPADORES DE PARABRISA
    • Não ligar o limpador quando o vidro estiver seco.
    • Manter as palhetas limpas e trocá-las a cada ano ou quando estiverem ressecadas.
    • No reservatório, usar aditivo apropriado para limpeza.
    Os limpadores de para-brisa são equipamentos importantes para a segurança do trânsito em dias de chuva ou em situações de neblina.
  • CARROCERIA
    • Lavar periodicamente
    • Manter os vidros limpos
    • Consertar pequenos amassados ou arranhões na pintura
    A carroceria protege as peças mecânicas, os equipamentos, as mercadorias, os ocupantes e suas bagagens.
  • CINTO DE SEGURANÇA
    • Fazer a limpeza usando uma escova embebida em água e sabão neutro
    • Trocar quando as tiras estiverem desfiadas, quando o sistema de recolhimento apresentar fadiga ou quando tiver sido submetido a uma grande força de tração
  • PAINEL DE INSTRUMENTOS Ao dirigir um veículo, o condutor estará diante de um painel com vários instrumentos. Eles informam as principais condições de uso e funcionamento do veículo. O condutor se comunica com o veículo, e o veículo se comunica com ele. É importante conhecer os símbolos desses controles e saber interpretar suas mensagens para adotar as medidas necessárias ao bom funcionamento do veículo e à segurança do trânsito. Quando surgirem problemas, é importante identificá-los e adotar as providências imediatas para a sua solução.
  • PAINEL DE INSTRUMENTOS
  • INSTRUMENTOS DO PAINEL Termômetro Velocímetro Hodômetro Ind. comb. Manômetro Amperímetro Fluido freio Freio estac. Lanternas Farol alto Indic. direção Alerta Limp. parabrisa
  • 4. EXTINTOR DE INCÊNDIO
  • VEÍCULO E FOGO Fogo - Resultado de três elementos básicos: combustível, comburente e calor Incêndio - Fogo fora de controle Classes de incêndio – Mais comuns são três: A, B, C Veículo e fogo – Num veículo podem acontecer princípios de incêndio, pois existem materiais sólidos, líquidos inflamáveis e equipamentos elétricos.
  • EXTINTOR DE INCÊNDIO AUTOMOTIVO O que é – Equipamento obrigatório com funcionamento parecido ao de um spray, com pó pressurizado e prazo de validade.
    • Tipos – ABC e BC
    • Os veículos novos saem equipados com extintores tipo ABC, com validade de cinco anos e sem possi-bilidade de recondicionar o casco.
    • Nos veículos usados, os extintores BC têm prazo até 2010 para serem substituídos.
    Localização – Geralmente na parte inferior do banco do condutor.
  • EXTINTOR DE INCÊNDIO - 2
    • Conservação e manutenção
    • O extintor deve ser conservado nas condições previstas pela legislação. Na inspeção visual mensal devem ser observados os seguintes aspectos:
    • o ponteiro indicador da pressão não deve estar na faixa vermelha
    • o lacre não deve estar rompido
    • os prazos não devem estar vencidos
    • a aparência externa deve estar em boas condições
    • deve existir a marca do INMETRO
    • A troca – O extintor deve ser trocado
    • após o uso
    • sempre que houver irregularidade
    • no vencimento da carga e casco
  • EXTINTOR DE INCÊNDIO - 3
    • Nesse caso:
    • Estacionar o veículo, retirar a chave e remover os passageiros
    • Aproximar-se com cuidado, de costas para o vento
    • Romper o lacre, apertar o gatilho, dirigir o jato para a base do fogo em movimentos de leque, mantendo o extintor na posição vertical
    • Certificar-se de que o fogo não recomeçou após algum tempo.
