Your SlideShare is downloading. ×
Filosofia (iluminismo e revolução francesa)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Filosofia (iluminismo e revolução francesa)

9,145
views

Published on

este trabalho contem um pouco do contexto histórico do iluminismo e revolução francesa …

este trabalho contem um pouco do contexto histórico do iluminismo e revolução francesa
e os filósofos criadores do iluminismo.

Published in: Education, Technology, Business

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
9,145
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
91
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. FAEC FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE COLORADO DOD OESTE / RO
    O iluminismo
    e a revolução francesa
    Rousseau, Voltaire e Montesquieu
  • 2. O iluminismo
  • 3. Os iluministas achavam que a principal força transformadora era a “razão”, a capacidade humana de raciocinar.
  • 4. Para os ILUMINISTAS “A luz da razão deveria triunfar sobre as trevas da ignorância,do fanatismo religioso,das superstições”.
  • 5. Os iluministas achavam ainda que a maioria das pessoas tinham idéia muito conservadoras e que acabavam aceitando opressões do antigo regime.
  • 6. Porque as pessoas pensavam dessa maneira?
    Será que elas já tinham nascido com idéias de submissão?
  • 7. “Claro que não”,dizia os iluministas ,ninguém nasce como idéias prontas.
  • 8. “Todos os homens são resultados da educação que tiveram”, ou seja ninguém nasce burro,fanático,covarde ,mentiroso,mesquinho,assassino e egoísta, mas a sociedade em si que o torna desta maneira.
  • 9. Montesquieu
  • 10. Montesquieu foi um dos criador do teoria da separação dos três poderes
    o Executivo,Legislativo e Judiciário.
    Ele acreditava que desse modo o poder seria limitado pelo próprio poder, e assim ele mostrava que nem toda pessoa raciocina de acordo com a classe social a qual pertence
  • 11. Montesquieu uma vez deu a entender que “não é a (deusa) Fortuna que governa o mundo” ou em outras palavras ele quis dizer que não se pode reduzir a história a causas particulares.
  • 12. Rousseau
  • 13. PENSAMENTOS DE ROUSSEAU
  • 14. Rousseau é filósofo iluminista precursor do romantismo no Séc. XIX, e apesar de ser iluminista, era um crítico ao movimento.
    Sendo característico do iluminismo, pensava que a sociedade havia pervertido o homem natural que vivia harmoniosamente com a natureza.
  • 15. Rousseau não busca retornar o homem a primitividade, ao estado natural, mas ele busca meios para se diminuir as injustiças que resultam da desigualdade social. Indica assim alguns caminhos: 
  • 16. caminhos
  • 17. 1° Igualdade de direitos e deveres políticos ou o respeito por uma "vontade geral“.
    2° Educação pública para todas as crianças baseadas na devoção pela pátria e austeridade moral.
    3° Um sistema econômico e financeiro combinados com os recursos da propriedade pública com taxas sobre as heranças e impostos. 
  • 18. A pedagogia de Rousseau
  • 19. Os pressupostos básicos de Rousseau a respeito da educação eram a crença na bondade natural do homem, e atribuir à civilização a responsabilidade pela
    A educação deveria levar o homem a agir por interesses naturais e não por imposição de regras exteriores artificiais, pois só assim o homem poderia ser dono de si próprio.
    Rousseau afirmava que a educação não vem de fora, é a expressão livre da criança no seu contato com a natureza.
  • 20. No plano filosófico geral de Rousseau, a contradição homem/cidadão se dá através da contradição existente entre o homem e a sociedade.
    Para Rousseau, o homem nasce bom e a sociedade o corrompe, ou seja, o homem através da história torna-se mau , com o objetivo de lesar o outro.
    O homem primitivo era bom porque era natural.
  • 21. Voltaire
  • 22. Voltaire escrevia de forma simples engraçada,e simples e irônica.
    Seu livro Cândido ridicularizava aquele que achavam que viviam “no melhor dos mundos possíveis”.
    Voltaire empenhou-se em mostrar que haviam muitos sábios e pessoas honestas nos com costumes e religiões diferentes dos europeus.
  • 23. Para ele, os homens de todo o mundo poderiam dialogar e chegar a um acordo.
    Em vez da guerra e do preconceito,haveria a paz e o entendimento.
    Afinal de contas existe algo que iguala todos os homens: todos são dotados de razão.
  • 24. REVOLUÇÃO FRANCESA
  • 25. A revolução francesa só aconteceu porque a situação social da França era tão grave e o nível de insatisfação popular tão grande que o povo foi às ruas com o objetivo de tomar o poder e arrancar do governo a monarquia comandada pelo rei Luis XVI.
  • 26. O primeiro alvo dos revolucionários foi a Bastilha.
    A Queda da Bastilha em 14/07/1789 marca o início do processo revolucionário, pois a prisão política era o símbolo da monarquia francesa.
  • 27. REVOLUÇÃO E O PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO
  • 28. Ela teve avanços tão consideráveis na teoria e na pratica da educação ,como os que ocorreram no século XVIII que não poderia deixar de se transformar em norma jurídica .
    A educação proposta pela revolução francesa deveria ser transformada em direito de todos e dever do estado.
  • 29. Uma convenção elaborou vários decretos, que foram expandidos pela França e esse decreto tinha como base o ensino obrigatório sem muito êxito.
    Desde aquela época os planos educacionais pareciam mais avançados do que na pratica .
  • 30. Foi o caso do “plano nacional de educação” aprovados pela assembléia nacional constituinte em 1793 e conhecido por LEPELLETIER.
    Os textos de lepelletier nutria-se de todo e qualquer debate que houvesse. A princípios suas obras defendiam o principio da igualdade afetiva e o direito ao saber de todo cidadão seja qual for sua profissão.
  • 31. O plano nacional de educação não chegou a ser posto em pratica. Seu autor foi assassinado em 1793 entretanto suas idéias inspiradas no liberalismo do século XVIII tiveram notáveis influencia nos sistemas nacionais de educação criados no século XIX.
  • 32. Obrigado
    pela
    atenção
  • 33. Integrantes: 1° SEMESTRE E LETRAS
    Clayton Tiago
    Deividy Mayter Alves dos Santos
    Edmilsom Gutthierres Martins
    Glesia Nuane da Silva
    Formatação:
    ClaytomTiago e Deividy Mayter
    Professor:
    Clodoaldo Cristiano Reis
    Disciplina: FuncamentosFilosoficos e Sociologicos