    A carga de um extintor é suficiente somente para princípios de incêndio, que geralmente começam no compartimento do motor. Uso do extintor em princípios de incêndio
  • 5. FUNCIONA-MENTO DO VEÍCULO DE DUAS RODAS
  • DIFERENÇAS: CARRO E MOTO CARACTE- RÍSTICAS Só possui cavaletes. Possui freio de estacionamento. Freio de estaciona-mento O freio da roda dianteira é acionado com a mão direita; o da roda traseira, com o pé direito. Um único pedal aciona o freio nas quatro rodas. Freio de serviço Acionada com a mão esquerda. Acionada com o pé esquerdo. Embrea-gem Quando em movimento, fica leve; quando parada, fica pesada. Parado ou em movimento, o peso não é diferente. Peso É dinâmico. Só fica equilibrada quando em movimento. É estático. Fica equilibrado mesmo quando parado. Equilíbrio
  • EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS – 2 RODAS
    • espelhos retrovisores, de ambos os lados
    • farol dianteiro, de cor branca ou amarela
    • lanterna, de cor vermelha, na parte traseira
    • lanterna de freio, de cor vermelha
    • iluminação da placa traseira
    • indicadores luminosos de mudança de direção, dianteiro e traseiro
    • velocímetro e buzina
    • pneus que ofereçam condições mínimas de segurança
    • dispositivo ao controle de ruído do motor
    Motonetas, motocicletas e triciclos devem estar equipados com:
  • CUIDADOS E SEGURANÇA
    • Cuidados e segurança
    • Condutor e proprietário devem:
    • ler atentamente o manual;
    • manter a moto em boas condições de segurança
    • fazer inspeção diária na moto antes de usá-la.
    • Uma boa manutenção evita:
    • Quebras
    • Custos com consertos
    • Acidentes
  • ÓLEO, BATERIA
    • ÓLEO DO MOTOR
    • verificar o nível do óleo
    • usar o recomendado pelo fabricante
    • limpar o filtro de óleo periodicamente e substituí-lo de acordo com a orientação do fabricante.
    • BATERIA
    • Manter longe de chamas, faíscas e cigarros acesos.
    • Em bateria não selada, verificar o nível do eletrólito
    • Quando os terminais estiverem oxidados, limpá-los com uma solução de água e vinagre.
  • ACELERADOR
    • ACELERADOR
    • A manopla deve funcionar de modo suave em todas as posições.
    • Ajustar a folga conforme as orientações do manual.
  • COMBUSTÍVEL E FILTROS
    • COMBUSTÍVEL E FILTROS
    • Abastecer em locais ventilados e com o motor desligado.
    • Preferir gasolina aditivada.
    • Não encher demais o tanque.
    • Não trafegar com o ponteiro na reserva.
    • Acionar corretamente o registro: ON, OFF, RES.
    • Manter o filtro de ar conforme orientação do fabricante.
    • Manter limpo o filtro de combustível.
  • EMBREAGEM
    • EMBREAGEM
    • O manete da embreagem deve proporcionar acionamento firme e suave.
    • O cabo não pode ter dobras ou marcas de desgaste.
    • Lubrificar o cabo com óleo de boa qualidade.
  • CORRENTE DE TRANSMISSÃO
    • Verificar diariamente e fazer a manutenção adequada
    • Manter a corrente limpa e lubrificada
    • A folga deve ser ajustada corretamente.
    CORRENTE DE TRANSMISSÃO Importante mantê-la em boas condições. Se quebrar ou escapar, pode provocar acidente grave.
  • FREIOS
    • FREIOS
    • Verificar o nível do fluido, o desgaste das pastilhas e possível vazamento do fluido do sistema.
    • O freio dianteiro e o traseiro devem ser ajustados conforme instruções do manual.
    3. O cabo do freio deve estar sempre em boas condições.
  • PNEUS
    • PNEUS – Quando em perfeitas condições, garantem segurança. Por isso, é importante adotar cuidados:
    • Verificar periodicamente a pressão
    • Em caso de troca, usar pneus da mesma media e tipo
    • Fazer periodicamente o balanceamento das rodas
    • Manter a tensão dos raios, a centragem e o alinhamento em boas condições
    • Trocar os pneus quando os indicadores de desgaste se tornarem visíveis.
  • LIMPEZA
    • LIMPEZA E CONSERVAÇÃO
    • Mantenha a moto limpa.
    • Nunca a lave ao sol ou com o motor quente.
  • 6. CONDUÇÃO ECONÔMICA
  • CONDUÇÃO ECONÔMICA Conduzir de modo econômico é operar o veículo de forma correta acionando freios, acelerador, direção em sintonia com todas as situação que se apresen-tam ao condutor. Vale para todos os veículos.
    • Traz vantagens a todos:
    • Ao proprietário
    • À segurança do trânsito
    • Ao meio ambiente
    • À infraestrutura.
  • CONDUÇÃO ECONÔMICA- COMBUSTÍVEL
    • Para economizar em relação ao combustível :
    • Abasteça com combustível de boa qualidade.
    • Ao abastecer, não deixe o frentista derramar.
    • Verifique as condições do filtro de ar e de combustível.
    Que outras “dicas” você sugere?
  • CONDUÇÃO ECONÔMICA - MOTOR
    • Para economizar em relação ao MOTOR :
    • Não é preciso “aquecer” o carro para sair de manhã. Sair logo, sem forçar nos primeiros minutos.
    • Não acelerar antes de desligar o motor.
    • Não dirigir em altas velocidades.
    • Evitar aceleradas bruscas.
    • Desligar o motor sempre que parar o veículo.
    Que outras “dicas” você daria para dirigir com economia em relação ao motor?
  • CONDUÇÃO ECONÔMICA - MARCHAS
    • Para conduzir adequadamente em relação às MARCHAS :
    • Trocar as marchas no tempo certo e nas velocidades indicadas no manual.
    • Não acelerar no intervalo da troca de marchas.
    • Nas descidas prolongas, usar freio motor.
    • Utilizar as informações do con- tagiros, caso o veículo tiver.
    Que outras “dicas” você daria para dirigir com economia em relação à troca de marchas?
  • CONDUÇÃO ECONÔMICA – OUTROS ASPECTOS TRAJETO Que outras “dicas” você daria para dirigir com economia ?
    • Criar uma rota que atenda a todos os compromissos.
    • Fugir dos congestionamentos
    PNEUS Utilizar calibragem correta.
    • PESO
    • Não colocar carga superior à recomendada no manual
    • Retirar do veículo todos os objetos não necessários.
  • 7. CUIDADOS ANTES DE VIAJAR
  • CUIDADOS ANTES DE VIAJAR Para uma viagem tranquila e segura não basta apenas preparar as malas e colocar a família no carro. É PRECISO FAZER A REVISÃO DO VEÍCULO ANTES DE SAIR. Isso todos sabem, mas poucos fazem. Nas rodovias são muitos os veículos que ficam parados por 1. Falhas mecânicas 2. Panes elétricas DEIXAR ACONTECER O PROBLEMA É COLOCAR EM RISCO A SEGURANÇA.
  • CUIDADOS ANTES DE VIAJAR É mais seguro e econômico programar revisões periódicas numa oficina de confiança do que precisar de um reparo em local desconhecido. Além disso, antes de pegar a estrada, é preciso checar, com antecedência, alguns itens do veículo, para que a viagem seja segura e tranquila.
  • CUIDADOS ANTES DE VIAJAR Principais itens que devem ser checados antes de uma viagem: 1. Óleo 2. Água-refrigeração 5. Água limpador parabrisa 7. Pneus 8. Freios 9. Ferramentas 10. Cintos de segurança 6. Sistema iluminação 11. Capacete 3. Velas 4. Palhetas 12. Extintor
  • CUIDADOS DURANTE A VIAGEM PARA CHEGAR LÁ, AINDA FALTAM...
  • CUIDADOS DURANTE A VIAGEM ...OS CUIDADOS DURANTE A VIAGEM.
  • CUIDADOS DURANTE A VIAGEM Os cuidados com o veículo são fundamentais, porém... ... a atenção na condução do veículo e a obediência às leis de trânsito também são fundamentais para que todos tenham uma viagem segura e tranquila.
  • INDEPENDENTE DE QUANTAS RODAS TIVER O VEÍCULO, MANTENHA-O SEMPRE EM CONDIÇÕES DE SEGURANÇA.